Blog do Eliomar

Categorias para Comércio

Por revitalização e valorização do Centro de Fortaleza

Com o título “A gentileza de ordenar e valorizar o Centro”, eis artigo do presidente da CDL Fortaleza, Assis Cavalcante. No texto ele, afirma que “ordenar e valorizar o Centro é, antes de tudo, resgatar quem somos e planejar quem seremos” Confira:

Tempos atrás, no sul da África, vivia uma tribo que não usava sapatos porque a areia e a grama eram macios. Contudo, tendo de ir à cidade resolver assuntos de cartório ou de hospital, receber dinheiro ou participar de festas, as pessoas precisavam calçar-se. E o jeito era apelar para o inconveniente de pedir sapatos emprestados. Até que um dia um homem sábio resolveu o problema: abriu uma tenda de aluguel de sapatos. Instalado à sombra de grande árvore, pendurou nos galhos sandálias, chinelos, alpargatas, botas, botinas, enfim, calçados de toda cor, tipo e tamanho.

As pessoas alugavam o sapato que queriam, iam à cidade resolver seus assuntos e, na volta, o devolviam. Evidente que tinham de pagar o aluguel. Sabe qual? No final da tarde, depois que todos haviam terminado o serviço, tomado banho no rio, jantado, o povo da vila se reunia para ouvir a pessoa que tinha alugado o sapato contar, com riqueza de detalhes, por onde aquele sapato tinha andado… Se o sábio da vila africana morasse na capital cearense, e dele eu alugasse um par de pisantes, o pagamento seria a contação dos caminhos trilhados por minhas chinelas tipo ‘currulepe’ (de couro com cabresto) pelo Centro de Fortaleza. Pagaria feliz o aluguel por haver pisado os chãos das Praças do Ferreira, Leões e José de Alencar; das ruas Major Facundo, Liberato Barroso e Governador Sampaio; o Cineteatro São Luiz, o Museu do Ceará, a Catedral e o Passeio Público. Que histórias eu contaria sobre os caminhos percorridos pelas currulepes?

De pessoas que vi em situação de rua, necessitadas do justo ordenamento pelo poder público. Dos calçadões carentes de urgente reforma que vi, a reclamarem obras duradouras. Dos camelôs que presenciei aos montes, com seus comércios a necessitarem de séria e urgente readequação. Contaria histórias do bairro de invejável ICMS que clama por segurança pública das boas – efetiva, inteligente, ostensiva; e que pleiteia a presença mais eficaz da guarda municipal, em todos os quadrantes. Histórias de um Centro pulsante, vibrante, apaixonante.

Que os nossos pés ligeiros tenham uma só e única direção: o Centro de Fortaleza, com toda a sua grandeza e humanidade. Ordenar e valorizar o Centro é, antes de tudo, resgatar quem somos e planejar quem seremos. Respeite o Centro!

*Assis Cavalcante

assisvisao@secrel.com.br

Presidente da CDL, empresário e escritor.

Sindicato dos Comerciários de Fortaleza comemora 85 anos

A Assembleia Legislativa realizará, às 19 horas desta terça-feira, uma sessão solene para comemorar os 85 anos de fundação do Sindicato dos Comerciários de Fortaleza. A sessão, em conjunto com a Câmara Municipal, atende a um requerimento da deputada Rachel Marques (PT), em parceria com o vereador Acrísio Sena (PT).

O Sindicato dos Comerciários de Fortaleza foi fundado no dia 26 de maio de 1933. Já a profissão de comerciário foi reconhecida por lei que teve como relator o ex-deputado federal petista Eudes Xavier.

Nessa sessão solene, inclusive, haverá homenagem a Eudes Xavier e lideranças que sempre apoiaram a causa dos comerciários.

(Agência Câmara)

Copa da Rússia – Vendas ainda são tímidas, diz a CNC

Enquanto na Copa do Mundo de 2014, realizada no Brasil, 50,1% das famílias do país demonstraram interesse em comprar itens relacionados com o Mundial de futebol, este ano, com os jogos marcados para a Rússia e o Brasil passando por dificuldades políticas e econômicas, o percentual caiu para 24%.

Os dados são da pesquisa que a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgou hoje (11). O levantamento foi feito com 18 mil consumidores de todas as capitais do país e indica que os produtos mais procurados serão os alimentos e bebidas, com 9,9% de intenção de compra.

No Saara, comércio popular no centro do Rio, lojas exibem o verde e amarelo da Seleção Brasileira (Agência Brasil/Fernando Frazão)
Do total, 7,5% pretendem comprar peças de vestuário masculino, feminino e infantil, e 4,3% devem adquirir aparelhos de televisão. Em 2014, esses mesmos itens tiveram intenção de compra de 21,5%, 14,3% e 13,3%, respectivamente.

O chefe da Divisão Econômica da CNC, Fabio Bentes, disse que como a Copa é no exterior e as condições de consumo são menos favoráveis este ano, isso é decisivo para influenciar negativamente na intenção de compra das famílias.

“Naturalmente, além do menor envolvimento da população com o próximo Mundial, as condições de consumo em 2018 ainda se encontram menos favoráveis do que há quatro anos. A despeito de o país já ter deixado para trás o processo recessivo, a recuperação da economia e do consumo segue lenta e sujeita a oscilações”, comentou.

A CNC lembra que, no trimestre encerrado em abril de 2014, a taxa de desemprego no Brasil era de 7,1% da população economicamente ativa, contra os 12,9% de agora. E a taxa média de juros cobrada dos consumidores está em 55% ao ano, quando era de 47,9% antes do Mundial no Brasil.

Alimentos e bebidas

Entre as capitais, São Luís apresentou as maiores intenções de consumo de alimentos e bebidas, com 30,7%, enquanto em Boa Vista 23,3% dos consumidores pretendem comprar vestuário e em Manaus 12,6% devem adquirir televisores. O gasto médio para 51,6% deve ficar em torno de R$ 200 e 39,2% declararam intenções de consumir mais de R$ 300 com produtos relacionados à Copa do Mundo 2018.

A maior parte dos consumidores pretende comprar em lojas físicas (83,8%) e pagar à vista (63,6%). Quanto ao local de consumo de alimentos e bebidas, 53,2% pretendem ficar em casa e 18,8% farão o consumo em bares e restaurantes.

No comércio popular do Rio de Janeiro, apesar do esforço da Sociedade de Amigos das Adjacências da Rua da Alfândega (Saara) em enfeitar as ruas e lojas com produtos em verde e amarelo, as vendas ainda não empolgaram o consumidor.

A esperança dos lojistas é que o desempenho da Seleção Brasileira alavanque as vendas com o desenrolar da competição, que começa nesta quinta-feira (14), com o jogo Rússia x Arábia Saudita. O primeiro jogo do Brasil é no domingo (17), às 15h, contra a Suíça. A Copa terminará no dia 15 de julho.

(Agência Brasil)

CDL Fortaleza e um balanço pós-greve dos caminhoneiros

Assis Cavalcante preside a CDL Fortaleza.

O comércio de Fortaleza, segundo a Câmara de Dirigentes Lojistas, registrou, após balanço sobre impactos dos 10 dias da greve dos caminhoneiros, o seguinte quadro: queda de 14% nas vendas no varejo comum e 20% no setor do atacado.

A ordem agora, para recuperar parte do prejuízo, é apostar em promoções. Em agosto,virá uma campanha pró-liquidações.

(Foto – Paulo MOska)

Roberto Cláudio é homenageado nos 70 anos da Fecomércio no Ceará

O prefeito Roberto Cláudio, o artesão Mestre Espedito Seleiro e o advogado Fábio Zech foram homenageados pelo Sistema Fecomércio Ceará, na noite dessa segunda-feira (21), no Buffet Lulla´s Plazzá, na Água Fria, com a medalha Clóvis Arrais Maia, em um reconhecimento a personalidades que tenham realizado trabalhos relevantes na busca pelo desenvolvimento do comércio no Estado.

Roberto Cláudio recebeu a homenagem pelo ordenamento do comércio no Centro de Fortaleza, com as obras de requalificação da Rua José Avelino, a flexibilização do horário do comércio e a Lei de Uso e Ocupação do Solo. Além disso, a Fecomércio reconheceu as ações em mobilidade urbana como um avanço na atividade econômica da cidade, diante do melhor deslocamento de consumidores e trabalhadores no comércio.

(Foto: Divulgação)

Movimento do comércio cresceu 0,2% em abril

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,2% em abril na avaliação mensal dessazonalizada, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. No acumulado em 12 meses, o indicador avançou 4,2% (maio de 2017 até abril de 2018 frente ao mesmo período do ano anterior). Já na avaliação contra abril do ano anterior, houve aumento de 2,0%. A informação é da assessoria de imprensa da Boa vista SCPC.

O resultado de abril aponta uma leve melhora após o baixo desempenho no início do ano. A atividade do varejo é impactada pelo mercado de trabalho ainda fragilizado, que reduz o impacto positivo de medidas como a queda na Selic. Mas com as expectativas de continuidade na redução de juros ao consumidor, expansão do crédito e diminuição do desemprego, espera-se que ocorra a consolidação de um ritmo maior de recuperação em 2018.

Segmentos

Na análise mensal, dentre os principais setores, o de “Móveis e Eletrodomésticos” apresentou queda de 1,9% em abril, descontados os efeitos sazonais. Nos dados sem ajuste sazonal, a variação acumulada em 12 meses foi de 5,4%.

A categoria de “Tecidos, Vestuários e Calçados” cresceu 1,3% no mês, expurgados os efeitos sazonais. Na comparação da série sazonal, nos dados acumulados em 12 meses houve avanço de 3,1%.

A atividade do setor de “Supermercados, Alimentos e Bebidas” aumentou 0,2% no mês na série dessazonalizada. Na série sem ajuste, a variação acumulada subiu 3,9%.

Por fim, o segmento de “Combustíveis e Lubrificantes” cresceu 0,7% em abril considerando dados dessazonalizados, enquanto na série sem ajuste, a variação acumulada em 12 meses ainda apresenta queda de 1,1%.

Quando a política e a economia entram em campo…

Os presidentes da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito Filho; do Sindlojas, Cid Alves; do Sindicarnes, Francisco Everton da Silva; e da Fecomércio, Maurício Filizola (em exercício); se reuniram na tarde deste sábado (19), quando festejaram o aniversário de Laura Paiva, das farmácias Santa Branca, esposa de Filizola.

Entre os presidentes, conversas sobre o atual quadro político, o discurso do Palácio do Planalto sobre a retomada da economia e futebol. Esse último assunto, não sobre o ano da Copa, tampouco a liderança do Fortaleza na Série B ou a luta do Ceará pela primeira vitória no Brasileirão. Mas a boa e saudável peladas que o grupo costuma jogar nos fins de semana.

(Foto: Divulgação)

Bar Besouro entra no ritmo de São João

145 1

Tradicional na realização da festa de São João, no bairro Parquelândia, o Bar Besouro Verde promove neste sábado (19), das 18 horas às 22 horas, o pré-São João. Neste domingo (20), a partir das 12 horas, além das comidas típicas, também haverá bingo dançante.

O Besouro Verde possui uma das mais procuradas feijoadas da região e o premiado feijão verde, no concurso Comida di Buteco.

DETALHE – Quem chegar mais cedo neste domingo, ainda poderá torcer pelo “anavan” do Vozão no Brasileirão, diante do Vitória, às 11 horas, em Salvador.

CNC aumenta projeção de crescimento do varejo no ano para 5,4%

Os números da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) de março, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), levaram a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) a rever de 5% para 5,4% a projeção de crescimento do varejo em 2018. De acordo com o IBGE, o chamado varejo restrito, que abrange oito segmentos do comércio, apresentou alta de 0,3% nas vendas em março, ante fevereiro, na série com ajuste sazonal.

Já a CNC trabalha com o varejo ampliado, que pega dez segmentos do comércio varejista, incluindo o comportamento de veículos e materiais de construção. O economista Fabio Bentes, da CNC, disse que na análise da confederação, o varejo brasileiro evoluiu 1,1% em março em relação ao mês anterior, “melhor resultado do varejo nesse tipo de comparação desde 2013, quando a alta foi de 1,2%”. Na comparação de março de 2018 sobre o mesmo mês de 2017, a alta no varejo ampliado atingiu 7,8%, melhor desempenho do setor desde março de 2012 (10,3%).

“Isso quer dizer para a gente que o varejo está recuperando parte do desempenho decepcionante que ele teve no primeiro bimestre do ano, quando os dados mensais praticamente não saíram do lugar”. De acordo com a CNC, o dado positivo de março foi puxado pelo comércio automotivo, que deverá ser o segmento de destaque do comércio varejista este ano. As vendas de automóveis, que subiram 2,9% em março, vinham subindo acima de 3% a 4% nos últimos meses, acumulando alta superior a 12% nos últimos cinco meses.

Segundo Fabio Bentes, isso é importante porque esse segmento responde por um quarto das vendas do varejo e demanda um nível de confiança relativamente elevado, porque envolve financiamentos de longo prazo. “Se as pessoas estão consumindo mais automóveis nos últimos meses e de forma contínua, é um sinal que elas estão mais encorajadas a contrair esse tipo de financiamento”. Por isso, o economista aposta que o varejo ampliado tem todas as condições de fechar o ano com um desempenho acima do crescimento de 4% observado nas vendas no ano passado.

Bentes salientou que também o segmento de combustíveis influenciou o resultado de março. Ocorreu nesse mês uma trégua na alta dos preços. “Os preços não subiram em março pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Pelo contrário, até caíram 0,04%”. Para os próximos meses, deverá se levar em conta dois fatores preocupantes no desempenho dos combustíveis: a alta do preço do petróleo no mercado internacional e a variação do dólar americano, porque boa parte dos combustíveis consumidos no Brasil é importada. A tendência é que os consumidores continuem pagando reajustes mais altos nos próximos meses por conta desses dois elementos, afirmou Bentes.

No acumulado do primeiro trimestre, o varejo ampliado acumula alta de 6,6% em relação a igual período de 2017. Destaque, mais uma vez, para o comércio automotivo, que subiu 17,9%.

(Agência Brasil)

Dia das Mães – Consumidor pretende gastar R$ 108 com presente

Levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre-FGV), divulgado hoje (10), revela que os brasileiros pretendem gastar mais este ano para presentear as mães no próximo domingo (13), em comparação com o ano passado. O valor médio dos presentes subiu 11%, atingindo R$ 108, contra média de R$ 98 em 2017. O levantamento se baseia na Sondagem do Consumidor que ouviu 1.612 pessoas entre os dias 2 e 19 de abril, em todo o país.

De acordo com a coordenadora da Sondagem do Consumidor do Ibre, Viviane Seda, a disposição positiva do consumidor é reflexo da melhoria das expectativas em relação à situação financeira das famílias. “Houve aumento do valor médio para todas as faixas de renda e também da intenção de comprar para todas as faixas de renda”, sublinhou.

O indicador que mede a intenção de gastar para presentear as mães subiu 9,9 pontos, passando de 59,4, em 2017, para 69,3 este ano, melhor desempenho desde 2014.Viviane destacou que o maior aumento da intenção de gastos foi observado para a faixa de renda familiar mensal entre R$ 4,8 mil e R$ 9,6 mil (14 pontos).

Para a faixa de renda mais baixa, até R$ 2,1 mil por mês, o aumento foi menor (6,9 pontos). Apesar disso, essa categoria apresentou a maior evolução no valor médio do presente (25%), que atinge R$ 63 este ano, contra valor médio de R$ 51 em 2017. Para consumidores com maior poder aquisitivo (renda familiar superior a R$ 9,6 mil), o preço médio do presente é deR$ 180, contra R$ 164 em 2017.

Escolha de presentes paras as mães
O levantamento mostra que vestuário e perfumaria estão entre os itens que lideram a preferência dos consumidores para a data, citados por 50,4% e 10,6% dos entrevistados, respectivamente. Viviane Seda disse que vestuário concentra a preferência popular pela maior facilidade de o consumidor achar preços de todos os tipos. “Tem uma grande variedade de tipos de produtos dentro do vestuário e a todos os preços. Então, você agrada todos os públicos. Por isso, é mais fácil esse tipo de produto ser o preferido entre os consumidores”.

Em relação à inflação dos 27 itens mais consumidos pelos brasileiros na data, o levantamento mostra que a variação média dos serviços e presentes para o Dia das Mães ficou em 2,55%, abaixo da variação acumulada em 12 meses pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da FGV, que subiu 2,98% entre maio de 2017 e abril de 2018. Considerando somente os preços dos serviços para o Dia das Mães, a inflação atinge 3,39%. Na parte dos presentes, a taxa alcança 1,32%.

Houve queda de preços em nove dos 13 itens preferidos pelos consumidores para presentear as mães. Destaque para aparelho celular (-7,91%), aparelho de TV (-6,72%), forno elétrico e de microondas (-5,27%).

Embora joias e bijuterias sejam preferidas por apenas 2,8% dos consumidores ouvidos pelo Ibre-FGV para presentear as mães, a Associação de Joalheiros e Relojoeiros do Rio de Janeiro (Ajorio) está otimista para o aumento das vendas e prevê crescimento de 6% no faturamento em comparação ao ano passado. Na avaliação da presidente da Ajorio, Carla Pinheiro, o segmento começa a recuperar o fôlego depois de um período de estagnação.

“Pesquisas mostram que a melhora no cenário econômico de um modo geral deverá aquecer a data, e a joia é o tipo de produto que nunca sai de moda”, avaliou. Filiada ao Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos (IBGM), a Ajorio reúne cerca de 3 mil empresas no estado.

(Agência Brasil)

Secretário da Segurança Pública terá encontro com lojistas de Fortaleza

O secretário da Segurança Pública e Defesa Social do Estado, André Costa, estrará ao meio-dia da próxima segunda-feira (7), na Câmara de Dirigentes Lojistas. Ele atende a um convite do presidente da entidade, Assis Cavalcante.

No encontro, o titular da SSPDS vai expor o esquema de segurança para o Centro, que terá pela frente datas importantes e que prometem aquecer o comércio.

Nesse roteiro, Dia das Mães, Dia dos Namorados e Dia dos Pais.

(Foto – Facebook)

Dia das Mães – Ceasa promove Feira de Flores e Artesanato

A Ceasa promoverá, de 10 a 12 deste mês, das 7 às 14 horas, a Feira Flor e Artesanato – Dia das Mães. Cinquenta expositores, entre produtores e comerciantes de flores e artesãos do Eusébio, Aquiraz, Aratuba, Guaramiranga, Mulungu, Maracanaú, Maranguape, Pacatuba e Caucaia, já confirmaram participação na feira, de acesso gratuito.

De acordo com a assessoria de imprensa da Ceasa, os produtos terão preços variando de R$ 5 a R$ 150. Flores e rosas de vaso e de corte, botões de rosas naturais embalados em papel celofane, plantas ornamentais, exóticas, arranjos, aromáticas, medicinais e orquídeas, além de trabalhos em crochê, bonecas de pano, arranjos, biscuit, produtos em madeira e recicláveis constam entre as ofertas.

Segundo Odálio Girão, a Feira Flor e Artesanato acontece sempre em três datas especiais: Dia das Mães, Dia dos Namorados e Natal.

SERVIÇO

*Ceasa – Avenida Mendel Steinbruch, S/N. Pajuçara – Maracanaú/Ceará

*Mais Informações – (85) 3299.1701 / 3299.1237.

(Foto – Divulgação)

Dia das Mães – Comércio de Fortaleza deve movimentar R$ 257 milhões em compras

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Ceará (Fecomercio) acaba de divulgar pesquisa sobre o Potencial de Consumo do Fortalezense para o Dia das Mães. Os dados revelam que os consumidores da Capital vão movimentar cerca de R$ 257 milhões no comércio local com a compra de presentes, valor 4,9% superior ao de 2017, quando o impacto estimado foi de R$ 245 milhões, informa a assessoria de imprensa da entidade.

Dando prioridade aos artigos de vestuário, perfumaria, calçados e bolsas, flores, utensílios domésticos e joias e bijuterias, a maioria dos consumidores irá às compras – 61,8% dos entrevistados confirmaram essa intenção.

A preferência dos consumidores mostra-se concentrada em seis produtos principais que, juntos, respondem por 90,6% das intenções de compra, com preponderância dos bens de uso pessoal:

Artigos de vestuário: citados por 36,2% dos entrevistados lideram em todos os estratos analisados pela pesquisa, sendo mais relevante para as mulheres (38,4% de intenção de compra), do grupo etário com idade até 20 anos (42,4%) e de renda familiar superior a seis salários mínimos (39,9%);

Itens de perfumaria: com 25,7% de intenção de compra, é preferido pelas mulheres (29,1%), dos consumidores com idade entre 21 e 35 anos (31,3%) e do grupo com renda familiar entre três e seis salários mínimos (26,8%);

Sapatos, cintos e bolsas: com 10,4% de intenção de compra, serão mais procurados por consumidores do sexo masculino (13,1%), do grupo com idade de até 20 anos (11,3%) e renda familiar mensal acima de seis salários mínimos (17,1%);

Flores: com 6,7% de intenção de compra, igualmente distribuído entre consumidores homens e mulheres (6,8% de intenção de compra para os homens e 6,6% para as mulheres), com preponderância do grupo com idade acima dos 36 anos (11,0%) e renda familiar de até três salários mínimos;

Utensílios domésticos: com 6,0% de intenção de compra, possui preferência destacada entre o público masculino (6,8%), do estrato com idade até 20 anos (7,8%) e renda média familiar superior a seis salários mínimos (8,5%); e

Joias e bijuterias: com 5,6% de intenção de compra, com maior demanda pelas mulheres (5,8%), do grupo com idade acima dos 36 anos (7,9%) e renda familiar entre três e seis salários mínimos (9,0%).

Faturamento

Ainda de acordo com a pesquisa, o faturamento previsto com a compra de presentes é de R$ 257 milhões, reforçando a importância econômica dessa data comemorativa, que anima importantes segmentos do comércio varejista. O dispêndio médio com a compra de presentes é estimado em R$ 236. Como alguns consumidores compram mais de um presente, o gasto por presente será de R$ 174.

Com grande parte da população com cada vez menos tempo disponível, o consumidor irá privilegiar a comodidade em suas compras, preferindo o sábado como dia mais provável para realizar a compra dos presentes (32,0%).

Os shopping centers deverão ter movimento intenso de consumidores, tendo sido citados por 41,1% dos consumidores como locais preferenciais para as compras. O Centro da cidade e os principais corredores comerciais também mantêm sua importância, com 23,4% e 19,2% das respostas, respectivamente.

Confiança do Consumidor sobe 7,2 pontos em um ano

Mesmo com o recuo de 2,6 pontos de março para abril deste ano, o que fez com que o indicador caísse de 92 pontos para 89,4 pontos, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) aumentou 7,2 pontos em um ano (abril de 2017/abril de 2018) e se manteve positivo em médias móveis trimestrais. A informação do divulgada hoje (24), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV). Segundo os dados, tanto as avaliações sobre a situação atual como as expectativas em relação aos próximos meses pioraram.

O Índice de Situação Atual (ISA) caiu 2,3 pontos, indo para 76,3 pontos e o Índice de Expectativas (IE) recuo 2,5 pontos, indo de 101,5 para 99 pontos.

A queda de março para abril, segundo a coordenadora da Sondagem do Consumidor da FGV, Seda Bittencourt, decorre do menor otimismo dos consumidores em relação à situação econômica.

“A queda da confiança em abril é uma devolução de mais da metade da alta do mês anterior. Consumidores de todas as classes de renda se sentem menos otimistas em relação à situação econômica nos próximos meses, influenciados, em parte, pela redução das suas expectativas sobre o mercado de trabalho”, disse a economista.

(Agência Brasil)

Democratas apresentarão projeto de lei para descriminalizar maconha nos EUA

Os democratas no Senado dos Estados Unidos anunciaram nessa sexta-feira (20) sua intenção de apresentar uma proposta de lei para descriminalizar a venda, posse e consumo de maconha em nível federal.

O líder da minoria democrata no Senado, Chuck Schumer, informou hoje seu apoio – pela primeira vez – à descriminalização da substância no país e adiantou que seu partido levará à Câmara uma proposta de lei com este objetivo, informou seu escritório em comunicado.

Assim, a maconha seria eliminada da lista de substâncias controladas estabelecida em 1970, o que significaria na prática a descriminalização da maconha em todo o país.

No entanto, segundo o escrito, a norma permitiria a cada um dos 50 estados decidir em última instância “como tratar a posse” desta substância.

A legislação também não alteraria a capacidade das autoridades federais para “prevenir” o tráfico desde os estados nos quais a maconha é legal até estados nos quais não é.

Também não afetaria o poder do Governo Federal sobre as regulações do mercado publicitário, de modo a continuar protegendo as crianças de suas mensagens.

Um dos aspectos que a norma também abordaria seria o de habilitar fundos para negócios de maconha gerenciados por mulheres e minorias, assim como para a pesquisa sobre os efeitos no cérebro do princípio ativo da planta, o composto químico conhecido como tetraidrocanabinol (THC).

Os estudos também seriam destinados a indagar a efetividade da maconha medicinal no tratamento de determinadas doenças.

No Senado, os republicanos têm uma apertada maioria de 51 a 49, que se estreitou nos últimos meses após a prolongada ausência por motivos de saúde do legislador John McCain, o que deixou ao partido em várias ocasiões com uma superioridade de apenas um voto.

(Agência Brasil / EFE)

Feriado de Tiradentes – Lojas de rua e dos shoppings abrirão normalmente

Representantes do comércio de Fortaleza, reunidos nesta manhã de quinta-feira, na sede da CDL, definiram: as lojas de rua e dos shoppings estarão abertas neste sábado, dia 21, feriado nacional de Tiradentes. As lojas do Centro devem abrir das 9 às 17 horas, e as lojas dos shoppings, no horário normal, ou seja, das 10 às 22 horas.

De acordo com o presidente da CDL de Fortaleza, Assis Cavalcante, a decisão foi tomada amparada na lei municipal aprovada em 2017, que permite a ampliação do horário de funcionamento do comércio, inclusive, nos feriados. Além disso, há um acordo entre os sindicatos patronal e laboral sobre a remuneração do trabalho neste dia.

“Pagando R$ 80 para o empregado e R$ 5 reais para om sindicato laboral, estamos liberados para funcionar nos feriados. Além disso, os empregados ainda têm direito a ter uma folga na semana seguinte ou a receber o valor do dia trabalhado em dobro”, explica Assis Cavalcante.

O presidente da CDL ressalta ainda que 240 policias estarão no Centro durante o feriado de 21 de abril para garantir a segurança dos lojistas, dos empregados e dos consumidores.

Câmara adia votação de inclusão obrigatória de consumidores no cadastro positivo

A falta de acordo sobre as mudanças no cadastro positivo (PLP 441/17, do Senado), aliada à forte obstrução de parlamentares contrários ao projeto, adiou a votação do cadastro positivo para a semana que vem.

A principal alteração do texto é a inclusão automática de todos os consumidores adimplentes no cadastro positivo, um serviço de banco de dados sobre informações dos pagamentos em dia e de empréstimos quitados. Esses dados geram uma nota ao consumidor, que pode interferir nos juros e serviços bancários a ele oferecidos. Atualmente, a inclusão no cadastro é voluntária.

De acordo com a oposição, o adiamento foi realizado depois que o governo contabilizou que o relatório não teria os votos necessários para aprovação – por se tratar de projeto de lei complementar, são necessários 257 votos favoráveis. Essa é a avaliação do líder do PCdoB, deputado Orlando Silva (SP). “Há uma mobilização de líderes da base, que estão vendo que não têm apoio nas suas bancadas. Precisamos rediscutir esse tema no Colégio de Líderes”, disse.

A privacidade de dados foi o ponto central da discussão sobre a proposta. Para os deputados contrários ao texto, haverá quebra do sigilo bancário. “O projeto viola a dignidade e a privacidade dos consumidores, em prol do interesse apenas das grandes redes de crédito”, sustentou o líder do Psol, Ivan Valente (SP).

Deputados favoráveis, no entanto, dizem que o texto levará à queda dos juros para os bons pagadores. “Esta proposta não vai quebrar sigilo, vai democratizar informações de acesso ao crédito para reduzir os juros”, defendeu Betinho Gomes (PSDB-PE).

(Agência Câmara Notícias)

Supermercado Frangolandia inaugura filial no bairro Cocó

José Ximenes, diretor do grupo.

O Supermercado Frangolândia vai inaugurar, a partir das 7 horas desta quinta-feira, mais uma filial. Será a de nº 9, na avenida Santos Dumont, 5916, no bairro Cocó.

Nesta quarta-feira, a partir as 19 horas, a diretoria do grupo oferecerá um coquetel para convidados, quando apresentará o novo empreendimento.