Blog do Eliomar

Categorias para Economia

Auditores da Receita Federal estão apreensivos com a criação do Ministério da Economia

127 2

A decisão do presidente eleito Jair Bolsonaro de criar o Ministério da Economia como resultado da fusão da Fazenda com o Desenvolvimento Industria e Planejamento, deixou as entidades representativas dos auditores da Receita Federal de orelha em pá.

O presidente do Sindifisco do Ceará, Hélder Rocha, avalia que essa fusão pode comprometer o trabalho da futura pasta, pois unirá atribuições distintas. Ele não fala ainda em mobilizações contra a medida.

Cagece oferta 100 vagas para cursos profissionalizantes

184 1

A Cagece está oferecendo 100 vagas para cursos profissionalizantes no mês de dezembro. No total, são três modalidades de capacitação: bombeiro hidráulico (30 vagas), auxiliar administrativo (35 vagas) e pintura industrial (35 vagas). A informação é da assessoria de imprensa do órgão.

Os interessados em se candidatar devem retirar a carta de encaminhamento em uma das unidades do Sistema Nacional de Emprego (Sine), que serão emitidas a partir do dia 1 até o dia 23 de novembro.

Os cursos são gratuitos e as matrículas acontecem no dia 24 de novembro, das 8 às 11 horas, na sede da companhia (Avenida Dr. Lauro Vieira Chaves, 1030 – Vila União). O atendimento será realizado por ordem de chegada.

Exigências

Para se matricular é necessário estar com a carta de encaminhamento em mãos, ter idade mínima de 16 anos e apresentar os seguintes documentos: certificado de conclusão do ensino fundamental, identidade, CPF e comprovante de residência.

Para os alunos que já realizaram os cursos na companhia e buscam novas oportunidades de capacitação, basta apresentar o certificado de participação do curso realizado anteriormente pela Cagece. As aulas do curso de auxiliar administrativo ocorrerão na própria sede da companhia. Já as aulas de bombeiro hidráulico e pintura industrial acontecerão na unidade da Cagece no bairro Pici (Av. Carneiro de Mendonça, sem número, próximo ao Hospital da Mulher).

SERVIÇO

*Curso: Bombeiro hidráulico (30 vagas)
Período: 01, 02 e 08 de dezembro de 2018
Horário: Sábado e domingo, de 8h às 17h
Local: Cagece Pici

*Curso: Auxiliar administrativo (35 vagas)
Período: 03 a 12 de dezembro de 2018
Horário: Segunda a sexta-feira, de 17h30 às 21h30
Local: Cagece Sede

*Curso: Pintura industrial (35 vagas)
Período: 08 e 09, 15 e 16 de dezembro de 2018
Horário: Sábado e domingo, de 8h às 17h
Local: Cagece Pici

Confira os endereços dos Sines

Aldeota
Av. Santos Dumont, 5015
Tel: (85) 3101.1660

Centro
Rua Assunção, 699
Tel: (85) 3101.2775

Parangaba
Av. João Pessoa, 6239
Tel: (85) 3101.3034

Vapt Vupt Antônio Bezerra
Av. Demétrio de Menezes, 3750
Tel: (85) 3101.2743

Vapt Vupt Messejana
Rua Jornalista Tomaz Coelho, 408
Tel: (85) 3101.2138

(Foto – Ilustrativa)

Senai/CE e agência alemã fecham parceria na área de energias renováveis

Da Coluna O POVO Economia, da jornalista Neila Fontenele, no O POVO desta quinta-feira:

O Senai do Ceará vai estar elaborando projeto na área de energias renováveis com a agência alemã de Cooperação Internacional (GIZ). O objetivo é desenvolver capacitações e treinamentos no Nordeste.

O diretor regional do Senai, Paulo André Holanda, informa que já foi consentido o aval para avançar o projeto em 2019.

Na última terça-feira, uma comitiva alemã conheceu o Centro de Exame de Certificação de Profissionais do Setor Solar Fotovoltaico do Senai/CE, que realizou a entrega do certificado de montador de sistemas fotovoltaicos ao primeiro candidato a concluir o processo de reconhecimento de competências.

(Foto – TV Jaguar)

Produção industrial registra queda pelo terceiro mês consecutivo

A produção industrial brasileira fechou setembro com retração de 1,8% frente a agosto, na série com ajuste sazonal, registrando a terceira queda consecutiva e acumulando retração de 2,7%. Apesar do recuo, no ano a produção industrial ainda registra crescimento de 1,9%, assim como no resultado acumulado dos últimos doze meses: expansão de 2,7%.

Os dados fazem parte da Pesquisa Industrial Mensal- Produção Física Brasil (PIM-PF), que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou hoje (1º).

Em agosto, a indústria já havia fechado em queda de 0,7% e em julho, de -0,2%. No confronto com setembro do ano passado (série sem ajuste sazonal), a indústria caiu 2,0%, primeiro resultado negativo nesta comparação, após três altas consecutivas. A queda de setembro reflete resultados negativos em todas as quatro grandes categorias e em 16 dos 26 ramos industriais envolvidos na pesquisa.

Ao comentar a retração da indústria de agosto para setembro, o gerente da pesquisa, André Macedo, atribuiu a queda à redução nas exportações de veículos e ao ambiente de incerteza política e econômica.

“A redução nas exportações de veículos, especialmente para a Argentina devido à crise econômica naquele país e um ambiente de incerteza política e econômica freiam o investimento do empresário e as decisões do consumidor brasileiro”, disse. Destacou que a pesquisa verificou “um grande número de fábricas de automóveis com paralisações ou férias coletivas no mês”.

(Agência Brasil)

Camilo embarca na próxima semana em busca de novos parceiros na Europa

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta quinta-feira:

No embalo dos hubs aéreo, portuário e tecnológico, o governador Camilo Santana (PT) embarca, na próxima semana, para a Europa.

Em Rotterdam, Holanda, ele falará para uma plateia de mais 200 empresários que mostram interesse em investir no Brasil. E o Ceará, que fez o dever de casa fiscal, é a bola da vez. Após consolidar o hub aéreo, que conta agora com 50 voos internacionais diretos saindo de Fortaleza semanalmente, e o hub tecnológico, com a Angola Cables, o fechamento da parceria com o Porto da Rotterdam, um dos maiores do mundo, abriu novas oportunidades comerciais.

Nessa ida à Europa, além da apresentação das potencialidades do Ceará, consta no roteiro rodada de negócios com empresários locais e internacionais. É a grande oportunidade de o Ceará alavancar o crescimento e impulsionar a geração de empregos no Estado.

Camilo aposta num segundo governo ainda melhor que o primeiro, que o levou à maior votação do Brasil, com quase 80% de aprovação.

(Foto – Fabio Lima)

BC mantém taxa básica de juros em 6,5%

O Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu, na primeira reunião depois das eleições, nesta quarta-feira, 31, manter a taxa básica de juros da economia, a Selic, em 6,5% ao ano. Foi a quinta manutenção consecutiva. A taxa está no seu menor patamar da história desde março deste ano. A decisão já era esperada pelos economistas. Ainda que a inflação tenha subido nos últimos meses – a previsão é de que feche o ano em 4,4%, próxima da meta de 4,5% –, a economia ainda está cambaleando.

Para 2019, porém, é esperado um aumento dos juros, motivado pela recuperação da economia. Na média, os analistas do mercado financeiro esperam que a Selic feche o próximo ano em 8%.

Quando a taxa básica de juros estava em dois dígitos, era possível ter alta rentabilidade nos investimentos de renda fixa facilmente. Agora, os investidores precisam se empenhar mais para encontrar bons retornos. A diversificação nunca foi tão importante, especialmente em um momento de expectativa de valorização das ações na Bolsa após a eleição de Jair Bolsonaro.

Com a Selic em 6,50% ao ano, investimentos de renda fixa como poupança, CDBs com taxas pós-fixadas, fundos DI e títulos do Tesouro Selic pagam menos, já que seu rendimento é atrelado à taxa Selic ou à taxa DI, muito próxima da taxa básica de juros.

A seguir, veja uma simulação de quanto 5 mil reais rendem na poupança, em um CDB, em um fundo DI ou no Tesouro Selic, em diferentes prazos. Os cálculos foram feitos por Michael Viriato, coordenador do Laboratório de Finanças do Insper.

Na simulação, a taxa básica de juros se mantém em 6,5% ao ano por todo o período do investimento. Os valores da simulação já descontam o Imposto de Renda, cobrado em todas as aplicações, exceto na poupança, que é isenta.

(Revista Exame)

Passagens de ônibus interurbanos e vans sobem 6,2% a partir de amanhã no Ceará

As passagens das linhas dos Serviços Regulares Interurbanos de Passageiros, atendidas por transportadoras de ônibus e de vans, serão reajustadas em 6,2% para o caso do Serviço Regular (ônibus), e em 5,9% para o caso do Serviço Regular Complementar (vans). A informação é da Agência Reguladora do Ceará (Arce), que homologou estes percentuais.

As novas tarifas serão praticadas pelas empresas de ônibus e as cooperativas de vans a partir de 0:00h desta quinta-feira, 1º de novembro, sendo aplicadas aos deslocamentos intermunicipais no Ceará – exceto entre municípios da Região Metropolitana de Fortaleza. O último reajuste das tarifas ocorreu em setembro de 2017.

Os contratos firmados entre as transportadoras e o Governo do Estado preveem a correção anual das tarifas, seja através da modalidade de reajuste (que considera os índices inflacionários) ou de revisão (que afere todos os insumos e parâmetros técnicos que repercutem nos custos da prestação dos serviços).

Linhas

Estarão sujeitas à atualização tarifária as linhas intermunicipais atendidas por 5 empresas de ônibus: Expresso Guanabara, Via Metro, Princesa dos Inhamuns, Fretcar e São Benedito, além de 23 cooperativas de vans: Cootace, Cooptrater, Coopsertão, Cotrece, Coopsolnascente, Coopstar, Cooptranscrat, Coopfornorte, Cootmam, Coopitrace, Cootransvace, Cooprovar, Rota Norte, Cooperita, Cooprecensul, Cootravs, Coopatarc, Crajuá, Cootac, Coopervárzea, Cooperfab, Coopertasc e Cootrape.

(Foto – Arquivo)

SRT do Ceará difunde a Escola do Trabalho, projeto que oferta cursos online para capacitação

A Superintendência Regional do Trabalho está divulgando o projeto Escola do Trabalho (escola.trabalho.gov.br).

Nessa iniciativa, oferece, com apoio da parceria entre o Ministério do Trabalho e Emprego e a UnB, o total de 25 cursos online para formação profissional envolvendo áreas que vão do turismo e gestão ao cuidador de pessoas idosos.

O titular da superintendência estadual, Fábio Zech, adianta que a agência do órgão a ser inaugurada, até o dia 15 próximo, em Juazeiro do Norte (Região do Cariri), contará com uma sala com computadores que ficarão à disposição dos desempregados interessados em se capacitar em algum dos cursos em oferta.

(Foto – Balada In)

Pesquisa CNI/Ibope – Confiança do consumidor é a maior desde 2014

Apesar de mais otimistas com relação à inflação, o desemprego e a renda pessoal, e de perceber melhora da situação financeira, o brasileiro continua cauteloso na hora de fazer compras, segundo levantamento divulgado hoje (31) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

De acordo com a entidade, o Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec) apresentou uma alta de 4,4% em outubro, na comparação com o mês anterior, e atingiu 110,6 pontos, o maior valor registrado desde outubro de 2014, acima também ao da média histórica, de 107,7 pontos.

Por meio de nota, a CNI avalia que, entre as principais razões para o aumento da confiança, está a melhora da situação financeira registrada nos últimos meses. Esse índice (indicador da situação financeira) registrou uma alta de 8,9% em outubro, na comparação com setembro. Quanto maior for esse índice, maior é o número de pessoas que percebem melhora da situação financeira nos últimos meses.

Ainda segundo o levantamento da CNI, as expectativas relativas à renda pessoal, desemprego e inflação também ficaram mais otimistas. O índice de expectativa sobre a renda pessoal aumentou 5%, o de desemprego subiu 8% e o otimismo com relação à inflação cresceu 5,4%. A CNI informa que quanto maior o índice, maior é o número de pessoas que esperam a queda da inflação e do desemprego e o aumento da renda pessoal.

A entidade, no entanto, avalia que os brasileiros continuam cautelosos com relação às compras, uma vez que o indicador de expectativa de compras de maior valor, como móveis e eletrodomésticos, caiu 0,3% em relação a setembro, mantendo-se 0,8% abaixo do registrado em outubro do ano passado. Na avaliação da CNI, apesar da melhora da confiança, o consumidor ainda está cauteloso para comprar bens de maior valor, de forma a evitar um comprometimento maior da renda ao longo do tempo.

Para fazer a pesquisa, a CNI, em parceria com o Ibope Inteligência, ouviu 2.002 pessoas em 142 municípios, entre os dias 18 e 22 de outubro.

(Agência Brasil)

Consumo de energia elétrica registra aumento de 0,3% em setembro

O consumo de eletricidade do Sistema Interligado Nacional (SIN) registrou crescimento de 0,3% em setembro deste ano na relação com setembro de 2017, totalizando 39.080 gigawatts/hora (Gwh). Os dados integram a Resenha Mensal do Mercado de Energia Elétrico divulgada hoje (31), no Rio de Janeiro, pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

Eles indicam que a alta foi puxada pelo setor industrial, onde o consumo avançou 1,2% em setembro, uma vez que a demanda das classes comercial e residencial fechou em queda de -1,2% e -0,8%.

Regionalmente, o maior uso de energia foi puxado em setembro pelo Nordeste, com expansão de 2,9% e pelo Sudeste: 1,5%. Nas demais regiões houve retração. A maior queda na demanda por energia ocorreu na Região Norte (10%), seguida do Centro-Oeste (2%) e Região Sul (0,3%).

Os dados da EPE, responsável pelo planejamento energético do país, indicam, ainda, que o mercado cativo das distribuidoras teve retração de 2,1% em setembro e de -1,6% no acumulado dos últimos 12 meses. Já o consumo livre aumentou 5,2% no mês e 8,6% em 12 meses.

Consumo Industrial

O avanço de 1,2% no consumo industrial em setembro, comparativamente a setembro de 2017, o equivalente a uma demanda de 14.419 Gwh, reflete o aumento no consumo em 6 dos 10 ramos da indústria que mais usaram eletricidade: extrativo de minerais metálicos, com crescimento de 12,1%; químico (9,5%); e automotivo (3,8%).

Entre as regiões, destaque para o Sudeste com expansão de 4,2%. Já a classe comercial anotou queda de 1,2%, reflexo das temperaturas mais amenas em quatro regiões do país. Segundo a EPE, as condições climáticas beneficiaram apenas o Nordeste, onde o crescimento do consumo foi de 3%.

Já na classe residencial, o consumo mais baixo no mês, -0,8%, foi impactado pelo clima ameno, com o crescimento de 2% no Nordeste e de 1,5% no Sul compensando em parte a queda no consumo no restante do país. O consumo mensal das residências atingiu 11.007 GWh. O crescimento do consumo residencial no Nordeste e no Sul, no entanto, não foi bastante para contrabalançar o recuo nas outras regiões, cujas quedas mais acentuadas foram nas regiões Norte (-7,0%) e Centro-Oeste (-5,7%) por influência do clima.

A avaliação da EPE é que, “do ponto de vista econômico, apesar dos bons resultados da contratação formal nos últimos meses, a perspectiva de que a lenta recuperação que se observa no mercado de trabalho, caracterizada pela estagnação da massa de rendimentos, persista nos próximos meses parece e justifica a cautela das famílias ao consumir”.

Segundo o órgão, “esse aspecto tem tido um peso importante, não obstante o crédito e o orçamento doméstico estarem em condições melhores do que no ano passado, o que também influência a decisão de consumo.”

(Agência Brasil)

Poupança tem espaço para crescer no Brasil, diz especialista

A poupança da Caixa Econômica Federal fechou o ano passado com captação líquida de R$ 8 bilhões e um total de 74 milhões de poupadores. Para o educador financeiro Rogério Braga, membro da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), com uma população de mais de 207 milhões de pessoas, há um amplo caminho para que a poupança cresça ainda mais no país.

Para o especialista, os brasileiros ainda não têm o hábito de poupar. Ele aponta que um dos principais problemas da população brasileira atualmente é o consumo exagerado, o acúmulo de créditos, que levam ao descontrole financeiro.

O Dia Mundial da Poupança, celebrado hoje (31), foi criado para conscientizar a população global sobre a importância de preservar recursos para o futuro.

Como poupar

O primeiro passo para quem quer fazer uma poupança é estabelecer um sonho ou um objetivo de vida. “O maior segredo é estabelecer esse objetivo e começar a fazer um diagnóstico financeiro de vida. Começar a pegar aquele recurso, separar a parte dele para poupar no início, porque se deixar para o final do mês, vai faltar recurso”, indicou.

Conversar com a família em relação ao sonho coletivo é um segundo passo também importante. Braga aconselha que as pessoas coloquem todos os objetivos no papel. “Tem que ser disciplinado. A disciplina de seguir todo esse processo leva ao sucesso”, apostou.

Para o educador financeiro, o brasileiro tem o mau costume de ser imediatista, o que termina colocando alguma meta de futuro adiante da sua realidade.

Ele recomenda que as pessoas estabeleçam prazos e aprendam a gastar e a economizar. Esse é um processo diário, destacou. “Tem que usar os recursos em algo efetivamente necessário, e não supérfluo. “Poupar primeiro é sempre muito importante. O hábito de poupar deve ser feito antes de receber o salário e gastar no consumo”.

Braga acredita que com essas etapas, já pode haver uma mudança geral, uma nova visão sobre o hábito de poupar. “E, aí, a poupança se beneficia disso, porque ela é muito fácil, muito acessível a toda a população brasileira”.

Faz parte ainda do diagnóstico financeiro que as pessoas comecem a observar onde há excesso, como podem gastar melhor e onde podem economizar. Braga afirmou que muitas pessoas cometem o erro de gastar além do seu padrão de vida e, por isso, a conta nunca fecha e elas terminam sempre endividadas. O ideal é identificar onde gastar. “Gastar sem excessos, dentro da sua realidade, é fundamental”.

(Agência Brasil)

Propor um superministério da Economia é uma contradição, diz Mauro Filho

Mauro Filho, economista, professor universitário e deputado federal eleito pelo PDT, criticou os primeiros anúncios dos representantes da área econômica do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

Sobre o anúncio da criação de um superministério juntando as pastas de Fazenda, Planejamento e Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Mauro Filho considera um equívoco. Ele diz que o Ministério da Fazenda tem o papel de controlar as despesas e “puxa ações para dentro do governo” com o Ministério da Indústria, que se propõe a estimular a economia e desenvolver políticas para aumentar a competitividade das empresas.

“É uma contradição propor um superministério da Economia”, disse, em entrevista, nesta quarta-feira, ao jornalista Luiz Viana, âncora do programa O POVO no Rádio, na Rádio O POVO/CBN.

Quanto à proposta de priorizar a reforma da Previdência, Mauro Filho cobrou uma maior clareza sobre qual caminho o governo deve seguir nessa área. Para o deputado, o “super-ministeriável, economista Paulo Guedes, o vice General Mourão e o próprio Bolsonaro ainda estão “batendo cabeça” e não se entendem sobre o que realmente pretende fazer.

Mauro Filho era coordenador de economia do então candidato a presidente Ciro Gomes e defendeu uma reforma da Previdência que mudaria gradativamente o regime atual de repartição. Nessa mudança, os trabalhadores da ativa bancariam as aposentadorias para o regime de capitalização em que as aposentadorias são garantidas pela contribuição dos próprios trabalhadores que se aposentam, com aporte do governo e das empresas.

(Foto – Fco Fontenele)

Petrobras anuncia redução do preço da gasolina nas refinarias

A Petrobras anunciou hoje (31) uma nova redução no preço da gasolina nas refinarias. Desta vez, a queda anunciada é de 0,84%. Com isso, o litro do combustível passará a ser comercializado a R$ 1,8466 a partir de amanhã (1º).

Esta é a décima redução consecutiva do preço do combustível, desde que ele atingiu R$ 2,2514 em setembro. A queda acumulada desde 25 de setembro (quando o preço começou a recuar) chega a 17,98%, ou seja, 40 centavos por litro.

(Agência Brasil)

Shopping Benfica comemora 19 anos de mercado

Com direito a um bolo de 19 metros de comprimento, o Shopping Benfica comemorou, nessa noite de terça-feira, seus 19 anos de mercado. A festa foi puxada pelo controlador do empreendimento, João Soares Neto, e pela superintendente Marcirlene Pinheiro, em clima dos mais descontraídos.

Além de bolo distribuído à vontade para a clientela, houve apresentação de shows, dança e até de um convidado bem especial: o sanfoneiro Adelson Viana.

Entre as presenças, a desembargadora Iracema do Vale, ouvidora-geral do STJ, o vereador Evaldo Lima, o pastor Munguba Júnior e empresários como José Airton Boris, além de representantes de entidades que contam com o apoio social do shopping.

Confira o bolo gigante

(Foto – Paulo MOska)

Supermercados esperam incremento de 10% na venda de produtos natalinos

Um levantamento feito pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras) junto a 102 empresas do setor indicam melhora na estimativa de vendas de produtos natalinos em 2018, na comparação com o ano anterior. Os dados do Departamento de Economia da Abras indicam que as vendas desses produtos do devem crescer 10,27% neste ano, ante uma projeção de 8,34%, em 2017. As consultas foram feitas entre 4 de setembro e 5 de outubro.

Na avaliação do presidente da Abras, João Sanzovo Neto, os empresários estão mais otimistas quanto à possibilidade de aumento do consumo nessa época, com base na leve recuperação do emprego e do poder aquisitivo diante de uma inflação mais controlada.

A maioria dos supermercadistas (66%), no entanto, manteve o mesmo nível de encomendas do ano passado. Apenas 18% apostaram em vendas superiores às de 2017. Pela projeção, entre os itens que deverão ser mais procurados estão o vinho importado e o panetone, seguidos de refrigerante, carne bovina, cerveja e frango congelado. Para promover o escoamento dos produtos, várias lojas trabalham com estratégias como degustação, promoção e brindes.

Ainda de acordo com as expectativas, as frutas nacionais deverão ter uma saída 11,38% maior do que no Natal do ano anterior e também acima do estimado em relação às frutas secas (9,7%). No segmento de carnes, espera-se alta de 11,91%. Já para pescados, as vendas de peixes frescos devem aumentar 11,25%; de pescado congelado, 9,1%; e do bacalhau 8,85%.

O setor também acredita que, em 2018, a procura por produtos importados deve ter um incremento de 6,92%, ante uma estimativa de 5,83%, no ano passado. Como o dólar em alta, principalmente, no período pré-eleitoral, as projeções indicam preços mais elevados para itens importados. Na média, o consumidor deverá pagar 10% mais por esses produtos.

Fora da lista de alimentos, as previsões mostram alta de 10% nos eletrônicos e de 8,27% nos brinquedos.

De acordo com a sondagem da Abras, houve aumento na proporção de empresários com intenção de contratar empregados temporários nas funções de operador de caixa, repositor, empacotador e entregador. Do total entrevistado, 33% disseram que vão ampliar esses postos de trabalho ante 23%, em 2017. A estimativa é de que sejam abertas entre 11 mil e 14 mil vagas.

(Agência Brasil)

Copom divulga nesta quarta-feira a taxa básica de juros

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) deverá anunciar, às 18 horas desta quarta-feira, a taxa básica de juros da economia, a Selic. Nesta terça-feira, o órgão iniciou, em Brasília, reunião para tratar do assunto.

Para instituições financeiras consultadas pelo BC, a Selic deve permanecer em 6,5% ao ano. Em maio, após um ciclo de 12 quedas consecutivas, o Copom decidiu manter a Selic no atual patamar, o menor nível desde o início da série histórica do Banco Central, em 1986.

A taxa básica de juros é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve de referência para as demais taxas da economia. Também é o principal instrumento do BC para manter a inflação sob controle.

Ao reduzir os juros básicos, a tendência é diminuir os custos do crédito e incentivar a produção e o consumo, reduzindo o controle da inflação. Entretanto, segundo o BC, as taxas de juros do crédito não caem na mesma proporção da Selic, pois a Selic é apenas uma parte do custo do crédito.

(Com Agência Brasil)

Dia de Finados – Enel Distribuição monta plano de ação

A Enel Distribuição Ceará já está com esquema especial de atendimento montado para o feriado do Dia de Finados, 2 de novembro (sexta-feira). Na ação, envolve a área técnica e o atendimento ao cliente.

Segundo a assessoria de comunicação da empresa, haverá equipes de plantão em pontos estratégicos em Fortaleza para agilizar o atendimento emergencial em caso de necessidade. Operadores de sistemas e subestações, eletricistas, técnicos e engenheiros estarão trabalhando durante o período para garantir o fornecimento de energia no município.

O esquema especial envolverá também a área de atendimento ao cliente, que funcionará normalmente, 24 horas por dia. As lojas de atendimento estarão fechadas na sexta-feira (2), e abrirão normalmente na segunda-feira (5).

SERVIÇO

*Central de Atendimento – 0800 285 0196.

*Para comunicar ocorrências, solicitar serviços ou informações, os clientes da Enel Distribuição Ceará podem entrar em contato pelo aplicativo Enel Ceará, que pode ser baixado gratuitamente para iOS (http://goo.gl/quLoH9) e Android (http://goo.gl/pjQpNS); pelo site da companhia (www.eneldistribuicao.com.br); pelas redes sociais – Facebook (facebook.com/enelclientesbrasil) e Twitter (@enelclientesbr).

Comissão do Senado aprova projeto de Tasso que trata sobre regras de concessões nas PPPs

A Comissão de Assuntos Econômicos aprovou nesta manhã (30) projeto de autoria do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), que aperfeiçoa as regras das parcerias público-privadas (PPP’s) nas concessões de serviços públicos. A informação da Agência Senado.

A proposta permite que o parceiro privado tenha contraprestação mínima garantida, caso a demanda prevista do empreendimento não se realize. Por outro lado, caso a receita gerada pela prestação do serviço público seja superior ao estimado inicialmente, a União, os Estados e os Municípios poderão receber pagamentos extraordinários ou decidir pela redução de tarifas para os usuários.

Para Tasso, a proposta torna a relação entre os setores privado e público muito mais segura e atraente, e contribui para a prestação de mais e melhores serviços públicos, além de incentivar o investimento e a geração de empregos e renda para o trabalhador.

Confederação Nacional da Indústria tem um cearense com vice-presidente

O presidente da Federação das Indústrias do Ceará, Beto Studart, tomou posse nesta terça-feira, em Brasília, numa vice-presidência da Confederação Nacional da Indústria (CNI), na chapa encabeçada pelo empresário Robson Braga de Andrade.

Junto aos demais integrantes da chapa eleita, Robson foi empossado durante reunião de diretoria realizada na sede da CNI. Ele foi reeleito por unanimidade pelo Conselho de Representantes da entidade, composto por delegados de federações das indústrias dos Estados e do Distrito Federal. Vai cumprir mandato no período de 2018 a 2022.

(Foto – CNI)