Blog do Eliomar

Categorias para Cultura

Câmara Municipal debaterá atraso no pagamento dos editais da Secultfor

Por iniciativa do vereador Guilherme Sampaio (PT), a Câmara Municipal realizará audiência pública para discutir, a partir das 14h30min desta quarta-feira, o pagamento dos editais da Secretaria da Cultura de Fortaleza e parcerias que envolvem o meio artístico local.

O vereador atendeu a um pleito do Fórum de Linguagens Artísticas e dos proponentes selecionados no último Edital das Artes, em 2016, que, enfrentando sérias dificuldades em dialogar com a Secultfor acerca do pagamento.

A Secultfor já havia se comprometido com um cronograma de pagamento parcelado dos atrasados, mas acabou não cumprindo o que foi acordado. Essa audiência recebeu ainda o apoio do Fórum Cearense de Teatro.

R$ 1 bilhão – Banco do Nordeste passa a financiar produção audiovisual

O presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), anunciou nesta segunda-feira (6) o credenciamento do Banco do Nordeste para atuar como agente financeiro do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), diante dos recursos de R$ 200 milhões por ano, até 2022.

Cineastas, roteiristas, produtores e atores passaram a ser benefiados, desde a última sexta-feira (3), quando a medida foi foi publicada no Diário Oficial da União.

Eunício Oliveira defendeu que o BNB se colocasse à disposição da Agência Nacional do Cinema (Ancine) para fortalecer a cultura nordestina.

O Fundo Setorial do Audiovisual é uma categoria de programação específica do Fundo Nacional de Cultura – FNC, utilizado no financiamento de programas e projetos voltados para o desenvolvimento das atividades audiovisuais.

III Corredor Cultural do Benfica terá até bloco de Carnaval

O Corredor Cultural Benfica vai dar prosseguimento à sua programação nos dias 11 e 12 deste mês de novembro, com pluralidade de linguagens, acesso gratuito e o objetivo de incentivar o fortalezense a ocupar o bairro universitário para vivenciar a cultura. A informação é da assessoria de imprensa da Universidade Federal do Ceará.

Tudo começa na manhã de sábado (11), a partir das 8h30min, com o projeto Brincarmóvel – Brinquedoteca Itinerante. O ônibus, projeto de extensão do Instituto de Educação Física e Esportes (Iefes) da UFC, dispõe de um verdadeiro “arsenal” de brinquedos e jogos para diversas faixas etárias e uma salinha de cinema, onde os pequenos poderão assistir a desenhos infantis e sessões de contação de história com a Associação Carne Seca de Arte.

Na área externa, as crianças encontrarão parquinho inflável, pula-pulas, jogos de tabuleiro e o apoio dos monitores do Curso de Educação Física da UFC. Instalado nos jardins da Reitoria (Avenida da Universidade, 2853, Benfica), o equipamento funcionará no sábado (11), das 8h30min às 11h30min, e no domingo (12), das 8 às 13 horas.

Música

O fim da tarde de sábado (11) dá início à programação musical do Corredor Cultural Benfica com apresentação do grupo Miraira, às 17 horas, na Concha Acústica da Reitoria. Laboratório cênico-musical de ensino, pesquisa e extensão em folclore e cultura popular, é formado por estudantes e professores do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (Ifce), além de membros da comunidade. Ao longo de 35 anos de história, seu trabalho transdisciplinar de resgate e difusão de elementos da cultura tradicional brasileira já ganhou os palcos em nove estados.

Às 17h30min, a atração será a banda Pulso de Marte, vencedora do II Festival de Música da Juventude de Fortaleza, cuja final ocorreu no dia 21 de outubro, na última edição do Corredor Cultural do Benfica. Com vocais femininos fortes e um mix de indie rock, MPB, pop rock, hardcore e rock alternativo, o grupo apresenta na Concha Acústica as músicas de seu primeiro CD, A busca.

Em seguida, às 18 horas, será anunciado o resultado da premiação dos melhores trabalhos dos Encontros Universitários da UFC, realizados de 8 a 10 de novembro no Campus do Pici.

A atração seguinte será o Grupo de Música Percussiva Acadêmicos da Casa Caiada, projeto vinculado ao Curso de Música da UFC (Fortaleza). Coordenado pela professora Catherine Furtado, o grupo costuma representar a UFC no desfile oficial do carnaval de Fortaleza e promete colocar o público para dançar com seus maracatus e sambas-enredo.

Bloco Luxo da Aldeia

O bloco carnavalesco Luxo da Aldeia é o quarto show da noite. O grupo homenageia, em ritmo de marchinhas, frevos, sambas e maracatus, a identidade cearense com um repertório de talentos locais de todas as épocas, como Lauro Maia, Evaldo Gouveia, Petrúcio Maia, Ednardo, Fausto Nilo e Fagner.

Selvagens à Procura de Lei

Presença confirmada no festival Lollapalooza Brasil 2018, a banda cearense Selvagens à Procura de Lei fecha a programação noturna do dia 11 com uma união perfeita entre rock e pop. Os músicos apresentam o show do álbum Praieiro (2016). Residente em São Paulo desde o ano passado, com público fiel, a banda tem uma história de proximidade com a UFC, tendo feito parte da seletiva universitária do Festival UFC de Cultura em 2011.

Na manhã de domingo (12), a música continua com a Camerata de Violões do Ifce, que se apresenta às 9h30min no palco montado na Avenida da Universidade. Às 10h30min, o mesmo palco recebe uma compilação de trabalhos artísticos apresentados na IV Mostra ICA, organizada pelo Instituto de Cultura e Arte da UFC.

Às 11 horas, a atração é o grupo Palmerê, iniciativa da Cia. Bate Palmas, que trabalha com crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social residentes no bairro Conjunto Palmeiras. Há quase uma década, o projeto vem formando crianças na área de percussão alternativa e convencional, tendo dois grupos de batuque infantil e uma banda musical de alunos veteranos.

Dança

Os amantes da dança terão de acordar cedo no domingo (12) para marcar presença em um aulão de dança de salão. A formação será ministrada às 8 horas, no palco principal montado na Avenida da Universidade, pela Entre Abraços Escola de Dança.

Às 10 horas, o mesmo palco recebe a Escola de Ballet da UFC, com apresentação de coreografias clássicas. Ligado ao Instituto de Educação Física e Esportes (Iefes) da UFC, o grupo atende à demanda pela formação em balé para adultos, ofertando desde 2013 aulas gratuitas no Campus do Pici. A escola apresenta o espetáculo Novelos, cujo apanhado de coreografias clássicas aborda, com delicadeza e força, a luta pelos direitos das mulheres. As peças são trechos oriundos de obras como Dom Quixote, A bela adormecida e O lago dos cisnes.

Esportes

Como nas duas edições anteriores, a Rua Paulino Nogueira será interditada para receber o espaço destinado à prática de jogos tradicionais e esportes de rua, como futebol e basquete. As atividades são abertas a todas as faixas etárias e contam com o suporte do Departamento de Educação Física do Ifce.

O Ifce marca presença ainda por meio de duas atividades abertas nas modalidades de capoeira (às 9 horas) e muay thai (10h) nos jardins da Reitoria. A primeira prevê apresentação dos instrumentos utilizados na roda de capoeira e um aulão com aquecimento, demonstração técnica e roda de capoeira. Não há restrição de idade. Já na de muay thai, está prevista uma apresentação da filosofia dessa arte marcial, além de demonstração técnica e noções básicas da luta. Ambas serão ministradas por equipes do Ifce.

CINEMA – Na manhã de domingo (12), a partir das 9h30min, o auditório da Reitoria sediará o Cine Debate do Observatório de Políticas Públicas da UFC. Na ocasião, será exibido o documentário Defensorxs (2015, 86 minutos) e haverá bate-papo com os realizadores da Nigéria Filmes.

Circo e Sarau

As risadas estarão garantidas, a partir das 9 horas do domingo (12), com a trupe do projeto Palco Aberto, que terá como picadeiro os jardins da Reitoria. Até as 12 horas, mímicos e palhaços reunirão adultos e crianças para entretê-los com muito humor e artes circenses, como malabares, trapézio de chão e acrobacias. Também às 9 horas, em outra área dos jardins, a Associação Carne Seca de Arte promoverá um pocket show instrumental e o sarau literomusical Viva Palavra.

Oficinas

Quatro oficinas serão ofertadas na manhã de domingo (12): “Artesanato em nó” (ás 8 horas), “Bonecas de pano” (9h30min), “Grafite” (9h30min) e “Quadrinhos” (8h30min). As três primeiras serão realizadas nos jardins da Reitoria, e a última, no Departamento de Arquitetura da UFC (Avenida da Universidade, 2890, Benfica). As inscrições poderão ser realizadas on-line, por meio de formulário eletrônico ou no horário e local das formações até o preenchimento das vagas disponíveis.

Feiras e exposições

Durante a manhã do dia 12, na Avenida da Universidade, os amantes dos livros poderão conferir expositores de diversas livrarias, com exemplares novos e usados à venda. Designers, artistas plásticos e artesãos participarão do Mercado de Economia Criativa, com produtos autorais nas áreas de arte, moda e decoração. Completa o leque de atrações na via uma exposição de bicicletas personalizadas.

Já a Feira de Orquídeas, com comercialização de diferentes espécies dessa família de flores, perfumará novamente os jardins da Reitoria. Os corredores do prédio, por sua vez, serão ocupados pela Feira de Artefatos, com itens como rádios, discos, antiguidades e objetos colecionáveis em geral.

Ainda nos jardins, estará montada a exposição UFC 60 anos, coleção de registros documentais e fotográficos da Universidade, organizados sob a curadoria do Memorial da UFC. O setor realizará, paralelamente, uma visita orientada à Reitoria, que prevê a observação de ambientes externos e internos com suporte de historiadores.

SERVIÇOS

Na noite de sábado (11), na lateral da Concha Acústica da Reitoria (Avenida da Universidade, 2853, Benfica), será montado um espaço de redução de danos da Rede Cuca, com distribuição de preservativos e de material informativo sobre infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), além da realização de teste rápido para detecção do vírus HIV e de outras ISTs, como hepatites e sífilis.

Já no domingo (12), das 8 às 12 horas, o posto de atendimento da Ciclofaixa de Lazer estará mais uma vez à disposição do público, com aferição de pressão arterial, teste de glicemia e distribuição de mudas. Também haverá equipes realizando emissão de bilhete único, cadastramento nos sistemas municipais de transporte compartilhado e solicitação de vagas especiais de estacionamento (idosos e pessoas com deficiência). Os atendimentos serão realizados por equipes da Secretaria de Conservação e Serviços Públicos da Prefeitura Municipal de Fortaleza.

Igualdade social e o fim do ensino privado

Em artigo no O POVO deste domingo (5), o professor da UFC e sociólogo André Haguette defende o capital cultural como combate à desigualdade social no Brasil. Confira:

Nas últimas semanas, este jornal publicou vários excelentes artigos apontando a urgência de diminuir a desigualdade no Brasil e isso por vários motivos que vão do necessário aumento da produtividade do trabalhador à diminuição da violência e à excelência ética. Quanto menor a desigualdade social de um país, maiores a produção de riqueza e a distribuição de renda e melhor a qualidade de vida. Quanto a isso, todos estão de acordo. Mas nenhum desses artigos se aventurou a explicar o que fazer para diminuir a desigualdade social entre nós. Vou tentar apontar caminhos.

Em primeiro lugar, dar continuidade às iniciativas tomadas por FHC e ampliadas pelos governos de Lula: contínuo aumento real do salário mínimo e transferência de renda via diversos programas sociais, desde que não haja transferência maior para os ricos por meio de subsídios, perdão de dívidas, Refis e “coisinhas” do gênero.

Em segundo, empreender uma reforma fiscal realmente justa e redistributiva, isto é, progressiva, que incida mais sobre o patrimônio e a renda do que sobre o consumo cotidiano, embora se tributasse fortemente o consumo de luxo. Todos os países hoje desenvolvidos seguem esse caminho fiscal (menos os Estados Unidos que, como é notório, são fortemente desiguais e racistas).

O terceiro caminho é mais arrochado e vai parecer ao leitor um “absurdo”, mas foi seguido por vários países como a Finlândia e o Canadá (Québec), entre outros. Sabe-se que a melhor forma de aumentar a renda e promover uma mobilidade social ascendente é através do “capital cultural”. Quem não tem capital cultural (educação, escolaridade) é candidato a uma vida precária e vulnerável; pelo contrário, quem desfruta de uma boa educação formal é candidato a ser “alguém” na vida. As classes altas e médias sabem muito bem disso: construíram redes de escolas particulares para seus filhos, abandonando a escola pública à sua própria sorte. A mais efetiva maneira de aumentar o grau de igualdade social é fornecer aos filhos de todas as classes sociais uma mesma escola de qualidade. Daí a necessidade de extinguir o ensino particular e universalizar o ensino público para todos. Com a chegada das classes com alto capital cultural, a escola pública elevaria seu padrão de qualidade, assim como a melhor rede universitária é a pública.

Uma quarta política, essa praticada por um grande número de países, consiste também na eliminação de nosso duplo sistema de saúde: extinção do atendimento médico privado para a consolidação do sistema público (SUS) para todos sem exceção, assim como o Canadá e a Inglaterra fizeram com excelência.

Hoje há uma febre nas classes médias e altas para fugir de um Brasil pobre, em crise e violento. O que os países de destino pretendido têm a oferecer, senão uma sociedade com igualdade social invejável, onde é bom viver? Por que não construir uma sociedade semelhante aqui, no Brasil? Essa sociedade poderá ser alcançada se dotarmos os nossos concidadãos de um sistema fiscal progressivo, de um mesmo capital cultural, via escolarização única, e um sistema de saúde público também único que atenda a todos igualmente. Defender esses caminhos é sonhar acordado? Não, é querer percorrer caminhos semelhantes àqueles que outros países trilharam com sucesso.

UFC manda nota sobre MAUC

Da Coluna Vertical, do O POVO desta sexta-feira:

Sobre a nota “Uma biblioteca fora do lugar”, publicada ontem nesta Vertical, o reitor da Universidade Federal do Ceará (UFC), Henry Campos, enviou comentário. A íntegra pode ser lida em www.opovo.com.br/colunas/vertical: “Desejo, inicialmente, lamentar o nível de desinformação de quem considera inapropriada a existência de um acervo de livros em um museu de arte. A biblioteca do Museu de Arte da UFC (MAUC) existe há algum tempo e, para abriga-la condignamente, nenhum espaço está sendo subtraído daquele destinado à exposição do acervo artístico.

Continua: “No momento, o MAUC passa por uma série de reformas, que inclui a renovação completa do equipamento de ar condicionado e adequações arquitetônicas necessárias para abrigar, dentro em breve, uma importante exposição do nosso Curso de Design. Ao mesmo tempo, a instituição, dentro em breve, de um Conselho Curador, e a parceria que vem sendo construída com o Instituto Dragão do Mar a Secretaria da Cultura do Governo do Estado, constituem sólida base para criar uma sociedade de apoio ao MAUC, concretizando assim um antigo projeto”.

O reitor prossegue: “A alegação de que o equipamento está ‘alheio aos movimentos artísticos’ e ao turismo desmorona diante de iniciativas como o intercâmbio e parcerias estabelecidas com o Governo do Estado, Unifor e MASP, que expuseram ou expõem preciosas obras de nosso valioso acervo. O Museu também tem participado da programação do Corredor Cultural do Benfica (a ser reproduzido em novembro e dezembro). Depositamos plena confiança no diretor, o professor Pedro Eymar, que não permaneceria no cargo não fora sua competência, seriedade e compromisso institucional”.

Polo Cultural – Acrísio propõe transformar Benfica em ZEDUS

222 1

O relator da Comissão Especial do Plano Diretor de Fortaleza, vereador Acrísio Sena (PT), defendeu nessa quarta-feira (1º) a constituição de uma Zona Especial de Dinamização Urbanística e Socioeconômica (ZEDUS) no bairro Benfica. O parlamentar lembrou que já há aprovação do seu Projeto de Lei 278/2010, criando o Polo Cultural na área.

“O Benfica tem uma grande importância para Fortaleza: na culinária, na cultura, na política, no esporte, na música. É um bairro que funciona para Fortaleza, assim como a Lapa para o Rio de Janeiro, e o Bexiga para São Paulo. E não podemos perder esta referência”, ressaltou Acrísio.

O parlamentar elencou o patrimônio histórico e arquitetônico no bairro, além de diversas iniciativas culturais consistentes, tais como o samba na praça, o pré-carnaval com vários blocos tradicionais, e o corredor cultural da Universidade Federal do Ceará.

“Temos audiência marcada com o reitor sobre o tema na próxima semana. Já temos também requerimento para debater o Polo. E queremos que outros vereadores participem”, afirmou.

(Foto: Divulgação)

Uma biblioteca fora do lugar

Da Coluna Vertical, no O POVO desta quinta-feira (2):

O Museu da UFC (Mauc), que completará 70 anos em 2018, precisa de um choque de gestão, principalmente no sentido de ser ativo na relação com os movimentos artísticos do Ceará e com o turismo. Parece um equipamento encastelado e, estranho, não abre nos fins de semana, dias em que as pessoas poderiam visitar o precioso acervo, no bairro Benfica.

A última da diretoria do Mauc: transformar a mais importante sala expositiva numa biblioteca. Uma decisão questionável, já que o museu precisa de mais espaço para expor o que é patrimônio público cearense. O salão já está com o pé direto sendo diminuído, sinal de uma gestão que se perpetua sem crítica, sem um conselho consultivo e sem renovação de ideias.

Aliás, a UFC é useira em criar essas castas hereditárias. É assim na Casa Amarela, que não renova seu gestor, foi assim no extinto Curso de Arte Dramática. Ainda bem que no teatro, depois de décadas, chegou ao fim a cultura da “ficância”.

É construtiva a alternância de gestores.

Secult/CE vai comemorar o Dia da Cultura

Ator Silvero Pereira está na programação.

A Secretaria da Cultura do Ceará vai comemorar o Dia da Cultura (5 de novembro) com programação especial no Theatro José de Alencar e no Cineteatro São Luiz. As atividades são gratuitas e a preços populares.

Programação Completa – TJA e Cineteatro São Luiz

DIA 03/11 | SEXTA-FEIRA – Cineteatro São Luiz

[DIVERSAS LINGUAGENS] Dia da Cultura: arte como campo de resistência

12H30 [TEATRO DE BONECOS] Curta São Luiz: “Lutas e Paixões de Mateus, O Topador de Boi”, com o Circo Tupiniquim

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Hall do Cineteatro São Luiz (Foyer).

As Lutas e Paixões de Mateus o Topador de Boi, espetáculo de mamulengo, popular, jocoso, mostra as aventuras de um dançador de boi que se vê impedido pelas autoridades “competentes” de realizar sua brincadeira, enquanto Mateus vai arranjando um meio de driblar a situação e dançar seu boi, procura envolvimento com o público no intuito de arranjar uma namorada, tudo isso a base de muito humor e muito riso típico do boneco popular nordestino.

13H20 | Conversa de lavadeiras com a Trupe Caba de Chegar

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Praça do Ferreira.

Texto de Robson Araújo, o espetáculo é a reafirmação do riso na rua. Conta a história de três lavadeiras que têm muita disposição para o trabalho, para a fofoca e o despeito. Entre “bacias e sabões” vão lavando a maior mazela da atualidade que é a apropriação do alheio, a cobiça, a inveja.

14H | Sarau Palavra e Resistência

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Hall de entrada do Cineteatro São Luiz.

A poesia tem se mostrado cada vez mais forte na cidade, saraus brotam quase todos os dias e se firmam nas periferias de Fortaleza, ocupando também o centro e as praças da cidade buscando ainda mais integrar a linguagem das ruas por meio da poesia falada num único espaço: a poesia oral, a arte de rua e a performance. Sendo assim, espaços para livre experimentação poética, em que o microfone é aberto para o público. Os poetas Edivaldo Ferrer, Yasmim Queiroz, Felipe Firmino, Alisson Thag e Livia Maria irão embalar o microfone com suas produções.

14H20 | Rua de todo dia

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Praça do Ferreira.

A Praça do Ferreira é um dos principais palcos da cidade de Fortaleza, historicamente os artistas de rua tem feito desse lugar um grande acontecimento poético, constituindo o imaginário da cidade e revelando os grandes nomes que fazem da rua um lugar de efervescência artística e cultural. A mostra será guiada pela dançarina Maya, apresentando nomes que habitam a praça há pelo menos 15 anos, o Palhaço Coloral e seu parceiro Ronaldo, e o artista Eduardo Show da Vida. O malabarista cearense Robert e o chileno radicado cearense Rafael Sudaka trazem o circo e o malabarismo das ruas em performances que desafiam a gravidade.

14H30 às 18H | Instalação No Olho da Rua: partilhas do sensível na madrugada

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Hall de entrada do Cineteatro São Luiz.

Os devires se definem em um campo de multiplicidade, desdobramento da diferença, onde as forças que constituem o corpo entram em uma zona de vizinhança, fronteiriça. Os registros da artista Lissa Cavalcante constituem o olhar da partilha, da troca e do encontro em um dos principais palcos da cidade, a Praça do Ferreira, que durante três madrugadas abriu suas “portas” e recebeu o Grupo As 10 Graças de Palhaçaria, onde o instante se tornou outro, e os corpos ganharam vida, dando lugar a histórias, olhares e laços que se constituem através da arte.

16H | Mostra Galpão

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Hall de entrada do Cineteatro São Luiz.

Um território em ruínas para se reerguer com toda a sua força. O Galpão da Vila é um espaço de fruição, formação, residência e resistência artística localizada no Benfica, sede dos grupos As 10 Graças de Palhaçaria, Cia. Ponto, Coletivo Os Pícaros Incorrigíveis, Grupo Fuzuê e Cia CLÊ e Inquieta Cia. De Teatros. A mostra Galpão surge da união e do atravessamento entre as estéticas e poéticas desses grupos, que habitam a cidade entre o teatro, a rua e o circo contemporâneo em uma deriva de números, performances e outros surgimentos dessa potente mistura.

16H20 | Vendedor de amor

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Praça do Ferreira e ruas do Centro.

Intervenção urbana criada em 2014 pelo palhaço, performer e psicólogo João Victor, o trabalho é resultado de uma pesquisa continuada entre as poéticas da performatividade e a arte da palhaçaria, tendo a rua como local de experimentação, o vendedor de amor atravessa as ruas da cidade com sua mercadoria, bem as vezes tido como precioso, as vezes desvalorizado. O encontro e a troca fazem parte das relações abordadas na performance e o que acontecer quem diz é o cliente.

O Riso e o Som

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Praça do Ferreira.

17H10 | Clube da Babananas

Fechando a programação do dia, uma transa entre música e palhaçaria. O “Clube da Babananas” é construído em uma perspectiva moderna da bufonaria, é a ruptura das convenções amorosas. Desenvolvido pelo casal de palhaços Rayane Mendes e Igor Cândido, o número explora a sintetização do romantismo e o grotesco, gerando assim, um misto de sensações em seu público. O espetáculo resgata o humor ácido e burlesco dos cabarets europeus associado à palhaçaria cearense, trazendo à cena um casal que não hesita em compartilhar suas mais secretas intimidades, resultando em uma proposta moderna e hilariante.

17H40 | Yeah – Maurício Rodrigues

Um palhaço rock star, rock and roll, trocando rock por moedas, por miúdos, um rock de uma nota só. Um pedaço, um momento, rock bamba. Samba de um palhaço só. Só um palhaço, um pedaço, um momento…um momento…um momento. Utilizando instrumentos musicais como: Ukulele, baixo e bateria, Palhaço Batuta constrói o seu singelo show de rock. Transformando uma praça em um mega palco com direito à show pirotécnico.

18H10 | Batuque de ODE – Tambores de Safo

Composto por 22 batuqueiras, com alfaias, caixas, repiques, abês e agogôs, o Batuque de ODE é uma proposta de cortejo que nasceu através de oficinas de percussão realizadas pelo Grupo Tambores de Safo, com o apoio Tambor para Mulher. O grupo passeia por ritmos como o samba afro, samba de roda, coco, maracatu cearense e músicas da cultura popular.

19H [TEATRO] Curta Mais Teatro: “Três Travestis”, com Silvero Pereira, do Coletivo Artístico “As Travestidas”.

Entrada: R$ 20,00 (inteira) / R$ 10,00 (meia). Classificação: 16 anos. Local: Cineteatro São Luiz. Duração: 70min. Direção: Silvero Pereira. Elenco: Silvero Pereira (Gisele Almodóvar), Rodrigo Ferrera (Mulher Barbada) e George Hudson (Betha Houston).

O Coletivo Artístico As Travestidas inova trazendo Gisele Almodóvar, Mulher Barbada e Betha Houston em um show com um repertório que vai de Caetano Veloso a Nina Simone. O espetáculo que integra a programação especial do Cineteatro São Luiz no mês em que se comemora o dia da cultura acontece no dia 3 de novembro, às 19h. Os ingressos podem ser adquiridos a preços populares, sendo: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia). “Três travestis” dividem o palco com quatro músicos para cantar as dores e alegrias de ser quem são. Dirigido pelo ator e dramaturgo Silvero Pereira, que viveu o personagem “Nonato” na novela global “A força no querer”, o espetáculo cênico-musical é um show inspirado na música homônima de Caetano Veloso.

DIA 04/11 | SÁBADO – Cineteatro São Luiz

19H [TEATRO] Curta Mais Teatro: À Beira de… , com Silvia Moura

Entrada: Gratuita (limitada a 80 lugares – público sobre o palco).

Local: Cineteatro São Luiz (Palco). Classificação: Livre. Duração: 40 minutos.

Um estado… momentâneo ou não. Estarrecedor. A necessidade de estancar para daí conseguir falar sobre algo ou sobre uma sensação causada por várias insatisfações. O desejo do nada se estabelecendo por ter tantos cúmulos… Sons de coisas caindo no chão, estilhaços, imagens de mãos segurando algo que… quase caiu. Um processo irreversível de extinção. Esse trabalho trata da busca por um estado de presença que estabeleça com o público uma relação de casualidade. O público ilumina o espetáculo, e é levado a procurar um lugar para conseguir ver o trabalho da forma que lhe for menos arriscado. É proposto ao público segurar objetos que podem cair, escolher um lugar para ficar, escolher que parte deve ser iluminada do trabalho, a interação direta com o público é parte da composição do trabalho.

DIA 05/11 | DOMINGO – Cineteatro São Luiz

18H [MÚSICA] Duo com Luiz Fidélis e João do Crato

Entrada: R$20,00 (inteira) / R$10,00 (meia) . Classificação: Livre. Local: Cineteatro São Luiz. Duração: 90min.

(Com Site da Secult/CE)

Poesia e sanfona – TV Fortaleza ganha programa com raízes nordestinas

Salmito Filho, presidente da Câmara, com o grupo do programa.

Poesia, causos, desafio em rimas, zabumba e muita sanfona resgatarão a cultura nordestina, a partir das 16 horas do próximo domingo (5), na TV Fortaleza (Canal aberto digital 61.4).

Com apresentação de Jonas Alves e Estrela do Norte, o programa “Sotaque Nordestino” tem o apoio da Câmara Municipal de Fortaleza.

(Foto – Divulgação)

Candomblé pode entrar na lista de Patrimônio Munidal da Unesco

O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, assumiu, nesta semana, um compromisso com líderes religiosos de comunidades tradicionais de terreiros.

Segundo o colunista Lauro Jardim, do O Globo, em reunião no Rio de Janeiro, o ministro decidiu criar um grupo de trabalho que, entre outras coisas, vai debater a inscrição Candomblé e da Umbanda na lista de Patrimônio Mundial da Unesco.

Teatro São José… a um passo da eternidade

Quem passa em frente ao Teatro São José (Praia de Iracema), indaga: Quando é mesmo que Fortaleza terá de volta esse equipamento cultural? A reforma do local ganhou contornos de eternidade.

Espera-se que tanta demora não seja uma espécie de bater de recorde com as obras da Catedral Metropolitana que, por pouco, não chegavam ao centenário.

(Foto – Camila Almeida)

Revista homenageia Audifax Rios

A revista cultural “Para Mamíferos”, edição especial em homenagem à memória do artista plástico e escritor Audifax Rios, será lançada no próximo sábado (28), a partir das 14 horas, no Flórida Bar.

Segundo o jornalista Nerilson Moreira, um dos editores, em clima de reunião do tradicional Clube do Bode, que congrega poetas, escritores, gente da imprensa e artistas.

SERVIÇO

*Flórida Bar – Rua Dom, Joaquim, 68 – Praia de Iracema.

Ministro quer dinheiro da Lava Jato e das Loterias para a Cultura

O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, pretende buscar recursos dos acordos de leniência de empresas investigadas na Operação Lava Jato e também de loterias para financiar o setor. Segundo o ministro, só as loterias poderiam injetar cerca de R$ 600 milhões por ano. O ministro participou, nesta terça-feira (24), no Rio, da posse dos novos diretores da Agência Nacional do Cinema (Ancine), Alex Braga Muniz e Christian de Castro Oliveira.

“Precisamos ser criativos e buscar recursos em outras fontes que não apenas o Tesouro. Estou discutindo, internamente e com o governo, a questão dos recursos oriundos das loterias. A lei em vigor já destina um percentual da receita com loterias para projetos culturais, mas esses recursos não têm sido efetivamente destinados à cultura, e nós precisamos fazer com que essa lei se cumpra, encontrar o caminho”, disse o ministro.

Quanto aos acordos de leniência, ele cita valores como o da JBS, que envolve cerca de R$ 1 bilhão, para projetos ambientais, sociais e culturais, o que daria por volta de R$ 330 milhões para a cultura, em um único acordo.

“Eu tenho trabalhado também com a CGU [Controladoria-Geral da União] e com o Ministério Público Federal na questão dos acordos de leniência, sobretudo os que têm sido firmados no âmbito da Operação Lava Jato. Esses acordos preveem a destinação, pelas empresas envolvidas, de recursos para projetos ambientais, sociais e culturais, e nós precisamos definir a maneira como isso se dará, para que os recursos cheguem a esses projetos”, disse Sá Leitão.

Na opinião do ministro, o Brasil tem potencial para estar entre os cinco maiores países da indústria criativa dentro de 10 anos, se forem executados os recursos já existentes para o setor. Quanto ao momento atual do cinema nacional, Sá Leitão disse acreditar que ainda há um grande espaço a ser ocupado nas bilheterias dos cinemas.

“Podemos evoluir muito, se atingirmos um volume bastante razoável de produção, com cerca de 150 filmes lançados ao ano. A nossa fatia no mercado, na bilheteria, ainda está muito aquém do que poderia ser. Precisamos de filmes mais competitivos para disputar a bilheteria com filmes das demais nacionalidades. E precisamos ocupar outras janelas de mercado, como a TV paga, a TV aberta e também o video on demand [NetFlix] e as plataformas digitais”, declarou Sá Leitão.

Após a posse na Ancine, a agenda do ministro ainda previa sua participação na entrega do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, no Theatro Municipal. É o maior prêmio para ações de preservação do patrimônio cultural concedido pelo Ministério da Cultura.

(Agência Brasil)

A Psicologia em nome da poesia

A psicóloga Ana Caroline Aguiar lançará o livro “Poesia e Saúde – trocas, trilhos e trocadilhos” no próximo sábado, a partir das 19h30min, no Auditório Pavimento E, da Torre Del Paseo, no bairro Aldeota.

O prefácio é assinado por Ubiratan Aguiar, ex-presidente do Tribunal de Contas da União e também imortal da Academia Cearense de Letras.

Que tal um curso de Arte e Curadoria?

 

Cinco profissionais do mercado curatorial do país estarão, neste mês, em Fortaleza para ministrar o curso Curadoria em cinco movimentos, na Caixa Cultural. Todos têm larga experiência na área e que atuam em campos diversificados desse ofício, como a curadoria de museus, independentes, de grandes exposições, temáticos ou focais, de centros culturais ou galerias. No grupo, Solange Ferraz de Lima, diretora do Museu Paulista da USP.

O curso será realizado de 24 a 28 deste mês e é aberto ao público, com inscrições gratuitas. São 60 vagas. Para participar, os interessados devem preencher o formulário no site www.curadoriaemcinco.com.br, informando os dados solicitados. A lista com os nomes dos selecionados será divulgada até o dia 23 no site do evento e no Facebook: facebook.com.br/curadoriaemcinco. A produção entrará em contato com os aprovados.

(Foto – Divulgação)

Corredor Cultural do Benfica acerta nova edição

O Corredor Cultural Benfica, evento gratuito de arte, cultura e lazer na Avenida da Universidade e seu entorno, realizará mais uma edição nos dias 21 e 22 deste mês. A programação começará às 8h30min do sábado e seguirá até as 13 horas de domingo.

O evento é uma promoção da Universidade Federal do Ceará e do Centro de Treinamento e Desenvolvimento (Cetrede), com patrocínio da Enel.

SERVIÇO

*Informações adicionais podem ser acessadas no site www.corredorculturalbenfica.com ou junto à Ascom (99905 0020).

(Foto – Eduarda Talicy)

Grupo Cultural Chocalho comemora 33 anos de fundação

O Grupo Cultural Chocalho, através de seu coordenador-geral Auriberto Cavalcante, seu secretário-geral Lyma Netto, e do seu presidente de honra, o ex-governador Lúcio Alcântara – e madrinha, Ana Garcia, vai comemorar, às 19 horas do próximo dia 31, no auditório da Associação Cearense de Imprensa, os seus 33 anos de fundação.

Na ocasião, haverá homenagem com troféus e diplomas a colaboradores e apoiadores do grupo, ao longo dos últimos 10 anos.

Lista dos Homenageados

Agência da Boa Notícia;
Alaércio Flor;
Ana Garcia Soria;
Ary Albuquerque;
ASSOCIAÇÃO CEARENSE DE IMPRENSA – ACI;
Beto Studart;
Camilo Santana;
Carlos Alberto Guilherme Cavalcante;
Carlos Matos;
CAUCAIA 258 ANOS DE EMANCIPAÇÃO;
César Barreto;
COMUNIDADE CATÓLICA SHALOM;
Débora Lima;
Diogo Fontenelle;
Eduardo Fontes;
Eliomar de Lima;
Érica Amorim;;
Eunício Oliveira;
EXPRESSO GUANABARA;
Flávio Jacinto;
Gerardo Frota – Pardal ;
Iranildo Pereira;
Ivan Frota;
Izaira Silvino;
João Ananias;
Jorge Pinheiro;
José Edilson da Silva Filho;
Lyma Netto;
Paulo Guerra;
Pedro Sampaio;
Rachel Marques; Vicente Alencar; e Vicente Mota;

Diploma Cairós de Poesia – Diploma Responsabilidade sócio-cultural

Batista de Lima;
Emmir Nogueira;
Ilário Marques;
Lêda Maria:
Naumi Amorim;
SINDICATO APEOC;
Ubiratan Aguiar; e
Cláudia Leitão:

Diploma Amigo do Chocalho

Amarílio Melo;
Chico Prado;
Expedito Vasconcelos;
Fernando Farias;
Francinete Azevedo;
– Gilson Moreira;
JORNAL DO COMÉRCIO;
Matusahila Santiago;
Pedro Matos;
Vanda Frota ; e Vandelúcio Souza;

Diploma Destaques Área Cultural

Arleni Portelada;
CLUBE DO BODE;
Dimas Macêdo;
Júnior Bonfim; e
Sebastião Valdemir Mourão.

Os Sertões dos Saberes

Com o título “Os Sertões dos Saberes”, eis artigo do cineasta Rosemberg Cariry e do sociólogo Juraci Maia, que pode ser conferido no O POVO desta quarta-feira. Eles destacam evento realizado pela Escola de saberes de Barbalha. Confira: 

Falamos muito de sertão, melhor dizendo, dos sertões, que remetem a lugares situados terras adentro, que se distanciam do litoral. São interiores, portanto, caminhos que nos levam a matas virgens e/ou desertos. São travessias de longa distância, sujeitas a solidões e a desafios de sobrevivência material e da alma. Exigem disposição e coragem, paciência e determinação. É preciso saber lidar com as adversidades da natureza e da humanidade, todo aquele que se encoraja por vontade própria ou ardileza do destino a se lançar nessa viagem, que pode ter volta ou não, abrir portas para outros mundos ou nos lançar em abismos inimagináveis.

Por tudo isso, os sertões ligam homens e mulheres de todas as culturas. Por serem povoados por forasteiros e fantasmas, corações saudosos e sensíveis à recriação da vida e do mundo, são capazes de artes mil, de cantorias emocionadas e toques de sangradas violas, de poéticas do começo e do fim do mundo, de mensagens de amor e desafios de enfrentamento.

Nos sertões que nos povoam o imaginário como nordestinos do Brasil, estão inscritas as pegadas e cascos de animais em que vieram os nossos ancestrais. Caçadores de índios e tomadores de terras, tocadores de boiada e charqueadores de carne. Senhores ambiciosos por grandes domínios e escravizadores de gente arrancada à força de seus lugares de origem no além-mar. São eles originários de outros continentes e nações. Europas, Orientes, Áfricas e Américas vieram se encontrar nos sertões de cá para redescobrir tesouros e sobrevivências, domínios e padeceres feitos de gozos e desprazeres. Vem daí talvez a força artística dos nossos grandes sertões e veredas desse imenso território, cujo contorno se perde no tempo e seus limites nos são dados agora não por métricas e agrimensores e, sim, pela imaginação. Em tudo os saberes e os sonhos de muitos povos e culturas transcontinentais.

Disposta a elucidar e/ou decifrar as artes e histórias perdidas e achadas desse sertão que nos habita a alma, a Escola de Saberes de Barbalha realizou o I Encontro de Culturas, Artes e Saberes dos Sertões, de 12 a 16 de setembro último, com quatorze mesas temáticas, rodas de palestras, exposições e espetáculos de músicas eruditas e populares. Esse evento só foi possível pelo apoio da Urca, UFCA e Secult-CE. Tivemos um encontro memorável, posto entre a oralidade e a ciência, a tradição e a vanguarda, a regionalidade e a universalidade; com Mestres das culturas populares, artistas contemporâneos, professores e doutores vindos de vários estados do Nordeste e do Cariri cearense. Deu-se ali um rico diálogo de alargamento e ressignificação do que seja sertão.

Rosemberg Cariry

ar.moura@uol.com.br

Cineasta e escritor

Juraci Maia

juracimaiacavalcante@gmail.com

Socióloga

 

Revista cultural “Para Mamíferos” será lançada no Dragão do Mar

Será lançada nesta terça-feira, às 19 horas, no auditório do Centro Dragão do Mar, a edição nº 4 da revista cultural “Para Mamíferos”. Entre editores, o jornalista Nerilson Moreira.

A publicação reúne escritores e artistas visuais que estampam 70 páginas com textos, ilustrações, recortes e outras artes. Entre os participantes da publicação estão Alejandra Pizarnik, Joca Terron e Natalia Maia.

A revista, segundo Nerilson, objetiva promover debates sobre o cenário literário contemporâneo e apresentar novos escritores, novas vertentes e novos projetos, formando um canal para divulgação e fomento das linguagens artísticas no Ceará.

(Foto – Arquivo)