Blog do Eliomar

Categorias para Economia

Crise política segue, mas a economia deixou de ser irmã siamesa

Da Coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (30):

Considerando que no Brasil até o passado é incerto, exercitar a futurologia nas áreas da política e da economia é sempre uma temeridade. Para não dizer imprudência. Tudo fica ainda mais sombrio quando a conjuntura tem juízes, o Ministério Púbico Federal, policiais e delatores como os maiores protagonistas. Infelizmente, a análise política perdeu espaço para as investigações policiais, para as delações e as sentenças de juízes.

Quando Dilma Rousseff governava o País, a economia mergulhava na recessão avassaladora em um abraço mortal com a crise política. Juntava-se a imperícia na arte da política que tanto caracterizava a “presidenta” com a imperícia administrativa na condução da economia. Fatos que levaram o País à sua mais dura recessão que ainda faz seu povo sangrar.

Com Michel Temer, a arte da política encontrou um profissional do ramo. Na economia, o presidente fez o que tinha de fazer e entregou o controle ao respeitado Henrique Meirelles, o preferido de Lula. A crise política continuou, chegou a avançar com a delação dos irmãos Joesley, mas a economia deixou de ser irmã siamesa da política.

Óbvio ficou que a delação da JBS, que escandalosamente deixou livres criminosos confessos que admitiram ter corrompido dois mil políticos, tinha um alvo muito claro: estraçalhar Michel Temer. Tudo correu numa velocidade supersônica. A bomba construída por Rodrigo Janot até que atingiu o alvo, mas não o destruiu.

Caso a capacidade de sobrevivência política permita a Temer ficar no Palácio do Planalto até dezembro de 2018, é muito provável que o sucessor encontre o País em condições econômicas bem menos dramáticas do que a que hoje rege a Nação. Diga-se: a situação hoje já é menos pior do que aquela que prevalecia meses atrás. Em função disso, o futuro pode ser menos sombrio. Porém, é preciso retirar das mãos dos políticos o excesso de poder que gerou tanta roubalheira.

Não há outro caminho que não seja a privatização, o enxugamento da máquina, a profissionalização do serviço público e a governabilidade montada em padrões civilizados. Até aqui, não há muitos preocupados com isso.

FGTS – Saques de contas inativas termina nesta segunda-feira

O prazo para sacar os valores disponíveis nas contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) termina na próxima segunda-feira (31). Segundo a Caixa Econômica Federal, o dinheiro que não for retirado volta para a conta vinculada do empregado.

Quem perder o prazo, só poderá usar os recursos nos casos previstos anteriormente, como para a compra da casa própria, na aposentadoria, em caso de demissão sem justa causa, quando a conta permanecer sem depósitos por três anos ou no caso de algumas doenças.

No entanto, quem comprovar que estava impossibilitado de sacar no período estabelecido pelo governo, como no caso de presos e de doenças graves, poderá retirar o recurso até o dia 31 de dezembro de 2018.  Segundo a Caixa, o decreto publicado pelo governo nessa semana prevendo essa questão será regulamentado na próxima segunda-feira, e vai definir as normas técnicas para os casos das exceções.

“A Caixa ressalta que o prazo de saque das contas inativas do FGTS não sofreu alteração. O prazo encerra na segunda-feira (31/07) para todos os trabalhadores, exceto os casos de trabalhadores que serão contemplados pelo decreto”, informou o banco, em nota.

Até o dia 20 de julho, foram pagos mais de R$ 43 bilhões, para 25,37 milhões de trabalhadores. O montante equivale a 98,64% do total inicialmente disponível para saque (R$ 43,6 bilhões) e o número de trabalhadores que sacaram os recursos das contas do FGTS representa 84% das 30,2 milhões de pessoas inicialmente beneficiadas pela medida.

Quem pode sacar

Nesta última etapa, o saque está liberado para todos os trabalhadores que têm direito ao benefício, não importa a data de nascimento. Pode fazer o saque quem teve contrato de trabalho encerrado sem justa causa até 31 de dezembro de 2015.

Quem tem conta corrente na Caixa poderá autorizar o recebimento do crédito em conta, por meio do site das contas inativas. O saque também pode ser feito em caixas eletrônicos, em agências lotéricas e correspondentes Caixa Aqui ou diretamente nas agências bancárias.

Os documentos necessários são o número de inscrição do PIS (Programa de Integração Social) e o documento de identificação do trabalhador. É recomendado levar também o comprovante da extinção do vínculo (carteira de trabalho ou termo de rescisão do contrato de trabalho).

A Caixa criou em seu site uma página especial e um serviço telefônico para tratar das contas inativas. O banco orienta os trabalhadores a acessar o endereço ou ligar para  0800-726-2017, para que possam saber o valor, a data e o local mais convenientes para os saques. Os beneficiários também podem acessar o aplicativo FGTS para saber se têm saldo em contas inativas.

SERVIÇO

Saiba mais sobre as orientações para o saque do FGTS.

(Agência Brasil)

Pobreza compromete o futuro do País

Editorial do O POVO neste sábado (29) comenta pesquisa da situação dramática da infância no Brasil, com os piores indicadores no Nordeste. No Ceará, seis em cada dez crianças vivem em lares pobres. Confira:

Recente pesquisa da Fundação Abrinq revelou a situação dramática da infância no Brasil. Segundo os dados pesquisados, 40,3% das crianças brasileiras até 14 anos de idade vivem em situação de pobreza; isto é, em lares com renda familiar até meio salário mínimo por pessoa. Entre esse grupo de crianças, 13,5% caracterizam-se por viver em situação de pobreza extrema, com renda familiar por pessoa até 1/4 do salário mínimo.

No Ceará, as crianças que vivem na pobreza somam 61%, ou seja, seis em cada dez delas vivem em lares pobres. Em situação de pobreza extrema estão 28,6% das crianças cearenses. Em números absolutos, o Ceará tem 1,198 milhão de crianças vivendo na pobreza.

Observando-se a questão regional, verifica-se que os maiores índices de pobreza extrema estão no Nordeste (26,3%) e Norte (19,7%). Sendo grande a diferença comparando-se com as demais regiões do País. Os índices de jovens em pobreza extrema nas regiões Sudeste (5,99%), Sul (5,2%) e Centro-Oeste (5%) somados não chegam ao percentual encontrado para o Norte ou para o Nordeste.

O estudo da Abrinq faz parte dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU), que tem metas diretamente associadas à infância e adolescência. Nessa primeira etapa, foram escolhidas os seguintes objetivos nessa área: erradicação da pobreza, fome zero, saúde e bem-estar e igualdade de gênero.

As recomendações feitas para superar o problema da pobreza são tão óbvias que se torna difícil compreender porque inexiste um plano de Estado para superá-lo, como o combate às desigualdades regionais, por exemplo, como propõe o estudo.

Além disso, são necessárias medidas emergenciais, como a extensão de programas sociais e, ainda, de outras providências mais sustentáveis, como proporcionar a essa população e suas famílias o acesso à saúde (incluindo saneamento básico) e educação de qualidade.

Se a situação assim permanecer, além das tragédias pessoais e familiares que isso representa, o que vai ficar comprometido é o próprio futuro do País.

Aldemir Bendine – Um corrupto que valia por dois

Nunca é demais lembrar que o poder do hoje presidiário Aldemir Bendine em seus tempos de presidente da Petrobras foi muito maior do que os mais desavisados imaginam.

Segundo o colunista Lauro Jardim, da Veja, além de comandar a maior empresa do Brasil, Bendine também fazia chover e trovoar no Banco do Brasil, onde foi o responsável pela indicação de Alexandre Abreu para presidir a instituição.

Camilo agenda viagem para a China

O governador Camilo Santana (PT) informa, por meio de sua assessoria de imprensa, que, no começo de setembro próximo, voará para a China. Com ele, seguirá o secretário de Assuntos Internacionais, Antonio Balhmann.

Hora de acelerar conversações para projetos destinados à Zona de Processamento de Exportações (ZPE), que fica no Complexo Portuário e Industrial do Pecém, em São Gonçalo do Amarante (Região Metropolitana de Fortaleza).

A refinaria, que continua nos planos de Camilo, entra na agenda.

Temer comemora queda do desemprego e diz que bom resultado é apenas o começo

O Palácio do Planalto divulgou no final da tarde desta sexta-feira (28) um vídeo no qual o presidente Michel Temer comemora a queda da taxa de desemprego. Temer atribui os números ao trabalho do seu governo. “É o trabalho do meu governo para gerar empregos que começa a dar resultados. E acreditem, é apenas o começo”, disse.

Temer citou a modernização das leis trabalhistas como uma das medidas propulsoras do aumento de empregos. A geração de mais empregos sempre foi um dos principais argumentos do governo para a aprovação da reforma trabalhista. “Setores produtivos, por exemplo, estimam que a modernização na lei trabalhista criará, a curto prazo, mais de 2 milhões de empregos, sobretudo para os mais jovens”.

O presidente aproveitou o vídeo – o segundo do dia – para anunciar que os aposentados receberão as parcelas do 13º salário adiantado. “Tem mais uma notícia boa que quero dar para os aposentados: vamos pagar em agosto, antecipando, portanto, metade do décimo terceiro salário dos aposentados e dos pensionistas do INSS. E a outra metade será paga, também por antecipação, em novembro”.

A taxa de desemprego caiu para 13% no segundo trimestre deste ano (abril/junho) na primeira queda significativa do indicador desde o fim de 2014. O recuo chegou a 0,7 ponto percentual em relação ao trimestre anterior (janeiro/março deste ano).

(Agência Brasil)

Prefeito vai à CDL anunciar ações para o Centro

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), vai estar nesta segunda-feira, ao meio-dia, na sede da Câmara de Dirigentes Lojistas.

Ali, segundo sua assessoria de imprensa, ele vai expor ações previstas para a revitalização do Centro – que está precisando mesmo. O encontro ocorrerá em clima de almoço com a diretoria da CDL.

(Foto – Divulgação)

 

Bandeira tarifária nas contas de luz de agosto virá vermelha

A bandeira tarifária a ser aplicada nas contas de energia elétrica em agosto será vermelha, patamar 1, com acréscimo de R$ 3 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o fator que determinou o acionamento da bandeira vermelha foi o aumento do custo de geração de energia elétrica. Em julho, foi aplicada a tarifa amarela às contas.

Em nota, a Aneel justificou hoje (28) que, segundo o relatório do Programa Mensal de Operação do Operador Nacional do Sistema (ONS), o valor da usina térmica mais cara em operação, a Usina Termelétrica Bahia 1, é de R$ 513,51 megawatts-hora (MWh).

“Como o sinal para o consumo é vermelho, os consumidores devem intensificar o uso eficiente de energia elétrica e combater os desperdícios”, informou a agência.

Gastos extras

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado em 2015 como forma de recompor os gastos extras com a utilização de energia de usinas termelétricas, que é mais cara do que a de hidrelétricas. A cor da bandeira é impressa na conta de luz (vermelha, amarela ou verde) e indica o custo da energia em função das condições de geração.

Quando chove menos, por exemplo, os reservatórios das hidrelétricas ficam mais vazios e é preciso acionar mais termelétricas para garantir o suprimento de energia no país. A bandeira vermelha, patamar 1, é acionada nos meses em que o valor do Custo Variável Unitário (CVU) da última usina a ser despachada for igual ou superior a R$ 422,56/MWh e inferior a R$ 610/MWh.

Segundo a Aneel, a bandeira tarifária não é um custo extra na conta de luz, mas uma forma diferente de apresentar um valor que já está na conta de energia, mas que geralmente passa despercebido.

(Agência Brasil)

Arce autua 10 usinas eólicas

A Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Estado do Ceará (Arce), por meio de sua coordenadoria de energia, já contabiliza 10 processos, em andamento, que envolvem autos de infração por irregularidades cometidas por usinas eólicas. As geradoras autuadas são as eólicas Estrela, Cacimba I, Ouro Verde, Santa Mônica, Buriti, Cajucoco, Coqueiro, Santo Antônio de Pádua, São Cristovão e São Jorge, informa o presidente da agência, Hélio Winston.

As multas aplicáveis às geradoras somam, ao todo, um valor de R$ 686.966,89. Contudo, as geradoras têm direito de apresentar à Arce recurso administrativo contra a multa aplicada. Caso o recurso seja julgado procedente, em parte ou no todo, a multa pode ser reduzida ou mesmo anulada.

O presidente do Conselho Diretor, Hélio Winston, lembra que, “caso a Arce mantenha a decisão, a geradora pode entrar com novo recurso, que também deverá ser encaminhado à agência e passará pela mesma análise descrita. A diferença é que, dessa vez, o processo será encaminhado diretamente à Aneel, que emitirá o parecer final”.

Motivos de autuações

As autuações lavradas pela Arce são consequências de fiscalizações feitas pelos técnicos que fazem visitam in loco e avaliam as condições em que se encontra cada eólica no tocante à conservação, operação e segurança; licença ambiental de operação e diagrama unifilar (gráficos que representam uma instalação elétrica ou parte dela), além da ficha técnica; histórico da geração; sistemas de proteção contra incêndio; limpeza, organização e sinalização de segurança. Também são analisados os níveis de conservação das estruturas e dos equipamentos.

Fábrica Votorantim do Pecém comemora nove anos

A unidade da Votorantim Cimentos, que fica no Complexo Portuário e Industrial do Pecém, comemora nove anos de operação. A fábrica, que entrou em operação em 2008, atende ao mercado de Fortaleza e Região Metropolitana, tendo como principais clientes as concreteiras do entorno e o mercado de argamassas do Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Bahia. A unidade produz cimento granel (CPIIF) e oito tipos de argamassas, dentre elas a Múltiplo Uso (ACIII), Cerâmica Interna ( ACII) e Cerâmica Externa ( ACI).

“Temos imenso orgulho em celebrar nove anos de presença em Pecém, contribuindo para o desenvolvimento econômico e social da região. Norteados pelo compromisso de estabelecer relações duradouras, esperamos continuar colaborando a longo prazo com a construção de um legado para a comunidade, funcionários e clientes”, afirma Alex Zonatto, gerente da fábrica.

DETALHE – Neste ano, a fábrica comemora também um marco: reconhecimento em sustentabilidade com a conquista do Certificado Internacional ISO 14001.

(Foto – Divulgação)

Brasileiro está menos confiante em relação à inflação, emprego e renda

O consumidor brasileiro está menos confiante com relação à inflação do país, às expectativas de emprego, renda e de compra de bens de maior valor, segundo pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI). De acordo com a entidade, o Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec), divulgado hoje (28), caiu para 99,5 pontos em julho, valor 1% inferior ao de junho; 1,7% menor do que o registrado em julho de 2016; e 8,2% abaixo da média histórica (108,4 pontos).

O Inec é um indicador criado pela CNI para ajudar as empresas a anteciparem variações na atividade econômica e, em especial, identificar as tendências dos consumidores para os próximos seis meses.

De acordo com a CNI, “todos os componentes dos indicadores que apontam as expectativas dos brasileiros para os próximos seis meses pioraram em julho”. A entidade aponta como sendo a maior queda a relativa às expectativas sobre o mercado de trabalho.

O recuo do índice que avalia a expectativa de desemprego recuou 5,2%, na comparação com junho. Na comparação com julho de 2016, o recuo ficou em 5,3%. A CNI esclarece que quanto menor o índice, maior é a expectativa de desemprego.

Já o índice que mede a expectativa com relação à inflação, foi registrado uma queda de 1,5% em julho, na comparação com junho; e de 1,3% na comparação com julho do ano passado.

Houve também queda nos índices relativos às expectativas de renda pessoal (-0,7% na comparação com junho; e -2% na comparação com julho de 2016), e da expectativa de compras de bens de maior valor (-1,7% na comparação com junho; e -2,6% na comparação com julho de 2016.

(Agência Brasil)

Contas públicas têm pior resultado para junho

O setor público consolidado, formado por União, os estados e os municípios, registrou déficit nas contas públicas em junho, de acordo com dados do Banco Central (BC), divulgados hoje (28) em Brasília. O déficit primário, receitas menos despesas, sem considerar os gastos com juros, ficou em R$ 19,552 bilhões. Esse foi o pior resultado para o mês na série histórica iniciada em dezembro de 2001.

O resultado do primeiro semestre também foi o maior para o período, chegando ao déficit primário de R$ 35,183 bilhões. Em 12 meses encerrados em junho, o déficit primário ficou em R$ 167,198 bilhões, o que corresponde a 2,62% do Produto Interno Bruto (PIB) , a soma de todos os bens e serviços produzidos no país.

Em junho deste ano, o Governo Central (Previdência, Banco Central e Tesouro Nacional) acusou déficit primário de R$ 19,937 bilhões. Os governos estaduais anotaram superávit primário de R$ 346 milhões, e os municipais, superávit de R$ 107 milhões. As empresas estatais federais, estaduais e municipais, excluídas empresas dos grupos Petrobras e Eletrobras, tiveram superávit primário de R$ 145 milhões no mês passado.

Em junho, os gastos com juros nominais ficaram em R$ 31,511 bilhões, contra R$ 22,113 bilhões em igual mês de 2016. O déficit nominal, formado pelo resultado primário e os resultados de juros, atingiu R$ 51,063 bilhões no mês passado ante R$ 32,174 bilhões de junho de 2016. Em 12 meses encerrados em junho, o déficit nominal ficou em R$ 440,297 bilhões, o que corresponde a 6,89% do PIB.

A dívida líquida do setor público (balanço entre o total de créditos e débitos dos governos federal, estaduais e municipais) chegou a R$ 3,112 trilhões em junho, o que corresponde a 48,7% do PIB, com elevação de 0,6 ponto percentual em relação a maio.

A dívida bruta (contabiliza apenas os passivos dos governos federal, estaduais e municipais) chegou a R$ 4,674 trilhões ou 73,1% do PIB, com aumento de 0,6 ponto percentual em relação ao mês anterior.

(Agência Brasil)

Como num temeroso roteiro de filme

Com o título “Como num temeroso roteiro de filme”, eis artigo do presidente da CUT/Ceará, Will Pereira. Ele avalia o cenário político atual como filme previamente planejado. Confira:

O script está sendo seguido à risca desde que se desenhou o golpe: derruba-se a presidente eleita; ergue-se um novo Ministério (sem negros, sem mulheres); Senado libera pedaladas fiscais; retira-se o pré-sal da saúde e da educação, ao tempo em que se congela (por 20 anos!) os investimentos nessas áreas; aprova-se a reforma trabalhista;impõe-se a da Previdência; anuncia-se um Programa de Desligamento Voluntário (PDV) no serviço público. E outros etceteras desse roteiro de filme de terror.

Em nome do equilíbrio fiscal e do ajuste nas contas públicas, o presidente Michel Temer continua a passar seu rolo compressor sobre a classe trabalhadora. A bola da vez é o serviço público federal, que esta semana acordou com a intragável surpresa do PDV, anunciado pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. “A medida busca aumentar a eficiência no serviço público”, defende a pasta. A expectativa do governo é cortar ao menos cinco mil servidores. Como um serviço pode ser eficiente enquanto seu capital humano é desmontado? A sociedade depende da qualidade dos serviços prestados pelo governo – e para isso paga impostos altos. A conta da crise fiscal não deve ser jogada nas costas do trabalhador.

Guardadas as devidas proporções, Temer faz as vezes de Trump latino.

Ao Norte, o presidente estadunidense tenta derrubar programas sociais que tinham conseguido dar estabilidade mínima a uma sociedade com mais de 40 milhões de pobres. Na América de cá, o comando do Executivo segue um rumo semelhante e perigoso e amplia mais o fosso entre os mais vulneráveis e os donos do capital.

Investigado por corrupção e sem medir esforços para continuar ilegitimamente no poder, Temer vem aumentando as despesas para tentar manter o apoio de parlamentares. E já nem mais tenta camuflar as tentativas de, com o dinheiro dos impostos pagos pela sociedade, assediar o Congresso. A este, cabe a palavra final, no próximo dia 2, sobre o prosseguimento da denúncia contra o presidente no Supremo Tribunal Federal (STF). Que o nosso Congresso não se desmoralize e dê um final merecido ao protagonista desse filme.

Wil Pereira,

presidencia@cutceara.org.br

Presidente da Central Única dos Trabalhadores no Ceará (CUT-Ceará).

BNB e AJE Fortaleza fecham parceria na área do empreendedorismo

A Associação dos Jovens Empresários de Fortaleza (AJE) vai assinar, dia 2 próximo, às 8h30min, na sede da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), um termo de cooperação técnica com o Banco do Nordeste.

O objetivo é oferecer produtos de crédito (investimento e capital de giro através do cartão BNB) às sociedades empresárias de micro e pequeno porte associadas à AJE Fortaleza. O termo será firmado por Jorge Bagdêve, superintendente do BNB, e o coordenador-geral da entidade, Fernando Laureano.

“O ato é pioneiro no movimento jovem empresarial brasileiro, que chegará ao longo do tempo em todo o Nordeste brasileiro atendendo cerca de três milhões de jovens empreendedores”, destaca Laureano, em nota da AJE.

Índice que reajusta aluguel acumula em 12 meses queda de 1,66%

Pela quarta vez consecutiva, o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) apresentou queda em julho com variação de -0,72%, uma baixa mais expressiva do que em junho (-0,67%). Comparado com julho de 2016, o resultado mostra uma reversão já que, em junho de 2016, o índice havia indicado alta de 0,18%.

No acumulado do ano, houve recuo de 2,65% e, em 12 meses, de 1,66%. Esta última variação é que serve de base de cálculo para a renovação dos contratos de aluguel e também de outros tipos de reajustes.

Os dados foram divulgados hoje (28), em São Paulo, pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre-FGV) e representam a variação de preços coletados entre 21 de junho e 20 de julho.

Essa queda do IGP-M foi puxada, principalmente, pelo setor atacadista. O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) indicou redução de 1,16% sobre uma queda de 1,22% em junho. Entre os destaques estão a diminuição de preços dos alimentos in natura (de 1,83% para -7,20%). No grupo matérias-primas brutas foi constatada queda de 1,37%, mas em junho o recuo tinha sido ainda mais expressivo (-3,63%).

Entre as commodities (produtos com cotação no mercado internacional) que fazem parte do cálculo com movimento de recuperação de preços estão o minério de ferro, que passou de um declínio de 11,19% para 1,47%; a cana-de-açúcar (de -2,88% para -1,79%) e soja (em grão) (de 1,88% para 2,41%).

O segundo componente que ajudou a reduzir a pressão inflacionária foi o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC). Passou de uma alta de 1,36% para 0,22%. Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) apresentou uma reversão, subindo 0,04% ante uma queda de -0,08% em junho.

(Agência Brasil)

Taxa de desemprego recua para 13% no segundo trimestre do ano

A taxa de desemprego recuou para 13% no segundo trimestre do ano, atingindo 13,5 milhões de pessoas. Nos primeiros três meses de 2017, 13,7% da força de trabalho buscava emprego, ou 14,2 milhões de pessoas, dois recordes para a série histórica da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) contínua, iniciada em 2012. A informação é do jornal Extra.

A previsão do IBRE/FGV é que a taxa ficasse em 13,3% no trimestre encerrado em junho. No segundo trimestre de 2016, um ano antes, a taxa estava em 11,3%. No segundo trimestre de 2014, quando a economia brasileira ainda não havia entrado em recessão, o desemprego atingia apenas 6,8% da força de trabalho do país.

Além do número de desempregados e da própria taxa de desemprego, a Pnad mostrou uma série de recordes negativos no primeiro trimestre do ano. A população ocupada foi a menor já registrada, 88,9 milhões, o grupo de trabalhadores com carteira assinada — referência para empregos de maior qualidade — também foi o menor, e também se atingiu o menor nível de ocupação, que é o percentual de pessoas ocupadas em relação ao total da população em idade de trabalhar: 53,1%.

As previsões de analistas apontam que a taxa média de desemprego do ano de 2017 fique na casa dos 13%. No ano passado, ficou em 11,5%.

Camilo afirma que PDV de Temer é uma “medida errada”

401 3

“Acho uma medida errada!”, disse o governador Camilo Santana (PT), ao ser indagado sobre o Plano de Demissão Voluntária (PDV) baixada pelo presidente Michel Temer (PMDB) e que objetivo enxugar a máquina pública. O PDV, inclusive, já foi publicado, com regras, nessa quinta-feira, no Diário Oficial da União.

Camilo lamentou a medida, reconheceu ter a única meta de reduzir despesas com pessoal, no que aproveitou para destacar que, em sua gestão, vem fazendo o contrário.

“Eu, particularmente, acho uma decisão errada. Aqui no Ceará, nós estamos é contratando. É concurso para policias, militares, Detran, enfim…”

Indagado se o presidente Michel Temer, com votação da admissibilidade de denúncia contra ele – corrupção passiva e lavagem de dinheiro, não mereceria um PDV, preferiu se esquivar. Preferiu dizer que esse caso era com os deputados federais.

Governo Temer anuncia contingenciamento de R$ 5,9 bilhões

O governo federal anunciou, nessa noite de quinta-feira, o contingenciamento de R$ 5,9 bilhões e o remanejamento de R$ 2,2 bilhões do Orçamento deste ano. Com isso, chega a R$ 44,9 bilhões o total de verbas bloqueadas para 2017.

O corte atinge principalmente o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que perderá, ao todo, R$ 7,48 bilhões, sendo R$ 5,2 bilhões que serão contingenciados e R$ 2,2 bilhões que serão realocados para outros órgãos e áreas considerados essenciais – como a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal, agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), o sistema de controle do espaço aéreo e o combate ao trabalho escravo.

O restante da verba contingenciada refere-se a emendas impositivas de bancada (R$ 214,3 milhões), emendas impositivas individuais (R$ 426,2 milhões) e recursos do Legislativo e do Judiciário (R$ 7,4 milhões).

O corte foi necessário para repor a queda na expectativa total de arrecadação, anunciada na ultima sexta-feira (21), que passou de R$ 1,386 trilhão para R$ 1,380 trilhão.

Havia a expectativa de que o corte fosse menor, devido à possibilidade de entrada de receitas extraordinárias. Contudo, o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, disse que não foi possível fazer as avaliações necessárias, já que o prazo para o anúncio do contingenciamento termina nesta sexta-feira (28).

 

tabela contingenciamento

(Agência Brasil)

Anuário do Ceará – “É o amágama da diversidade cearense, que une elementos, que une as diferenças”, diz Luciana Dummar, durante lançamento

“Este País só vai renascer através da educação. O Anuário é um grande instrumento para que crianças, professores e sociedade fiquem atualizados sobre o nosso Ceará”.

A observação é da presidente do Grupo de Comunicação O POVO, Luciana Dummar, nessa quinta-feira (27), no Viriato Buffet, no Parque Manibura, durante o lançamento do Anuário do Ceará 2017/2018. A publicação é a mais antiga em circulação no Estado, com cerca de 150 anos, mas há 15 anos reformulada pelo grupo de Comunicação O POVO, este ano com 640 páginas em 11 capítulos.

“O Anuário é o amálgama da diversidade cearense, que une elementos, que une as diferenças”, completou Luciana Dummar.

Para o prefeito Roberto Cláudio, o Anuário “apresenta perspectivas, cenários e é útil para pesquisas e análises precisas e isentas”.

Já o governador Camilo Santana o Anuário “já faz parte da vida do povo cearense, com uma riqueza de conteúdo é infindável”.

(Fotos: Paulo MOska)