Blog do Eliomar

Categorias para Ceará

Lúcio Alcântara: “Impeachment não é recall!”

lucioalcantara

Para o ex-governador Lúcio Alcântara, o Senado abriu um “precedente perigoso” ao votar pelo impeachment de Dilma, baseado principalmente no fracasso da economia.

“Se a economia tivesse bem, nada aconteceria!”.

Lúcio é também presidente regional do Partido da República. Mas ele torce para que o novo governo cumpra as promessas principalmente de reformas necessárias para fazer o País recuperar sua economia.

 

Efeito Orloff – O que tem a ver Dilma com Cunha?

Com o título “Por que viraram os votos”, eis tópico da Coluna Política do O POVO desta quinta-feira, assinada pelo jornalista Érico Firmo. Confira:

O PMDB comandou a virada de votos que permitiu a Dilma Rousseff (PT) manter seus direitos políticos. O algoz, que saiu da base governista para impulsionar o impeachment, foi responsável por dar à ex-presidente um alento. Houve 16 senadores que votaram pelo impeachment, mas decidiram preservar os direitos políticos dela. Outros três que foram pelo afastamento de Dilma se abstiveram. Um deles, o cearense Eunício Oliveira (PMDB).

Oito dos senadores que votaram para afastar Dilma, mas manter seus direitos políticos, são peemedebistas. O movimento foi puxado pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (AL). Só a bancada peemedebista teria sido suficiente para impedir a segunda punição a ela. Outros dois peemedebistas se abstiveram. Os outros votos que “viraram” foram três do PR, dois do PDT, dois do PSB e um do PPS. Além dos peemedebistas, uma senadora do DEM se absteve.

A pergunta é: por que a diferença de tratamento? Qual a razão para senadores que acham que Dilma cometeu crime de responsabilidade entenderem que ela tem direito a ser candidata daqui a dois anos? Pode, por exemplo, voltar à Presidência, sem quarentena. Pode ser secretária de Estado ou prefeitura. O que explica?

Nenhuma das respostas que cogito sinaliza qualquer coisa de bom. Uma hipótese seria de esses senadores, de certa forma, reconhecerem que a pena seria dura demais para o tamanho da irregularidade cometida. Ao atenuar a dimensão do crime cometido, abrem grande margem para se discutir a pertinência de cassar mandato de presidente por tal razão. É grave.

Outra possibilidade seria fazer um aceno à nova oposição. Os governistas tentariam fazer um afago, gesto de generosidade. Quem sabe, na esperança de não ter contraponto tão duro quanto o PT já mostrou que sabe fazer. Nenhuma surpresa, nesse caso teriam pautado o julgamento pelos interesses políticos.

A outra hipótese é a mais grave de todas. São coisas diferentes, mas os senadores podem ter pensado nas repercussões possíveis do entendimento para cassações outras de mandato. Vários parlamentares são alvos da Lava Jato e vários outros casos. Podem criar janela para se beneficiarem: cassa, mas deixa ser candidato na eleição que vem. O próximo processo de cassação, aliás, tem data para ser votado. Será daqui a 11 dias. Refere-se a Eduardo Cunha. Do PMDB.

Camilo presta solidariedade a Dilma, mas evita críticas a Temer

127 1

govoov

Da Coluna Vertical, no O POVO desta quinta-feira (1º):

O governador Camilo Santana (PT) prestou solidariedade a Dilma Rousseff, afastada da presidência após julgamento de processo de impeachment no Senado. Ele conversou com ela por telefone demoradamente. Camilo manteve-se afastado desse furacão que se abateu não apenas contra o governo dilmista, mas contra o PT.

Como é chefe do Executivo estadual, acabou evitando críticas duras ou confrontar o Planalto, até porque terá que conviver com um novo flanco de poder chamado PMDB. Um poder que, no Ceará, é representado por seu maior rival político, no caso o senador Eunício Oliveira. Eunício já mostrou seus trunfos. Detém o controle do BNB e diretorias no Dnocs. Mas quer bem mais: o governo em 2018.

Executiva do PT avalia impeachment nesta quinta-feira em Brasília

reuniao-do-pros-De-Assis-Diniz-anderson-santiago-4

 

O presidente do PT no Ceará, Francisco de Assis Diniz, participa nesta quinta-feira e sexta-feira, em Brasília,, da reunião da Executiva Nacional do partido, que irá avaliar consequências do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, como ainda a manutenção de seus direitos políticos.

Para o dirigente petista, o clima de indignação da população ainda deverá tomar às ruas no país.

“O que nós podemos afirmar é que foi um golpe! Um golpe parlamentar. Primeiro pela disposição de uma estadista que vai ao Congresso, de cara limpa, e responde, humildemente, a todos os senadores com as suas inquietações. Segundo, o que está em curso no Brasil, quando a (ex-) presidente falou das três principais questões que envolvem o povo brasileiro, seja, por exemplo, o pré-sal, quando apenas o campo de Libra foi habilitado para fazer a partilha, as empresas tiveram que entrar com uma contrapartida de 20 bilhões (de reais)”, acentuou DeAssis.

“E nós estamos apenas falando do campo de Libra. O pré-sal é oito vezes maior do que isso, então essa riqueza que pode e deve ser usada, hoje é uma ameaça concreta”, observou o petista.

“A segunda questão é a capacidade do Estado. O Estado, se aprovado no Congresso Nacional a perspectiva de contingenciar e segurar por 20 anos os investimentos, nós vamos ter um prejuízo considerável. E a terceira questão é a dos direitos trabalhistas, por isso é uma ameaça à classe trabalhadora, não é um golpe contra o PT, contra a Dilma, mas, sim, contra o povo brasileiro”, completou.

Francisco DeAssis negou que a manutenção dos direitos políticos de Dilma seria um acordo que também salvaria o ex-presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Apresentador do “Domingo Show” garimpa novas reportagens no Ceará

graldoluiz

Este repórter do Blog e Geraldo Luís.

O apresentador do programa “Domingo Show”, da Rede Record, jornalista Geraldo Luís, deixou Fortaleza nesta quarta-feira. Ele esteve circulando pelo Interior cearense e por bairros da Capital cearense em busca, como disse, de boas histórias que contará em breve para todo o Brasil.

Geraldo Luís está mais magro e deixou Fortaleza falando maravilhas do povo cearense. Essa é a terceira vez que ele visita o Ceará em busca de reportagens para seu programa.

Chacina de Messejana – APS critica prisão de PMs

“Dos dos 45 policiais denunciados pelo Ministério Público do Ceará (MP-CE) por participação na chacina da Grande Messejana, pelo menos 14 estão filiados à Associação dos Profissionais da Segurança (APS) e estão tendo as defesas preparadas por dez advogados. A APS afirma que os defensores terão acesso aos processos nesta quinta-feira, 1º, e que pretendem pedir a revogação das prisões preventivas.

Em entrevista coletiva, na tarde desta quarta-feira, 31, o presidente interino da entidade, Rafael Lima, reiterou que, em relatos, policiais afirmam não ter envolvimento com o caso e criticou as prisões preventivas determinadas pelo colegiado especial designado exclusivamente para este caso – que inclui o titular da 1ª Vara do Júri, o juiz Ely Gonçalves Júnior, e os juízes Bessa Neto, da 1ª Vara de Execuções Penais de Fortaleza, e Adriana Dantas, da Vara Única Privativa de Audiências de Custódia.

Rafael afirma que os policiais são funcionários públicos, concursados, e que não representam risco aos familiares das 11 vítimas e testemunhas dos assassinatos. O presidente aponta ainda que muitos dos policiais foram surpreendidos pela determinação. Ele conta que os policiais alegam que não estavam trabalhando nas proximidades e os que estavam teriam provas do não envolvimento no massacre.”

(O POVO Online)

Manifestantes contra o “golpe” ocupam Praça da Gentilândia

atto

Um grupo de militantes do PT, PCdoB e PSOL faz ato de protesto nesta quarta-feira, na Praça da Gentilândia, no bairro Benfica, em Fortaleza. A maioria é formadas por estudantes que bradam contra o “golpe” praticado contra o Governo Dilma Rousseff.

No ato, o candidato a prefeito pelo PSOL, João Alfredo, que conclamou uma tribuna livre, abriu o microfone para lideranças de esquerda e do movimento estudantil.

(Foto – PSOL)

Eleições 2016 – Cid Gomes cola no irmão em Sobral

sobralll

Em Sobral, a ordem agora é colar o nome do ex-governador Cid Gomes na propaganda do seu irmão, Ivo Gomes (PDT).

Na primeira pesquisa Ibope-TV Verdes Mares, ele apareceu empatado tecnicamente com o deputado federal Moses Rodrigues (PMDB), no que veio a reação (Moses, 36% e Ivo, 33%).

Cid Gomes, que já governou Sobral, não quer perder em sua terra. Isso virou ponto de honra.

Por trás da disputa, há uma briga nada surda dele com o senador Eunício Oliveira, que apoia Moses. Resquícios ainda do pleito para o Governo, quando Cid resolveu trocar Eunício pelo petista Camilo Santana.

DETALHE – A expectativa agora é saber qual o efeito da Era Temer nesse e em vários outros redutos eleitorais.

Luizianne Lins comenta “golpe” e diz que a ordem é evitar retrocesso

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=CEuobBY8pQg[/embedyt]

A candidata à Prefeitura de Fortaleza pelo PT, deputada federal Luizianne Lins, acompanhou, em Brasília, nesta quarta-feira, os últimos momentos de Dilma Rousseff (PT), antes da decretação do impeachment pelo Senado (61X20).

Luizianne mandou vídeo para o Blog comentando o que define como golpe e afirmou que a luta continuará e que será fundamental manter a mobilização para que avanços sociais não sucumbam na Era Temer.

Leônidas Cristino e o impeachment: “Todos perderam!”

leonidascristinoo

“Todos perderam!”, afirma o deputado federal Leônidas Cristino (PDT), ao comentar o impeachment de Dilma Rousseff. Para ele, a democracia ficou fragilizada e o País ganhou um governo sem legitimidade.  “Não está na sua origem o interesse na melhoria do bem estar dos brasileiros. A política pequena, de interesses inconfessáveis, de traição e cobiça desmedida pelo poder a qualquer preço marcam todo processo”, disse ele.

Para Leônidas, o golpe fere de morte “a nossa jovem democracia, abala as instituições e atropela a legitimidade do mandato de uma presidente eleita pelo voto popular.” Cometeu -se um “verdadeiro atentado”.

“Tramou este golpe uma oposição, agora situação, que sabotou o pleno cumprimento do mandato presidencial com a votação de pautas bombas para inviabilizar a condução da política econômica do governo”, afirmou. O parlamentar lembrou que em outras ocasiões questionou a inércia com que são apuradas as responsabilidades de Eduardo Cunha diante do grave teor de denúncias que contra ele foram feitas pelo Ministério Público Federal.

Leônidas Cristino acrescentou que “o fato mais grave é o acordo de bastidores que adiou para depois da sessão de impeachment a sessão de cassação de Eduardo Cunha, sob suspeito beneplácito do vice-presidente Michel Temer”.

O PDT deverá trabalhar agora de olho em 2018, pois já tem um candidato a presidente: Ciro Gomes. O partido, conforme Leônidas Cristino, adotará a postura vigilante no Congresso em defesa dos interesses da classe trabalhadora.

Capitão Wagner vai ao CIC apresentar suas propostas

foto capitão wagner palestra

O candidato a prefeito de Fortaleza pelo PR, deputado estadual Capitão Wagner, vai estar com diretores do Centro Industrial do Ceará, a partir das 18 horas desta quarta-feira.

Durante conversa com o pessoal do CIC, no auditório do 5º andar da Casa da Indústria (Fiec), o candidato apresentará suas principais propostas para Fortaleza e, claro, será sabatinado sobre questões relacionadas aos interesses do setor produtivo.

DETALHE – O candidato tem visitado entidades de vários segmentos expondo suas propostas. Quer mostrar na prática que não é um postulante de um discurso só – o da segurança pública, como apregoa a oposição.

Chico Lopes diz que impeachment expõe a “frágil” democracia brasileira

CHICO-LOPES-Foto-Plenário_

O deputado federal Chico Lopes (PCdoB) classificou o impeachment de Dilma Rousseff (PT) como mais uma prova da “frágil democracia brasileira”.

Ele lamenta a situação e avalia que virá o pior contra os direitos da classe trabalhadora.

Justificando necessidade de conter gastos, o governo Temer deve vir com um pacote de maldades.

O PCdoB foi aliado do governo petista.

Nova Praça Portugal será entregue nesta sexta-feira

256 2

praçaça

A Nova Praça Portugal será entregue nesta sexta-feira, às 17 horas, totalmente reformada. O anúncio foi feito pela secretária municipal de Urbanismo e Meio Ambiente, Águeda Muniz. O projeto, segundo diz, é resultado de uma política pública de mobilidade desenvolvida desde 2013, em Fortaleza.

Foram implantados semáforos, ciclofaixa contínua, passagens de pedestres elevadas, paraciclos, parquinho infantil, academia ao ar livre, mesas de jogos, estação do Bicicletar, BikeFix (equipamento para pequenos reparos em bicicletas), projeto luminotécnico com lâmpadas de LED, além de um novo paisagismo com o plantio de 90 novas árvores.

Segundo Águeda Muniz, em termos de estrutura, a Praça Portugal aumentou o seu tamanho em 37,76%, passando de 7.545,49m² para 10.394,12m², oferecendo ao fortalezense cinco novos espaços de convivência.

Camilo Santana diz que processo de Dilma teve um “desfecho injusto”

governador-do-ceara-camilo-santana-48196

O governador Camilo Santana (PT) acaba de divulgar sua opinião acerca do impeachment de Dilma Rousseff, o que foi decretado nesta tarde de quarta-feira pelo Senado. Confira:

A deposição da presidenta Dilma Rousseff teve hoje seu ato final no Senado Federal. Eleita democraticamente por mais de 54 milhões de brasileiros, a presidenta Dilma deixa o comando do Governo Federal sem, sequer, ter conseguido concluir a metade de seu segundo mandato.

Não poderia deixar de dizer que considero o desfecho do mais injusto processo da história democrática deste país, quando uma mulher honrada, honesta, foi punida da forma mais severa, extirpada da cadeira da Presidência.

A resposta para a insatisfação com um governo deve ser a voz democrática das urnas; jamais a imposição da vontade dos opositores como uma espécie de eleição indireta.  O que está em jogo não é apenas o mandato de uma presidenta, mas o direito sagrado conquistado pelos brasileiros de escolher seus representantes democraticamente pelo voto direto.

Hoje é um dia muito triste para a democracia brasileira. A história haverá de julgar este momento.

Quero prestar a minha solidariedade à presidenta Dilma pela sua resistência, força, decência e convicção nos seus ideais democráticos. Sai deste processo deixando uma lição de coragem e firmeza.

Camilo S. Santana

Ciro Gomes: Dilma foi derrubada pela “votação golpista de uma quadrilha de marginais”

462 23

foto ciro transnordestina

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) afirmou, nesta quarta-feira, que a aprovação do impeachment de Dilma Rousseff foi consequência de “um conjunto de gravíssimos erros que ela cometeu, mas fundamentalmente consequência da votação golpista de uma quadrilha de marginais e ladrões travestidos de políticos que resolveram, aproveitando os erros da presidente, interromper a democracia brasileira”.

Ciro, em declaração à Rádio Tupinambá de Sobral (Zona Norte), onde faz campanha em favor do seu irmão, Ivo Gomes (PDT), candidato a prefeito desse município, disse nada esperar de bom da gestão de Michel Temer.

“Nós teremos na presidência da República um sem votos, que vai tentar implantar um conjunto de políticas todas contrárias aos interesses do povo mais pobre e vai prejudicar aposentados, pensionistas, estudantes e usuários do SUS. Enfim, vai entregar os interesses brasileiros aos estrangeiros sem ter nenhum acerto com  a população”, adiantou Ciro, que já está como pré-candidato a presidente da República em 2018.

João Alfredo convoca para “Tribuna Livre” de protesto contra afastamento de Dilma

vereador-João-Alfredo-e1467989277632

O candidato a prefeito de Fortaleza pelo Psol, vereador João Alfredo, está convocando a população para uma tribuna livre contra o “golpe”.

A partir as 16 horas desta quarta-feira, haverá espaço, na Praça da Gentilândia, para que as pessoas possam se expressar contra o impeachment de Dilma Rousseff.

Segundo João Alfredo, a hora é de resistência e de mostrar aos “golpistas” que ninguém vai aceitar retrocesso. “Temos que defender a democracia”, adianta o candidato.

Chacina de Messejana – Justiça decreta prisão preventiva de 44 PMs

“O titular da 1ª Vara do Júri, o juiz Ely Gonçalves Júnior, decretou a prisão preventiva de dois oficiais e 43 praças denunciados pelo Ministério Público do Ceará (MP-CE) por participação na chacina da Grande Messejana, que deixou 11 mortos. As informações foram confirmadas por fontes ligadas à investigação e ao processo, ouvidas pelo O POVO.

A prisão preventiva do grupo foi decretada nesta terça-feira, 30, às 16h, pelo colegiado especial designado exclusivamente para este caso, que inclui ainda os juízes Bessa Neto, da 1ª Vara de Execuções Penais de Fortaleza, e Adriana Dantas, da Vara Única Privativa de Audiências de Custódia. Desde então, os policiais estão se apresentando no Comando Geral da Polícia Militar. O POVO não teve acesso à lista dos policiais que tiveram as prisões decretadas.

A 1ª Vara não confirma oficialmente, visto que o caso corre em segredo de justiça. Em junho, O POVO antecipou a denúncia do MP-CE a 45 policiais militares e trouxe detalhes sobre a matança ocorrida no último dia 12 de novembro, nos bairros do Curió, Alagadiço Novo, Conjunto São Miguel e Messejana.

Segundo a investigação da Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança (CGD), os dois oficiais teriam sido responsabilizados por omissão. Mesmo sabendo o que estava acontecendo naquele dia, os policiais não se manifestaram contra a situação que terminou com a execução de 11 pessoas.

Mortos na chacina da Grande Messejana:

Mortes registradas no Curió, à 0h20min
Álef Souza Cavalcante, 17 anos
Jardel Lima dos Santos, 17 anos
Antônio Alisson Inácio Cardoso, 17 anos

Mortes registradas no Alagadiço Novo, à 1h54min
Marcelo da Silva Mendes, 17 anos
Patrício João Pinho Leite, 16 anos

Mortes registradas no Conjunto São Miguel, às 3h33min
Jandson Alexandre de Sousa, 19 anos
Francisco Elenildo Pereira, 41 anos
Valmir Ferreira da Conceição, 37 anos

Mortes registradas na Messejana, às 3h57min
Pedro Alcântara Barroso do Nascimento, 18 anos
Marcelo da Silva Pereira, 17 anos
Renayson Girão da Silva, 17 anos

(O POVO Online )

Transposição do São Francisco – Projeto entra em nova fase

foto josé airton com ministro helder barbalho

O deputado federal Zé Airton e o ministro Helder Barbalho.

“A elaboração do Programa de Revitalização da Bacia do rio São Francisco está entrando em uma nova fase. Na última reunião, realizada segunda-feira (29), os integrantes da Câmara Técnica foram organizados para trabalharem propondo linhas de atuação e ações em cinco frentes: planejamento e monitoramento; gestão e educação ambiental; proteção e uso sustentável dos recursos naturais; economias sustentáveis; e saneamento, controle de poluição e infraestrutura hídrica. Tudo, segundo o governo federal, para dar mais agilidade na preparação do plano, a ser apresentado para os ministros e governadores membros do Comitê Gestor em novembro próximo.

Além disso, na próxima reunião, marcada para o próximo dia 20 de setembro, representantes dos governos estaduais, que já vêm contribuindo com os grupos de trabalho do Programa de Revitalização, passarão a integrar a Câmara Técnica. Com isso, será possível aproximar os planejamentos do Governo Federal e dos estados, aprofundando o debate de estratégias regionais.

“Nossa expectativa é que possamos garantir um planejamento e ações que efetivamente tragam resultados. E que assim o rio São Francisco possa melhorar as condições de oferta e qualidade de água”, destaca o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho.

A missão da Câmara Técnica é elaborar um plano que será apresentado, em novembro, para validação do Comitê Gestor do Programa. O documento deve conter as ações prioritárias para assegurar a maior oferta de água com qualidade do rio São Francisco, num ambiente de sustentabilidade ambiental.

(Foto – MIN)

MP faz operação na Câmara Municipal de Sobral e no Instituto Cidades

“O Ministério Público do Estado do Ceará, através do Núcleo de Tutela Coletiva de Sobral e com apoio da Procuradoria dos Crimes Contra a Administração Pública (PROCAP), está neste momento acompanhando o cumprimento de mandados de busca e apreensão na Câmara Municipal de Sobral e na sede do Instituto Cidades, em Fortaleza, deferidos pelo juiz da 1ª Vara Cível de Sobral, Maurício Fernandes Gomes.

O objetivo é apurar indícios de fraude em licitação e pagamento a maior, relacionados a concurso público realizado em dezembro de 2015 para preenchimento de cargos do poder legislativo em Sobral.”

(Site do MP-CE)