Blog do Eliomar

Categorias para Economia

Metrofor – Edital de Proposta de Interesse pela PPP será lançado na quarta-feira

Na próxima quarta-feira (28), será lançado o Edital da Proposta de Manifestação de Interesse (PMI) que antecede a Parceria Público Privada (PPP) para concessão do sistema em operação do Metrofor (Linha Sul e VLT Parangaba-Mucuripe, em Fortaleza, VLT do Cariri e VLT de Sobral). A divulgação ocorrerá simultaneamente no Diário Oficial do Estado (DOE) e nos sites da Cia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor), Secretaria da Infraestrutura (Seinfra) e Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag).

As inscrições para participar das visitas técnicas aos sistemas de metrô e VLT incluídos na PPP serão iniciadas no dia 13 e abril próximo, adianta a Seinfra. As visitas serão direcionadas a empresas interessadas em participar da PMI e que desejam conhecer presencialmente os objetos da Parceria Público Privada. Também será disponibilizado um endereço de e-mail para o recebimento de eventuais dúvidas sobre o Edital.

O documento que será lançado na próxima semana passou por um rigoroso processo de elaboração, no qual as regras da PMI foram analisadas e aprovadas previamente pelo Tribunal de Contas do Estado do Ceará (TCE-CE) e pelo Comitê Gestor de Parceria Público Privada (CGPPP) do Governo do Estado – órgão formado pela Casa Civil, Seinfra, Seplag, Secretaria da Fazenda (Sefaz) e Procuradoria Geral do Estado (PGE). Numa segunda etapa, os termos da PMI foram submetidos à consulta pública, através da qual pessoas físicas e jurídicas puderam ler e fazer sugestões, que foram analisadas e respondidas pela Cia Cearense de Transportes Metropolitanos.

PPP do Metrofor

A Parceria Público Privada, que será realizada após a PMI, tem objetivo de conceder a ente privado o direito de operação e exploração das linhas Sul, VLT Parangaba-Mucuripe, VLT de Sobral e VLT do Cariri, tendo como contrapartida a obrigatoriedade de prestar serviços de alta qualidade para os cidadãos e seguir uma agenda de manutenções e ampliações em todas as linhas, a longo prazo, sob fiscalização do Governo do Ceará.

Muita cautela na hora de tomar um empréstimo para não entrar em mais um problema financeiro, alerta consultor

654 6

Em artigo sobre o atual período econômico, o Mestre em Gestão Empresarial e consultor financeiro Fabiano Mapurunga alerta para empréstimos bancários em época de grande desemprego. Confira:

Estamos vivendo um período econômico e social bem complexo, onde o desemprego assola mais de 12 milhões de brasileiros (IBGE; 2017), logo a circulação da moeda também diminui, comprometendo negativamente o consumo. Daí as empresas, que dependem deste consumo, também acabam tendo problemas em escoar sua produção e com isso acabam tendo dificuldades em fazer caixa para honrar as suas dívidas. É um ciclo de negativações que obriga, muitas vezes, às pessoas físicas e jurídicas a contraírem empréstimos para tentar reduzir suas assimetrias financeiras. E por conta, muitas vezes da urgência, acabam não tomando alguns cuidados que poderiam lhes ajudar a não criar mais uma dívida que poderá se transformar em uma bola de neve.

Dados da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio – CE) divulgados na quinta-feira (22), demonstram que 71,7% dos consumidores cearenses estão endividados. Embora a mesma pesquisa demonstre que houve um recuo de 25,4% para 20,6% neste mês comparando com fevereiro, ainda é muito expressivo o número de restritivos.

Tivemos, nesta semana, mais uma reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) que resultou na redução na taxa básica de juros (Selic) de 6,75% a.a. para 6,5% a.a., porém não temos ainda uma sincronia entre a queda da Selic e a queda de juros ao consumidor. Trouxemos aqui um exemplo deste descompasso: Em quase um ano e meio, a taxa do cheque especial, recuou apenas 4,8% seguida pelo juros do comércio (-9,8%) e pelo empréstimo pessoal (-12,7%), conforme levantamento feito pela Associação Nacional dos Executivos em Finanças e Contabilidade (Anefac). Ou seja, o corte dos juros não está conseguindo se fazer sentir no bolso do consumidor.

Embora estes dados reflitam pontos a serem melhorados em nossa economia, saliento que este é momento de retomarmos as rédeas do nosso crescimento econômico. Vejo com muito otimismo as possibilidades que se apresentam, e atribuo ao emprego de técnicas de gestão o melhor caminho para se alcançar bons resultados. Muito importante tanto para as pessoas físicas, quantos para as pessoas jurídicas, procurarem profissionais que possam lhes orientar a melhorar seu fluxo financeiro, empregando técnicas de renegociação, reformulando processos produtivos, recalculando custos, revisando cargos e funções, montando planejamentos orçamentários, etc.

O desemprego e os juros elevados do comércio, aliados a outros fatores, fazem com que as Pessoas Jurídicas e Físicas tenham cada vez mais o hábito de recorrer a empréstimos para sanar seus problemas de caixa. Alguns cuidados básicos são necessários para não entrarem em um redemoinho de dívidas:

1 – Procure sempre calcular o tamanho real da sua dívida para não pegar um valor ou muito superior, ou muito inferior ao que se necessita;

2 – Procure a ajuda de um especialista para lhe orientar qual a melhor modalidade de crédito para o seu caso. Existem linhas específicas para cada necessidade;

3 – Não se deixe levar pelo valor aparente da taxa, pois existe uma boa diferença entre taxa nominal (a taxa que é dita) e taxa efetiva (a que realmente é cobrada). Verifique se a parcela está dentro de sua capacidade de pagamento;

4 – Tenha sempre um controle de seus pagamentos e recebimentos, e monte um planejamento orçamentário para não perder o domínio das suas contas. Disciplina é a palavra de ordem.

Muito importante sempre se manter no controle da sua situação financeira. Se você não possui o seu Planejamento, sempre acabará tomando empréstimos para apagar incêndios e nunca resolvendo a situação.

Fabiano Mapurunga

CEO da Go Partners Consultoria em Finanças e Negócios. Mestre em Gestão
Empresarial. MBA em Gestão de Negócios. MBA em Gestão Financeira e Controladoria

Boletos vencidos acima de R$ 800,00 já podem ser pagos em qualquer agência bancária

Boletos vencidos acima de R$ 800 já podem ser pagos em qualquer banco, a partir deste sábado. A medida faz parte da nova plataforma de cobrança da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) que começou a ser implementada em julho do ano passado. As mudanças estão sendo feitas de forma escalonada, tendo sido iniciada com a permissão para quitação de boletos em atraso acima de R$ 50 mil. A partir de 26 de maio, serão permitidos os boletos acima de R$ 400 e a expectativa é que até setembro deste ano o processo seja concluído.

A nova plataforma de cobrança permite a identificação do Cadastro de Pessoa Física (CPF) ou do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) do pagador, o que, de acordo com a Febraban, facilita o rastreamento de pagamentos. Ao quitar o boleto, o próprio sistema verifica as informações. Se os dados do boleto coincidirem com os da plataforma, a operação é validada.

O sistema de boleto de pagamento anterior foi criado em 1993 com o início do procedimento de compensação eletrônica. Após 25 anos, a avaliação do setor bancário é que ele precisava ser modernizado. Entre os benefícios da nova plataforma está a permissão para pagamento de boletos após o vencimento em qualquer agência bancária, sem risco de erros nos cálculos de multas e encargos.

A Febraban optou por um período de convivência entre o modelo antigo e o novo. O cronograma de desligamento do sistema antigo também é feito de forma escalonada. A partir de fevereiro deste ano, por exemplo, passou a ser obrigatório que os boletos com valores acima de R$ 2 mil fossem registrados na nova plataforma de pagamentos da rede bancária, não sendo mais aceitos boletos sem registro.

O calendário inicial previa que a nova plataforma incluísse todos os boletos a partir do fim de 2017. “Mas foi necessária uma adaptação para garantir a segurança e a tranquilidade no processamento, em função do elevado número de documentos”, justificou a federação. Segundo a entidade, são processados cerca de 4 bilhões de boletos por ano no país.

Cronograma

Os boletos acima de R$ 400 são os próximos a serem incluídos no novo sistema, a partir do dia 26 de maio. Em 21 de julho, poderão ser pagos em qualquer banco após o vencimento os boletos de qualquer valor. Em 22 de setembro o processo será concluído com a inclusão dos boletos de cartão de crédito e de doações, entre outros.

(Agência Brasil)

Páscoa – 103,9 milhões de brasileiros pretendem ir às compras

Pesquisa divulgada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que 103,9 milhões de brasileiros pretendem realizar compras para a Páscoa, este ano. Segundo a pesquisa, 69% dos consumidores pretendem comprar ou já compraram presentes e chocolates para a Páscoa, número superior à intenção de compras do ano passado (57%). Somente 12% dos entrevistados não pretendem ir às compras este ano.

Entre os que vão comprar presentes ou produtos para a Páscoa, 41% pretendem gastar o mesmo que o ano passado, enquanto 36% pretendem gastar menos e, 15%, um valor superior do que gastou em 2017. O levantamento mostra ainda que a maioria dos consumidores (44% do total dos entrevistados) pretende comprar a mesma quantidade de produtos que adquiriram em 2017 e que 31% pretende comprar mais produtos este ano, enquanto 14% pretende comprar menos. A média de compras esperada é de cinco produtos, com gasto médio estimado em R$ 135,03.

A maioria dos entrevistados (41% do total) disse ter a sensação de que os preços dos produtos para a Páscoa deste ano estão mais caros do que no ano passado. Nove entre cada dez consumidores disse ainda que vai pesquisar os preços dos ovos e produtos de Páscoa antes de comprá-los.

Entre os produtos que devem ser mais comprados nesta Páscoa estão os ovos de chocolate (escolha de 61% dos entrevistados), seguido pelos bombons (51%) e barras de chocolate (48%).

“O consumidor brasileiro já aprendeu que a variação de preços dos ovos de páscoa é enorme e pode ficar próxima a 100% em algumas cidades, de acordo com o Procon. Então, ir às compras na primeira loja que aparece é um erro grave. O ideal é se planejar com antecedência, usar a internet para pesquisar e só tomar decisões depois de ter visto os preços praticados em vários estabelecimentos. Por fim, é válido refletir: é necessário mesmo comprar ovos, ou este é apenas mais um símbolo de consumo? Muitas vezes o chocolate em outros formatos, como a barra, por exemplo, sai muito mais barato para o consumidor. Mas, em todo caso, se a pessoa fizer questão, pode buscar ovos artesanais ou caseiros, que saem mais em conta e também podem ser ótimos presentes”, disse Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil.

(Agência Brasil)

Arrecadação federal cresceu 10,67% em fevereiro

Beneficiada pela recuperação da economia e pela renegociação de dívidas ocorrida no fim do ano passado e em vigor este ano, a arrecadação federal teve forte crescimento no mês passado. Segundo números divulgados pela Receita Federal, o governo arrecadou R$ 105,122 bilhões em fevereiro, alta de 10,67% em relação ao mesmo mês do ano passado, descontada a inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Em valores corrigidos pelo IPCA, a arrecadação atingiu o melhor nível para o mês de fevereiro desde 2015. Nos dois primeiros meses de 2018, a União arrecadou R$ 260,742 bilhões, alta de 10,34% acima do IPCA em relação ao primeiro bimestre do ano passado e o melhor resultado para o período desde 2014.

De acordo com a Receita Federal, a arrecadação aumentou R$ 10,136 bilhões na comparação com fevereiro do ano passado em valores corrigidos pelo IPCA. Desse total, parte do crescimento decorreu do Programa Especial de Regularização Tributária (Pert), também conhecido como Novo Refis, e da elevação de tributos sobre os combustíveis. No entanto, se forem descontadas fatores externos, a arrecadação teria crescido 7,36% acima da inflação.

Em vigor desde o fim de julho do ano passado, a elevação do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) sobre os combustíveis reforçou os cofres federais em R$ 2,334 bilhões em fevereiro, contra R$ 1,089 bilhão no mesmo mês de 2017. Beneficiadas pelo aumento da cotação do petróleo no mercado internacional, que influencia o pagamento de royalties, as receitas não administradas pelo Fisco cresceram 19,26% na mesma comparação, se for descontada a inflação.

(Agência Brasil)

Gasto de brasileiros no Exterior chega a US$ 1,405 bilhão em fevereiro

Foto ilustracion dolar
Foto:
Fernanda Corbani

Os gastos de brasileiros em viagem ao exterior chegaram a US$ 1,405 bilhão em fevereiro. Esse é o maior resultado para o mês desde 2015, quando o valor atingiu US$ 1,490 bilhão. Os dados foram divulgados hoje (23) pelo Banco Central (BC), em Brasília.

No mesmo mês do ano passado, essas despesas ficaram em US$ 1,362 bilhão. As receitas de estrangeiros no Brasil ficaram em US$ 611 milhões, contra US$ 535 milhões em igual mês de 2017. Essas receitas do mês passado foram as maiores para o mês na série histórica do BC, iniciada em 1995.

Com esses resultados, o saldo das viagens ficou negativo em US$ 794 milhões. Nos dois meses do ano, o déficit na conta de viagens ficou em US$ 2,017 bilhões. Nesse período, as despesas de brasileiros no exterior somaram US$ 3,407 bilhões.

Segundo o chefe do Departamento de Estatísticas do BC, Fernando Rocha, o aumento das despesas de brasileiros no exterior é devido à recuperação da economia. “As despesas continuam nessa trajetória de recuperação”, disse.

Nos dados preliminares deste mês, até o dia 21, as receitas de estrangeiros no Brasil ficaram em US$ 392 milhões e as despesas de brasileiros em US$ 1,082 bilhão. Com isso, a conta ficou negativa em US$ 690 milhões, até o dia 21.

(Agência Brasil)

Presidente da Caixa vai assumir o Ministério da Saúde

Gilberto Occhi, presidente da Caixa Econômica Federal, vai deixar a presidência do banco na próxima semana para assumir o Ministério da Saúde. O titular da pasta, Ricardo Barros, se desincompatibilizará do cargo para disputar uma vaga na Câmara dos Deputados. Os dois são do PP. A informação é do O Globo.

O Planalto defende que os ministros que vão disputar as eleições entreguem seus cargos até o dia 05 de abril (o prazo máximo para descompatibilização é dia 07 de abril). A ideia é ter uma margem para a publicação no Diário Oficial da União. Barros vai sair já no dia 28 de março, porque vai ser presidente da Comissão Mista de Orçamento.

Se depender do Ministério da Fazenda, o vice-presidente de Finanças da Caixa, Arno Meyer, assumirá a presidência do banco. Ele é economista e já exerceu cargos nos Ministérios do Planejamento e da Fazenda. Nos bastidores, no entanto, há pressão para indicação política.

Temer anuncia apoio à queda do veto ao Refis das micro e pequenas empresas

339 1

O presidente Michel Temer disse hoje (23) que o governo concluiu os estudos sobre o Programa Especial de Regularização Tributária das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, o chamado Refis das micro e pequenas empresas, e que o governo pode “patrocinar a queda do veto” ao texto aprovado pelo Congresso Nacional.

O veto que foi dado pelo presidente Temer será agora analisado pelo Congresso Nacional. De acordo com Temer, o governo apoiará a queda do próprio veto.

“Como houve problema de natureza legislativa, fomos obrigados a vetar esse projeto, mas imediatamente mandamos fazer estudos com vistas a fazer com que o veto fosse derrubado e o [Henrique] Meirelles [ministro da Fazenda] fez todo o esforço”, justificou nesta sexta-feira Temer.

Segundo o presidente, o governo concluiu recentemente o estudo. “Aqui é o primeiro anúncio, eu e Meirelles podemos, a essa altura, patrocinar a queda do veto para que a micro e pequena empresa tenha a possibilidade de refinanciar os seus débitos”, disse.

O projeto aprovado pelo Congresso concede descontos de juros, multas e encargos com o objetivo de facilitar e parcelar o pagamento dos débitos de micro e pequenas empresas, desde que 5% do valor total seja pago em espécie, sem desconto, em até cinco parcelas mensais. O restante da dívida poderia ser pago em até 15 anos. A adesão incluía débitos vencidos até novembro de 2017.

Em janeiro, o presidente Michel Temer vetou integralmente o projeto com a justificativa de que a medida fere a Lei de Responsabilidade Fiscal ao não prever a origem dos recursos que cobririam os descontos aplicados a multas e juros com o parcelamento das dívidas.

O veto foi criticado principalmente pelas organizações que representam esses empresários. Segundo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o Refis deve beneficiar cerca de 600 mil empresas brasileiras que devem cerca de R$ 20 bilhões à União.

(Agência Brasil)

Secovi/CE faz doação de alimentos para o Lar Amigos de Jesus

O Secovi-Ceará, entidade que representa o setor de habitação no Estado, fez uma doação de 30 quilos de alimentos para o Lar Amigos de Jesus, instituição que acolhe crianças e adolescentes portadores de câncer e outras enfermidades de tratamento prolongado.

O vice-presidente administrativo do Secovi-CE, Salim Ary, representou o sindicato na entrega dos alimentos que foram recebidos por Irmã Maria da Conceição Dias.

Os alimentos doados foram arrecadados nas inscrições para a palestra Empodere-se, promovida pela Universidade Secovi no último dia 15, na Livraria Leitura do Shopping Rio Mar. A atividade foi ministrada por Salim, que também é Coach Familiar Sistêmico, na companhia de Joâna Araripe, Master Coach.

(Foto – Divulgação)

Prazo para entrega da Rais termina nesta sexta-feira

O prazo para a entrega da declaração da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) de 2017 termina hoje (23). Ele começou no dia 23 de janeiro deste ano. A entrega da Rais é obrigatória para todas as empresas com Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) ativo na Receita Federal em qualquer período do ano passado, com ou sem empregado, além de todos os estabelecimentos com Cadastro Específico do INSS (CEI) que tenham funcionários.

Já os microempreendedores individuais (MEI) só precisam fazer a declaração se tiverem empregado. Caso contrário, a declaração é facultativa.

Segundo dados do Ministério do Trabalho, divulgados na última terça-feira (20), 6 milhões de estabelecimentos enviaram a declaração relativa a quase 38,2 milhões de vínculos. Isso corresponde a cerca de 75% do total estimado.

As empresas que perderem o prazo estão sujeitas a uma multa. Os valores vão de R$ 425,64 a R$ 42.641, dependendo do tempo e do número de funcionários registrados.

Já o trabalhador que não constar da Rais não conseguirá receber o Abono Salarial ou o Seguro-Desemprego, e poderá ser prejudicado na contagem de tempo para a aposentadoria e outros direitos trabalhistas.

Em 2016, o Ministério do Trabalho recebeu informações de 8,5 milhões de estabelecimentos envolvendo 67,2 milhões de vínculos.

Segundo o ministério, a declaração é importante para o governo ter informações sobre a atividade econômica do país e o ministério planejar e adotar políticas públicas apropriadas.

(Agência Brasil)

Confiança do Consumidor avança 4,6 pontos de fevereiro para março, diz FGV

O Índice de Confiança do Consumidor, medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), avançou 4,6 pontos de fevereiro para março deste ano e chegou a 92 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos. Em relação a março de 2017, o índice avançou 8,1 pontos.

Na passagem de fevereiro para março melhoraram tanto as avaliações sobre a situação atual quanto as expectativas em relação aos próximos meses. O Índice de Situação Atual cresceu 3,4 pontos e atingiu 78,6 pontos, mas ainda se mantém na zona de pessimismo.

O Índice de Expectativas avançou para a zona de otimismo ao subir 5 pontos, de 96,5 para 101,5 pontos, o maior nível desde dezembro de 2013 (103,6).

Em relação à situação econômica geral, o indicador que mede o grau de satisfação com a economia no momento avançou 1,7 ponto, para 84,4 pontos. Já o indicador das perspectivas para a situação econômica nos seis meses seguintes avançou 3,9 pontos, para 118 pontos, o maior nível da série histórica.

Segundo a FGV, a recuperação gradual da situação atual contribui para que os consumidores se sintam mais confiantes para novas compras. “A sustentação dessa melhora na intenção de compras dependerá, contudo, da não ocorrência de choques negativos no âmbito político ou econômico nos próximos meses”, afirma Viviane Seda Bittencourt, coordenadora da Sondagem do Consumidor.

(Agência Brasil)

PF cumpre mandados de prisão por fraudes na Casa da Moeda

Policiais federais e a Corregedoria-Geral do Ministério da Fazenda fazem hoje (23) uma operação para investigar fraude em licitação na Casa da Moeda do Brasil, no Rio de Janeiro.

Estão sendo cumpridos seis mandados de busca e apreensão no Rio, São Paulo, São José dos Campos (SP), Itajubá (MG) e Brazópolis (MG).

Segundo a Polícia Federal, há suspeita de que uma empresa privada tenha sido beneficiada por uma licitação destinada à aquisição de equipamentos utilizados na fabricação de dinheiro. Os equipamentos custaram à Casa da Moeda R$ 300 milhões.

A PF acredita que tenha havido pagamento de vantagens indevidas a servidores públicos para que a empresa tivesse sucesso na licitação, ocorrida em 2009.

Essa é a segunda fase da Operação Vícios, cuja primeira fase ocorreu em julho de 2015. Na ocasião, 23 mandados de busca e apreensão foram cumpridos no Rio, São Paulo e Brasília, inclusive em dependências da Receita Federal e da Casa da Moeda.

(Agência Brasil)

Ipea projeta 3% de crescimento do PIB para este ano

Os economistas do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) projetam crescimento de 3% do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos pelo país) em 2018, mesmo percentual de crescimento deverá se repetir em 2019. A estimativa consta da Carta de Conjuntura divulgada hoje (22) pelo Instituto.

Na avaliação do Grupo de Conjuntura do Ipea, a inflação mesmo com o esperado aumento de preços dos alimentos, deverá fechar este ano em 3,6%, com cenário positivo para a recuperação do nível de atividade econômica do país.

A avaliação dos economistas, o principal resultado positivo do primeiro bimestre do ano veio da taxa de inflação. “Apesar da importante contribuição dos alimentos, mesmo com a exclusão desses preços do cálculo do IPCA [Índice Nacional de preços ao Consumidor Amplo, do IBGE), o índice acumulado em 12 meses recuou de 10% para 4,2% entre janeiro de 2016 e fevereiro de 2018”, diz o estudo.

“A projeção da taxa de variação do subíndice do IPCA para alimentos em 2018 é 3,63%, enquanto a de bens livres, exceto alimentos, é 2,36%. A estimativa do subíndice desagregado para educação é 6,27%, e de 5,94% para saúde”, de acordo com o Ipea.

Na avaliação do Ipea, a inflação em patamar baixo mostra que há espaço para que a política monetária possa estimular o crescimento sem grandes riscos de escalada de preços. O entendimento é que o resultado em 2018 será explicado principalmente pela expansão do consumo das famílias (estimado em 3,4%) e do investimento (4,5%).

O consumo do governo deve registrar crescimento nulo, enquanto as exportações líquidas de bens e serviços devem contribuir negativamente para o resultado do PIB, com avanço das importações (7,5%) superior as exportações (6,5%). O crescimento da indústria (3,6%) e dos serviços (2,9%) deve compensar a queda do PIB agropecuário, projetado para 2,2%).

(Agência Brasil)

PF deflagra operação contra comércio ilegal de créditos tributários

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quinta-feira (22), em parceria com a Receita Federal, uma operação para combater fraudes relacionadas ao comércio de créditos tributários irregulares. Estão sendo cumpridos quatro mandados de prisão temporária, contra uma servidora da Receita Federal e sócios das empresas de consultoria que intermediavam o repasse dos créditos, e 14 mandados de busca e apreensão nas cidades de São Paulo, Bragança Paulista (SP) e Florianópolis.

Segundo as investigações, a fraude era feita por empresas que prestavam consultoria, oferecendo créditos tributários retirados de terceiros e repassando esses valores para clientes que contratavam os serviços. A fraude contava também com a participação de uma analista tributária da Receita Federal e de um falso auditor fiscal.

A Operação Manigância observou que foram aproveitados R$ 64 milhões em créditos irregulares. O nome da operação faz referência à técnica ilusionista que faz um objeto desaparecer de um local e aparecer em outro.

(Agência Brasil)

FGV – Brasileiro acredita que inflação ficará em 5,3% nos próximos 12 meses

A expectativa mediana dos consumidores brasileiros para a inflação nos próximos 12 meses ficou em 5,3% neste mês e atingiu o menor nível desde setembro de 2007 (5,2%). Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), a taxa ficou próxima da registrada no levantamento de fevereiro (5,4%).

O cálculo da expectativa da inflação é feito com base na resposta dos consumidores para a seguinte pergunta: “Na sua opinião, de quanto será a inflação brasileira nos próximos 12 meses?”. O entrevistado responde livremente, sem qualquer valor sugerido pelos pesquisadors.

A FGV acredita que, como não se esperam grandes flutuações no nível de preços, a expectativa de inflação dos consumidores se manterá nesse patamar nos próximos meses.

(Agência Brasil)

Grupo de servidores protesta contra reajuste dado pela Prefeitura

Um grupo de servidores municipais realiza, nesta manhã de quinta-feira, um protesto e assembleia geral para cobrar a revisão do índice de reajuste concedido pela Prefeitura para a categoria. O índice foi de 2,95% e já foi aprovado pela Câmara Municipal.

O ato acontece desde às 8 horas, em frente ao Paço Municipal, e está sendo mobilizado pelo Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município de Fortaleza (Sindifort) e outras entidades. A rua São José, em frente ao Paço, está interditada.

A categoria decidiu não aceitar o reajuste da Prefeitura e promete continuar lutando por 9,42%, percentual correspondente à inflação acumulada de 2016 (6,29%) e 2017 (2,95%).

 

(Foto – Divulgação)

BC reduz taxa de juros básicos para 6,5% ao ano

Pela 12ª vez seguida, o Banco Central (BC) baixou os juros básicos da economia. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu hoje (21) a taxa Selic em 0,25 ponto percentual, de 6,75% ao ano para 6,5% ao ano. A decisão era esperada pelos analistas financeiros.

Com a redução de hoje, a Selic continua no menor nível desde o início da série histórica do Banco Central, em 1986. De outubro de 2012 a abril de 2013, a taxa foi mantida em 7,25% ao ano e passou a ser reajustada gradualmente até alcançar 14,25% ao ano em julho de 2015. Em outubro de 2016, o Copom voltou a reduzir os juros básicos da economia até que a taxa chegasse a 6,75% ao ano em fevereiro, o nível mais baixo até então.

Em comunicado, o Copom informou que a inflação evoluiu de forma melhor que o esperado nesse início de ano. De acordo com o BC, o comportamento da inflação permanece favorável, com diversos preços mais sensíveis aos juros e ao ciclo econômico em níveis baixos. O órgão sinalizou que deve continuar a reduzir os juros na próxima reunião, em 15 e 16 de maio, mas que deve interromper o ciclo de quedas depois disso.

(Agência Brasil)

Beach Park tem novo brinquedo – Vainkará

O Complexo Turístico Beach Park está lançando um novo brinquedo: o Vainkará, resultado de um investimento de R$ 15 milhões, com inauguração prevista para junho deste ano.

“O Vainkará é o investimento deste ano, dentro da estratégia de inovação que temos trazido ao longo dos anos, e que tem sido importante para o sucesso do Beach Park”, destaca Murilo Pascoal, diretor geral do Beach Park Entretenimento. Segundo ele, em 2017, a empresa apresentou pequena queda de 1% de público, mas cresceu 5% em receita.

Para gerar engajamento e promover experiência ao cliente, o Vainkará possui uma câmera situada no topo do equipamento. A ideia é gravar a descida do cliente, que receberá o vídeo no celular para compartilhar nas redes sociais e com quem quiser. A iniciativa é uma parceria com a Visa, empresa global de tecnologia de pagamentos, e a Getnet, do grupo Santander.

As três empresas vão ainda implantar tecnologia de identificação eletrônica, por meio de pulseira, a ser usada para compras dentro e fora do parque. É uma ferramenta que visa facilitar o consumo desde o momento da entrada no Beach Park até a experimentação das atrações. Vai substituir o cartão que é tradicionalmente usado para consumo, com o cliente carregando um valor pré-pago no chip dentro da pulseira. “Se o parque é de diversão, a experiência de pagamentos não pode ser tediosa”, explica Nuno Lopes Alves, vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios da Visa do Brasil.

Projeto

O projeto do Vainkará é desenvolvido em parceria com a maior fabricante de toboáguas do mundo, a canadense Proslide. No estilo “Tornado Wave”, é o primeiro equipamento da categoria da América Latina e o segundo do mundo. Com quase 30 metros de altura, os usuários utilizam boias de quatro lugares, experimentando a sensação de surfe em duas ondas de 11,5 metros cada e descendo em até 35 segundos. A capacidade será de até 720 pessoas por hora.

 

Movimentos sociais fazem protesto contra a privatização da Eletrobras

Manifestantes fizeram hoje (21), em Brasília, um protesto contra o projeto de privatização da Eletrobras, em discussão no Congresso Nacional.

Segundo os organizadores, cerca de 600 pessoas participaram do ato, na Asa Norte, incluindo trabalhadores que deixaram o escritório para se somar ao protesto em frente ao prédio onde a estatal funciona. A Polícia Militar não calculou o número de manifestantes, limitando-se a informar que houve uma “pequena concentração” que logo se dispersou, sem registro de tumultos.

De acordo com a secretária de Energia da Confederação Nacional dos Urbanitários, Fabíola Latino Antezana, além dos trabalhadores da empresa, o ato reuniu representantes de movimentos populares e de sindicatos representantes de categorias diversas que estão participando do Fórum Alternativo Mundial da Água (Fama).

Procurada, a Eletrobras não comentou a manifestação.

(Agência Brasil)