Blog do Eliomar

Categorias para Comunicações

Orgia de intolerâncias

Em artigo no O POVO deste domingo (15), a Psicóloga, pedagoga e sexóloga Zenilce Vieira Bruno aponta que “na era da informação de massas e da política espetacular, a informação nos satura antes que a reflexão e a dinâmica social encontrem alguma solução”. Confira:

Em nossa cultura, em nosso tempo, tolerância e bom senso tornaram-se valores obsoletos. Parecemos uma sociedade que perdeu o interesse pelo futuro. Essa apatia indica que não existem projetos coletivos que deem sustentação e sentido à vida das pessoas. Modificar esse tipo de atitude, supõe resgatar valores éticos que se coloquem a serviço do bem estar do gênero humano. Narcísicos, perversos e fanáticos empurram a humanidade para uma destruição de valores e da própria vida. “A tragédia em cena já não nos basta” diz Artaud, assistimos ao vivo e em cores as destruições que procedem da orgia de intolerâncias humanas.

Cada época desenvolve suas próprias formas de patologias. O mundo atual sofre de um mal-estar que parece exigir um olhar diagnóstico cuidadoso. A atitude humana perante o estar no mundo tem se degradado espantosamente. A vida vem sendo tratada como algo simples e desprezível, que dela se faz uso para fins “naturalmente” destrutivos. Um tipo de atitude que vem sendo fortalecida num contexto em que crescem os narcisismos e as intolerâncias, promovendo uma depreciação crescente do cordial, do relacional, do amoroso. Desde que a felicidade passou a ser buscada apenas nas coisas, no consumo, na ostentação, no parecer, no poder, e não dentro do sujeito e nas relações que estabelece, o outro foi perdendo seu lugar de parceiro e começou a ser visto como concorrente, como rival.

Na era da informação de massas e da política espetacular, a exaustão é permanente. A informação nos satura antes que a reflexão e a dinâmica social encontrem alguma solução. Somos invadidos por uma multiplicidade de imagens destrutivas que nos deixa sem fôlego. Ansiamos pelo oxigênio da paz. Mas a paz que se quer para si, para o mundo, para os povos, terá de começar por cada um de nós. Teremos que reaprender o gosto pelo ético, pelo relacional, pelo amoroso e processar corajosamente transformações internas que instalem em nós a vontade da paz, o exercício da tolerância, a capacidade do perdão.

Faz-se necessário o exercício cotidiano de desculpar, de tolerar, de cascavilhar menos as faltas do outro, de perdoá-lo nos pequenos deslizes. “Se isto parecer muito difícil, vale à pena lembrar o que Cristo falou aos fariseus, reconhecendo o quanto eles eram hipócritas: “Atire a primeira pedra quem não tiver pecado”. Necessitamos processar sempre passagens na vida. Que ensaiemos, portanto, passar do estado de raiva, de ódio, de intolerância, para um estado de compreensão do humano, em suas falhas e encantamentos. Somos todos maravilhosos e destrutivos. Capazes de amor e ódio. Cabe dar destino ao que somos. Cabe nos apropriarmos do que queremos ser e fazer. Perdoar é abrir mão do ódio e permitir que a vida continue.

Governo do Ceará divulga nota defendendo a liberdade de expressão

Em nota, o Governo do Ceará expressa a necessidade, no atual momento político do País, do respeito à liberdade de expressão. A nota coincide com uma série de ataques a profissionais de imprensa e a prédios de empresas de comunicação como a que ocorreu, no fim de semana, no Sistema Verdes Mares. Confira:

Nota Oficial

O Governo do Ceará é sensível ao momento político emocionado que estamos vivendo. Reconhecemos os desafios deste instante histórico e compartilhamos a angústia de todas as parcelas da população. Cumprindo seu papel, estamos atentos aos anseios e sentimentos do povo.

Em face dos acontecimentos contra a liberdade de imprensa, o Governo do Ceará vem a público reforçar sua defesa veemente do respeito à liberdade de expressão. As manifestações públicas pacíficas são essenciais para o fortalecimento da democracia, bem como a liberdade de imprensa e de opinião. Por isso, o Estado não compactua e repudia qualquer forma de violência.

O momento difícil pelo qual passa o Brasil não será resolvido com demonstrações de intolerância e ódio, de nenhum lado.

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Ceará
Gabinete do Governador.

Governo do Estado lamenta morte de Miguel Dias de Souza

Gaída e Miguel Dias.

Eis nota de pesar divulgada pelo Governo do Estado. Lamenta a morte do empresário Miguel Dias (Grupo Cidade de Comunicação). Confira:

O Governo do Ceará lamenta o falecimento, nesta terça-feira, do empresário Miguel Dias. Com uma trajetória marcante à frente do Grupo Cidade de Comunicação, contribuiu para desenvolver a Comunicação no estado do Ceará.

Miguel Dias investiu nas melhores tecnologias para fortalecer e multiplicar os negócios em televisão, rádio e internet. Ainda, ajudou a formar varias gerações na prática da comunicação jornalística.

Em sua atuação como empresário, assumiu papel destacado no mercado local, assim como no meio político teve sempre relevante participação.

O Governo do Ceará presta solidariedade à família e manifesta seus mais sinceros sentimentos.

(Foto -Record)

Câmara Municipal de Fortaleza divulga nota lamentando morte de Miguel Dias de Souza

Gaída Dias, Paul Henrique Amori, Miguel Dias e Miguel Filho.

A Câmara Municipal de Fortaleza, por meio do seu presidente, Salmito Filho (PDT), manda nota lamentando a morte do empresário Miguel Dias de Souza (Grupo Cidade de Comunicação). Confira:

É com profundo pesar que recebemos a triste notícia do falecimento do Presidente do Grupo Cidade de Comunicação, empresário Miguel Dias.

Reconhecemos o destacado papel de Miguel Dias nas comunicações da cidade de Fortaleza e prestamos solidariedade à família e aos funcionários do Grupo Cidade de Comunicação.

*Salmito Filho
Presidente.

Tasso destaca em nota o “empreendedor” Miguel Dias

Miguel Dias entre filhos Gaída e Miguel Filho.

O senador Tasso Jereissati (PSDB) apresentou nesta tarde de terça-feira, no plenário do Senado, requerimento de voto de pesar pela morte do empresário Miguel Dias de Souza (Grupo Cidade de Comunicação), também segundo suplente do senador Eunício Oliveira (MDB).

Tasso, em sua justificativa, destacou Miguel Dias como “um empreendedor de sucesso, um nome de destaque na sociedade cearense, com trabalho e atividades em todos os setores da vida social, cultural e esportiva do Ceará.”

Miguel morreu nesta terça-feira, vítima de infarto. A família optou por atos reservados de velório e enterro.

(Foto -Frisson)

Senador Eunício Oliveira lamenta morte do seu suplente, Miguel Dias

O presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira, divulga nota lamentando a morte do empresário Miguel Dias de Souza, controlador do Grupo Cidade de Comunicação e que era seu segundo suplente. Confira:

NOTA DE PESAR

É com grande pesar que recebo a notícia do prematuro falecimento do amigo Miguel Dias. Um cearense de coragem que fez história nos meios de comunicação do Estado.

Na política, como meu suplente, também deu inestimável contribuição para fazer do nosso mandato um legítimo espaço de representação do Ceará e de seu povo.

Exemplo de dedicação à família e ao trabalho, Miguel Dias permanece em nossos corações como um laço que nos aproxima a cada dia.

Desejo aos familiares e amigos as mais sinceras condolências, na certeza de que agora ele descansa em paz na Glória de Deus.

*Senador Eunício Oliveira
Presidente do Congresso Nacional.

Prefeito lamenta, em nota, morte de Miguel Dias de Souza

Eis nota do prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), lamentando a morte do empresário Miguel Dias de Souza, que era o controlador do Grupo Cidade de Comunicação:

A vida do empresário Miguel Dias marca um capítulo muito particular na história da comunicação e do jornalismo do Ceará, sendo uma referência para a nossa Região.

Sua atuação sempre foi sinônimo de testemunho vivo de alguém dotado de espírito empreendedor, próprio do cearense, moldado na obstinação para alcançar objetivos traçados e o inalienável desejo de vencer.

Fica uma lacuna na história da nossa comunicação mas, sobretudo, fica o exemplo de quem sempre defendeu os interesses do nosso Estado.

Perdemos um grande amigo e, por isso, queremos nos solidarizar com seus familiares, com a certeza de que seus sucessores irão dar continuidade a uma vitoriosa trajetória empresarial.

*Roberto Claudio 

Prefeito de Fortaleza.

(Foto -Frisson)

Morre Miguel Dias, o controlador do Grupo Cidade de Comunicação e suplente de senador

3635 2

Miguel Dias entre os filhos Gaída e Miguel Filho.

Morreu, nessa manhã de terça-feira, em Fortaleza, o empresário Miguel Dias de Souza (66), controlador do Grupo Cidade de Comunicação. Ele estava internado no Monte Klinikum. Problemas cardíacos.

A família ainda não definiu velório e o enterro.

O empresário também chegou a ter participação na vida política do Estado. Foi do PRB e era do MDB. Estava como segundo suplente do presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira.

(Foto – Frisson)

Câmara aprova flexibilização da Voz do Brasil; proposta vai à sanção de Temer

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou, nessa terça-feira (13), o Projeto de Lei (PL) 595/03, que flexibiliza o horário de veiculação do programa de rádio A Voz do Brasil. Pelo texto aprovado, a transmissão integral do programa deverá ocorrer dentro do intervalo das 19 horas às 22 horas de segunda-feira a sexta-feira. Nos sábados, domingos e feriados, o horário continua a ser às 19 horas. A matéria segue para a sanção presidencial.

Em discussão no Congresso desde 2003, o PL aprovado mantém o atual horário de transmissão para todas as emissoras educativas. Pelo texto, ficam estabelecidos 60 minutos ininterruptos de programa, distribuídos da seguinte forma: 25 minutos para o Poder Executivo, 5 minutos para o Poder Judiciário, 10 minutos para o Senado Federal e 20 minutos para a Câmara dos Deputados.

O texto prevê ainda que Poder Executivo regulamente casos excepcionais de flexibilização e dispensa de retransmissão do programa.

Para o líder do PRB, deputado Celso Russomano (SP), a aprovação do PL vai assegurar que o programa seja transmitido em todo país, já que rádios têm buscado liminar na Justiça para alterar o horário de transmissão de A Voz do Brasil.

“Estamos aqui corrigindo uma deficiência que existe hoje. Há uma estimativa de que, no Brasil, nós tenhamos 3 mil liminares autorizando as rádios de todo o Brasil a transmitir [o programa] A Voz do Brasil em horário diverso das 19h às 20h. Há gente transmitindo das 23h à meia- noite, tem gente transmitindo depois da meia-noite e isso significa que [o programa] A Voz do Brasil não tem o eco que deveria ter, amparado na lei”, afirmou.

Sem sucesso, deputados da oposição tentaram adiar a votação e barrar a análise do projeto. Contrário à flexibilização, o líder do PSOL, deputado Ivan Valente (RJ), criticou a aprovação da medida. Para ele, a proposta só interessa às empresas de rádio e televisão privadas, já que as educativas continuam sendo obrigadas a transmitir o programa estatal às 19 horas. “Flexibilização é liquidar de vez com A Voz do Brasil”, afirmou.

O programa A Voz do Brasil foi criado há mais de 80 anos, em 1935. Em 1938, passou a ser transmitido obrigatoriamente entre as 19h e as 20h, exceto aos sábados, domingos e feriados, somente com a divulgação dos atos do Poder Executivo. Atualmente, A Voz do Brasil, além do Executivo, transmite informações do Poder Judiciário, do Senado e da Câmara dos Deputados. A produção do programa é da Empresa Brasil de Comunicação.

(Agência Brasil)

Alunos de Comunicação Social da UFC denunciam situação precária do curso

1170 2

Alunos prometem fazer um ato em frente a reitoria da Instituição.

O Diretório Acadêmico de Comunicação Social Tristão de Athayde, da UFC, manda nota para o Blog expondo situação precária de funcionamento do curso. Confira:

NOTA PÚBLICA SOBRE A SITUAÇÃO DO CURSO DE JORNALISMO DA UFC

Imagina-se que o curso de Jornalismo da Universidade Federal do Ceará tenha a estrutura e valorização necessária para a formação desses estudantes, certo? Errado. A graduação em Jornalismo da UFC passa por problemas estruturais que impossibilitam o máximo nível de aprendizado dos alunos. Além de sofrermos, há bastante tempo, com o problema de locação.

O curso de Jornalismo da UFC é tradicional. Completa, em 2018, 53 anos. A escola de comunicação, sempre bastante concorrida no vestibular, já formou inúmeros profissionais ao longo destas cinco décadas, que atuam em diferentes partes do mundo.

Dito isto, é importante salientar que conceitos como tradição, longos anos de formação, e prestígio não são diferenciais necessários para influenciar na qualidade da formação dentro da Universidade. Todos, TODOS, os cursos merecem o apoio suficiente para o funcionamento digno de uma graduação.

Fazemos parte do Instituto de Cultura e Arte, localizado no Campus do Pici, mas estudamos no Centro de Humanidades, que faz parte do Campus do Benfica. Isto porque não possuímos estrutura básica para funcionar no ICA. Já no Centro de Humanidades, vivemos quase como “de favor” e somos ameaçados constantemente de expulsão pela diretora do Centro de Humanidades.

Turmas de graduandos entram e saem, e a promessa de estudar no ICA – cuja conclusão era prevista para 2011, mas até o momento não está nem perto de ser terminado – continua. Para além disto, “nosso prédio” no Benfica, onde encontra-se a coordenação do curso, as salas audiovisuais, os laboratórios de informática, etc, sofre com problemas grotescos de infraestrutura.

No terceiro andar do prédio, encontram-se os estúdios de fotografia e televisão, além do estúdio da UFCTV e as ilhas de edição de vídeo, áudio e imagem. O teto deste andar está ameaçado, o chroma key (aquele fundo verde de estúdios) do nosso estúdio de TV está inutilizável por conta das chuvas. O mofo toma conta do estúdio de fotografia e estúdio de rádio. E estes problemas são históricos. Mas a situação chegou a um ponto onde tudo precisa ser divulgado, para que se torne público, e a comunidade acadêmica empatize com o caso. E a administração da Universidade tome providências.

Para além destes problemas estruturais, o Jornalismo da UFC, neste semestre, sofre com a ausência de professores para oito disciplinas. Isso mesmo, estudantes de oito cadeiras estão atualmente sem aula porque a seleção e os editais para contratação de professores substitutos ainda não foram concluídos. E em um dos casos, nem foi lançado e nem existe data prevista.

As disciplinas de Telejornalismo I, Telejornalismo II, Laboratório Multimídia, Laboratório de Telejornalismo, Cibercultura, Teorias da Comunicação II, além do módulo de Telejornalismo da cadeira de Introdução às Técnicas Jornalísticas estão com as aulas paradas. Essa situação prejudica tanto alunos que estão nos semestres iniciais, quanto alunos veteranos próximos ao fim da graduação.
A Coordenação de Jornalismo já recorreu à Direção do Instituto de Cultura e Arte e à Reitoria da Universidade. Porém, as respostas aos nossos problemas têm demorado a chegar, e quando chegam, são muito vagas e até mesmo ineficazes (para a solução dos problemas). Não sabemos quais medidas serão tomadas em relação ao conserto da nossa estrutura. Também não sabemos quando as aulas das disciplinas suspensas retornarão.

Por estes motivos, o Diretório Acadêmico Tristão de Athayde, representação estudantil dos Cursos de Comunicação (Jornalismo e Publicidade e Propaganda) da UFC, junto à Coordenação do Curso de Jornalismo, lançam esta nota, para tornar pública a situação lamentável que professores e alunos têm de enfrentar diariamente, e convocar uma Assembleia de Curso, com a presença do corpo discente e docente, na próxima quinta-feira (8) de março, às 16 horas, no “Ventão”, Campus do Benfica. No espaço, as questões apresentadas nesta nota serão discutidas e pensaremos também em medidas e atividades pontuais para pressionar a administração da Universidade para a solução de nossos problemas em um tempo razoável.

*Diretório Acadêmico de Comunicação Tristão de Athayde.

Providências

O reitor da UFC, Henry Campos, disse que há problemas pontuais, mas que estão sendo resolvidos. Também professores substitutos estão sendo contratados.

Já a coordenação do curso de Jornalismo da UFC diz que está subordinada ao Instituto de Cultura e Arte e que não se pronunciará.

Curso de Jornalismo da UFC vive problemas de infraestrutura

O curso de Jornalismo da Universidade Federal do Ceará vive clima de pindaíba no momento.

Está sem equipamentos em várias disciplinas, sem falar que faltam também dois professores, o que prejudica a oferta de oito disciplinas.

Ainda enfrenta problemas estruturais como infiltrações no teto, mofo nos laboratórios e material de audiovisual quebrado.

Fortaleza será sede do Congresso Nacional de Provedores

O diretor da área de Inclusão Digital do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, Américo Tristão, divulgará tudo sobre o programa Internet para Todos no VII Congresso Nacional de Provedores.

Esse evento ocorrerá em Fortaleza no dia 11 de abril, no Hotel Praia Centro. Será, de acordo com a assessoria do MCTIC, uma oportunidade dos prefeitos conhecerem melhor detalhes do programa que quer expandir a internet pelo País.

 

Camilo assina com Angola Cables parceria em favor de um hub tecnológico

O governador Camilo Santana vai assinar, às 10h30min, na Praia do Futuro, com a Angola Cables, o memorando de entendimentos para viabilizar a infraestrutura que vai interligar o Data Center dessa multinacional entre Fortaleza e o Pecém, em São Gonçalo do Amarante (RMF), permitindo o desenvolvimento regional no campo das telecomunicações.

A partir da construção de um Data Center em Fortaleza interligado aos sistemas de fibra de óptica, a empresa potencializará a vocação natural do Estado do Ceará para o desenvolvimento de um hub de telecomunicações regional, permitindo o acesso e armazenamento de conteúdos digitais de dentro ou fora do Brasil, em uma infraestrutura de rede, com interconexão neutra, mas garantindo desde logo ligações privilegiadas à América do Norte e a África, através da qual todo o mercado poderá se beneficiar.

Nove municípios cearenses deverão migrar para o sistema digital de TV

Mais nove cidades cearenses terão, a partir do próximo dia 28, o sinal analógico desligado e passarão a receber apenas o sinal digital na transmissão da programação da TV Assembleia e demais emissoras de TV aberta.

Passarão pela mudança quatro municípios da região norte do Estado ‒ Forquilha, Massapê, Santana do Acaraú e Sobral ‒ e cinco municípios da região do Cariri ‒ Barbalha, Caririaçu, Crato, Juazeiro do Norte e Missão Velha. Dos 184 municípios cearense, 24 já contam com o novo sistema, nas demais cidades as transmissões analógicas serão suspensas até 2023.

Os telespectadores dessas cidades que não possuírem aparelho de TV digital deverão adquirir um kit conversor para receber a transmissão do sinal digital. As famílias atendidas por programas do Governo Federal podem receber gratuitamente o kit conversor.

SERVIÇO

*Para pedir o kit é só ligar gratuitamente para o número 147 ou acessar o site sejadigital.com.br, passar o número de identificação social (NIS) e fazer o agendamento para receber o material.

Brasil tem pior cenário de pluralidade da mídia em 12 países analisados

Um levantamento inédito revelou que o Brasil apresenta os piores indicadores para a pluralidade na mídia entre 12 países em desenvolvimento analisados. Os dados foram apresentados nessa sexta-feira (2), em Brasília, e fazem parte de uma iniciativa internacional que ganhou o nome de Monitor de Propriedade de Mídia (MOM, na sigla em inglês), organizada pela Repórteres Sem Fronteiras (RSF). No Brasil, a coordenação do estudo foi feita pelo Intervozes, entidade da sociedade civil que atua em defesa do direito à comunicação.

Ao todo, a pesquisa do MOM-Brasil mapeou 50 veículos e redes de comunicação em quatro segmentos: 11 redes de TV (aberta e por assinatura), 12 redes de rádio, 17 veículos de mídia impressa (jornais de circulação diária e revistas de circulação semanal) e 10 veículos online (portais de notícias). Esses meios de comunicação foram selecionados com base em índices de audiência medidos por institutos de pesquisa e no potencial de influenciar a opinião pública, o chamado agendamento.

Dos 10 indicadores examinados na pesquisa, incluindo proteção legal contra concentração de audiência e de propriedade, controle político de emissoras, controle político do financiamento e transparência na propriedade, o Brasil apresentou alto risco em sete deles. É pior do que o desempenho de países como Peru, Sérvia, Filipinas, Tunísia, Marrocos, Ucrânia e Mongólia.

“Entre os 12 países analisados até agora pela pesquisa, o Brasil foi o que apresentou o maior número de indicadores de alto risco para a liberdade de expressão, principalmente com base no grau de concentração da mídia”, afirma Emmanuel Columbié, diretor da Repórteres Sem Fronteiras na América Latina. Em março, serão divulgados os dados do México, país que tem características similares às do Brasil, em termos populacionais e de sistema de comunicação.

Em termos de concentração de mercado, por exemplo, o estudo apontou índices elevados, especialmente na televisão, a mídia mais consumida pelos brasileiros, em que as quatro principais redes (Globo, SBT, Record e Band) somam 71,1% de toda a audiência do país. Na mídia impressa, o grau de concentração também foi considerado de alto risco para a pluralidade de ideias, com 50% da audiência concentradas nos quatro principais grupos: Globo, Folha, RBS (que edita dois dos jornais de maior tiragem no país) e Sada (que edita publicações como o jornal Super Notícias, de Minas Gerais).

Até mesmo na mídia online foi encontrado alto grau de concentração, com os quatro principais grupos (G1, UOL, R7 e IG) dominando 58,75% do share de audiência. “O que esse estudo revelou é que temos no Brasil um cenário de oligopólio e de concentração excessiva dos diferentes tipos de mídia em poucos grandes grupos”, destaca André Pasti, integrante do Intervozes e coordenador da pesquisa no país.

A concentração da propriedade cruzada, quando um mesmo grupo controla diferentes veículos, também apresentou um resultado preocupante, segundo a pesquisa. Entre as 26 maiores redes, nove pertencem ao Grupo Globo, cinco ao Grupo Bandeirantes, cinco são controlados pelo Grupo Record e ligados à Igreja Universal do Reino de Deus), quatro pertencem ao grupo regional RBS (com atuação na Região Sul) e três pertencem ao Grupo Folha. Os veículos controlados pelo Grupo Globo atingem, na média ponderada, um total de 43,86% da audiência de todo o país.

Para a subprocuradora-geral da República Débora Duprat, titular da Procuradoria Federal de Defesa do Cidadão (PFDC), do Ministério Público Federal (MPF), os resultados da pesquisa apontam graves riscos para a democracia no país. “Democracia pressupõe participação ampla da sociedade na discussão dos temas de interesse público, e para isso o acesso à informação é fundamental. Na medida em que esse acesso é bloqueado ou filtrado por um processo de concentração da mídia, a própria democracia fica comprometida”, observa.

A pesquisa ainda registrou a forte participação de grupos religiosos na mídia, com a revelação de que controlam nove das 50 maiores redes do país. Também foram analisadas as principais lacunas regulatórias na legislação brasileira para os meios de comunicação.

(Agência Brasil)

Fetrace promove palestra sobre comunicação sindical nesta sexta-feira

A Federação dos Trabalhadores, Empregados e Empregadas no Comércio e Serviços do Estado do Ceará (Fetrace) promove nesta sexta-feira (12), a partir das 10 horas, no Centro, uma palestra com a jornalista Cláudia Gianotti, sobre comunicação sindical.

Viúva de Vito Gianetti, fundador do Piratininga de Comunicação, a jornalista abordará o tema “enfrentamento aos ataques à classe trabalhadora no governo Michel Temer”.

Encontro entre Temer e Sílvio Santos fica para 2018

Como a possibilidade de a reforma da Previdência ser votada neste 2017 foi para o espaço, Michel Temer e Silvio Santos cancelaram, por ora, a ida do presidente ao programa do apresentador e dono do SBT. A informação é da Coluna Radar, da Veja Online.

A ideia de Silvio Santos era aproveitar a presença do emedebista para bater bumbo em favor das mudanças nas regras previdenciárias.

A reforma, em tese, será votada em fevereiro. Por isso, Temer e Silvio Santos ficaram de arranjar uma nova data para se encontrarem em janeiro.

Projeto amplia potência das rádios comunitárias

A potência das rádios comunitárias poderá ser aumentada de 25 para 300 watts. Esse é o teor de um projeto (PLS 513/2017) que está em análise na Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT). De autoria do senador Hélio José (PMDB-DF), a matéria aguarda a apresentação de emendas na comissão.

O senador argumenta que, diante da diversidade geográfica do Brasil, o atual patamar de 25 watts se mostra insuficiente para operação nas áreas de população esparsa, particularmente na zona rural. Com o aumento da potência, as informações divulgadas pelas rádios comunitárias poderão alcançar maiores distâncias.

Hélio José destaca que a alteração não visa possibilitar a cobertura de múltiplas comunidades, bairros ou vilas pela mesma rádio comunitária, o que desvirtuaria a essência desse serviço. A ideia, segundo ele, é viabilizar a operação do serviço em regiões rurais, nas quais a cobertura de uma única comunidade exige alcance maior que o atualmente estabelecido, em decorrência da dispersão dos moradores do campo.

O senador também explica que a potência máxima permitida não será adotada indiscriminadamente para todas as outorgas, mas caberá ao órgão regulador das telecomunicações estabelecer a potência a ser autorizada para cada rádio comunitária, de modo a preservar a característica da cobertura restrita do serviço.

O projeto ainda aumenta de um para três os canais específicos na faixa de frequência para as rádios comunitárias em frequência modulada. Hélio José diz que, com o desenvolvimento das rádios comunitárias pelo país, a limitação de um canal prevista na legislação (Lei 9.612/1998) inviabiliza, na prática, a operação das rádios em muitos locais, especialmente nas cidades mais densamente povoadas, nas quais operam simultaneamente diversas rádios comunitárias.

De acordo com o senador, em cidades maiores, com bairros adjacentes, a utilização da mesma frequência por todas as transmissões provoca interferências, impedindo uma adequada recepção do sinal.

Hélio José diz que as rádios comunitárias prestam um “relevante serviço de comunicação”, mas aponta que é necessário disponibilizar outros canais para sua transmissão, para minimizar as interferências que hoje existem.

(Agência Senado)

Quadrinista é proibido de usar boné com estrela vermelha em programa da Rede Globo

Convidado para participar da edição desta terça-feira (28) do programa Conversa com Bial, na TV Globo, o quadrinista Gabriel Bá foi impedido de utilizar um boné com uma estrela vermelha, semelhante ao utilizado pelo ex-líder cubano Fidel Castro. A estrela foi parcialmente coberta por fita isolante durante a gravação da entrevista.

De acordo com Gabriel, gêmeo do também quadrinista Fábio Moon, a produção da atração havia pedido para que símbolos políticos não fossem exibidos nas vestimentas.

Artista foi impedido de usar boné com estrela vermelha
Artista foi impedido de usar boné com estrela vermelha

“‘Evite números para que não haja associação a marcas ou partidos políticos’. Essa foi uma das dicas de vestuário da produção do programa. Mesmo assim, fui com meu boné verde com estrela vermelha, que trouxe do Vietnam. Tenho outros, mas gosto deste, do que ele representa. Foi minha escolha”, escreveu ele em publicação acompanhada de um desenho do boné com fita isolante.

Artista fez desenho do boné com a estrela proibida
Artista fez desenho do boné com a estrela proibida

“Chegando no estúdio, o pessoal do figurino, respondendo à diretoria do programa, disse que a estrela não ia rolar. Claro que não fiquei contente, mas eu fiz uma escolha antes: a de ir com o boné. Entre entrar com a estrela coberta ou entrar sem boné, escolhi o boné. E escolheria novamente. Poderia ser um tucaninho azul e amarelo ou um número 45, o logo da Adidas ou o escudo do Palmeiras. Seria coberto da mesma maneira. Prefiro ver agora esse debate todo e o povo refletindo do que simplesmente ter entrado sem boné”, completou o artista, um dos autores da adaptação para quadrinhos de Como falar com garotas em festas, baseado em um conto do autor britânico Neil Gaiman.

Outro lado

A Globo rebateu as acusações de ter cometido censura, mas confirmou que não autorizou o uso do boné com a estrela vermelha. “Existe uma orientação geral para que os convidados evitem roupas com marcas aparentes, e símbolos e números que remetam a partidos políticos. Esse cuidado reforça a isenção do programa. Não há qualquer tipo de censura ou restrição ao conteúdo da entrevista. Os convidados discorrem livremente sobre questões políticas e expõem opiniões pessoais”.

(Jornal do Brasil)

ACI comemora 92 anos de fundação em clima de homenagens especiais

A diretoria da Associação Cearense de Imprensa (ACI) definiu os nomes de quatro homenageados a serem agraciados com medalhas na sessão solene que a Câmara Municipal promoverá, no próximo dia 11 de dezembro, para marcar os 92 anos da entidade. São eles: jornalista Wânia Dummar, radialista Narcélio Limaverde, a ex-presidente da ACI, Ivonete Maia, e o diagramador Ítalo Araújo Vasconcelos (os dois últimos in memoriam). A iniciativa é da vereadora Larissa Gaspar (PPL).

Segundo o presidente da ACI, Salomão de Castro, os agraciados têm perfis variados e, de forma diferenciada, deram grandes contribuições à imprensa cearense. “São nomes relevantes para que possamos compreender como se construiu a imprensa em nosso Estado, além de personalidades que têm o amplo respeito dos colegas”, afirma.

*Confira abaixo os perfis dos homenageados:

Wânia Dummar: Nascida em Fortaleza, é graduada em Comunicação Social pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Ingressou no grupo O Povo ainda como estudante universitária a convite do editor J.C. Alencar de Araripe. Atuou como repórter, noticiarista e editora. Integrou também a equipe que desenvolveu a criação do segundo caderno do jornal, hoje conhecido como Vida & Arte. Wânia Dummar é viúva do empresário e jornalista Demócrito Rocha Dummar, ex-diretor-presidente do Grupo de Comunicação O Povo. Hoje faz parte do Conselho Editorial do jornal.

 

 

Narcélio Limaverde: Com 63 anos dedicados ao rádio, atuou inicialmente na Ceará Rádio Clube, em 1º de fevereiro de 1954.Além do rádio, Narcélio Limaverde também tem paixão pela literatura. Ele é autor das obras “Senhoras e Senhores”, “Fortaleza, história e estórias – Memória de uma cidade” e “Fortaleza Antiga”. Na política, Narcélio foi o deputado estadual mais votado nas eleições de 1986.Aos 85 anos, Narcélio Limaverde é ouvido nas manhãs de segunda-feira a sexta-feira, na FM Assembleia (96,7 Mhz), no programa que debate tudo o que ocorre no Ceará, na política, na economia e no dia a dia das cidades.

Ivonete Maia: Nasceu em Jaguaruana (a 180 km de Fortaleza). Ivonete formou-se em Letras (Faculdade Católica de Filosofia) e em Jornalismo (na 1ª turma do curso da Universidade Federal do Ceará, de 1969). Trabalhou nos jornais O Nordeste, Gazeta de Notícias e O POVO e nas rádios Assunção e Verdes Mares.Foi professora do Curso de Comunicação Social da UFC e ocupou cargos de gestão também na Rádio Universitária e nas Edições UFC. Foi a primeira mulher a presidir um Sindicato de Jornalistas no Brasil (1981-1986) e a assumir a presidência da Associação Cearense de Imprensa (1989-1992 e 2008-2012). Ivonete Maia faleceu em 2012, aos 73 anos de idade.

Ítalo Araújo Vasconcelos: Membro da diretoria da Associação Cearense de Imprensa (mandato 2013-2016), trabalhou no jornal O Povo por mais de 40 anos. Passou pelo parque gráfico e atuou como diagramador do jornal, cativando muitos amigos nesse caminho. Em sua trajetória, atuou efetivamente militando na ACI e no Sindicato dos Jornalistas do Ceará, demonstrando assim seu comprometimento com as questões relativas ao cotidiano dos profissionais da imprensa. Faleceu em 11 de junho de 2017, aos 60 anos de idade.

(Fotos – Divulgação)