Blog do Eliomar

Categorias para Economia

Temer diz que confiança permite retomada do crescimento da economia

Ao participar hoje (11), em Brasília, de evento de apresentação da agenda institucional do setor de cooperativismo, o presidente Michel Temer citou a “confiança” como uma palavra-chave que permite a retomada do crescimento econômico no país.  A afirmação foi feita durante discurso no lançamento da 12ª edição da Agenda Institucional do Cooperativismo, da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB)

“Tem uma palavra-chave que é a palavra ‘confiança’ que alicerça o cooperativismo e é exatamente a palavra confiança que alicerça os avanços que temos tido no Brasil”, disse. Em seguida, o presidente acrescentou que: “Se não houver confiança, não há essa credibilidade geradora desses índices, se não há confiança não cairia inflação ao nível que caiu, não cairiam os juros ao nível que caiu”.

Segurança jurídica

O presidente da República disse que o Brasil precisa de segurança jurídica e do estrito cumprimento da Constituição. “O que o Brasil mais precisa é de segurança jurídica e ela vem precisamente como fruto do cumprimento da ordem normativa e, no particular, do cumprimento da Constituição Federal”, afirmou.

Segundo Temer, no momento em que a Constituição de 1988 completa 30 anos é preciso unir os vários setores do país e ser otimista. “Vamos tocar à frente. Se nós tivéssemos uma desgraça absoluta no país, muito bem, paciência, mas não temos, senhores. Estamos [reduzindo] caindo a inflação, os juros, recuperando emprego, a economia. Então, temos que ser otimistas. Temos dificuldades? Temos. Outros países têm. Mas o Brasil voltou e, com o apoio dos cooperados e das cooperativas, voltou para ficar”.

No discurso, o presidente disse que a cada 20, 25, 30 anos o Brasil tem uma crise institucional. “Não conseguimos superá-la, então qual é a ideia, vamos criar um novo Estado. Quando digo vamos criar um novo Estado é um novo Estado mesmo, surge uma nova Constituição”, enfatizou.

Cooperação

Temer aproveitou o tema cooperativismo para falar novamente da relação de cooperação que seu governo estabeleceu entre o Executivo e o Legislativo.

“Queremos muito cooperar e a primeira cooperação se dá entre Legislativo e Executivo”, disse. “Abandonamos a velha visão de que o Legislativo é um apêndice do Executivo, ao contrário, fiz dele um parceiro para governar”.

A Agenda Institucional do Cooperativismo – elaborada pela OCB – traz propostas para ampliar a competitividade das cooperativas e apresenta o setor como uma alternativa econômica ao país.

Na relação de projetos, estão a simplificação tributária (para as cooperativas), a inclusão em programas de micro e pequenas empresas e o acesso aos recursos do Fundo de Amparo do Trabalhador (FAT) pelas cooperativas.

(Agência Brasil)

Bancos darão “refresco” para clientela do cheque especial

Os bancos vão oferecer aos clientes do cheque especial opção de parcelamento da dívida, com juros mais baixos, a partir de julho. A decisão foi anunciada ontem (10) pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Cada banco vai definir a taxa de juros dessa nova modalidade.

O cheque especial é uma das modalidades de crédito com taxas de juros mais altas. Em fevereiro, chegou a 324,12% ao ano, enquanto a taxa média do crédito livre para as famílias ficou em 57,72% ao ano.

Dono da Ypióca apresenta ao mercado nova diretora de Relações Corporativas

A Diageo, fabricante de destilados e dona de grandes marcas como Smirnoff e Johnnie Walker e Ypióca, anuncia a contratação de Daniela de Fiori como a nova Diretora de Relações Corporativas para a região PUB – Paraguai, Uruguai e Brasil.

Em seu último cargo, a executiva foi vice-presidente de Relações Corporativas e Sustentabilidade do Walmart, durante 12 anos. A informação é da assessoria de imprensa da Diageo.

Perfil

Daniela é graduada em economia e pós-graduada em Relações Públicas pela Universidade de São Paulo. Com 22 anos de experiência no mercado, ela comemora com grande expectativa sua chegada na Diageo. “Estou motivada com o novo desafio. É uma grande satisfação me unir a esse time e fazer parte de uma empresa como a Diageo, que leva a sério seus valores e busca contribuir de forma sólida com o crescimento do mercado brasileiro”, destaca a executiva.

(Foto – Divulgação)

Tauá ganhará abatedouro moderno

Carlos Windson e Audic Mota.

O primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, Audic Mota (PSB), conseguiu recursos da ordem de R$ 600 mil destinados à aquisição de máquinas e equipamentos para o novo abatedouro público do município de Tauá (Região dos Inhamuns). A reivindicação foi autorizada pelo governador Camilo Santana (PT).

A obra é uma prioridades da gestão do prefeito Carlos Windson, conforme o parlamentar, sendo que a verba é oriunda do Tesouro Estadual. Os recursos vão ser aplicados na complementação das instalações industriais da central de abate. Com a liberação, Tauá deverá assinar convênio junto a Agência de Defesa Agropecuária do Estado (Adagri) e iniciar o processo licitatório.

O objetivo é garantir segurança alimentar por meio do fornecimento de produtos salubres à população, adianta o prefeito Carlos Windson, observando que o novo equipamento foi dimensionado para atender a atual necessidade de abate semanal e o aumento projetado em função das melhorias nas instalações.

Campanha Leão da Cidadania quer sensibilizar doações do IR para crianças e adolescentes

A campanha “Leão da Cidadania – faça seu imposto de renda valer a pena” entrou em sua segunda etapa e vai se estender até o dia 27 deste mês de abril, no Shopping RioMar Fortaleza. O objetivo é ampliar a divulgação e tirar as principais dúvidas dos contribuintes. A realização é do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), Prefeitura de Fortaleza, por meio da Fundação da Criança e da Família Cidadã (Funci), e do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente de Fortaleza (Comdica).

A ação quer sensibilizar cidadãos a destinar parte do Imposto de Renda devido ao Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (FMDCA) e, assim, contribuir com entidades que atendem crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade.

Para colaborar, ao preencher a declaração completa do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF), o contribuinte deve optar por destinar até 3% do imposto devido ao Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (FMDCA). Desta forma, o Governo Federal repassará parte do valor do imposto diretamente para o fundo sem que o cidadão tenha que desembolsar qualquer valor a mais. Tanto quem tem imposto a restituir quanto os contribuintes que pagarão à Receita Federal podem fazer a destinação.

O Ministério Público acompanhará todo o destino da verba repassada: desde a arrecadação do valor, a fiscalização da inscrição das entidades que fazem parte do Comdica, o lançamento do edital pelo FMDCA, até a seleção da entidade, a liberação do recurso e a prestação de contas. Essa campanha conta com a parceria da Associação dos Jovens Empresários (AJE), Receita Federal, Conselho Regional de Contabilidade (CRC) e a ONG Terre desHommes.

SERVIÇO

*RioMar Fortaleza

Período da ação: 9 a 27 de abril

Horários: 10h às 20h, de segunda a sábado, e aos domingos das 14h às 20h

Local: Piso E2, próximo à Animale Petshop – RioMar Fortaleza (Des. Lauro Nogueira, 1500 – Papicu)

*Contas do FMDCA de Fortaleza para destinação:

Banco do Brasil

Agência: 0008-6

Conta-Corrente: 26.484-9

Banco do Nordeste

Agência: 016

Conta-Corrente: 94.594-3

CNPJ do FMDCA de Fortaleza: 18.917.900/0001-63

Auditores-fiscais da Receita Federal fazem operação padrão no Aeroporto de Fortaleza

Os auditores-fiscais da Receita Federal realizarão, a partir das 7h30min desta quarta-feira, uma operação padrão na inspeção de bagagem de viajantes, no Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza. A ação faz parte da prorrogação da Semana do Canal Vermelho, que continua acontecendo em todas as unidades aduaneiras. De 1º a 07 de abril, a categoria também realizou mobilização nas aduanas de todo o país.

Além da operação padrão, um grupo de auditores-fiscais se concentrará no saguão do aeroporto para esclarecer a população sobre os motivos da mobilização. O objetivo dos atos é pressionar o Governo Federal pela revogação das as recentes medidas administrativas que, segundo a categoria, fragilizam a atuação da Aduana.

Atos públicos também são aguardados nas ações em portos e aeroportos no restante do País.

(Foto -Jarbas Oliveira)

Fortaleza 2040 terá comitê de energias renováveis

O Comitê de Energia do Plano Fortaleza 2040 será lançado nesta quarta-feira, às 9 horas, durante evento no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), no Centro.

O objetivo desse organismo é promover a inclusão de energias renováveis e eficiência energética no novo Plano Diretor de Fortaleza.

O Fortaleza 2040 propõe que a Cidade seja a capital-modelo do Brasil em eficiência energética até o ano de 2040. O planejamento prevê que a Capital será autossuficiente em energia até 2040.

Custo da construção civil cresce 0,14% em março

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), acusou inflação de 0,14% em março, taxa inferior ao 0,30% de fevereiro. É o menor percentual do Sinapi para o mês de março desde o início do Plano Real, em 1994.

O Sinapi acumula taxa de inflação de 3,49% em 12 meses, segundo dados divulgados hoje (10), no Rio de Janeiro, pelo IBGE.

O custo nacional da construção, por metro quadrado, ficou em R$ 1.074,41, em março. O custo dos materiais de construção subiu 0,49% e fechou o mês em R$ 553,35 por metro quadrado. Já o custo da mão de obra por metro quadrado caiu 0,22% e passou a ser de R$ 521,06.

(Agência Brasil)

Passagem aérea puxou para baixo a inflação de março

Com queda de preços de 15,42%, as passagens aéreas foram o item que teve maior impacto no recuo da taxa de inflação de 0,32%, em fevereiro, para 0,09%, em março deste ano. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a queda de preços para março era esperada, já que os meses anteriores (janeiro e fevereiro) são de férias escolares e março é mês de volta às aulas, quando a demanda por passagens se reduz. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país, foi divulgado hoje (10) pelo IBGE.

Com a queda das passagens e o recuo de 0,19% do preço da gasolina, o grupo transportes teve deflação (queda de preços) de 0,25%. Outro grupo de despesa com deflação foi comunicação, com recuo de 0,33%.

Por outro lado, o grupo de despesas saúde e cuidados pessoais, teve alta de 0,48%, com o maior impacto na inflação de março. O principal responsável pela alta dos gastos com saúde foi o item plano de saúde (1,06%). O item individual que mais contribuiu para a inflação em março, no entanto, foi o das frutas, que tiveram alta de preços de 5,32%. Os preços dos alimentos como um todo subiram 0,07% no último mês.

Os gastos com habitação também tiveram impacto importante na inflação do mês, com taxa de 0,19%, influenciados principalmente pelo aumento do custo com energia elétrica, de 0,67%. A variação de preços pode ser explicada pelos reajustes de 9,09% e de 21,46% nas duas concessionárias de energia do Rio de Janeiro.

(Agência Brasil/Foto – Fco Fontenele)

Acrísio quer MPCE fazendo valer a Lei do Estacionamento Fracionado

Por iniciativa do vereador Acrísio Sena (PT), representantes de órgãos fiscalizadores – Decon, Procon e Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) debateram com os responsáveis pelos estacionamentos do Centro de Eventos e Aeroporto Internacional Pinto Martins um velho assunto: o preço cobrado nesses locais, bem como o não cumprimento da Lei do Estacionamento Fracionado (10.184/2014).

Do encontro, nada em definitivo, mas uma certeza. O vereador Acrísio Sena informou que vai acionar o Ministério Público do Estado para que os empresários expliquem a composição dos preços.

“Além disso, não existe mais qualquer liminar que impeça a aplicação da Lei. Ou seja, após a primeira hora, só se pode cobrar o valor correspondente à fração de 15 em 15 minutos e não a hora cheia”, alerta o petista.

A Lei de Responsabilidade Fiscal falhou?

151 1

Com o título “A Lei da Responsabilidade Fiscal (LRF) falhou?”, eis artigo de Alexandre Cialdini, professor, diretor-executivo da Fundação Sintaf e ex-secretário de Finanças de Fortaleza (Gestão Luizianne Lins). Ele destaca a LRF e credita fragilidades a gestores. Confira:

A LRF não falhou. Falhou parte significativa dos governos e instituições, que fragilizaram os controles com a “contabilidade criativa” e desprezaram a ação planejada e transparente. Falhou também a sociedade, que precisa se apoderar dos instrumentos de controle social, inclusive àqueles que foram estabelecidos na própria LRF, a partir da Lei Complementar 131/2010, os quais geraram uma oportunidade ímpar da execução da despesa e realização da receita serem publicadas um dia após o fato contábil. A LRF chega a maioridade com 18 e integra a segunda geração de regras fiscais, que definiu um regramento avançado e inovador para as finanças públicas, e caso não fossem esses avanços estaríamos em situação fiscal bastante piorada.

A maioria das regras fiscais foi construída sobre um modelo de “pacto fiscal”.

A adoção de regras fiscais é componente essencial para reduzir os atuais desequilíbrios orçamentários, reforçando simultaneamente a credibilidade do caminho de consolidação econômica e das políticas sociais. Todavia, jamais podem ser vistas como a panaceia se outros elementos, incluindo disposição institucional e a vontade política, não estão no lugar. Portanto, é absolutamente natural o aprimoramento dessas regras, fato que já aconteceu nos países desenvolvidos, como Nova Zelândia e Reino Unido.

As regras fiscais da “próxima geração” tendem a ser mais complexas, criando novos desafios e a necessidade de aprimorar princípios vigentes. Para aperfeiçoar nossa LRF precisamos: estimular e premiar as boas práticas, ao invés de apenas punir; introduzir mecanismos interfederativos, para que União, Estados e municípios possam interagir boas práticas; radicalizar mecanismos de clareza, de controle social e legitimar os instrumentos de educação fiscal; incorporar o novo regramento da contabilidade governamental. Para conhecer a LRF, estudos e pesquisa, sugiro a leitura e cadastro no portal http://www.joserobertoafonso.com.br.

*Alexandre Cialdini

cialdinialexandre@gmail.com

Economista, professor e diretor-executivo da Fundação Sintaf.

Texto que propoe autonomia do BC deve substituir 22 projetos que tramitam no Congresso

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anuncia que o governo está elaborando uma proposta que deve ser submetida aos líderes da casa. O texto quer substituir os 22 textos que tramitam sobre a autonomia do Banco Central. “A gente está mudando o texto e, ajustado com o BC, a gente vai apresentar um texto para ser discutido com os líderes para ver se a gente tem condição de aprovar”, adianta Maia.

O BC é responsável por todo o sistema financeiro de um país, responsável por emitir a moeda local e ficar a taxa básica de juros, por exemplo.

No Brasil, o presidente do Banco Central tem status de ministro. Quem escolhe e quem tem poder de demissão sob o presidente do BC é o presidente da República. Os críticos desse modelo alegam que neste formato a liderança da entidade fica exposta a interferências políticas nas decisões monetárias.

Inflação oficial fica em 0,09% em março

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país, foi de 0,09% em março. A taxa é menor que as observadas em fevereiro (0,32%) e em março de 2017 (0,25%). Esse é o menor percentual para meses de março desde a implantação do Plano Real, em 1994.

O IPCA acumula inflação de 0,70% no ano e de 2,68% em 12 meses. Os dados foram divulgados hoje (10), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os principais responsáveis pelo recuo da taxa de fevereiro para março foram os transportes, com deflação (queda de preços) de 0,25%, e a comunicação (deflação de 0,33%).

Os gastos com saúde e cuidados pessoais evitaram uma queda maior do IPCA, já que esse o grupo de despesas registrou inflação de 0,48% no mês.

Outros grupos com inflação foram habitação (0,19%), vestuário (0,33%), alimentação e bebidas (0,07%), educação (0,28%), despesas pessoais (0,05%) e artigos de residência (0,08%).

(Agência Brasil)

Amarílio Macedo diz que Brasil está polarizado pelo ódio

O Brasil está polarizado pelo ódio. Isso não leva a lugar nenhum”, diz o empresário Amarílio Macedo (Grupo J. Macedo).

Ele não assinou, aliás, notas da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec) ou da Confederação Nacional da Indústria (CNI) apoiando a prisão, em segunda instância, que pegou o ex-presidente Lula.

(Foto – Divulgação)

Crea-CE comemora 100 dias de nova gestão

A nova gestão do Conselheiro Regional de Engenharia e Agronomia (Crea), sob a presidência do engenheiro civil Emanuel Mota comemora 100 dias.

Como forma de prestar contas, a diretoria apresentou, nessa segunda-feira, as principais atividades desenvolvidas no período, com direito a uma palestra sobre Compliance , modelo atual de controle de gestão baseado no cumprimento irrestrito de normas legais e de transparência e que está em processo de implantação no Crea.

Também houve a entrega de carteiras no novo modelo para alguns profissionais.

(Foto – Divulgação)

Fraport enfrenta greve… no aeroporto de Frankfurt

Centenas de voos não decolaram e nem aterrissaram nesta terça-feira (10) no aeroporto de Frankfurt, o maior da Alemanha, devido à greve convocada pelo sindicato de serviços alemão Verdi para pressionar a negociação de novo acordo coletivo. As interrupções afetaram outros aeroportos e os serviços de trens, especialmente no estado da Renânia do Norte-Westfalia.

Em várias cidades como Dortmund, Colônia, Duisburg e Essen, os serviços ferroviários e de metrô foram reduzidos, além das linhas de ônibus urbanos.

Fraport, a empresa que administra o aeroporto de Frankfurt, estima que a greve impedirá o funcionamento de cerca de 660 voos com saída ou chegada à cidade, o que afeta aproximadamente 76,4 mil passageiros.

Uma porta-voz do sindicato Verdi afirmou que, nesta manhã, cerca de mil empregados do aeroporto participaram da greve.O sindicato estima que o número de participantes deverá duplicar ao longo do dia.

A companhia aérea alemã Lufthansa cancelou 800 voos em Frankfurt e nos aeroportos de Munique, Colônia e Bremen, que também participam da greve. Segundo Verdi, apoiam a greve funcionários dos serviços de preparação de aviões e de extinção de incêndios, assim como do serviço de controle do tráfego aéreo.

O sindicato reivindica aumento salarial de 6% para cerca de 2,3 milhões de empregados do setor público na Alemanha. A negociação do acordo coletivo começou no fim de fevereiro e os patrões ainda não apresentaram uma proposta. A próxima rodada de negociações está marcada para os próximos dias 15 e 16 de abril.

(Agência Brasil)

Frigoríficos entram com mandado de segurança contra aumento das taxas de alvarás

Mais um ramo do setor produtivo reage contra o aumento das taxas de alvarás definido pela administração do prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT). Agora é o segmento dos frigoríficos que já entrou com mandado de segurança contra o reajuste. Segundo o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Carnes do Estado (SindCarnes), Francisco Everton, além de passar a ser anual e não mais na instalação de empresa ou mudança predial, as taxas registraram “uma elevação absurda”.

Ele exemplifica: “Um frigorífico que pagou ano passado R$ 520,00 de alvará, deve pagar agora cerca de R$ 3.500,00, o que vira um baque para quem atua no ramo”. Everton, ao lado de outros setores, apela ao prefeito por diálogo. Sobre vendas na área dos frigoríficos, ele diz que o primeiro trimestre registrou queda de 10% nas vendas”.

Creditou ao período da Semana Santa e a outros feriados do período. Não, não falou que os preços da carne estão bem salgados. Preferiu dizer que há estabilidade nas tabelas.

(Foto – Divulgação)

Medo do desemprego diminui no primeiro trimestre, revela pesquisa da CNI

O medo do desemprego diminuiu e o nível de satisfação aumentou no primeiro trimestre, revela pesquisa divulgada hoje (9) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Segundo a CNI, os indicadores mostram que a população começa a perceber a recuperação da economia.

O Índice do Medo do Desemprego terminou março em 63,8 pontos, com queda de 2 pontos em relação ao nível registrado na pesquisa anterior, em dezembro. O Índice de Satisfação com a Vida encerrou março em 67,5 pontos, com alta de 1,9 pontos na comparação com o levantamento anterior, também divulgado em dezembro.

De acordo com a CNI, mesmo com o recuo, o indicador de expectativa em relação ao desemprego ainda está em níveis altos, bem acima da média histórica de 49,2 pontos. Para a entidade, a preocupação dos brasileiros ainda não reflete a recuperação da produção e do consumo porque o emprego normalmente é o último indicador a reagir em momentos de saída de crises econômicas.

Em relação ao Índice de Satisfação com a Vida, o valor obtido em março ainda está abaixo da média história de 67,5 pontos. Segundo a CNI, as pessoas começam a sentir os efeitos da melhora da economia e da queda da inflação, mas continuam menos satisfeitas que antes da crise econômica.

Segundo a CNI, os dois índices permitem antecipar as tendências do consumo das famílias. À medida que os dois indicadores melhoram (queda do medo do desemprego e aumento da satisfação pessoal), a população consome mais, impulsionando a recuperação da economia. O levantamento ouviu 2 mil pessoas em 126 municípios entre 22 e 25 de março.

(Agência Brasil)

Mercado financeiro reduz projeção da inflação de 3,54% para 3,53%

O mercado financeiro reduziu pela décima semana seguida a estimativa para a inflação este ano. Hoje, (9), a projeção do mercado para Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi levemente reduzida de 3,54% para 3,53%, de acordo com o boletim Focus, publicação semanal do Banco Central (BC) sobre os principais indicadores econômicos.

A projeção segue abaixo do centro da meta de 4,5%, mas acima do limite inferior de 3%. Para 2019, a estimativa para a inflação foi ajustada de 4,08% para 4,09%, abaixo do centro da meta (4,25%).

Para alcançar a meta, o BC usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 6,5% ao ano. Quando o Copom aumenta a Selic, a meta é conter a demanda aquecida, e isso gera reflexos nos preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Quando o Copom diminui os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle sobre a inflação.

De acordo com a previsão das instituições financeiras, a Selic encerrará 2018 em 6,25% ao ano e subirá ao longo de 2019, encerrando o período em 8% ao ano.

A estimativa para o crescimento este ano do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, caiu pela segunda vez seguida, ao passar de 2,84% para 2,80%. Para 2019, a projeção é mantida em 3%.

(Agência Brasil)

FPM – Primeiro repasse de abril entra na conta das Prefeituras nesta terça-feira

Nesta terça-feira, dia 10 de abril, vai entrar nos cofres municipais os recursos do primeiro Fundo de Participação dos Municípios (FPM) deste mês. A Confederação Nacional de Municípios (CNM) prevê a partilha de R$ 2,9 bilhões entre as prefeituras, considerando o porcentual descontado que vai para o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (Fundeb). Sem essa retenção constitucional, em valores brutos, a CNM calcula repasse de pouco mais de R$ 3,6 bilhões.

Com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), a Confederação indica crescimento de 8,81%, em relação ao repasse feito no mesmo período do ano passado, em termos nominais, sem considerar os efeitos da inflação. Em 2017, o primeiro decêndio de abril somou pouco mais de R$ 3,3 bilhões. Ao contabilizar a inflação, na primeira transferência de abril, dos dois anos, a crescimento foi de 6,21%.

De janeiro até agora, o Fundo registou crescimento de 10,11%, em termos nominais, comparado ao mesmo período do ano anterior. Nos quatro primeiros meses de 2018, o FMP foi maior que 2017, e o crescimento menos expressivo foi o de janeiro, 6,05%. Ao considerar o comportamento da inflação na soma total, a Confederação aponta aumento de 7,17%.

SERVIÇO

*Confira os dados aqui.