Blog do Eliomar

Categorias para Economia

Receita libera megalote de restituições

A Receita Federal deposita, nesta segunda-feira, as restituições referentes aos exercícios de 2009 e 2008 do Imposto de Renda para um total de 2.138.113 contribuintes, totalizando R$ 2 bilhões. Para o exercício de 2009, serão creditadas restituições para 2.125.588 contribuintes, totalizando R$ 1.967.796.186,84, acrescidos de 5,39% (Selic de maio a novembro/2009).

Já para o lote residual de 2008, as restituições totalizam R$ 32.203.813,16, com correção de 17,46% (Selic de maio de 2008 a novembro de 2009). Foram contemplados 12.525 contribuintes.

SERVIÇO

Para saber se terá a restituição liberada nesse lote, o contribuinte poderá acessar a página da Receita na internet (www.receita.fazenda.gov.br) ou ligar para o Receitafone 146, informando o número do CPF.

Ministro vem abrir Festival Internacional do Camarão

gregolin

O ministro Altemir Gregolin (Pesca e Aquicultura) virá ao Ceará ainda neste mês. Segundo sua asssessoria, ele abrirá, dia 26 próximo, na cidade de Acaraú (Litoral Oeste), o I Festival Internacional do Camarão.

O evento, apoiado por entidades da área e Sebrae, vai se estender até 29 próximo. Além de expor avanços do setor pesqueiro, o festival contará com o melhor da gastronomia cearense derivado de camarão, shows e oficinas de capacitação. 

Também experiências de alguns países com a pesca do camarão serão apresentadas, segudo a organização.

Pimentel fala na Fiesp nesta 2ª feira

pimntll

O ministro da Previdência Social, José Pimentel, deixou Fortaleza nas últimas horas, após fim de semana de contatos com bases de olho na sua pretensão de disputar vaga de senador em 2010. Na agenda dele, nesta segunda-feira, está a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Ali, Pimentel, participará da reunião mensal do Conselho Superior de Estudos Avançados, que começa às 10 horas desta segunda-feira.

Pimentel vai expor as novas regras que alterarão os cálculos previdenciários já em 2010. Segundo diz, as mudanças incidirão principalmente sobre o Fator Acidentário de Prevenção (FAP) – mecanismo que subsidia o cálculo do seguro-acidente. A proposta da nova metodologia vem da Comissão Tripartite de Saúde e Segurança no Trabalho, instituída em julho de 2008.

Em contrapartida, o núcleo de relações trabalhistas do Departamento Sindical da Fiesp realizou estudo mostrando que as novas regras do FAP acarretarão aumento da carga tributária para as empresas. A pesquisa levanta pontos de divergência com base nas experiências relatadas pelas empresas e apura que, sob os novos parâmetros, as cobranças dos encargos vão recair sobre 866 das 1,3 mil atividades econômicas.

Presidente da Fiec otimista com o Brasil em 2010

“O setor industrial cearense trabalha com a expectativa de que o pior já passou e a economia brasileira deverá experimentar, ano que vem, um crescimento de 5%. É o que diz o presidente da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), Robeto Macedo, ressaltando no entanto: “Se s obras do PAC avançarem“.

Macedo vê pouca celeridade nos projetos desse pacote de obras tão badalado pelo Governo Federal, observando que poderiam estar gerando muitos empregos e renda há um bom tempo.

Para não ser apontado como negativista, afirma torcer por um 2010 próspero. Quem sabe, naquela de que em ano eleição os governantes adoram fazem milagres. ”

(Coluna Vertical, do O POVO)

Apagão – Lobão vai ao Senado para evitar convocação de Dilma

“Os líderes da base governista fecham hoje uma estratégia para evitar uma convocação da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, para explicar as causas do apagão ocorrido na última semana. Os governistas pretendem acertar com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, o melhor dia desta semana para que ele preste esclarecimentos ao Senado sobre as possíveis causas do blecaute que atingiu 18 estados na última terça-feira.

A ideia é que o ministro se apresente espontaneamente amanhã na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) ou na quarta-feira na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) antecipando-se à votação de um requerimento do líder do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM), convidando Lobão e Dilma.

Para os governistas, o gesto de Lobão poderá esvaziar a estratégia da oposição que tenta, desde a semana passada, trazer a ministra Dilma, pré-candidata petista à sucessão presidencial, para o centro dos debates sobre o apagão. Mas os oposicionistas dizem que não vão desistir de um convite ou uma convocação de Dilma. O argumento usado pelo DEM e pelo PSDB é o de que Dilma foi quem comandou a elaboração e aprovação do marco regulatório do sistema elétrico brasileiro.

— Dilma foi a mãe do marco regulatório, que pode estar por trás da inibição de investimentos públicos e privados para o setor. Ela não explica tudo do governo? Por que não vem explicar coisas de sua área? — argumentou o líder do DEM, senador José Agripino (RN). Leia mais em O Globo

líderes da base governista fecham hoje uma estratégia para evitar uma convocação da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, para explicar as causas do apagão ocorrido na última semana. Os governistas pretendem acertar com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, o melhor dia desta semana para que ele preste esclarecimentos ao Senado sobre as possíveis causas do blecaute que atingiu 18 estados na última terça-feira.

A ideia é que o ministro se apresente espontaneamente amanhã na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) ou na quarta-feira na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) antecipando-se à votação de um requerimento do líder do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM), convidando Lobão e Dilma.

Para os governistas, o gesto de Lobão poderá esvaziar a estratégia da oposição que tenta, desde a semana passada, trazer a ministra Dilma, pré-candidata petista à sucessão presidencial, para o centro dos debates sobre o apagão. Mas os oposicionistas dizem que não vão desistir de um convite ou uma convocação de Dilma. O argumento usado pelo DEM e pelo PSDB é o de que Dilma foi quem comandou a elaboração e aprovação do marco regulatório do sistema elétrico brasileiro.

— Dilma foi a mãe do marco regulatório, que pode estar por trás da inibição de investimentos públicos e privados para o setor. Ela não explica tudo do governo? Por que não vem explicar coisas de sua área? — argumentou o líder do DEM, senador José Agripino (RN).”

(O Globo)

Restrições do TCU só atingem 4% das 232 obras do PAC

“Alvo preferencial das críticas do governo Lula quanto à paralisação de obras federais, a atuação do TCU (Tribunal de Contas da União) afeta uma proporção pequena das ações do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) com baixa taxa de execução neste ano.

Levantamento feito pela Folha identificou, nos ministérios dos Transportes e das Cidades, 232 projetos classificados como prioritários que, até setembro, haviam recebido menos de um quinto das verbas previstas no Orçamento deste ano. Trata-se de 40% dos projetos do PAC nas duas pastas, ou um terço do total do programa bancado com dinheiro do Tesouro.

Dessas obras com pouco ou nenhum desembolso de recursos da União, somente nove -4% do total- estão sujeitas a algum tipo de restrição do TCU, segundo cruzamento realizado com informações prestadas pelo tribunal.
São cinco ações postas sob suspeita pelo TCU nos Transportes e quatro nas Cidades, que somam R$ 612,5 milhões na lei orçamentária deste ano, ou 3% dos quase R$ 22 bilhões disponíveis para o PAC nesses ministérios, os líderes em investimentos na Esplanada.

A maior delas é a construção da ferrovia Norte-Sul (TO), para a qual há reservados R$ 454 milhões -R$ 75,3 milhões já pagos. O TCU encontrou sinais de sobrepreço em cinco contratos do projeto, incluído no índice de obras com indícios de irregularidades graves que acompanha o Orçamento.

Burocracia
Baixas taxas de execução são o sintoma mais visível de atraso em um investimento, embora, em alguns exemplos, o cronograma da obra possa concentrar quase todos os pagamentos no final do ano. Na maior parte das vezes, são os mesmos projetos que se arrastam desde orçamentos passados, com ou sem obstáculos legais.

É o caso do porto fluvial de São Gabriel da Cachoeira (AM), no alto rio Negro, prometido em setembro pelo ministro Alfredo Nascimento (Transportes) a partir de uma parceria com o governo estadual. A mesma promessa havia sido feita dois anos antes pelo ministro, ao lado de Lula e comitiva.

O projeto, de fato, ganhou ares de prioridade. Foi incluído no então recém-lançado PAC e mereceu R$ 2,4 milhões no Orçamento do ano seguinte e R$ 5,7 milhões neste ano -sem ter recebido nenhum centavo até o momento.
Na visita de 2007 a São Gabriel, Lula apresentou uma descrição mais prosaica do atraso em investimentos. “É preciso a gente ficar esperto”, disse, “porque muitas vezes eu estou aqui anunciando, mas daqui a três meses eu pergunto, e a obra não saiu; daqui a quatro meses eu pergunto, e a obra não saiu; daqui a dez meses eu pergunto, e a obra não saiu”. No mesmo discurso, o presidente também declarou já saber “onde está a burocracia que emperra as coisas”.

Nos meses seguintes, antes do confronto com o TCU, a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil), gerente do PAC e provável candidata do PT ao Planalto, entraria em atrito com a área ambiental -sob queixas de atraso nos licenciamentos para obras, a ministra Marina Silva deixou o governo e se tornou outra postulante à sucessão.

Outros empecilhos, mesmo mais numerosos, não permitem um ataque tão particular. Uma pesquisa passada à Folha pela AGU (Advocacia Geral da União) diz que, de 4.419 ações judiciais relativas ao PAC propostas até outubro, 2.048 diziam respeito a desapropriações de terras.

Só as obras de restauração e duplicação da BR-101 em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul resultaram em 460 ações. Procurado, o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) também citou as desapropriações como motivo do atraso da duplicação da BR-040 em Minas Gerais.

Em outros três exemplos, citados espontaneamente, o órgão mencionou exigências de estudos de impacto ambiental na BR-319 (AM), questões indígenas em torno da BR-429 (RO) e, no caso da BR-135, preocupações do Ministério da Cultura com a preservação de cavernas na Bahia.
Na semana passada, o cruzamento da lista com as informações do TCU foi passado à Casa Civil e ao Ministério do Planejamento. As pastas, assim como o Ministério das Cidades, não comentaram os dados.”

(Folha)

Sefaz prepara nova lista de produtos com redução de alíquota de ICMS

O secretário da Fazenda, Mauro Filho, promete divulgar, nesta semana, a lista de mais 10 produtos que terão redução na alíquota de ICMS. Essa política da área fazendára estadual ocorre desde o começo do ano e tem por objetivo reduzir a carga de tributo para promover aumento na arrecadação.

Esse tipo de anúncio é feito de dois em dois meses e, conforme o secretário Mauro Filho, tem dado bons resultados. A cada mês, há incremento na arrecadação da ordem de até 26%.

Bem, mas há um probleminha: falta o secrtário convocar concursados. Há cerca de 50 da turma de 2007 informando estar aguardando ser chamado.

CDL marca data para entrega de prêmio de Jornalismo

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) vai realizar, na próxima sexta-feira, a partir das 19 horas, em sua sede, a entrega do Prêmio CDL de Comunicação. Segundo a assessora de imprensa da entidade, jornalista Eugênia Nogueira, haverá tambem a festa de confraternização da CDL com a imprensa.

A CDL, bom lembrar, abrirá dia 20, a partir das 17h30min, na Praça do Ferreira, a campanha Natal de Luz. Com coral infantil, chegada do Papai Noel e show de Vanessa da Mata.

Chapeuzinho Vermelho e o Apagão

dilmmah

Eis artigo interessante de Ruth de Aquino, diretora da sucursal de ÉPOCA no Rio de Janeiro. Ela aborda o apagão do setor elétrico a partir da fábula “Chapeuzinho vemelho e o lobo mau” Confira:

A fábula d semana – o apagão – colocou em evidência um personagem que andava sumido, o Lobão. Num primeiro momento, ninguém sabia onde andava a avó (do PAC). Temeu-se por Dilma porque o Lobão é emburrado e de poucas palavras. Ele deu o conto por “encerrado”. Depois se soube que a ex-ministra de Minas e Energia estava cuidando da floresta. Nós – OS Chapeuzinhos Vermelhos – somos tão ingênuos que acreditamos que raios deixaram 18 Estados do Brasil às escuras por até quatro horas.

Nós também acreditamos que a floresta será salva, especialmente porque o Grande caçador de votos depende do Verde para não deixar a “fada-marina” enfeitiçar eleitores e atrapalhar a sucessão em 2010.

Quando a avó do PAC ressurgiu com todo o vigor, todos respiraram aliviados. O Ministro Edison Lobão, ex-governador do Maranhão, em sua hesitação de meias palavras, consegue menos empatia com o público do que a chefe DA Casa Civil, Dilma Rousseff. Já estava ficando embaraçoso ver e escutar as desculpas de Lobão. E Dilma caiu na armadilha DA oposição, que a provocou. “Quem escondeu a ministra?” A pré-candidata (conhecida no Nordeste como “a mulher do Lula”) hoje sobe em todos OS bons palanques – do pré-sal, do pós-sal, do pré-pós-PAC. Não falta a uma festa ou inauguração. Quando o palanque é frágil, ela some na floresta para preparar o discurso ambientalista que apresentará em Copenhague em dezembro.

Como o país inteiro sabe, e o Chapeuzinho Vermelho também, Dilma é contra o desmatamento desde criancinha. Tanto que nem o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, consegue mais aparecer. Depois de reunião ministerial em São Paulo sobre metas para reduzir emissão de gases, mandaram Minc sair de fininho para Dilma falar com a imprensa. Seja pelo “efeito cabocla” – de Marina Silva como candidata pelo PV –, seja por um súbito despertar para a questão ambiental, Dilma aos poucos tenta vestir o colete de campeã DA causa Verde. A ministra comemorou na quinta-feira o menor desmatamento annual DA Amazônia desde 1988 – e apagou DA foto oficial a senadora do Acre, que saiu do governo derrotada pelo desenvolvimentismo de Dilma.

O apagão pôs em evidência o ministro Lobão. Enquanto ele Falava, a avó Dilma cuidava DA floresta Os efeitos do blecaute sobre o governo são modestos, se comparados aos efeitos de Dilma sobre si mesma. Será que Lula escondeu sua candidata durante 40 horas e jogou o Lobão às feras com o objetivo de desvinculá-la de um evento tão impopular? Falta de luz e água, muito mais que um desconforto político, é uma tragédia social, com prejuízos inestimáveis para pessoas comuns. Ou será que submeteram Dilma a um curso relâmpago de marketing para ela reaparecer positivamente, com luz e água restauradas no país e argumentos na ponta DA língua?

Se ela tiver recebido treinamento intensivo, melhor trocar enquanto é tempo OS magos de imagem. Lula pode também providenciar uma transposição de personalidade. Dilma não passa em nenhum Enem de simpatia ou serenidade, mesmo se receber antes a prova. É só colocar um microfone diante dela, é só uma repórter fazer uma observação simples e pertinente. “Ministra, a senhora garantiu há duas semanas que não havia mais risco de apagão porque agora o país tem planejamento”. A ministra encrespa as mãos, engrossa a voz: “Minha filha, você está confundindo duas coisas. O que houve foi um apagão, não um blecaute. Blecaute é barbeiragem”. Era uma referência ao racionamento de 2001.

Indagada se o país poderia sofrer outro apagão, já que o sistema de Itaipu seria vulnerável a intempéries, Dilma rebateu: “Minha querida, nós, humanos, temos um problema imenso. Nós não controlamos chuva, vento e raio. Sempre quisemos, mas não conseguimos ainda. Talvez algum dia, né?”.

Talvez algum dia, ministra, a senhora encare as perguntas como elas são. Perguntas são feitas em busca de respostas. Talvez a senhora mude o tom. Seria bom entender que a água rola, a Terra gira, e que não adianta Lula tentar blindar a avó do PAC se ela se mostrar mais arrogante que o Lobo Mau. Não somos o Chapeuzinho e o PT deixou de ser vermelho.

Energia elétrica do Brasil custa o dobro da dos EUA

“Além de insegura – como comprovou o blecaute de terça-feira -, a energia elétrica no Brasil é cara. Tão cara que supera o preço dos Estados Unidos. É o que mostra matéria de Henrique Gomes Batista e Liana Melo, publicada neste domingo no GLOBO. Enquanto aqui o custo do megawatt hora (MWh) foi de US$ 138 em 2007, as empresas americanas pagaram naquele ano US$ 64 por MWh. De lá para cá, a situação não melhorou nada.

Em uma década, a energia paga pelas indústrias brasileiras subiu 247,39% contra uma inflação acumulada, de 1999 até setembro último, de 93,74% medida pelo IPCA, do IBGE. Nas residências, o aumento, no mesmo período, foi de 113,94%.

O pior é que a energia tende a ficar ainda mais cara, porque pouco mais de 80% da energia nova que está prevista para entrar no sistema vêm das térmicas, que custam até seis vezes mais que a das hidrelétricas, além de poluir mais.”

(Globo Online)

Secretário-executivo do MTE divulgará números do emprego no Ceará

O  secretário-executivo do Ministério do Trabalho e Emprego, André Figueiredo, vai anunciar às 11 horas dest asegunda-feira, na Assembleia Legislativa, os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – Caged, relativos ao desempenho do Ceará no mês de outubro.

De acordo com as últimos  informações do Caged, referentes ao mês de setembro, o Ceará havia registrado a criação de  12.966 empregos de carteira assinada, registrando uma elevação de 1,50% em relação ao mês anterior.

Segundo André, o resultado foi o melhor de toda a série histórica do CAGED para o período, em termos absolutos e relativos. Tal desempenho foi proveniente da expansão do emprego principalmente nos setores da Indústria de Transformação (+5.300 postos), de Serviços (+2.532 postos), do Comércio (+1.983 postos), da Construção Civil (+1.774 postos) e da Agropecuária (+1.225 postos).

Pedro Brito discute na Fiesp futuro do setor portuário nacional

brito

Após participar de missão oficial realizada em 2 países asiáticos, o secretário especial de Portos, ministro Pedro Brito, participará, na próxima terça-feira, do V Seminário de Logística promovido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP).

Segundo os organizadores do evento, representantes da cadeia logística de transportes irão debater e apresentar sugestões para que possam contribuir com o atual cenário do País. A proposta é juntar Governo, agências reguladoras, operadores e indústria para a discussão de planos ou projetos que venham traçar o atual panorama e soluções futuras para as melhorias das malhas.

Pedro Brito deixa Fortaleza nas próximas horas tomando a rota Brasília-São Paulo. Nesse seminário, ele apresentará o painel: O Futuro da Infraestrutura e Logística Brasileira, juntamente com o Secretário Executivo do Ministério dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, às 9h30. As palestras ocorrerão ao longo do dia com representantes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ).

Prazo para renegociar dividas tributárias e previdenciárias termina dia 30

“Os contribuintes com dívidas tributárias, incluindo aquelas previdenciárias de seus empregados domésticos, têm mais duas semanas para aderir ao programa de refinanciamento de impostos atrasados da Receita Federal e da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN). Só serão beneficiados os contribuintes com débitos contraídos até o dia 30 de novembro de 2008 de acordo com a Lei 11.941/09. O prazo, que termina às 20 horas  (horário de Brasília) do próximo dia 30, não será prorrogado, segundo o coordenador-geral de Arrecadação e Cobrança da Receita Federal, Marcelo Lins.

O programa não é voltado apenas para quem tem dívidas previdenciárias. Todos os impostos no âmbito da Receita Federal e da PGFN foram incluídos. Contribuintes, sejam pessoas físicas ou jurídicas, além dos que têm débitos previdenciários, poderão ser beneficiados, independentemente do valor da dívida. Estão fora apenas os participantes do Simples Nacional pois não houve previsão legal neste caso.

Quem aderir ao programa terá desconto em multas e juros, dependendo da situação. Se nunca fez refinanciamento, terá benefícios diferentes dos que já participaram de outros programas fiscais e desistiram no meio do caminho. O valor mínimo de cada parcela será de R$ 50 para as pessoas físicas e de R$ 100 para as pessoas jurídicas, sendo que o contribuinte deverá pagar a primeira parcela no ato da adesão.”

* Da Agência Basil, leia mais aqui.

Câmara debaterá projetos do Pré-sal

“Os projetos de lei que regulam a exploração do petróleo do pré-sal (5938/09, 5939/09, 5940/09 e 5941/09) são o destaque da semana do Plenário da Câmara Federal, que também fará uma comissão geral na quarta-feira (18) para discutir as mudanças climáticas e a posição brasileira na reunião de dezembro, em Copenhague, sobre o controle das emissões de gases do efeito estufa.

A Conferência do Clima na capital dinamarquesa, realizada pela Organização das Nações Unidas (ONU), é o primeiro encontro de chefes de Estado para negociar um acordo que substitua o Protocolo de Quito com novas metas de redução dos gases do efeito estufa. O governo brasileiro vai propor redução das suas emissões de 36,1% a 38,9%, dependendo dos cenários estudados, com menor ou maior aquecimento.”

(Com Agências)

Veja – FHC faz balanço dos seus oito anos de poder

fhhc

O ex-presidente é entrevistado por Augusto Nunes.

“Na primeira viagem ao exterior como ex-presidente, Fernando Henrique embarcou para Paris e se hospedou, com Ruth, na casa de um amigo. Ali, foi surpreendido por um telefonema de Lula, que estava a caminho de Davos, na Suiça. Depois da introdução amistosa, o novo presidente informou ao antecessor que Antonio Palocci, ministro da Fazenda, gostaria de dizer-lhe algo. “Só queria agradecer pelo bom trabalho”, ouviu Fernando Henrique.

A frase se referia ao comportamento de FHC no período que separou o triunfo eleitoral e a posse de Lula. O governo não só abriu as portas a todas as informações disponíveis como condicionou à aprovação do sucessor a tomada de decisões que produzissem efeitos a longo prazo. Mas, como a política econômica não sofreu mudanças relevantes, é possível que Palocci estivesse pensando num universo mais abrangente ao dizer a frase revelada só agora, quase sete anos depois.

Esta e outras revelações temperam o longo e denso depoimento a VEJA.com que começa a ser divulgado hoje. Nestas cinco partes, que compõem o primeiro dos três blocos da entrevista,  Fernando Henrique reconstitui pedagogicamente fatos históricos deformados pela má memória, pela má vontade ou pela má fé. A inflação, por exemplo, não foi derrotada por Lula em 2003, mas por FHC em 1994, quando o então ministro da Fazenda de Itamar Franco comandou a implantação do Plano Real, que o PT primeiro rechaçou e, depois, prometeu revogar.

O ex-presidente conta que, ao longo de oito anos, todos os projetos enviados ao Congresso pelo governo foram rejeitados pelo PT. Comenta o processo de privatização, analisa o papel das agências reguladoras, pulveriza acusações e invencionices, fala com franqueza dos erros que cometeu, diz o que pensa sobre a Petrobras ou a Vale ? trata com desembaraço e serenidade, enfim, de qualquer tema relevante.

Tudo somado, o primeiro bloco do depoimento informa que o Brasil de 2009 não existiria se não tivesse existido um governo que modernizou extraordinariamente o país ? apesar da resistência feroz do PT.”

Confira a íntegra na Veja aqui.

Petrobras registra lucro menor no 3º trimestre

“A Petrobras teve lucro líquido de R$ 7,3 bilhões no 3º trimestre, valor 25,8% abaixo dos R$ 9,8 bilhões registrados de julho a setembro de 2008. O ganho também é 5,6% menor que os R$ 7,7 bilhões registrados no 2º trimestre deste ano.

O resultado ficou acima da expectativa média de sete analistas ouvidos pela Reuters. Eles esperavam que o lucro ficasse em R$ 7 bilhões, cerca de 35% abaixo do registrado há um ano.

A receita líquida da estatal foi de R$ 47,9 bilhões, 20% abaixo do registrado no terceiro trimestre de 2008, quando a receita líquida foi de R$ 60,184 bilhões.

A geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de impostos, juros, amortizações e depreciações, na sigla em inglês) correspondeu a R$ 14 bilhões, queda de 8% na comparação com o período de julho a setembro de 2008, quando o Ebitda foi de R$ 15,1 bilhões.”

(POrtal G1)

Lula diz que novo apagão depende de Deus

“O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira, 13, que a chance de outro apagão acontecer no Brasil “depende de Deus”.

“Se alguém pergunta para mim: ‘mas presidente, pode acontecer alguma coisa outra vez?’ Olha,  a única chance de não acontecer nada nesse País é se Deus quiser que não aconteça. Fora de Deus, os seres humanos estão todos plausíveis de erros”, afirmou.

O presidente avaliou ainda que a investigação sobre as causas do apagão que deixou 18 Estados sem luz na última terça-feira ainda está na “fase do achismo.”

Lula fez as declarações após participar da abertura do 9º Congresso Nacional de Iniciação Científica (Conic), no campus Liberdade das Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), na região central da capital paulista. “Só posso confiar em informações técnicas para saber se tem coisa além do que eles ministros da área energética me colocaram, de que seria por conta das intempéries”, disse.

Ao contrário da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Roussef, e do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, que tentaram dar o caso por encerrado, Lula admitiu que não há certeza sobre o que motivou o blecaute. “Nós estamos na fase do achismo. Quando terminar a fase do achismo, nós vamos entrar na fase mais objetiva, que são os resultados concretos de toda a investigação”, afirmou. “O caso foi muito delicado. Não estourou nenhuma torre, não desmontou nada e aconteceu um blecaute sem tamanho. Já vi tanta coisa que fico sempre com cuidado.”

O presidente citou a possibilidade de o problema ter sido causado por um raio, excesso de carga ou até mesmo erro humano. Descartou, no entanto, a hipótese de tratar-se de uma sabotagem. “Descarto sabotagem. Quem quer fazer sabotagem para o Brasil nesse momento tão bonito? Não acredito.”

(Agência Estado)

Inácio visita terreno da futura refinaria do Ceará

 O senador Inácio Arruda visitou, na manhã desta sexta-feira, o terreno que abrigará a futura Refinaria Premium II da Petrobras e que fica no Complexo Industrial e Portuário do Pecém. Ali, o parlamentar conversou com os técnicos e dirigentes do empreendimento sobre o andamento das obras, um investimentos da ordem de US$ 11,1 bilhões.         

Com Inácio Arruda, estavam técnicos da Secretaria de Infraestrutura do Estado do Ceara (Seinfra), da CEGAS e da Lubnor, além da imprensa.

Presidente do BC diz que sistema financeiro está preparado para choques adversos

henriqueem

“O presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, aconselhou hoje os bancos a ficarem atentos à evolução do mercado doméstico, porque “é nos momentos de expansão que os problemas aparecem”.

Meirelles fez essa afirmação em discurso durante o 8º Seminário de Economia promovido pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban). No evento, ele também destacou as boas condições do sistema financeiro brasileiro.

Meirelles observou que o teste de estresse atual mostra que, no caso de haver um choque severo, o sistema financeiro permanece com o índice de Basileia acima de 11% do capital. Na pior das hipóteses, segundo ele, o índice ficaria em 12%. “Isso mostra que o sistema financeiro está preparado para choques adversos”, afirmou.

Ainda assim, advertiu Meirelles, “é importante que se mantenha isso, porque uma das conclusões que se chega hoje é que os problemas aparecem na expansão”. “Este é o momento em que todos devem estar alerta”, afirmou.

Meirelles destacou que as boas condições do sistema financeiro do Brasil vêm da combinação entre estabilidade econômica, política monetária adequada, condução financeira rigorosa e supervisão financeira integrada. Além disso, os bancos têm bom provisionamento, com monitoramento diário de liquidez.

Ele enfatizou o fato de o Brasil ter integradas a autoridade monetária e a autoridade reguladora. “Todas as 21 instituições financeiras são reguladas pelo Banco Central. Não existe, portanto, assimetria de regulação, como existe em muitos países”, disse.”

(Agência Estado)

Secretário-executivo do Ministério do Trabalho cumpre agenda formal e esportiva

andre

O secretário-executivo do Ministério do Trabalho e Emprego, André Figueiredo, cumpre agenda em Fortaleza nesta sexta-feira. Nada de política pedetista, pois é o dirigente estadual, mas compromissos no plano das ações da pasta.

Às 10 horas, André conferirá a solenidade de entrega de certificados a micro e pequenos empreendedores capacitados pela UFC. O ato ocorrerá no auditório da Faculdade de Direito.

Às 14h30min, na sede da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), o secretário-executivo do Trabalho e Emprego conferirá a formatura de 338 jovens capacitados no Programa de Qualificação para o Comércio.

MAS DEPOIS…

Só depois disso é que André Figueiredo poderá ficar com a agenda livre para assuntos partidários e alvinegros. Ele, na condição de presidente do Conselho Deliberativo do Ceará Sporting Club,  assistirá ao jogo do alvinegro neste sábado, no Castelão, contra o Guarani de Campinas e que poderá ser o passaporte do time para a Primeira Divisão.