Blog do Eliomar

Categorias para Economia

Heitor Férrer: Só rescindir contrato não vale. Tem que ressarcir, tem que punir culpados

280 8

O deputado estadual Heitor Férrer (PDT) afirmou, nesta sexta-feira, que o Governo do Estado precisa reparar “as graves lesões e perdas de patrimônio provocadas pelos juros escorchantes praticados pelo esquema da ABC”. Para ele, só rescindir não basta.

“E se rescindiu, é porque há imoralidades e os atores patrociandores dessa imoralidade precisam ser punidos”, defendeu o parlamentar, ao ser inteirado pelo Blog sobre a decisão governamental. Foi o pedetista quem denunciou o caso dos consignados.”

Heitor disse também que essa medida abre margem para que se exija “uma profuda investigação por parte do Ministério Público Estadual porque se há atos, existem pessoas por trás desses atos”.

“Só rescindir é pouco. Tem que vir punição judicial para responsáveis”, refoçou o parlamentar que tenta CPI na Assembleia Legislativa, hoje com requerimento contando com sete assinaturas. A maioria na Casa é governista.

Consignados – Governo rescinde contrato com a ABC, mas o povo quer conhecer esse BÊ-A-BÁ

O secretário estadual do Planejamento e Gestão, Eduardo Diogo, anunciou que o Governo do Estado rescindirá contrato com a ABC, aquela que opera a concessão de empréstimos consignados para servidores públicos. Foi durante entrevista coletiva nesta manhã de sexta-feira, em seu gabinete. Essa decisão foi acertada ontem à noite por ele com o governador Cid Gomes que, ao invés de fazer o anúncio, viajou para São Paulo, deixando a batata quente para Diogo.

Eduardo Diogo adiantou que na próxima segunda-feira, na Assembleia Legislativa, haverá audiência pública com representantes dos servidores públicos para acertar data de um encontro do qual sairá novo modelo para a política de consignados no Estado.

Esse caso dos consignados é um pepino daqueles para o Governo desde o momento em que se descobriu que a ABC terceirizou serviços e acabou envolvendo a Promus, de Luiz Antônio Valares, genro do secretário da Casa Civil do Governo, Arialdo Pinho.

Tudo bem que o Governo, embora tarde, esteja adotando providências depois de ter sido acossado pela mídia nacional, mas fica a pergunta: a rescisão contratual não deveria dar o caso por encerrado. A sociedade espera muito mais do que isso.

Inflação para 3º Idade diminui no primeiro trimestre

341 1

“O Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade (IPC-3i), que mede a variação de preços da cesta de consumo de pessoas com mais de 60 anos de idade, registrou inflação de 1,33% no primeiro trimestre deste ano. A taxa é inferior ao 1,68% registrado no último trimestre de 2011, segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Entre as oito classes de despesa que compõem o índice, o principal responsável pela queda do índice foi o grupo dos alimentos, cuja taxa caiu de 2,38% no quarto trimestre de 2011 para 0,65% no primeiro trimestre deste ano. Esse comportamento foi influenciado pelas quedas de preços de carnes, aves e ovos, além da redução da inflação para as frutas.

Em 12 meses, o IPC-3i acumula alta de 5,31%, variação inferior aos 5,5% registrados pelo Índice de Preços ao Consumidor geral, o IPC-BR, no mesmo período.”

(Agência Brasil)

IBGE – Vendas no varejo diminuem 0,5% em fevereiro

“As vendas no comércio varejista do país caíram 0,5% em fevereiro na comparação com janeiro deste ano. O resultado, que faz parte da Pesquisa Mensal de Comércio divulgada hoje (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), interrompe uma sequência de três meses de taxas positivas. Em relação a fevereiro do ano passado, houve aumento de 9,6%. No acumulado dos últimos 12 meses, o crescimento é 6,7%.

Ainda segundo o levantamento, a receita gerada pelo setor também diminuiu na passagem de um mês para o outro e registrou taxa de -0,7% em fevereiro. Esse foi o primeiro resultado negativo desde março de 2010. Em relação a fevereiro do ano passado, a receita cresceu 13,2%; e 11,4% no acumulado nos últimos 12 meses encerrados em fevereiro.”

(Agência Brasil) 

Caso dos consignados – Seplag vai informar que providências o Governo adotará

354 9

O secretário do Planejamento e Gestão do Estado, Eduardo Diogo, dará entrevista coletiva nesta sexta-feira, a partir das 10h30min, em seu gabinete. Vai falar sobre oc aso dos consignados e expor o que conversou, nessa noite de quinta-feira, no Palácio da Abolição, com o governador Cid Gomes. Eduardo foi designado por Cid para apurar informações sobre o caso e anunciará decisões a serem tomadas pelo Governo do Estado.

A polêmica sobre os consignados voltou à tona no último dia 27 de março, quando o deputado estadual Heitor Férrer, autor das denúncias sobre o suposto enriquecimento ilícito do genro do secretário da Casa Civil,  Arialdo Pinho, cobrou, durante pronunciamento na Assembleia Legislativa, posicionamento do Governo do Estado sobre questão. Desde dezembro do ano passado, o deputado estadual Heitor Férrer (PDT) havia enviado ofício ao governador com denúncias.

Em nota, a Seplag cobrou da ABC informações detalhadas sobre quais são as empresas envolvidas no serviço de concessão do crédito consignado, incluindo o papel de cada uma na operação. Até pedido de CPI tramita na Assembleia Legislativa.

DETALHE – O governador Cid Goes, conforme divulgamos em post do Blog, encontra-se em São Paulo. A assessoria de imprensa do Palácio da Abolição não adiantou a agenda. Há informação de que fora manter contato com grupo interessado em investir no Ceará. Ha outra versão de que fora manter contato com setores da imprensa paulista e o caso dos consignados.

CNI reduz para 2% projeção do crescimento do PIB

“A Confederação Nacional da Indústria (CNI) reduziu de 2,3% para 2% a projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) industrial do país em 2012. Segundo o Informe Conjuntural, divulgado hoje (12), a economia brasileira “iniciou o ano sem qualquer sinal de recuperação da estagnação do segundo semestre de 2011”. Em 2011, o PIB industrial cresceu 1,6%.

Segundo o comunicado, os primeiros números de 2012 apontam para a continuação de um crescimento econômico “baixo e desbalanceado, com avanço do setor de serviços e indústria fraca”. O documento destaca ainda que o aumento do consumo interno mantém o setor de serviços em crescimento, mas não significa o bom desempenho do setor industrial.

Para a entidade, o pacote de estímulos adicionais à economia industrial, lançado semana passada pelo governo federal, atende “em parte”os problemas do setor. “São medidas emergenciais e necessárias para enfrentar o ambiente hostil produzido pela crise mundial, mas precisam estar em sintonia com uma estratégia de longo prazo”, diz a pesquisa.

Em relação ao crescimento do PIB do país, a entidade manteve a estimativa de 3% de crescimento para o ano. A projeção é mais pessimista que as do Ministério da Fazenda (4,5%) e do Banco Central (3,5%).

Por outro lado, a entidade está otimista em relação à taxa de desemprego. A estimativa caiu de 5,8% para 5,5%. “Mesmo com a continuidade da fraca atividade econômica, o emprego voltou a crescer em ritmo um pouco maior”, diz o documento.

Segundo a CNI, “o problema da indústria não é de caráter conjuntural. Tem características estruturais que refletem tanto as alterações na ordem econômica mundial (…), como as dificuldades da economia brasileira em elevar sua competitividade”, informou.”

(Agência Brasil)

Mantega – Bancos públicos têm autonomia para decidir sobre reduçao de juros

“Os bancos públicos federais avaliarão as condições de mercado para decidir se farão novas reduções nos juros cobrados nos empréstimos, segundo o ministro da Fazenda, Guido Mantega, que hoje (12) fez duras críticas aos bancos privados por não reduzirem as taxas e cobrarem altos spreads. O spread é a diferença entre o custo de captação e a taxa cobrada dos clientes.

“Os bancos públicos são autônomos para fazer isso e, portanto, estarão reduzindo as taxas. Mas as taxas já foram reduzidas bastante. Houve taxa que caiu para um terço. Eles que têm que se definir em relação a isso”, disse.

Nos últimos dias, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal anunciaram redução dos juros de linhas de crédito.

O ministro destacou ainda que os bancos públicos registram um menor índice de inadimplência e têm rentabilidade tão alta quanto as instituições privadas. “Eles não poderiam agir se expondo a riscos. Tem que agir dentro da prudência e dentro das garantias necessárias. Os bancos [públicos] terão mais lucro porque irão emprestar mais”, avaliou.”

(Agência Brasil)

Mantega: Bancos querem jogar conta nas costas do governo

“O ministro da Fazenda, Guido Mantega, fez duras críticas aos bancos privados no país, que, segundo ele, provocam uma retenção de crédito, cobram o maior spread do mundo e “querem jogar a conta nas costas do governo”. Além da retenção de crédito, Mantega reclamou que os spreads cobrados por esses bancos são “muito elevados”. O spread é a diferença entre a taxa de captação do recurso e a cobrada dos clientes ao conceder o empréstimo.

“A taxa de captação é no máximo 9,75% e emprestando a 30%, 40%, 50%, 80% ao ano, dependendo das linhas de crédito. Essa situação não se justifica. Esse spread é o maior do mundo”, reclamou Mantega.

De acordo com o ministro, a economia brasileira tem condições jurídicas sólidas, com leis que garantem a devolução dos recursos do investidores, e inflação baixa, em torno de 4,5%. Mantega também considera boa a situação fiscal, com melhora no superávit primário e queda na dívida pública brasileira. O ministro disse ainda que os consumidores estão recebendo um salário melhor e com vontade de consumir.”

(Agência Brasil)

IBGE – Emprego na indústria com leve alta de janeiro para fevereiro

“O emprego na indústria brasileira teve leve alta de 0,1% em fevereiro na comparação com o mês anterior, quando foi registrada queda de 0,2%. Os dados fazem parte da Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário (Pimes), divulgada hoje (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em relação ao mesmo período de 2011, o emprego industrial apresentou queda de 0,7%, quinto resultado negativo consecutivo nesse tipo de comparação e o mais intenso desde janeiro de 2010 (-0,9%).

De acordo com o levantamento, nos dois primeiros meses de 2012, o índice acumulou diminuição de 0,6%. Nos últimos 12 meses o emprego industrial acumula alta de 0,5%.”

(Agência Brasil)

José Dirceu falará sobre “AI-5 Digital” no II Webfor

208 1

O ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, é aguardado em Fortaleza nesta sexta-feira como convidado do II Webfor (midias na internet).  Ele vem dar palestra de abertura sobre o tema “AI-5 Digital”. A palestra, às 19h30min, mudou de local: não mais na concha acústica da UFC, mas no Gran Marquise Hotel. A explicação da mudança, segundo a organização, por “problemas técnicos”.

No sábado, Dirceu falará com “blogueiros progressistas”, ou seja, com a turma dessa área ligada ao PT. A agenda dele deve incluir encontros políticos com a prefeita Luizianne Lins Lins e outras lideranças do PT.

Entre vários temas do II Webfor, está “O Papel da Mídia contra Interesses da Nação”. O evento tem patrocínio do Governo do Estado, Prefeitura de Fortaleza, Câmara Municipal, governo federal, Banco do Nordeste do Brasil, Asasembleia Legislativa e Grupo Marquise.

(Foto – Blog do José Dirceu)

Operário é ferido durante passeata dos trabalhadores da construção civil

“Um operário ficou ferido durante uma manifestação dos trabalhadores da construção civil, em um canteiro de obras localizado entre as avenidas Engenheiro Santana Junior e Padre Antônio Tomás, em Fortaleza. O trabalhador teria sido agredido a pedradas por outros operários, porque teria se recusado a aderir ao protesto.
O operário, Etiniene Henrique, foi levado para o Instituto José Frota (IJF). O diretor do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil da Região Metropolitana de Fortaleza (STICCRMF), Geraldo Magela, acompanhou o trabalhador ao hospital.

Cerca de 3.200 trabalhadores participam da manifestação na manhã de hoje. Os operários saíram em passeata da avenida Santos Dumont até o Parque do Cocó.”

(O POVO Online/Foto – Mauri Melo)

Caso dos consignados – Governo só reagiu de segunda Época

226 5

O jornalista Plínio Bortolottti, diretor institucional do Grupo de Comunicação O POVO, aborda, nesta quinta-feira, no jornal O POVO, o caso dos consignados. O título é “Pertguntas sobre os empréstimos consignados”. Confira esse escárnio” como defne o deputado estadual Heitor Férrer (PDT):

O negócio dos empréstimos consignados aos servidores públicos od Estado veio à luz em setembro do ano passado, com denúncias do deputado Heitor Férrer (PDT). Em novembro, escrevi o artigo “Nada a declarar” (http://migre.me/8Djvf) observando que o governador Cid Gomes (PSB) tinha a obrigação de prestar esclarecimentos à sociedade.

A irregularidade começaria pelo fato de a empresa vencedora da licitação, a ABC, ter sublocado o serviço de intermediação dos empréstimos, com dois agravantes: a) a terceirizada é propriedade do genro de Arialdo Pinho, secretário da Casa Civil; b) os intermediadores estariam cobrando juros acima do mercado nos empréstimos.

Depois que a revista Época publicou matéria sobre o assunto, o governador exigiu com mais rigor explicações da ABC. Um relatório foi entregue ontem ao governo, sem que fosse tornado público.

Os analistas políticos do O POVO já escreveram com bastante propriedade sobre os consignados. Mas creio que ainda cabem as seguintes perguntas.

1. Por que o governo só resolveu agir, com mais rigor, depois que a revista Época, publicou a matéria? Provincianismo, supondo que não precisa prestar contas à sociedade cearense, mas ficando compelido a justificar-se perante uma revista de São Paulo?

2. O Palácio da Abolição precisa de explicações da empresa, que é sua contratada, para saber como ela age dentro do próprio governo? Não há nenhum tipo de fiscalização? Não havia como saber que os juros cobrados pela intermediadora estão acima dos índices do mercado?

3. Por que o governo não divulgou a carta entregue ontem pela ABC, aparentemente com explicações mais detalhadas? O governo continua sentindo-se desobrigado do dever da transparência?

4. Se ficar provado que os juros cobrados estão acima do mercado, os funcionários que tomaram empréstimos serão ressarcidos?

5. E, por fim, por que é preciso uma empresa para intermediar os empréstimos consignados? O funcionário não poderia fazê-lo diretamente com o banco?

Plínio Bortolotti

plinio@opovo.com.br

Diretor Institucional do Grupo de Comunicação O POVO.

Trabalhadores da construção civil fazem passeata pela avenida Santos Dumont

Cerca de 500 trabalhadores da construção civil de Fortaleza e Região Metropolitana promovem passeata pela avenida Santos Dumont, que se estenderá até o Parque do Cocó. Ali, haverá um ato da categoria, em clima de campanha salarial.

Está marcada uma nova rodada de negociações entre empresários e a categoria nesta sexta-feira, mas os trabalhaodres decidiram marcar para o dia 25 próximo uma assembleia geral. Se não vier acordo, eles deflagrarão greve geral.

Os trabalhadores da construção civil reivindicam 17% de reajuste, R$ 80,00 de cesta básica, plano de saúde e melhores condições de trabalho. Os empresários ofereceram 6,5% até agora.

Caso dos consignados – Secretário só se pronunciará depois de reunião com governador

“O secretário estadual do Planejamento e Gestão (Seplag), Eduardo Diogo, declarou, nesta quarta-feira, 11, que já fez “juízo de valor” sobre informações da Associação Brasileira de Cartões (ABC), mas só irá se pronunciar após reunião com o governador Cid Gomes. A empresa mantém contrato com o Estado para operar empréstimos consignados a servidores estaduais.

Eduardo Diogo aguarda a chegada de Cid Gomes para apresentar as informações enviadas pela ABC. De acordo com o secretário, ainda não há data marcada para a reunião. Cid Gomes está em viagem aos Estados Unidos e deve retornar nesta quinta-feira, 12, mas logo depois irá viajar novamente.

O governador deixou o secretário do Planejamento responsável por esclarecer dúvidas sobre as operações. A ABC vem sendo questionada por adotar taxa de juros acima do valor de mercado e por ter contratado para administrar o consignado empresas de Luis Antonio Ribeiro Valadares, genro do chefe da Casa Civil, Arialdo Pinho.

Informações
O secretário recebeu, na terça-feira, 10, as respostas solicitadas, um dia antes, pela Seplag. No ofício, a Secretaria dava 24 horas para receber o detalhamento das operações feitas pela ABC e empresas parceiras. De acordo com Eduardo Diogo, as informações foram enviadas, mas sem nenhuma comprovação. “Buscamos essas informações e estamos com elas, por mais que não tenham documentação em anexo comprovando nada das informações”, disse.

“Esse juízo de valor eu já tenho hoje, a minha opinião, a minha interpretação. Mas a minha obrigação, antes de tornar isso público, é levar ao governador do Estado para dar encaminhamento ao assunto. Já analisei de modo detalhado cada uma das informações que eles trouxerem”, afirma Eduardo Diogo.

Na última semana, o governador determinou que a Seplag buscasse todas as informações das operações e as divulgasse. Mas, segundo Eduardo Diogo, a divulgação só será feita após a reunião com o governador. “A ABC nos trouxe informações que dizem respeito a relações entre empresas privadas e para nos preservar de qualquer iniciativa judicial mais adiante, eu solicitei e demandei que eles fizessem a divulgação. No meu entender, as informações devem, necessariamente, ser tornadas públicas”, afirmou.”

(POVO Online)

CCJ do Senado aprova unificação do ICMS nas operações interestaduais com importados

“Em vez do voto contrário do relator, senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) aprovou, nesta quarta-feira (11), voto em separado do senador Armando Monteiro (PTB-PE) pela constitucionalidade de projeto de resolução do Senado (PRS 72/10) que uniformiza as alíquotas do ICMS nas operações interestaduais com bens e mercadorias importados. O mérito da proposta será agora analisado pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE).

O objetivo do projeto é acabar com a chamada guerra fiscal dos portos. Hoje as alíquotas do ICMS vêm sendo calibradas por alguns estados para compensar a ausência de políticas centrais de desenvolvimento. O objetivo é atrair investimentos em logística de importação, garantindo novos negócios e empregos a partir dos portos.

O mesmo artigo da Constituição que fundamentou a rejeição de Ricardo Ferraço ao PRS 72/10 foi invocado no voto em separado para atestar a constitucionalidade, juridicidade e regimentalidade do projeto.

Amparado no artigo 155, parágrafo 2º, inciso IV, o senador por Pernambuco assegurou que a resolução do Senado Federal “é o instrumento por excelência para a fixação de alíquotas aplicáveis às operações e prestações interestaduais”.

“Não procede o argumento de que o projeto trata de benefícios fiscais no âmbito do ICMS e que, por esse motivo, teria de ser veiculado por lei complementar. O PRS 72/10, ao estabelecer alíquota interestadual de ICMS para produtos provenientes do exterior que não sofram agregação de valor no estado de importação, cuida apenas da partilha da arrecadação do tributo entre os entes federativos nessas operações. O gravame sofrido pelo contribuinte de fato permanece o mesmo, já que a alíquota incidente será sempre a interna do estado de destino”, pondera em seu voto.

(Com Agência Senado)

Bancada nordestina pressiona contra dívidas rurais

Parlamentares federais do Nordeste, reunidos nesta tarde de terça-feira, em Brasília, reivindicaram medidas da União para impedir que produtores rurais da área de abrangência da Sudene tenham seus bens e propriedades tomados para quitar dívidas decorrentes de financiamentos bancários. Os apelos foram feitos durante audiência pública promovida pela Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, que tem como presidente o cearense Raimundo Gomes de Matos (PSDB).

Segundo o tucano, as dívidas vêm sendo acumuladas desde 1989 em razão, principalmente, das sucessivas adversidades climáticas e de mudanças de planos econômicos e de indicadores. Matos destacou que já foram editadas 19 medidas e resoluções para alargar os prazos de financiamento, mas que elas não têm surtido o efeito esperado. “Todos sabemos que o semiárido tem problemas relacionados ao solo, à frequência de chuvas, entre outros. Quando há um incentivo do banco para que o pequeno produtor faça um empréstimo e se capacite, o Executivo sabe que existe um risco de não receber o dinheiro. Quando o risco se concretiza, porém, o governo cobra juros em cima de juros”, disse.

TCU

A situação dos produtores da região da Sudene ficou mais crítica após auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) segundo a qual o Banco do Nordeste do Brasil (BNE) não vinha realizando, conforme previsto em lei, a cobrança dos empréstimos realizados pelo Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE). O tribunal, diante disso, recomendou a execução das dívidas vencidas.

A secretária de Controle Externo do TCU no Ceará, Shirley Gildene Brito Cavalcante, participou da audiência e disse que a medida buscou atender à previsão legal, que impede o empréstimo de recursos do FNE a fundo perdido. O TCU solicitou a cobrança imediata de 38 mil operações pertencentes a 29 mil clientes, totalizado R$ 2,2 bilhões emprestados, dos quais R$ 700 milhões totalmente vencidos e computados como prejuízo. “O tribunal determinou que esses valores fossem cobrados para reoxigenar o fundo e atender a eventuais interessados nos créditos”, destacou.

De acordo com o superintendente da Área de Recuperação de Crédito, José Andrade Costa, o Banco do Nordeste busca cumprir os prazos máximos do FNE e se esforça para enquadrar os devedores nos planos de alongamento das dívidas. Segundo ele, várias dívidas foram renegociadas amparadas por leis e resoluções, mas sempre existe a limitação de abrir mão de multas pelo inadimplemento, o que acaba por aumentar o saldo devedor.

Dívida antiga

Na avaliação do vice-presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), José Ramos Torres de Melo, a dívida acumulada ao longo dos anos dificilmente será quitada. “A Constituição determinou, em 1989, uma nova fonte de recursos para a região que era bastante atrativa para os produtores. Na época, imaginava-se que parte dessas dívidas seria absorvida pela inflação”, lembrou.

No entendimento de Torres de Melo, o Nordeste sempre foi preterido nas políticas e hipóteses de refinanciamento da dívida. De acordo com o empresário, a dívida que se acumulou não será resolvida com medidas da natureza das apresentadas até então. Ele comparou a situação do Nordeste com a da Grécia, que não pode realmente pagar a dívida. “A solução, para isso, eu não sei”, admitiu.

(Com Agência Câmara e JC Online)

“Minha Casa, Minha Vida” – Governo lança segunda etapa do projeto nesta 5ª feira

“O governo deve anunciar amanhã (12) a segunda etapa do programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV), que contemplará com habitações municípios de até 50 mil habitantes. O público alvo deve ganhar até 3 salários mínimos e, desta vez, o programa faz uma compatibilização com as metas do Programa Brasil Sem Miséria. A primeira fase do programa se destinava a municípios com densidade populacional entre 50 mil a 100 mil habitantes.

A diretora do Departamento de Produção Habitacional do Ministério das Cidades, Maria do Carmo Avesani, deu a informação ao participar de audiência pública na Comissão de Desenvolvimento Urbano da Câmara Federal. Ela ouviu muitas críticas de representantes da sociedade civil pelo cancelamento do leilão que estava previsto para janeiro deste ano. A diretora explicou que o adiamento foi decidido porque o governo entendeu que estava havendo um deslocamento do programa em relação aos próprios objetivos do governo para com as populações mais pobres.

Depois de levantada a demanda de habitações a nível nacional houve o entendimento de que o Minha Casa, Minha Vida deveria estar também atrelado ao programa Brasil sem Miséria, explicou. A diretora disse que o tempo perdido alegado pelos debatedores, na audiência pública, pode ser recuperado se os gestores municipais se empenharem em fazer a sua parte “de forma ágil, fixando seus orçamentos e finalizando de forma rápida os projetos”.

(Agência Brasil)

Câmara convoca Ideli Salvati para falar sobre compra de lanchas

“Por 8 votos a 7, a Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara aprovou há pouco a convocação da ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, para dar explicações sobre possíveis irregularidades na compra de 28 lanchas-patrulha, adquiridas entre dezembro de 2008 e março de 2011 pelo Ministério da Pesca.

A pasta foi comandada por Ideli no início do governo da presidenta Dilma Rousseff. Apesar de a compra ter sido feita durante a gestão de seu antecessor na pasta, o ex-ministro Altemir Gregolin, há suspeitas de que a empresa Intech Boating, que vendeu as lanchas, seria doadora de campanha de Ideli ao governo de Santa Catarina, em 2010. O contrato está sob análise do Tribunal de Contas da União.

A votação do requerimento contou com votos favoráveis de deputados de partidos que integram a base do governo, como o PP. O PR, que era da base e por divergências com o Planalto adotou uma postura independente na Casa, também votou a favor do requerimnto. “Não se trata de vacilo [da base aliada]. Tivemos um problema de quórum [baixo] e deputados de partidos da própria base votando a favor do requerimento”, disse o deputado Odair Cunha (PT-MG). Como se trata de convocação, a ministra é obrigada a dar explicações dentro de 30 dias.”

Banco Santander abre filial no Shopping Benfica

1175 1

Fortaleza ganhou mais uma agência do Banco Santander. Agora no Shopping Benfica, informa Robson Rezende, superintendente-executivo da Rede Expansão. Com a iniciativa, o banco passa a ter 19 pontos de atendimento no Ceará.

A agência atende às normas de acessibilidade para pessoas com deficiência, oferecendo rampas de acesso, guichê de caixa, caixa eletrônico e pronto atendimento adaptados e os correntistas poderão realizar transações como consultas de saldo, extratos, saques, depósitos, pagamentos, transferências, empréstimos e aplicações financeiras.

DETALHE – Eis o Santander chegando em área que, daqui mais alguns meses, estará virando point de grandes negócios, pois o Shopping Benfica contará com estação do Metrofor.