Blog do Eliomar

Categorias para Cultura

E por falar em economia criativa…

Com o título “Criatividade e negócios”, eis artigo do superintendente estadual do Sebrae, arquiteto Joaquim Cartaxo. Ele destaca a economia criativa como valor para a economia. Confira:

Estamos vivendo a era do conhecimento, onde o talento e a criatividade se configuram em ativos cada vez mais importantes no âmbito do mundo dos negócios. Uma nova economia vem se consolidando a partir de modelos de negócio ou gestão que se originam em atividades, produtos ou serviços desenvolvidos a partir do conhecimento, criatividade ou capital intelectual de indivíduos com vistas à geração de trabalho e renda.

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), todas estas atividades baseadas no conhecimento e produção de bens tangíveis, intelectuais e artísticos, com conteúdo criativo e valor econômico, integram a chamada “Economia Criativa”. Para a Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) estas indústrias criativas se dividem em quatro grandes grupos: patrimônio, artes, mídia e criações funcionais.

Diferentemente da economia tradicional, a economia criativa foca no potencial individual ou coletivo para produzir bens e serviços criativos. Esta nova economia gera cerca de US$ 8 trilhões por ano no mundo, representando de 8 a 10% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial. Em nosso País, a área criativa gerou uma riqueza de R$ 155,6 bilhões para a economia brasileira em 2015, segundo o Mapeamento da Indústria Criativa no Brasil, publicado pela Federação da Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) em dezembro de 2016.

Entretanto, produtores e empreendedores que atuam no mercado dos negócios criativos no Brasil ainda precisam desenvolver a sustentabilidade de seus empreendimentos, adquirir independência dos recursos do Estado, profissionalizar a gestão e buscar a longevidade de seus negócios.

Tão importante quanto o talento e a criatividade é a necessidade de se desenvolver competências para gerir o empreendimento de um modo que gere um fluxo de receitas constante e autônomo, visando a sustentação a médio e longo prazos. São estas competências que ajudarão os empreendedores a transformar a habilidade criativa natural em ativo econômico e recurso para o desenvolvimento de negócios duradouros.

*Joaquim Cartaxo

cartaxojoaquim@bol.com.br

Arquiteto urbanista e superintendente do Sebrae Ceará.

Maloucos, o Dragão e o elefante

Com o título “Maloucos, o Dragão e o elefante”, eis artigo de Pauilo Linhares, presidente do Instituto Dragão do Mar. Ele aborda a miscelânea cultural chamada Maloca Dragão. Confira:

Começou a 5ª edição da Maloca Dragão. Mas o que é mesmo essa Maloca? Antes, é preciso dizer que é ação estratégica de uma política de cultura. Política cultural no Brasil parece muito com futebol: todo mundo acha que sabe muito, mas sabe uma parte. A parte que lhe toca. Ou não toca.

Lembra a metáfora do príncipe que chamou um grupo de cegos de nascença e os reuniu para que apalpassem um bicho e dissessem o que era? Cada qual disse o que tinha tocado. Orelha. Tromba. Pata. O príncipe disse que juntando a experiência de todos daria um elefante.

A Maloca é um festival de artes que celebra o aniversário do Dragão do Mar. A importância dela para nossa política cultural é porque, nesses seis dias (24 a 29/4), fazemos um balanço do que produzimos, pensamos, criamos na arte cearense e trazemos as tendências no Brasil.

Também trazemos os mais importantes diretores de festivais do País e do mundo para conhecerem nossos artistas. É o Conexões, com convidados de França, Suíça, Chile e Portugal, além dos brasileiros.

Tem homenagem a um grande artista cearense: Sérvulo Esmeraldo, o mestre da arte cinética. Os destroços da obra Femme Bateau serão apresentados com a assinatura da ordem de serviço de restauração e prévia de exposição que virá em maio.

Tem ainda a Maloca Futuro, rede de escolas criativas do Instituto Dragão do Mar, com cursos gratuitos no Porto Iracema das Artes, Centro Cultural Bom Jardim, Escola Thomaz Pompeu Sobrinho, Escolas de Gastronomia Ivens Dias Branco e Estação das Artes, Centro de Formação Olímpica e Theatro José de Alencar. São 50 mil matrículas este ano. É a mais efetiva política de formação para o novo mundo da economia da cultura no Brasil.

Num país onde política e gestão pública são vistas como atividade vil, degradada, feita por organizações perversas, temos no governo Camilo a mais ousada, séria e transformadora política de cultura para jovens no País.

Anos atrás, alguns disseram que o Centro Cultural seria um elefante branco.

O Dragão tem hoje 1,8 milhão de visitantes por ano, a maioria jovens. Acho que ele é vermelho.

Alguns dizem ainda que o povo da cultura é um bando de malucos. Já somos 9,6% do emprego formal no Ceará em curso crescente, enquanto o emprego industrial cai.

A Maloca é portanto um punhado de “maloucos” que enfrentam as águas paradas do conservadorismo dominante..

*Paulo Linhares

paulolinhares@dragaodomar.org.br

Presidente do Instituto Dragão do Mar.

Mano Alencar doa tela para biblioteca da Câmara Municipal de Fortaleza

O artista plástico cearense Mano Alencar, 59, dono de um estilo próprio e com exposição em vários países, doou a tela “NósNordeste” para a Biblioteca José de Alencar, da Câmara Municipal de Fortaleza, que será reinaugurada na manhã desta segunda-feira (23), a partir das 8 horas, pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal. Durante a inauguração, o ministro lançará na capital cearense os livros “Um outro país” e “A judicialização da vida”.

Segundo o diretor-geral da Câmara Municipal de Fortaleza, Robson Loureiro, a biblioteca conta com um acervo de mais de 4,7 mil títulos, além de periódicos e documentos que contam parte da história da cidade. De acordo ainda com Loureiro, o leitor poderá optar pela versão digital do acervo, desde que utilize um dos quatro computadores disponíveis no local. Todos os gabinetes dos 43 vereadores já contam com o acervo digital.

O ministro Luís Roberto Barroso também dará a palestra “Os 30 anos da Promulgação da Constituição de 1988”, dentro do Programa de Capacitação Continuada da Câmara Municipal de Fortaleza.

(Foto: Divulgação)

Comissão de Cultura aprova regionalização para incentivos da Lei Rouanet

A Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 6448/16, do deputado Dagoberto Nogueira (PDT-MS), que inclui instrumentos para garantir a equidade regional como princípio norteador para a aprovação dos projetos apreciados pelo Ministério da Cultura.

Atualmente, a Lei Rouanet (8.313/91) já estabelece os princípios de não concentração por segmento cultural e por beneficiário para não direcionar todos os recursos para poucos projetos.

Pela proposta, a destinação dos recursos para os projetos será classificada por região do País, conforme dois critérios:
– ¾, no mínimo, na proporção da população de cada região de acordo com o último censo;
– até ¼ priorizando as regiões com menor desenvolvimento cultural.

O relator na comissão, deputado Tadeu Alencar (PSB-PE), adotou emenda para incluir na proposta o uso de três informações mínimas para definição do desenvolvimento cultural de cada região:
– o consumo cultural das famílias;
– o mercado de trabalho cultural; e
– a presença de equipamentos culturais em cada região.

“Consideramos importante que a lei traga os parâmetros gerais para tal definição, a ser detalhada pelo regulamento”, disse Alencar

O texto também altera as regras de publicação de quem receberá os recursos da lei. Pelo projeto o aprovado deverá ter o CPF ou CNPJ divulgados e em qual área foi enquadrado, além dos dados como título do projeto, valor autorizado e prazo para captar recursos – como já estabelece a lei atual. E também fica exigida a divulgação online dos vencedores, e não apenas em publicação oficial.

A proposta tramita em caráter conclusivo e ainda será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

(Agência Câmara Notícias)

Rede Cuca vai expor projetos no Observatório de Fortaleza

Nesta quinta-feira, das 15 às 17 horas, no Observatório de Fortaleza, espaço que fica na Praça do Ferreira, a Rede Cuca vai expor seus projetos.

Será durante um bate-papo descontraído com entidades de vários bairros, abrindo para a coleta de sugestões e de olho em novos projetos.

À frente, coordenando os debates, a diretora do Observatório, Cláudia Leitão.

(Foto  Sara Maia)

Banco do Nordeste abre chamada pública para atrações de seus Centros Culturais

CCBNB Fortaleza.

O Banco do Nordeste abriu chamada pública para seleção de propostas que farão parte da programação de seus três Centros Culturais localizados no Cariri/CE, Fortaleza/CE e Sousa/PB, no período de julho de 2018 até junho de 2019. A informação é da assessoria de imprensa da Instituição.

As inscrições prosseguem até 18 de maio e as iniciativas selecionadas farão parte de um cadastro com propostas de relevância cultural e artística, nas áreas de artes cênicas, artes visuais, música, formação e atividades infantis. As ações integrarão a programação por meio de contrato de locação de serviços profissionais e artísticos com cachês que podem chegar a R$ 13 mil.

Os CCBNBs

Localizados em Fortaleza (CE), Juazeiro do Norte (CE) e Sousa (PB), os Centros Culturais do Banco do Nordeste são equipamentos criados para promover reconhecimento, visibilidade e consequente valorização da cultura regional. Funcionam de segunda a sábado, exclusivamente com atrações gratuitas.

SERVIÇO

Gratuitas, as inscrições serão aceitas exclusivamente por meio digital, na página do Banco do Nordeste na Internet (www.bnb.gov.br), onde o proponente pode consultar o regulamento, preencher e enviar o formulário de inscrição.

(Foto – Divulgação)

Centro Cultural Grande Bom Jardim pode paralisar atividades

356 1

Centro Cultural Grande Bom Jardim (CCBJ) estão paralisando suas atividades. Tudo porque colaboradores, artistas e trabalhadores – em regime celetista ou em condição de prestadores de serviço (ocupando cargo por seleção pública). O salário atrasou.

Uma nota do grupo de funcionários está sendo divulgada para a imprensa.

O equipamento é gerido pelo Instituto Dragão do Mar (IDM), organismo da Secretaria da Cultura do Estado.

(Foto – Arquivo)

Cadê o Edital Mecenas do Ceará?

A Secretaria da Cultura do Estado ainda não divulgou o Edital Mecenas do Ceará. A publicização deveria ter ocorrido em janeiro último, como o titular da pasta, Fabiano Piúba, havia anunciado no fim de dezembro.

Objetivo desse edital é regulamentar o procedimento de inscrição, avaliação e julgamento dos projetos culturais apresentados à captação de recursos, através do Mecenato Estadual em consonância com os preceitos da legislação estadual de incentivo à cultura.

Há quem jure que a Secretaria da Fazenda tenha segurado o dinheiro do programa. Será?

 

Chambinho do Acordeon é cidadão de Fortaleza

O paulista Nivaldo Expedito de Carvalho, o Chambinho do Acordeon, 37, recebeu na noite dessa terça-feira (6), na Câmara Municipal de Fortaleza, o título de cidadão fortalezense. Ele é um dos maiores divulgadores da cultura nordestina em Fortaleza, por meio da sua produção artística.

A propositura foi do próprio presidente da Casa, Salmito Filho (PDT), subscrita por todos os demais vereadores.

Em 2012, Chambinho do Acordeon interpretou Luiz Gonzaga no filme “Gonzaga – de Pai pra Filho”, após ser escolhido entre cinco mil candidatos. No ano passado, atuou ainda na novela “Velho Chico”, na Globo, como sanfoneiro.

DETALHE – Salmito é fã incondicional de Luiz Gonzaga e da cultura nordestina.

(Foto: Divulgação)

Roberto Cláudio diz que teatro faz parte da formação dos jovens

“Estou cada vez mais convencido do impacto que a cultura exerce para transformar a juventude de Fortaleza”. A declaração é do prefeito Roberto Cláudio, durante visita ao teatro do Cuca do Jagurussu, que terá capacidade para 252 lugares, dois camarins e salas de controle de som, em um investimento de R$ 1.1 milhão.

“Nós estamos visitando a obra deste teatro, que foi entregue esta semana e vem fortalecer a cultura nesta área da Cidade, composta pelo Jangurussu, pelo Conjunto Palmeiras, pelo São Cristóvão e por todo o entorno. Poucas áreas da Capital dispõem de um equipamento cultural como este. Instalado no Cuca, ele passa a ser um equipamento de formação. Aqui, nós temos bailarinas, músicos, artistas. Talentos estão sendo descobertos. A juventude precisa de um espaço como este para expressar e qualificar o seu trabalho. A parte cenotécnica também será implantada, com iluminação, cortina e outros detalhes”, ressaltou o prefeito.

De acordo com o coordenador de Políticas Públicas de Juventude da Prefeitura de Fortaleza, Júlio Brizzi, o processo de conclusão da obra deverá ser finalizado até o início do segundo semestre deste ano.

“Pela complexidade do equipamento, a obra segue em etapas pela especificidade do acabamento e das necessidades gerais. A gente estima que, até o meio do ano, todo o processo esteja concluído. Mas é importante registrar que a utilização do teatro já está liberada. A região do Jangurussu tem uma grande concentração de jovens, que devem ser beneficiados a partir das atividades aqui desenvolvidas”, disse.

O secretário Executivo da Regional VI, Roberto Rios, avaliou positivamente a transformação pela qual o território vem passando ao longo da gestão do prefeito Roberto Cláudio.

“Eu moro nesta Regional ‪há 28‬ anos. Durante esse tempo, presenciei manifestações artísticas e culturais na chuva, em quadras com infraestruturas comprometidas e, literalmente, no meio da rua. É uma alegria muito grande observar que a cultura está evoluindo graças a equipamentos como este, que possibilitam a troca de experiências e de aprendizados”, comentou.

(Foto: Divulgação)

Secult: comissão do concurso no prelo

Da Coluna Eliomar de Lima, no O POVO deste sábado (3):

O secretário da Cultura do Estado, Fabiano Piúba, manda nota informando que o concurso público da pasta “está com sua elaboração de vento em popa”. Diz ele:

“Caro Eliomar de Lima, o trabalho com a Secretaria do Planejamento e Gestão está bem avançado em torno dos aspectos administrativos. Há um grupo técnico da Secult com a Seplag desenvolvendo uma agenda de trabalho intensa”, informou, dando uma luz sobre o certame:

“A comissão do concurso estará sendo instituída na próxima semana e já estamos em reuniões com a Comissão Executiva de Vestibular da Uece na construção do edital e das provas”.

O certame, bom lembrar, foi prometido ano passado e, em janeiro último, confirmado pelo governador Camilo Santana. Serão 132 vagas que, pelo andar da carruagem, ainda terão que ser criadas por mensagem a ser aprovada pelo legislativo estadual.

Os artistas reiteram que continuam torcendo para que a burocracia seja logo superada.

Cadê o tão badalado concurso da Secult?

Da Coluna do Eliomar de Lima, do O POVO desta sexta-feira:

Artistas cearenses querem saber: em qual gaveta ficou guardado o tão prometido edital do concurso “histórico” da Secretaria da Cultura do Estado? O certame, várias vezes anunciado pelo secretário Fabiano Piúba, ano passado, ganhou notoriedade quando, no dia 16 de janeiro, num bate-papo com internautas, via Facebook, o governador Camilo Santana (PT) assegurou que essa boa-nova para o segmento viria em breve.

Bem, já estamos em março e, até agora, nada. O concurso promete 132 vagas para profissionais formados em Arquitetura, Biblioteconomia, Museologia, História, Letras, Música, Audiovisual, Artes Cênicas, Mídias Digitais, Pedagogia, Direito, Economia, Administração, Contabilidade, Engenharia, dentre outras.

Uma consultoria foi contratada e a Secretaria do Planejamento e Gestão do Estado assumiu as rédeas, mas, pelo visto, cultura, como sempre, acaba relegada a segundo plano.

A torcida é para que a burocracia seja logo superada e saia do ritmo de ópera.

Cariri Encantado é tema do Terreirada Cearense, no Rio

Com muito forró de raiz, cocos, peças de reisado e cantoria, o bloco Terreirada Cearense, inspirado na cultura popular da região do Cariri, no Ceará, fez sua concentração neste sábado (10) na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, bairro imperial do Rio de Janeiro. O coordenador do bloco, Geraldo Jr., o Junu, e seus parceiros desenvolveram um espetáculo musical com canções autorais e grandes clássicos da música popular brasileira, para refletir a beleza e a diversidade do Cariri.

No ano passado, o bloco se inspirou nas figuras e guerreiros do reisado para compor as fantasias. Este ano, o tema escolhido foi o Cariri Encantado e os seres fantásticos criados em escultura de madeira, principalmente, pelos artesãos do Cariri. “São seres metade humano, metade bicho, jacarés de três cabeças, etc”, disse Juno à Agência Brasil. As fantasias são feitas de forma coletiva.

O Terreirada Cearense, que tem 150 componentes, costuma arrastar 10 mil pessoas. Mas em vez de um cortejo, o bloco promove uma espécie de ciranda, inspirada na cultura popular, onde a banda fica atrás tocando. “É como se fosse um grande reisado se apresentando. A gente toca as músicas, canta e as personagens entram”.

(Agência Brasil)

Política cultural: uma força transformadora

Em artigo no O POVO deste sábado (20), a presidente do Instituto Ecoa, Luísa Cela, aponta que “a cultura é um elemento indispensável para superar o atual estágio de esgarçamento social que as cidades vivenciam”. Confira:

Há 20 anos, a gestão da Cultura em Sobral ganhou novos contornos com a criação da Secretaria Municipal da Cultura e Mobilização Social em decorrência de um entendimento de que a política cultural é um investimento e não um gasto para os cofres públicos. Foram criadas a Escola de Música e o Salão Sobral de Artes Visuais, de âmbito internacional, que trouxe o Museu Madi, e foi tombado o Sítio Histórico e Cultural da cidade que virou Patrimônio Nacional pelo Iphan.

Para construir a Sobral de hoje, a Política Cultural cumpriu papel relevante. O sobralense passou a contar com uma importante ferramenta para encarar os desafios do século XXI que estão intimamente relacionados à convivialidade. Ou seja, nossa capacidade de convivência em um modelo de urbanização excludente, competitivo, arrisco dizer, anti-humano.

Afirmamos a cultura como um elemento indispensável para a superar o atual estágio de esgarçamento social que as cidades vivenciam. Adotamos como premissa básica a noção de que a cidade é um espaço de encontro e de produção das diferenças, sendo necessário reconhecer a diversidade e os conflitos da urbanização social.

Neste contexto nasce a Escola de Comunicação, Cultura, Ofícios e Artes – Ecoa, que encampou essa missão de intensificar o movimento pela construção de uma cultura cidadã, o aprofundamento dos territórios como locus dos saberes e fazeres artísticos, o fortalecimento da economia da cultura e da ampliação do diálogo intercultural. Com inspiração nas formulações em torno da cidadania cultural, afirmamos a cultura como um direito humano fundamental.

Em diálogo com a agora Secretaria de Cultura, Juventude, Esporte e Lazer (Seciel) de Sobral, um plano de ação foi estruturado em três eixos: Programas de Ação Cultural; Programas de Criação e Formação Artística; Programas de Patrimônio, Memória e Museus. Como objetivos estratégicos visamos o estímulo e o fortalecimento de práticas de cultura cidadã, tendo a descentralização como diretriz da efervescência cultural.

Ocupar os espaços públicos, apostar na importância da democratização da produção simbólica e entender que cultura tem a ver com quem somos e o modo que vivemos serão a aposta de Sobral para alcançar mudanças desejadas pela cidade e pelos sobralenses.

Secretário da Cultura comemora fim do parto na Secult: o concurso que era tão aguardado

Com o título “O fortalecimento institucional da Secult”, eis artigo de Fabiano Piúba, o titular da Secretaria da Cultura do Ceará. Ele comemora o concurso público lançado pelo Governo para a pasta. Aliás, quase virava um parto de tão demorado. Confira:

O governador Camilo Santana anunciou a realização do Concurso Público para a Secult. Em 51 anos de existência será o primeiro a ser realizado para o órgão. Esta decisão consiste no fortalecimento institucional da Secretaria composto pelo Concurso Público, o Plano de Cargos e Carreiras (uma luta histórica dos servidores) e a reestruturação da pasta. Não se trata apenas da realização de um concurso, mas de uma política de institucionalização da política cultural que passa, pelo fortalecimento estrutural e do quadro de efetivos da Secult.

Essa conquista só foi possível pela determinação política do governador Camilo Santana que inseriu a cultura na agenda social de seu Governo. Trata-se de um compromisso político de campanha, mas também institucional contemplado na Meta 2 da Lei do Plano Estadual de Cultura sancionada em 2016.

A proposta do concurso é antiga e sabemos que os gestores que passaram pela Secult se dedicaram em sua realização. Quando aqui chegamos, encontramos o processo aberto pelo professor Pinheiro com continuidade na gestão de Paulo Mamede, cuja proposta implicava em 81 cargos distribuídos entre: historiador, bibliotecário, museólogo, contador, técnicos em assuntos culturais, além de assistentes de administração com nível médio. Esta proposta evoluiu em 2015 com Guilherme Sampaio, onde buscamos referências de concursos recentes. Para além dos cargos, inserimos Letras, Arquivologia, Conservação e Restauro e as áreas de Artes Cênicas (Teatro e Dança), Artes Visuais, Audiovisual e Música, mais 38 articuladores culturais de nível médio, contabilizando 70 cargos.

Em 2016 revisamos a proposta e ampliamos para 132 cargos, todos de nível superior. Além das áreas anteriores, inserimos Arquitetura, Sociologia, Antropologia, Pedagogia, Mídias Digitais, Administração, Direito, Economia, Estatística, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica e Políticas Públicas e Gestão Governamental.

Esta atitude do Governo é uma conquista da classe artística, do setor cultural e da sociedade cearense. Com este concurso teremos artistas gerindo a Secult, somados aos profissionais das áreas de Humanidades e Exatas que qualificarão o pensamento, o sentimento, a gestão e a execução de uma política de cultura de Estado.

*Fabiano Piúba

fabianopiuba@gmail.com

Secretário da Cultura do Estado do Ceará.

Governador anuncia concurso público para a Secretaria da Cultura

O governador Camilo Santana (PT) anunciou nesta terça-feira (16), durante bate-papo com a população em sua página no Facebook, o primeiro concurso público do Estado para 2018. Após 52 anos de existência, a Secretaria da Cultura abrirá seleção para profissionais de nível superior em diversas áreas de atuação.

Segundo informou Camilo, serão 132 vagas. O processo para abertura do edital está em tramitação na Secretaria do Planejamento e Gestão (Seplag) e o certame está previsto ainda para este primeiro semestre.

As oportunidades de emprego no serviço público serão abertas para profissionais formados em Arquitetura, Biblioteconomia, Museologia, História, Letras, Música, Audiovisual, Artes Cênicas, Mídias Digitais, Pedagogia, Direito, Economia, Administração, Contabilidade, Engenharia, dentre outras.

(Foto – Divulgação)

Unifor abre campus para atividades culturais e esportivas neste fim de semana

A Universidade de Fortaleza (Unifor) estará com campus aberto ao público, neste final de semana, para visitação. Além da gratuidade da área verde e do complexo esportivo, os visitantes também poderão apreciar a exposição “Uma constelação para Sérvulo Esmeraldo”, no Espaço Cultural.

O Café das Artes, no térreo da Reitoria, na entrada do Espaço Cultural, também estará aberto ao público, diante do pagamento do consumo. Já a peça infantil “Os Mosqueteiros”, no Teatro Celina Queiroz, possui entrada a R$ 20, com meia a R$ 10.

J. Lindemberg retratava assuntos regionais do Cariri, diz Audic Mota em homenagem a jornalista

201 1

Para o deputado estadual Audic Mota (PMDB), o jornalista e escritor João Lindemberg de Aquino retratava assuntos regionais do Cariri, preservando assim a memória e cultura do local. A observação do parlamentar é uma homenagem ao falecimento do jornalista, aos 84 anos, esta semana, que sofria princípio de Alzheimer.

“De luto está a imprensa do Cariri e do Ceará. Renomado intelectual, J. Lindemberg nos deixa expressivo legado como homem de comunicação e pesquisador da memória e dos assuntos regionais”, afirmou Audic Mota, em nota de pesar.

O livro “Roteiro Biográfico das Ruas do Crato”, de autoria do jornalista, se tornou importante fonte de pesquisas e estudos da região.

Réveillon de Fortaleza – Cortejo de Maracatus integra a programação

Um cortejo de maracatus será realizado a partir das 17 horas deste sábado, na Praia de Iracema, informa a Secretaria de Cultural de Fortaleza.

Vai reunir o Maracatu Solar, Vozes da África, Az de Ouro, Rei Zumbi, Nação Pici, Nação Palmares e Nação Baobab, que desfilarão pelo calçadão no trecho que vai do Estoril até o Centro Cultural Belchior.

Segundo a Secultfor, o objetivo é se despedir de 2017 e dar boas-vindas a 2018. O cortejo terminará com a coroação das rainhas.

(Foto- Matheus Dantas)