Blog do Eliomar

Categorias para Ecologia e Meio Ambiente

Uma economia que prioriza aerogeradores em belas paisagens turísticas

Com o título “Ceará; A Energia que apagou a cidadania”, eis artigo de Allan Aguiar, ex-secretário estadual do Turismo e ex-superintendente estadual da Caixa Econômica Federal. Ele faz críticas à política que prioriza energia eólica, quando o turismo deveria ser a vocação prioritária 

O Ceará deu um enorme tiro no próprio pé da sua economia. A histórica e aguda falta de planejamento das vocações econômicas do nosso Estado, a qual pautou o improviso na definição das políticas públicas indutoras de investimentos privados, só conseguiu produzir, até agora, um dos Estados com a população mais pobre da federação e com indicadores sociais de fazer corar qualquer cearense informado e isento.

O surrado modelo de desenvolvimento econômico do Estado está muito mais influenciado pelos modelos mentais vigentes naqueles que definem as dinâmicas governantes que em estudos mais aprofundados, análises de viabilidade e exame dos efetivos impactos-benefícios sociais. Os “planejadores” negligenciaram o ordenamento dessas vocações e terminaram por sentenciar parcela expressiva da nossa população a uma inocente indigência econômica.

Talvez a maior barbeiragem do Ceará foi deixar rolar o desordenamento econômico e ecológico de seus 573 quilômetros de costa, em cujos municípios vive quase a metade da sua população, considerando a RMF. Uma ambientalmente sadia vocação econômica que é a Geração de Energia terminou por melar outra infinitamente mais benéfica e inclusiva, que é o Turismo. Esse paliteiro de aerogeradores situados nas nossas praias são invocados por alguns dinossauros como um feito relevante a explicitar a pujança e vanguardismo do Ceará. Quanta bobagem e falta de visão!

Cada torre eólica dessas nas praias é uma sentença de pobreza eterna para as comunidades locais, muitas das quais compostas de artesanais pescadores que sofrem para retirar do mar o sustento dos seus. Esses homens, que estão em extinção, possuem as menores taxas de expectativas de vida dentre as demais atividades econômicas.

No Turismo, cada quarto de hotel gera um emprego direto e 1,5 indiretos e movimenta a mais extensa cadeia produtiva que é a do mundo das viagens. Já esses parques eólicos geram dois ou três subempregos de gente que vai arrancar o mato do pé das torres e vigiar o terreno. Nem tributos municipais e Estaduais geram. Quantos Resorts, nestes últimos anos, evitaram o litoral cearense cuja beleza plástica foi golpeada por esses monstrengos que deveriam estar no topo dos Maciços interioranos?

Como cantou Ney Matogrosso, “os ventos do Norte não movem moinhos…e o que nos resta é só o gemido”….

*Allan Aguiar,

Ex-secretário do Turismo do Ceará e ex-superintendente estadual da Caixa Econômica Federal.

Festival Vida & Arte abre nesta quinta-feira com lançamento do Anuário do Ceará 2018-2019

Com as presenças do governador Camilo Santana (PT) e do prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), e outras lideranças dos meios político e empresarial, será lançado nesta quinta-feira, às 20 horas, no Centro de Eventos, o Anuário do Ceará 2018-2019. O ato coincidirá com a abertura do Festival Vida&Arte, o maior evento multicultural do País, que se estenderá nesse local até domingo, com mais de 500 atrações. Luciana Dummar, presidente do Grupo de Comunicação O POVO, comandará a solenidade.

O Anuário do Ceará 2018-2019 apresenta em 11 capítulos informações econômicas, políticas, sociais, geográficas e culturais do Estado. Nesta edição, são destaques os 90 anos do Grupo de Comunicação O POVO (GCOP) e o Índice Comparativo de Gestão Municipal (ICGM), elaborado pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece). O ICGM Anuário-Ipece faz o ranking das 184 gestões municipais do Estado.

Com mais de 140 anos de existência, Anuário do Ceará é a mais antiga publicação do Estado em circulação. A edição 2002 marcou a completa reformulação editorial e gráfica do livro, até o ano passado sob o comando do jornalista Fábio Campos.

Neste período de 2018-2019, passou a ter à frente o jornalista Jocélio Leal, enquanto editor-geral, e Joelma Leal como editora-executiva. Jocélio destaca o lançamento do ICGM como um marco para as gestões públicas do Ceará. Para ele, ao estabelecer critérios técnicos elaborados pelo Ipece, o Anuário inaugura uma nova Era na avaliação.

Fortaleza ganhará o Novo Parque Adahil Barreto

922 1

Será reinaugurado, no fim deste mês de junho, o Parque Adahil Barreto, hoje sob tutela do Governo e integrado ao Parque Estadual do Cocó. A informação é do secretário estadual do Meio Ambiente, Artur Bruno.

Entre novidades, segundo Bruno, gramado com irrigação, quadra poliesportiva, campo de futebol e área de lazer e piquenique. O investimento ali foi da ordem de R$ 800 mil.

O ato de reinauguração, que faz parte do programa Juntos por Fortaleza, terá as presenças do governador Camilo Santana (PT) e do prefeito Roberto Cláudio (PT), além de colaboradores como C.Rolim, Marquise, Sesc, Unimed Ceará e Unimed Fortaleza.

(Foto – Arquivo)

É possível que em 2030 a obra da transposição tenha se transformado em ferro velho?

Com o título “O que esperar da gestão das águas em 2030?”, eis artigo do professor Jerson Kelman, da COPPE/UFRJ. Ele fala sobre novas energias que virão e coloca em xeque o futuro até da transposição das águas do rio São Francisco. Confira:

Hoje adotamos tecnologia de saneamento parecida com a empregada no início do século XX. Para afastar um pequeno volume de excrementos, utilizamos uma enorme quantidade de água, liberada pela descarga dos vasos sanitários. A carga poluidora, inicialmente concentrada, se dilui num volume muitas vezes maior e se transforma em esgoto. Gasta-se uma enorme quantidade de energia com as bombas que impulsionam o esgoto até uma estação de tratamento. Lá, mais energia é utilizada para concentrar novamente a carga poluidora num pequeno volume, na forma de lodo.

Há muita pesquisa sendo feita para descobrir uma maneira aceitável de neutralizar in situ a carga poluidora dos excrementos, o que resultaria em grande economia de água e energia. Porém, não há como prever se e quando ocorrerá a grande descoberta que mudará tudo.

Talvez a mudança mais significativa no setor de águas decorra da redução do custo de dessalinização da água do mar, por efeito da contínua diminuição do custo de produção de energia por fonte eólica e solar. Possivelmente em 2030 muitas cidades do litoral nordestino, inclusive Fortaleza, seguirão o exemplo de Israel, que atualmente abastece a maior parte de sua população com água captada no mar.

Isso não significa que se jogou dinheiro fora construindo a “transposição do São Francisco”. É verdade que a obra poderia ter sido menor se, antes de qualquer coisa, se dimensionasse a demanda de água com base em compromissos firmes de compartilhamento do custo de operação e manutenção.

Agora não adianta reclamar e sim achar um arranjo comercial e institucional que evite que a obra, que custou ao povo brasileiro cerca de 10 bilhões de reais, tenha vida efêmera por falta de correta operação e manutenção.

A história de nossa administração pública mostra que se a entidade responsável pela infraestrutura não tiver suficiente fonte própria de recursos financeiros e depender de repasses do Governo Federal, como é o caso da Codevasf, é possível que em 2030 a obra da transposição esteja inoperante, transformada em ferro velho.

*Jerson Kelman

jerson@kelman.com.br

Professor da COPPE-UFRJ

Seminário vai debater o futuro da água no Ceará

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta segunda-feira:

Tudo pronto para o II Água Innovation. Trata-se de um seminário que discutirá soluções e inovações para a segurança hídrica do Ceará, que acontecerá nas próximas quarta e quinta-feira, no auditório da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec). Segundo o deputado estadual tucano Carlos Matos, presidente do Comitê Técnico do evento, o objetivo é avaliar a situação hídrica cearense, a partir de novas fontes hídricas e do uso racional da água.

Matos destaca que, nesse seminário, participarão especialistas nacionais e internacionais e, principalmente, dois temas: dessalinização e transposição das águas do rio São Francisco. Entre convidados, técnicos da Codevasf, pesquisadores das universidades cearenses e o ex-presidente da Agência Nacional de Águas, Jerson Kelman, também conhecido por ter modernizado a Sabesp, a companhia de águas do estado de São Paulo.

Vale destacar que eventos do gênero precisam ser fomentados. É que quando acaba a seca pós-inverno, todo mundo se esquece da cisterna vazia do passado.

Revitalização do São Francisco não está vinculada à privatização da Eletrobras, diz dirigente

O presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, Anivaldo Miranda, criticou proposta que vincula a destinação de recursos para a revitalização da bacia do rio São Francisco à eventual privatização da Eletrobras. Ele participou de audiência pública promovida pela comissão externa da Câmara dos Deputados.

O debate foi proposto pela deputada Raquel Muniz (PSD-MG), coordenadora do coegiado, para discutir o aporte de recursos previsto no Projeto de Lei 9463/18, do Executivo, que trata da privatização e está em análise na Câmara. O texto original prevê que, após a desestatização, serão destinados R$ 9 bilhões, ao longo de 30 anos, para a revitalização do São Francisco. O relator da proposta, deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA), elevou esse montante para R$ 15 bilhões.

Conforme a proposta, o dinheiro para a revitalização será repassado ou pela Eletrobras ou pela subsidiária Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf). Segundo Ricardo Brandão Silva, representante do Ministério de Minas e Energia no debate, o PL 9463/18 é uma contribuição do setor elétrico, um dos principais usuários do rio. A Chesf, que tem no São Francisco oito de suas 12 hidrelétricas, já repassa em média R$ 20 milhões por ano para a revitalização da bacia hidrográfica. Se aprovado o substitutivo de Aleluia, esse montante subiria para R$ 500 milhões anuais.

Durante o debate, o deputado Adelmo Carneiro Leão (PT-MG) rechaçou afirmações de que os contrários à privatização da Eletrobras também recusam a recuperação da bacia hidrográfica. “Queremos a revitalização do São Francisco e dos afluentes, mas vamos resistir contra a privatização da Eletrobras porque ela é a entrega de patrimônio, a quebra da soberania e o empobrecimento do povo às custas do enriquecimento de poucos”, declarou.

Irani Braga Ramos, representante do Ministério da Integração Nacional, lembrou que decreto de 2016 reestruturou, no âmbito do Executivo, as ações para revitalização do rio São Francisco. Por conta do teto dos gastos, houve necessidade de buscar novas fontes de financiamento. Além do dinheiro oriundo da privatização da Eletrobras, deve haver ainda o repasse de parte das multas aplicadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

(Agência Câmara Notícias)

Ibama implanta projeto de modernização administrativa no Ceará

A superintendência no Ceará do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renovais (Ibama) está implantando o projeto de modernização administrativa, o Promad, com apoio da Fundação Getúlio
Vargas (FGV).

“As demandas da sociedade são cada vez mais qualificadas, exigem mais eficiência e capacidade de resposta das organizações públicas. Para justificar cada centavo do contribuinte que nos financia, temos que evoluir permanentemente na prestação dos serviço público”, afirmou o superintendente do órgão, Herbert Lobo, ao destacar que o projeto tem o objetivo de reformular a arquitetura organizacional do Ibama local, além de otimizar os fluxos de processos e de comunicação interna e também priorizar a gestão estratégica de pessoas com foco no desenvolvimento institucional.

(Foto: Divulgação)

Acquario do Ceará – O elefante branco que virou alvo dos “tubarões”

206 1

Da Coluna Política, do O POVO desta terça-feira, assinada pelo jornalista Érico Firmo, o tópico “Quantos prejuízos cabem no Acquario?”. Confira:

O aquário da Praia de Iracema é um dos mais rocambolescos investimentos da história do Estado. Dispensaram a licitação e contrataram uma empresa dos Estados Unidos porque era a única forma de conseguir empréstimo de um banco de fomento de lá. O Governo do Ceará gastou na casa da centena de milhões na obra, o financiamento nunca saiu, a obra é um monstrengo inacabado, falta muito dinheiro para concluir, o que foi feito está se acabando, não aparece investidor interessado e o Estado não sabe o que fazer com aquilo.

Enquanto isso, a obra parada rende despesas. No sábado, O POVO Online noticiou o furto de equipamentos elétricos do local, supostamente com intenção de extrair o cobre dos materiais. Pela matéria, foi possível saber duas coisas:

1) Há segurança 24 horas contratada para vigiar o esqueleto do aquário. Está melhor, portanto, que muitos equipamentos e espaços públicos que funcionam.

2) Mesmo assim, patrimônio público é roubado de lá.

(Foto -Fábio Lima)

Cônsul do Reino Unido trata sobre investimentos britânicos em Fortaleza

A Secretária Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (SEUMA) e o Coordenador de Parcerias Público-Privadas (PPPs), Rodrigo Nogueira, recebem, nesta terça-feira (12), às 9 horas, no auditório do Paço Municipal, o Cônsul do Reino Unido, Graham Tidey. Na ocasião serão discutidas oportunidades de investimento e apresentada a linha de crédito do governo britânico, o UKEF, para Fortaleza, informa a assessoria de imprensa da Prefeitura.

O encontro faz parte das ações do Programa Fortaleza Competitiva, que engloba um pacote de medidas de estímulo à criação de um cenário qualificado para novos negócios em Fortaleza, viabilizando mecanismos para o surgimento e crescimento de empresas em áreas estratégicas do Município, gerando emprego, renda e desenvolvimento.

“Nesta reunião serão apresentadas as fontes de financiamento do Reino Unido, por meio do UKEF, para investimentos em Parcerias Público-Privadas (PPPs) e Operações Urbanas Consorciadas (OUC) em Fortaleza”, enfatiza o coordenador de Fomento às PPPs, Rodrigo Nogueira. O evento também contará com a presença de empresários locais.

Graham Tidey é o atual Cônsul de Sua Majestade a Rainha Elizabeth II, em Recife (PE), nomeado em 02 de Dezembro de 2015. Anteriormente, ele foi Gerente de Comércio e Investimento (UK Trade & Investment) para o Norte e Nordeste, promovendo oportunidades de parcerias entre as empresas britânicas e brasileiras. Antes de vir ao Brasil em 2012, Graham trabalhou no setor de negócios imobiliários em Coimbra, Portugal.

(Foto – Divulgação)

Icapuí já se prepara para seu XII Festival da Lagosta

990 1

Vem aí o XII Festival da Lagosta.

A programação, que reúne gastronomia, arte e cultura, acontecerá de sexta a domingo próximos, a partir das 19 horas. Nas praias de Barreira e Redonda, em Icapuí (Litoral Oeste).

Os apreciadores do crustáceio poderão aproveitar degustações da iguaria em clima de apresentações musicais de artistas locais, como Os Alfazemas, Cacimba de Aluá, o guitarrista Mimi Rocha e a cantora Daniella Campelo, que marcou geração no forró à frente da Banda Styllus.

Camilo e parte do secretariado vão correr pelo Cocó. Roberto Cláudio também foi convocado

364 2

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO deste sábado:

O governador Camilo Santana vai botar, literalmente, pra correr uma boa fatia do seu secretariado. Calma! Nada de renovar o fôlego da gestão, mas gastar fôlego numa corrida rústica de 5 km, que ocorrerá amanhã para marcar o primeiro aniversário da regulamentação do Parque Estadual do Cocó.

Além do titular da pasta do Meio Ambiente do Estado, Artur Bruno, foram escalados para exercitar as canelas os seguintes secretários: André Costa (SSPDS), Francisco Ibiapina (STDS), Will Almeida (SPD), Juvêncio Viana (PGE), Francisco Teixeira (SRH) e Paulo Henrique Lustosa (Cidades).

Outra. Da Prefeitura de Fortaleza, vão se engajar no certame Régis Tavares (Urbifor) e Ferruccio Feitosa (Regional II).

Mais outra. Camilo já admite entrar também nessa corrida. Mas só se o prefeito Roberto Cláudio, com alguns quilinhos a mais, topar.

(Foto – Divulgação)

Parque do Cocó completa um ano de regulamentação – O que falta fazer?

Com o título “Parque do Cocó: o que falta fazer”, eis o Editorial do O POVO desta sexta-feira:

Ainda que, à época, tenha desagradado a alguns setores do ambientalismo, a demarcação do Parque do Cocó pode ser creditado com uma das melhores realizações do governo Camilo Santana (PT).

É certo que as críticas, mesmo sendo respeitáveis – devido à não inclusão de algumas áreas na poligonal do parque -, vão se tornar detalhes no decorrer do tempo, frente ao grande benefício propiciado pela sua transformação em Unidade de Conservação, que vai permitir que o Cocó continue a ser desfrutado por gerações futuras.

No entanto, para que isso ocorra em toda a sua plenitude, alguns complementos ainda são necessários para garantir a plena viabilidade do parque, como demonstrou reportagem, assinada pela jornalista Luana Severo, publicada na edição de ontem.

Passado um ano da demarcação do Cocó, alguns procedimentos ainda estão em estágio embrionário. Um desses itens, o mais importante e obrigatório, é o plano de manejo (lei 9.985/2000 ), que ainda nem começou a ser elaborado. O plano de manejo estabelece um “conjunto de ações necessárias para a gestão e uso sustentável dos recursos naturais em qualquer atividade no interior e em áreas do entorno dela (da unidade de conservação) de modo a conciliar, de maneira adequada e em espaços apropriados, os diferentes tipos de usos com a conservação da biodiversidade” (Ministério do Meio Ambiente – ICMBio). Ou seja, o instrumento determina qual o uso se pode fazer do parque, preservando-lhe a integridade, e deve ser elaborado no prazo máximo de cinco anos, desde a criação da unidade de conservação. O secretário estadual do Meio Ambiente, Artur Bruno disse que brevemente o plano começará a ser encaminhado.

De pronto, o secretário pretende lançar o Pacto pelo Rio Cocó, reunindo diversos setores sociais e os quatro municípios por onde passa o rio: Pacatuba, Maracanaú, Itaitinga e Fortaleza. Segundo ele, o objetivo é recuperar o Cocó em todo o seu percurso de 50 quilômetros.

Outra questão a ser resolvida, na qual Bruno diz estar empenhado, é a regularização fundiária das construções dentro da unidade. Um levantamento vai determinar a quantidade de imóveis existentes e, segundo o secretário do Meio Ambiente, permanecerão apenas as famílias de comunidades consideradas tradicionais.

Artur Bruno, que esteve à frente da demarcação do Cocó, fez do parque uma das prioridades de sua pasta, conseguindo resultados bastante expressivos. Portanto há de se confiar que ele esteja encaminhando o assunto da melhor maneira possível. E é de se esperar que esse trabalho tenha continuidade no próximo governo.

Uso de canudos pode ser moderado por lei

Embalado por postagens nas redes sociais que condenam o uso de canudos plásticos descartáveis, o deputado Marcus Vicente (PP/ES) apresentou à Câmara um projeto de lei que quer proibir a produção e comercialização do produto em todo o Brasil. A informação é do O Globo.

No projeto, o deputado propõe que os canudos deixem de ser fabricados em até 48 meses e de parem de ser comercializados em 60 meses.

Em sua justificativa, ele cita um estudo da ONU, em que diz que em 2050 os oceanos terão mais plástico do que peixes.

Agência Reguladora do Ceará implementa em Jericoacoara projeto de combate ao esgoto clandestino

Com o objetivo de solucionar problemas relacionados ao esgotamento sanitário e ao uso indiscriminado dos recursos hídricos de Jijoca de Jericoacoara, a Agência Reguladora do Ceará (Arce) implementou, nesse município, o projeto “Abraço Jeri e Cuido do Meio Ambiente”. Nesse sentido, por toda esta quinta-feira, Alceu Galvão, analista da Arce coordena reuniões em Jericoacoara visando nivelar as informações, definir estratégias e dar início à execução das ações previamente programadas.

Além do representante da Arce, participam desses encontros integrantes do Ministério Público, da Prefeitura Municipal, Secretaria de Turismo de Jijoca de Jericoacoara, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e da Associação Empresarial “Eu Amo Jeri”.

Nesta tarde, Galvão participa do Fórum Regional de Turismo do Extremo Oeste do Ceará que acontece na Câmara Municipal de Jijoca. Na oportunidade, ele apresenta as atividades do “Abraço Jeri” e fala sobre a importância da ação e seus respectivos impactos na vida dos moradores e visitantes, considerando que o uso incorreto da rede de esgoto pode contaminar o lençol freático da região e causar sérios danos à saúde.

(Foto – Divulgação)

Câmara Municipal aprova projeto que cria o Comitê de Monitoramento e Preservação das Lagoas

A Câmara Municipal de Fortaleza aprovou, nesta terça-feira, a criação do Comitê Municipal de Monitoramento e Preservação das Lagoas de Fortaleza. A iniciativa é da vereadora Larissa Gaspar (PPL) por meio do projeto de indicação nº 703/2017.

Pelo texto, o Comitê deverá ficar vinculado à Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma) e promoverá o monitoramento e a preservação das lagoas de Fortaleza, contemplando a participação do Poder Público e da sociedade civil, de forma integrada.

Ainda está com atribuição do Comitê denunciar e receber denúncias de casos de poluição, degradação e aterramento das lagoas na cidade. O colegiado, de acordo com o texto, deverá propor anualmente estudo e diagnóstico acerca das condições ambientais das lagoas e entorno.

(Foto – CMFor)

Prefeitura assina contrato da Nova Beira-Mar com o Banco de Desenvolvimento da América Latina

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), assinou, nesta segunda-feira (04), em Brasília, o contrato entre o Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) e a Prefeitura para a liberação de US$ 83,25 milhões, cerca de R$ 300 milhões, para as obras e ações do Programa Fortaleza Cidade com Futuro. O contrato teve o aval do presidente do Congresso, senador Eunício Oliveira (MDB).

Participaram também do ato de assinatura o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, o diretor-representante do CAF no Brasil, Jaime Holguín, e a Procuradoria da Fazenda Nacional, Ana Lucia Gatto.

De acordo com Roberto Cláudio, o município aguardava a liberação do recurso há cinco anos. “Esse financiamento teve o apoio importante do presidente do Senado, que aprovou a matéria com muita rapidez na Casa e com isso já vamos poder começar as intervenções agora no mês de julho”, disse o prefeito.

Para Eunício, o valor disponível vai auxiliar em mudanças consideráveis na infraestrutura urbana da cidade e na valorização do turismo. “O prefeito buscou a todo momento, junto ao nosso mandato, agilizar esse processo para liberação do valor solicitado e é com muita alegria que hoje formalizamos esse termo.”

Programa

Entre as obras do Programa Cidade com Futuro, que receberá essa verba, estão a requalificação urbana da Avenida Beira Mar, com a internalização de cabos elétricos, telefônicos e de televisão, a revitalização de corredores turísticos e a consolidação de corredores gastronômicos na região da Varjota. Ainda, serão implementados programas de capacitação profissional para a indústria do turismo voltados para geração de emprego e renda.

Também serão realizadas ações de despoluição e combate à erosão de parte da Orla, na região da Beira-Mar, por meio de um aterro hidráulico. Outro componente do Programa atende às necessidades de geração de emprego e renda e promove empreendimentos em Titanzinho e Serviluz por meio de capacitações para o empreendedorismo. Está prevista também a implantação de um sistema de microfinanças e o desenvolvimento de Arranjos Produtivos Locais em Turismo.

(Foto – Divulgação)

Aluna de escola municipal de Fortaleza representa o Ceará em conferência nacional pelo meio ambiente

A aluna da Escola Municipal de Tempo Integral Professor Joaquim Francisco de Sousa Filho, Aurissol Santos Azevedo, foi eleita para integrar a delegação que irá representar o Ceará na V Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente, que tem como tema “Vamos cuidar do Brasil cuidando das águas”. A estudante irá compor uma comitiva de 19 jovens que participará do evento nacional, de 15 a 19 deste mês, em Sumaré (SP) e será a delegada nata, a única da delegação do Ceará a apresentar o seu trabalho científico para um público composto por estudantes de todo o país.

Crianças e jovens de 1.226 escolas de 156 municípios cearenses passaram pelas etapas escolares, regionais e estadual. Entre os 84 estudantes que chegaram à culminância da III Conferência Estadual Infantojuvenil pelo Meio Ambiente com seus projetos, 19 foram escolhidos para integrar a delegação cearense que irá ao evento nacional. As etapas anteriores à nacional funcionaram como uma eleição, na qual os próprios alunos elegiam dos melhores trabalhos. Montada a comitiva e escolhidos os “delegados”, os jovens seguem para a fase nacional que é expositiva.

Em uma eleição realizada entre os próprios alunos, Aurissol foi eleita a delegada nata do estado do Ceará com o trabalho sobre “Análise quantitativa das concentrações de Moringa oleífera na redução de turbidez da água”. O professor André Luís Bezerra da Silva Brasilino foi o orientador do trabalho e acompanhará a aluna na etapa nacional.

O trabalho de Aurissol, que a fez receber o maior número de votos entre os 19 delegados da comitiva, trata sobre as propriedades da moringa, uma planta originária da Índia, facilmente encontrada no Ceará. O vegetal, ao entrar em contato com a água, é capaz de purificá-la e possui potencial para eliminar larvas do Aedes aegypti.

“Quando soubemos da conferência e da temática que seria abordada, movimentamos os alunos a pesquisar algo útil e acessível para a comunidade. Os estudantes leram artigos, pesquisaram, participaram de todo o processo de laboratório, conheceram as propriedades da moringa e entenderam como oferecer esse conhecimento de forma fácil e prática. A Aurissol é muito comunicativa e aprende rápido. Estamos felizes por representar o Município e o Estado nesse evento e, com certeza, aprenderemos muito com essa experiência”, comentou o professor André Luís.

“A experiência na etapa estadual já foi excelente. Tive contato com muitas pessoas e outros projetos. Tenho certeza de que votaram em mim pela importância e relevância da minha pesquisa. Para a nacional, como não será uma competição, estarei livre de qualquer pressão. Então acho que transmitirei a ideia de uma forma ainda melhor, atingindo várias pessoas que passarão a ter acesso aos benefícios da moringa. Quero ir lá para ajudar pessoas e aprender mais”, aponta Aurissol.

(Com Site da Prefeitura de Fortaleza)

Artur Bruno será homenageado com a medalha Chico Mendes

O secretário do Meio Ambiente do Ceará, Artur Bruno, será agraciado com a medalha Chico Mendes, dia 19, em sessão solene da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, durante a abertura da II Conferência da Caatinga. A homenagem a Bruno é motivada pelos Planos Estaduais e Políticas de Resíduos Sólidos, Florestamento e Reflorestamento e Mudanças Climáticas.

A medalha Chico Mendes consta na Lei Estadual nº 11.564/89, de autoria do então deputado João Alfredo, que determina que a comenda homenageie personalidades e/ou instituições que lutam na defesa da ecologia.

(Foto: Arquivo)

Sai edital de apoio à criação e gestão de unidades de conservação nos municípios cearenses

Com o objetivo de melhorar a qualidade da gestão de unidades de conservação (UC) nos municípios cearenses, a Secretaria Estadual do Meio Ambiente lançou o ProUCm – Programa de Incentivo as Unidades de Conservação Municipais. Segundo o secretário Artur Bruno, a iniciativa “vai contribuir para a proteção da biodiversidade cearense, principalmente da Caatinga e para a manutenção de serviços ecossistêmicos, incentivando a proteção de áreas de relevante interesse ecológico, geomorfológico, espeleológico, arqueológico, paleontológico, biológico, turístico e cultural inseridas nos municípios”.

ProUCm propõe o aumento das unidades de conservação (UCs) no estado do Ceará, apoiando os municípios, tanto na criação, quanto na efetividade da gestão dessas áreas protegida. Hoje, o Estado tem oito unidades de conservação municipais cadastradas. Muito pouco se comparado às 24 áreas estaduais protegidas, segundo dados do Cadastro Estadual de Unidades de Conservação (Ceuc), coordenado pela Secretaria do Meio Ambiente.

Inscrições

As inscrições para participar do programa seguem até o dia 27 de julho próximo. Para participar do processo é necessário que as prefeituras que têm áreas protegidas ou UCs submetam uma carta proposta à Sema, via site, com os atributos e características ambientais importantes da área proposta.

SERVIÇO

*O edital já está disponível no portal da SEMA no link (www.sema.ce.gov.br/index.php/programa-de-incentivo-as-unidades-de-conservacao-municipais-proucm).

Seminário debate na CDL a Política Nacional de Resíduos Sólidos

Começa nesta segunda-feira, 21, a partir das 8 horas, o Seminário sobre Política Nacional de Resíduos Sólidos, que acontecerá no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas, em Fortaleza. O credenciamento é gratuito.

Após a solenidade de abertura, às 9 horas, haverá a primeira Mesa Redonda “Rumos para o setor público atingir os objetivos do PNRS”, tendo como mediador Alceu de Castro Galvão Junior, coordenador técnico do evento.

A segunda Mesa Redonda, à tarde, será sobre o tema “Geração de energia a partir dos resíduos sólidos”, com o professor Suetonio Mota, da UFC. Nessa mesa, entre as palestras, “Resíduos sólidos: uma questão de sustentabilidade urbana”, com Hugo Nery, diretor de Serviços Ambientais da Marquise Ambiental.

A terça-feira, 22, será toda dedicada a minicursos voltados especificamente para o pessoal que trabalha no setor.