Blog do Eliomar

Categorias para Cultura

Centro Cultural do Banco do Nordeste abrirá o guarda-roupa de Frida Khlo

O Literatura em Revista, programa de apreciação literária do Centro Cultural Banco do Nordeste, receberá, no próximo dia 9, a jornalista Izabel Gurgel para compartilhar sua experiência com o livro “El Ropero de Frida”, que aborda o guarda-roupa da pintora mexicana Frida Kahlo. O encontro, segundo a assessoria de imprensa do CCBNB, será mediado pelo poeta, contador de histórias, editor e produtor cultural, Talles Azigon.

Izabel cita que, por meio de fotografias e edições textuais, é possível perceber a edição contínua que Frida fazia do que lhe caia nas mãos. “Isso vale para o guarda-roupa que construiu para si, vale para as pinturas votivas que colecionou e cuja ideia básica de composição reelaborou em suas pinturas”, explica.

O gerente do CCBNB, Maurício de Lima comenta que “Frida Kahlo, apesar de ter morrido há mais de 60 anos, continua atualíssima, talvez até por ter sempre sido uma pessoa além do seu tempo, uma espécie de fonte inesgotável de inspiração às sucessivas gerações”. Ele ressalta que a jornalista Izabel Gurgel, ao abrir o guarda-roupa de Frida, certamente apresentará temas que nunca sairão de moda.

El Ropero de Frida

A obra, ainda sem edição no Brasil, mostra por palavras e imagens objetos e roupas escondidas por mais de 50 anos, que só depois foram reveladas ao mundo. O livro tem coordenação editorial de Denise e Magdalena Rosenzweig e foi publicado por uma editora mexicana em 2007. Em sua primeira edição vendeu 5 mil exemplares.

SERVIÇO

*Centro Cultural do Banco do Nordeste (rua Conde d’Eu, 560 – Centro)

*Mais informações: (85) 3464 3108.

Caucaia receberá o pianista Arthur Moreira Lima

A cidade de Caucaia (Região Metropolitana de Fortaleza), vai receber na próxima semana dois grandes nomes do cenário esportivo e musical brasileiro. Na segunda-feira, o detentor do título de “maior acervo de livros esportivos do mundo”, José Renato Sátiro. No dia seguinte, o pianista Arthur Moreira Lima.

José Renato Sátiro é cearense radicado em São Paulo e um intelectual da gestão de projetos e pessoas. A paixão que tem por esportes, notadamente pelo futebol, já foi reconhecida pelo Guiness Book, o Livro dos Recordes. Por isso, ele fará em Caucaia uma série de palestras com desportistas e professores de educação física durante cinco dias. Deixa o Ceará só no próximo dia 11.

Na terça-feira, um dia após a chegada de José Renato, a cidade oferecerá a moradores e visitantes uma apresentação do pianista carioca Arthur Moreira Lima, promovida pela Secretaria Municipal de Turismo e Cultura. Ele fará recital na Praça da Matriz com músicas da turnê “Um piano pela estrada”, cujo objetivo é popularizar o piano numa mistura de clássicos internacionais e brasileiros. A entrada é gratuita.

Será a segunda vez de Moreira Lima em Caucaia. A primeira foi em 2010. A abertura do show do pianista na terça-feira ficará por conta de crianças de uma Organização Não Governamental e Jacaré do Repente. As apresentações terão início ás 19h30min.

(Foto – Divulgação)

Aos mestres da FCM/Unicamp com carinho

272 1

Movida pelo sentimento de gratidão pela formação recebida, a estudante de graduação Fernanda Cassain Ivo – da 49ª Turma de Medicina, presenteou a Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp, nesta semana, com dois quadros pintados por membros de sua família. “A inspiração para a doação veio do incentivo que a faculdade sempre dá às atividades artísticas”, disse Fernanda.

As obras foram recebidas pelo diretor da FCM, Ivan Felizardo Contrera Toro. A tela “Beira Mar de Fortaleza” (óleo sobre tela, 60×80), elaborada pelo pai de Fernanda, Enrique José Cassain, reflete os contrastes entre o urbano e a natureza, e o cotidiano das praias de Fortaleza, no Ceará.

Por sua vez, a obra “Itaipu e o verão” (óleo sobre tela, 50×40, 2014), pintada por Francisco Correia Ivo, tio de Fernanda, faz um recorte da praia de Itaipú, localizada na cidade de Niterói, no Rio de Janeiro. A tela, que agora tem como endereço fixo na Ciências Médicas da Unicamp, já foi exposta na Secretaria de Estado da Cultura de Maceió, e no Espaço Cultural Correios, em Fortaleza.

(Foto – FCM)

Turismo e Cultura – Fortaleza conhece investimentos em grandes eventos do Recife e Salvador

Representantes da Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria de Turismo (Setfor), Secretaria de Cultura (Secultfor), Secretaria de Governo (Segov) e da Coordenação de Publicidade e Marketing, foram recebidos nessa terça-feira (25) pela secretária de Turismo, Esporte e Lazer de Recife, Ana Paula Vilaça, para conhecer experiências da Prefeitura de Recife na captação de recursos e patrocínios para grandes eventos. Ainda nesta semana, a comitiva seguirá para Salvador.

“O ponto alto da reunião é a troca de informações sobre grandes eventos. Trocamos experiências e convidamos os colegas de Recife para conhecer os projetos exitosos do prefeito Roberto Cláudio”, comentou o secretário executivo do Turismo de Fortaleza, Erick Vasconcelos, que esteve acompanhado de Paola Braga (Secultfor), Liana Borges (Segov) e João Uchoa (Publicidade e Marketing).

(Foto – Divulgação)

Casa do Menino Jesus ganha uma biblioteca

A Casa do Menino Jesus vai inaugurar nesta quarta-feira, às 10h30min, sua biblioteca. O projeto é resultado de uma ação do Shopping Benfica, que arrecadou mais de dois mil livros para o acervo da Casa.

A arrecadação foi junto à clientela do shopping, por meio do projeto “Loja100Livros”. A biblioteca já receberá cerca de dois  mil exemplares.

(Foto – Divulgação)

Grupo Tapioca Amiga fará encontro nesta quarta-feira

Nesta quarta-feira, às 16 horas, haverá mais um encontro da turma do Tapioca Amiga. Trata-se de um grupo de intelectuais, empresários, políticos e profissionais liberais que, uma vez por mês, se encontram no apartamento do professor e poeta Juarez Leitão.

Esse grupo discute questões locais e nacionais e congrega até mesmo dirigentes de entidades da sociedade civil como o presidente da Academia Cearense de Letras, Ubiratan Aguiar, e Lúcio Alcântara, que preside o Instituto do Ceará.

Na lista dos que participam desse encontro, estão os escritores Dimas Macedo, Batista Lima e César Barreto; ex-parlamentares como Iranildo Pereira, Antônio dos Santos, Manuel Veras, Antônio Cambraia e Gonzaga Mota; empresários como Carlos Castelo, João Soares e Ednilo Soárez (estes dois imortal da ACL).

Tudo pronto para a Maloca do Dragão

 Centro Dragão do Mar comemora 18 anos.

Neste ano, serão 24 espaços do Centro Dragão do Mar e Praia de Iracema, recebendo atrações em diversas linguagens artísticas, de 25 a 30 de abril. Festival comemora o aniversário do centro cultural, que, em 2017, conquista 18 anos de história como lugar referência da difusão, formação e criação artística do Ceará

Tudo pronto para a Maloca Dragão, uma programação cultural das mais diversificadas que vai celebrar os 18 anos do Centro Dragão do Mar. Além de marcar os anos de história de um dos maiores centros culturais do País – são 1,8 milhão de visitantes ao ano –, o festival, que começa nesta terça-feira, chega à quarta edição com mais de 130 atrações cearenses, nacionais e internacionais em uma semana de celebração e reafirmação da força cultural e artística do Ceará.

Neste ano, a Maloca Dragão, que começa nesta terça-feira e vai até o dia 30, ocupará 24 espaços do Centro Dragão do Mar e Praia de Iracema. Entre as mais de 130 atrações, há shows musicais, espetáculos de teatro, dança e circo, apresentações da cultura popular e literatura, intervenções e performances de arte urbana, feiras de moda, design e gastronomia.

Cinema

A diversidade de linguagens artísticas da Maloca Dragão 2017 vai ainda além com a Mostra Cinema Documental: Fronteiras e Verdades, no Cinema do Dragão, de 26 a 29 de abril; e a exposição fotográfica O fotógrafo Chico Albuquerque, 100 anos, que abre o festival, no dia 25, às 19 horas, no Museu de Arte Contemporânea do Ceará (MAC-CE). A programação de artes cênicas se inicia no dia 27 de abril e as demais atrações concentram-se nos dias 28, 29 e 30 do mesmo mês.

(Foto – Divulgação)

Debate sobre Revolução Russa é atração nesta sexta-feira na Bienal do Livro

O acelerado progresso social e as transformações políticas provocados pela Revolução Russa serão debatidos na noite desta sexta-feira (21), a partir das 19h, na Sala Francisca Clotilde – Mezanino II, no Centro de Eventos do Ceará, na XII Bienal Internacional do Livro, durante o lançamento da obra “100 anos da Revolução Russa”.

Os debatedores serão os co-autores do livro, Ana Maria Prestes e Augusto Buonicore.

Uma homenagem à memória de Audifax Rios

197 1

Nesta quinta-feira, às 19 horas, a Câmara Municipal concederá a Medalha Boticário Ferreira, maior comenda dessa casa legislativa, ao artista plástico e escritor Audifax Rios, in memoriam. A solenidade acontecerá no plenário da Câmara e é uma iniciativa do vereador Dr. Portinho (PRTB).

Artista com rara habilidade, Audifax traduziu a beleza humana e a vida na palavra e no desenho, fazendo valer a sensibilidade única em favor de nós, seus admiradores, em mais de 50 anos de consagrada criação, sobressaindo-se originalidade de estética e temática. A vasta obra compreende as artes gráficas, a literatura, a pesquisa e a difusão da rica cultura cearense.

Bienal do Ceará lança livro da jornalista Ana Márcia Diógenes

A jornalista Ana Márcia Diógenes, ex-representante do Unicef para o Ceará, Piauí e Rio Grande do Norte, lança na quarta-feira (21), na Bienal Internacional do Livro do Ceará, no Centro de Eventos, a obra “de esfulepante a felicitante: uma questão de gentileza”, que integra o projeto Eu sou Cidadão, uma realização da Associação para o Desenvolvimento dos Municípios do Estado do Ceará (APDMCE), em parceria com a Fundação Demócrito Rocha.

Bienal do Livro do Ceará homenageia mestres da cultura popular

Cordelistas, repentistas e outros mestres da cultura saíram em cortejo pelos estandes da 12ª Bienal Internacional do Livro do Ceará, no Centro de Eventos, em Fortaleza, apresentando carisma e sagacidade em versos. O pandeiro, o chocalho, o tambor, a viola caipira e a rabeca davam pano de fundo para a apresentação deles, que atraia pessoas ao longo do percurso.

“Cada pessoa é um livro/Merece reflexão/O mundo, a biblioteca/Com enorme dimensão/É oportuna essa frase/Porque serve como base/E tema desta edição”, canta o cordel escrito pelo violeiro e poeta cearense Geraldo Amâncio especialmente para o evento. A publicação foi distribuída entre os visitantes da feira.

O escritor Lira Neto, contou que, quando foi chamado para fazer a curadoria do evento, pensou em valorizar, na programação, “os acervos vivos, o saber coletivo”. “Nesta bienal, nós estamos colocando a dita cultura dos livros em pé de igualdade com as oralidades, com a cultura popular”, destacou.

Esta edição da Bienal reúne expositores de todo o Brasil e deve atrair cerca de 50 mil pessoas por dia. A programação se estende até o dia 23 de abril.

(Agência Brasil)

CAIXA Cultural – Exposição Fortaleza Antiga tem entrada gratuita neste sábado e domingo

Segue até este domingo (16), na CAIXA Cultural Fortaleza, na Praia de Iracema, a exposição Arquivo Nirez, que reúne peças raras do acervo de Miguel Ângelo de Azevedo, mais conhecido como Nirez.

São artigos de seu museu particular, que há mais de 50 anos é mantido e disponibilizado ao público na residência do colecionador. Algumas das peças são expostas pela primeira vez fora da casa dele.

Com a curadoria de Nirez e Weaver Lima, a exposição conta com fotografias de Fortaleza antiga, discos de cera e de vinil, livros, revistas, equipamentos de imagem e som. São mais de 300 itens, selecionados dentre mais de 140 mil peças que compõem o acervo do museu. As fotografias expostas retratam Fortaleza dos primeiros anos do Século XX, numa seleção dentre as mais de 30 mil imagens presentes no museu de Nirez.

Escolas, universidades, instituições e pessoas interessadas ainda podem agendar visitas guiadas à exposição. O agendamento deve ser feito com a equipe da bilheteria da CAIXA Cultural Fortaleza.

SERVIÇO

Exposição: Arquivo Nirez

Local: CAIXA Cultural Fortaleza

Endereço: Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema

Horários: Sábado (15), das 10h às 20h | Domingo (16), das 12h às 19h

Classificação indicativa: Livre

Entrada Gratuita

(CAIXA Cultural Fortaleza)

XII Bienal Internacional do Livro do Ceará terá eventos da Unilab

A XII Bienal Internacional do Livro do Ceará, promoção da Secretaria da Cultura do Estado, em parceria com o Instituto Dragão do Mar e o Ministério da Cultura, acontecerá de 14 a 23 deste mês, no Centro de Eventos. A Unilab estará presente neste que é o maior evento do livro e da literatura do Estado, por meio do Encontro Oralidades & Escritas em Língua Portuguesa.

O Encontro Oralidades & Escritas em Língua Portuguesa será realizado entre os dias 19 e 21, a partir de dois importantes momentos. O primeiro acontecerá no Campus da Liberdade, em Redenção 9rMF), na programação “Bienal fora da Bienal”. Já o segundo se dará no próprio Centro de Eventos, onde a Unilab terá um estande voltado para lançamento de livros, encontros e debates.

Os eventos da Unilab vão reunir escritores, pesquisadores, professores e especialistas em torno, entre outros temas, da literatura africana contemporânea, dentro do objetivo de possibilitar uma maior aproximação com essa produção literária e toda sua cultura.

Tota comemora 30 anos de Arte Viva

O artista plástico Tota vai comemorar, nesta quarta-feira, às 20 horas, seus 30 anos de arte. Na mesma ocasião, ele festejará os 28 anos de sua Galeria Paleta, que fica na Praia de Iracema.

Os brindes será na própria Paleta que, por sinal, virou o point de quem busca trabalhos de qualidade inspirados neste Ceará de tantas cores e belezas.

(Foto – Divulgação)

MinC e Secult darão coletiva sobre a XII Bienal Internacional do Livro do Ceará

O Ministério da Cultura e a Secretaria da Cultura do Estado, em parceria com o Instituto Dragão do Mar, vão divulgar, em entrevista coletiva marcada para as 9 horas desta quarta-feira, no Centro Dragão do Mar, tudo sobre a XII Bienal Internacional do Livro do Ceará

Na ocasião, o secretário da Cultura, Fabiano Piúba, a coordenadora geral do evento, Mileide Flores, e outros parceiros e convidados apresentarão o conceito e a programação da Bienal que acontecerá de 14 a 23 de abril, no Centro de Eventos.

(Foto – Divulgação)

Casa de José de Alencar vai inaugurar Biblioteca Comunitária O Guarani

A Casa de José de Alencar (CJA) vai inaugurar, nesta quinta-feira (6), às 9h30min, a Biblioteca Comunitária O Guarani. No ato, haverá homenagem à professora Lena Lúcia Espíndola Rodrigues Figueirêdo, patrona do equipamento.

O diretor da CJA, Fred Pontes, informa que o novo espaço visa, principalmente, possibilitar às crianças e aos jovens residentes nas comunidades do entorno da Casa, o acesso à literatura e ao mundo da leitura, através dos acervos que compõem a biblioteca e às atividades realizadas no equipamento.

Fred Pontes acrescenta que o acervo da Biblioteca Comunitária é constituído, especialmente, por obras da literatura infanto-juvenil que foram doadas em campanhas realizadas pela CJA em parceria com outras instituições, como o Sindicato dos Trabalhadores das Universidades Federais do Ceará (Sintufce) e Sindicato dos Docentes das Universidades Federais do Ceará (Adufc-Sindicato).

Funcionamento

A Biblioteca O Guarani estará aberta ao público durante toda a semana, das 8 às 12 horas e das 13 às 17 horas. Nas terças-feiras, acontecerá a atividade do projeto de contação de histórias adaptadas das obras de José de Alencar.

SERVIÇO

*Para participar do projeto, as escolas e demais instituições interessadas deverão programar agendamento com antecedência, através do email casajosedealencar@ufc.br.

*Casa José de Alencar – Avenida Washington Soares, 6055, Messejana.

TJA tem chamada pública de ocupação artística

O Theatro José de Alencar lançou uma Chamada de Ocupação Artística para o exercício 2017. O objetivo é selecionar grupos e artistas cearenses para comporem a programação dos mais variados espaços do TJA, de junho a dezembro deste ano. Os agentes culturais podem fazer a inscrição online e gratuita pelo site http://tja.redelivre.org.br/, até o dia 11 de abril. São 16 espaços disponíveis e muitas possibilidades de desenvolvimento de trabalhos artísticos no tradicional e representativo teatro do Ceará, um espaço de referência nacional.

A partir da chamada, o Theatro José de Alencar receberá propostas de diversas linguagens artísticas e culturais, incluindo teatro, música, dança, circo, audiovisual, artes visuais, artes digitais, literatura, moda, gastronomia, entre outras, para ocupar os diversos espaços: palco principal, foyer, pátio, calçada e os espaços do Anexo do TJA: Teatro Morro do Ouro, Galeria Ramos Cotoco, Praça Mestre Pedro Boca Rica e as salas de Dança, Teatro, Canto, Música e Multiuso. Também haverá espaço para propostas de formação artística e pensamento.

Segundo a diretora do Theatro José de Alencar, Selma Santiago, o objetivo é promover cada vez mais a participação de artistas cearenses na programação do TJA, destacando a produção local.

SERVIÇO

*Para efeito de inscrição, todos os proponentes deverão estar cadastrados no Mapa Cultural do Ceará, através do www.mapa.cultura.ce.gov.br, mesma plataforma que tem sido utilizada para outras chamadas públicas e editais da Secult.

Biblioteca do TRT-2 abre inscrições para doar dois mil livros a entidades

Até esta quinta-feira (30/3), instituições públicas ou privadas podem se candidatar para receber obras da Biblioteca Pública Dr. Nebrídio Negreiros, sediada no Tribunal Regional do Trabalho, da 2ª Região (SP). Serão doados cerca de 2 mil livros sobre diversos ramos do Direito (clique aqui para ler a relação completa).

Interessados devem enviar e-mail para acervo@trtsp.jus.br e informar nome da instituição, CNPJ, endereço e telefone. Na mensagem, o campo assunto deve ser preenchido com o termo “Doação de livros”, e, no corpo da mensagem, o número do(s) item(ns), a descrição da obra (autor, título, edição, editora e ano) e o número de exemplares. Segundo o TRT-2, o critério será a ordem de chegada dos pedidos.

(Com informações da Assessoria de Imprensa do TRT-2)

Museu da Fotografia vai entrar na lista do Patrimônio Turístico de Fortaleza

O Museu de Fotografia de Fortaleza, projeto do empresário Sílvio Frota, vai entrar na lista do Patrimônio Turístico da Capital. A oficialização ocorrerá mês que vem, informa o secretário municipal do Turismo, Alexandre Pereira.

Quem já visitou, fala mil maravilhas de um acervo que era particular e que, agora, está à disposição do público.

  • Sobre o Museu da Fotografia, saiba mais aqui.

 

Artigo comemora 130 anos do livro que eternizou Sherlock Holmes

Com o título “Nem tão elementar assim, meu caro”, eis artigo que Mantovanni Colares, juiz estadual e professor universitário, manda para o Blog. Ele fala de Sherlock Holmes e da sua admiração por esse personagem que, mesmo sem existir, fez surgir um museu com sua história. Confira:

Há exatos 130 anos chegava às livrarias do Reino Unido o romance “A Study in Scarlet”; eu o traduziria como “Estudando em Escarlate”, para manter o jogo fonético do sibilar dos “ss” do início das duas palavras no inglês, mas preferiram o sem graça “Um Estudo em Vermelho”. Era um pequeno e despretensioso livro do desconhecido médico jovem escocês que, – soube-se mais tarde –, na falta de clientela em seu consultório, utilizava seu tempo livre a escrever coisas. Arthur Conan Doyle era seu nome, e talvez muitos não se dêem conta, só com essa indicação, do gigantismo da personagem por ele criada, ao ponto de levar alguns a crer que a ficção chegou, de fato, a existir.

Sherlock Holmes. Agora todos compreendem do que se trata. Desconheço uma personagem literária que, mesmo sem jamais ter existido, fez surgir um museu com sua “história” e objetos pessoais. Sim, objetos pessoais de um “ser” que nunca foi de fato alguém, pois ali estão a famosa lupa, o cachimbo tipo calabash e o chapéu de caçador (deerstalker cap), na figura imaginada por Sidney Paget, o artista que ilustrou algumas das histórias de Conan Doyle. O museu, em Londres, fica exatamente na Baker Street, 221B, endereço no qual a própria Scotland Yard, nos romances e contos sherlockianos, por vezes se socorria ante uma envergonhada incapacidade de dissolver mistérios.

Certamente um rapaz de vinte e seis anos, ao criar aquele que inicialmente ira ser chamado de Sherringford Holmes, mas logo batizado definitivamente como Sherlock – inspirado em seu velho e astuto professor Joe Bell –, jamais imaginou que um dia não somente se tornaria escritor de tempo integral (full-time writer), como prisioneiro da própria personagem, chegando mesmo a decretar a morte de sua criação, pois pretendia escrever outras histórias que não as daquele Detetive, e o fez em memorável cena de luta corporal de Holmes com James Moriarty, seu inimigo maior, nas convulsivamente perigosas Cataratas de Reichenbach, na Suiça. Entretanto, Doyle se viu forçado a trazê-lo de volta à vida e aos livros, diante de um pedido de “ressurreição” impossível de ser negado, eis que feito nada menos do que pela Rainha da Inglaterra.

O que explica o sucesso de Sherlock? Conan Doyle afirmou que estava cansado de ler romances policiais nos quais o autor escondia dados, e assim trapaceava com o leitor, ao revelar na última página o assassino, com elementos jamais fornecidos nas páginas anteriores. Assim, o Escritor se propôs a nada esconder quando da narrativa da história, de modo que todos poderiam chegar às mesmas conclusões firmadas por Holmes ao desvendar o mistério.

Certamente a esse detalhe não se resume o sucesso da obra. Penso que nossa admiração se sobrepõe à vergonha por nunca percebermos o óbvio. Todos nos sentimos como John Hamish Watson, o médico narrador das histórias, aparentemente desprovido de inteligência, e que servia de ponte para o brilho de Holmes. Watson, o único capaz de se aproximar do excêntrico Detetive Particular criador da chamada Ciência da Dedução (Science of Deduction), com suas marcas pessoais tidas por muito como detestáveis: arrogante, solitário, exímio tocador de violino, hábil boxeador, e que se entregava ao hábito de consumir cocaína – legalmente permitida à época – durante os angustiantes hiatos de tempo nos quais desgraçadamente não havia qualquer desafio a enfrentar, até que surgia um caso, e Holmes despertava para a vida, restando ao previsível John aguardar o fecho do mistério com o arremate humilhante, um “elementar meu caro Watson”, jocosa interjeição a mostrar quão simples eram os aparentemente intrincados enigmas.

Acontece que em nenhum dos quatro romances ou dos cinquenta e seis contos dedicados ao detetive número um do romance policial, consta a expressão “elementar, meu caro Watson”. Sherlock Holmes se dirigia ao amigo com um protocolar “meu caro doutor” (my dear doctor), ora em tom de ironia, ora com distância de pensamento, quando se encontrava mergulhado em enigmas submetidos à sua invariável mente elucidadora de mistérios.

Somos todos Watson, indefesos ante o talento de Holmes, e perplexos – porém inexplicavelmente encantados – com sua personalidade desprovida de qualquer interesse pelo humano, e sim por escaninhos dos quebra-cabeças decorrentes de assassinatos e crimes diversos.

Holmes é o protótipo da inteligência impossível de ser alcançada. Watson é o retrato de nossa elogiável sensibilidade com os dramas humanos, porém de uma inútil capacidade para se chegar ao fundo da mente criminosa e, por isso mesmo, desalentadora. No fim das contas, Holmes tem um tributo de humanismo bem mais relevante do que o pretendido por Watson, pois é Sherlock quem livra a sociedade de criminosos. Na arte, como na vida, nem tudo é tão elementar assim, meu caro.

*Mantovanni Colares,

Juiz de Direito, Professor Universitário e escritor, e se descobriu um apaixonado pela literatura aos 17 anos, ao ler Arthur Conan Doyle.