Blog do Eliomar

Categorias para Cultura

Festa do Pau da Bandeira de Barbalha agora é Patrimônio Cultural do Ceará

A Festa do Pau da Bandeira de Santo Antônio de Barbalha (Região do Cariri) foi reconhecida como Patrimônio Cultural do Estado. O reconhecimento ocorreu durante reunião ordinária do Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural do Ceará (COEPA), nessa quinta-feira, na sede da Secretaria da Cultura do Estado.

Durante o encontro, foram aprovados dois pareceres conclusivos de Registro da Festa do Pau da Bandeira de Barbalha como Patrimônio Cultural Cearense, na categoria Celebrações.

A celebração já é um bem cultural reconhecido institucionalmente no âmbito nacional pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), que iniciou o processo de registro em 22 de abril de 2010.

(Foto – Augusto Pessoa)

Alemberg Quindins, criador da Fundação Casa Grande, ganha titulo de Doutor Honoris Causa da Urca

A Universidade Regional do Cariri concederá o título de Doutor Honoris Causa a Alemberg Quindins, o criador da Fundação Casa Grande de Nova Olinda (Região do Cariri). A decisão foi anunciada nesta semana pelo Conslho Universitário da Instituição.

A honraria será entregue a Alemberg no próximo dia 19, às 19 horas, durante sessão solene da Urca no Teatro Violeta Arraes, em Nova Olinda. Alemberg, bom destacar, respira cultura.

(Foto – Divulgação)

Empresas e entidades públicas vão receber o Selo Responsabilidade Cultural 2018

Será no próximo dia 17, a partir das 19 horas, no Theatro José de Alencar, a solenidade de outorga do Selo de Responsabilidade Cultural 2018. Trata-se de um reconhecido da Secretaria da Cultura do Ceará a pessoas jurídicas de direito público e privado, com e sem fins lucrativos, que comprovadamente implementam ou incentivam programas, projetos e ações voltados para o desenvolvimento cultural do Estado.

A programação, que terá fala do titular da Secult, Fabiano Piúba, será marcada pela apresentação da Camerata da Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual do Ceará (OSUECE).

Empresas que recebem o Selo

*Modalidade Diamante: Servis Segurança; Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer de Sobral, Prefeitura Municipal de Assaré e M. Dias Branco

*Modalidade Ouro: Cegás; Condomínio Shopping Benfica; Fundação Beto Studart; Instituto Beatriz e Lauro Fiúza;

*Boas Práticas: Arcos – Associação Arte e Acordes; Associação Filhos e Amigos de Icó, Associação Shalom; Instituto Katiana Pena; Prefeitura Municipal de Palhano; e Federação das Industrias do Estado do Ceará.

(Foto-Divulgação)

Ator e cantor Raffael Barroso lança o livro “Arrumando a Casa”

Raffael Barroso, artista que canta, dança e interpreta, entra agora no mundo da literatura. Ele vai lançar sua primeira obra que se chama “Arrumando a Casa” O lançamento ocorrerá às 19 horas desta quinta-feira, na Livraria Cultura, e no próximo dia 18, às 19 horas, no Porto Iracema das Artes. A apresentação do autor e obra será feita pelo procurador de justiça José Valdo Silva.

“Arrumando a Casa” que já foi adaptado para espetáculo teatral é, segundo o procurador José Valdo, um convite “que o artista nos faz a visitarmos através da sua escrita, a nós mesmos, as nossas almas e a percepção do nosso olhar sobre os outros.”

O Artista

Nascido em Fortaleza no ano de 1976, Raffael Barroso é formado em Teatro/Belas Artes e Gestão Empresarial pela Unifor. O legítimo artista nordestino ocupa a cadeira de número 18, da Academia Cearense de Artes. Ele tem também, projetos dedicados ao ensino e obras sociais.

SERVIÇO

“Arrumando a Casa”

*Preço: R$ 59,90.

Políticas públicas para a Cultura e o Turismo nas cidades

Com o título “Políticas públicas para a Cultura e o Turismo nas cidades”, eis artigo de Cláudia Leitão, ex-secretária estadual da Cultura e diretora do Observatório da Governança do Instituto de Planejamento de Fortaleza (Iplanfor). “Não podemos ignorar que o aumento dos fluxos turísticos vem contribuindo para a insustentabilidade das cidades”, diz a articulista num trecho do artigo. Confira:

Em dezembro de 1786, Goethe, em sua viagem de dois anos pela Itália, escrevia em seu diário que “uma viagem contemplativa a terras estranhas acarreta radicais mudanças éticas e estéticas nos viajantes”. Como se pode observar, as viagens já eram compreendidas no século XVIII como experiências transformadoras por serem marcadas pela fruição cultural. Em tempos atuais, se, de um lado, prolifera a produção de bens e serviços culturais, de outro, temos cada vez mais a impressão de que nosso acesso se dá a um produto padronizado, esvaziado de significação, anêmico de narrativas e de imaginários, enfim, ao que o sociólogo francês Gilles Lipowetsky denomina de “diversidade homogênea”.

Enquanto monumentos, centros comerciais, museus, parques temáticos, sítios históricos se fundem e se (con)fundem na paisagem das cidades, transfigurando-se em cenários para o consumo e para a produção de roteiros turísticos, temos a sensação de que a atividade turística impacta de forma cada vez mais perniciosa sobre os nossos sentidos. Podemos “ver sem viver”, “consumir sem fruir”, “reconhecer sem conhecer”. E, quanto mais crescem as filas para as exposições de artistas consagrados, menos se observa a capacidade de decodificação cultural por parte do público.

Não podemos ignorar que o aumento dos fluxos turísticos vem contribuindo para a insustentabilidade das cidades. Não será por acaso que Zygmunt Bauman observa que o maior problema das sociedades contemporâneas será o de remover o seu próprio lixo, uma das diversas faces obscuras da atividade turística.

As toneladas de dejetos e de objetos descartáveis demonstram, muitas vezes de forma monstruosa, o fracasso dos modelos insustentáveis da indústria do turismo nas cidades. E, muitas vezes, com o álibi da valorização da cultura e da memória, acaba-se produzindo um turismo que dilapida, abandona e esquece. Este é um paradoxo que necessitamos enfrentar com planejamento, gestão e políticas públicas.

*Cláudia Leitão

claudiasousaleitao@yahoo.com.br

Diretora do Observatório de Governança Municipal do Iplanfor.

Selo de Responsabilidade Cultural – Secult divulga selecionados

Fabiano Piúba é o titular da pasta.

A Secretaria da Cultura do Ceará divulgou, nesta quinta-feira, o resultado final da convocatória do Selo de Responsabilidade Cultural 2018, destinado ao reconhecimento de pessoas jurídicas de direito público e privado, com e sem fins lucrativos, que comprovadamente implementam ou incentivam programas, projetos e ações voltados para o desenvolvimento cultural do Estado do Ceará. A informação é da assessoria de imprensa da Secult.

“O Selo de Responsabilidade Cultural é garantido por uma lei de 2006. Ele reconhece empresas e instituições culturais que apoiam, realizam e promovem a cultura no Ceará, seja diretamente ou por meio de leis de incentivo, como a Lei Rouanet e a Lei do Mecenato Estadual. Nós retomamos esse Selo numa estratégia de fortalecimento do Sistema Estadual de Cultura, com relação ao Fundo Estadual de Cultura, ao Mecenato, para que possa qualificar e estimular as empresas e instituições da sociedade civil a ampliar e qualificar suas ações de responsabilidade cultural”, destaca o secretário da Cultura do Estado do Ceará, Fabiano dos Santos Piúba.

A ação tem também por objetivo incentivar práticas de responsabilidade cultural em empresas e organizações com operações no Ceará, além de incentivar as instituições públicas e privadas a projetos culturais por meio do Fundo Estadual de Cultura, o Mecenato Estadual e outras fontes de financiamento, contribuindo com o alcance das metas do Plano Estadual de Cultura e reconhecendo políticas públicas culturais exitosas implementadas por prefeituras municipais do Ceará.

Empresas que recebem o Selo:

Confira por categoria as empresas e instituições que irão receber o Selo de Responsabilidade Cultural 2018.

*Modalidade Diamante: Servis Segurança; Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer de Sobral, Prefeitura Municipal de Assaré e M. Dias Branco

*Modalidade Ouro: Cegás; Condomínio Shopping Benfica; Fundação Beto Studart; Instituto Beatriz e Lauro Fiúza;

*Boas Práticas: Arcos – Associação Arte e Acordes; Associação Filhos e Amigos de Icó, Associação Shalom; Instituto Katiana Pena; Prefeitura Municipal de Palhano; FIEC – Federação das Industrias do Estado do Ceará.

A solenidade de outorga do Selo de Responsabilidade Cultural acontecerá no dia 17 de dezembro, às 19 horas, no Theatro José de Alencar, e contará com a apresentação da Camerata da Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual do Ceará (OSUECE).

SERVIÇO

*O resultado pode ser acessado no site de editais da Secult: http://editais.cultura.ce.gov.br/.

Cariri é sede do Festival Internacional de Máscaras

Tem início nesta terça-feira o II Festival Internacional de Máscaras do Cariri. Com experimentações, cortejo, colóquio e apresentações artísticas  e debates, vai se estender até o próximo sábado em vários espaços dessa banda do Ceará.

De acordo com a organização, o festival contará com mais de 50 atividades de várias linguagens no período do evento. Grupos locais, nacionais e estrangeiros vão se revezar na programação.

SERVIÇO

*Confira  programação completa no fim.com.br

(Foto – Divulgação)

Fórum Nacional de Secretários Estaduais da Cultura divulga carta em defesa do MinC

Fabiano Piúba, titular da Secult e do Fórum, puxou o manifesto.

O Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes de Cultura dos Estados lançou, na manhã da segunda-feira (03/12), Carta Aberta “Fica, MinC! Em defesa da permanência do Ministério da Cultura”. O manifesto versa sobre o cenário que o Brasil tem vivido nos últimos tempos e a gravidade do anúncio da extinção do Ministério da Cultura (MinC).

Como em 2016, o Fórum vem a público se manifestar em defesa da integridade, permanência e fortalecimento institucional da pasta. Com ampla participação, 21 Estados mais o Distrito Federal assinam o manifesto. A entidade é presidida, atualmente, pelo secretário da Cultura do Ceará, Fabiano Piúba.

Confira a carta:

Carta aberta do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura

“Fica, MinC! Em defesa da permanência do Ministério da Cultura”

Os Secretários e dirigentes estaduais de Cultura representam, neste ato, os milhões de cidadãos e cidadãs de todos os Estados e municípios do país que aprenderam a admirar e a se orgulhar de seus artistas e das manifestações culturais que nos fazem únicos no mundo, que nos fazem brasileiros e brasileiras. Representamos também a diversidade política dos diferentes governos estaduais. Para muito além de questões político-ideológicas, o que nos motiva é a compreensão da grandeza da Cultura Nacional.

Diante da gravidade do anúncio da extinção do Ministério da Cultura (MinC), o Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura vem a público – como em 2016 – se manifestar em defesa da integridade, permanência e fortalecimento institucional do Ministério.

Este é mais um momento que exige mobilização em torno das políticas culturais desenvolvidas em todas as esferas da federação – União, Estados e Municípios – e de instituições públicas e privadas, que promovem o acesso aos bens e serviços culturais, o fomento às artes, a preservação do patrimônio cultural e a promoção da diversidade cultural brasileira. A cultura é um direito fundamental e constitucional e é essencial a manutenção de estrutura adequada para a existência permanente e perene de órgãos próprios que possam gerir e executar políticas públicas.

Nos últimos anos, mesmo com o esvaziamento político e a drástica redução orçamentária, a permanência do MinC foi uma demarcação institucional do campo das artes e da cultura no país. Mais do que uma conquista setorial dos artistas, produtores, gestores e fazedores de artes e culturas foi uma conquista da sociedade e do povo brasileiro.

No Brasil, o setor cultural gera 2,7% do PIB e mais de um milhão de empregos diretos, englobando as mais de 200 mil empresas e instituições públicas e privadas. São números superiores a muitos outros setores tradicionais da economia nacional. E a tendência é de contínuo crescimento. Lembrando ainda que a Lei Rouanet, hoje tão injusta e equivocadamente atacada, representa apenas 0,3% do total de renúncia fiscal da União e incentiva milhares de projetos em todo o país que geram renda e empregos.

Portanto, defendemos a permanência e integridade do MinC na estrutura governamental, como um órgão próprio e exclusivo para a gestão e a execução das políticas culturais, em parceria com os estados e municípios e com a sociedade civil. Defendemos também a permanência, como órgãos próprios e valorizados, das Secretarias e Fundações estaduais e municipais, que conformam o Sistema Nacional de Cultura.

É fundamental valorizar e reconhecer a inestimável colaboração do Ministério da Cultura e de todas as suas entidades vinculadas para a Cultura e a Economia brasileiras. São elas: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan); Instituto Brasileiro de Museus (Ibram); Agência Nacional do Cinema (Ancine); Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB); Fundação Cultural Palmares (FCP); Fundação Nacional de Artes (Funarte) e Fundação Biblioteca Nacional (FBN).

É por todas essas razões que o Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura conclama a sociedade brasileira e, principalmente, o novo Governo Federal, a fazer uma profunda reflexão e reverter a decisão de extinção do órgão, mantendo a integridade do Ministério da Cultura.

Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura

03 de dezembro de 2018

Fabiano dos Santos Piúba

Presidente do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura Secretário de Estado da Cultura do Ceará

Karla Cristina Oliveira Martins

Presidente da Fundação de Cultura Elias Mansour do Acre

Melina Torres Freitas

Secretária de Cultura de Alagoas

Denílson Vieira Novo

Secretário de Cultura do Amazonas

Arany Santana

Secretária de Cultura da Bahia

Guilherme Reis

Secretário de Cultura do Distrito Federal

João Gualberto Moreira Vasconcelos

Secretário de Cultura do Espírito Santo

Athayd Nery de Freitas Júnior

Secretário de Cultura do Mato Grosso do Sul

Diego Galdino

Secretário de Cultura do Maranhão

Ângelo Oswaldo de Araújo Santos

Secretário de Cultura de Minas Gerais

Paulo Chaves

Secretário de Cultura do Pará

João Luiz Fiani

Secretário de Cultura do Paraná

Laureci Siqueira

Secretário de Cultura da Paraíba

Antonieta Trindade

Secretária de Cultura de Pernambuco

Marlenildes Lima da Silva (Bid Lima)

Secretária de Cultura do Piauí

Carla Pettri Mercante

Secretária de Cultura do Rio de Janeiro

Amaury Silva Veríssimo Júnior

Presidente da Fundação José Augusto, do Rio Grande do Norte

Rodnei Paes

Superintendente de Cultura de Rondônia

Selma Maria de Souza

Secretária de Cultura de Roraima

Romildo Campello

Secretário da Cultura do Estado de São Paulo

Irineu Fontes

Assessor Executivo da Cultura de Sergipe

Noraney de Fátima Fernandes

Superintendente da Cultura do Tocantins.

(Foto – Divulgação)

Crato terá a I Semana Abidoral Jamacaru de Cultura

A Vila da Música/Escritório Regional de Cultura do Cariri – Secult/CE e a Secretaria de Cultura do Município do Crato abrirão, a partir das 19 horas desta terça-feira, no Salão de Atos da Universidade Regional do Cariri  (Urca), no Crato, a I Semana Abidoral Jamacaru de Cultura.

O cantor e compositor estará presente e fará a apresentação inicial de um semana de eventos em comemoração ao seu aniversário. Na ocasião, Abidoral lançará o quarto disco de sua carreira.

Com entrada gratuita e aberta ao público, a semana que vai se estender até o dia 30 próximo, contará com vasta programação. Exposição, sarau poético, mesas redondas, apresentações artísticas e o encerramento com o show de lançamento do CD Abidoral Jamacaru integram o roteiro.

Com título homônimo, o disco reflete uma nova fase na sonoridade de Abidoral, traçando um diálogo entre a qualidade musical de mais de 40 anos de estrada com novas linguagens.

SERVIÇO

* Mais Informações – (85) 3101-6761 / imprensasecultce@gmail.com

(Foto – Divulgação)

Bairro Ellery segue nesta tarde com o Festival Popular de Teatro

Os espetáculos do Festival Popular de Teatro de Fortaleza (Feptef) seguem na tarde deste sábado (24), na Praça Manoel Dias Macedo, no bairro Ellery, em uma iniciativa da CIA Prisma de Artes.

Para Jordana Santos, diretora da Artéria Cidadã, será um presente receber grupos renomados do país no bairro, para fortalecer a cultura do teatro na vida das famílias da comunidade.

Já o jornalista Wescley Sacramento, diretor da Associação Comunitária dos Bairros Ellery e Monte Castelo, além de receber os espetáculos, que têm uma grande importância, a ocupação dos espaços públicos é fundamental para a convivência das famílias.

(Foto: Arquivo)

Escola de Artes e Ofícios Thomaz Pompeu promove I Seminário da Gravura

A Escola de Artes e Ofícios Thomaz Pompeu Sobrinho vai promover, no período de 27 a 29 deste mês de novembro, em sua sede, no bairro Jacarecanga, em Fortaleza, o I Seminário da Gravura. O objetivo é fomentar a troca de conhecimento entre artistas, estudantes, críticos e admiradores das artes gráficas. O tema central do evento será “Gravura: Tradição e Contemporaneidade”.

A iniciativa, segundo a assessoria de imprensa da escola surgiu a partir da longa trajetória do equipamento em promover formação nas artes gráficas, com foco na linguagem da gravura, que inclui as técnicas tradicionais de xilogravura, gravura em metal (rncavo), litogravura e serigrafia (estamparia). O seminário contará com palestras, estudos de caso e vivências, com nomes de expressão da arte gráfica nacional e local. No encerramento, será feito o anúncio dos premiados do IV Salão da Gravura, concurso de iniciativa da escola que resultará numa exposição a ser aberta no dia 15 de dezembro.

SERVIÇO

*As inscrições são presenciais e gratuitas a todos os interessados e estão sendo realizadas na sede da Escola (Av. Francisco Sá, 1801 – Jacarecanga). É permitida a inscrição no Seminário por painel, limitada a capacidade máxima de 35 (trinta e cinco) lugares do auditório da Escola.

*Escola de Artes e Ofício Thomaz Pompeu Sobrinho – Avenida Francisco Sá, 1801, bairro Jacarecanga).

*Informações para inscrições: 85 3238.1244 https://bit.ly/2S0GQcC

(Foto Ilustrativa)

IFCE promove este mês a I Bienal Internacional de Música

187 1

A I Bienal Internacional de Música do Instituto Federal do Ceará – Paulo Abel do Nascimento – acontece de 29 de novembro a 1º de dezembro, no campus Fortaleza do IFCE e na Reitoria. O evento promete oportunidades de aprendizado e momentos de contemplação da atividade musical em suas diversas variações.

O homenagem da bienal destaca o sopranista e contraltista cearense, falecido em 1993 e que faria 60 anos em 2018. Paulo Abel foi aluno do curso de Turismo da então Escola Técnica Federal do Ceará, tendo sido também regente do tradicional coral da instituição, contribuindo para o crescimento do grupo.

Na abertura da Bienal, a dupla formada pela cantora argentina Cecilia Stanzione e pelo saxofonista e flautista Mário Sève fará uma apresentação na qual serão acompanhados por Édson Távora (no piano) e Jorge Cardoso (participação especial no bandolim), ambos renomados músicos radicados na capital cearense. A Big Band Jazz A7 IFCE e o Coral da UFC completam a noite de abertura.

Nos dias seguintes sobem ao palco os seguintes grupos: Doces Flautas Doces (IFCE), Camerata de Violões (IFCE), Choro Grande Banda (Uece), Orquestra Pop e Jazz (Ifes), Camerata da Unifor e Instrumental Mira Ira (IFCE).

As oficinas e masterclass – espaços de aprendizado e interação – constituem-se no núcleo da programação, permitindo o contato direto com as atrações: Cecília Stanzione estará à frente de uma das várias oficinas ofertadas – abordando Canto, Técnica e Expressão. Já Mário Séve ministrará a oficina Prática de Choro. “Canções – Cantigando na Escola” é o tema da oficina que terá à frente a prof.ª Izaíra Silvino.

A Bienal Internacional de Música contará também com a oficina de Elaboração de Projetos Culturais (prof. Arley França); Sons Transversais, com o prof. Marcelo Leite; Perspectivas Metodológicas para a Prática e o Ensino de Violão Coletivo (prof. Eddy Lincolln); Arranjo Vocal (prof. Marcos Paulo Leão); Cancioneiro e Ritmos Afro-Ameríndios (com os professores Ricardo Nascimento/Joel Oliveira/Jardson Moreira); Harmonia e Improvisação (prof. Édson Távora); Acordeom na Escola: Desafios Pedagógicos (prof. Nonato Cordeiro); Ensino Coletivo de Cordas (professoras Liu Man Ying e Dora Utermohl de Queiroz).

Além disso, ocorrerá a palestra “Trajetórias Formativas Profissionais em Música: um estudo com estudantes do curso técnico em Instrumento Musical do IFCE/Fortaleza”, ministrada pelo prof. Alexandre Vieira. Complementando, haverá o lançamento do CD autoral do prof. Carlos Crisóstomo e a exposição “As bandas de cá sob o olhar de Cristiano Júnior”, que terá a curadoria de Lenice de Sousa e apoio do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Para a pró-reitora de Extensão, Zandra Dumaresq, propiciar atividades musicais como esta denota o investimento do Instituto em amplas áreas do conhecimento: “o IFCE é uma instituição com viés tecnológico, mas sempre tivemos muita força também nessa questão da arte e da cultura. Nosso objetivo é fazer uma homenagem ao grande músico Paulo Abel e firmar a Bienal como evento amplo”.

A Bienal tem apoio do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), Universidade Federal do Ceará (UFC), Universidade Estadual do Ceará (Uece), Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), Universidade de Fortaleza (Unifor) e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

(Foto: Divulgação)

Gabriel O Pensador abre Semana da Juventude em Maracanaú na quinta-feira

O compositor, músico e escritor carioca Gabriel O Pensador abre na quinta-feira (22) a II Semana da Juventude, na Praça da Estação, no Centro do município de Maracanaú (Região Metropolitana de Fortaleza).

Gabriel O Pensador ministrará palestra e depois apresentará suas músicas de sucesso. Além do artista carioca, cantores locais e apresentações culturais também farão parte da abertura.

A II Semana da Juventude de Maracanaú é realizada pela secretária municipal de Juventude e Lazer e seguirá até o dia 28 deste mês.

(Foto: Divulgação)

Entrada franca – Wagner Ferreira estreia neste sábado o show “O Som da Montanha”

O contrabaixista, violonista, compositor, arranjador e professor Wagner Ferreira, de Guaramiranga, estreia neste sábado, 17, às 20h, o show instrumental autoral “O Som da Montanha”, no Teatro Rachel de Queiroz, com entrada franca.

O trabalho musical de Wagner Ferreira e sua própria opção pela música como caminho profissional são, em grande medida, fruto das experiências vivenciadas no festival, além da formação proporcionada pela Escola de Música da Associação dos Amigos da Arte de Guaramiranga (Agua). Ele integra o grupo Jazzera, ao lado de outros grandes instrumentistas da cidade, como Marcelino Ferreira e Rafael Teixeira, formação que já se apresentou em diversos projetos e festivais, tendo sido inclusive contemplada pelo saxofonista e clarinetista cubano Paquito D´Rivera com uma música inédita.

Agora, Wagner Ferreira estreia o espetáculo próprio, abrindo espaço para suas próprias composições. Nesse sentido de valorizar a produção autoral, o show “O Som da Montanha” assume caráter inovador na produção da cidade e busca incentivar outros músicos do município a investir mais nesse caminho. A apresentação tem apoio institucional da Prefeitura de Guaramiranga, por meio da Secretaria da Cultura do município, e do projeto Jazz em Cena, de Fortaleza.

No show deste sábado Wagner Ferreira estará ao lado de Adriano Flor (sax tenor), Antonio Carlos (trompete), Josué Teodosio (flauta, sax alto e soprano), Matheus Moreira (violão de 7 cordas), Marco Antonio (guitarra e bandolim), Paulo Flor (percussão) e Wagner Ferreira (contrabaixo).

Wagner Ferreira é professor há mais de 10 anos do curso de violão da Agua e professor regente do Grupo Rio das Cordas. Também já integrou a Banda Dona Zefinha, participando de turnês nacionais e internacionais. As composições que ele estreia no show deste sábado nasceram inspiradas em pontos importantes da cidade de Guaramiranga, como “Matriz”, em referência à Praça da Igreja da Matriz, “Pássaro Vermelho”, “Pico Alto”, “Pé de Ladeira” e “Pendanga”.

Serviço:

Show “O Som da Montanha”. Com Wagner Ferreira e septeto. Música instrumental feita em Guaramiranga. Sábado, 17/11, às 20h, no Teatro Rachel de Queiroz, em Guaramiranga. ENTRADA FRANCA. Apoio: Prefeitura de Guaramiranga/Secretaria de Cultura e projeto Jazz em Cena. Informações: (85) 98671-7934 / osomdamontanha@gmail.com / www.osomdamontanha.com / Insta/Face: @osomdamontanha

(Foto: Divulgação)

Recital gratuito neste fim de semana no Theatro José de Alencar

A Fundação Raimundo Fagner apresenta neste sábado (16) o recital “De Sombra e Luz”, no Theatro José de Alencar.

O espetáculo conta com 60 jovens entre coro, flautas doce e violões na Orquestra, diante do resgate de grandes compositores do período da música barroca.

As apresentações gratuitas acontecem a partir das 18 horas deste sábado e a partir das 17 horas do domingo.

(Foto – Arquivo)

XX Mostra Sesc Cariri de Cultura começa nesta sexta-feira por Juazeiro do Norte

Geraldo Azevedo,Elba Ramalho e Alceu Valença abrem a programação.

A 20ª edição da Mostra Sesc Cariri de Culturas será aberta hoje à noite, em Juazeiro do Norte, e vai se estender até terça-feira (20) com eventos em 26 cidades da região. Na abertura, haverá o show “Grande Encontro” com Elba Ramalho, Alceu Valença e Geraldo Azevedo.

Nessa programação, teatro, circo, dança, exposições, shows, rodas literárias, performances poéticas e mostras de cinema e vídeo. O objetivo é incentivar o intercâmbio cultural e a preservação da tradição popular, contribuindo para o desenvolvimento da região como destino turístico-cultural. Ao todo serão mais de 2.500 artistas e 300 atrações gratuitas, com uma estimativa de público de mais de 300 mil pessoas. Tudo vai até terça-feira (20).

Idealizada pelo Sesc, a mostra se consolidou como palco de difusão das mais diversificadas manifestações artísticas e culturais. De 1999 a 2018, mais de seis milhões de pessoas já acompanharam as atrações do evento. A participação de artistas também é crescente: na 1ª edição eram 250 e em 2018 chegam a 2.500.

Rota Cariri

A abrangência de programação da Mostra Cultural é outro marco. Partiu de um município (Crato) e percorrerá Juazeiro do Norte, Crato, Barbalha, Brejo Santo, Nova Olinda, Altaneira, Araripe, Abaiara, Mauriti, Aurora, Porteiras, Penaforte, Barro, Jardim, Milagres, Missão Velha, Caririaçu, Jati, Antonina do Norte, Lavras da Mangabeira, Várzea Alegre, Assaré, Campos Sales, Santana do Cariri, Potengi, Salitre, Farias Brito e Tarrafas.

Este ano, a pluralidade de linguagens está representada nas diversas atividades culturais e artísticas de todo o Brasil. Entre os grupos de valorização da cultura de tradição estão os de reisado de congo, de baile, guerreiros, maneiro pau, maracatu, capoeira, banda cabaçal e outras manifestações populares. A descentralização das ações é garantida com a realização dos circuitos Patativa do Assaré, que leva espetáculos de rua pelos municípios, e o Tem Forró no Cariri – com artistas cearenses, valorizando essa expressão genuinamente nordestina.

(Foto – Divulgação))

Caixa Cultural Fortaleza expõe a Amazônia Negra

Em cartaz na Caixa Cultural Fortaleza, até 23 de dezembro, a exposição “(RE)Conhecendo a Amazônia Negra”, da fotógrafa Marcela Bonfim. A mostra traz 55 fotografias que ilustram as mais diversas identidades e culturas presentes entre os povos negros da Amazônia e a importância social das religiões de matriz africana na construção do Brasil.

Segundo a assessoria de imprensa da Caixa, as obras trazem de maneira sensível e original as mais diversas expressões dos grupos que residem na região Norte do País, dentre eles remanescentes quilombolas, afroindígenas, barbadianos e haitianos. Todos carregam em seus traços as heranças socioculturais de uma parcela importante da população brasileira que ainda não é reconhecida historicamente.

As fotos foram produzidas a partir de 2013, durante visitas feitas por Marcela Bonfim a comunidades quilombolas, tradicionais, indígenas e urbanas, além de terreiros e festejos religiosos na região do Vale do Guaporé (RO), em um processo que coincidiu com o próprio reconhecimento da fotógrafa enquanto mulher negra.

SERVIÇO

*Caixa Cultural Fortaleza 0 Avenida Pessoa Anta, 287 – Praia de Iracema.

*A exposição tem patrocínio da Caixa Econômica Federal, com visitação gratuita e classificação livre.

(Foto – Divulgação)

Exposição – A Cara Negra do IFCE

O Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (Neabi), do campus de Fortaleza, promoverá, entre 19 e 23 deste mês de novembro, a exposição fotográfica dialogada “A Cara Negra do IFCE”. Segundo a assessoria de imprensa do Instituto, a programação prevê também rodas de conversa pautando discussões sobre as questões raciais e a imagem como forma de empoderamento e o protagonismo negro na nossa sociedade.

A mostra, que serve para marcar a Semana da Consciência Negra, reunirá 20 imagens de pessoas que fazem parte da comunidade do IFCE e que se reconhecem como negros e negras. As fotos são de cinco alunos fotógrafos das Licenciaturas em Teatro e em Artes Visuais do IFCE de Fortaleza.

Com abertura às 18 horas do dia 19, a exposição prosseguirá até as 17 horas do dia 23 de novembro, no pátio central no IFCE da Capital, enquanto as rodas de conversa acontecerão no mesmo espaço e período, das 18h30min às 20h30min.

Selecionados

Os fotógrafos selecionados participantes da exposição são: Henry Simon, Sabrina Barreto, Ric Hellith, Lissa Cavalcante e Reginaldo Marinho. A curadoria da exposição fotográfica é dos servidores Anna Érika Lima, Wendell Medeiros, Thyago Cabral e Ricardo Pedrosa e da aluna Mel Andrade.

Esta é a primeira exposição fotográfica promovida pelo Neabi – Fortaleza, que iniciou oficialmente suas atividades em julho de 2018, com a missão de “sistematizar, produzir e difundir conhecimentos, fazeres e saberes que contribuam para a promoção da equidade racial e dos direitos humanos”, destaca a assessoria de imprensa do IFCE.