Blog do Eliomar

Categorias para Comércio

McDonalds tem multa de R$ 6 milhões por publicidade infantil abusiva

443 3

A rede de fast-food McDonald’s foi multada em R$ 6 milhões por publicidade abusiva direcionada ao público infantil por meio de shows do personagem da marca realizados em escolas. A decisão foi publicada ontem (11) pelo Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), órgão do Ministério da Justiça. De acordo com o DPDC, os shows do palhaço Ronald McDonald eram pretexto para publicidade da marca, configurando prática abusiva vedada no mercado e nas relações de consumo.

“Com as apresentações do palhaço Ronald McDonald, as crianças criavam vínculos afetivos com a marca. Existia, assim, a identificação da criança com a marca McDonald, representada pela sua mascote infantil, o Ronald McDonald.

A denúncia contra a empresa Arcos Dourados Comércio de Alimentos Ltda., nome pelo qual está registrada a rede de fast-food no Brasil, foi feita em 2013 pelo programa Criança e Consumo do Instituto Alana, ONG que promove os direitos da criança. Por meio de um levantamento no site da empresa, o Instituto constatou que em cerca de dois meses foram realizados 70 apresentações do show em 35 cidades de dez estados do país.

Ekaterine Karageorgiadis, coordenadora do programa Criança e Consumo, do Instituto Alana, considera que a decisão é importante para o reconhecimento da publicidade infantil como prática abusiva e a sanção aplicada serve de exemplo para que outras empresas não reproduzam essa prática.

“A escola é um ambiente de proteção para a criança e qualquer tipo de prática publicitária que aconteça nesse espaço é direcionado ao público infantil deve ser considerada abusiva e ilegal ainda que as empresas façam com que pareça algum tipo de atividade cultural, lúdica, educativa ou esportiva”, ressalta Karageorgiadis.

Ela aponta que a inserção de marcas dentro das escolas diminui o senso crítico das crianças em relação ao consumo dos produtos por elas oferecidos e por isso é considerado uma prática abusiva. “No caso específico do McDonald’s, algumas ações aconteceram em creches. Essa prática busca fidelizar a criança à marca e seus valores muito cedo com o reforço dos educadores e profissionais que trabalham na escola. A criança acredita que aquela imagem que a empresa está passando é um conteúdo lecionado na escola e portanto deve ser aprendido e é correto”, afirma.

O McDonalds tem 30 dias para o pagamento da multa. Ainda cabe recurso das decisões. A empresa não se manifestou sobre o assunto.

(Agência Brasil)

Dia da Criança – Comércio estima movimentar R$ 7,4 bilhões

O Dia da Criança deverá movimentar este ano em torno de R$ 7,4 bilhões, com alta de 1,5% nas vendas em comparação com o ano anterior. Esta é a segunda alta consecutiva nas vendas do período constatada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). O aumento será, porém, inferior aos 2,6% registados em 2017, em relação ao ano anterior. Em 2017, a movimentação no comércio, em termos reais (descontada a inflação), foi de R$ 7,3 bilhões.

Segundo o chefe da Divisão Econômica da CNC, Fabio Bentes, o ritmo de crescimento das vendas do comércio começou a cair em maio. “Dali em diante, as vendas começaram a crescer bem menos”, disse hoje (9) o economista à Agência Brasil. O que explica a expectativa menor da entidade para o Dia das Crianças é o comportamento da taxa de câmbio que mudou de patamar, afirmou Bentes.

Isso afetou principalmente as vendas para o Dia da Criança, em que têm presença marcante itens importados. “Com o dólar mais caro, fica mais difícil para o comércio varejista manter uma inflação tão baixa quanto aquela que vinha apresentando recentemente”, acrescentou o economista.

Bentes destacou que, pegando uma cesta de produtos dos bens e serviços mais demandados nessa data, a inflação está bem baixa nos últimos 12 meses findos em setembro. “Ela é inferior a 3%.” No entanto, ressaltou o economista, a inflação mais baixa não foi suficiente para fazer com que as famílias se animassem a comprar, principalmente a prazo.

Lembrancinhas

Embora o crédito também esteja mais acessível, Bentes destacou que existe uma clara aversão das famílias ao endividamento no momento atual, devido às incertezas que cercam a economia e às consequências deste ambiente sobre o mercado de trabalho. “O Dia da Criança deste ano deve ser de lembrancinhas, mais uma vez. Deve ser um dia fraco, como foram o Dia dos Namorados e o Dia dos Pais.”

Para Bentes, o fraco desempenho do comércio nessas duas datas comemorativas confirmou a tendência de desaceleração das vendas no varejo depois de maio. Em março e abril, o varejo registrou alta média superior a 8%. Entre maio e julho, o ritmo caiu para menos de 4%. “Então, houve ali [em maio] um divisor de águas no que se refere a consumo, principalmente nas vendas a prazo. O Dia da Criança é mais um termômetro da desaceleração do consumo neste momento.”

Ele disse que o desemprego não está aumentando, mas diminuindo baseado na informalidade, com vagas que oferecem salários médios menores, e que a taxa de juros ao consumidor tem recuado lentamente. Na opinião do economista, essas duas variáveis podem ajudar as vendas do Dia da Criança terem melhor resultado que o esperado. “Acho que existe aí um efeito desconfiança em relação a empréstimos e financiamentos, neste momento, por parte das famílias.”

Considerando o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) dos últimos 12 meses, a inflação ficou em 4,3%, contra alta de 2,4% nos itens e serviços preferidos para presentear as crianças. “É a menor inflação desde 2001, quando a CNC começou a fazer o levantamento, mas isso não está animando as famílias”, disse Bentes.

No caso dos brinquedos, por exemplo, a alta foi de 3,2% em 12 meses, acima da inflação de 2,1% registrada para o item no ano passado. “A percepção do consumidor de que o mercado do trabalho não está bom, de que a inflação começou a subir de forma um pouco mais acelerada depois da alta do dólar e da desvalorização do real, do ponto de vista do estímulo a consumo, a inflação para a cesta de produtos, embora menor que em 2017, para o carro-chefe da data, que são os brinquedos, está até um pouquinho maior,”

Segmentos

A CNC estima que os hiper e supermercados, com alta de 3,3%, deverão ter o melhor desempenho entre os setores relacionados à data. “Percebemos, nos últimos anos, um certo processo de concentração no varejo. E, como o varejo passou nos últimos anos por uma crise severa, e em 2017, alguns setores não haviam se recuperando ainda, aquelas grandes cadeias, que podem negociar melhor a alta do dólar e de trocar fornecedor, estavam pondo nas prateleiras produtos menos ‘salgados’.

Por isso, Bentes disse acreditar que, neste Dia da Criança, o consumo tende a estar mais movimentado nas grandes cadeias do varejo do que nas pequenas lojas e nos produtos diretamente importados.

Da cesta de produtos mais procurados no período, as maiores quedas de preços em 12 meses foram as de chocolates em barra e bombons (-3,7%) e em bicicletas (-2,9%). Em contrapartida, os itens que mais subiram foram cinema (+4,3%), sapato infantil (+4,2%), lanche (+3,8%) e brinquedos (+3,2%).

Fabio Bentes lembrou que o Dia da Criança compete com o Dia dos Pais para ocupar o posto de terceira data comemorativa mais forte para o varejo, depois do Natal e do Dia das Mães.

(Agência Brasil)

Clóvis Rolim Neto é o Lojista do Ano de 2018

Clóvis Neto e Monique.

O empresário Clóvis Rolim Neto (38), diretor comercial da Casa Pio Calçados Ltda é o Lojista do Ano de 2018.

Ele foi eleito pela diretoria da Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza, por meio de votação secreta, durante reunião que a entidade promoveu nessa noite de segunda-feira, em sua sede.

Ficou acertado ainda que Clóvis Rolim Neto receberá o Troféu Iracema, a maior comenda do varejo cearense, no próximo dia 13 de dezembro, no La Maison.

(Foto – Tapis Rouge)

Barra do Ceará terá fim de semana de feira de pequenos negócios

Neste sábado e no domingo – antes ou depois de votar, vale conferir a nova edição da Feira da Villa, na Barra do Ceará, em Fortaleza. No evento, gastronomia, moda e arte a baixo preço e com qualidade. A iniciativa é de pequenos negociantes dessa banda da cidade.

A feira acontecerá das 16 às 22 horas, na rua Antônio Arruda, nº 300, ao lado do Supermercado Canadá.

Sem sombra de dúvidas, uma promoção que merece apoio, pois fomenta negócios fora dos corredores comerciais e turísticos tradicionais.

(Foto – Divulgação)

Centro de Fortaleza – Rua Guilherme Rocha está com reforma quase concluída

Está ficando uma beleza a reforma dos calçadões do Centro de Fortaleza, projeto tocado pela Prefeitura e com apoio da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

Eis aí a rua Guilherme Rocha, com seu primeiro quarteirão prontinho. Nova drenagem, nova pavimentação, novas luminárias e, em breve, mobiliário urbano e quiosques padronizados.

A obra fica concluída no dia 23 de novembro e, após isso, entra a obra na rua Liberato Barroso.

(Foto – Divulgação)

Fundo compra 15% do shopping Iguatemi Fortaleza

Da Coluna Jocélio Leal, no O POVO deste sábado (29):

O Fundo Vinci Shopping Center FII adquiriu 15% de participação no Shopping Center Iguatemi Fortaleza por R$ 185 milhões. A operação envolve taxa de capitalização (cap rate) de 9,2%.

A expectativa da gestão é que a compra gere, na média dos próximos 12 meses, o equivalente a R$ 0,17/cota ao mês, o que representaria um incremento de R$ 0,06/cota ao mês do resultado caixa efetivamente gerado atualmente pelo Fundo.

O Shopping Iguatemi Fortaleza é hoje o o 9° maior shopping do Brasil, com 90.016 m2 de área bruta locável (ABL) e mais de 450 lojas.

O Iguatemi, fundado em 1982, é bem visto no mercado pela boa composição de âncoras e um bom mix. Entre as pricipais marcas, Zara, Forever 21, Renner, Le Biscuit, Americanas, Riachuelo, C&A, Reserva, Richards, Osklen, Schütz, Le Lis Blanc, John John, Lacoste, Adidas, Camicado, Fast Shop, Outback, Burger King e Hipermercado Extra.

O Iguatemi Fortaleza é agora o 9° imóvel no portfólio do Vinci Shopping Centers FII, que passa a ser o maior fundo imobiliário do segmento de shopping da B3 (antiga Bovespa) em número de propriedades.

A aquisição adiciona mais uma capital onde o Fundo não tinha exposição, sendo Fortaleza a capital do Nordeste com o maior PIB da região. É também a quinta cidade mais populosa do País, com cerca de 2,6 milhões de habitantes, conforme dados do IBGE”, diz o Fato relevante da Vinci.

O Shopping Iguatemi Fortaleza é administrado pela Shopping Centers Iguatemi S.A. do grupo da Família Jereissati. Além de ter 65% do shopping Iguatemi Fortaleza, controla outros dois shopping centers, em Belém (PA)- Bosque Grão-Pará- e Campo Grande (MS) – Bosque dos Ipês.

O Iguatemi Fortaleza vem realizando uma série de investimentos ao longo dos anos e em 2015 inaugurou a sua sexta expansão que adicionou cerca de 30 mil m2 de ABL, um aumento de mais de 50% da ABL que o shopping possuía até então.

O Shopping também apresentou uma inadimplência líquida média em 2018 de -1,6% (recuperação líquida), cerca de 9 pontos percentuais melhor que a inadimplência obtida pelo portfolio do Fundo no mesmo período.

A taxa de ocupação atual do Shopping é de 92,2% (abaixo da média do Fundo de 95,5%) concentrada na área recente de expansão.

CNC será comandada por empresário amazonense; Luiz Gastão é diretor-administrativo

Luiz Gastão, presidente licenciado da Fecomércio, é o vice-presidente administrativo.

O empresário José Roberto Tadros foi eleito nesta quinta-feira (27) presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Ele foi escolhido por 24 votos a 4 para comandar a instituição por um mandato de quatro anos, a partir do próximo dia 19 de novembro.

O empresário vai assumir o lugar do atual presidente, Antônio Oliveira Santos, que presidia a entidade desde 1980. Além de Tadros, tomarão posse em novembro todos os integrantes da nova diretoria.

O novo presidente já fazia parte da atual administração como um dos vice-presidentes da CNC. Nascido em Manaus, ele também preside a Fecomércio do Amazonas. Após ser eleito, Tadros disse que irá propor medidas concretas para que a instituição trabalhe de forma “assertiva” no desenvolvimento do Brasil por meio de um comércio mais fortalecido.

“Vamos dar sequência ao projeto de modernização, permitindo consolidar os avanços conquistados pela CNC e ampliar sua força e relevância”, afirmou o empresário. Ele acrescentou que pretende aumentar a presença da confederação no cenário nacional.

Criada em 1945, a CNC agrega sindicatos que representam cinco milhões de empresas de comércio no Brasil. À frente do órgão, Tadros será responsável por coordenar o trabalho de 34 federações do Comércio, do Serviço Social do Comércio (Sesc) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). Juntas, as federações agrupam mais de mil sindicatos empresariais de diversos setores, responsáveis por 25 milhões de empregos diretos e formais.

Formado em direito pela Universidade do Amazonas, José Roberto Tadros tem 72 anos e atua como empresário do setor terciário desde a década de 1970. Autor de livros, ele é membro da Academia Amazonense de Letras, do Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas e da Academia de Ciências, Artes e Letras do Amazonas.

(Agência Brasil/Foto – Divulgação)

Dia da Criança – Fecomércio divulga pesquisa sobre expectativa de vendas do comércio

A Federação do Comércio do Ceará (Fecomércio), por meio do seu Instituto de Pesquisa (IPDC), vai divulgar, na próxima terça-feira, em sua sede, as projeções sobre expectativa de vendas para o Dia da Criança.

Cláudia Brilhante, diretora, institucional, informa que a equipe técnica está fechando números que apontam para incremento leve. Para o período, há otimista entre lojas que vendem brinquedos, mas, também, vestuário, calçados e, principalmente, eletroeletrônicos.

A criançada de hoje,segundo Cláudia, anda muito antenada e de olho em celulares, tablets e outros aparelhos do gênero.

BNB e CDL firmam acordo para liberação de crédito de R$ 200 milhões

O Banco do Nordeste está disponibilizando R$ 200 milhões para o comércio de Fortaleza (CE). O objetivo é financiar a formação de estoques de final de ano, informa a assessoria de imprensa da Instituição.

Os recursos serão distribuídos em operações de crédito no âmbito da linha FNE Giro, destinada à aquisição de mercadorias, com taxas de juros a partir de 0,49% ao mês, prazo de até 18 meses para pagamento e carência de até três meses.

A iniciativa é resultado de parceria entre o BNB e a Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza. O superintendente estadual do Banco do Nordeste no Ceará, Jorge Bagdêve, e o presidente da CDL Fortaleza, Assis Cavalcante, assinarão o acordo de cooperação nesta terça-feira, 25, às 12 horas, na sede da CDL (Centro)

(Foto – Paulo MOska)

A incorporação de serviços financeiros às plataformas de lojas de varejo

Em artigo sobre Plataformas de Marketplace, o consultor financeiro Fabiano Mapurunga, aponta estratégias de lojas de varejo para que clientes fiquem mais tempo navegando no ambiente, aumentando, assim, suas possibilidades de adquirirem mais produtos e, agora, também mais serviços. Confira:

Atualmente presenciamos um avanço na diversificação de serviços que ficam à disposição dos clientes em plataformas de lojas de varejo, o que contribui para que os mesmos fiquem mais tempo navegando no ambiente, aumentando assim, suas possibilidades de adquirirem mais produtos e agora, também mais serviços.

Plataformas de Marketplace (espécie de shopping center virtual), ganham cada vez mais espaço no comércio e, pela base de dados que acumulam, acabam se tornando uma fonte contínua de informações que cada vez mais atrai a atenção de outros agentes, com o objetivo de incorporarem mais serviços além da venda de produtos.

As empresas de varejo cada vez mais tendem a incorporar atividades como meios de pagamentos, e outros serviços que facilitam a vida de seus clientes, e isso acaba sendo mais uma alternativa de receita bem interessante. O Magazine Luíza anunciou que em outubro estará lançando o Magalu Pagamentos. Dentro do escopo inicial do projeto, ele funcionará para a antecipação de recebíveis oriundos dos lojistas que põem seus produtos em sua plataforma de marketplace.

A mecânica do marketplace do Magalu, permitirá com que os recebíveis antecipados, que surgiram pelas vendas a crédito, sejam creditados ao lojista por intermédio de uma conta digital, já existente – tal front place tem a

tendência de ser cada vez mais explorado pelos varejistas, desde que empresas como Via Varejo e Mercado Livre deram o ponta pé inicial. Já se comenta que brevemente, essa conta digital poderá tomar corpo oferecendo, vários outros serviços, como por exemplo, linhas diversas de financiamentos aos lojistas.

O que presenciamos é um avanço muito positivo do aumento de competitividade entre prestadores de serviços financeiros direcionados aos sellers, que está em alinhamento com a onda global de full commerce, somado ao processo de digitalização de serviços financeiros.

Vejamos que, com esse movimento, os grandes varejistas acabarão invadindo um espaço criado pelas fintechs, que popularizaram as alternativas de meios de pagamentos, extra bancos comerciais. Considerando que existem aproximadamente, mais de 50 milhões de brasileiros desbancarizados, o mercado fica mais apetitoso ainda para empresas como o Magalu e seus concorrentes investirem pesado em serviços financeiros.

Essa corrida global por abocanhar a maior fatia de produtos financeiros dentro do mundo varejista, nos coloca a frente de muitas oportunidades, mas vale lembrar que tudo acontece muito rapidamente, e que os atuantes no meio, precisam planejar e executar com muita velocidade para não entrarem atrasados no mercado. O Magazine Luiza perdeu o start de entrar de forma pioneira nos meios de pagamento, enquanto a Via Varejo já incorporou uma parceira com opção de compra com a AirFox, que é uma startup com sede em Boston, e que tem como core business os serviços financeiros e de pagamentos digitais.

Os serviços que serão originados desta parceria da Via Varejo com a AirFox preveem: autenticação de faturas, pagamentos de boletos e cobranças digitais. Com a digitalização do crediário poderá surgir: pagamento de contas como as de telefone celular, energia, água, recargas de celulares pré-pagos. Também contemplará transferências peer-to-peer por QR code; autenticação via biometria facial, além de um cartão pré-pago conectado a um app para compras nas Casas Bahia e em outros estabelecimentos credenciados.

Essa tendência de incorporação de serviços de financeiros por plataformas de marketplace, contribui em muito, para o aumento de competitividade entre as instituições financeiras, e só quem tem a ganhar com tudo isso são os clientes, que poderão contar com ofertas mais atrativas de crédito e de serviços. Cada vez mais se reduzirá a dependência dos grandes bancos que ainda monopolizam esse mercado.

Fabiano Mapurunga

Diretor Executivo da Go Partners Consultoria em Finanças e Negócios. Mestre em Administração com ênfase em Finanças. MBA em Gestão de Negócios. MBA em Gestão Financeira e Controladoria. Professor Universitário.

Dia do Comerciário – Saiba o que vai abrir e fechar na próxima segunda-feira em Fortaleza

O comércio não abre e trabalhadores vão descansar na próxima segunda-feira, 24 de setembro (24/09). Isso porque na data será comemorado o Dia dos Comerciários em Fortaleza, o que foi  acertado em Convenção Coletiva da categoria. Quem descumprir a decisão, será multado em um salário mínimo por trabalhador prejudicado. Quem trabalha, como na caso dos funcionários de farmácias, supermercados e frigoríficos ganha remuneração especial.

Veja a lista do que abre e o que fecha no Dia dos Comerciários

Supermercados
De acordo com a Associação Cearense de Supermercados (Acesu), os supermercados em Fortaleza funcionam normalmente.

Centro de Fortaleza
As lojas fecham no Centro de Fortaleza próxima segunda, informa a Câmara dos Dirigentes lojistas (CDL).

Monsenhor Tabosa
Não funcionam também os estabelecimentos comerciais da Avenida Monsenhor Tabosa, segundo a Associação de Lojistas da Avenida Monsenhor Tabosa (Almont).

OFF Outlet
De acordo com o Departamento de Marketing do OFF Outlet, nada funciona no local na segunda, 24.

Shoppings

Shopping RioMar Fortaleza
Fecham as lojas e quiosques do Shopping RioMar Fortaleza. As operações de entretenimento, serviços de alimentação e cinemas funcionam normalmente.

Shopping RioMar Kennedy
Operações de entretenimento, praça de alimentação e cinema abrem. No entanto, quiosques e lojas não funcionam.

Shopping Parangaba
Praça de alimentação e áreas de lazer operam durante o feriado. No entanto, de 11 horas às 22 horas. O cinema abre de acordo com horário das sessões. Lojas e quiosques fecham.

Shopping Iguatemi
Lojas e quiosques, inclusive as Lojas Americanas, estarão fechados. Praças de alimentação e lazer do shopping abrem no horário normal, de 10h às 22h. Os cinemas funcionam entre 12h30min e 22h30min. Já o Hipermercado Extra abre das 07h à 0h.

Shopping Benfica
Lojas, quiosques e boxes fecham. No entanto, praça de alimentação, cinemas e brinquedos abrem de 11h30min às 22h. O mercadinho São Luiz funciona entre 8 h e 21h, na segunda. Também tem horário reduzido, as Lojas Americanas, que funciona de 11h30min às 21 horas.

North Shopping Fortaleza
Com lojas e quiosques fechados, no North Shopping Fortaleza funcionam a Clínica Sim, de 6h às 20h, e o Super Lagoa, de 7h às 22h. Setores de alimentação e lazer operam de 10h às 22h. O cinema deve abrir de acordo com a programação.

North Shopping Jóquei
Faculdade de Gestão e Negócios North Shopping Jóquei: funcionamento de 10h às 22h. Lojas Americanas estará fechada. Assim como, lojas e quiosques. O cinema funciona de acordo com as sessões. Praça de alimentação e de lazer abrem de 10h às 22h. Mais cedo, às 5h30min, abre a Smart Fit, com fechamento de previsto para às 23h.

Via Sul Shopping
No ViaSul Shopping lojas e quiosques não abrem. O cinema opera de acordo com as sessões. Por outro lado, as áreas de alimentação e lazer operam entre 10h e 22h.

(Com O POVO Online – Repórter Ítalo Cosme)

Shopping Iguatemi apresenta a exposição “Natureza Gigante”

O Shopping Iguatemi está com uma exposição curiosa. Nela, joaninhas, vagalumes, besouro-rinoceronte, gafanhotos, borboleta azul e aranha caranguejeira-brasileira, mas todos gigantes, em réplicas hiper-realistas.

“Natureza Gigante” é o nome dessa nova atração desse polo de compras, que poderá ser  visitada gratuitamente pelo público até o dia 30 de setembro, na praça central, em frente à loja Riachuelo, e na praça do elevador panorâmico.

A “Natureza Gigante” conta com placas informativas sobre cada uma das espécies, retratando além de suas características e curiosidades, os diversos efeitos positivos que estes animais proporcionam aos seres humanos, como o fornecimento de alimentos ao consumir materiais em decomposição e melhorar o solo.

(Foto – Divulgação)

MP do DF abre inquérito para apurar vazamento de dados dos clientes da C & A

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) abriu inquérito para apurar o possível vazamento de dados de 2 milhões de clientes da cadeia de lojas de varejo C&A. Segundo a portaria, de autoria da Comissão de Proteção de Dados Pessoais do órgão, o objetivo é acompanhar as consequências da exposição indevida dos dados.

A denúncia se baseia em suposto vazamento noticiado por sítios especializados de tecnologia. Segundo relatos de um hacker, dados de 2 milhões de pessoas teriam sido divulgados de maneira não autorizada.

As informações vazadas seriam relativas a compras com vale-presente. Entre os dados publicizados estariam número do cartão de crédito, CPF, e-mail, valor da aquisição, número do pedido e data da transação. Segundo o hacker autor da informação, no total, teriam sido liberados registros de 4 milhões de pedidos.

Em nota, a C&A confirmou o recebimento do ofício e informou que vai responder às solicitações. “A empresa sofreu um ciberataque no seu sistema de vale-presente/trocas na última semana e, tão logo identificou o ocorrido, acionou seu plano de contingência e notificou as autoridades competentes”, relatou.

A empresa afirmou ainda que “está atuando ativamente para se adequar à nova legislação brasileira sobre o tema que entrará em vigor em 2020. Reiteramos nosso sólido compromisso com uma atuação ética”. A C&A negou também que tenha havido vazamento de dados de cartão de crédito.

(Agência Brasil)

Começa a obra de requalificação das ruas do Centro de Fortaleza

As obras de requalificação das ruas do Centro de Fortaleza já começaram, dentro de um projeto a ser tocado pela Prefeitura. Na rua Guilherme Rocha, por exemplo, o trabalho começou e os ambulantes que ocupavam as calçadas foram deslocados para a Praça do Ferreira.

A ação está agradando aos lojistas e aos camelôs.

Pelo projeto, os camelôs ganharão quiosques padronizados, que poderão acomodar até quatro ambulantes. Em cada quarteirão, só poderão funcionar 10 quiosques.

Outra: os camelôs trabalharão usando crachá, no que chega como importante item também de segurança e não vai ser permitido que o grupo crie puxadinhos ou coisa parecida, uma da queixas dos lojistas.

Camelôs ocupam a Praça do Ferreira temporariamente.

A CDL Fortaleza avalia que, concluído o projeto, finalmente o Centro ganhará reordenamento comercial e paisagismo.

(Fotos – Leitor do Blog)

Fortaleza ganha mais uma loja dos Mercadinhos São Luiz

Marcada para esta quarta-feira a inauguração do Mercadinho São Luiz do Shopping Del Paseo. A informação é de Severino Ramalho Neto, controlador do grupo.

Além dessa filial, neste ano ainda serão abertas outras duas novas lojas de grande porte em duas esquinas do bairro Aldeota (Rui Barbosa com Santos Dumont e Júlio Ventura com Barão de Studart), ambas com mais de mil metros quadrados.

Isso faz parte do plano de expansão do grupo, que contempla ainda outras três lojas em Fortaleza, inclusive em bairros onde ainda não atua e que devem ser inauguradas até o primeiro semestre de 2020, adianta Severino Neto.

Fortaleza Liquida começa na próxima quinta-feira

A 9a. Campanha Fortaleza Liquida será lançada nesta quinta-feira, às 8 horas, na sede da Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza (Centro). Haverá um café da manhã para a imprensa, empresários, entidades de categoria, superintendentes de shoppings, docentes da Faculdade CDL e diretores da CDL de Fortaleza.

Segundo o presidente da CDL, Assis Cavalcante, a campanha envolverá mais de 3.500 pontos de venda espalhados por toda a Capital cearense e Região Metropolitana, com descontos definidos pelos comerciantes, que variam de 10% a 70%.

A clientela terá direito a concorrer ao sorteio de um carro Toyota, uma moto Hally Davidson, 5 TVs de 49 polegadas, com prêmios também para vendedores três vales-compras de R$ 1 0000 cada um). Já o lojista concorrerá a uma viagem para Portugal.

Somente na quinta-feira será lançado para o público o site www.fortalezaliquida.com.br e o aplicativo: appfortalezaliquida.com.br

SERVIÇO

*Campanha – De 30 de agosto até o dia 9 de setembro

*Sorteio: Dia 14 de setembro, às 11 horas, na sede da CDL Fortaleza (Rua 25 de março, 882, Centro).

(Foto – Paulo MOska)

A disrupção dos modelos de negócios do varejo, alavancada pelo e-commerce

240 2

Em artigo sobre o impacto no comércio varejista de 47,3% no total das riquezas do Brasil, o consultor financeiro Fabiano Mapurunga, Mestre em Administração com ênfase em Finanças e MBA em Gestão Financeira e Controladoria, aponta a oportunidade crescente do comércio varejista com o uso do e-commerce. Confira:

A atividade do comercio varejista possui um impacto de 47,3% no total das riquezas do nosso país, o que demonstra sua importância magnânima em nossa economia. Essa foi a principal conclusão do estudo O papel do varejo na economia brasileira, realizado em 2017, pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC). O IBGE, em 2015, divulgou que o consumo das famílias proveniente das atividades varejistas chega a R$ 2,8 trilhões e que o varejo emprega 17 milhões de brasileiros. O estudo da SBVC, ainda demonstrou que os volumes das atividades varejistas estão assim distribuídas por regiões:

– Sudeste: 53,1%

– Sul: 19,2%

– Nordeste: 14,9%

– Centro-Oeste 9,2%

– Norte: 3,5%

A mesma fonte aponta que o segmento de Supermercados, lidera com uma faturamento em 2015, que chegou a R$ 315,8 bilhões. Tal segmento concentra a maior parte desse faturamento nas mãos de 20 grupos supermercadistas, apesar da grande ramificação do setor contando hoje com 84,5 mil lojas em todo o país. Os Shoppings também demonstram muita força, com 538 unidades espalhadas no país e com uma receita total de R$ 151,5 bilhões. A mesma pesquisa demonstrou que o e-commerce, apesar de não ter tido números tão expressivos, se demonstra como sendo o canal com maior potencial de vendas no varejo, e que os itens de maior valor agregado vendidos por este canal são eletrodomésticos, celulares, produtos eletrônicos e de informática, artigos de casa e decoração, artigos de moda, cosméticos e livros. Em 2016 o ticket médio das vendas pela internet foi de R$ 403,5.

Percebemos com as informações acima a imponência da importância do varejo para o PIB brasileiro e verificamos que há uma grande oportunidade de crescimento dessa atividade com o uso do comércio eletrônico, que ainda é pouco difundido em nosso país. A grande maioria das empresas do nosso comércio varejista ainda não colocou o pé no e-commerce e com isso vem se colocando em uma posição um pouco complicada frente às expectativas de crescimento, pois este segmento é uma verdadeira estrada de oportunidades.

Recentemente o banco Credit Suisse fez um estudo sobre a disrupção de negócios no varejo com o uso do e-commerce, onde apontou casos de sucesso como a Amazon e outros. Demonstrou que nos Estados Unidos, as plataformas de e-commerce já balançam forte as estruturas dos Shoppings Centers Tradicionais, onde ele previu que 20 a 25% desses estabelecimentos fechariam as portas em pelo menos cinco anos. Mediante um estudo executado pelo veículo Business Insider, o banco destacou apenas sete companhias que continuarão financeiramente fortes e sobreviverão aos avanços tecnológicos do varejo. Tal estudo se baseou no cálculo do retorno econômico sobre o investimento dos principais players do varejo mundial, tal técnica é conhecida como Cash Flow Return On Investment (CFROI), onde ele compara o valor atual com as projeções para 2019. Ele quis com esse estudo demonstrar que “os varejistas que sobreviverão serão aqueles que possuem um braço de comércio eletrônico grande e crescente”. Ao mesmo tempo em que são mais eficientes em seus custos fixos. Dentre estas sete companhias está a brasileira Maganize Luiza. A tabela com essas sete companhias segue abaixo:

Para Kim Posnett, diretora global de internet na banca de investimentos do Goldman Sachs, o sucesso no varejo será fruto de um bom casamento entre as duas dimensões (o comércio tradicional e o e-commerce).

Acredito, fortemente, que precisamos buscar mais conhecimento para ter um uso eficiente do comércio eletrônico, e que as empresas realmente precisam abrir suas mentes o mais rápido possível para o mundo tecnológico. Busquem profissionais competentes e primem pela segurança de dados nas transações, tanto para vocês quanto para seus clientes.

O e-commerce é uma realidade e um caminho sem volta para o crescimento do comércio varejista.

Fabiano Mapurunga

CEO da Go Partners Consultoria em Finanças e Negócios. Mestre em Administração com ênfase em Finanças. MBA em Gestão de Negócios. MBA em Gestão Financeira e Controladoria. Professor Universitário

Secretário do Turismo de Fortaleza vai à CDL apresentar projetos

O secretário do Turismo de Fortaleza, Régis Medeiros, estará ao meio-dia, da próxima segunda-feira, na sede da Câmara de Dirigentes Lojistas. Ele é convidado do presidente da entidade, Assis Cavalcante, para um almoço-palestra com a diretoria da CDL.

Na ocasião, Régis vai apresentar os projetos que estão sendo executados pela pasta e que visam o fortalecimento do turismo na cidade e, consequentemente, favorecem o comércio fortalezense.

(Foto – Tapis Rouge)

Centro Fashion anuncia bazar com produtos oferecendo descontos até 80%

Da Coluna O POVO Economia, da jornalista Neila Fontenele, no O POVO desta quinta-feira:

O Centro Fashion Fortaleza fará um bazar entre os dias 22 e 26 deste mês. A ação, segundo André Pontes e Francisco Philomeno Neto, diretores do polo comercial, quer manter o fluxo de venda depois do Dia do Pais.

Os administradores do Centro Fashion informam que os permissionários darão descontos de até 80% nas peças para zerar o estoque da coleção anterior.

(Foito – Reprodução do Youtube)

Supermercados desperdiçam R$ 3,9 bi em alimentos por ano, diz Abras

Os supermercados brasileiros desperdiçaram, no ano passado, o equivalente a R$ 3,9 bilhões em frutas, legumes e verduras e produtos das sessões de padaria, peixaria e açougue. Na comparação com 2016, houve queda de R$ 54.2 milhões. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (15) pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), na capital paulista.

O levantamento, feito em parceria com a Fundação Instituto de Administração (FIA/Provar), considerou números de 2.335 supermercados do país. Apenas em frutas, verduras e legumes, o desperdício atingiu R$ 1,8 bilhão no ano passado, aproximadamente R$ 600 mil a mais do que em 2014.

O superintendente da Abras, Márcio Milan, disse que sensibilizar o setor supermercadista para o desperdício é mais importante do que considerar as perdas financeiras. “Temos que discutir com todo o setor produtivo. Juntos somos capazes de resolver isso”, afirmou Milan.

Na Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), empresa estatal de abastecimento que recebe produtos de 1,5 mil municípios brasileiros e de 14 países e comercializa de 10 a 12 mil toneladas diariamente, as perdas diárias são estimadas em 1,3%.

Segundo a chefe do Centro da Qualidade, Pesquisa e Desenvolvimento da Ceagesp, Anita Gutierrez, para evitar o desperdício, é importante que o alimento tenha qualidade no momento da colheita. “O tratamento pós-colheita – passar cera – ajuda, mas não resolve. Para que se tenha um bom produto na gôndola, ele tem que ser produzido de maneira correta”, afirmou Anita.

Podridão

Anita identifica, entra os principais problemas que levam os alimentos à podridão, danos mecânicos na colheita e na pós-colheita – no momento da embalagem e no manuseio. A perda de água e os machucados nos alimentos, além disso, levam à redução considerável de valor.

Outro ponto levantado pela especialista é a diferença de temperatura a que o produto é submetido no período que abrange da colheita à embalagem e transporte até o destino final. Certos alimentos são transportados sob refrigeração e, quando chegam ao destino, levam choque de temperatura, o que acelera seu metabolismo e leva à perda de qualidade.

O diretor da Associação Brasileira de Agronegócio, Luiz Cornacchioni, também destacou que metade das perdas do setor ocorre durante a logística (processo que envolve armazenagem, circulação e distribuição de produtos). A comercialização com menos intermediários da roça aos supermercados, permitindo melhores ganhos tanto para o produtor, e preços mais baixos para o consumidor, é uma das metas.

Agricultura familiar

Em junho deste ano, a Abras firmou protocolo de intenções para aumentar o relacionamento dos supermercados com a agricultura familiar. O consultor Vitor Correa, da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário, informou que técnicos já estão sendo capacitados para esse acompanhamento. Segundo Correa, atualmente, 3,5 milhões de famílias trabalham no setor, sendo 600 mil em cooperativas.

(Agência Brasil)