Blog do Eliomar

Categorias para Cultura

Arquiteto e compositor Fausto Nilo dará palestra na UFC

O arquiteto e compositor cearense Fausto Nilo dará a palestra “1968: o que fizemos de nós” nesta terça-feira, a partir das 16 horas, no auditório da Biblioteca Central do Campus do Pici (BCCP), da Universidade Federal do Ceará. O evento dará continuidade ao projeto Livros, Prosa e Arte, iniciativa do Arte na Biblioteca, projeto da BCCP, em parceria com a Varanda de Ciência Poética (Cipó).

Fausto Nilo é natural de Quixeramobim (CE). Aos 11 anos veio para Fortaleza, onde se graduou em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Ceará, em 1970. Ainda no ambiente universitário iniciou suas atividades de letrista.

A partir de 1972 suas letras passaram a ser registradas fonograficamente, e hoje possui mais de 400 canções, parte delas interpretadas por grandes nomes da música brasileira, como Moraes Moreira, Dominguinhos, Ney Matogrosso, Fagner, Gal Costa, Maria Bethânia, Caetano Veloso, entre outros. Junto ao trabalho de compositor manteve sua atividade de arquiteto, com interesse em planos diretores de urbanismo e espaços de uso público, como escolas, praças e equipamentos culturais.

O evento marca a terceira edição do Livros, Prosa e Arte, que é uma das novidades do Arte na Biblioteca neste ano. A ação nasce como uma parceria entre a Varanda de Ciência Poética (Cipó), coordenada pelo Prof. Cavalcante Júnior, do Instituto de Cultura e Arte (ICA) da UFC, e o Arte na Biblioteca, projeto de produção e disseminação de ações artístico-culturais da Biblioteca Central do Campus do Pici.

SERVIÇO

*Não será necessária a inscrição prévia, mas a participação no evento está sujeita à lotação do local, que tem capacidade para 60 pessoas. Para os presentes, haverá emissão de certificado de participação.

Plataforma Ceará de Música chega ao seu final no próximo sábado

A Orquestra Infanto Juvenil da Fundação Raimundo Fagner e a banda Os Transacionais vão encerrar a programação da Plataforma Ceará de Música neste sábado, 26, no Centro Cultural Belchior, na Praia de Iracema.

Na programação, o público poderá conferir canções que vão do erudito ao popular, passeando também pelo melhor da música brasileira produzida nas décadas de 60 e 70. O projeto é uma realização do Centro Cultural Belchior e tem o apoio da Secultfor, Secult-CE e Enel.

SERVIÇO

*Os shows – A partir das 18 horas e são gratuitos.

(Foto – Divulgação)

TJA será sede do IV Fórum Cearense de Pontos de Cultura

Com o objetivo de debater as questões relativas à política cultural do Estado, a Secretaria de Cultura do Ceará e a Rede Cearense de Pontos de Cultura promoverão, de quinta a sábado, no Theatro José de Alencar, o IV Fórum Cearense de Pontos de Cultura. O encontro reunirá gestores e representantes de entidades que atuam com a temática no Estado.

A abertura do evento ocorrerá às 19 horas de quinta-feira, contando com a presença do secretário da Cultura do Estado, Fabiano Piúba, e de representantes da Rede/Comissão dos Pontos de Cultura e do Ministério da Cultura. Para a mesa de abertura “Cultura Viva: o Brasil de Baixo Para Cima”, a atividade terá como debatedores o historiador e idealizador do Programa Cultura Viva, Célio Turino, e o membro da Comissão Nacional dos Pontos de Cultura, Lula Dantas.

O segundo dia do fórum, sexta-feira, iniciará com a mesa II “Cultura Viva: diversidade, participação social e resistência democrática”, com as exposições do sociólogo, ex – Ministro da Cultura e atual presidente da Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte, Juca Ferreira, e da representante do Ponto de Cultura Coco de Umbigada de Pernambuco, Mãe Beth de Oxum. Na sequência, às 10 horas, ocorre a mesa III “Cenários e Perspectivas da Política Cultura Viva” com a participação do secretário Fabiano Piúba, e de representantes do MINC e da Rede Cearense de Pontos de Cultura.

O fórum contará, na sexta-feira, às 19h30min, com uma apresentação de suma importância para os agentes culturais do Estado, sobre o Projeto de Lei “Cultura Viva do Ceará”, a ser enviado para votação na Assembleia Legislativa do Estado. Além das mesas e das apresentações artísticas, serão realizados Grupos de Discussão para debater os temas que envolvem o Programa Cultura Viva como diversidade, comunicação, liberdade de expressão, fomento, produção e difusão cultural.

Lançamentos

Durante o Fórum serão lançados os livros: “Cultura Viva Comunitária: Políticas Culturais no Brasil e na América Latina”, do Gestor cultural, dramaturgo e escritor, Alexandre Santini; ”Direitos Humanos, Democracia e Reflexões sobre o Brasil Contemporâneo”, da ONG Fábrica de Imagens; e o livro ” Cultura a unir os Povos”, do historiador, Célio Turino.

SERVIÇO

*Os representantes das entidades que atuam como Ponto de Cultura devem realizar as inscrições através do email:producaoforum18@gmail.com ou dos telefones (85) 98815.5860 / 99647.6996. A participação no evento é gratuita.

Vila das Artes inscreve a criançada para oficina de teatro

A Escola Pública de Teatro da Vila das Artes está inscrevendo para a oficina “Jogo Teatral e Improviso no Palco”, com o facilitador Renato Rodrigues. Voltada ao público infantil, a inscrição pode ser realizada no link, até às 12 horas do dia 30 de maio. A informação é da assessoria de imprensa desse equipamento cultural da Prefeitura de Fortaleza.

Os interessados precisam ter entre 7 e 12 anos de idade e ter disponibilidade para participar do curso, que será dividido em duas turmas. A turma da tarde ocorrerá entre os dias 4 de junho e 4 de julho, nas segundas e quartas-feiras, das 14 às 16 horas. Enquanto a turma da manhã será do dia 5 de junho a 5 de julho, terças e quintas-feiras, das 9 às 11 horas.

A proposta da oficina é trabalhar o jogo teatral a partir da pedagogia proposta por Viola Spolin, além do improviso em caráter de vivência lúdica, relacionando proposições que surgirem nas aulas com os trabalhos realizados pelas crianças. Os participantes realizarão exercícios e experimentações que geram noções sobre a corporalidade, espacialidade e percepção cênico-interpretativa.

Facilitador da oficina

Renato Rodrigues é ator e diretor, com Licenciatura Plena em Teatro pelo Instituto de Cultura e Arte da Universidade Federal do Ceará (ICA-UFC).

Que tal um curso de pós-graduação em gestão cultural?

Vem aí o curso de pós-graduação Laboratório de Gestão Cultural, uma promoção da Secretaria da Cultura do Ceará, numa realização conjunta da Universidade Vale do Acaraú (UVA) Escola de Cultura, Comunicação, Ofícios e Artes (ECOA Sobral), Quitanda das Artes e Instituto BR, com o apoio institucional da Prefeitura de Sobral (Zona Norte). Oferecido de forma gratuita, o curso vai expor novas dinâmicas do campo da cultura, orientar quanto ao uso de ferramentas de gestão e aliar conhecimentos técnicos a uma formação humanística consistente. O processo seletivo será aberto nesta sexta-feira, com inscrições somente online no site www.laboratoriosculturais.com, até o dia 11 de junho próximo.

O Laboratório de Gestão Cultural ocorrerá na UVA, ao longo de 12 meses, com aula inaugural no dia 27 de julho e início das aulas regulares no dia 3 de agosto. Serão módulos mensais às sextas e sábados das 8 às 12 horas e das 13 às 17 horas, e aos domingos das 8 às 12 horas, totalizando uma carga horária de 460 horas/aula, das quais, 360 horas de aulas presenciais e 100 horas de Trabalho de Conclusão de Curso.

É voltado para a qualificação profissional de gestores culturais, conselheiros de cultura e técnicos atuantes na iniciativa pública, privada e em instituições sem fins lucrativos, visando potencializar o universo cultural e dar subsídios teóricos e práticos para entender a ação e a política cultural, resultando em práticas inovadoras que valorizam a diversidade, democratizam o acesso à cultura e ampliam a fruição cultural.

Serão disponibilizadas 50 vagas para o curso, sendo 35 vagas para ampla concorrência (abertas ao público) e as demais disponibilizadas para servidores e funcionários das instituições realizadoras.

Estrutura e conteúdo

Compõem o curso disciplinas obrigatórias, seminários, projeto orientado e trabalho de conclusão de curso. As disciplinas abordam as principais questões da área como: conceitos e perspectivas acerca da cultura, políticas culturais, ferramentas para a gestão criativa, direitos culturais, inovação em gestão cultural e estudos em torno de aspectos políticos, históricos e sociais do campo da gestão cultural. São 11 disciplinas, incluindo o Trabalho de Conclusão de Curso.

Além disso, compõem a formação complementar 24 h/a de Seminários de Práticas em Gestão Cultural, com a presença de especialistas, que abordarão as experiências práticas de gestão, além de painéis expositivos detalhando as práticas dos gestores participantes do curso. A estrutura do curso prevê o intercâmbio de experiências e conhecimentos entre participantes e docentes e traz discussões aprofundadas na área de gestão, exigindo um conhecimento prévio desse segmento por parte dos alunos.

SERVIÇO

*Processo seletivo para curso de pós-graduação Laboratório de Gestão Cultural – Exame de Classificação composto pela pré-seleção e seleção. Inscrições de 11 de maio a 11 de junho de 2018 através do site www.laboratoriosculturais.com.

A demorada reforma da Biblioteca Pública Menezes Pimentel

O tempo passa, o tempo voa e as obras de reforma da Biblioteca Pública Menezes Pimentel continuam se arrastando. Nem os poucos operários envolvidos no trabalho sabiam arriscar quando tudo acaba.

No local, perdura a placa informando que a obra é da responsabilidade do Departamento de Arquitetura e Engenharia (DAE) e da Secretaria da Cultura do Ceará.

Está orçada em R$ 2.009.166,08 e teria um prazo de conclusão de 90 dias. O serviço é executado pela Concreta Engenharia Ltda. A Secult informa que a reforma estrutural, iniciada em abril de 2015, foi concluída – mas ainda está em andamento a obra de integração da biblioteca com o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (CDMAC).

(Foto – Paulo  MOska)

Edifício em processo de tombamento é demolido no Centro de Fortaleza

Um antigo imóvel localizado no Centro de Fortaleza, em processo de tombamento, está sendo demolido. Vendido há cerca de um ano, o edifício passa por demolições em dias de pouco movimento. A Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (Secultfor) revela que não houve solicitação e intervenção no local e apura irregularidades. A partir do início do processo de tombamento, o imóvel passa a ser protegido.

O POVO Online visitou o terreno localizado na esquina das ruas 25 de Março e Franklin Távora, nesta quinta-feira, 3, e verificou a demolição. Restam apenas duas grandes paredes, uma delas quebradas para a entrada de um trator que fez a retirada do entulho. Faixas e vigas foram colocadas para impedir a entrada de populares.

A demolição começou entre março e abril, acontecendo sempre aos feriados, sábados e domingos pela manhã. Dias de pouca ou quase nenhuma movimentação no local. Pessoas que moram e trabalham nas proximidades afirmam que, há cerca de um ano, houve outra tentativa de demolição que não foi concluída devido a denúncias.

Conforme o corretor de imóveis Antônio Pinto, que trabalha do prédio vizinho, a antiga proprietária do prédio teria tentato iniciar o processo de tombamento. A família, no entanto, teria ido embora do País após vender o terreno. “Eles me cederam essa casa onde trabalho. Eu que cuido, porque se não tava abandonada também. Só cupim”.

Antônio Pinto afirma que o prédio já havia sido alugado para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Depois, há 20 anos, funcionou um restaurante local. Desde então estava abandonado.

O prédio teria sido vendido há cerca de um ano. Nenhuma obra teria sido feita no período pela dificuldade para de concluir a documentação. A reportagem identificou o comprador e tentou contatá-lo por telefone, mas as ligações não foram atendidas.

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Ceará (Crea-CE) esteve no local, mas “não identificou nome do engenheiro responsável e número da Anotação de Responsabilidade Técnica (ART)”. A assessoria de imprensa do Crea-CE informou que deve apurar o caso, mas não houve retorno até a publicação desta matéria.

Em nota, a Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (Secultfor) afirma que o prédio é objeto de processo de tombamento provisório, conforme solicitação feita por Maria Iraci Alves Coelho, nora do então proprietário. O processo se encontrae em andamento e, no momento, estão sendo realizados estudos técnicos sobre o bem.

“Também vale ressaltar que, até o presente momento, não foi protocolado na Secultfor nenhuma solicitação de autorização para reformas e intervenções no imóvel por parte dos seus responsáveis”, diz a nota.

Ainda segundo a assessoria de imprensa, a Secultfor recebeu denúncia de obras e atividades irregulares na edificação e enviou equipe técnica para vistoria, constatando e identificando as irregularidades.

“Em obediência à legislação, a Secultfor já encaminhou ofício à Agência de Fiscalização de Fortaleza, solicitando o acompanhamento do caso e a devida adoção das medidas cabíveis”, informou.

(O POVO Online / Repórter Rubens Rodrigues / Fotos: Reprodução Google e Fábio Lima)

Projeto Giro das Artes será encerrado com espetáculo de dança no Cineteatro São Luiz

A primeira edição do projeto Giro das Artes, iniciado no começo deste ano, trouxe ao Ceará artistas de três países com espetáculos e atividades formativas nos campos da música, do teatro e da dança. O grupo vai encerrar esse projeto com dança nesta sexta-feira (4), às 18 horas, no Cineteatro São Luiz.

O público poderá conferir dois solos criados por companhias francesas. Um deles é Black Belt, da companhia Kubilai Khan investigations, e a segunda é Tremor and More, do diretor Herman Diephuis em colaboração com o bailarino brasileiro Jorge Ferreira. A entrada é gratuita.

O Giro das Artes tem como realizadores a Quitanda das Artes, o Instituto BR Arte e o Cineteatro São Luiz, com patrocínio da Enel e apoio cultural do Instituto Francês, Fundação suíça para a cultura Pro Helvetia, Embaixada da França no Brasil e Rede de Festivais – MIT SP, MID e Viva Dança. O apoio institucional é da Secretaria da Cultura do Estado.

Nada de saudosa maloca: Políticas públicas para a comunidade do Poço da Draga

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO deste sábado:

O festival Maloca Dragão, que se encerrará amanhã no Dragão do Mar e em seu entorno – área da Praia de Iracema, merece elogios e ter continuidade. Além de reavivar o espírito cultural da cidade, promove o intercâmbio das pessoas de todas as bandas e pontos, com outro dado interessante: recupera um pouco o ambiente do Poço da Draga. O local ganha ocupação e afasta o estigma da violência, mas só nesse período, o que é uma pena.

Tudo bem que a Secretaria da Cultura do Estado e o Instituto Dragão do Mar, com apoio da Prefeitura, preparou uma valiosa seleção com mais de 150 atrações em diversas linguagens artísticas, da música ao cinema, das artes plásticas à literatura, mas a adesão da população tem sido fator fundamental para o sucesso do evento. Destaque para o principal show do dia de abertura, na última quinta-feira, com o baiano Gilberto Gil dividindo espaço com convidados da nova geração da MPB e tocando os grandes clássicos de sua carreira.

A estrutura oferecida pelo Festival também agradou, com diversos pontos para comercialização de alimentos e banheiros químicos distribuídos por toda a região do evento. Mas que venham investimentos em infraestrutura no local. O povo dali também merece.

(Foto – Matheus Dantas)

Centro Cultural Belchior terá shows gratuitos nos sábados de maio

O Centro Cultural Belchior reunirá grupos de música do Ceará de diversos estilos. Será nos sábados de maio (dias 5, 12, 19 e 26), a partir das 18 horas.

O projeto é uma realização do Centro Cultural Belchior, com o apoio da Secretaria Municipal de Cultura de Fortaleza (Secultfor), Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult-CE) e Enel Distribuição Ceará.

Entre as atrações, estão a bandas Os Alfazemas e a Orquestra da Fundação Raimundo Fagner, dentro de uma programação faz parte da Plataforma Ceará de Música, que busca incrementar o calendário de ações culturais de Fortaleza.

(Foto – Divulgação)

E por falar em economia criativa…

Com o título “Criatividade e negócios”, eis artigo do superintendente estadual do Sebrae, arquiteto Joaquim Cartaxo. Ele destaca a economia criativa como valor para a economia. Confira:

Estamos vivendo a era do conhecimento, onde o talento e a criatividade se configuram em ativos cada vez mais importantes no âmbito do mundo dos negócios. Uma nova economia vem se consolidando a partir de modelos de negócio ou gestão que se originam em atividades, produtos ou serviços desenvolvidos a partir do conhecimento, criatividade ou capital intelectual de indivíduos com vistas à geração de trabalho e renda.

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), todas estas atividades baseadas no conhecimento e produção de bens tangíveis, intelectuais e artísticos, com conteúdo criativo e valor econômico, integram a chamada “Economia Criativa”. Para a Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) estas indústrias criativas se dividem em quatro grandes grupos: patrimônio, artes, mídia e criações funcionais.

Diferentemente da economia tradicional, a economia criativa foca no potencial individual ou coletivo para produzir bens e serviços criativos. Esta nova economia gera cerca de US$ 8 trilhões por ano no mundo, representando de 8 a 10% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial. Em nosso País, a área criativa gerou uma riqueza de R$ 155,6 bilhões para a economia brasileira em 2015, segundo o Mapeamento da Indústria Criativa no Brasil, publicado pela Federação da Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) em dezembro de 2016.

Entretanto, produtores e empreendedores que atuam no mercado dos negócios criativos no Brasil ainda precisam desenvolver a sustentabilidade de seus empreendimentos, adquirir independência dos recursos do Estado, profissionalizar a gestão e buscar a longevidade de seus negócios.

Tão importante quanto o talento e a criatividade é a necessidade de se desenvolver competências para gerir o empreendimento de um modo que gere um fluxo de receitas constante e autônomo, visando a sustentação a médio e longo prazos. São estas competências que ajudarão os empreendedores a transformar a habilidade criativa natural em ativo econômico e recurso para o desenvolvimento de negócios duradouros.

*Joaquim Cartaxo

cartaxojoaquim@bol.com.br

Arquiteto urbanista e superintendente do Sebrae Ceará.

Maloucos, o Dragão e o elefante

231 1

Com o título “Maloucos, o Dragão e o elefante”, eis artigo de Pauilo Linhares, presidente do Instituto Dragão do Mar. Ele aborda a miscelânea cultural chamada Maloca Dragão. Confira:

Começou a 5ª edição da Maloca Dragão. Mas o que é mesmo essa Maloca? Antes, é preciso dizer que é ação estratégica de uma política de cultura. Política cultural no Brasil parece muito com futebol: todo mundo acha que sabe muito, mas sabe uma parte. A parte que lhe toca. Ou não toca.

Lembra a metáfora do príncipe que chamou um grupo de cegos de nascença e os reuniu para que apalpassem um bicho e dissessem o que era? Cada qual disse o que tinha tocado. Orelha. Tromba. Pata. O príncipe disse que juntando a experiência de todos daria um elefante.

A Maloca é um festival de artes que celebra o aniversário do Dragão do Mar. A importância dela para nossa política cultural é porque, nesses seis dias (24 a 29/4), fazemos um balanço do que produzimos, pensamos, criamos na arte cearense e trazemos as tendências no Brasil.

Também trazemos os mais importantes diretores de festivais do País e do mundo para conhecerem nossos artistas. É o Conexões, com convidados de França, Suíça, Chile e Portugal, além dos brasileiros.

Tem homenagem a um grande artista cearense: Sérvulo Esmeraldo, o mestre da arte cinética. Os destroços da obra Femme Bateau serão apresentados com a assinatura da ordem de serviço de restauração e prévia de exposição que virá em maio.

Tem ainda a Maloca Futuro, rede de escolas criativas do Instituto Dragão do Mar, com cursos gratuitos no Porto Iracema das Artes, Centro Cultural Bom Jardim, Escola Thomaz Pompeu Sobrinho, Escolas de Gastronomia Ivens Dias Branco e Estação das Artes, Centro de Formação Olímpica e Theatro José de Alencar. São 50 mil matrículas este ano. É a mais efetiva política de formação para o novo mundo da economia da cultura no Brasil.

Num país onde política e gestão pública são vistas como atividade vil, degradada, feita por organizações perversas, temos no governo Camilo a mais ousada, séria e transformadora política de cultura para jovens no País.

Anos atrás, alguns disseram que o Centro Cultural seria um elefante branco.

O Dragão tem hoje 1,8 milhão de visitantes por ano, a maioria jovens. Acho que ele é vermelho.

Alguns dizem ainda que o povo da cultura é um bando de malucos. Já somos 9,6% do emprego formal no Ceará em curso crescente, enquanto o emprego industrial cai.

A Maloca é portanto um punhado de “maloucos” que enfrentam as águas paradas do conservadorismo dominante..

*Paulo Linhares

paulolinhares@dragaodomar.org.br

Presidente do Instituto Dragão do Mar.

Mano Alencar doa tela para biblioteca da Câmara Municipal de Fortaleza

O artista plástico cearense Mano Alencar, 59, dono de um estilo próprio e com exposição em vários países, doou a tela “NósNordeste” para a Biblioteca José de Alencar, da Câmara Municipal de Fortaleza, que será reinaugurada na manhã desta segunda-feira (23), a partir das 8 horas, pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal. Durante a inauguração, o ministro lançará na capital cearense os livros “Um outro país” e “A judicialização da vida”.

Segundo o diretor-geral da Câmara Municipal de Fortaleza, Robson Loureiro, a biblioteca conta com um acervo de mais de 4,7 mil títulos, além de periódicos e documentos que contam parte da história da cidade. De acordo ainda com Loureiro, o leitor poderá optar pela versão digital do acervo, desde que utilize um dos quatro computadores disponíveis no local. Todos os gabinetes dos 43 vereadores já contam com o acervo digital.

O ministro Luís Roberto Barroso também dará a palestra “Os 30 anos da Promulgação da Constituição de 1988”, dentro do Programa de Capacitação Continuada da Câmara Municipal de Fortaleza.

(Foto: Divulgação)

Comissão de Cultura aprova regionalização para incentivos da Lei Rouanet

A Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 6448/16, do deputado Dagoberto Nogueira (PDT-MS), que inclui instrumentos para garantir a equidade regional como princípio norteador para a aprovação dos projetos apreciados pelo Ministério da Cultura.

Atualmente, a Lei Rouanet (8.313/91) já estabelece os princípios de não concentração por segmento cultural e por beneficiário para não direcionar todos os recursos para poucos projetos.

Pela proposta, a destinação dos recursos para os projetos será classificada por região do País, conforme dois critérios:
– ¾, no mínimo, na proporção da população de cada região de acordo com o último censo;
– até ¼ priorizando as regiões com menor desenvolvimento cultural.

O relator na comissão, deputado Tadeu Alencar (PSB-PE), adotou emenda para incluir na proposta o uso de três informações mínimas para definição do desenvolvimento cultural de cada região:
– o consumo cultural das famílias;
– o mercado de trabalho cultural; e
– a presença de equipamentos culturais em cada região.

“Consideramos importante que a lei traga os parâmetros gerais para tal definição, a ser detalhada pelo regulamento”, disse Alencar

O texto também altera as regras de publicação de quem receberá os recursos da lei. Pelo projeto o aprovado deverá ter o CPF ou CNPJ divulgados e em qual área foi enquadrado, além dos dados como título do projeto, valor autorizado e prazo para captar recursos – como já estabelece a lei atual. E também fica exigida a divulgação online dos vencedores, e não apenas em publicação oficial.

A proposta tramita em caráter conclusivo e ainda será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

(Agência Câmara Notícias)

Rede Cuca vai expor projetos no Observatório de Fortaleza

Nesta quinta-feira, das 15 às 17 horas, no Observatório de Fortaleza, espaço que fica na Praça do Ferreira, a Rede Cuca vai expor seus projetos.

Será durante um bate-papo descontraído com entidades de vários bairros, abrindo para a coleta de sugestões e de olho em novos projetos.

À frente, coordenando os debates, a diretora do Observatório, Cláudia Leitão.

(Foto  Sara Maia)

Banco do Nordeste abre chamada pública para atrações de seus Centros Culturais

CCBNB Fortaleza.

O Banco do Nordeste abriu chamada pública para seleção de propostas que farão parte da programação de seus três Centros Culturais localizados no Cariri/CE, Fortaleza/CE e Sousa/PB, no período de julho de 2018 até junho de 2019. A informação é da assessoria de imprensa da Instituição.

As inscrições prosseguem até 18 de maio e as iniciativas selecionadas farão parte de um cadastro com propostas de relevância cultural e artística, nas áreas de artes cênicas, artes visuais, música, formação e atividades infantis. As ações integrarão a programação por meio de contrato de locação de serviços profissionais e artísticos com cachês que podem chegar a R$ 13 mil.

Os CCBNBs

Localizados em Fortaleza (CE), Juazeiro do Norte (CE) e Sousa (PB), os Centros Culturais do Banco do Nordeste são equipamentos criados para promover reconhecimento, visibilidade e consequente valorização da cultura regional. Funcionam de segunda a sábado, exclusivamente com atrações gratuitas.

SERVIÇO

Gratuitas, as inscrições serão aceitas exclusivamente por meio digital, na página do Banco do Nordeste na Internet (www.bnb.gov.br), onde o proponente pode consultar o regulamento, preencher e enviar o formulário de inscrição.

(Foto – Divulgação)

Centro Cultural Grande Bom Jardim pode paralisar atividades

488 1

Centro Cultural Grande Bom Jardim (CCBJ) estão paralisando suas atividades. Tudo porque colaboradores, artistas e trabalhadores – em regime celetista ou em condição de prestadores de serviço (ocupando cargo por seleção pública). O salário atrasou.

Uma nota do grupo de funcionários está sendo divulgada para a imprensa.

O equipamento é gerido pelo Instituto Dragão do Mar (IDM), organismo da Secretaria da Cultura do Estado.

(Foto – Arquivo)

Cadê o Edital Mecenas do Ceará?

A Secretaria da Cultura do Estado ainda não divulgou o Edital Mecenas do Ceará. A publicização deveria ter ocorrido em janeiro último, como o titular da pasta, Fabiano Piúba, havia anunciado no fim de dezembro.

Objetivo desse edital é regulamentar o procedimento de inscrição, avaliação e julgamento dos projetos culturais apresentados à captação de recursos, através do Mecenato Estadual em consonância com os preceitos da legislação estadual de incentivo à cultura.

Há quem jure que a Secretaria da Fazenda tenha segurado o dinheiro do programa. Será?

 

Chambinho do Acordeon é cidadão de Fortaleza

O paulista Nivaldo Expedito de Carvalho, o Chambinho do Acordeon, 37, recebeu na noite dessa terça-feira (6), na Câmara Municipal de Fortaleza, o título de cidadão fortalezense. Ele é um dos maiores divulgadores da cultura nordestina em Fortaleza, por meio da sua produção artística.

A propositura foi do próprio presidente da Casa, Salmito Filho (PDT), subscrita por todos os demais vereadores.

Em 2012, Chambinho do Acordeon interpretou Luiz Gonzaga no filme “Gonzaga – de Pai pra Filho”, após ser escolhido entre cinco mil candidatos. No ano passado, atuou ainda na novela “Velho Chico”, na Globo, como sanfoneiro.

DETALHE – Salmito é fã incondicional de Luiz Gonzaga e da cultura nordestina.

(Foto: Divulgação)

Roberto Cláudio diz que teatro faz parte da formação dos jovens

“Estou cada vez mais convencido do impacto que a cultura exerce para transformar a juventude de Fortaleza”. A declaração é do prefeito Roberto Cláudio, durante visita ao teatro do Cuca do Jagurussu, que terá capacidade para 252 lugares, dois camarins e salas de controle de som, em um investimento de R$ 1.1 milhão.

“Nós estamos visitando a obra deste teatro, que foi entregue esta semana e vem fortalecer a cultura nesta área da Cidade, composta pelo Jangurussu, pelo Conjunto Palmeiras, pelo São Cristóvão e por todo o entorno. Poucas áreas da Capital dispõem de um equipamento cultural como este. Instalado no Cuca, ele passa a ser um equipamento de formação. Aqui, nós temos bailarinas, músicos, artistas. Talentos estão sendo descobertos. A juventude precisa de um espaço como este para expressar e qualificar o seu trabalho. A parte cenotécnica também será implantada, com iluminação, cortina e outros detalhes”, ressaltou o prefeito.

De acordo com o coordenador de Políticas Públicas de Juventude da Prefeitura de Fortaleza, Júlio Brizzi, o processo de conclusão da obra deverá ser finalizado até o início do segundo semestre deste ano.

“Pela complexidade do equipamento, a obra segue em etapas pela especificidade do acabamento e das necessidades gerais. A gente estima que, até o meio do ano, todo o processo esteja concluído. Mas é importante registrar que a utilização do teatro já está liberada. A região do Jangurussu tem uma grande concentração de jovens, que devem ser beneficiados a partir das atividades aqui desenvolvidas”, disse.

O secretário Executivo da Regional VI, Roberto Rios, avaliou positivamente a transformação pela qual o território vem passando ao longo da gestão do prefeito Roberto Cláudio.

“Eu moro nesta Regional ‪há 28‬ anos. Durante esse tempo, presenciei manifestações artísticas e culturais na chuva, em quadras com infraestruturas comprometidas e, literalmente, no meio da rua. É uma alegria muito grande observar que a cultura está evoluindo graças a equipamentos como este, que possibilitam a troca de experiências e de aprendizados”, comentou.

(Foto: Divulgação)