Blog do Eliomar

Categorias para Economia

Interventor no Sesc/Senac do Rio, Luiz Gastão apresenta balanço

Nomeado em dezembro do ano passado como interventor do Serviço Social do Comércio (Sesc) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) do Rio de Janeiro, Luiz Gastão Bittencourt apresentou, nessa segunda-feira (5), um balanço das condições encontradas nas duas instituições. Segundo ele, houve um esvaziamento das atividades-fim e a situação das finanças traz preocupações. Bittencourt é presidente do Sesc e do Senac no Ceará, cargo do qual se afastou para assumir a gestão no Rio de Janeiro.

Em outubro do ano passado, profissionais demitidos do Sesc e do Senac chegaram a organizar diversos protestos na frente das instituições, acusando um desmonte. Como resultado das demissões, o atendimento teria sido reduzido. Entre os prejuízos apontados pelo interventor está o encerramento de atividades de educação infantil e ensino fundamental, o fechamento de metade das clínicas odontológicas, a paralisação de serviços voltados para a saúde da mulher, a desativação de um teatro de arena em Copacabana e a não utilização de equipamentos adquiridos por R$ 2,5 milhões em 2015 para a montagem de novas academias.

O interventor assumiu a função por meio de resolução assinada por Antônio Oliveira Santos, presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e dos conselhos nacionais do Sesc e do Senac. O documento foi publicado após o então presidente do Sesc e Senac do Rio de Janeiro, Orlando Santos Diniz, ser afastado do cargo por decisão do ministro Napoleão Nunes Maia Filho, do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O magistrado atendeu pedido da CNC e considerou que indícios de irregularidades administrativas justificavam o receio de lesão grave às instituições, além do fato de que as duas instituições no Rio estavam sob investigação da Operação Calicute, da Polícia Federal, um dos desdobramento da Operação Lava Jato. A gestão de Orlando Diniz está sendo investigada por supostas vantagens indevidas ao ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (PMDB) e por pagamentos ilegais ao escritório de advocacia da ex-primeira-dama Adriana Ancelmo.

O Sesc foi criado com o objetivo de oferecer aos comerciários atividades nas áreas de cultura, saúde, turismo social, educação, esporte e assistência. Já o Senac investe na qualificação de mão de obra e na oferta de cursos profissionalizantes. Ambas instituições integram no Rio de Janeiro um sistema em conjunto com a Federação do Comércio do Estado (Fecomércio-RJ), entidade que segue presidida por Orlando Diniz. Assim como nos demais estados, Sesc e Senac devem repassar 3% de sua arrecadação para a Fecomércio.

Irregularidades

No entanto, o interventor Luiz Gastão afirma que os repasses foram superiores ao previsto na legislação sem que os motivos fossem esclarecidos. “Vultosos valores foram transferidos entre Senac e Fecomércio-RJ sem a devida prestação de conta e sem a finalização do objetivo para o qual foi transferido”, disse. Segundo o interventor, foram utilizados recursos da reserva da entidade para cobrir déficits nos últimos três anos: R$ 65 milhões em 2015, R$ 66 milhões em 2016 e R$ 84 milhões em 2017. “As reservas chegaram no fim de 2017 com um saldo de R$ 102 milhões. No passo que iria, com mais um ano, as reservas do Senac estariam completamente dizimadas”.

Em relação ao Sesc, Luiz Gastão disse haver irregularidades contábeis em diversos balancetes desde maio de 2016. Além disso, os contratos de segurança teriam sido reduzidos em 40%. Uma vistoria realizada pela gestão interventora apontou que 90% das unidades do Sesc apresentavam problemas que comprometeriam a integridade física e a segurança dos funcionários e da clientela. Muitos deles foram considerados espaços insalubres, em completo abandono.

Ainda de acordo com Luiz Gastão, o conselho fiscal do Sesc/Senac, composto por quatro representantes do governo federal, dois membros escolhidos por empresários e um indicado pelos trabalhadores, vinha tendo seus trabalhos cerceados. Ele também disse que havia um clima interno de perseguição nas instituições e que já determinou a desistência de processos por danos morais que a gestão anterior movia contra ex-funcionários. Está prevista ainda uma mudança no código de ética para dar mais liberdade aos empregados.

Programas mantidos

O apoio ao programa Segurança Presente, que garante a presença de policiamento nas ruas em alguns bairros do Rio de Janeiro, será mantido. A iniciativa, gerida pelo governo estadual, conta com recursos do Sesc, do Senac e da Fecomércio. “Nossa ideia é dar continuidade, fazendo talvez alguns ajustes que sejam necessários conforme a nossa filosofia. Mas o valor hoje investido no programa [R$44 milhões nos últimos dois anos] não traz nenhum problema para a sustentabilidade das instituições”.

O interventor também garantiu a continuidade do patrocínio aos times de vôlei masculino e feminino, comandados respectivamente por Giovane e Bernardinho. Ele, no entanto, quer repensar a parceria, levando os atletas a ministrarem palestras, oferecendo aulas e proporcionando momentos de convivência com alunos do Sesc. “Nossa missão não é um esporte de performance. É um esporte de inclusão social”.

(Agência Brasil)

Receita abre dia 8 consulta ao lote residual de restituição do IR

A Receita Federal irá restituir este mês mais de R$ 210 milhões para 102.361 contribuintes referentes ao Imposto de Renda de 2008 a 2017. Segundo o órgão, o lote multiexercício de restituição estará disponível para consulta a partir das 9h de quinta-feira (8). O crédito bancário será realizado no dia 15 de fevereiro. Os valores serão corrigidos pela Selic, a taxa básica de juros da economia.

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deverá acessar a página da Receita na Internet, ou ligar para o Receitafone 146. Na consulta à página da Receita, serviço e-CAC, é possível acessar o extrato da declaração e ver se há inconsistências de dados identificadas pelo processamento. Caso haja, o contribuinte poderá fazer a autorregularização, mediante entrega de declaração retificadora. As consultas podem ser feitas pelo aplicativo da Receita Federal para tablets smartphones.

Segundo a Receita, a restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá requerê-la pela internet, mediante o Formulário Eletrônico – Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF.

Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá contatar pessoalmente qualquer agência do BB ou ligar para a Central de Atendimento por meio do telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.

Edição: Valéria Aguiar

Petrobras anuncia reajuste nos preços do GLP industrial

A Petrobras decidiu reajustar os preços de comercialização às distribuidoras do GLP destinado aos usos industrial e comercial, no percentual médio de -4,6% e vigência a partir de amanhã (06/02). A informação é da assessoria de comunicação da estatal.

A alteração mostra-se necessária devido à queda das cotações internacionais do produto, que reflete a proximidade do fim do inverno na Europa, com o consequente arrefecimento da demanda pelo derivado.

A Petrobras esclarece que este reajuste não se aplica aos preços de GLP destinado ao uso residencial, comercializado pelas distribuidoras em botijões de até 13kg (conhecido como P13 ou gás de cozinha).

A Petrobras informa, ainda, que as mudanças nos preços do GLP voltado aos segmentos industrial e comercial nas refinarias estão sendo informadas também por meio do site da companhia.

Fiec lança o XIV Prêmio por Desempenho Ambiental

A Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), por meio do seu Núcleo de Meio Ambiente (Numa), lançará nesta terça-feira o XIV Prêmio FIEC por Desempenho Ambiental. O lançamento acontecerá às 18 horas, durante a reunião da diretoria da entidade, na Casa da Indústria em Fortaleza. A informação é da assessoria de imprensa da federação.

A premiação visa agraciar empresas industriais, filiadas aos sindicatos que integram o Sistema FIEC, que tenham se destacado na conservação do meio ambiente e implementado atividades que resultem na melhoria da qualidade ambiental.

*O gerente do Núcleo de Meio Ambiente(NUMA), Renato Aragão, fala sobre o Prêmio:

Podem participar empresas do setor industrial, classificadas em (a) micro e pequenas empresas, (b) médias empresas e (c) grandes empresas. Referente as modalidades de participação, os projetos inscritos contemplarão: Produção Mais Limpa; Reúso de Água; Educação Ambiental e Integração com a Sociedade.

SERVIÇO

*As inscrições poderão ser feitas a partir desta terça-feira (6).

Ministério do Turismo fará fiscalização em meios de hospedagem até abril

Max Beltrão é o ministro do Turismo.

Até o mês de abril, todas as capitais brasileiras serão visitadas pelos fiscais do Ministério do Turismo. A ação tem como objetivo sensibilizar os prestadores de serviço sobre a importância da formalização do setor e, consequentemente, garantir a ampliação do número de pessoas físicas e jurídicas no cadastro de prestadores de serviços turísticos: o Cadastur. A “Operação Verão Legal” já esteve em Brasília, Rio de Janeiro e Boa Vista e começou nesta segunda-feira (5) as vistorias nas 23 capitas restantes.

O trabalho de fiscalização, iniciado em setembro de 2017, já tem surtido efeitos nos números do Cadastur. Em dezembro de 2017 foram identificados 64.591 cadastros, um crescimento de 14% em relação ao mesmo período do ano anterior. É importante alertar que quem for flagrado com cadastro fora de validade será considerado ilegal e pode ser autuado pelos órgãos de controle. Caso não regularize sua situação, ainda pode ser penalizado com uma multa que pode chegar a R$ 854 mil.

Com a medida, a expectativa do Ministério do Turismo é garantir o cadastro dos 4.123 meios de hospedagem das capitais registrados pelo censo da hotelaria encomendado pelo MTur no ano passado. Atualmente, 1.374 estão no sistema, ou seja, 33% do total. Além da formalização de meios de hospedagem, o cadastro também é obrigatório para outras seis categorias: agência de turismo; parque temático; acampamento turístico; organizadora de eventos; guia de turismo; e transportadora turística.

Prefeitura e Banco Mundial discutem a implementação do Fortaleza Cidade Sustentável

736 1

A Prefeitura de Fortaleza discute, a partir desta segunda-feira, com especialistas do Banco Mundial (BIRD), a implementação e execução das ações do Programa Fortaleza Cidade Sustentável (FCS). A visita tem como objetivo examinar o andamento dos projetos que compõem esse programa. Visa também traçar novas estratégias, além de revisar e discutir o Plano de Ação de salvaguardas sociais e ambientais, com foco na meta de conclusão dos termos de referência, observando as especificações técnicas e editais de atividades prioritárias.

Até o dia 9, estão previstas atividades como a apresentação técnica do status atual do FCS, cronograma de trabalho e agenda com o prefeito Roberto Cláudio para avaliar o trâmite do convênio no Governo Federal e a possível data de assinatura do empréstimo, informa a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma).

Fortaleza contará, pela primeira vez, com um grande pacote de ações voltadas especialmente para o ambiente natural e o ambiente construído. Por meio da aprovação de um empréstimo inédito junto ao Banco Mundial (Bird), que totaliza US$ 146,6 milhões, o prefeito Roberto Cláudio implementará o Programa Fortaleza Cidade Sustentável, em uma série de iniciativas que significarão avanços importantes para a nossa Capital. Com o financiamento do Banco Mundial, a contrapartida será de responsabilidade da Gestão Municipal.

Cagece oferta 135 vagas para cursos profissionalizantes

A Cagece vai oferecer em março 135 vagas para cursos profissionalizantes em Fortaleza. No total são quatro modalidades de capacitação: Bombeiro hidráulico (30 vagas), Técnicas de Comunicação, Negociação e Vendas (30 vagas), Auxiliar Administrativo (40 vagas) e Pintura Industrial (35 vagas). A informação é da assessoria de imprensa do órgão.

Os interessados em se candidatar devem retirar uma carta de encaminhamento em uma das unidades do Sistema Nacional de Emprego (Sine), até o dia 23 de fevereiro. Os cursos são gratuitos e as matrículas acontecem no dia 24 de fevereiro, das 8 às 11 horas, na sede da companhia (Avenida Dr. Lauro Vieira Chaves, 1030 – Vila União). O atendimento será por ordem de chegada.

Para se matricular é necessário estar com a carta de encaminhamento em mãos, ter idade mínima de 16 anos e apresentar os seguintes documentos: certificado de conclusão do ensino fundamental, identidade, CPF e comprovante de residência.

Para alunos que já realizaram curso na companhia e buscam nova oportunidade de capacitação basta apresentar o certificado de participação em curso realizado anteriormente pela Cagece. As aulas de auxiliar administrativo e de Técnicas de Comunicação, Negociação e Vendas acontecerão na própria sede da Cagece e as bombeiro hidráulico e pintura industrial irão ocorrer na unidade da companhia no bairro Pici.

SERVIÇO

Curso: Bombeiro Hidráulico (30 vagas)
Período: 03, 04 e 10 de março de 2018
Horário: Sábado e domingo, das 8 às 17 horas

Curso: Técnicas de Comunicação, Negociação e Vendas (30 vagas)
Período: 05 a 16 de março de 2018
Horário: Segunda a sexta, das 17h20min às 20h20min

Curso: Auxiliar Administrativo (40 vagas)
Período: 05 a 14 de março de 2018
Horário: Segunda a sexta, das 17h15min às 21h15min

Curso: Pintura Industrial (35 vagas)
Período: 17, 18 e 24,25 de março de 2018
Horário: Sábados e Domingos, das 8 às 17 horas

Confira os endereços dos Sines

Aldeota
Av Santos Dumont, 5015 – Aldeota
Tel: 3101.1660

Vapt Vupt Antônio Bezerra
Av. Demétrio de Menezes, 3750
Telefone: (85) 3101.2743

Centro
Rua Assunção, 699 – Centro
Tel: 3101.2775

Vapt Vupt Messejana
Rua Jornalista Tomaz Coelho, 408
Telefone: (85) 3101.2138

Parangaba
Av João Pessoa, 6239 – Parangaba
Tel: 3101.3034.

Carnaval deve incrementar o movimento nos aeroportos

Os aeroportos da Infraero devem ter um aumento de 4,7% no Carnaval deste ano. Entre os dias 8 e 19 próximos, são esperados 2,6 milhões de passageiros, entre embarques e desembarques, nos terminais com voos comerciais regulares. Em 2017, a movimentação de carnaval ocorreu entre os dias 23/2 e 6/3 e foi registrado um fluxo de 2,5 milhões de viajantes. A informação é da assessoria de imprensa da estatal.

Para garantir o melhor atendimento e fluidez na movimentação dos aeroportos, cada terminal elaborou seu plano contingência, que já executou atividades de manutenção preventiva em equipamentos como esteiras de embarque e desembarque de bagagens, sinalização de pista, pontes de embarque, escadas rolantes, raios-x e detectores de metal, entre outros.

“Esse cuidado preventivo vai garantir que passageiros, companhias aéreas e demais clientes dos nossos aeroportos tenham um carnaval tranquilo nos aeroportos, sempre levando em conta as diversas características dos nossos terminais”, afirma o diretor de Operações e Serviços Técnicos, João Márcio Jordão.

FORTALEZA – O Aeroporto Internacional Pinto Martins está hoje sob a gestão da alemã Fraport, que ainda não divulgou estimativas sobre o movimento em clima de folia.

Correios reajustam preço do serviço de despacho postal

A partir de hoje (5), o despacho postal será reajustado de R$ 12 para R$ 15. De acordo com os Correios, o valor do serviço não sofreu nenhuma alteração desde a sua implantação, em outubro de 2014. “Na área de encomendas, os Correios concorrem com empresas privadas e o cálculo do reajuste é baseado na variação dos custos, nas tendências do mercado e na evolução do cenário comercial de livre concorrência”, informou a empresa.

O despacho postal é o valor pago pelos importadores em razão da prestação dos serviços de suporte postal e apoio administrativo às atividades de tratamento aduaneiro (entrada e saída de mercadorias, em aeroportos e fronteiras). O valor tem o objetivo de cobrir os custos com o processo de recebimento dos objetos, a inspeção de raio X, armazenagem, o recolhimento dos impostos, a comunicação com destinatário e remetente, além da devolução da encomenda quando o destinatário não faz o pagamento dos tributos.

Desde 22 de janeiro de 2018, todas as encomendas internacionais cuja declaração de importação for registrada na plataforma eletrônica Minhas Importações estarão sujeitas à cobrança do serviço de despacho postal, independentemente de serem tributadas pela Receita Federal.

(Agência Brasil)

Venda de veículos novos cresceu 23,14% em janeiro, diz Fenabrave

Em todo o país, as vendas de veículos novos cresceram 23,14% em janeiro deste ano na comparação com o mesmo mês de 2017. Segundo balanço da Federação Nacional da Distribuição dos Veículos Automotores (Fenabrave), divulgado hoje em São Paulo, foram emplacadas 181,2 mil unidades no primeiro mês de 2018, contra 147,2 mil no ano passado. Em relação ao último mês de dezembro, no entanto, foi verificada uma queda de 14,75%.

O setor de caminhões registrou expansão de 56,26% em janeiro de 2018, com a comercialização de 4,6 mil unidades. As vendas de ônibus tiveram alta de 57,71% no período, com 1,1 mil unidades emplacadas.

Os automóveis e veículos comerciais leves (como picapes e furgões) acusaram crescimento de 22,29% nas vendas. Em janeiro último, foram comercializados 175 mil veículos dessas categorias, enquanto no primeiro mês de 2017 os emplacamentos totalizaram 143,5 mil.

A alta nas vendas reflete, segundo o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção, a melhora do cenário econômico em relação ao começo de 2017. “As expectativas renovadas em função da melhora dos índices econômicos refletem, diretamente, na confiança do consumidor e favorecem o mercado de veículos”, disse.

Para 2018, a perspectiva da entidade é que aconteça uma melhora gradual, com o setor retomando o ritmo de crescimento do período anterior antes da crise econômica.

(Agência Brasil)

O empresariado e a Reforma da Previdência

 

O diretor do Grupo J. Macedo, Amarílio Macedo, defende a reforma da Previdência. Ele afirma que é uma “questão de necessidade” para equilibrar as contas do País.

Aliás, nesta segunda-feira, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) iniciou reunião que se estenderá até quarta-feira, em Brasília.

O objetivo é fechar a sua Agenda Legislativa 2018, na qual fará uma triagem de 800 projetos em tramitação no Congresso para priorizar trabalho de pressão em 120 iniciativas do interesse do setor industrial, informou o chefe de gabinete da Fiec, Sérgio Lopes.

(Foto – Natinho Rodrigues)

 

Copom pode reduzir juros básicos pela 11ª vez seguida nesta semana

Pouco mais de um mês depois de reduzir os juros básicos para o menor nível da história, o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) faz a primeira reunião de 2018 esta semana para definir os rumos da Taxa Selic. A expectativa de instituições financeiras é que os juros caiam de 7% para 6,75% ao ano.

Se a expectativa se confirmar, será o 11º corte seguido na taxa básica. Em dezembro, o Copom reduziu, por unanimidade, a Selic em 0,5 ponto percentual, de 7,5% para 7% ao ano, o menor nível da história.

Anteriormente, o recorde inferior da taxa Selic havia sido registrado de outubro de 2012 a abril de 2013, quando a taxa ficou em 7,25% ao ano. Em seguida, a taxa foi reajustada gradualmente até alcançar 14,25% ao ano em julho de 2015, patamar mantido nos meses seguintes. Somente em outubro de 2016, o Copom voltou a reduzir os juros básicos da economia.

Apesar da expectativa do mercado financeiro de nova redução dos juros, o ex-diretor do Banco Central (BC) Carlos Eduardo Freitas diz que o ideal seria a autoridade monetária manter os juros básicos em 7% ao ano e esperar a próxima reunião, no fim de março, para decidir se baixará os juros. Segundo ele, a taxa real – diferença entre a Selic e a inflação – está baixa, e uma nova redução traria o risco de a inflação ter uma leve alta.

A expectativa do mercado financeiro é que a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), termine este ano em 3,95%, abaixo do centro da meta de, 4,5%.

(Agência Brasil)

Oi não fará assembleia convocada por acionista português

A Oi informou hoje (2), por meio de comunicado ao mercado, que não realizará a assembleia geral extraordinária convocada para o dia 7 de fevereiro por um de seus acionistas, o grupo português Pharol (ex-Portugal Telecom), detentora de mais de 22% do capital da empresa. Entre os pontos pautados para a assembleia está a rediscussão de partes do plano de recuperação judicial aprovado pelos credores em dezembro do ano passado.

De acordo com o comunicado, a convocação contraria a decisão judicial que homologou seu plano de recuperação judicial. A realização de uma assembleia geral extraordinária “por iniciativa de um de seus acionistas contraria a decisão judicial, proferida em 8 de Janeiro de 2018, pelo Juízo da 7ª Vara Empresarial da Comarca da Capital do Estado do Rio de Janeiro. A referida decisão judicial homologou o Plano de Recuperação Judicial aprovado pelos credores e concedeu a recuperação judicial da Oi e de suas subsidiárias”, disse a nota.

Na assembleia, a Pharol também queria discutir a criação de um conselho de administração transitório e a alteração da forma de eleição dos conselheiros, prevista no plano de recuperação judicial. No comunicado, a Oi diz que a realização da assembleia “reinstalaria instabilidade” no processo de recuperação.

Recurso judicial

No dia 29, a Justiça já havia negado pedido da Pharol de reconsideração parcial da homologação do plano. Entretanto, ontem (1°), o Ministério Público (MP) do Rio de Janeiro apresentou recurso contra a decisão da 7ª Vara Empresarial que homologou plano de recuperação da Oi.

Para o MP, a decisão de manter no plano a dívida da Oi com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) não tem fundamento legal. Segundo o MP, a medida desrespeitou a Lei 13.494/17, que criou o Programa de Regularização de Débitos não Tributários (PRD) nas autarquias e fundações públicas federais e na Procuradoria-Geral Federal estabelecendo as regras para o parcelamento de dívidas com a União.

(Agência Brasil)

Taxistas vão a Brasília pressionar pró-regulamentação dos aplicativos

Com a retomada das atividades do Congresso Nacional na próxima semana, entidades e corporações começam a se articularem busca de projetos do seu interesse em tramitação na Câmara e no Senado.

É o caso dos taxistas de todo o País que, neste domingo, sairão em caravanas de vários Estados rumo a Brasília com o objetivo de pressionar parlamentares pró-regulação dos aplicativos.

Segundo o presidente do Sinditáxi Ceará, Vicente de Paula Oliveira, a regulamentação se faz necessária para ajudar um mercado onde os taxistas legalizados pagam impostos e taxas, enquanto os que operam com aplicativos ficam livres dessas obrigações, no que se cria uma concorrência desleal.

(Foto – Paulo MOska)

Orçamento 2018 – Bloqueio chega a R$ 16,2 bilhões

Um mês depois da sanção pelo presidente Michel Temer, o Orçamento Geral da União de 2018 terá um ajuste de R$ 16,2 bilhões. Segundo anunciou há pouco o Ministério do Planejamento, as medidas incluem a suspensão e o contingenciamento (bloqueio temporário) de despesas para cumprir a meta de déficit primário de R$ 159 bilhões para este ano e o teto de gastos.

Primeiramente, a equipe econômica contingenciará R$ 8,2 bilhões do Orçamento por causa da manutenção dos reajustes ao funcionalismo federal para este ano e do adiamento, para fevereiro, da aprovação do projeto de lei que elimina a desoneração da folha de pagamento para os setores da economia. Segundo o Planejamento, o bloqueio é necessário para garantir o cumprimento do teto de gastos.

O governo também suspenderá R$ 8 bilhões de gastos que teriam como base as receitas resultantes da privatização da Eletrobras. De acordo com o Planejamento, a suspensão é preventiva. A previsão de receitas está mantida, mas o uso delas estará bloqueado até a aprovação do projeto de lei de desestatização da companhia elétrica.

Diferentemente de um contingenciamento tradicional, em que as despesas são bloqueadas até que a previsão de arrecadação se confirme, os R$ 16,2 bilhões irão para uma reserva dentro do Orçamento. Nesse procedimento, esclareceu o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, as verbas de cada órgão do Poder Executivo serão reduzidas de forma linear, com o mesmo corte percentual para cada órgão. Os demais poderes – Legislativo, Judiciário e Ministério Público – não serão afetados, e as emendas parlamentares não impositivas não sofrerão cortes.

Originalmente, o governo previa arrecadar R$ 12,2 bilhões com o bônus de outorga da privatização, mas existe uma folga de R$ 4,2 bilhões em relação à meta de déficit primário de R$ 159 bilhões, o que reduziu o bloqueio total para R$ 8 bilhões.

O Planejamento aumentou de 2,5% para 3% a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país) em 2018. Na semana passada, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, anunciou no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, que a projeção para a variação do PIB em 2018 seria ampliada. A estimativa de inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caiu de 4,2% para 3,9%.

(Agência Brasil)

Temer diz que seu governo aguenta déficit da Previdência, mas outros não

O presidente Michel Temer disse nesta sexta-feira (2) que insiste na reforma da Previdência porque apesar de o governo dele aguentar o déficit, outros não aguentarão. “Tenho mais 11 meses de governo. Eu aguento a Previdência. Houve um déficit de R$ 268 bilhões nesse ano que passou, a tendência é aumentar essa dívida previdenciária este ano, mas o meu governo aguenta. Quem não vai aguentar são os próximos anos”, afirmou em entrevista ao programa Super Manhã, da Rádio Jornal de Pernambuco.

Ele ressaltou que, ao fazer a reforma da Previdência, o governo está pensando nos aposentados, naqueles que vão se aposentar e nos servidores públicos, para não ocorrer o que está acontecendo em muitos estados brasileiros. “Em muitos estados, não há pagamento de aposentados, de servidores públicos, há atrasos dos mais variados”, lembrou. “O que nós estamos fazendo é evitar que isso venha a acontecer em pouquíssimo tempo”.

Temer comentou também o futuro do programa Bolsa Família. Apesar de ter aumentado o número de famílias assistidas pelo benefício, ele destacou que pretende dar condições para que os filhos das pessoas assistidas trabalhem e, com isso, possam sair do programa. “Nosso ideal não é manter as pessoas indefinidamente no Bolsa Família”.

Michel Temer cumpre hoje agenda em Cabrobó, no interior de Pernambuco. Lá, ele participa da cerimônia de Inauguração da 2ª Estação de Bombeamento do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco.

(Agência Brasil)

Reajuste dos Servidores – Camilo fala de inflação e prefeito promete índice até o Carnaval

Da Coluna de Eliomar de Lima, no O POVO desta sexta-feira:

O governador Camilo Santana (PT) vai reunir, na próxima semana, com a equipe econômica de sua gestão para definir o percentual do reajuste a ser concedido para o funcionalismo. Ele garante que o reajuste será retroativo a 1º de janeiro, conforme a lei, e que, no mínimo, garantirá a inflação que, ano passado, ficou em 2,95%. Camilo não adiantou se viria algum percentual diferenciado como sempre ocorre com as carreiras de Polícia e os professores. Ano passado, ele concedeu aumento linear de 2%.

Já o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, que não deu reajuste em 2017, informa que antes do Carnaval estará se reunindo com o secretário do Planejamento, Orçamento e Gestão, Philipe Nottingham, e com a Mesa Permanente de Negociação, que reúne representantes dos servidores. Ele não quis adiantar percentuais, mas, da parte dos servidores, o Sindifort adianta que as perdas acumuladas chegam a 20%.

“Vamos definir esse caso até o fim de fevereiro”, promete o prefeito. A data-base da categoria é janeiro, mas Roberto Cláudio não falou em retroatividade do desembolso.

Venda de carros novos crescem mais de 15% no Ceará

As vendas de veículos novos cresceram 15,96% no Ceará em janeiro deste ano, na comparação com igual período de 2017. No Estado, a comercialização de automóveis e comerciais leves saltou de 3.227 para 3.742 unidades. Os dados foram divulgados ontem pela Federação Nacional da Distribuição dos Veículos Automotores (Fenabrave).

Ante dezembro de 2017, porém, as vendas de janeiro apresentaram recuo de -26,64. A quantidade de veículos caiu de 5.101 para 3.742. Em Fortaleza, onde estão localizadas a maioria das revendas de veículos do Ceará, a retração foi de 22,13% em igual período.

Porém, quando comparado janeiro de 2018 com igual mês do ano passado, a comercialização de veículos na Capital foi 19,05% maior, passando de 2.116 para 2.519 unidades.

No Brasil, o mercado de veículos também começou 2018 em alta. Foram 181,2 mil unidades vendidas em janeiro, crescimento de 23,14% em relação a igual mês de 2017. Mas, ante dezembro, a queda foi de 14,75%. Boa parte da retração é explicada por questões sazonais. O último mês do ano costuma ser o período mais aquecido da economia e o primeiro mês tende a ser mais morno.

Carros mais vendidos

O Chevrolet Onix foi novamente o veículo mais vendido do País, com 16.058 unidades emplacadas. Na segunda colocação, aparece o Ford Ka, que teve 7.656 exemplares comercializados.

O compacto da Ford superou o então vice-líder de 2017, Hyundai HB20, que vendeu 7.436 unidades.

O Volkswagen Polo alcançou a quarta colocação nas vendas em seu primeiro mês cheio de vendas. Ficou à frente do maior rival, o Fiat Argo (em oitavo, com 4.972 unidades)

(O POVO)

MDB define Paulo Skaf como pré-candidato ao Governo de SP

O diretório regional do MDB (ex-PMDB) em São Paulo definiu, nessa noite de quinta-feira, por unanimidade e em caráter irrevogável, que Paulo Skaf, presidente da Fiesp, será o candidato da legenda ao governo do Estado.

A informação é da Coluna Radar, da Veja Online, observando, no entanto, que, em política, a palavra “irrevogável” tem um significado menos rígido.

Carnaval 2018 – Receita do turismo deve crescer, diz CNC

O turismo deve movimentar este ano cerca de R$ 6,25 bilhões em todo o país, durante o carnaval, voltando a crescer depois de três anos seguidos de queda. A estimativa é da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que considera o carnaval “o maior feriado do calendário nacional”. Para a CNC, o fato de o país ter fechado o ano passado com a menor taxa de inflação desde 2007 ajudará na recuperação da receita provenientes do período carnavalesco.

Segundo estudo da CNC, os segmentos de alimentação fora do domicílio, tais como bares e restaurantes, deverão liderar em faturamento, com arrecadação estimada em R$ 3,6 bilhões. Em seguida, vêm o transporte rodoviário, com previsão de R$ 1,03 bilhão e os serviços de alojamento em hotéis e pousadas, com faturamento esperado de R$ 705,6 milhões.  Juntos, estes setores responderão por mais de 85% de toda a receita gerada no período.

Mais empregos

A CNC ressalta que, mesmo com a recuperação no volume do faturamento, depois de três anos de queda, as atividades características do turismo ainda não deverão registrar ganho real de receita. “Apesar da menor inflação, os gastos com lazer demoraram a reagir devido ao orçamento ainda apertado por conta da lentidão na recuperação do emprego e da renda das famílias”, destaca o economista-chefe da Divisão Econômica da CNC, Fabio Bentes.

Pelo lado do emprego, Bentes diz que a estimativa é de aumento de contratações este ano em relação ao carnaval do ano passado. Segundo dados da CNC, no período de janeiro e fevereiro deste ano, a contratação trabalhadores temporários nesse período deve ficar em 19,3 milrão ser contratados, 8,9% a mais do que em 2017. Com cerca de 13,7 mil vagas ofertadas, o setor de alimentação deverá responder por 70% das oportunidades de emprego.

Arrecadação por região

Os dados divulgados pela CNC indicam que os estados do Rio de Janeiro e de São Paulo juntos deverão responder por 62% dotal da arrecadação da receita do turismo durante o Carnaval. Somente o Rio de Janeiro deverá registrar  receita de R$ 1,9 bilhão e São Paulo, R$ 1,7 bilhão.

Aparecem ainda como destaque as receitas dos estados de Minas Gerais, com previsão de R$ 567,6 milhões no período, e da Bahia, do Ceará e de Pernambuco, com movimentação agregada de mais de R$ 1 bilhão.

(Agência Brasil)