Blog do Eliomar

Categorias para Cultura

CCBNB Fortaleza recebe exposição interativa sobre a história da TV brasileira

A Seja Digital, entidade não governamental responsável pelo processo de migração do sinal de TV no Brasil, inaugura neste sábado (29) a “Vila Digital”. No espaço, localizado no Centro Cultural Banco do Nordeste, os visitantes viajarão no tempo, desde o início da TV brasileira, com transmissões em preto e branco, até os dias de hoje, com a qualidade de som e imagem da TV digital. Além da exposição, que segue até a próxima quarta-feira (2), com entrada franca, a Vila Digital também conta com um ambiente interativo que oferece atividades, experiências e jogos para todas as idades.

Na entrada da exposição, aparelhos de televisão antigos remontam a cada uma das décadas desde a primeira transmissão televisiva no Brasil. Ali, é possível assistir aos comerciais dos anos 50, aos musicais de auditórios dos anos 60, aos programas de humor dos anos 70, aos clássicos infantis dos anos 80, aos flashes esportivos dos anos 90 e a cenas que marcaram a dramaturgia dos anos 2000.

(CCBNB)

TVC e Cineteatro São Luiz promovem seleção de videoclipes de músicas cearenses

Atenção realizadores audiovisuais, compositores, músicos, bandas e intérpretes!

Querem ver o vídeo da sua banda na tela da TVC e do Cineteatro São Luiz? Foi aberta chamada pública para inscrições de videoclipes. Para participar, basta preencher o formulário no link http://tinyurl.com/ycxktsjj e enviar o seu trabalho pela internet. Serão aceitos videoclipes em resolução mínima de 720 pixels em serviço de armazenamento virtual (Google Drive, Dropbox, OneDrive, Mega).

Segundo a diretora de programação da TVC, Moema Soares, essa chamada pública é uma oportunidade das bandas locais divulgarem seu trabalho. “Programas de videoclipes são comuns em TVs por assinatura. Estamos dando a oportunidade aos nossos telespectadores de conhecer esse universo musical em uma TV aberta. Do outro lado, proporcionamos aos cantores, bandas e compositores cearenses, essa chance de exibir os seus trabalhos, oferecendo o que há de melhor na música cearense. Tem espaço para o forró, rock, MPB, jazz e blues, ou seja, não importa o gênero musical, importa sim a história desse músico com o nosso Ceará”, pontuou.

Os vídeos selecionados serão exibidos dentro da grade de programação da TVC e no Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará, que foi restaurado e reinaugurado em 2014 e que em dois anos teve público superior a 300 mil espectadores. Os videoclipes serão exibidos antes de cada sessão do São Luiz.

(Secult)

Cine Ceará selecionado – Projetos culturais terão apoio de R$ 12 milhões do BNDES este ano

Vinte e um projetos de todas as regiões do país, com início entre agosto e dezembro deste ano, vão receber até R$ 12 milhões de patrocínio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), incentivados pela Lei Rouanet. Do total, 43% dos projetos são referentes à área da música, 38% ao audiovisual e 19% à literatura. O anúncio foi feito pela instituição nesta semana.

Uma das novidades este ano é a exigência de que todos os eventos realizem ações inclusivas voltadas para o público infantojuvenil de comunidades carentes. No mesmo período do ano passado, foram apoiados pelo banco 20 projetos, também com recursos no valor de R$ 12 milhões.

O setor de cultura continua sendo prioridade na instituição, que apoia festivais e mostras de cinema que tenham foco na produção audiovisual brasileira, eventos de música instrumental e erudita e festas e feiras literárias que fomentem o acesso às bibliotecas públicas brasileiras.

Dos 21 projetos selecionados neste segundo semestre de 2017, alguns dos quais com realização em mais de um estado, três ocorrem no próximo mês de agosto, quatro em setembro e quatro em outubro, sete em novembro e três em dezembro. As regiões Nordeste e Sudeste receberão o maior número de eventos: 10, cada, enquanto o Norte e o Centro-Oeste terão três projetos cada e a Região Sul, dois projetos.

Oito projetos receberão apoio do banco pela primeira vez. Entre eles, destacam-se a 7ª Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica 2017), na Bahia; e o 5° Festival de Música Erudita do Espírito Santo.

Os projetos selecionados para agosto são o 45º Festival de Cinema de Gramado (RS), o 8º Circuito Música Brasilis Instituto Musica Brasilis (RJ/DF/PE), e o 27º Festival Ibero-Americano de Cinema (Cine Ceará 2017). Para setembro, estão programados os eventos Lê pra mim? (SP/MA/AL), o 50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (DF), o 15º Festival Internacional de Cinema Infantil -Fici 2017 (BA/SE/RN) e Mimo Festival 2017 (RJ/PE).

Para outubro, a programação inclui a 41ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo (SP), o 7º Festival Música na Estrada (AM/PA/RR), a 7ª Festa Literária Internacional de Cachoeira – Flica 2017 (BA) e o Festival do Rio 2017 (RJ). Em novembro, ocorrerão a 63ª Feira do Livro de Porto Alegre (RS), o 55° Festival Villa-Lobos (RJ), o 5º Festival Interacional de Música Clássica de João Pessoa (P B) , o Circuito Penedo de Cinema (AL), a 4ª Mostra de Cinema de Gostoso (RN), a Periferia Brasileira de Letras (RJ/DF/BA) e o 5° Festival de Música Erudita do Espírito Santo.

Fechando o ano, estão previstos, em dezembro, o 3º Festival Internacional de Música Antiga de Diamantina (MG), Festival Afroreggae de Música Clássica (RJ) e 22º Festival de Música Instrumental da Bahia.

(Agência Brasil)

Anuário do Ceará 2017/2017 será lançado no próximo dia 27

Referência no Estado, o Anuário do Ceará 2017-2018, será lançado dia 27 de julho, às 20 horas, no Viriato Buffet. Tradicionalmente, a edição mostra informações econômicas, políticas, sociais, geográficas e culturais, apresentando textos, mapas, tabelas, fotos e ilustrações.

Nesta edição há uma homenagem ao patrimônio histórico e aos bens tombados no Estado. No capítulo especial, os 80 anos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) são resgatados pelo professor doutor da Universidade Federal do Ceará (UFC) e ex-superintendente do órgão, Romeu Duarte.

A Editora-Executiva de Imagem do O POVO, Andrea Araújo, faz sua estreia no Anuário do Ceará ao assinar o projeto gráfico da publicação. Todo o conteúdo da versão impressa pode ser conferido pelo site www.anuariodoceara.com.br. Na linha de sempre oferecer informações completas e de manuseio amigável, há múltiplas possibilidades de cruzar informações acerca do Ceará em formato de big data.

Dividida em 11 capítulos e 640 páginas, a publicação é a mais antiga em circulação no Estado, com cerca de 150 anos. O rigor na apuração, a atualização constante e a credibilidade fazem da publicação uma fonte obrigatória para estudantes e profissionais de todas as áreas. Além de Fábio Campos, a publicação tem à frente os jornalistas Jocélio Leal, que assina como editor-executivo, e Joelma Leal como editora-adjunta.

Os repórteres Alex Ferreira, Camila Gadelha, Cristina Brito, Hamlet Oliveira e Rebeca Soares apuraram o conteúdo que o leitor vai encontrar no Anuário do Ceará 2017-2018. A revisão e a checagem são do jornalista Soriel Leiros.

Tradicionalmente, a publicação traz o ranking dos mais influentes na Assembleia Legislativa do Ceará, da Câmara Municipal de Fortaleza e da bancada cearense em Brasília, assim como a lista de Instituições de Ensino Superior (IES) do Estado e outros conteúdos úteis para o leitor.

TV O POVO

Em agosto, os telespectadores poderão conferir na TV O POVO o Anuário Especial. Serão 16 especiais, trazendo convidados e temas que compõem a publicação e o site.

Concepção gráfica

O projeto gráfico elegeu 11 obras que ilustram a capa e os capítulos da edição, criadas por Carlus Campos. Aliada às imagens, uma paleta de cores trafega por cada capítulo, juntamente com texturas e tipografias cuidadosamente escolhidas: uma família de serifadas para os títulos e outra, sem serifa, para os textos. Os conceitos visuais, tanto as imagens quanto os espaços brancos, estão em harmonia com o editorial, numa sintonia quase que poética, tanto no impresso como no digital. A forma e o conteúdo comungam na publicação que mantém uma tradição histórica e nobre há mais de 150 anos em nosso Estado. Os profissionais Cristiane Frota, Antônia Coutinho, Welton Travassos, Luciana Pimenta e Gabriel Almeida formam o time responsável pela arte do Anuário.

SERVIÇO

*Site: www.anuariodoceara.com.br

*Para comprar o Anuário

Onde: bancas, livraria Cultura e sede do O POVO
Valor do Anuário (bancas e Livraria Cultura)
Venda Avulsa: R$ 99
Assinantes: R$ 79 (na sede do O POVO)
Assinantes podem solicitar pelo Call Center: (85) 3254 1010

Que tal uma oficina onde você pode aprender estratégias de comunicação para projetos culturais?

O Theatro José de Alencar (TJA) e o Outro Grupo de Teatro estão com inscrições abertas para uma oficina gratuita sobre assessoria de imprensa e estratégias de comunicação para projetos culturais. A formação vai ser mediada pelo ator e jornalista Ari Areia entre os dias 25 e 28 de julho (terça a sexta-feira próximas), das 19 às 21 horas, no anexo do TJA.

Esta ação formativa abre as atividades de comemoração pelos seis anos de trabalho continuado do Outro Grupo, Ari vai compartilhar experiências interessantes desenvolvidas durante esse período tanto no relacionamento com os veículos de imprensa quanto na mobilização de público.

Ari Areia é bacharel em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Ceará (UFC), coordena as ações de comunicação e marketing do Outro Grupo de Teatro, coletivo que ajudou a fundar em 2011 e onde também trabalha como ator. Compõe a equipe da Ocupação Teatro Máquina (Teatro Carlos Câmara), na assessoria de imprensa, e já acompanhou projetos como “Todo Camburão Tem um Pouco de Navio Negreiro” (Nóis de Teatro) na CAIXA Cultural, “Sete Estrelas do Grande Carro” (Teatro Máquina), pelo RUMOS Itaú Cultural, e “Ato de Comunhão” (Gilberto Gawronski), pela Funarte.

SERVIÇO

*Inscrições abertas até 22/07 (sábado) pelo link: https://goo.gl/forms/GCcePA2KVIdAVRuH3

*Mais informações: 3101-2566
E-mail: outrogrupo@gmail.com
Facebook: Outro Grupo de Teatro.

Anuário do Ceará – Salmito ocupa primeira posição no ranking de influência

151 1

Da Coluna dominical do Alan Neto, no O POVO deste domingo (16):

Presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito Filho (PDT), ocupa primeira posição no ranking de influência, de acordo com levantamento feito pelo Anuário do Ceará 2017-2018. Leitor pode, ainda, conferir os resultados da Assembleia Legislativa e bancada cearense no Congresso Nacional. Lançamento do Anuário, dia 27, Viriato Buffet, 20 horas.

DETALHE 1 – Na foto acima (Facebook), Salmito reafirmando sua admiração por Luiz Gonzaga, “o grande responsável pela construção de uma identidade cultural do Nordeste do Brasil, cantando a flora, a fauna e os costumes do nosso povo”.

DETALHE 2 – O presidente do Legislativo de Fortaleza percorreu de carro o Sertão Central do Ceará, o Cariri e parte do sertão pernambucano, para mostrar a cultura cearense e nordestina à família. Para Salmito, o reconhecimento e a valorização da cultura regional começam na família.

Entrada gratuita – Musical “Tudo tem seu tempo” encerra temporada em Fortaleza

Nada se mostra tão poderoso quanto o tempo. Ele é regente das alegrias, das dores, dos sonhos e da vida. O musical “Tudo tem seu tempo” foi concebido para fazer refletir sobre o tempo do agora.

A temporada em Fortaleza será encerrada neste fim de semana, a partir desta sexta-feira (14) e também neste sábado (15), às 19 horas, no auditório da EIM Instalações Industriais, no bairro Cambeba.

No repertório, músicas que fizeram parte de cada momento de descoberta do corpo e da voz, ao longo de um ano de atividades, dos jovens do Coral Canto da Casa, e que expressam um sentido para seguir o pulso da vida. Tempos Modernos (Lulu Santos), Depois (John Ulhoa), Pouco Tempo (Francisco Neto), Admirável Chip Novo (Pitty), Último Dia (Paulinho Moska), Oração ao Tempo (Caetano Veloso), Felicidade (Marcelo Jeneci) e O Tempo Não Para (Cazuza) são algumas das músicas cantadas e interpretadas.

Contemplado pelo VIII Edital Mecenas do Ceará, da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará, o projeto Casa da Voz, da UFC, integra a Plataforma Sinfonia do Amanhã, mantida pela Enel em parceria com o Governo do Ceará.

SERVIÇO

*Auditório da EIM Instalações Industriais – Avenida Washington Soares, 5700.

*Entrada gratuita

Dez anos, dez ministros

Em artigo no O POVO deste sábado (8), o professor do Centro Universitário 7 de Setembro e jornalista Magela Lima avalia que não há política pública que se sustente com tanta troca no comando da Cultura no País. Confira:

Perto das manchetes policiais que tomaram conta do noticiário político nos últimos tempos, a escandalosa média de um ministro da Cultura por ano no Brasil no correr da última década pode não causar tanta indignação. Mas deveria. Não há política pública que se sustente com tanta interrupção. Enquanto o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, por exemplo, teve um único ministro em seus oito anos de governo, Michel Temer, que chegou a extinguir o Ministério da Cultura logo que tomou o poder, caminha, em pouco mais de um ano, para seu quarto gestor no comando da pasta.

É um absurdo que supera até mesmo os desacertos de sua antecessora na área. Num cenário de festejada continuidade, a ex-presidente Dilma Rousseff, sabe-se lá com qual propósito, abriu mão do bom legado que o ex-presidente Lula construiu no Ministério da Cultura. Ali, vivemos um raro momento em que as ações pareceriam mais interessadas em dialogar com o Estado brasileiro, em vez de simplesmente demarcar administrações. Dilma não só teve quatro ministros em cinco anos de gestão, como permitiu, revelando extremo desinteresse pelo setor, que cada novo gestor se ocupasse quase que exclusivamente de desfazer o que encontrou.

Com acentuada dependência das políticas públicas, a cultura, se comparada à saúde ou à educação, é mais sensível à descontinuidade dos projetos. Assim, o compromisso número um de qualquer gestor comprometido com a área deveria sera garantia de um mínimo de perenidade às iniciativas. O que temos visto no País é exatamente o contrário. O Ministério da Cultura reassumiu um lugar acessório que contradiz sua importância, e o pior é o efeito cascata desse descaso.

Quando o Governo Federal não tem um pensamento consistente para a cultura, isso contamina estados e municípios.

O resultado é um quadro de tamanha desordem que ameaça até o que parecia sagrado no panorama cultural brasileiro. Basta dizer que o desfile das escolas de samba do carnaval carioca está em xeque com um corte de 50% no fomento que as agremiações recebem da Prefeitura do Rio de Janeiro. Numa hora dessas, o discurso da crise é muito bem-vindo: não tem dinheiro para nada, quem dirá para cultura.

O prejuízo cultural, no entanto, é infinitamente maior que qualquer economia nas finanças. Perdemos todos com esse constante retrocesso.

Economia criativa em tempo de festas juninas

Com o título “Economia  criativa e as festas juninas”, eis artigo da ex-secretária estadual da Cultura, Cláudia Leitão. Ela avalia que esse momento de festas pelo País poderia ser menos informal e mais profissional para alavancar a economia. Confira:

Como na América Latina, no Caribe e na África, também no Brasil as festas populares estão entre as mais significativas expressões da nossa diversidade cultural. Lamentavelmente, elas não são compreendidas como vetores econômicos, especialmente, como instrumentos de inclusão produtiva para milhões de brasileiros. Todos nós sabemos, de forma empírica, que as festas juninas movimentam, uma grande rede produtiva merecedora de estudos específicos, que nos permitiriam conhecer para (re)conhecer as dinâmicas econômicas dessa importante expressão cultural, sobretudo para ampliar os seus impactos positivos para os micro e pequenos empreendedores criativos do Nordeste.

Contudo, há desafios a serem enfrentados: grande parte da economia das festas juninas é informal; parte dos insumos que poderiam ampliar essa economia é importada, a exemplo das vestimentas da festa, importadas da China; não há formação adequada para a gestão empreendedora das festas no Brasil, ao exemplo, do que já existe, por exemplo, em Trinidad y Tobago, onde a universidade forma especialistas e gestores para as festas; inexistem políticas integradas entre as pastas da Cultura e do Turismo no País que permitam a construção de um turismo cultural capaz de valorizar as festas como um insumo estratégico para o turismo.

Por outro lado, a ausência de políticas públicas reproduz nas festas juninas as assimetrias entre os elos dessa importante rede. Assim, a indústria cultural acaba por ser hegemônica, solapando as expressões culturais locais, fundamentais à diversidade da festa. Não é por acaso que a cantora Elba Ramalho, em entrevista recente, reconhece que a produção musical das festas juninas vem sendo ameaçada pela música sertaneja paulista!

Enfim, para que as festas juninas sejam compreendidas enquanto patrimônio cultural imaterial, mas também como alternativa de desenvolvimento econômico, necessitaríamos reforçar os papéis da cultura no desenvolvimento local e regional, enfatizando a força crescente da economia criativa no Brasil. É o que vem afirmando Irina Bokova, atual diretora-geral da Unesco: além de gerar postos de trabalho, a economia criativa contribui com o bem-estar geral das comunidades, fomenta a autoestima individual e a qualidade de vida, o que resulta em um desenvolvimento sustentável e inclusivo.

Neste momento, em que festejamos São João e São Pedro, enquanto o Ministério da Cultura agoniza, a observação de Irina Bokova não poderia ser mais oportuna.

*Cláudia Leitão

claudiasousaleitao@yahoo.com.br

Professora e pesquisadora da Uece, consultora em Economia Criativa.

Secretários estaduais da Cultura divulgam carta expondo esvaziamento do MinC

O Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura divulgou, nesta segunda-feira, uma carta sobre a atual situação do Ministério da Cultura. Chega após renúncia do então ministro interino João Batista de Andrade. Assinam a carta 19 secretários de Cultura, incluindo o presidente do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura, Fabiano dos Santos Piúba, titular da Secult/Ceará.

Confira a integra da carta:

CARTA DO FÓRUM NACIONAL DOS SECRETÁRIOS E DIRIGENTES ESTADUAIS DE CULTURA

Diante dos novos fatos que envolvem os motivos da renúncia do ministro interino do MinC e da grave situação em que Ministério se encontra, o Fórum de Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura vem a público se manifestar:

1. Desde o processo de mudança no Governo Federal, o Ministério da Cultura não se recuperou em sua integridade. Em carta assinada pelos dirigentes deste Fórum em maio de 2016, exigíamos a manutenção do MinC em sua integridade e contra sua extinção, qualquer tipo de fusão ou sua transformação em secretaria nacional;

2. A manutenção do MinC na estrutura do Governo ocorreu em função da mobilização e pressão dos campos artísticos e culturais junto com a sociedade brasileira e não por uma determinação política e estratégica do Governo;

3. No dia 16/03/2017, o Fórum de Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura esteve em reunião com o então ministro Roberto Freire e lhe entregou um documento com uma pauta pragmática cobrando pelo menos os cumprimentos contratuais dos objetos firmados em torno dos convênios entre o MinC e as secretarias estaduais de cultura: Programa Cultura Viva/Pontos de Cultura, edital Economia Criativa, edital do Sistema Nacional de Cultura, Emendas Parlamentares, PAC das Cidades Históricas, Arranjos regionais da ANCINE, Mapas da Cultura e SNIIC;

4. Em todo esse período o MinC não foi nem tem sido capaz de aprovar qualquer Plano de Trabalho, responder diligências, empenhar recursos, ordenar despesas e repassar recursos financeiros referentes aos convênios com os estados da federação brasileira, acarretando em prejuízos imensuráveis para a política de descentralização dos recursos e do pacto federativo de fortalecimento do Sistema Nacional de Cultura;

5. As palavras do ex-ministro interino, João Batista de Andrade, em entrevista à Rádio Jovem Pan de São Paulo no último dia 16/06, sobre “um Ministério inviável”, que “virou um lugar vago onde todo mundo é candidato sem qualquer ideia de política cultural”, revelam, na verdade, a percepção, o lugar e o papel da cultura, das artes e da política cultural para o Governo que por hora dirige o país.

Dito isso, o Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura denuncia com veemência o desrespeito institucional não só com o Ministério da Cultura, mas com toda a comunidade cultural, com o riquíssimo patrimônio cultural brasileiro, o que, em última análise, é um desrespeito com a sociedade e com a garantia constitucional do direito à cultura e do acesso aos bens e serviços culturais a todos os brasileiros e brasileiras.

O Fórum de Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura vem, outra vez, defender a integralidade do Ministério da Cultura e reafirmar seu lugar e o papel das políticas culturais para o desenvolvimento do Brasil, sua soberania nacional, o pensamento crítico e inventivo dos brasileiros, o desenvolvimento social e econômico, bem como para o exercício pleno da democracia.

Nestes termos, e tendo em conta a evolução recente do quadro político, o desmonte das conquistas históricas das políticas publicas de caráter social, entre elas as de Cultura, o Fórum manifesta o desejo de um novo pacto democrático para o país.

Senadora Marta Suplicy recusa reassumir Ministério da Cultura

A ex-ministra da Cultura no Governo Dilma, a senadora Marta Suplicy (PMDB-SP), recusou reassumir a pasta, após o então ministro interino João Batista de Andrade (PPS) entregar cargo em carta ao presidente Michel Temer, nessa sexta-feira (16).

O corte de verbas do Ministério teria sido a causa da renúncia de João Batista, apesar do seu partido ter rompido com a base aliada de Temer.

O motivo da renúncia do interino também seria a mesma justificativa para que a senadora peemedebista recusasse reassumir a pasta, que também passa por uma redução no quadro funcional.

(com agências)

Ministro interino da Cultura pede demissão

O ministro interino da Cultura do governo Temer, João Batista de Andrade, enviou uma carta ao presidente pedindo demissão, informa o jornal O Estado de S. Paulo. Ele justificou o pedido afirmando que não tem interesse em ser efetivado no posto. Na carta, segundo o jornal, ele diz a Temer que está disposto a contribuir “de forma proativa” com a transição.

João Batista está no cargo desde maio, quando o ex-ministro Roberto Freire também pediu demissão após a divulgação da delação premiada de Joesley Batista, citando Michel Temer.

De acordo com o Estadão, o governo já tinha decidido tirar João Batista do cargo, para tirar o ministério do PPS. Roberto Freire, o ministro anterior, que também é do PPS, tinha cobrado a renúncia do presidente após a delação.

No entanto, o governo só deve efetivar a troca quando Temer voltar de viagem para a Rússia e a Noruega, na próxima sexta-feira (22).

XVI Festival Noia está com inscrições abertas

A CAIXA Cultural Fortaleza apresentará o XVI Festival do Audiovisual Universitário, que acontecerá gratuitamente de 3 a 8 de outubro próximo. Além da tradicional mostra de curtas-metragens, a edição traz as mostras competitivas de fotografia e bandas universitárias cearenses, com intuito de gerar uma relação hibrida entre som e imagem que em movimento formam o audiovisual.

Estudantes podem inscrever seus trabalhos até o dia 29 de julho próximo via regulamento e ficha de inscrição disponíveis no site oficial (www.festivalnoia.com.br).

Para participar da Mostra Brasileira de Cinema Universitário e da Mostra Ceará de Cinema Universitário, os filmes precisam ter duração máxima de 20 minutos, com data de realização entre janeiro de 2016 e Julho de 2017. Podem se inscrever curtas de ficção, documentário, animação ou experimental produzidos por realizadores brasileiros regularmente matriculados em instituições de ensino acadêmicas ou técnicas das redes públicas ou privadas.

Cada diretor pode submeter até dois filmes para a seleção, que devem ser enviados nos formatos NTSC, 16:9, 4:3 ou H264. Os filmes selecionados concorrerão ao Troféu NOIA nas seguintes categorias: melhor curta-metragem (júri oficial, júri popular e júri da crítica), direção, roteiro, montagem, edição de som, trilha sonora, fotografia, direção de arte, figurino, maquiagem, atriz, ator e intérprete coadjuvante. A Mostra Ceará premiará o melhor filme de acordo com o voto popular.

Fotografia e Música

Com tema livre, a Mostra Cearense de Fotografia Universitária pretende incentivar a preservação das imagens do cotidiano e valorizar o potencial artístico dos alunos inscritos. Podem participar trabalhos produzidos só no Ceará entre janeiro de 2017 e julho de 2017, cujo responsável, independente de sua nacionalidade, resida e estude no Ceará na época da produção da foto.

Serão aceitas fotografias digitais, tiradas de câmera profissional ou celular, desde que a câmera tenha pelo menos 8 MP de resolução e o arquivo gerado seja com no mínimo 2 MB. O júri avaliará as obras selecionadas e concederá o Troféu NOIA, durante cerimônia de encerramento, na categoria de Melhor Fotografia e Melhor Série.

Para a Mostra Cearense de Bandas Universitárias, podem participar bandas universitárias de qualquer estilo, que tenham em sua formação, pelo menos, 2 (dois) integrantes universitários. Cada banda deverá inscrever, no mínimo, quatro músicas originais (criação individual ou coletiva independente do estilo musical, em qualquer idioma), sendo o restante do repertório de livre escolha. A soma total do repertório, apresentado no ato da inscrição, não pode ultrapassar o tempo-limite de 25 minutos.

Os vencedores serão escolhidos por voto popular e pelo júri oficial. O Troféu NOIA será concedido nas categorias: melhor banda (júri oficial e júri popular) e melhor música autoral (júri oficial).

(Foto – Divulgação)

Prêmio Ferreira Gullar tem inscrições prorrogadas

Transformar trechos da obra ou da vida do poeta maranhense Ferreira Gullar em jogos eletrônicos ou aplicativos é o desafio proposto pelo Prêmio Literário Ferreira Gullar, que teve as inscrições prorrogadas até 30 deste mês. Podem participar estudantes dos ensinos fundamental e médio de escolas públicas e privadas de todo país.

A iniciativa, promovida pelo Ministério da Cultura, faz parte do Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL), que tem como diretrizes a democratização do acesso à cultura e o fomento à leitura. O edital tem o objetivo de estimular a leitura e, ao mesmo tempo, homenagear o escritor Ferreira Gullar, pseudônimo de José de Ribamar Ferreira, falecido em dezembro de 2016. O melhor projeto será premiado com R$ 10 mil; o segundo, com R$ 7.142,86; e o terceiro, R$ 4.285,72.

Poeta, crítico e ensaísta, Ferreira Gullar foi líder do movimento literário conhecido como neoconcretismo, surgido no Rio de Janeiro na década de 50. Os adeptos ao movimento acreditavam que a arte tinha sensibilidade, expressividade e subjetividade próprias e eram contrários às atitudes cientificistas e positivistas nas manifestações artísticas. Filiado ao Partido Comunista Brasileiro, chegou a ser preso e exilado durante o regime militar.

SERVIÇO

*As inscrições para o Prêmio Literário Ferreira Gullar podem ser feitas no portal do Ministério da Cultura.

*Dúvidas podem ser esclarecidas pelo telefone (61) 2024.2629 ou pelo e-mail premioferreiragullar@cultura.gov.br.

CCBNB em clima de tragédia grega

O Centro Cultural Banco do Nordeste Fortaleza volta aos tempos gregos clássicos na próxima edição do programa Literatura em Revista. Será na terça-feira, às 17h30min, quando a edição vai abordar o tema “Literatura Grega Clássica e Tradução”.

Ana Maria Pompeu, Orlando de Araújo e Elvis Freire, professores e tradutores em grego clássico, apresentarão passagens e personagens das tragédias e das comédias gregas. O objetivo do encontro também é mostrar os desafios de se traduzir para o português os textos da literatura grega.

A programação inclui o lançamento das edições bilíngues da tragédia “Electra”, de Sófocles, traduzida por Orlando de Araújo, e da comédia “Os Cavaleiros, de Aristófanes”, inédita em língua portuguesa, por Ana Maria Pompeu e pelo Grupo de Estudos Aristofânicos (GEA). A mediação é de Talles Azigon.

SERVIÇO

*Centro Cultural Banco do Nordeste – Rua Conde D’Eu, 560 – Centro.

*Entrada franca.

UFC promove circuito de arte nesta sexta-feira no TJA

A Universidade Federal do Ceará promoverá, nesta sexta-feira (9), por meio de sua Secretaria de Cultura Artística, a  terceira edição do Circuito UFC-Arte. O evento ocorrerá, a partir das 17 horas, no Theatro José de Alencar e contará com exposições de artes visuais e espetáculos de teatro e dança. Esta edição do Circuito, segundo a assessoria de imprensa da Instituição, dá prosseguimento a uma parceria realizada entre a Secult-Arte e a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará.

Participarão quatro grupos com projetos cadastrados no Bolsa-Arte: Fotografia Tátil, Bolsa Arte Moda, Grupo Verso de Boca e Oré Anacã. Os dois primeiros estarão com exposições no pátio principal do teatro.

O projeto Fotografia Tátil, do Curso de Design, expõe fotos que utilizam recursos tecnológicos para apreciação por pessoas cegas pelo sentido do tato. O Bolsa Arte Moda apresentará a exposição Figura, arte e vista, que trabalha com a temática do figurativismo através do trabalho de diversos ilustradores.

Também no pátio, haverá a intervenção cultural do Grupo Verso de Boca, seguida de um cortejo para dentro do teatro, onde ocorrerá a apresentação do espetáculo O Poeta do Hediondo, que homenageia o paraibano Augusto dos Anjos (1884-1914). Por fim, às 20 horas, o grupo de danças populares Oré Anacã apresentará, no palco principal, o Entre penas e contas, espetáculo com influência étnica negra e indígena, com o frevo e o maracatu pernambucanos, o boi-bumbá de Parintins, o congado mineiro e o siriri cuiabano.

(Foto – Viktor Braga)

Fausto Nilo integra o projeto mestres da literatura brasileira e da MPB contemporânea

O arquiteto e compositor Fausto Nilo será um dos debatedores convidados do projeto “Nascente e Foz: mestres da literatura brasileira e a MPB contemporânea”, que acontecerá, de 16 a 18 deste mês, na Caixa Cultural Fortaleza.

Ele participará do bate-papo no terceiro dia, cujo foco será a obra de Vinicius de Moraes, o homenageado da noite. Antes do debate, haverá, às 19 horas, show da Banda Pietá, do Rio Grande do Norte, com intervenção poética do ator carioca Orã Figueiredo.

(Foto – Paulo MOska)

Secult promoverá a Caravana da Cultura no Cariri

A Secretaria da Cultura do Ceará promoverá, nos próximos dias 8 e 9, a Caravana da Cultura Região do Cariri, atividade composta por Reuniões Setoriais da Cultura na Macrorregião do Cariri e pela abertura do primeiro Escritório Regional da Secult no interior do Estado, sediado na Vila da Música.

Realizada nos municípios de Brejo Santo e Crato, a Caravana da Cultura, segundo a Secult, é um convite a todos os envolvidos e interessados em apresentar e debater com o secretário da Cultura do Estado, Fabiano dos Santos Piúba, suas demandas para a área cultural na região. Participarão ainda da atividade, os gestores da Secult e dos municípios, representantes dos pontos de cultura, regentes de bandas e demais agentes culturais.

Em Brejo Santo, a atividade ocorrerá no dia 8, das 8 às 17 horas, no Cine Teatro Professor Júlio Macedo Costa, com o lançamento do primeiro Escritório Regional da Secult no Cariri, a apresentação da Política Cultural do Estado e os debates sobre as principais demandas da região para a área.

Já no Crato, a Caravana será sediada na Vila da Música, no dia 9/6, das 8 às 22 horas, com a assinatura dos termos de cooperação entre a Secult e instituições Locais, a apresentação da Política Cultural do Estado, o lançamento do Escritório Regional do Cariri, as Reuniões Setoriais, e ainda com a abertura da exposição de Xilogravura “Mestres e Mestras da Cultura do Ceará” do poeta, cordelista e xilógrafo, Otávio Menezes.

Concluindo estes dois dias de atividade no Cariri, haverá também, às 19 horas, uma terreirada com apresentações culturais para entrega das carteiras dos Mestres e Mestras da Cultura da Região do Cariri.

SERVIÇO

*As inscrições para as atividades estão abertas de até 7 de junho, através da plataforma Mapa Cultural do Ceará: http://bit.ly/reuniaocariri. Após esta data, os interessados em participar das atividades poderão realizar suas inscrições, presencialmente, em Brejo Santo (8/6) e Crato (9/6), nos respectivos locais em que ocorrerão as Reuniões Setoriais.

 

Fortaleza e São Gonçalo do Amarante receberão o Projeto Lamparina de Histórias

Tamara Bezerra e suas histórias.

Fortaleza e São Gonçalo do Amarante (RMF) receberão a décima sexta edição do projeto Lamparina de Histórias – Festival de Contos Populares. Será nos dias 8 e 9 de junho em São Gonçalo e entre os dias 23 e 24 de junho em Fortaleza. Serão 20 atrações gratuitas, além de feira de artesanato, livros e cordéis. A iniciativa é apoiada pela Enel Geração Fortaleza, Banco do Nordeste e Secretaria de Cultura do Estado, através do IX Mecenas do Ceará e Ministério da Cultura.

O projeto tem marcado o calendário cultural de Fortaleza e São Gonçalo do Amarante como uma ação de valorização da terceira idade, oralidade e cultura popular. A ordem é compartilhar a sabedoria popular para as novas gerações com mestres consagrados local e nacionalmente como o Mestre Lucas Evangelista (Crateús – CE), Jiddu Saldanha (RJ), grupo Dona Zefinha (Itapipoca), Banda Carmim (Fortaleza) Aldenor Miranda (São Gonçalo) Tamara Bezerra, Fatima Mendes. Ainda na programação estão confirmadas a participação dos contadores Fátima Mendes, Liliane Matos, Galeguinho, Airton Barbosa, Coco do Pecém, Gonçalo, Terezinha Rabelo, Instituto Chico Mota, Maria Rita Mota e Kelvia Piragibe.

Projeto

O projeto já esteve em 12 cidades do Ceará: Aquiraz (sede e Batoque), Assaré, Canindé, Caucaia (Boqueirão dos Cunhas), Fortaleza (João XXIII, Dias Macedo, anfiteatro do Centro Cultural Dragão do Mar e Centro Cultural Banco do Nordeste), Itarema, Saboeiro e São Gonçalo do Amarante (sede, Pecém e Taíba), resultando num documentário sobre a prática destes velhos narradores, incluindo as cidades de Beberibe, Hidrolândia, Guaramiranga e Itapipoca.

Programação

*São Gonçalo do Amarante – Praça do Pecém

08 de junho, quinta-feira

Exposição de artesanatos, livros e cordéis

9h – Contação de histórias com Fátima Mendes, na Escola Euclides Pereira Gomes.

14h – Contação de histórias com Liliane Matos, na Escola Euclides Pereira Gomes.

15h – Oficina Memória de pescadores com Júlia Barros.

17h30min – Apresentação com o Coco do Pecém, na Praça do Pecém.

18h – Contação de histórias com Tâmara Bezerra, na Praça do Pecém.

19h – Apresentação com a quadrilha Filhos do Sol, na Praça do Pecém.

09 de junho, sexta-feira

Exposição de artesanatos, livros e cordéis

8h – Contação de histórias na Escola Gov. Tasso Jereissati.

8h45min – Contação de histórias na Escola Municipal Socorro Gouveia

9h30min – Contação de histórias no Polo ABC de São Gonçalo do Amarante.

14h – Recital de Cordel com o cordelista Raimundo Nonato Abreu, na escola Euclides Pereira.

18h – Maratona de histórias com narradores de São Gonçalo do Amarante – Cordelista Raimundo Nonato Abreu, Aldenor Miranda, Galeguinho e Airton Barbosa na Praça do Pecém.

19h – Forró pé-de-serra com a Banda Carmim, na Praça do Pecém.

*Fortaleza – Centro Cultura do BNB

23 e 24 de junho, sexta-feira

Exposição de artesanatos, cordéis e livros

10h – Roda de histórias com narradores tradicionais da terceira idade: Mestre Lucas Evangelista, D. Terezinha Rabelo e Sr Raimundo, mediação de Tâmara Bezerra.

12h – Recital de cordel com as cordelistas da rede Mnemonise.

14h – Contação de histórias com narradores da terceira idade do Instituto Chico Mota.

14h30min – Oficina de Coco, com Aldenor Miranda.

17h – Apresentação do Coco do Pecém.

18h – Peleja de viola e narrativas com o Mestre Lucas Evangelista.

24 de junho, sábado

Exposição de artesanatos, cordéis e livros

10h – Bate-papo: Memórias afetivas com a neuropsicóloga Juliana Lemos e Maria Rita Mota, contadora de histórias e coordenadora do Instituto Chico Mota.

12h – Peleja de Viola com o Mestre Lucas Evangelista (Crateús/CE).

14h – Contação de histórias do livro A tardinha… Baseado em 90 vivas tardinhas (Memória de Idosos) – Instituto Unimed Fortaleza.

14h30 – Oficina de gestos para narradores, com  o mímico e contador de histórias Jiddu Saldanha (RJ).

18h – Gilgamesh e outras histórias, com Jiddu Saldanha.

19h – Show com a banda Dona Zefinha (CE).

SERVIÇO

*Mais informações – E-mail: lamparinadehistorias@gmail.com