Blog do Eliomar

Categorias para Economia

Presidente da Petrobras diz que estatal será rentável em quatro anos

“O presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, disse hoje (15) que a empresa sairá muita mais madura e fortalecida do processo de crise. Segundo ele, dentro de quatro anos a estatal “será menor do que já foi, mas com certeza muito mais rentável e melhor do que é hoje e com maior capacidade operacional”.

O presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, divulga balanço contábil do segundo trimestre de 2015, na sede da companhia, no Rio (Tomaz Silva/Agência Brasil)
Para Aldemir Bendine, hoje o caixa da Petrobras permite enfrentar adversidades com “extrema tranquilidade”Arquivo/Tomaz Silva/Agência Brasil
Bendine, que participou hoje de um café da manhã de confraternização entre jornalistas e a diretoria empresa, garantiu que o programa de desinvestimento adotado este ano pela empresa foi muito mais um processo de estruturação. Assegurou que, no próximo ano, ele ocorrerá com maior intensidade e velocidade.

“Posso garantir que esse desinvestimento virá no próximo ano em uma velocidade muito maior do que se imagina. Não temos dúvidas de que cumpriremos o valor planejado, porque as condições estão dadas, as negociações em andamento e as perspectivas são grandes.”

De acordo com Aldemir Bendine, neste ano a empresa conseguiu surpreender o mercado e obter “um feliz retorno” na transferência de parte das ações da Gaspetro para o capital privado. Segundo ele, a empresa obteve retorno “muito acima do esperado e sem transferência do controle da subsidiária”.

Conforme o presidente da Petrobras, apesar de todas as adversidades do mercado, principalmente em decorrência da queda do preço do barril de petróleo no mercado externo, hoje o caixa permite à empresa enfrentar essas adversidades “com extrema tranquilidade”.

“A sinalização positiva do mercado nos permitiu antecipar as captações possíveis. Isso nos propiciou captações de linhas [de crédito] mais atrativas, possibilitando o refinanciamento da dívida da empresa. Mesmo com todo o cenário adverso, conseguimos abater a dívida da empresa em dólar em aproximadamente 5%. Portanto, a dívida líquida caiu.”

Bendine afirmou ainda que, em 2016, a estatal contará “com um caixa robusto para enfrentar compromissos e problemas mais desafiadores”. “Restará o grande desafio do equacionamento da dívida da companhia, que passa por esse processo de desinvestimento. Não temos outro caminho. A melhoria da eficiência não será suficiente para trazer a dívida para um valor mais confortável.”

“O Plano de Negócios [2016-2020] mais atualizado e maduro que apresentaremos no início do ano fará frente à nova realidade do mercado. À medida que concretizarmos as iniciativas de desinvestimento, veremos que o cenário da Petrobras será muito mais positivo”, acrescentou.

Sobre a crise com as denúncias da Operação Lava, Bendine afirmou que a empresa saiu mais madura e blindada. “Queria destacar que a empresa saiu muito mais madura e fortalecida, até porque implementa um processo de reorganização administrativa, com um modelo de governança mais eficaz e com melhores praticas de gestão. Isso se reflete em decisões mais maduras e blindadas do ponto de vista do real interesse da companhia.”

Para Bendine, a Petrobras mostrou que tem capacidade de trabalhar em um cenário adverso. “Era inimaginável que a empresa chegasse a ser obrigada a trabalhar com o petróleo a US$ 40 o barril, depois de o preço da commoditie ter fechado julho do ano passado na casa dos US$ 114. Estamos superando, mesmo em um cenário de incertezas econômicas”, concluiu.”

(Agência Brasil)

Conselho do FAT terá reunião extraordinária nesta quarta-feira

O ministro Miguel Rossetto, do Trabalho e Previdência Social, abrirá, às 10 horas desta quarta-feira, em Brasília, a 133ª reunião do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

Entre os assuntos a serem discutidos no Conselho está a Proposta de Resolução que aprova a Programação Anual da Aplicação dos Depósitos Especiais do FAT para o exercício de 2016 – PDE/2016.

VAMOS NÓS – Torcida para que não venham muitos cortes.

Funcap lança programa com R$ 15 milhões para projetos de inovação

Essa informação é do Site da Funcap:

A Fundação Cearense de Apoio a Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap) lançou o edital da Fase 1 do Programa Funcap-InovaFIT. Nesta primeira fase, será disponibilizado até R$ 3 milhões para apoiar a pesquisa aplicada como instrumento para promover a inovação tecnológica e o desenvolvimento empresarial e aumentar a competitividade das empresas sediadas no Ceará.

Duas fases estão previstas no programa. Na Fase 1, o valor máximo da
proposta deverá ser de até R$ 100 mil, com execução máxima em seis meses.

O programa dispõe, no total, de R$ 15 milhões, e o que não for utilizado
na Fase 1 estará disponível para o lançamento da Fase 2, cujo edital será
lançado em 2016, com projetos a serem executados em até 24 meses. Na
primeira fase será encorajada a busca de parcerias entre as empresas e
pesquisadores e estudantes, e na segunda essa parceria deverá estar
formalizada.

Requisitos

Dentre os requisitos necessários, as empresas interessadas devem ter sido
criadas há, pelo menos, cinco meses antes do lançamento do edital, ter
renda bruta anual de até R$ 10,5 milhões e garantir condições adequadas ao
desenvolvimento do projeto de pesquisa. A Funcap realizará uma reunião
aberta a interessados para esclarecimentos sobre o InovaFIT no dia 20 de
janeiro de 2016.

Entre as áreas estratégicas do Ceará a serem desenvolvidas com apoio do
edital estão: Petróleo e Gás; Tecnologia de Informação e Comunicação
(TIC); Energias Renováveis; Biotecnologia; Agronegócio e Recursos Hídricos; Fármacos;
Eletrometal-mecânico e Materiais; Couro e Calçados; Têxtil e Confecção;
Indústria da Construção Civil e pesada; Nanotecnologia.

Inscrições

As inscrições no Programa Funcap-InovaFIT deverão ser realizadas por meio
da Plataforma Montenegro (www.funcap.ce.gov.br) até 15 de fevereiro de
2016.

SERVIÇO

– Reunião aberta a interessados para esclarecimentos sobre o
Funcap-InovaFIT: 20 de janeiro de 2016;
– Prazo final para envio das propostas: 15 de fevereiro de 2016;
– Divulgação do resultado preliminar da análise das propostas: 28 de março
de 2016;
– Pedidos de reconsideração: 28 a 30 de março de 2016;
– Resultado final: 15 de abril de 2016;
– Entrega de documentação da empresa: 18 a 20 de abril de 2016;
– Contratação (até 60 dias do resultado final): até 15 de junho de 2016.

* Confira o edital aqui.

Cartões de crédito lideram ranking das reclamações

“A principal reclamação de clientes de bancos registrada no Banco Central (BC), em novembro, foi a ausência ou contratação inadequada de cartão de crédito consignado. Foram registradas 570 queixas consideradas procedentes pelo banco.

Em segundo lugar no ranking do BC, estão as Irregularidades relativas à integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços relacionados a cartões de crédito, com 459 casos. Em terceiro lugar ficou a cobrança irregular de tarifa por serviços não contratados (292).

No total, o BC recebeu, em novembro, 4.029 reclamações, quase o dobro registrado em igual mês de 2014 (2.160). Em outubro deste ano, foram 3.987 queixas.

O BC considera como reclamação procedente quando há indício de descumprimento por parte da instituição financeira, de lei ou regulamentação cuja competência de supervisão seja do Banco Central.”

(Agência Brasil)

Fiesp anuncia apoio ao impeachment de Dilma

paulo-skaf

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) anunciaram nesta segunda-feira apoio formal ao impeachment da presidente Dilma Rousseff.

A decisão foi baseada em pesquisa realizada com amostra que representa 0,7% das empresas do Estado de São Paulo. O presidente das duas entidades, Paul Skaf, disse que o país está à deriva e que falta credibilidade ao governo.

Segundo o presidente da Fiesp e Ciesp, a presidente não está interessada em resolver os problemas do país, mas sim quer “aumentar impostos”. Skaf alegou que a decisão está respaldada em pesquisa realizada pela Fiesp.

(Com Valor Econômico)

Levy reafirma compromisso com meta fiscal de 0,7% em 2016

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, reafirmou nesta segunda-feira (14) a líderes partidários o compromisso do governo com a meta de esforço fiscal de 0,7% do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país) para 2016. Em reunião com líderes partidários e com representantes da Comissão Mista de Orçamento (CMO), ele cobrou a aprovação de três medidas provisórias que aumentem receitas para evitar o corte de R$ 10 bilhões do Programa Bolsa Família no próximo ano.

A presidente da CMO, senadora Rose de Freitas (PMDB-ES), informou que pretende divulgar fontes alternativas de cortes de recursos para manter a meta de 0,7% do PIB. Ela, no entanto, não deu detalhes de onde sairá o dinheiro.

A senadora disse que pedirá ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que ponha em votação o Plano Plurianual (PPA) no plenário do Congresso para que a Comissão Mista do Orçamento possa aprovar nesta terça-feira (15) a Lei de Diretrizes Orçamentárias com a meta de 0,7%. Se não houver empecilhos, a LDO de 2016 iria para o plenário do Congresso na quarta-feira (16).

(Agência Brasil)

Superávit da balança comercial soma R$ 15,8 bilhões no ano e supera estimativa

“O superávit da balança comercial – diferença entre exportações e importações – acumulado em 2015 superou a estimativa de US$ 15 bilhões do governo. Segundo dados divulgados hoje (14) pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o indicador acumula resultado positivo de US$ 15,810 bilhões até a segunda semana de dezembro.

Na semana passada, o país registrou superávit de US$ 1,6 bilhão, resultado de exportações de US$ 4,256 bilhões e de importações de US$ 2,656 bilhões. Em dezembro, o superávit da balança comercial chega a US$ 2,369 bilhões.

Os resultados contrastam com os do ano passado. Até a segunda semana de dezembro de 2014, a balança comercial tinha déficit de US$ 3,574 bilhões. A melhoria do indicador, no entanto, não se deve ao crescimento das vendas para o exterior, mas à queda das importações.

No acumulado do ano, o Brasil exportou US$ 181,647 bilhões, queda de 14,6% pela média diária em relação a 2014. O recuo foi motivado principalmente pela redução do preço das commodities (bens agrícolas e minerais com cotação internacional), que anulou os efeitos da safra recorde de grãos e da produção recorde de minério de ferro.

As importações caíram em ritmo maior, totalizando US$ 165,837 bilhões, com recuo de 23,3% também pela média diária. As principais causas para a queda das compras do exterior são a alta do dólar e a redução da demanda por combustíveis, que se refletiu em menos importações de petróleo.”

(Agência Brasil

A Via-Sacra pela Reestruturação do DNOCS

Com o título “Luta permanente”, eis artigo de Francisco Edilton Saldanha, jornalista e funcionário do DNOCS. Ele faz um balanço da ação política que está sendo feita com objetivo de revitalizar a autarquia. Confira:

Como se estivessem fazendo respiração boca a boca, gestores e servidores do DNOCS, de mãos dadas com o SINTSEF, ASSECAS e ASDEC lutam de todas as formas para tirarem o DNOCS da inércia que se instalou no departamento.

No último dia 1º de dezembro, a autarquia foi tema de discussão para definir as estratégias na gestão dos recursos hídricos e na nova visão de convivência com o semiárido nordestino.

No dia 3 de dezembro, aconteceu uma seção no Senado Federal, ocasião na qual o diretor geral Walter Gomes fez uma explanação sobre as atividades básicas do DNOCS, suas ações ao longo de 106 anos de atividades, destacando as obras estruturantes, como a construção de barragens, implantação de projetos de irrigação e sistemas de abastecimento de água e os trabalhos no campo da aquicultura.

Já, no último dia 7, a Comissão de Desenvolvimento Regional, Recursos Hídricos, Minas e Pesca, da Assembleia Legislativa do Ceará, discutiu sobre a Instituição com objetivo de apontar ações que garantam o fortalecimento da instituição. Durante a audiência foi criado um grupo de trabalho formado pelos parlamentares e órgãos interessados no assunto, que irá formatar uma carta com a adesão de políticos e entidades para a manutenção do DNOCS. O texto da carta será apresentado no dia 15 de dezembro.

É dessa forma que todos que fazem o DNOCS, há anos, vêm tentando motivar parlamentares, governantes e sociedade a promoverem a sua reestruturação e dessa maneira o homem do campo poder conviver com mais dignidade, com a seca.

*Francisco Edilton Saldanha,

Jornalista e funcionários do DNOCS.

Receita Federal cobrará R$ 2 bilhões de empresas que caíram na malha fina

“A partir desta segunda-feira, cerca de 15 mil empresas em todo o país estão sendo avisadas de que foram incluídas na malha fina da pessoa jurídica. A Receita Federal detectou suspeita de sonegação de R$ 2 bilhões provenientes da diferença entre os valores pagos de Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e de Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) e os valores informados na Declaração de Tributos e Contribuições Federais (DCTF) do ano-base de 2013.

O Fisco enviará cartas aos endereços cadastrais das pessoas jurídicas, informando que os contribuintes têm até fevereiro para regularizar a situação. Quem não retificar as informações fornecidas ou o tributo pago a menos dentro do prazo será autuado e, dependendo do caso, poderá ser denunciado ao Ministério Público Federal por crime de sonegação.

“Neste primeiro momento, o objetivo é dar oportunidade para se autorregularizar em vez de punir com multas que podem chegar a 225%”, diz o coordenador-geral de Fiscalização da Receita, Flávio Vilela Campos. A autorregularização pode ser feita no Centro de Atendimento Virtual da Receita (e-CAC).

Esta é a segunda vez que a Receita realiza a fiscalização da malha fina das pessoas jurídicas. Em fevereiro deste ano, o Fisco enviou 25,6 mil cartas a contribuintes relativas a divergências entre a DCTF e o pagamento de IRPJ e da CSLL em 2012. Do total de R$ 7 bilhões detectados pela Receita na época, os empresários retificaram e pagaram R$ 6 bilhões por meio da autorregularização.

A diferença de R$ 1 bilhão não regularizada no primeiro lote da malha fina das pessoas jurídicas será cobrada em fevereiro de 2016, junto com o segundo lote da malha fina anunciado hoje. “Optamos por juntar a fiscalização de dois anos-calendário para dar mais eficiência aos trabalhos”, justificou o coordenador da Receita. Segundo ele, cerca de 1,3 mil contribuintes não fizeram a autorregularização.

Segundo Campos, a Receita promoverá mais cruzamentos de dados em 2016 para elaborar mais listas de malha fina de empresas. A fiscalização não se restringirá ao IRPJ e à CSLL, abrangendo as notas fiscais eletrônicas e o pagamento da contribuição dos empresários à Previdência Social.”

(Agência Brasil)

Votação do relatório sobre a DRU está marcada para esta terça-feira

“Está marcada para esta terça-feira (15) a votação do relatório da comissão especial da Câmara dos Deputados que analisa a proposta de emenda à Constituição que prorroga a Desvinculação de Receitas da União (DRU). A oposição obstruiu as votações da comissão última semana.

São debatidas três propostas (PECs 4; 87; e 112, todas de 2015) que renovam o mecanismo que autoriza o governo federal a usar livremente parte da arrecadação da União e cuja vigência atual termina no fim deste ano. A prorrogação da DRU é considerada prioridade para o governo no ajuste fiscal.

Na última terça-feira (8), o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, fez um apelo, durante audiência pública na comissão, para que o Congresso aprove a prorrogação da DRU o mais rapidamente possível. Segundo ele, isso poderia representar R$ 117 bilhões para investir em políticas públicas importantes no ano que vem.

O relator da PEC que prorroga a DRU, deputado Laudivio Carvalho (PMDB-MG) disse, entretanto, não ter pressa para apresentar seu parecer. Ele afirmou que é preciso atender as necessidades do País na educação, na saúde e nos programas sociais.

Apesar da oposição ter obstruído a votação na última reunião, o líder do Democratas na Câmara, deputado Mendonça Filho (PE), afirmou que a oposição não pode ser a culpada pela não votação de matérias de interesse do País, como a proposta da DRU. Ele criticou a ausência de parlamentares governistas na reunião da última quinta-feira (10).”

(Agência Câmara)

Mercado financeiro projeta inflação em 10,61% neste ano

“A projeção de instituições financeiras para a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), neste ano, subiu pela 13ª semana seguida, ao passar de 10,44% para 10,61%. Para 2016, a estimativa para o IPCA subiu pela segunda vez consecutiva. Desta vez, a projeção foi ajustada de 6,7% para 6,8%. As estimativas foram divulgadas hoje (14) e estão no Boletim Focus do Banco Central (BC), uma publicação semanal, feita a partir de consultas a instituições financeiras.

As duas projeções estão acima do limite superior da meta, que é 6,5%. O centro da meta é 4,5%. O Banco Central estima que a inflação só deve atingir o centro da meta em 2017. O principal instrumento usado pelo BC para controlar alta dos preços é a taxa básica de juros, a Selic. O Comitê de Política Monetária (Copom), responsável por definir a Selic, elevou a taxa por sete vezes consecutivas. Nas reuniões do comitê em setembro, outubro e novembro, o Copom optou por manter a Selic em 14,25% ao ano.

A taxa é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve como referência para as demais taxas de juros da economia. Ao reajustá-la para cima, o BC contém o excesso de demanda que pressiona os preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

A pesquisa do BC também traz a projeção para a inflação medida pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), que passou de 11,04% para 10,99%, este ano. Para o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), a estimativa foi ajustada de 10,80% para 10,81%, em 2015. A estimativa para o Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe) subiu de 10,77% para 10,85%, este ano.

A projeção para a alta dos preços administrados passou de 17,65% para 18%, este ano, e de 7,35% para 7,50%, em 2016.”

(Agência Brasil)

Tarifas postais estão mais caras

“O Diário Oficial da União traz publicada na edição de hoje (14) a tabela dos novos preços dos serviços dos Correios. A correção das tarifas, como as de entrega de cartas e telegramas, será de 8,89% e ajudará a diminuir o déficit no orçamento da estatal, que deve chegar a R$ 2 bilhões até o último dia do ano. Com a atualização, o valor do envio de uma carta não comercial, por exemplo, passará de R$ 0,95 para R$ 1,05. A carta comercial ficará R$ 0,10 mais cara (de R$ 1,40, para R$ 1,50). A carta social, voltada aos beneficiários do Programa Bolsa Família, permanecerá com a tarifa de R$ 0,01.

Com o realinhamento, a expectativa dos Correios é que as receitas da empresa cresçam R$ 780 milhões por ano. “A recomposição é de centavos, não onerando a população nem impactando a inflação, mas de grande importância para nosso equilíbrio fiscal da empresa”, informou a estatal. As tarifas foram realinhadas com base nos custos, como aumento dos preços dos combustíveis, contratos de aluguel, transportes, vigilância, limpeza e salários dos empregados. A revisão não se aplica ao segmento de encomendas.

O pedido de recomposição das tarifas integra uma série de medidas da nova gestão dos Correios que visa a reduzir o déficit e aumentar as receitas. Além da revisão das tarifas, o novo presidente dos Correios, Giovanni Queiroz, informou à Agência Brasil que medidas administrativas também fazem parte do pacote previsto.”

(Agência Brasil)

Servidores municipais querem 19,46% de reajuste

O Sindicato dos Servidores e Empreegados Públicos Municipais de Fortaleza (Sindifort) está mobilizando a categoria para que esteja na Câmara Municipal, a partir das 8 horas desta terça-feira.

Em clima de votação do Orçamento 2016 da Prefeitura, a ordem é apelará aos vereadores por reunião com o prefeito Roberto Cláudio com objetivo de discutir a campanha salarial 2016.

Os servidores, de acordo com estudo encomendado pelo Sindifort, brigarão por um reajuste 19,46%.

 

Negociar dívidas é o melhor caminho para pais e escolas, dizem entidades

Em tempos de alta da inflação, aumento do desemprego e endividamento das famílias, muitos pais acabam atrasando a mensalidade da escola dos filhos. Para lidar com o aperto, entidades aconselham tanto pais quanto escolas a negociar. Ambos podem sair ganhando.

“Como prestamos um serviço para a família, temos que ter sensibilidade nessa hora. Conversar, ver com os pais a possibilidade de negociar, de acertar um eventual atraso de mensalidade para renovar a matrícula”, diz o presidente do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (SINEPE/DF), Álvaro Moreira Domingues Júnior.

De acordo com dados do SPC Brasil – (Serviço de Proteção ao Crédito), a inadimplência nas escolas particulares passou de 8% em 2014 para 19% em 2015.

“Negociar é sempre bom para a escola e interessante para a família. Se estiver inadimplente, é bom conversar com o diretor da escola, com o gestor, porque existe o caso de mal pagadores, mas existe, e é quase a totalidade, pessoas que querem honrar os seus compromissos”, acrescenta Júnior.

(Agência Brasil)

 

Crise faz 13 estados e o DF estourarem limite de gastos com pessoal; Ceará em alerta

A crise econômica está tendo forte impacto sobre as contas das unidades da Federação. Com a arrecadação reduzida e atrelados a acordos de reajustes salariais, 13 estados e o Distrito Federal estão estourando os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal para as despesas com o funcionalismo local, segundo levantamento feito pela Agência Brasil com base em relatórios enviados pelos governos estaduais ao Tesouro Nacional.

A situação está mais crítica em Alagoas, no Distrito Federal, em Mato Grosso, na Paraíba, em Pernambuco, no Rio Grande do Norte e no Tocantins, que ultrapassaram o limite máximo de 49% da receita corrente líquida (RCL) nos gastos com o funcionalismo público até agosto, último dado disponível. Sete estados – Amazonas, Goiás, Minas Gerais, Pará, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Sergipe – ultrapassaram o limite prudencial, 46,55% da RCL, e já sofrem algumas sanções.

Se for levado em conta o limite de alerta (44,10%), o número de unidades da Federação com altas despesas no funcionalismo público aumenta para 21, com a inclusão do Acre, Amapá, da Bahia, do Ceará, Espírito Santo, Piauí e de São Paulo. O limite de alerta, no entanto, não implica sanções, apenas autoriza os tribunais de Contas estaduais e do DF a fazer uma advertência aos governadores.

(Agência Brasil)

Movimento em aeroportos deve cair 20% no período de festas de fim de ano

A movimentação nos principais aeroportos do Brasil poderá cair até 20% durante a época das festas de fim de ano, na comparação com o mesmo período do ano passado. As projeções da Secretaria de Aviação Civil para este ano são de uma movimentação de 16 milhões de passageiros durante a Operação Fim de Ano, que começou nessa quinta-feira (10) e vai até o dia 10 de janeiro. No ano passado, entre os dias 15 de dezembro e 10 de janeiro, cerca de 20 milhões de pessoas passaram pelos 15 maiores terminais do país.

A demanda por transporte aéreo no Brasil vem caindo no segundo semestre do ano e teve uma redução de 5,7% em outubro, em relação ao mesmo período do ano passado, segundo a Associação Brasileira de Empresas Aéreas (Abear). A entidade avalia que, apesar da retração da demanda, a estratégia das empresas é praticar preços mais atrativos e, com isso, pelo menos fechar o ano de 2015 com o mesmo volume de operações do ano passado.

A Secretaria de Aviação Civil estima que o pico de demanda nas festas de fim de ano será no dia 4 de janeiro,quando cerca de 648 mil passageiros devem passar pelos principais aeroportos brasileiros. A Operação Fim de Ano é um conjunto de medidas acordadas entre setor público e a iniciativa privada para melhorar o funcionamento dos principais aeroportos do país nesse período.

(Agência Brasil)

Ministro defende desoneração de insumos para a indústria

“O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, disse hoje (11) que é preciso completar o processo do ajuste fiscal, o mais rápido possível, “para a retomada dos investimentos e para que os agentes econômicos tenham clara percepção de que a economia vai se reequilibrar”, disse.

Monteiro falou para empresários e representantes do setor químico, durante a 20ª edição do Encontro Anual da Indústria Química, promovido pela Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim) na capital paulista. No evento, Monteiro disse que, apesar de os resultados do ajuste, no curto prazo, serem incertos, a economia do país precisa dessas reformas para se reequilibrar.

“Não temos claramente os benefícios desse processo de ajuste fiscal, no prazo mais curto possível, mas é importante que a sociedade se mobilize para cobrar da classe política. O Brasil precisa criar as bases para garantir a sustentabilidade das contas públicas”, acrescentou.

Em um vídeo exibido no evento, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, também reforça a necessidade do ajuste fiscal, para acabar com as dificuldades que os empresários enfrentam hoje para investir. “Temos confiança de que, apesar do cenário, de toda a incerteza, nós vamos encontrar caminho”, declarou o ministro da Fazenda.”

(Agência Brasil)

André Montenegro é o “Engenheiro do Ano”

fe5b14e4-0444-4e82-8b24-d1a0e704e970

O presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará (Sinduscon-CE), André Montenegro, ganhará, nesta sexta-feira, o título de “Engenheiro do Ano 2015”.

A homenagem é do Clube de Engenharia do Ceará (CEC), que fará a entrega da comenda a partir das 19h30min, em sua sede, na Praia do Futuro.

Antes, Montenegro fará uma breve palestra sobre o tema “Perspectivas e Inovações do Setor Habitacional do Ceará”.

Com direito, claro, a reclamar do atraso nos repasses do Programa Minha Casa, Minha Vida.

Prefeitura de Fortaleza confirma: Pagará restante do 13º, a partir do dia 17

A Prefeitura de Fortaleza divulga em seu site, nesta sexta-feira, que vai pagar a segunda parcela do 13º dos servidores no próximo dia 17. Essa parcela é equivalente a 60% da gratificação e o pagamento representa a soma de R$ 140 milhões injetados na economia da cidade.

“Mesmo diante do momento financeiro difícil vivido pelo País, com queda de transferências financeiras para o Município, a Prefeitura está assegurando o depósito do restante do 13º. Com isso, o prefeito Roberto Cláudio confirma a prioridade com que trata as questões relacionadas aos servidores municipais”, afirma o secretário do Planejamento, Orçamento e Gestão, Philipe Nottingham.

No total, serão 49 mil servidores, entre ativos e inativos, que receberão o benefício. A primeira parcela do 13º salário, equivalente a 40%, foi paga no dia 17 de junho, num total de R$ 90 milhões. Somando as duas parcelas, a Prefeitura de Fortaleza desembolsa um total de R$ 230 milhões.