Blog do Eliomar

Categorias para Ciência

A UFC, a Secitece e um embrião do ITA

Da Coluna Eliomar de Lima, no O POVO desta quarta-feira (13):

Com apoio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece), a Universidade Federal do Ceará deverá implantar um curso de Engenharia Aeronáutica. A informação é do titular da Secitece, Inácio Arruda, adiantando que o projeto já está no MEC aguardando a liberação.

“Estamos aguardando a liberação, até porque a UFC formou massa crítica nas áreas da navegabilidade e segurança de voo, além de ter know-how na área da Engenharia, uma das mais respeitadas no País”, acentua o secretário.

Ele destacou que a Instituição conta ainda com três mestrados apoiados pela pasta e que reforçam a certeza de que esse curso virá ainda neste ano.

Para Inácio, o curso chega como uma espécie de ITA (Instituto de Tecnologia da Aeronáutica) no Estado.

Para o diretor do Centro de Tecnologia da UFC, Almir Holanda, falta só um detalhe: apoio da bancada cearense para a conquista de recursos suplementares.

(Foto – Agência Senado)

71ª Reunião Anual da SBPC será em Campo Grande

A 71ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) ocorrerá no período de 21 a 27 de julho próximo, na Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), em Campo Grande (MS). Neste ano, o tema será “Ciência e inovação nas fronteiras da bioeconomia, da diversidade e do desenvolvimento social”.

A programação científica da SBPC, que inclui a Jornada Nacional de Iniciação Científica, é composta de conferências, mesas redondas, encontros, sessões especiais, minicursos e sessões de pôsteres. As inscrições para o maior encontro científico da América Latina serão gratuitas e a submissão de trabalhos vai até o dia 11 de março. AUFMS, que é sede, completa 40 anos de federalização.

Também serão realizadas outras atividades, como a SBPC Jovem (exposição voltada para estudantes do ensino fundamental e médio e para o público em geral, com o evento Integra UFMS na programação), a ExpoT&C (mostra de ciência e tecnologia), a SBPC Cultural (apresentação de atividades artísticas e culturais), a SBPC Afro e Indígena (conferências e mesas-redondas temáticas) e o Dia da Família na Ciência (um sábado dedicado à integração entre cultura e ciência para os jovens e seus familiares).

SERVIÇO

*Acesse o site do evento: https://www.ufms.br/sbpc-2019.

*Mais Informações – (67) 3345 7010, 3345 7982 e 3345 7985

===

Liga Acadêmica de Doen

III Pré-Agrárias com inscrições para calouros do Centro de Ciências Agrárias

Calouros dos Cursos de Agronomia, Economia Ecológica, Engenharia de Alimentos, Engenharia de Pesca, Gestão de Políticas Públicas e Zootecnia já podem se inscrever, via formulário eletrônico (https://tinyurl.com/y7gxa2vv), para a terceira edição do Pré-Agrárias.

A iniciativa ocorre de 11 a 15 deste mês, no Campus do Pici Prof. Prisco Bezerra, e tem como objetivo facilitar a ambientação dos novos universitários em relação a disciplinas curriculares, bolsas, processos de empresas juniores e grupos de estudo.

A realização do Pré-Agrárias é dos centros acadêmicos, programas de educação tutorial (PETs) e empresas juniores dos cursos que integram o Centro de Ciências Agrárias (CCA) da Universidade Federal do Ceará. Programação e mais informações estão disponíveis na página do Pré-Agrárias no Facebook (www.facebook.com/PreAgrariasUFC).

(UFC)

Funceme quer usar barco robótico em projeto de monitoramento de açudes

Pesquisadores da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) estiveram reunidos com representantes do Instituto de Tecnologia da Informação e Comunicação (ITIC) e do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer, na última semana. O encontro, segundo divulga a assessoria de imprensa do órgão, serviu para avaliar o uso do barco Iracema em projetos futuros relacionados ao monitoramento e avaliação da qualidade da água dos reservatórios do Ceará.

Concebido com apoio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e desenvolvido pelo ITIC e CTI Renato Archer, o barco Iracema já foi utilizado em expedição científica no rio São Francisco e, no momento, o mesmo, está disponível para uso em pesquisas por instituições da esfera estadual, federal ou, até mesmo, pela iniciativa privada, no Estado do Ceará.

De acordo com o pesquisador da área de Recursos Hídricos da Funceme, Porfírio Sales Neto, o equipamento robótico poderá, a priori, ajudar em dois projetos futuros que focam na qualidade de água em reservatórios no Estado do Ceará: um voltado para o monitoramento da qualidade da água com uso de sensoriamento remoto; e outro sobre modelagem da qualidade da água. “Ele [o barco Iracema] tem condições de acoplar vários instrumentos, tais como sonda de qualidade da água (vários parâmetros), ecobatímetro, radiômetros, etc., que serão necessários na execução destes projetos”.

Barco Iracema

O barco Iracema consiste num veículo de superfície, com finalidade de estudos científicos e de monitoramento hidroambiental. Ele permite realizar missões pré-programadas (autônomas) para a coleta de dados, de forma georreferenciada, ou ainda de forma manual, por meio de um joystick, ou simplesmente guiado por tripulação.

Sales Neto explica, ainda, que no referido barco poderão ser acoplados espectrorradiômetros, que são sensores capazes de medir o comportamento da luz (energia) incidente e refletida sobre os corpos d’água, o que permitirá montar uma base de dados (biblioteca) que, quando comparada com dados de imagens de satélite, poderá indicar padrões de qualidade das águas dos reservatórios.

“A ferramenta poderá indicar o comportamento referente ao processo de eutrofização dos reservatórios e também auxiliar na validação de resultados de coleta de água”, reforça Gilberto Mobus, pesquisador da Funceme responsável pela coordenação do projeto de Modelagem da Qualidade da Água.

(Foto – Divulgçação)

Sobral será sede de encontro da SBPC

O prefeito de Sobral, Ivo Gomes (PDT), fez reunião, nesta semana, com o secretário da Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Estado do Ceará, Inácio Arruda, e com membros da comissão organizadora dos eventos de comemoração do centenário do Eclipse de Sobral.

Entre as demandas, ficou definida a realização de uma reunião regional da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em Sobral, no Centro de Convenções, de 27 a 30 de março, onde será discutido “Educação básica de qualidade: currículo, carreira e gestão escolar”.

O centenário começou a ser comemorado no município em maio de 2018. Nesse ano de comemorações – o Ano Municipal das Ciências – já foram realizadas, por exemplo, palestras, exposições e aulas sobre astronomia.

Além da SBPC, o evento vem sendo articulando junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

(Foto – Arquivo)

Único eclipse total lunar do ano poderá ser visto nesta madrugada

Brasileiros de todos os estados poderão assistir, na madrugada desta segunda-feira (21), ao único eclipse total lunar deste ano. O fenômeno, também chamado de Lua de Sangue, só ocorrerá novamente em 16 de maio de 2022, segundo a pesquisadora do Observatório Nacional Josina Nascimento.

O fenômeno ocorre quando a lua está na fase cheia e entra na sombra da terra. Desta vez, ele ocorrerá juntamente com a Superlua, que é quando o satélite está mais próximo da terra.

Segundo o Observatório Nacional, o eclipse tem três fases. A primeira é a fase penumbral, imperceptível a olho nu, que é quando a lua começa a entrar na sombra da terra e fica menos brilhante.

A segunda fase é o eclipse parcial, quando a lua começa a escurecer, ao entrar na sombra da terra. Essa fase começa à 1h34 (horário de Brasília) de segunda-feira. A última fase é o eclipse total, que começa às 2h41 e se estende por uma hora e dois minutos, quando a lua adquire uma cor avermelhada.

“Isso acontece porque, embora ela não esteja recebendo luz nenhuma do Sol, a gente ainda tem raios de sol passando pela atmosfera da terra. Aí, como nos crepúsculos, você tem a cor vermelha, menos espalhada, e ela fica com essa tonalidade vermelha”, explica Josina.

Segundo a pesquisadora, a única coisa que pode prejudicar a visualização do eclipse é o mau tempo. Se o céu estiver completamente nublado, por exemplo, não será possível ver o fenômeno.

“Espero que não chova. Mas como o eclipse vai durar uma hora e dois minutos, o que é uma duração muito boa, pode ser que no início esteja um pouco nublado, mas a gente fica tentando ver porque, se forem nuvens esparsas, você consegue ver depois. Com uma hora e dois minutos, dá para aguardar um pouquinho”.

(Agência Brasil)

Breves comentários sobre as políticas de apoio à inovação tecnológica no Ceará

234 5

Em artigo sobre ciência e tecnologia, o professor Ivan Oliveira sugere o rompimento do atual modelo de gestão na área de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I), perpetuado nos últimos anos. Confira:

As políticas de apoio/fomento à inovação tecnológica no Brasil (vale para nosso estado e para a capital cearense) continuam fragmentadas e de baixo impacto.

Resumem-se as atividades festivas (e.g. caravanas, seminários e congressos) ou aos editais ainda burocráticos que se destinam as empresas com staff especializado na produção de projetos ou aos negócios apadrinhados por aqueles que concentram os conhecimentos destes instrumentais editalícios.

O governo Lula expandiu notadamente os recursos para a área de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I), que irrigou generosamente todo o sistema entre 2003 e 2009. Porém, sem norte estratégico definido, não houve nem evolução nem ruptura com o modelo de investimento e o período de 2010 a 2018 seguiu o mesmo modelo com resultados tímidos e sem grande impacto na economia e no ecossistema da inovação tecnológica.

Gestores, a questão não se reduz ao financiamento, mas a mudança na governança de todo o sistema centralizado em órgãos presos em modelos amarrados e pautados nas ações de palcos, a estratégia permanece marcada pela pulverização dos investimentos em pequenos projetos de baixo impacto na tecnologia, na economia e na sociedade; além da baixa inovação como força motriz do desenvolvimento econômico.

Quem conseguiria listar sem titubear 5 (cinco) negócios inovadores alavancados por intervenção direta pelo município ou estado?

Vivemos uma onda de “startupismo” em que se faz muito evento para promover esta pauta, mas, para além das pautas positivas e as fotos maravilhosas, os empreendedores cearenses precisam muitas vezes sair daqui para cidades ou estados que dão o suporte concreto para alavancar seus negócios.

O que quero dizer? Precisamos romper com o modelo de gestão da CT&I para vencer a histórica desigualdade regional nesta área.

Em 2013, fiquei muito feliz com a criação da Fundação de Ciência, Tecnologia e Inovação de Fortaleza (Citinova) e a promoção do evento/workshop “Ciência para a Cidade” para buscar soluções inovadoras para o desenvolvimento e os problemas da cidade, inclusive contou com uma palestra do Ciro Gomes que destacou na sua fala: “o Brasil vem sendo guiado pelo empirismo.”.

Passados quase 6 (seis) anos de inércia destas entidades de CT&I, o pensamento de Ciro pode ser atualizado: os governos locais vêm sendo guiado pelo empirismo e amadorismo.

Esta atividade (supracitado workshop) nunca mais foi repetida e os eventos da atualidade não trazem um protagonismo do tamanho do escopo atributivo destas instituições governamentais.

Ou temos a humildade para refazer um contrato social (governos, setor produtivo e academia) em prol da CT&I, ou fiquemos satisfeitos com as ótimas fotos e notícias geradas por estas atividades festivas ou pelos resultados pontuais dos editais de fomentos.

Poderíamos criar um espaço institucional para construir um plano de ação/investimentos em Ciência, Tecnologia e Inovação segundo a ótica da estratégia de negócios da empresas cearenses e/ou startups, abrangendo tanto a capacitação para inovar quanto as inovações potencialmente disruptivas ou incrementais de produto, processo e marketing.

Perdoe-me a sinceridade … mas, apesar da CT&I estar nos últimos planos de governos do estado (desde 2006, valorizado pelo Cid Gomes) e do município (desde 2004, incluído por Luizianne), as ações e resultados continuam fragmentadas e de baixo impacto. Fato!

Precisamos romper com este modelo de gestão perpetuado nos últimos anos. Como dizia Albert Einstein, “Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes”.

Aguardemos as supervenientes ações disruptivas!

Ivan Oliveira

Professor-Doutor

Grupo de pesquisas com abelhas da UFC publica artigo em publicação internacional

O artigo “Agricultural area losses and pollinator mismatch due to climate changes endanger passion fruit production in the Neotropics” (Perda de área agrícola e desencontro com polinizador devido a mudanças climáticas ameaça a produção de maracujá nos Neotrópicos), elaborado por integrantes do Grupo de Pesquisas com Abelhas da Universidade Federal do Ceará, em parceria com o professor Guy Smagghe, da Universidade de Ghent, na Bélgica, foi publicado na revista Agricultural Systems. Foi neste mês no periódico internacional que lida com questões relacionadas aos sistemas agrícolas.

A publicação, segundo a assessoria de imprensa da UFC, é resultado da tese de Antônio Diego de Melo Bezerra, que concluiu neste ano Doutorado Integrado em Zootecnia na UFC. Orientado pelo professor Breno Magalhães Freitas, do Departamento de Zootecnia, o estudo aborda a questão do impacto das mudanças climáticas sobre a cultura do maracujá e as abelhas polinizadoras (mamangavas). Também são autores do artigo os pesquisadores Alípio José de Souza Pacheco Filho e Isac Gabriel Abrahão Bomfim, integrantes do Grupo de Pesquisas com Abelhas.

Maracujá

No artigo, os autores apresentam o papel das mudanças climáticas na polinização considerando o efeito dessas mudanças tanto sobre os polinizadores como sobre a cultura do maracujá para toda a região Neotropical. Além disso, projetam os cenários de impactos moderado e pessimista do Painel Internacional das Mudanças Climáticas (IPCC) em dois momentos futuros (2060 e 2080).

Os resultados obtidos na pesquisa mostram que as mudanças climáticas podem levar a consideráveis perdas de habitat para as abelhas mamangavas e de áreas propícias ao cultivo do maracujá.

Os modelos preveem uma redução potencial de 31% a 54% nas áreas adequadas à coocorrência das abelhas e da cultura, aumentando consideravelmente o desencontro espacial entre o cultivo do maracujá e suas abelhas polinizadoras naturais, o que agrava uma situação já crítica, a qual força o uso de polinização manual.

O trabalho conclui que, caso providências não sejam tomadas para assegurar populações dos polinizadores nas áreas remanescentes adequadas, a cultura do maracujá estará ameaçada na região Neotropical.

SERVIÇO

*O trabalho está disponível para download gratuito até 26 de janeiro no site da revista: https://bit.ly/2A3m6KU.

(Foto – UFC)

Ivo Gomes fala para a TV portuguesa sobre os 100 anos do Eclipse de Sobral

O prefeito de Sobral, Ivo Gomes (PDT) concedeu entrevista, nessa segunda-feira, aos jornalistas portugueses Isabel Silva Costa e Carlos Pinota. Eles integram a equipe da RTP (Rádio e Televisão de Portugal) que está produzindo um documentário sobre os 100 anos da comprovação da Teoria da Relatividade, do físico alemão Albert Einstein.

Ivo Gomes falou sobre a importância dessa cidade da Zona Norte do Ceará na constatação da hipótese de Einstein, em maio de 1919, por meio do fenômeno mundialmente conhecido como o “Eclipse de Sobral”.

A RTP busca em Sobral e na Ilha do Príncipe (África) ações que valorizem a importância do mais famoso eclipse solar da história. Um documentário de 50 minutos vai ao ar em 2019.

Em Sobral, em maio de 2018, Ivo Gomes decretou o “Ano Municipal das Ciências”. Até 29 de maio de 2019, a Prefeitura realizará uma programação especial em comemoração ao centenário.

(Com Blog Sobral de Prima)

Carta de Einstein sobre Deus é leiloada por US$ 2,89 milhões

Uma carta do cientista Albert Einstein, na qual critica a ideia de um deus e rejeita a Bíblia, foi vendida em um leilão da Christie’s, em Nova York (Estados Unidos), por US$ 2,89 milhões, quase três vezes mais que o valor mínimo estimado.

“A palavra Deus não é para mim mais que a expressão e resultado da fraqueza humana, a Bíblia é uma coleção de lendas veneráveis, mas primitivas”, dizia Einstein no texto do documento posto hoje à venda, que foi enviado ao filósofo alemão Eric Gutkind.

A carta, escrita em Princeton um ano antes de sua morte em 3 de janeiro de 1954, é considerada uma das suas mensagens mais famosas sobre Deus, sua identidade como judeu e a eterna busca do significado da vida, e é a expressão mais clara das suas opiniões religiosas e filosóficas, segundo afirmou a Christie’s.

O documento, que os especialistas estimaram ter um preço entre US$ 1 milhão e US$ 1,5 milhão, foi vendido por US$ 2.892.500, com comissões e impostos incluídos, em um leilão organizado pela companhia unicamente para vender a carta.

O cientista alemão também deixava claro no texto que sua posição frente ao judaísmo era, da mesma forma que diante de Deus, muito cética, chegando a dizer que era “como todas as outras religiões, uma encarnação de superstição primitiva”.

“O povo judeu, ao qual gostosamente pertenço e em cuja mentalidade orgulhosamente me sinto ancorado, ainda para mim não tem nenhum tipo de dignidade diferente da dos demais povos”, acrescentava.

Einstein escreveu a carta em resposta a um livro de Gutkind de 1952, “Choose Life: The Biblical Call to Revolt”, um trabalho que criticou duramente, mas com o qual também tentou buscar pontos em comum, como a necessidade de que a moral estivesse acima do interesse próprio e da rejeição do materialismo.

(Agência Brasil com EFE)

Infecções por superfungos devem se tornar mais comuns, diz pesquisador

As infecções hospitalares causadas por fungos multirresistentes devem se tornar cada vez mais comuns, segundo o pesquisador do Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo João Nóbrega de Almeida Jr. “Se existe a superbactéria, existe o superfungo também”, disse o especialista que atua também no Hospital da Clínica de São Paulo ao comparar os fungos resistentes à superbactéria KPC (Klebsiella pneumoniae carbapenemase).

Recentemente, Almeida publicou um artigo no jornal científico Transplant Infectious Disease sobre o primeiro caso de um paciente contaminado pelo fungo Lomentospora prolificans na América do Sul. O rapaz havia feito transplante de medula há cerca de um mês quando foi infectado pelo fungo e acabou morrendo em decorrência da contaminação.

Segundo o pesquisador, o fungo só é capaz de afetar pessoas com o sistema imunológico comprometido. No entanto, caso a contaminação aconteça, a letalidade é de mais de 80%. Como ainda existem poucos laboratórios preparados para identificar esse tipo de infecção, Almeida acredita que possa haver casos não registrados.

“Esse fungo não deve ter em grande quantidade no ambiente, como em outros países, mas também porque os nossos laboratórios não são habilitados para fazer o diagnóstico”, afirma.

Existem, entretanto, outros fungos que apresentam uma ameaça maior por poderem infectar não só pacientes com o sistema imunológico fragilizado, mas em situação delicada de internação, como em unidades de tratamento intensivo. Esse é o caso do Cândida auris.

Surtos na América do Sul

Em março de 2017, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou um comunicado de risco para o fungo, responsável por surtos em diversas partes do mundo. Foram registradas ocorrências no Japão, na Coreia do Sul, na Índia, no Paquistão, na África do Sul, no Quênia, no Kuwait, em Israel, na Venezuela, Colômbia, no Reino Unido, nos Estados Unidos e no Canadá. O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos tem emitido alertas para o fungo.

As ocorrências em países da América do Sul indicam, de acordo com o pesquisador, que em algum momento o Brasil terá de lidar com o Cândida auris. “A gente está se preparando com uma força-tarefa nacional com vários pesquisadores para quando chegar esse fungo no país a gente fazer o diagnóstico correto”, ressalta.

Agrotóxicos e mudanças climáticas

As infecções hospitalares por fungos têm se tornado mais comuns devido ao aumento da resistências de algumas variedades desses organismos. Segundo Almeida, há indícios que o surgimento dos fungos multirresistentes está ligado ao uso de defensivos agrícolas. “A gente acredita [que o surgimento dos fungos multirresistentes acontece] principalmente pelo uso de antifúngicos fora do ambiente hospitalar. Na agricultura, por exemplo, nas plantações, os fungos são os principais biodecompositores, vão destruir verduras, plantas”, destaca.

As mudanças climáticas também parecem ter, de acordo com o pesquisador, uma contribuição para o aparecimento de espécies que não são afetadas pela medicação existente. “O aquecimento global. As alterações climáticas vão favorecer o aparecimento de fungos que crescem em temperaturas maiores. E os fungo que crescem em temperaturas maiores são os potencialmente patogênicos, porque o nosso corpo tem temperatura de 36 graus”, acrescentou.

Apesar da expansão do problema, Almeida enfatiza que não há risco para a população em geral. São os sistemas de saúde que precisam se preparar para lidar com as novas possibilidades de infecção dentro dos hospitais.

(Agência Brasil)

UFC e Ericsson fecham parceria em torno de projeto na área da tecnologia 5G

O Grupo de Pesquisa em Telecomunicações sem Fio (GTEL), ligado ao Departamento de Engenharia de Teleinformática da Universidade Federal do Ceará, inicia a execução de dois novos projetos de pesquisa sobre a tecnologia 5G, em parceria com a multinacional das telecomunicações ERICSSON. A iniciativa envolve 20 pesquisadores da UFC e terá duração de 24 meses, informa a assessoria de imprensa da UFC.

A investigação se dá em duas linhas de pesquisa que se aplicam à tecnologia 5G do tipo new radio, atualmente em fase de padronização e com perspectiva de início de operação comercial, em alguns países, em 2019.

Na primeira linha de pesquisa, técnicas de inteligência artificial serão empregadas para uma operação eficiente das redes 5G, buscando prover altos níveis de qualidade no serviço de banda larga móvel. Tais melhorias deverão se traduzir em maior taxa de transferência de dados (download e upload) e menor atraso na comunicação com os servidores de conteúdo.

A segunda linha de pesquisa investiga a comunicação envolvendo veículos. No contexto da internet das coisas, veículos de passeio, de transporte de pessoas e de carga poderão ter conectividade nativa.

As aplicações disso deverão se dar de variadas formas. Como exemplos, podem-se citar a possibilidade de prevenir acidentes com o uso da comunicação de mensagens de emergência e a formação automática de comboios.

A parceria entre o GTEL e a ERICSSON existe há quase 20 anos e produziu dezenas de patentes, além de ter gerado um conjunto de publicações científicas citadas mais de mil vezes. Esses resultados têm contribuído para a melhoria da qualidade e capacidade dos sistemas de comunicação móvel celular de terceira, quarta e, agora, quinta gerações.

Estudantes cearenses desenvolvem projeto voltado para a saúde da mulher astronauta

214 2

Uma equipe de alunos da Escola Sesi/Senai, situada no bairro Parangaba, em Fortaleza, vai disputar o Torneio de Robótica FIRST®️ LEGO®️ League, nesta sexta, 23, e sábado, 24, em Natal. Como o tema da disputa será “Into Orbit”, abordando questões sobre a vida no espaço, a equipe cearense desenvolveu um projeto voltado para a saúde da mulher astronauta. A informação é da assessoria de imprensa da Federação das Indústrias do Estado.

A pesquisa da equipe prevê a construção de um protótipo denominado Space Collector, que é um coletor menstrual adaptado para uso no espaço. “Normalmente, quando mulheres vão fazer viagens espaciais, elas fazem uso de anticoncepcionais ininterruptamente para não menstruar. Isso dá certo quando você vai passar seis meses ou um ano. Mas, em uma viagem maior, quando falamos, por exemplo, em colonização espacial, é um problema a mulher não poder menstruar”, explica o professor Hinácio Mahybe.

Para construir o projeto, os alunos levaram em consideração a realidade gravitacional do espaço, que faz com que líquidos se comportem de maneira diferenciada, dificultando a utilização de absorventes menstruais convencionais. Assim, os alunos propuseram incrementos a um método que tem ganhado adesão de um número cada vez maior de mulheres: o coletor menstrual. Ele é um copo de silicone que funciona como um dispositivo de barreira, desenvolvido para coletar o fluxo menstrual.

“O Space Collector possui abas internas que se fecham no momento em que o copo está sendo retirado da vagina, impedindo o vazamento. Depois de retirado, a equipe desenvolveu uma pequena válvula para ser acoplada ao copo, que seria ligada a um bico sugador, puxando via vácuo todo o conteúdo do líquido de dentro do coletor. Esse líquido, por sua vez, poderia ser utilizado como fertilizante de plantas” complementa Hinácio.

Programa Internacional

O Torneio de Robótica FIRST®️ LEGO®️ League é um programa internacional de exploração científica, projetado para fazer com que crianças e jovens de 9 a 16 anos se entusiasmem com ciência e tecnologia e adquiram habilidades valiosas de trabalho e de vida.

No Brasil, o Departamento Nacional do Serviço Social da Indústria (Sesi) é a instituição responsável pela operação oficial da FIRST®️ LEGO®️ League. Desde que passou a operacionalizar a competição, a entidade tem promovido anualmente a organização de torneios regionais e do torneio nacional, a mobilização de novas equipes de robótica, a capacitação de técnicos e avaliadores voluntários, bem como a articulação da competição realizada no Brasil com os operadores internacionais, estimulando a participação de equipes brasileiras em eventos no exterior.

Fortaleza é sede do V Congresso Brasileiro de Recursos Genéticos

Fortaleza será, a partir das 9 horas desta terça-feira, do V Congresso Brasileiro de Recursos Genéticos. O evento é uma realização da Sociedade Brasileira de Recursos Genéticos e Embrapa e se estenderá, com debates, palestras com convidados do Brasil e do Exterior, oficinas e cursos, até a próxima sexta-feira, no Hotel Praia Centro.

O encontro ocorre a cada dois anos e, nesta edição, discutirá o potencial dos recursos genéticos para conservação, valoração e uso da biodiversidade. Esta é a segunda vez que o congresso é realizado no Nordeste. A primeira vez foi em Salvador (BA), em 2010.

A presidente do congresso, Ana Cecília Ribeiro de Castro, pesquisadora da Embrapa Agroindústria Tropical (Fortaleza), explica que os recursos genéticos são a base para o desenvolvimento de novas cultivares, raças e estirpes com características de interesse, como alta produtividade, maior qualidade nutricional, maior resistência à seca e ao ataque de pragas e doenças. Além do uso para produção de alimentos, os recursos genéticos podem ser empregados como fármacos, cosméticos, na produção de combustíveis, em construções e na fabricação de vestimentas.

Temática

O evento abordará temas específicos para cada área: animal, microbiana e vegetal, permitindo assim, que a comunidade científica exponha e conheça os mais recentes avanços do conhecimento em recursos genéticos. Serão apresentados processos, produtos e serviços oriundos de pesquisas que podem trazer melhorias significativas dos pontos de vista ambiental, econômico e social. A programação contempla palestras, painéis e minicursos com profissionais de expressão nacional e internacional.

Eventos Paralelos

Em paralelo ao V Congresso Brasileiro de Recursos Genéticos, Fortaleza receberá também a II Feira Nacional dos Guardiões da Agrobiodiversidade, evento gratuito e aberto ao público que tem como principal objetivo a valorização dos trabalhos de conservação e uso racional da agrobiodiversidade realizados por agricultores tradicionais. Foram convidados agricultores, indígenas, quilombolas e outros representantes de comunidades tradicionais. Na programação, está prevista a apresentação de palestras, painéis e minicursos com profissionais que atuam na área de recursos genéticos.

SERVIÇO

*Hotel Praia Centro – Avenida Monsenhor Tabosa 740, Centro.

*Inscrições: cbrg2018.com.br