Blog do Eliomar

Categorias para Economia

Pesquisador cearense vai mapear atuação de empresas e negócios na África

O professor e pesquisador cearense Bosco Monte viajou, nesta quinta-feira para o eixo Portugal-Tunísia. Neste dois países, discutirá os detalhes do estudo que iniciará, no próximo ano, intitulado “Mapeamento das Empresas Brasileiras na África e as Oportunidades para Novos Negócios”. O estudo será financiada pelo Banco Mundial em duas frentes: Uma é a identificação das empresas brasileiras já instaladas nos diversos Estados africanos; a segunda, com enfoque nas oportunidades apresentadas por cada um desses países.

“Essa pesquisa busca desenvolver uma compreensão dos motivos, fundamentos e estruturas institucionais que orientem a política empresarial brasileira na África, analisando o vasto poder das marcas nacionais no continente”, explica Bosco Monte. O acompanhamento das análises será feito ele por ele, através de reuniões virtuais de rotina e com visitas técnicas realizadas ao continente africano.

“È importante ressaltar que a pesquisa contará com a participação de acadêmicos localizados nos diversos países africanos, fomentando assim uma ampla rede de informantes”, acentua o pesquisador. O trabalho contará com o apoio do Ministério das Relações Exteriores. Em Lisboa, Bosco terá encontro na sede da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e em Tunis, capital da Tunisia, reuniões com o Banco Africano de Desenvolvimento.

Depois das eleições, mais um poste pode ruir

199 1

A avenida Beira Mar é um dos principais pontos turísticos de Fortaleza e, também, dos coopistas. Mas, pelo visto, cenário para descasos por parte de órgãos públicos e até empresas privadas.

Olha só a situação desse poste no local:

E esse poste não é tão pequeno…

(Fotos – Tadashi Enomoto)

Royalties, só no fim do mês

180 1

“Cresce a expectativa de que o projeto dos royalties não seja vetado integralmente. Mas a presidente Dilma Rousseff mantém a dúvida no ar. Ela tem até o próximo dia 30 para definir um posicionamento e, segundo a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, vai utilizar todo o prazo disponível. Foi exatamente essa a resposta que os prefeitos que estiveram ontem no Palácio do Planalto ouviram da ministra. Muitos deles carregavam no peito a frase “sanciona Dilma”. O projeto aprovado pela Câmara dos Deputados e encaminhado à sanção presidencial é o que mais atende aos interesses imediatos dos municípios não-produtores.

Publicamente, pouco se fala a esse respeito. Ontem, após o evento de lançamento do programa Mais Irrigação, a presidente Dilma Rousseff evitou, mais uma vez, dar entrevistas sobre o assunto. À noite, na chegada a um jantar no Palácio da Alvorada, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, disse que ainda não há definições sobre a possibilidade de vetos. Ressaltou, apenas, que vai continuar lutando pela destinação de 100% dos royalties para a educação, desta vez, no bojo do projeto que trata do Plano Nacional de Educação (PNE), em tramitação no Senado.”

(Correio Braziliense)

Dilma participará de reunião da Cúpula Ibero-Americana na Espanha

“A presidenta Dilma Rousseff viaja hoje (15) à Espanha, para participar da 22ª Cúpula Ibero-Americana de Chefes de Estado e Governo, em Cádiz, no Sul do país. Depois ela segue para Madri, onde deve permanecer até o dia 19. Dilma incluiu na agenda uma série de reuniões políticas com o rei Juan Carlos e o primeiro-ministro, Mariano Rajoy. Em discussão, a situação dos brasileiros na Espanha, ciência, tecnologia e inovação e a crise econômica internacional.

Nas conversas com as autoridades espanholas, Dilma pretende tratar da situação dos brasileiros que tentam entrar na Espanha e até pouco tempo sofriam restrições. Houve uma série de reuniões entre diplomatas e técnicos dos dois países na tentativa de estabelecer melhor tratamento aos brasileiros, que reclamavam de preconceito e agressão.

Durante a visita, Dilma também pretende reunir-se com estudantes que integram o Programa Ciência sem Fronteira, para falar sobre os desafios gerados pela crise econômica internacional. A cúpula reúne representantes de 22 países – de Andorra, da Argentina, da Bolívia, do Brasil, da Colômbia, da Costa Rica, de Cuba, do Chile, da República Dominicana, do Equador, de El Salvador, da Espanha, da Guatemala, de Honduras, do México, da Nicarágua, do Panamá, do Paraguai, do Peru, de Portugal, do Uruguai e da Venezuela. Também faz parte dos compromissos da presidenta ampliar os acordos comerciais com a Espanha.”

(Agência Brasil)

Governo anuncia parcelamento de dívidas de Estados e Municípios com INSS

226 1

O governo federal autorizou o parcelamento das dívidas dos estados, do Distrito Federal e dos municípios com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A Medida Provisória 589, publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira, permite que as prefeituras renegociem débitos com abatimento de 60% das multas, 25% dos juros e 100% dos encargos. A MP garante a renegociação de todas as parcelas vencidas até 31 de outubro deste ano, inclusive décimo terceiro salário. O pagamento será abatido dos repasses feitos pelo governo federal relativos ao Fundo de Participação dos Estados (FPE) e do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Os pedidos de repactuação deverão ser efetuados até o dia 29 de março do ano que vem. Os estados e municípios que desejarem aderir ao parcelamento devem autorizar o abatimento no FPE e no FPM. A MP define ainda que, no caso dos recursos do FPE e FPM não serem suficientes para a retenção do somatório dos valores devidos, a diferença deverá ser recolhida por meio da Guia da Previdência Social (GPS).

Liberação de recursos

Além do parcelamento das dívidas previdenciárias, a ministra-chefe da Secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, anunciou outras medidas a serem adotadas pelo governo para reduzir os efeitos da crise financeira enfrentada pelos municípios. Ela informou que, ainda esta semana, serão pagos R$ 1,95 bilhão relativos ao Fundo de Exportação. Também está prevista a liberação de R$ 1,5 bilhão de restos a pagar de obras municipais, até o final do ano.

A ministra também assumiu compromisso de que o repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), em 2013, não será inferior ao valor realizado neste ano. Até outubro, o FPM acumulado foi de R$ 38,53 bilhões, valor superior ao registrado no mesmo período de 2011, quando somava R$ 36,96 bilhões.

Parcelamento 2005

O governo também editou nesta quarta-feira o Decreto 7.844 que garante novos benefícios às cidades que optaram pelo parcelamento de dívidas previdenciárias em 2005 e que, em 2012, foram atingidas pela seca ou outros eventos climáticos. Esses municípios poderão suspender temporariamente o pagamento das parcelas ainda a vencer, enquanto durar a situação de calamidade ou emergência.

O decreto estabelece que os recursos obtidos com a suspensão do pagamento da dívida previdenciária deverão ser aplicados, obrigatoriamente, em atividades e ações que beneficiem diretamente a população atingida pelos problemas climáticos. Para ser beneficiado com a medida, o município deverá encaminhar requerimento à Receita Federal do Brasil, além de apresentar documentos que comprovem a situação de emergência ou estado de calamidade e um plano de trabalho para o enfrentamento do problema.

(Com Agências)

Diretor acusado de suposta fraude na Cagece manda nota. Ele pede exoneração

247 2

A Assessoria de Imprensa da Cagece mandou nota para este Blog e que diz respeito à situação do diretor comercial Antônio Alves Filho. Nessa nota, ele fala sobre o caso, de suposta fraude na estatal e pede exoneração. Confira:

A respeito de matéria publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo, envolvendo meu nome e abordando operações realizadas pela Cagece, esclareço:

Ocupo o cargo de Diretor Comercial da Cagece desde 23 de fevereiro de 2011.

A empresa Allsan, citada na matéria como investigada pela Polícia Civil de São Paulo, por supostas práticas danosas realizadas naquele estado, presta à Cagece um serviço de técnico especializado de leitura de medidores com faturamento imediato e repasse simultâneo da fatura.

A licitação de contratação da Allsan pela Cagece foi feita por meio de Concorrência Pública do tipo Menor Preço, conduzida pela Procuradoria Geral do Estado, através da Comissão Central de Concorrências (CCC). O contrato resultante desta licitação data de dezembro de 2008, com validade de dois anos, podendo ser prorrogado por até 60 meses, conforme a legislação, por se tratar de serviço essencial e continuado.

Em 2010, para efeito de estudos acerca da primeira prorrogação, foi realizada pela área técnica da Cagece uma pesquisa de mercado, que apurou um preço médio unitário de R$ 0,93 (noventa e três centavos). O índice de reajuste para efeito de prorrogação do contrato permitiria à Cagece contratar o mesmo serviço pelo preço unitário de R$ 0,77 (setenta e sete centavos) ou seja, 17,20% abaixo da média de mercado – caracterizando a vantajosidade e a economicidade da prorrogação.

Da mesma forma, em 2011, para efeito de estudos acerca da realização de uma nova licitação, foi realizada pela área técnica da Cagece uma nova pesquisa de mercado, que apurou um preço médio unitário de R$ 1,02 (um real e dois centavos) nos serviços de leitura imediata. Como o índice de reajuste para efeito de prorrogação do contrato apontou evidências de que a Cagece poderia continuar com o mesmo serviço pelo preço unitário de R$ 0,82 oitenta e dois centavos), ou seja, 19,61% abaixo da média de mercado – a Companhia optou pela vantajosidade e a economicidade da prorrogação.

Considerando o universo de mais de seis milhões de unidades de serviço prestados por ano – medições na capital e interior – e aplicando a economia de R$ 0,20 (vinte centavos) por unidade, a segunda prorrogação do contrato representou uma economia superior a R$ 1.200.000,00 (um milhão e duzentos mil reais) para a Cagece.

Portanto, fica demonstrado de forma objetiva que a prorrogação do contrato de prestação de serviço entre Cagece e Allsan se deu por critérios técnicos e gerenciais, obedecendo aos trâmites legais, devidamente analisados pela Procuradoria Jurídica com os mesmos procedimentos que sempre foram adotados.

Não obstante quaisquer problemas envolvendo a empresa Allsan em outros estados, o fato é que, no Ceará, o serviço contratado é prestado de maneira eficiente, contínua e sob acompanhamento de desempenho por parte da Cagece.

Os contatos realizados entre os representantes da prestadora e da Cagece, inclusive o Diretor Comercial, se deram no contexto da relação profissional necessária entre as partes.

Todavia, visando reafirma a lisura com que o processo foi conduzido, a Cagece solicitou auditorias interna e externa no referido processo, bem como decido solicitar minha exoneração do cargo que honrosamente ocupo, de modo que a verdade se imponha sem nenhuma dúvida quanto a sua verificação, forma única e inequívoca da pronta afirmação da minha honradez.

* Antonio Alves Filho

Diretor Comercial da Cagece.

CCJ aprova criação de cargos para reestruturar a Sudene

Sob a presidência do senador Eunício Oliveira (PMDB), a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) aprovou, nesta quarta-feira, a criação de cargos em comissão destinados à Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (SUDENE). A medida busca estruturar o órgão para a execução do Plano Mais Irrigação, lançado ontem pela presidente Dilma Rousseff. O projeto de lei da Câmara (PLC 92/12) também cria cargos destinados ao Ministério da Integração Nacional, às Superintendências do Desenvolvimento do Centro-Oeste e da Amazônia (SUDECO E SUDAM), e, também, ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). No total, serão, 150 cargos.

A justificativa para aprovação da matéria foi de que o aproveitamento de cargos e funções das extintas agências (Agência de Desenvolvimento do Nordeste – ADENE e à Agência de Desenvolvimento da Amazônia – ADA) não supriram as demandas dos atuais órgãos. O ministério da Integração Nacional argumenta que a criação dos cargos é necessária para o fortalecimento da estrutura da Secretaria de Infraestrutura Hídrica, em decorrência da ampliação de suas competências em face do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Igualmente quanto ao DNIT, o fortalecimento de sua atuação se faz necessário para assegurar o bom desempenho das obras do PAC no que tange às responsabilidades do órgão.

(Com Agência Senado)

Dilma defende papel da indústria no desenvolvimento econômico do País

“A presidenta Dilma Rousseff defendeu agora há pouco, em São Paulo, que a indústria tenha um papel relevante no desenvolvimento econômico do país por meio da geração de tecnologia. “Se quisermos ter um país cada vez mais avançado, precisamos que a nossa indústria aproveite a ciência para gerar tecnologia”, disse a dirigente, ao discursar hoje (14) em cerimônia da 7ª Olimpíada do Conhecimento.

Dilma também enfatizou a formação profissional de jovens e trabalhadores pelo Sistema S – formado de 11 organizações instituídas pelo setor produtivo, como Sesc, Sesi, Senai e Senac. Ela lembrou parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e o Serviço Nacional do Comércio (Senac) no âmbito do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

De acordo com a presidenta, quando o governo assinou o Pronatec, tinha a expectativa de criar 8 milhões de vagas no ensino técnico até 2014. Em pouco mais de um ano, segundo informou, já foram abertas 2,2 milhões de vagas. Dilma também garantiu que o governo está tomando medidas para ampliar o acesso gratuito de jovens e trabalhadores ao ensino profissionalizante.”

(Agência Brasil)

Sempe com cargo cobiçado, Sérgio Machado acaba de ganhar homenagem

O cearense Sérgio Machado, presidente da Transpetro, que sempre é alvo de especulações sobre possível saída do comando da estatal, acaba de receber placa de reconhecimento por sua “contribuição ao desenvolvimento da indústria naval e offshore brasileira.”

A homenagem partiu do Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore (Sinaval) e ocorreu nesta semana, durante o II Prêmio Naval de Qualidade e Sustentabilidade, realizado no Museu de Arte Moderna (MAM), no Rio de Janeiro.

Além de Sérgio Machado, foram agraciados o ministro da Fazenda, Guido Mantega, a presidente da Petrobras, Graça Foster, e a diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard.

Desde a criação do Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef), a Transpetro vem apostando na ampliação da frota brasileira com a encomenda de 49 navios a estaleiros nacionais e investimentos de R$ 10,8 bilhões.

 

Atividade econômica cai 0,52% em setembro, mas cresce 1,15% no trimestre

“Depois de cinco meses seguidos de crescimento, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) dessazonalizado (ajustado para o período) registrou queda de 0,52%, em setembro, na comparação com agosto. Essa foi a maior retração registrada pelo índice desde outubro de 2011 (queda de 0,58%).

Em relação a setembro de 2011, houve crescimento de 0,44%, de acordo com o índice sem ajustes para o período, considerado o mais adequado para esse tipo de comparação. No ano, o IBC-Br cresceu 1,2% e em 12 meses, 1,14% (sem ajustes). No terceiro trimestre, comparado ao segundo, houve crescimento de 1,15%, de acordo com o índice dessazonalizado. Já na comparação, sem ajustes, do terceiro trimestre deste ano ante igual período de 2011, a expansão chegou a 1,84%.

O IBC-Br é uma forma de avaliar e antecipar a evolução da atividade econômica brasileira. O índice incorpora informações sobre o nível da atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária.”

(Agência Brasil)

ONU aprova resolução condenando embargo a Cuba

“A Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou ontem (13), por 188 votos a favor, 3 contra ( Estados Unidos, Israel e Ilha de Palau – localizada no Oceano Pacífico) e 2 abstenções (Ilhas Marshall e Micronésia), resolução que recomenda o fim do embargo econômico, comercial e financeiro a Cuba. O embargo é imposto pelos Estados Unidos desde 1962. Há 21 anos, a ONU condena a medida.

A resolução expressa ainda a preocupação com os efeitos da manutenção do embargo, afetando a população cubana, que sofre restrições e uma série de prejuízos. Durante a sessão, representantes de vários países se manifestaram. Recentemente, no Peru, a presidenta Dilma Rousseff criticou o embargo e defendeu o fim da medida.

O ministro das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez Parrilla, disse que não há motivo legítimo ou moral para manter o embargo. “É apenas a arma de uma minoria cada vez mais escassa, isolada, e da arrogância violenta”, disse ele. “É uma violação ao direito internacional.” O chanceler cubano reiterou o compromisso do país de avançar em direção à normalização das relações com os Estados Unidos. Rodrigues Parrilla propôs uma agenda para o diálogo bilateral sobre uma base de reciprocidade e igualdade soberana. De acordo com estimativas de Cuba, o embargo imposto em fevereiro de 1962 tem causado prejuízos à economia da ilha caribenha que já ultrapassam US$ 1 trilhão, tanto econômicos quanto sociais.”

(Com Agência Brasil)

Comércio terá que informar na nota fiscal quanto de imposto consumidor está pagando

“Os impostos incidentes sobre produtos e serviços terão que ser discriminados nas notas fiscais ou afixados em cartazes em todos os estabelecimentos comerciais do país. É o que prevê projeto de lei aprovado nessa terça-feira pela Câmara dos Deputados, que seguirá para sanção presidencial. De autoria do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), a proposta prevê a divulgação dos valores aproximado dos impostos correspondentes à totalidade dos tributos federais, estaduais e municipais, cuja incidência contribui para a formação dos preços de venda.

Pelo projeto, a apuração do valor dos tributos deverá ser feita em relação a cada mercadoria ou serviço, separadamente, inclusive nas hipóteses de regimes jurídicos tributários diferenciados dos respectivos fabricantes, varejistas e prestadores de serviços. De acordo com o texto aprovado hoje pelos deputados, o estabelecimento que descumprir a norma estará sujeito à multa, apreensão do produto e até a interdição, total ou parcial, de estabelecimento, de obra ou de atividade.

Deverão ser discriminados nas notas fiscais tributos como o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS), Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro, ou Relativas a Títulos ou Valores Mobiliários (IOF) e Imposto sobre a Renda e Proventos de Qualquer Natureza (IR), entre outros. Depois de sancionada, as empresas terão prazo de seis meses para se adequarem às novas regras.”

(Agência Brasil)

Servidores estaduais não terão reajuste real

189 3

“Deve ficar entre 5% e 5,5% o reajuste salarial dos servidores estaduais em 2013, o que equivale à inflação deste ano, segundo o titular da Secretaria do Planejamento e Gestão (Seplag), Eduardo Diogo. Ele afirma que a correção deve ser linear, mas frisou que tudo depende de decisão do governador Cid Gomes. “O governador fará a revisão geral, mas só quando tiver o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo)”, explica o secretário. Eduardo Diogo comenta que, nos cinco anos do atual Governo, a folha de pagamento foi reajustada em 82%. Nesse mesmo período, a inflação ficou em 30,16%.

“Servidor não pode partir do pressuposto que a revisão é pouco, que já está garantida”. Em 2012, com aumentos concedidos m meio a greves, as despesas com pessoal tiveram aumento de quase 17% se comparadas com o ano anterior. A diferença representa cerca de R$ 1 bilhão, levando a folha de R$ 5,2 bilhões para R$ 6,2 bilhões. A folha de pagamento representa cerca de 35% do total orçado para o Estado em 2012, R$ 18 bilhões. “Temos 135 mil servidores, mas temos que governar também para os 8,5 milhões de cearenses”, conclui.

Terceirizados

Além do menor reajuste, o Governo se prepara para cortar gastos, de acordo com o secretário da Fazenda, Mauro Filho, o que pode afetar os terceirizados do Estado. Ele destaca que, na próxima semana, deve convocar o secretariado para propor corte de gastos: 5% ainda em dezembro e 10% em janeiro. A medida, diz o secretário, é para amenizar os efeitos da desaceleração econômica nacional e de medidas federais que podem levar o Estado a perder entre R$ 1 bilhão e R$ 2 bilhões em 2013, dinheiro de repasses da União. “Não quero saber se vão cortar terceirizados, combustíveis. Isso vai ficar a cargo das secretarias, mas tem que cortar”, diz.

O secretário voltou a afirmar que a queda nas receitas pode prejudicar investimentos feitos com recursos do tesouro, mas não afetam os que estão garantidos por outras fontes. Ele explica que o Estado tem R$ 5,5 bilhões em empréstimos contratados, além de R$ 7 bilhões em autorizados. “Estamos dentro do limite prudencial rigoroso do tesouro de R$ 12 bilhões. Por lei, podemos chegar até R$ 22 bilhões”, conclui.”

(O POVO)

Banco Mundial divulga em relatório que classe média cresceu na América Latina e Caribe

“Um novo relatório do Banco Mundial divulgado hoje mostra que a América Latina e o Caribe registraram um salto de 50% no número de pessoas que passaram a integrar a classe média durante a última década, o que foi considerado pelos economistas um acontecimento histórico para uma região caracterizada durante um longo período pela elevada desigualdade de renda. O relatório Mobilidade Econômica e a Ascensão da Classe Média Latino-Americana aponta que a classe média da região expandiu para cerca de 152 milhões de pessoas em 2009, comparado a 103 milhões em 2003, o que correspondeu a um aumento de 50%.

“A experiência recente da América Latina e do Caribe mostra ao mundo que as políticas que estabelecem o equilíbrio entre o crescimento econômico e a expansão das oportunidades para os mais vulneráveis, podem promover a prosperidade de milhões de pessoas”, disse Jim Yong Kim, Presidente do Banco Mundial. “Os governos da América Latina e do Caribe ainda precisam fazer mais, pois um terço da população ainda vive na pobreza, mas devemos comemorar essa conquista do crescimento da classe média e aprender com ela.”

Durante décadas, a redução da pobreza e o crescimento da classe média na América Latina e no Caribe (ALC) avançaram em ritmo muito lento porque o baixo crescimento e a persistente desigualdade detiveram o progresso. Nos últimos dez anos, no entanto, a renda dos mais pobres apresentou uma significativa melhora na região devido a mudanças nas políticas públicas que enfatizaram a criação de programas sociais e a estabilidade econômica.

O resultado final foi que a classe média cresceu 50% e passou a representar 30% por cento da população da região em 2009. Entre os países com melhor desempenho estão o Brasil, que compreendeu cerca de 40% do crescimento de classe média na região; a Colômbia, onde 54% das pessoas melhoraram sua situação econômica no período de 1992 a 2008; e o México, que viu 17% da sua população ingressar na classe média entre 2000 e 2010. Hoje, a classe média e os pobres na América Latina respondem por parcelas similares da população, segundo o relatório.

CAUSAS

O estudo concluiu que alguns dos principais fatores associados a uma maior mobilidade ascendente das famílias na América Latina foram o aumento do nível de escolaridade entre os trabalhadores, o crescimento do emprego no setor formal, mais pessoas vivendo em áreas urbanas e, um número mais elevado de mulheres na força de trabalho. O relatório definiu a classe média em termos da renda como um segmento de indivíduos em domicílios com renda per capita entre US$10 e US$50 por dia. Esse nível de renda proporciona um aumento da capacidade de resistência a eventos inesperados e reflete uma menor probabilidade de retorno à pobreza.

CLASSE VULNERÁVEL

No entanto, o relatório também descreve uma quarta camada social, a classe vulnerável, o que reforça a necessidade dos países de fazerem muito mais para ampliar a prosperidade compartilhada. Os membros desse grupo vulnerável, que representam 38% da população, apresentaram um melhor desempenho em termos de renda do que os pobres, mas carecem da segurança econômica da classe média. Situada entre as duas, a classe vulnerável ganha entre US$4 e US$10 per capita por dia. O relatório também constata que a mobilidade intergeracional permanece limitada. A situação econômica e social dos pais de uma pessoa jovem ainda desempenha um papel importante na determinação do seu futuro econômico.

Contudo, isto pode mudar, segundo Augusto de la Torre, Economista-Chefe do Banco Mundial para a América Latina e o Caribe. “Uma sociedade com uma classe média em crescimento terá maior probabilidade de reduzir essas desigualdades”, salientou. “É amplamente reconhecido que a classe média é um agente de estabilidade e prosperidade. Para uma região de renda média como a América Latina, uma classe média maior tem implicações cruciais.” No mundo inteiro, uma classe média mais ampla pode significar uma melhor governabilidade, mercados de crédito mais extensos e maiores gastos em setores sociais como saúde e educação pública. Mas essa promessa ainda não foi totalmente cumprida na América Latina, explicaram os autores do relatório, citando razões históricas para isso.

Com a exceção da Argentina e do Brasil, a maioria dos países da região caracteriza-se por uma carga tributária relativamente baixa. Com estados relativamente pequenos, muitos países da região têm tido dificuldades para oferecer serviços públicos de qualidade em áreas como saúde, educação e infraestrutura. Como resultado, na segunda metade do século XX a classe média tendeu a abandonar os serviços públicos e pagar até mesmo por serviços básicos como eletricidade e segurança no setor privado. Ainda que esse quadro venha mudando nos últimos 10 a 20 anos, o contrato social fragmentado da região mantém com frequência a adesão da classe média aos serviços privados e com pouca vontade de contribuir para o erário público. Isto, por sua vez, reduz as oportunidades daqueles que continuam pobres de se unir à população recém-ingressa na classe média.

O relatório identifica três estratégias que os governos poderiam adotar visando obter o apoio da classe média para um contrato social mais justo e legítimo:

● Incorporar explicitamente o objetivo de igualdade de oportunidade nas políticas públicas para romper com a percepção de que o sistema tende a favorecer os mais privilegiados.
● Implantar uma segunda geração de reformas no sistema de proteção social – incluindo assistência social e seguro social – para superar a fragmentação, melhorando a equidade e a eficiência.
● Romper o ciclo vicioso de baixa tributação e má qualidade dos serviços públicos, investindo uma parte do ganho inesperado com as commodities da região para melhorar a qualidade dos serviços e da administração pública.

Este debate sobre políticas sociais em torno de como obter uma maior adesão dos segmentos mais ricos da sociedade poderá se manter como um tema importante na América Latina em um futuro previsível. Com o objetivo de estimular essa discussão, o relatório concluiu que um conjunto adequado de reformas terá como consequência a transformação da classe média em um agente cada vez mais determinante de mudanças no sentido de expandir a prosperidade, de forma a alcançar os que ainda ficaram para trás.

* Do Banco Mundial aqui.

Mercado de trabalho – Desigualdades entre negros e não negros registram queda

“Embora os trabalhadores negros ainda tenham, na média, salários mais baixos do que os da população não negra, as diferenças, tanto de rendimento quanto de participação no mercado de trabalho, estão diminuindo, segundo levantamento apresentado hoje (13) pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Fundação Seade).

O estudo foi feito com base na Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) da própria fundação e do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Em 2011 o rendimento dos negros correspondia a 61% do valor recebido pelos brancos, nos 39 municípios da região metropolitana de São Paulo. Em 2002, essa proporção era inferior, 54,6%. Enquanto os negros ganhavam, em 2011, o valor médio de R$ 6,28 por hora, os não negros recebiam R$ 10,30.

A diferença entre as taxas de desemprego de negros e não negros diminuiu nos últimos anos, embora a do primeiro segmento ainda supere a do segundo, em 2011 (12,2% e 9,6%, respectivamente). Essa diferença, de 2,6 pontos percentuais, correspondia a 7,2 pontos percentuais, em 2002.”

(Agência Brasil)

Prefeitura de Caucaia promove palestra sobre negócios no Complexo do Pecém

A Prefeitura de Caucaia, através de sua Secretaria de Trabalho, Emprego e Empreendedorismo, vai promover palestra, nesta terça-feira, sobre o tema “Oportunidade de Negócios e Desafios no Complexo Industrial e Portuário do Pecém: Implantação de empreendimentos industrias”.

O convidado a expor o tema é o consultor da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), engenheiro Durval Vieira de Freitas. A palestra, marcada para as 18 horas, na praça do anfiteatro de Caucaia (entrada do município, BR-222), integra a programação da III Semana do Empreendedorismo e da I Expo Caucaia.

Sindicato da Habitação do Ceará divulgará resultados do primeiro semestre

O Sindicato da Habitação do Ceará (Secovi) divulgará nesta quarta-feira, às 9 horas, um balanço dos resultados o que o setor imobiliário da Região Metropolitana de Fortaleza registrou no primeiro semestre do ano.

O consultor econômico do Sindicato, Paulo Kuhn, e o presidente da entidade, Sérgio Porto, farão um comparativo entre os seis primeiros meses de 2010, 2011 e 2012, mostrando o cenário do mercado imobiliário quanto ao Índice de Velocidade de Vendas (IVV), número de unidades vendidas e de empreendimentos lançados.

Os dados da pesquisa são do Instituto de Pesquisas e Estatísticas do Secovi, informa a Coluna O POVO Economia, da jornalista Neila Fontenele.

Cid Gomes tem mais um encontro com Dilma em Brasília

O governador Cid Gomes (PSB) vai cumprir agenda em Brasília, nesta terça-feira. Agora pela manhã, ele terá audiência com o ministro das Cidades, Agnaldo Ribeiro, quando tratará sobre o projeto Metrofor e, mais precisamente, a Linha Leste do empreendimento, que sairá do Centro com destino ao Fórum Clóvis Beviláqua.

À tarde, Cid Gomes terá mais um encontro com a presidente Dilma Rousseff. Dessa vez, durante solenidade em que a presidente lançará o programa “Mais Irrigação”. Essa estratégia tem por objetivo recuperar todos os perímetros irrigados do Nordeste e abrir a gestão desses projetos para a chapa parceria público-privada.

No Ceará, entrarão nesse programa perímetros irrigados de menor porte como, por exemplo, os de Morada Nova e Jaguaruana, segundo o secretário-executivo da pasta estadual dos Recursos Hídricos, Ramon Rodrigues. Ramon, inclusive, já está em Brasília para conferir o lançamento do “Mais Irrigação”.

Campanha do Papai Noel dos Correios começa nesta 4ª feira em todo o Pais

“A Campanha Papai Noel dos Correios 2012 será lançada oficialmente amanhã (14), no prédio histórico dos Correios, na Avenida São João, Vale do Anhangabaú, em São Paulo. Em sua 23ª edição, a campanha tem como principal objetivo receber cartas enviadas ao Papai Noel, responder e, sempre que possível, atender aos pedidos.

No ano passado foram atendidas, em todo o país, 500 mil cartas destinadas ao Papai Noel. Nos últimos três anos, os Correios receberam quase 4,5 milhões de cartas e selecionaram 2.041.014. Desse total, 71% (1.459.927) foram adotadas pela população.

A campanha conta com o apoio dos servidores da empresa e de milhares de brasileiros que atuam como padrinhos. Depois de serem selecionadas, as cartas são disponibilizadas em unidades dos Correios para adoção. Cada padrinho entrega o presente em pontos divulgados pela empresa, não é permitida a entrega direta.

SERVIÇO

* As datas da campanha em cada estado serão divulgadas na página dos Correios na internet a partir do lançamento nesta quarta-feira. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones 3003 0100 (capitais e regiões metropolitanas) e 0800 725 7282 (demais localidades).”

(Agência Brasil)

Mantega diz que quer PIB superando 4% em 2013

“O governo quer que o Produto Interno Bruto (PIB) – a soma dos bens e serviços produzidos no país – supere 4% no ano que vem, com taxa de investimentos entre 8% e 10%. A informação foi dada hoje (12) pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, durante a solenidade de entrega do Prêmio Naval de Qualidade e Sustentabilidade 2012, no Rio de Janeiro. Para isso, o ministro informou que o governo vem tomando um conjunto de medidas de estímulo à economia, visando a reduzir custos e aumentar o crédito no país. Entre essas medidas, destacou a redução do custo financeiro e a diminuição dos tributos para estimular, sobretudo, os investimentos.

Guido Mantega explicou que, em momentos de crise, o investimento fica mais reticente. Por isso, há necessidade de tornar o Brasil mais atraente para investimentos. “Os investidores têm boa acolhida no Brasil, onde encontram uma situação sólida e boa rentabilidade”. Frisou que não existem boas alternativas de investimento no mundo em função da ainda persistente crise econômica internacional. Na avaliação do ministro, a União Europeia não vai se recuperar tão cedo e os Estados Unidos “estão andando de lado”. Nesse quadro, reiterou que o Brasil é uma excelente opção de investimento, tanto para brasileiros como para estrangeiros.

Mantega disse que as mudanças feitas nos depósitos compulsórios bancários, na última semana, não têm grande impacto sobre a taxa básica de juros. O que pode afetar a Selic, segundo ele, é o cumprimento da meta de inflação. Enquanto a meta estiver sendo cumprida, o Banco Central manterá a trajetória de redução dos juros. Ele afiançou que o Brasil não precisa mais ter “aquelas taxas de juros de antigamente”. O ministro da Fazenda advertiu, entretanto, que se ocorrer um repique inflacionário, o Banco Central poderá atuar elevando os juros. Essa é, enfatizou, “uma decisão que o Banco Central toma a cada mês, na reunião do Copom [Comitê de Política Monetária], e ninguém consegue adivinhar com antecedência o que vai acontecer”.

(Agência Brasil)