Blog do Eliomar

Categorias para Economia

Conselho Regional de Contabilidade tira dúvidas sobre declaração do simples do microempreendedor

Essa é para os microempreendedores.

O Conselho Regional de Contabilidade realizará, da 14 às 17 horas desta terça-feira, em sua sede, atendimento especial aos microempreendedores individuais.

O objetivo, segundo o presidente da entidade, Robinson de Castro, é tirar toda as dúvidas da categoria sobre a Declaração Anual de Faturamento do Simples Nacional (DASN – SIMEI). Essa declaração deve ser entregue até sexta-feira.

(Foto – Rodrigo Carvalho)

Paulo Guedes diz estar confiante na aprovação da Nova Previdência

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse hoje (28), em Brasília, que está confiante na aprovação da reforma da Previdência. Ele afirmou que as manifestações de apoio ao governo são a prova de que o povo quer mudança.

“Estamos confiantes que o Congresso vai aprovar a reforma [da Previdência]. Acho que as manifestações simplesmente confirmam a ideia de que o povo quer mudanças”, disse, ao chegar no Ministério da Economia, após café da manhã, no Palácio da Alvorada, com o presidente Jair Bolsonaro, os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, do Senado, David Alcolumbre, e do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli.

Segundo Guedes, o encontro foi “excelente, em um ambiente ótimo”, sem antagonismo entre os poderes. “Estão todos buscando melhorar o país”, disse.

Neste momento, Guedes e Maia estão reunidos no ministério e o tema da reunião, de acordo com o ministério, é “agenda de desburocratização”.

(Agencia Brasil)

CNI volta ao comando de Robson de Andrade

O empresário Robson de Andrade, que chegou a ser afastado judicialmente da presidência da Confederação Nacional da Indústria (CNI) por supostas fraudes no Sistema S, voltou ao comando da entidade.

Em Brasília, nesta terça-feira, ele já comanda reunião de diretoria para avaliar cenários do País.

Um grupo de dirigentes da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), vai ouvir o que Robson tem a dizer.

(Foto – CNI)

Ceará agora é o segundo na produção de leite no Nordeste

O Ceará terá boa safra, principalmente do leite, neste ano.

É o que informa o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado, Flávio Saboya, adiantando que dados preliminares já apontam para outra conquista: o Estado ficará nesse quesito em 2º lugar no Nordeste, passando de Pernambuco. A Bahia lidera.

Jorge Parente, dirigente do Grupo Betânia, o maior do ramo de lactícinios do Estado, não só endossa, como adianta: “Fechamos com uma produção de 2 milhões de litros/dia.”

Isso se deve não só às  boas chuvas que ocorreram em algumas regiões favoráveis ao setor, mas porque houve, também, investimento em irrigação.

Taxa extra na conta de água vai continuar sendo cobrada pela Cagece

A tarifa de contingência que a Cagece estabeleceu para tentar inibir o consumo de água em tempos de estiagem vai continuar por tempo indeterminado, mesmo com o fim do inverno.

Não porque o governo já arrecadou mais de R$ 200 milhões desde sua implantação, em dezembro de 2015, mas porque os açudes que abastecem a Região Metropolitana de Fortaleza não recuperaram suas reservas. Nessa lista, o Castanhão, com apenas 5,5% do total, e o Orós, com 9,2% de sua capacidade.

A informação é do chefe da Casa Civil, Élcio Batista, explicando que o fundamental é que a população continue economizando, pois a crise hídrica não acabou.

O preço médio por metro cúbico de água atualmente é de R$ 3,55, mas a meta estipulada para a tarifa de contingência depende de cada residência.

(Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO)

CDL debate nesta quarta-feira a Reforma Tributária

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza vai debater, a partir das 12 horas, desta quarta-feira, em sua sede, o projeto de reforma tributária aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados na última quarta-feira. O projeto é do deputado Baleia Rossi, líder do MDB, e foi baseado nas ideias do economista Bernard Appy, que defende a tese do imposto único.

Diego Martins, especialista em Direito e Processo Tributário, abordará o tema “Reforma Tributária. A salvação do Brasil?”. Também participarão Átila Lira, empresário do Grupo Construtop, e o presidente da Associação dos Contadores do Estado do Ceará, Daniel Sales.

A ação faz parte da programação do Dia Livre de Impostos, realizado em Fortaleza pela CDL Jovem, com o objetivo de deixar claro para o consumidor como a alta tributação afeta seu poder de compra.

Dia Livre de Impostos

Na quinta-feira, durante o horário normal de funcionamento, 140 estabelecimentos comerciais de Fortaleza estarão oferecendo produtos selecionados com desconto referente a taxação. “Dessa forma, o consumidor vai perceber que essa diferença é o que ele paga de imposto. Muitas vezes ele não percebe isso por conta de ser tudo embutido no preço. É essa conscientização que queremos provocar tanto em quem vende quanto em quem compra. O peso real dos tributos na vida de cada um”, explica o presidente da CDL Jovem, Cabral Neto.

Lançamentos imobiliários cresceram 4,2% no primeiro trimestre

Os lançamentos imobiliários no país tiveram aumento de 4,2% no primeiro trimestre de 2019 na comparação com o mesmo período do ano passado, aponta levantamento da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). Em relação ao último trimestre de 2018, no entanto, houve queda de 62,5%. As vendas, por sua vez, cresceram 9,7% nos três primeiros meses do ano em relação ao primeiro trimestre do ano passado, e caíram 18,9% em relação ao último trimestre de 2018.

De acordo com a entidade, os melhores indicadores do setor são verificados nos trimestres pares, o segundo e o quarto, e por isso a diferença em relação aos meses imediatamente anteriores. “Há uma tendência clara do aumento de lançamento, do aumento de vendas [nos trimestres pares]”, disse José Carlos Martins, presidente da CBIC.

A oferta final disponível, outro indicador que compõe o levantamento, registrou queda de 8,6% em relação ao primeiro trimestre de 2018, com um total de 120.422 unidades. Desse total, 29% são de imóveis prontos, 47% em construção e 24% na planta. Em relação ao mesmo período do ano passado, houve queda no número de imóveis prontos para venda, de 32% para 29%.

“Para nós é muito importante esses 3%, significam aproximadamente 3,5 mil unidades que estavam prontas, estavam no patrimônio das empresas, na dívida delas, e é importante que os imóveis prontos vão se reduzindo”, avaliou Celso Luiz Petrucci, presidente da Comissão da Indústria Imobiliária da CBIC.

Na análise por região, a maioria das unidades foi lançada no Sudeste, com 46,8% do total e foi responsável pela venda de 52,6%. Em seguida está o Nordeste, onde foram lançadas 26,6% do total de unidades e vendidas 23,1%. O Sul lançou 14,2% e vendeu 13,7% das unidades disponíveis. No Centro-Oeste foram lançadas 10,9% das unidades e vendidas, 7,9%. A região Norte reuniu 1,5% dos lançamentos e 2,4% das vendas.

O levantamento foi feito em 23 regiões em todas as partes do país, que representam 41% do mercado imobiliário.

(Agência Brasil)

VAMOS NÓS – O problema no setor é que há estoque demais e emprego de menos.

Contas externas têm saldo negativo de US$ 62 milhões no mês de abril

 

O déficit em transações correntes (compras e vendas de mercadorias e serviços e transferências de renda do país com outras nações) chegou a US$ 62 milhões, segundo dados divulgados hoje (27), pelo Banco Central (BC). O resultado ficou próximo do registrado em igual mês de 2018: déficit de US$ 61 milhões.

De janeiro a abril, o déficit chegou a US$ 8,225 bilhões, contra US$ 9,062 bilhões em igual período do ano passado.

Entre os dados das contas externas está a balança comercial, que registrou superávit de US$ 5,539 bilhões, em abril e acumulou US$ 14,899 bilhões, nos quatro meses do ano.

Por outro lado, a conta de serviços (viagens internacionais, transporte, aluguel de investimentos, entre outros) registrou saldo negativo de US$ 3,019 bilhões, em abril, e de US$ 9,707 bilhões, no primeiro quadrimestre.

A conta renda primária (lucros e dividendos, pagamentos de juros e salários), que também faz parte das transações correntes, ficou negativa em US$ 2,854 bilhões no mês passado e em US$ 14,324 bilhões, em quatro meses.

A conta de renda secundária (renda gerada em uma economia e distribuída para outra, como doações e remessas de dólares, sem contrapartida de serviços ou bens) teve resultado positivo de US$ 272 milhões, em abril, e de US$ 906 milhões, em quatro meses.

Investimento estrangeiro

Em abril, o resultado negativo para as contas externas foi totalmente coberto pelos investimentos diretos no país (IDP). Quando o país registra saldo negativo em transações correntes precisa cobrir o déficit com investimentos ou empréstimos no exterior.

A melhor forma de financiamento do saldo negativo é o IDP, porque os recursos são aplicados no setor produtivo. No mês passado, o IDP chegou a US$ 6,957 bilhões. Em igual mês de 2018, esses investimentos chegaram a US$ 2,970 bilhões. No primeiro quadrimestre, esses investimentos totalizaram US$ 28,069 bilhões, contra US$ 23,892 bilhões em igual período do ano passado.

(Agência Brasil)

Brasileiros gastaram menos em viagens ao Exterior em abril

Os gastos de brasileiros em viagens ao exterior estão menores. De acordo com dados do Banco Central (BC) divulgados hoje (27), essas despesas totalizaram US$ 1,493 bilhão, em abril, com redução de 2,93% em relação ao mesmo mês de 2018.

Nos quatro meses de 2019, esses gastos chegaram a US$ 5,809 bilhões, uma queda de 10,22% em relação a igual período do ano passado.

As receitas de estrangeiros em viagem ao Brasil também se reduziram. Em abril, chegaram a US$ 472 milhões, com redução de 5,41% em relação ao mesmo mês do ano passado. No primeiro quadrimestre, as receitas chegaram a US$ 2,283 bilhões, 6,17% menor do que nos quatro meses de 2018.

Com esses resultados, a conta de viagens formada pelos gastos dos brasileiros e as receitas dos estrangeiros ficou negativa em US$ 1,021 bilhão em abril e em US$ 3,525 bilhões, nos quatro meses do ano.

Segundo o chefe do Departamento de Estatísticas do BC, Fernando Rocha, o dólar mais caro está levando à redução dos gastos de brasileiros no exterior. “Fica mais caro viajar ao exterior”.

As viagens internacionais fazem parte da conta de serviços (viagens internacionais, transporte, aluguel de investimentos, entre outros) das transações correntes (compras e vendas de mercadorias e serviços e transferências de renda do país com outras nações).

Em abril, as transações correntes tiveram déficit de US$ 62 milhões, resultado próximo do registrado em igual mês de 2018: déficit de US$ 61 milhões. De janeiro a abril, o déficit chegou a US$ 8,225 bilhões, contra US$ 9,062 bilhões em igual período do ano passado.

“Embora as transações tenham sido estáveis, houve pequena melhora na balança comercial e redução no déficit na conta de renda primária. Esses dois fatores foram contraposto pelo aumento no déficit na conta de serviços”, disse Rocha.

A balança comercial registrou superávit de US$ 5,539 bilhões, em abril e acumulou US$ 14,899 bilhões, nos quatro meses do ano.

A conta renda primária (lucros e dividendos, pagamentos de juros e salários) ficou negativa em US$ 2,854 bilhões no mês passado e em US$ 14,324 bilhões, em quatro meses.

A conta de renda secundária (renda gerada em uma economia e distribuída para outra, como doações e remessas de dólares, sem contrapartida de serviços ou bens) teve resultado positivo de US$ 272 milhões, em abril, e de US$ 906 milhões, em quatro meses.

A conta de serviços (viagens internacionais, transporte, aluguel de investimentos, entre outros) registrou saldo negativo de US$ 3,019 bilhões, em abril, e de US$ 9,707 bilhões, no primeiro quadrimestre.

(Agência Brasil)

Inflação da construção civil cai para 0,09% em maio

O Índice Nacional de Custo da Construção–M (INCC-M), calculado pela Fundação Getulio Vargas (FGV), registrou inflação de 0,09% em maio.

A taxa é menor que a de abril (0,49%). O INCC-M acumula 1,36% no ano e 4,09% em 12 meses.

A taxa referente aos materiais e equipamentos ficou em 0,2%. O item que mais influenciou o índice foi o material para pintura, com alta de preços de 0,63%. Já os serviços tiveram 0,09%.

A taxa referente à mão de obra variou apenas 0,01%. A mão de obra especializada foi a que registrou maior variação (0,04%).

(Agência Brasil)

Presidente da Fiec reforça apelo por reforma da Previdência Já

296 1

A Confederação Nacional da Indústria fará reunião, nesta terça-feira, em Brasília, com o objetivo de reforçar sua pregação em favor das reformas necessárias para que o País retome o crescimento da economia.

O presidente da Federação das Indústrias do Ceará, Beto Studart, participará do encontro, na condição de conselheiro, mas, também engajado no grupo dos dirigentes de federações do Nordeste que querem celeridade principalmente na reforma da Previdência.

Em suas redes sociais, a Fiec divulga vídeo de Beto Studart sobre o assunto.

Mercado reduz pela 13ª vez projeção do crescimento da economia

O mercado financeiro segue reduzindo a estimativa de crescimento da economia este ano. Pela 13ª vez seguida, caiu a projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país. Desta vez, a estimativa foi reduzida de 1,24% para 1,23%. Para 2020, a projeção foi mantida em 2,50%, assim como para 2021 e 2022.

Os números são do boletim Focus, publicação semanal elaborada com base em perspectivas de instituições financeiras sobre os principais indicadores econômicos. O boletim é divulgado às segundas-feiras, pelo Banco Central (BC).

Inflação

A estimativa de inflação, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), foi mantida em 4,07% este ano, em 4%, em 2020, e em 3,75%, em 2021 e 2022.

A meta de inflação de 2019, definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), é de 4,25% com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%.

A estimativa para 2020 está no centro da meta: 4%. Essa meta tem intervalo de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Para 2021, o centro da meta é 3,75%, também com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual. O CMN ainda não definiu a meta de inflação para 2022.

Para controlar a inflação, o BC usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic. Para o mercado financeiro, a Selic deve permanecer no seu mínimo histórico de 6,50% ao ano até o fim de 2019.

Para o fim de 2020, a projeção permanece em 7,25% ao ano. Para o fim de 2021, a previsão foi mantida em 8% ao ano e para o final de 2022, segue em 7,50% ao ano.

A Selic, que serve de referência para os demais juros da economia, é a taxa média cobrada nas negociações com títulos emitidos pelo Tesouro Nacional, registradas diariamente no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic).

A manutenção da Selic este ano, como prevê o mercado financeiro, indica que o Copom considera as alterações anteriores nos juros básicos suficientes para chegar à meta de inflação.

Ao reduzir os juros básicos, a tendência é diminuir os custos do crédito e incentivar a produção e o consumo.

Para cortar a Selic, a autoridade monetária precisa estar segura de que os preços estão sob controle e não correm risco de ficar acima da meta de inflação.

Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Dólar

A previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar permanece em R$ 3,80 no fim de 2019 e de 2020.

(Agência Brasil)

Romildo Rolim tem apoio dos governadores para se manter à frente do BNB

A depender dos governadores nordestinos, o atual presidente do Banco do Nordeste, Romildo Rolim, servidor de carreira do banco, deverá permanecer à frente da instituição. Ele foi nomeado para a presidência do BNB, em dezembro de 2017, por Michel Temer, após o desgaste político do então presidente Marcos Holanda.

Durante a reunião do Conselho Deliberativo da Sudene, na última sexta-feira (24), em Recife, o dirigente do BNB posou ao lado do presidente Bolsonaro, após o anúncio que o banco irá operar o aporte de R$ 4 bilhões para o orçamento do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE).

(Foto: Divulgação)

Morre o economista Arilo Holanda

547 1

Morreu, nessa noite de sexta-feira, em Fortaleza, por falência múltipla dos órgãos, o economista Arilo Holanda, servidor de carreira do antigo Banco do Estado do Ceará (BEC), do Banco do Nordeste (BNB) e fundador e dirigente do antigo Banco de Desenvolvimento do Ceará (Bandece).

Arilo Holanda também era o pai do economista Marcos Holanda, que recentemente presidiu o Banco do Nordeste.

O velório acontece na Funerária Ternura, no bairro Aldeota, com missa de corpo presente às 15 horas. O sepultamento será no Parque da Paz, no bairro Passaré, logo após a missa de corpo presente.

Pulando fogueira – Festão junino já começa nas padarias para driblar a crise

E as padarias cearenses, com o objetivo de driblar a crise, estão antecipando a chegada de junho em uma semana.

“Vamos antecipar o período junino já a partir deste sábado, com o inicio das decorações, animações e comercialização dos tradicionais produtos juninos”, informa o vice-presidente do Sindicato da Indústria da Panificação e Confeitaria do Ceará, Lauro Martins.

Ele afirma que o segmento espera incremento de 18% nas vendas, observando que festa junina é um período de alívio para as padarias.

“No momento em que se fala em tempos de mudanças, um mês pode ter 36 dias. A gente espera igualar o resultado que obtivemos em junho de 2018”, destaca Lauro Martins, observando que o setor já contratou funcionários temporários.

(Coluna Eliomar de Lima, no O POVO deste sábado, 25)

Fortaleza inclusa – Feirão de imóveis ocorre em seis capitais até domingo

Feirão de Imóveis do programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV) ocorre nas regiões metropolitanas de seis capitais e no interior paulista, para famílias com renda mínima de R$ 2 mil. Os imóveis serão negociados pela Caixa Econômica Federal.

Nos dias 24 a 26 de maio, estarão à venda imóveis em Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Manaus e São Paulo; além de Campinas, Piracicaba, Sorocaba, Valinhos e Votorantim. Nos dias 29 a 30, a comercialização ocorrerá no Rio de Janeiro.

No total, serão oferecidos para venda mais de 2 mil imóveis em 55 empreendimentos. Conforme os organizadores, “Cada localidade tem suas ofertas específicas, que variam conforme localização dos empreendimentos e do tipo de apartamento. Em alguns lugares, o valor de entrada do imóvel poderá ser parcelado entre 48 e 60 vezes”.

Além de imóveis do MCMV, em Belo Horizonte e em São Paulo também serão negociados imóveis para famílias de classe média. Outros bancos participarão dos feirões nas duas capitais: Banco do Brasil, Bradesco, Itaú, Santander e Banco Inter.

A vantagem de participar de feirões é a agilidade das operações com os agentes financeiros. Análise de crédito, negociação de taxas e aprovação de recursos acontece em tempo real. Para tentar financiamento para a compra da casa própria é necessário levar documentos pessoais (como RG e CPF) e comprovantes de renda e de residência.

(Agência Brasil)

Guido Mantega vira réu na Justiça Federal por fraudes no BNDES

O juiz Marcus Vinicius Reis Bastos, da 12ª Vara Federal de Brasília, aceitou ontem (23) denúncia contra o ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, no âmbito da Operação Bullish.

Segundo a denúncia, ambos participaram em desvios no banco público que teriam resultado em benefícios indevidos de até R$ 8,1 bilhões em favor da empresa JBS. As operações irregulares ocorreram entre junho de 2007 e dezembro de 2009, de acordo com a acusação do Ministério Público Federal (MPF).

Os dois vão responder pelos crimes de formação de quadrilha, gestão fraudulenta e práticas contra o sistema financeiro nacional. Mantega ainda responderá por corrupção passiva.

A acusação tem entre seus pontos de partida as delações premiadas de ex-executivos da JBS, entre os quais Joesley Batista, um dos donos. O magistrado, porém, não aceitou a parte da acusação contra o empresário, por entender que ele está protegido pelo “benefício legal do não oferecimento de denúncia”, previsto em seu acordo de colaboração com MPF.

Outras três pessoas também se tornaram rés: Victor Garcia Sandri, Gonçalo Ivens Ferraz Da Cunha e Sá e Leonardo Vilardo Mantega. A denúncia, apresentada em março, abrangia mais seis pessoas, incluindo o ex-ministro Antônio Palocci, mas o juiz considerou que contra elas não havia indícios suficientes para justificar o recebimento da acusação.

Esquema

Segundo narra a denúncia, o esquema objetivava a aprovação de empréstimos à JBS em contrariedade a normas da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Em troca, a empresa repassava quantias a intermediários por meio de notas frias e investimentos fictícios.

Somente Victor Sandri, ex-assessor de Mantega, teria recebido R$ 5 bilhões da JBS sem prestar qualquer serviço, e mais R$ 67 milhões em contas no exterior. Ele vai responder pelos crimes de formação de quadrilha, corrupção, gestão fraudulenta e prevaricação.

À época em que a denúncia foi apresentada, o ex-ministro Guido Mantega e sua defesa preferiram não comentar. A defesa de Luciano Coutinho negou as acusações.

(Agência Brasil)

Prévia da inflação oficial de maio é de 0,35%

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que mede a prévia da inflação oficial do país, registrou 0,35% em maio deste ano. O resultado é inferior ao de abril (0,72%), mas superior ao de maio de 2018 (0,14%). Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, essa é a maior variação do IPCA-15 para um mês de maio desde 2016 (0,86%).

O IPCA-15 acumula 2,27% no ano e 4,93% em 12 meses, acima dos 4,71% observados nos 12 meses imediatamente anteriores, informou o IBGE.

Os principais responsáveis pela inflação de 0,35% da prévia de maio foram os transportes, com taxa de 0,65%, saúde e cuidados pessoais, com alta de preços de 1,01% no período.

A inflação da saúde e cuidados pessoais foi influenciada por altas de 2,03% no preço dos remédios, de 0,8% nos planos de saúde e de 2,61% nos artigos de higiene pessoal.

Já entre os transportes, os principais itens que influenciaram a inflação foram gasolina (3,29%) e etanol (4%), além dos ônibus urbanos (0,54%).

Os alimentos e os gastos com educação não tiveram variação de preços, enquanto comunicação e artigos de residência anotaram deflação (queda de preços), de 0,04% e de 0,36%, respectivamente.

Os demais grupos de despesa tiveram as seguintes taxas de inflação: habitação (0,55%), vestuário (0,38%) e despesas pessoais (0,16%).

(Agência Brasil)

Rodovia que dá acesso ao Porto do Pecém é só buraco

A principal via de acesso ao Complexo Industrial e Portuário do Pecém tem sido motivo de dor de cabeça para empresários e caminhoneiros nos últimos dias. Em obras desde 2017 para a duplicação das pistas, a CE-155 possui hoje trechos comparados a estradas carroçáveis. Com o agravo das recentes chuvas registradas na região, operações no porto têm sido prejudicadas, motivando queixas.

De acordo com a Associação das Empresas do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Aecipp), o grande volume de precipitações que atingiram o Ceará durante esta quadra chuvosa danificou a rodovia, que tem intenso fluxo de veículos de grande porte, entre carretas e caminhões, todos os dias.

“Essa situação traz grande perigo para os que trafegam diariamente na estrada e tem impactado sobremaneira os negócios das empresas do Complexo Industrial e Portuário do Pecém, uma vez que as condições da CE têm dificultado e atrasado a movimentação dos veículos”, comunicou a Aecipp, por meio de nota, sem revelar quantas operações estão sendo prejudicadas.

*Confira a íntegra da matéria no O POVO aqui.

Camilo garante reposição salarial para quem ganha o piso

841 7

Camilo Santana anuncia pacote de ajustes em breve.

Será de 3,75% a reposição salarial de cerca de 20 mil servidores estaduais que ganham o piso no Estado do Ceará. O percentual foi definido com base na inflação registrada no ano de 2018. O Governo do Estado ainda deverá reajustar o vale-alimentação desses servidores no mesmo percentual.

Dessa forma, o Ceará consegue atender quem ganha menos, apesar de seguir a tendência de outros Estados do país, que resolveram apertar o cinto diante da situação de incerteza da economia brasileira. Professores tiveram a aplicação do piso federal de 4,17% na carreira. Outras categorias foram beneficiadas em torno de ganhos específicos em gratificações e promoções, negociados anteriormente.

O Governo alega que seria uma irresponsabilidade dar aumento maior neste momento e correr o risco de atrasar salários e aumentar as demissões no setor público, como vem acontecendo em vários Estados.

Aliás, há uma leva de servidores públicos pelo país que não receberam ainda nem o 13º do ano passado.

(Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO)