Blog do Eliomar

Categorias para Educação

Projeto cria benefício extra ao Bolsa Família vinculado a desempenho escolar

Proposta em análise na Câmara dos Deputados altera o Programa Bolsa Família (Lei 10.836/04) para criar um benefício complementar, no valor de R$ 85, para famílias com filhos entre 13 e 17 anos que atendam a metas de desempenho escolar.

O deputado Raimundo Gomes de Matos (PSDB-CE), autor do Projeto de Lei 9287/17, explica que o benefício extra será pago mensalmente, por um ano, após o estudante ser aprovado em avaliação anual a ser realizada pelo órgão federal competente.

“É preciso avançar na melhoria dos índices educacionais dos beneficiários, não apenas mediante a exigência de frequência escolar, mas também por meio da criação de incentivos à melhoria do desempenho escolar”, argumenta Matos.

Segundo ele, a avaliação deverá exigir esforço dos estudantes para o alcance de metas individualizadas, proporcionais ao histórico de acesso a direitos e garantias fundamentais por parte do possível beneficiário e de seus familiares.

“As metas deverão levar em conta eventuais impedimentos ou limitações de natureza física, mental, intelectual ou sensorial do aluno”, disse Matos.

O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado pelas comissões de Educação; de Seguridade Social e Família; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

(Agência Câmara Notícias)

Gabaritos do Enceja já estão disponíveis no site do Inep

O Ministério da Educação (MEC) divulgou nessa sexta-feira (17) o gabarito oficial do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) 2018. O Encceja Nacional foi aplicado no começo do mês em todo o país.

Os documentos podem ser acessados no portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Conforme o instituto, para o Ensino Fundamental estão disponíveis os gabaritos das provas de Ciências Naturais; História e Geografia; Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna, Artes, Educação Física e Redação; e Matemática. No caso do Ensino Médio, os gabaritos são de Ciências da Natureza e suas Tecnologias (Química, Física e Biologia); Ciências Humanas e suas Tecnologias (História, Geografia, Filosofia e Sociologia); Linguagens e Códigos e suas Tecnologias e Redação (Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna, Artes e Educação Física); e Matemática e suas Tecnologias.

(Agência Brasil)

Prefeitura de Sobral inscreve para concurso de professor e orientador educacional

Prosseguem, até a próxima sexta-feira (24/08), as inscrições para o concurso público destinado ao preenchimento de 312 cargos de professor e orientador educacional da Secretaria Municipal de Educação de sobral (Zona Norte). Há vagas também para um cadastro de reserva. A informação é da assessoria de imprensa da gestão do prefeito Ivo Gomes (PDT). Os interessados devem realizar as inscrições por meio de formulário online. A taxa de inscrição é de R$ 85,00 para o cargo de professor e R$ 110,00 para o cargo de orientador educacional.

Das 312 vagas, 50 são para o cargo de orientador educacional, destinadas a bacharéis em Psicologia; e 262 vagas para os cargos de professor de educação infantil e professor de ensino fundamental com licenciatura em Pedagogia, Letras, Matemática, Ciências, Física, Biologia, Química, História, Filosofia, Sociologia, Geografia, Inglês, Educação Física, Artes e Música.

A carga horária para o cargo de professor será de 20 horas semanais, com vencimento base de R$ 1.411,99 mensais; para o cargo de orientador educacional será de 40 horas semanais, com vencimento mensal de R$ 2.800,00.

Coordenado pelo Instituto de Apoio ao Desenvolvimento da Universidade Estadual Vale do Acaraú (IADE/UVA), o concurso para o cargo de professor será realizado em quatro fases: prova objetiva, prova dissertativa, prova didática e análise de títulos. Já os candidatos ao cargo de orientador educacional serão submetidos a três fases compreendendo prova objetiva, prova de apresentação de um plano de ação teórico propositivo e análise de títulos. A prova objetiva para todos os cargos será aplicada no dia 16 de setembro.

SERVIÇO

*Confira Edital aqui. E inscrições aqui.

*Mais informações: (88) 3677-4210.

Escola encerra aulas mais cedo porque está sem energia

De várias mães e pais de alunos da Escola de Ensino Fundamental e Médio José Bezerra de Menezes, que fica na rua Anário Braga, 238, no bairro de Antonio Bezerra, em Fortaleza, recebemos a seguinte nota:

Caro Eliomar de Lima,

O semestre letivo teve início no dia 1º deste mês de agosto, mas não na Escola José Bezerra de Menezes, que fica no bairro Antônio Bezerra.

Todos os dias os alunos, nossos filhos e filhas, são dispensados às 15 horas por falta de energia elétrica.

A informação que a diretoria do estabelecimento deu aos pais é de que a escola estadual foi alvo de furto de fios do poste em frente ao prédio. Um Boletim de Ocorrência foi feito e a Polícia teria chegado aos culpados, mas, de lá para cá, tudo continua na mesma: a escola continua sem energia.

Sem mais, apelamos às autoridades.

Pais de alunos da Escola José Bezerra de Menezes.

Temer sanciona LDO e mantém emenda que reajusta educação pela inflação

O presidente Michel Temer sancionou agora à noite a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2019, aprovada no mês passado pelo Congresso Nacional. O texto sancionado tem 17 vetos, mas Temer decidiu manter a emenda proposta pelo Legislativo que previa a correção do orçamento da educação pela inflação deste ano. A sanção, com os vetos e justificativas, será publicada na edição desta quarta-feira (15) do Diário Oficial da União.

Com a sanção da LDO, resta agora ao governo apresentar ao Congresso Nacional o Projeto de Lei Orçamentária Anual (Ploa), que vai detalhar o volume de recursos disponíveis para todas as áreas ao longo do ano que vem. O prazo para envio da Ploa vai até o próximo dia 31.

Antes da sanção presidencial, o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão chegou a informar que a correção do orçamento da educação pela inflação seria vetada na LDO. Em entrevista no início da noite, o ministro do Planejamento, Esteves Colnago, justificou que o governo trabalharia para apresentar um volume de recursos para a educação maior do que o que a LDO previa. “Nesse sentido, há uma desnecessidade da emenda. A manutenção criaria um engessamento do texto. A gente vetou, mas vamos garantir mais recursos do que aquilo que foi garantido pelo texto proposto”, disse o ministro, antes de Temer desistir do veto.

Temer, no entanto, aceitou a recomendação do Planejamento de vetar o dispositivo que atrelava a destinação de recursos para o Ministério da Saúde da mesma forma, isto é, mantendo no Orçamento de 2019 os mesmos recursos do ano anterior corrigido pela inflação. A maioria dos vetos apresentados retira a obrigação de aplicação de recursos em determinadas áreas, além de criar o que o ministro chamou de “sub-tetos” para proteger recursos de outras áreas.

Michel Temer também decidiu vetar o item que obrigava o próximo presidente da República a enviar uma proposta de emenda constitucional (PEC) alterando a chamada regra de ouro. Introduzida pelo Artigo 167 da Constituição de 1988, a regra de ouro estabelece que o governo só pode se endividar para fazer investimentos (como obras públicas e compra de equipamentos) ou para refinanciar a dívida pública. Gastos correntes do governo federal, como salários de servidores, serviços, passagens e diárias, não podem ser financiados pela dívida pública.

Sobre o reajuste dos salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), aprovado na semana passada, e que pode gerar impactos de até R$ 4 bilhões, o secretário de Orçamento Federal do Ministério do Planejamento, George Soares, afirmou que cada Poder tem autonomia para propor reajuste e ele deverá constar no Projeto de Lei Orçamentária Anual (Ploa), que será apresentado em 15 dias. “Se o Poder Judiciário colocar [o aumento] na proposta dele [para o Ploa 2019], vai com o recurso [previsto]”.

(Agência Brasil)

MEC prorroga prazo de inscrições de concurso

Será encerrado no próximo domingo, 19, o prazo para inscrições ao Prêmio Calouro-Destaque, que premiará com R$ 5 mil até mil estudantes do primeiro ano de graduação de instituições públicas de ensino superior em 2018. Os calouros serão premiados pelo seu desempenho no início da trajetória acadêmica. A informação é da assessoria de comunicação do Ministério da Educação.

A iniciativa do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e da Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI) tem como objetivo reconhecer o desempenho dos estudantes recém-chegados ao ensino superior que demonstrarem grau destacado de desenvolvimento de competências cognitivas, além de subsidiar estudos e pesquisas quantitativas e qualitativas do Instituto.

O Inep receberá inscrições até 23h59 (Horário de Brasília) de 19 de agosto. A retificação no edital, que amplia as inscrições até domingo, foi publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira, 13 de agosto. A inscrição deve ser feita exclusivamente pela internet.

Pode participar o estudante que cumprir, concomitantemente, três requisitos: ter concluído o ensino médio em 2016 ou em 2017; ser estudante brasileiro ingressante no ensino superior no ano letivo de 2018 pelo Sisu, e estar regularmente matriculado em curso de graduação vinculado a qualquer área do conhecimento, na modalidade presencial, em instituição pública de ensino superior.

Premiação – Serão premiados os participantes que obtiverem os melhores resultados em uma prova de conhecimentos gerais de 80 questões. A distribuição dos prêmios levará em consideração o número de vagas de graduação oferecidas pelas instituições públicas de ensino superior por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) 2018. As instituições que tiverem ofertado até 1.000 vagas de graduação terão até três premiados. Aquelas que tiverem ofertado de 1.001 a 3.500 vagas poderão ter até nove estudantes premiados. As instituições com oferta de vagas superior a 3.500 terão até 12 calouros premiados. Essa regra permitirá que estudantes de todo Brasil, e do maior número possível de instituições, sejam reconhecidos pelo seu desempenho.

A prova, com quatro horas de duração, será aplicada em 14 de outubro, domingo, das 14h30 às 18h30, em 60 cidades de todas as unidades da Federação. A política de acessibilidade do Inep garantirá a realização de provas com os seguintes recursos de acessibilidade: prova ampliada; auxílio na leitura da prova (ledor); intérprete de Libras; sala de fácil acesso e sala para amamentação.

SERVIÇO

*Confira o regulamento aqui.

*Faça sua inscrição aqui.

Roberto Cláudio assina nesta segunda-feira ordem de serviço para reforma e ampliação de escola na Barra do Ceará

O prefeito Roberto Cláudio assina, nesta segunda-feira (13), a partir das 9 horas, a ordem de serviço para reforma e ampliação da Escola de Tempo Integral Aldemir Martins, na Barra do Ceará (Regional I).

A unidade atende cerca de 340 alunos do 6º ao 9º ano. A obra, que será realizada em convênio com o Governo do Estado, terá investimento de R$ 1.5 nilhão. O projeto contempla reforma da quadra, construção de vestiários, novo auditório, além de intervenções na infraestrutura externa e área interna da escola.

O convênio da Prefeitura com o Governo do Estado vai beneficiar, ao todo, seis escolas de tempo integral da Rede Municipal de Ensino. Em julho, a Prefeitura entregou a ETI Filgueiras Lima, que passou por obras de requalificação e recebeu novos espaços, incluindo auditório, vestiários, cozinha, refeitório, biblioteca, ambiente do professor, entre outros.

As outras cinco ETIs (José Carvalho, Professora Antonieta Cals, Maria do Socorro Alves Carneiro, Dom Antônio de Almeida Lustosa e Aldemir Martins) também recebem reforma e ampliação. O convênio contempla, ainda, as obras da Academia do Professor, centro de formação e assistência aos profissionais da Rede Municipal.

(Com informações ds Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Fortaleza)

Jovens escritores lançam livro na Academia Maracanauense de Letras

Uma antologia de jovens escritores de Maracanaú marca a manhã deste sábado (11), no Teatro Dorian Sampaio, em Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza.

A iniciativa é do presidente da entidade, Francisco Siqueira, autor de livros como uma obra sobre a dona Eunisia Barroso, ex-coordenadora da Pastoral Carcerária.

Os jovens escritores são estudantes da escola pública de Maracanaú.

(Foto: Reprodução Facebook)

Ciro pretende aumentar salário dos professores e tornar escola mais atrativa para aluno

907 4

“(O modelo atual) faz com que a escola seja muito ‘careta’, com pouca capacidade de reter, atrair o aluno, e isso vai se agravando na proporção com que a idade sobe”. A declaração é do presidenciável Ciro Gomes (PDT), na noite dessa sexta-feira (10), durante o movimento Todos Pela Educação, com apoio da Folha de S.Paulo e acompanhamento da Agência Brasil.

Ciro Gomes apontou, ainda, a necessidade do reajuste nos valores pagos aos professores, além de elevar o número de mulheres em funções públicas e também unificar a base curricular. Ciro destacou que Fortaleza e o estado do Ceará tiveram experiências bem-sucedidas a partir de equipes formadas por, pelo menos, 50% de mulheres.

A série de diálogos terá seguimento na segunda-feira (13), com Marina Silva (Rede). Depois será a vez de Fernando Haddad, candidato a vice-presidente na chapa do PT, na terça-feira (14). Na quarta-feira (15), Geraldo Alckmin (PSDB) encerra as discussões. Dos 13 candidatos, somente esses quatro aceitaram o convite.

(Com informações da Agência Brasil e da Folha de S.Paulo / Foto: Fábio Lima – O POVO)

Para especialistas, pais devem acompanhar uso da internet por crianças

Os pais precisam se aproximar dos filhos para evitar o uso problemático de computadores, jogos eletrônicos e celulares, defendem as especialistas que participaram hoje (7) do Workshop Impactos da Exposição de Crianças e Adolescentes na Internet. O evento foi promovido pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) e pelo Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br).

“A gente não escuta os nossos filhos, não dá importância para as necessidades deles”, enfatizou a gerente da assessoria jurídica do Nic.br, Kelli Angelini. Ela citou dados levantados pela entidade que mostram que grande parte dos adolescentes de 11 a 17 anos estão expostos a conteúdos impróprios na rede. “Será que os pais estão atentos a isso? Será que os pais sabem que 27% das meninas que responderam a pesquisa já tiveram acesso a conteúdos que estão relacionados a formas de ficar mais magro?”, exemplificou.

Usos problemáticos

O mau uso das tecnologias ou o abuso de celulares e jogos eletrônicos pode levar ao desenvolvimento de diversos problemas, de acordo com a pediatra e professora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Evelyn Eisenstein. “Nós já estamos vendo o primeiro sintoma: transtornos de sono. Crianças que dormem menos. Crianças para dormir bem, em uma fase de crescimento, têm que dormir entre oito e nove horas. Nós temos crianças dormindo 6 horas”, destacou.

No caso dos adolescentes, a psicóloga Evelise Galvão de Carvalho disse que muitas vezes os jogos eletrônicos são uma forma de fugir das frustrações cotidianas. Garotos com dificuldade de se socializar, por exemplo, conseguem ter vidas mais atrativas no mundo virtual, de acordo com a especialista. “Quando ele chega em casa, depois da escola, ele entra no jogo e muda tudo. E dentro do jogo ele passa a ser um avatar. Dentro do jogo ele não tem idade, não envelhece, tem uma namorada há mais de um ano. Ele passa tempo com essa pessoa, fazem coisas juntos dentro do jogo”, enumerou sobre as realizações possíveis dentro do ambiente virtual.

“Embora não seja verdadeiro o que ele está vivendo, as sensações e as reações são verdadeiras, são gratificantes”, acrescenta Evelise. Jovens nesse tipo de situação estão, segundo a psicóloga, mais predispostos a estabelecer uma relação problemática com os jogos. Isso acontece quando o jovem passa a dedicar mais energia à virtualidade do que ao mundo real, deixando até obrigações de lado para jogar.

A especialista ressalta que é preciso refletir por que a vida cotidiana é tão frustrante e desanimadora para parte dos adolescentes. “Que tipo de mundo nós estamos oferecendo para as nossas crianças e adolescentes que eles estão preferindo viver em um mundo que não é real do que viver aqui com a gente?”, questiona Evelise.

Proibição

No entanto, a psicóloga se diz contrária a proibir o uso das tecnologias pelos jovens como forma de tentar contornar os problemas. “O movimento de luta contra as tecnologias é uma guerra sem fim, que a gente nunca vai ganhar. Nós vivemos em um mundo tecnológico, não tem mais volta. A tendência é ao contrário, cada vez mais a gente vai estar inserido e vivendo com essa tecnologia”, enfatizou.

“Proibir eu não estou ensinando nada”, acrescentou ao comentar a interdição do uso de celular em algumas escolas. “A gente vem em contramão de outros países que inserem os celulares nas escolas”, ressaltou.

“Não acho que seja proibir, castigar, mas ensinar sobre o uso. Dialogar. Colocar regras, limites, saber explicar para o seu filho e sua filha o uso correto”, concordou a professora Evelyn Eisenstein.

(Agência Brasil)

Gabarito do Encceja Nacional sai até o dia 17

Até o dia 17 de agosto o gabarito das provas do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos – Encceja – 2018 será divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). O exame foi aplicado ontem (5) em todo o país. O resultado individual estará disponível a partir de outubro, na página do participante.

O Encceja é direcionado aos jovens e adultos que não concluíram os estudos na idade apropriada para cada nível de ensino e querem obter certificação de conclusão do ensino fundamental ou médio. Para obter o certificado é preciso atingir o mínimo de 100 pontos em cada uma das áreas de conhecimento do exame.

No total, 1.695.608 pessoas se inscreveram para o Encceja, sendo 356.326 para conquistar o certificado do ensino fundamental e 1.339.282 em busca do certificado do ensino médio. Ainda hoje, o Inep deve divulgar um balanço com o número de presentes e de abstenções nas provas.

Além de provas de Português, História, Geografia, Matemática, Artes e Educação Física, ontem os estudantes fizeram uma redação. Para o ensino fundamental o tema foi “Possibilidades de uma alimentação segura para a população brasileira” e, para o médio, “Os riscos do trabalho noturno para a saúde do trabalhador”.

(Agência Brasil)

Professora cearense premiada lança livro nesta quarta-feira

A professora Jacqueline Braga vai apresentar em Fortaleza, às 19 horas desta quarta-feira (8), no Lounge Manhattan do Shopping Rio Mar Papicu, a obra “Brejo Santo – A cidade educadora: luz e inspiração para o Brasil” Na publicação, as experiências como secretária de Educação do município de Brejo Santo e o seu trabalho e de sua equipe que levaram ao reconhecimento em todo o País pelos altos índices de rendimento na Educação Infantil e Fundamental.

Com graduação em Geografia pela Universidade Regional do Cariri (Urca-1989), pós-graduada em Administração Educacional pela Universidade Salgado Oliveira (RJ), Jaqueline assumiu a pasta da Secretaria de Educação em 2009 e, desde 2013, é secretária de Educação do município de Brejo Santo.

A educação de Brejo Santo recebeu o reconhecimento de Cidade Educadora, tendo recebido o título de primeiro lugar em Gestão Eficiente na Educação Pública do País. Desde 2010, a educação do município vem recebendo prêmios anualmente da Nota 10 – SPAECE pelo Governo do Ceará.

(Foto – Arquivo)

MEC garante que pagamento de bolsas da Capes não será suspenso

O Ministério da Educação (MEC) informou, por meio de nota, que o pagamento das bolsas da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) não será suspenso. A nota divulgada na noite dessa sexta-feira (3), diz ainda que “a valorização da educação é uma das prioridades do governo federal que, em dois anos, adotou medidas importantes para o setor, como a Lei do Novo Ensino Médio e a homologação da Base Nacional Comum Curricular da educação infantil e do ensino fundamental”.

O MEC também informa que “os ministros da Educação, Rossieli Soares, e do Planejamento, Esteves Colnago, discutiram medidas estruturantes para a área da educação em seus diferentes níveis, bem como o orçamento para o próximo ano” e que “as equipes dos dois ministérios têm realizado frequentes reuniões para tratar do tema”. Ontem, os dois ministérios anunciaram que vão apresentar ao presidente Michel Temer, na próxima semana, estudo sobre recursos para Capes.

A mobilização ocorre após o presidente do Conselho Superior da Capes, Abílio Baeta Neves, ter enviado carta ao ministro da Educação afirmando que “foi repassado à Capes um teto limitando seu orçamento para 2019 que representa um corte significativo em relação ao próprio orçamento de 2018, fixando um patamar muito inferior ao estabelecido pela Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Caso seja mantido esse teto, os impactos serão graves para os Programas de Fomento da Agência”.

Entre as consequências, apontada na carta da Capes está a suspensão de bolsas de 93 mil pesquisadores e de alunos de pós-graduação (mestrado, doutorado e pós-doutorado) a partir de agosto de 2019. O Conselho da Capes também previu o corte dos pagamentos de outros 105 mil bolsistas que trabalham e pesquisam com educação básica. A carta circulou nas redes sociais e serviços de mensagens instantâneas e provocou mobilização nas comunidades científica, tecnológica e acadêmica.

Ontem, a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e mais de 30 entidades representativas publicaram carta aberta ao presidente Michel Temer para expressar apoio à manifestação do Capes.

(Agência Brasil)

A matemática do Bolsa Família

Editorial do O POVO deste sábado (4) destaca o desempenho de alunos com famílias beneficiadas pelo programa de complementação de renda. Confira:

Se ainda houvessem dúvidas sobre a importância de programas de complementação de renda ou de promoção das pessoas mais pobres e discriminadas, elas poderiam se dissipar com os estudos que mostram a importância dessas iniciativas. Isso ficou mais uma vez comprovado com a matéria publicada na edição de ontem deste jornal: “9,5% das medalhas do Ceará na Olimpíada de Matemática são de beneficiários do Bolsa Família”.

O Ceará é, também, um dos estados em que mais beneficiários do Bolsa Família conquistaram medalhas na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep), confirmando uma das características que marcam o cearense: quando surge uma oportunidade ele a agarra com todas as suas forças.

Levantamento do Ministério do Desenvolvimento Social revelou que, em sete edições da Obmep, na qual concorrem estudantes do ensino fundamental e médio, alunos cearenses beneficiados com o Bolsa Família foram agraciados com 123 medalhas de ouro, prata e bronze, representando 9,5% do total. No cômputo geral, Minas Gerais, São Paulo e Ceará respondem por 45% do total de medalhas.

Professores e especialistas na área veem esses resultados como um avanço nas oportunidades de educação, principalmente para as famílias mais pobres.

Esses números são acompanhados por histórias de transformações positivas na vida desses jovens e de suas famílias. É o caso do medalhista (2016 e 2017) Tiago Crispim, cursando o ensino médio na Escola Marieta Cals, em Cariré (CE): ele é um jovem interessado em astronomia e pretende seguir a carreira de professor de Física. É dele esse depoimento ao O POVO: “É muito importante esse programa, porque minha família não tem muitas condições de bancar financeiramente meus estudos com material escolar. Tudo isso sempre foi do Bolsa Família”.

Para a professora Adriana Eufrásio Braga, da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará (UFC), as políticas públicas têm forte impacto na educação básica “combatendo a evasão escolar e atuando na redução da vulnerabilidade”. Comparado a outros gastos do governo, chega-se à conclusão que o Bolsa Família é um programa barato e de excelentes resultados, que ajuda no socorro e na promoção das populações mais pobres.

Prefeitura encerra domingo inscrições para a seleção de formadores da educação infantil

Termina, no próximo domingo, o período de inscrições da seleção pública para formadores da educação infantil e dos anos iniciais do Ensino Fundamental, iniciativa da Prefeitura de Fortaleza, por meio do Imparh. No total, 38 vagas são ofertadas para os cargos. As inscrições devem ser feitas pela internet, no Canal de Concursos e Seleções da Prefeitura, informa a assessoria de imprensa do Paço Municipal.

Para concorrer ao cargo de formador da educação infantil, é exigida graduação em pedagogia e/ou psicologia e experiência profissional mínima de dois anos na área da educação. Já para o cargo de formador dos anos iniciais do Ensino Fundamental, é necessário graduação em pedagogia e/ou letras e experiência profissional mínima de dois anos nos anos iniciais do Ensino Fundamental.

O processo seletivo será realizado em duas etapas, sendo a primeira composta por análise de títulos e experiência profissional e a segunda pela aplicação de prova didática, de caráter eliminatório e classificatório, para os candidatos aprovados na primeira etapa. A data prevista para aplicação da prova didática é 25 de agosto.

Para se inscrever, os interessados devem acessar o Canal de Concursos e Seleções da Prefeitura de Fortaleza, preencher o formulário eletrônico e pagar a taxa de inscrição no valor de R$ 110. De acordo com o edital de abertura, o profissional selecionado será contratado sob o regime de contrato administrativo, regido pela Lei Complementar Municipal nº 0158/2013, e terá sua remuneração referente à jornada de trabalho de 40 horas semanais no valor de R$ 4.534,64.

Brasil recebe o Congresso Internacional de Matemática

Começa hoje (1º), no Rio de Janeiro, no RioCentro, o Congresso Internacional de Matemáticos (ICM 2018, na sigla em inglês), que vai reunir, até o dia 9, cerca de 2.500 pesquisadores dos cinco continentes. A agenda terá 1.200 palestras, painéis de debates e comunicações, além de 40 eventos científicos paralelos em todo o país, como o World Meeting for Women in Mathematics, o (WM)2 que discutiu ontem (31) questões de gênero na matemática.

O primeiro ICM foi realizado em 1897, em Zurique, Suíça. Ele é organizado a cada quatro anos pelo país-sede em parceria com a União Matemática Internacional (IMU).

Esta é a primeira vez que o encontro ocorre em um país do hemisfério sul. No Brasil, o evento integra o Biênio da Matemática do Brasil 2017-2018, parte das ações nacionais e internacionais destinadas, entre outros objetivos, a incentivar o estudo da disciplina, popularizá-la e promover atividades que contribuam para aproximá-la do público.

O diretor geral do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), Marcelo Viana, também presidente do Comitê Organizador do ICM 2018, explica que o Brasil passa por um momento histórico e de reconhecimento do avanço das pesquisas na área conquistadas pelo país.

“Há 70 anos praticamente não havia pesquisa em matemática no país. [O avanço] já foi reconhecido no começo do ano quando o Brasil foi promovido ao grupo 5, o grupo máximo da União Matemática Internacional, que reúne as 11 nações mais avançadas na área”, afirma.

Para Viana, a escolha do Brasil como sede também faz parte desse reconhecimento. Ele destaca que o objetivo principal do ICM 2018 é ser um instrumento para ajudar a popularizar a matemática e torná-la mais próxima da sociedade.

“Estamos convidando escolas para participar do evento, com atividades desenhadas para crianças e professores, e acredito que vai ser um grande sucesso, vai ter um impacto significativo nessa aproximação da matemática com a sociedade brasileira. O Biênio foi a realização desse objetivo que nós tínhamos já ao apresentar a candidatura para o congresso, é um evento charmoso, que chama a atenção”, argumenta.

Durante nove dias, haverá mesas redondas sobre temas como distribuição de gênero, história da matemática, desenvolvimento da matemática nos países em desenvolvimento e o impacto que a tecnologia tem na matemática.

(Agência Brasil)

Metade dos alunos do Ceará foi vítima de violência na escola

Mais da metade dos alunos do 1º e 2º anos de 50 escolas do ensino médio da rede pública do Ceará e do Rio Grande do Sul, ouvidos em uma pesquisa inédita nos finais dos anos 2016 e 2017, relataram ter sofrido algum tipo de violência no ambiente escolar. Xingamentos, brigas e bullying em redes sociais são as principais reclamações dos jovens, segundo levantamento realizado pela Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso) sob encomenda do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Coordenada pela socióloga Miriam Abramovay, responsável pela Área de Juventude e Políticas Públicas da Flacso, a pesquisa tinha como objetivo analisar como as agressões afetavam o desempenho escolar desses alunos e definir estratégias para alterar esse cenário.

“É um tema novo que as escolas não se atêm. Os governos não se dão conta que a questão da violência nas escolas, além de fazer mal para os jovens e professores, diretores e famílias, tiram os alunos de sala. Existe uma correlação muito forte entre a violência escolar e abandono escolar”, lamentou a professora.

Miriam Abramovay ainda ressaltou as semelhanças sobre as situações de violência, de pouco diálogo com professores e diretores e de exclusão desses estudantes em relação ao universo escolar mesmo em estados com características locais tão diversas. O diagnóstico foi constatado em questionários, mas também em relatórios elaborados pelos próprios jovens, onde descreviam questões como o que era ser jovem no Brasil, o que é violência nas escolas, a relação com os professores, entre outros temas.

A socióloga não esconde o choque com os relatos. Nas histórias, os estudantes mais afetados pela violência descrevem isolamento, estresse e até automutilação. “O que mais nos chocou foi a questão do suicídio e a automutilação. Nos grupos locais, quando tocávamos no tema, comecei a comprar caixas de lenço de papel porque as pessoas começam a chorar compulsivamente. Foi um trabalho muito duro”, lembrou.

Segundo ela, o contato mostrou que esses sentimentos não eram conhecidos entre os próprios jovens. “Eles não se conhecem. Estão juntos, brincam, zoam, mas não se conhecem, não sabem o que está acontecendo na vida de cada um. Naqueles grupos que trabalhamos tudo parecia uma surpresa entre eles”, contou a socióloga.

A partir desse trabalho, os próprios alunos desenvolveram um plano de ação para mudar o cenário. “Não foi uma grande mudança porque não houve tempo para isto”, avaliou Miriam, lembrando que a ação prática durou menos de um ano em função de greves e do movimento de ocupação de escolas que marcou aquele ano.

“Mas tivemos mudanças contundentes nas relações sociais entre eles. Eles diziam ter criado relações sociais mais fortes”, afirmou.

A socióloga destaca desde a maior participação dos estudantes nas decisões tomadas nos conselhos escolares até transformações pequenas do cotidiano que dependiam do convencimento das direções das escolas como a instalação de bebedouros com água gelada e a troca do uniforme de uma das unidades – motivo de reclamação de alunos por ser quente demais.

O plano, aplicado em algumas das escolas que participaram do programa, foi batizado de “O papel da educação para jovens afetados pela violência” e acabou virando um guia que será lançado amanhã (31), em São Paulo, e que poderá ser usado, gratuitamente, por qualquer rede de ensino do país.

(Agência Brasil / Foto: Arquivo)

DPU abre inscrições para concurso de redação

 

A Defensoria Pública da União (DPU) está com inscrições abertas para o seu IV Concurso de Redação. Criado para promover a discussão de temas que permeiam a realidade e incentivar o debate em salas de aulas, o concurso é destinado a alunos do ensino fundamental e médio e instituições de ensino técnico do país, incluindo Educação de Jovens e Adultos (EJA), e estudantes em situação de privação de liberdade matriculados em escolas da rede pública. A informação é da assessoria de imprensa desse organismo.

Em 2018, o tema escolhido é a “Promoção dos direitos humanos e garantia do acesso à Justiça”, em homenagem aos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, proclamada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1948. Serão premiados estudantes de todos os 26 estados do Brasil e Distrito Federal e os três estabelecimentos de ensino da Rede Pública que melhor realizarem o Plano de Mobilização. A premiação inclui a entrega de tablets aos primeiros colocados e R$ 10 mil para compra de equipamento escolar para as escolas vencedoras.

SERVIÇO

*Para participar, as Redações e Planos de Mobilização deverão ser inseridos na Plataforma do Concurso de Redação da DPU, disponível no site do concurso (https://concursoderedacao.dpu.def.br/), até o dia 12 de outubro de 2018.

Cearense é primeira brasileira a ganhar ouro em Olimpíada Internacional de Química

220 1

A estudante cearense Ivna de Lima Ferreira Gomes, de 16 anos, foi medalhista de ouro na Olimpíada Internacional de Química, que aconteceu, neste mês, na República Tcheca e Eslováquia. Esta é a primeira vez que uma mulher brasileira cearense conquista esse título.

Além de Ivna, mais dois estudantes de Fortaleza foram medalhistas na competição. João Victor Moreira Pimentel (16), levou a medalha de prata e Orisvaldo Salviano Neto (17), conquistou o bronze. Vinícius Figueira Armelin, de São Paulo, também representou o Brasil e conquistou o ouro.

Todos os participantes passam por dois exames – um prático e outro teórico -, tendo avaliações, e os 10% mais bem pontuados são premiados com a medalha de ouro.

De acordo com o site da olimpiada (50t IChO 2018), participaram 76 países. Ao todo, 35 alunos conquitaram o ouro. Esse foi o melhor desempenho do Brasil na história de todas as modalidades de olimpíadas científicas.

Um sonho realizado

Moradora do bairro Benfica, Ivna conta ao O POVO Online que foi incrível participar da olimpíada e conquistar a medalha de ouro. “É a concretização de um sonho que eu nem ousava sonhar há algum tempo, e a recompensa por quase 4 anos de muito estudo pra essas competições”.

Para a estudante, a premiação não foi importante só para ela, mas para que todos os participantes dos próximos anos vejam que é, sim, possível. “E para que todas as meninas que se interessam pela ciência se sintam representadas e encorajadas a sonhar alto, independente dos estereótipos de gênero e dos obstáculos que são, muitas vezes, impostos às meninas”, conclui.

Ivna participou em 2017 da IChO e foi medalhista de prata. No mesmo ano, foi ouro na Olímpiada Ibero-americana de Química.

(O POVO Online – Repórter Matheus Nunes/Foto – Arquivo Pessoal)

Brasil tem dificuldade de atrair jovens para a carreira de professor

O Brasil, assim como outros países da América Latina, tem dificuldade em atrair jovens talentosos para a carreira de professor. Essa é uma das conclusões do estudo Profissão Professor na América Latina – Por que a docência perdeu prestígio e como recuperá-lo?, divulgado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

No Brasil, apenas 5% dos jovens de 15 anos pretendem ser professores da educação básica, enquanto 21% pensam em cursar engenharia. No Peru, o índice dos que pretendem optar pela docência é de menos de 3%, contra 32% que querem se tornar engenheiros. Por outro lado, em países onde a profissão é mais valorizada, o interesse tende a ser maior, como na Coreia do Sul, onde 25% dos jovens têm a intenção de lecionar, e na Espanha, onde o índice chega a quase 20%.

Entre as razões para o desinteresse para atuar na educação básica estão, segundo a pesquisa, os baixos salários. “Mesmo nos últimos anos, após uma década de incrementos nos salários dos professores, eles continuam a ganhar consideravelmente menos do que outros profissionais”, enfatiza o texto.

A partir dos dados das pesquisas domiciliares no Brasil, Chile e Peru, o estudo do BID mostra que os educadores ganham cerca da metade da remuneração de profissionais com formação equivalente. No Equador, a diferença é menor, mas os professores ainda recebem 77% da remuneração de outras áreas. No México, os vencimentos dos trabalhadores da educação é de 83% dos de outros ramos.

Além da questão financeira, o estudo aponta para as condições de trabalho como razão do desinteresse dos jovens pela docência. “Muitas vezes a infraestrutura das escolas latino-americanas é deficiente em relação a equipamentos e laboratórios e até mesmo em termos de serviços básicos”, ressalta o documento.

O estudo menciona as informações levantadas pelo Laboratório Latino-americano de Avaliação da Qualidade da Educação em 2013 sobre escolas de 15 países latino-americanos, incluindo o Brasil. Na ocasião, foi constatado que 20% dos estabelecimentos de ensino não tinham banheiros adequados, 54% não tinham sala para os professores e 74% não contavam com laboratório de ciências.

O estudo aponta ainda que muitos jovens acabam seguindo a carreira docente “por eliminação, não por vocação”. Recuperando dados do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) de 2008, a pesquisa destaca que, à época, 20% dos estudantes de ensino superior com foco no magistério haviam feito a opção para ter uma alternativa caso não conseguissem outro emprego e 9% por ser a única possibilidade de estudo perto de casa.

“Ser professor na América Latina não é uma carreira atraente para jovens talentosos do ponto de vista acadêmico. Não se pode ignorar o fato de que muitos futuros professores decidem frequentar um curso de carreira docente exatamente por ser uma carreira mais acessível no aspecto acadêmico, e não necessariamente por terem uma vocação pedagógica”, analisa o estudo.

Esse problema tem, junto com outros fatores, reflexos no desempenho dos estudantes. Os dados do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA), citados pela pesquisa, mostram, por exemplo, que os conhecimentos em leitura, matemática e ciências dos jovens de 15 anos da região está dentro dos 40% dos com pior resultado entre os países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). O percentual dos estudantes que não atingem o nível básico das competências é mais do que o dobro da média da OCDE.

(Agência Brasil)