Blog do Eliomar

Categorias para Educação

Colégio da PMCE é destaque na Olimpíada Canguru de Matemática

Com oito medalhas de ouro, 17 de prata e 35 de bronze, além de 39 condecorações de honra ao mérito, o Colégio da Polícia Militar do Ceará General Edgard Facó foi um dos destaques na Olimpíada Canguru de Matemática 2019, que ocorreu esta semana em todo o Brasil, além de outros 74 países.

As provas foram realizadas nas próprias escolas, com exclusão do estabelecimento de ensino em qualquer irregularidade verificada. As provas foram divididas em seis níveis, de acordo com a série dos participantes, em escolas públicas ou particulares.

(Foto: Divulgação)

Câmara Municipal fará sessão pelo Dia da Educação

A Câmara Municipal de Fortaleza realizará, às 19 hora desta sexta-feira, uma sessão solene em homenagem ao Dia da Educação. A iniciativa é do vereador Sargento Reginauro (Sem Partido). Segundo o vereador, a data festiva é o 28 de abril, mas nunca é tarde para “incentivar e conscientizar a população sobre a importância da educação, seja escolar, social ou familiar”.

Durante a sessão, haverá homenagens a profissionais do ensino que contribuíram em sua formação enquanto professor. São eles: Antônio Ricardo Catunda de Oliveira, José Maria Bandeira Barbosa, Francisco Cláudio Cunha Gomes, Maria do Socorro Cardoso Bringel Olinda, Francisco Vicente de Paula Júnior, Maria Aldeisa Gadelha e Luís Pacífico de França.

“É mais que necessário homenagear aqueles que fazem a diferença, que tem contribuído para realmente apontar caminhos, para serem uma referência de dignidade, de crescimento, de autoestima e de valorização desse trabalho”, explica Reginauro.

DETALHE – Além de sargento do Corpo de Bombeiros, o parlamentar também é mestre em educação pela Universidade Federal do Ceará (UFC).

(Foto – CMFor)

Camilo visita escola no Conjunto Esperança e libera R$ 270 mil para reforma

O governador Camilo Santana (PT) esteve, nesta manhã de quinta-feira, visitando a Escola de Tempo Integral Irapuan Cavalcante Pinheiro, que fica no bairro Conjunto Esperança, em Fortaleza. A vice-governadora Izolda Cela também acompanhou a visita.

Ali, ele conversou com alunos e professores e ouviu as principais demandas e, claro, não dispensou selfies com a turma. Ainda autorizou o investimento de R$ 270 mil para reforma da escola, num projeto que garantirá 13 salas climatizadas, além de outros reparos.

Segundo Camilo, esse investimento faz parte do pacote de R$ 20 milhões, anunciado na semana passada, para a recuperação das escolas do Ceará.

(Foto – Leitor do Blog)

Aprovados em concurso 2018 da Seduc mandam nota para o Blog cobrando convocação

Aprovados em concurso público de provas e títulos da Secretaria da Educação do Ceará – 2018 mandam nota para o Blog. A categoria pede para publicizar luta por homologação do certame e convocação posterior. Confira:

NOTA DAS APROVADAS E APROVADOS DO CONCURSO DA SEDUC 2018

Nós, aprovadas e aprovados no último Concurso Público de Provas e Títulos para Provimento de Cargos Efetivos de Professor Nível A com Lotação na Secretaria da Educação do Estado do Ceará, Edital Nº 30/2018 – Seduc/Seplag, de 19 de Julho de 2018 e finalizado em março de 2019, vimos por meio desta nota mostrar nossa angústia no que tange às etapas subjacentes do referido certame, quais sejam a homologação no Diário Oficial do Estado e posteriores convocação e exercício efetivo do cargo.

Muito nos preocupa o silêncio do Governo do Estado, mesmo diante dos apelos individuais e coletivos das professoras e professores aprovados. Apelos esses realizados em reuniões com o governo, redes sociais e notas em veículos de imprensa.

Deste modo, não há perspectiva por parte das aprovadas e aprovados diante do silêncio das autoridades que podem, mediante suas inerentes competências, promover a concretização do processo seletivo citado.

Destacamos o árduo caminho trilhado pelas candidatas e candidatos, hoje aprovadas e aprovados, a abdicação de interesses pessoais legítimos a fim de garantirem suas aprovações em um grande concurso com mais de 50 mil inscritos para apenas 2500 vagas.

Destacamos também que o Governo do Estado, ao realizar esse certame, já deveria ter previsto em seu orçamento a contratação dos novos servidores, evitando assim, quaisquer impressões de que tal concurso objetivava apenas fins eleitoreiros.

O estado do Ceará, referência nacional em educação, deve respeito às professoras e professores aprovados no Edital 30/2018. Devendo, portanto, se manifestar sobre às fases que completam o concurso.

Esperamos uma posição do Governador do Estado, da SEDUC e das demais instituições envolvidas no processo. E repudiamos a ausência de clareza das informações o que fomenta total descrença no Poder Público Estadual.

Nós professoras e professores aprovados permaneceremos mobilizados nessa luta que não é apenas nossa, mas abrange todo o contexto da Educação do estado do Ceará.

Respeitosamente,

*Professoras e professores com aprovação no concurso da SEDUC 2018.

Camilo garante reajuste para professores; mas benefício só entra na folha a partir de agosto

314 4

Antes de anunciar o seu pacote de ajustes, com decretos embutidos para azeitar a máquina arrecadadora, o governador Camilo Santana (PT) procura aliviar a situação de pressão com algumas categorias de peso. Uma delas: os professores.

Ele acaba de fechar acordo com o Sindicato Apeoc e garantiu reajuste salarial de 4.17% para a categoria retroativo a janeiro. Detalhe, sendo implantado a partir de agosto próximo. O benefício atenderá aos docentes da ativa, temporários, aposentados e pensionistas.

Outra: garantiu a implantação das promoções devidas – 2016 e 2017, também em agosto. Já o retroativo, ou seja, perdas salariais, continuará em negociação, adianta o sindicato.

(Foto – Arquivo)

Quebra de segurança – Inep decide hoje se adia prova do Encceja

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Alexandre Lopes, informou o afastamento de dois servidores por quebra no protocolo de segurança nos procedimentos de confecção da prova do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) 2019.

O Encceja serve para conceder o diploma de conclusão do ensino fundamental ou médio para jovens e adultos que não conseguiram obtê-lo na idade adequada. Lopes disse que ainda não é possível avaliar se a medida vai resultar no adiamento do exame, previsto para ocorrer no dia 25 de agosto em 611 municípios.

Segundo o presidente do Inep, a quebra de segurança ocorreu durante a etapa de entrega da prova para a gráfica que vai confeccionar o exame. Pelo protocolo do Inep, um servidor transporta uma mídia física, como um pendrive ou DVD, com as questões do exame e outro servidor leva a senha memorizada para a abertura da mídia.

Os dois viajam em voos separados. A servidora que deveria memorizar a senha, esqueceu e pediu para o seu superior entrar na sala de segurança do Inep para enviar. O novo envio da senha ocorreu de forma eletrônica, o que é proibido pelos protocolos do Inep. O motivo é evitar que haja algum tipo de captura dos dados eletrônicos seja por ligação, ou envio de dados por e-mail ou aplicativos.

“O que houve foi que a servidora que memorizou a senha, esqueceu a senha. Entrou em contato com seu superior no Inep que entrou novamente na nossa sala segura e transmitiu a senha por forma eletrônica, aí é que houve a quebra no protocolo de segurança. A partir daí foi que tomamos a decisão de fazer o desligamento das pessoas e o afastamento para que a gente possa fazer a apuração de responsabilidade e, junto com a equipe, a gente trabalhe como fazer o Encceja”, disse Lopes em coletiva no Ministério da Educação na noite dessa terça-feira (21).

Inscrição garantida

Lopes, que assumiu a presidência do Inep há poucos dias, disse que a quebra no protocolo não afetará os calendários de inscrições para o exame, que começaram na segunda-feira (20) pela internet e seguem até o dia 31 de maio.

A inscrição é gratuita. Para se inscrever é preciso ter, pelo menos, 15 anos completos na data da prova. Para o certificado do ensino médio, a idade mínima exigida é 18 anos. Até o momento cerca de 730 mil pessoas se inscreveram para o Encceja.

“Houve uma quebra no protocolo de segurança e por conta disso a gente resolveu trazer isso a publico e informar que as pessoas podem continuar a fazer suas inscrições no Encceja. Vamos fazer o desligamento dos servidores que fizeram essa inconformidade e reunir a equipe técnica para ver como vamos proceder em relação a prova”, disse.

As provas serão aplicadas no dia 25 de agosto em 611 municípios. Serão quatro provas objetivas, cada uma com 30 questões de múltipla escolha e uma redação. A nota mínima exigida para obtenção da proficiência é 100 pontos nas provas objetivas e de cinco pontos na redação.

Risco de adiamento

Nesta quarta-feira (22), a equipe do Inep vai se reunir para decidir se haverá ou não necessidade de adiar a realização do exame. “Isso pode acontecer, isso vai depender do que a equipe técnica vai falar. Assim que tivermos a informação a gente traz. A gente quer dar de forma muito transparente as informações para as pessoas que vão fazer o Encceja, para poder tranquilizá-las”, disse Lopes.

Questionado se a quebra de protocolo poderia se repetir com a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), Lopes disse que as medidas de segurança para o exame do Enem são mais rígidas.

“O protocolo de segurança do Enem é mais rígido. Esse transporte da mídia e da senha é feito com o acompanhamento da Polícia Federal e a abertura da prova na sala segura da gráfica também é acompanhada e filmada pela Polícia Federal”, disse.

(Agência Brasil)

Governo e educação

Com o título “Governo e educação”, eis artigo de Martônio Mont’Alverne, professor da Unifor e ex-procurador-geral de Fortaleza na gestão de Luizianne Lins. Ele aborda o caso do corte de verba das universidades federais. Confira:

A eleição de Bolsonaro não representou o brasileiro de classes sociais C e D; representou o brasileiro conservador destas classes. Não representou o brasileiro que claramente queria projetar-se além de seu limite econômico e social, mas aquele que esperava consolidar o que já tinha. Formado o governo, que esperava mandar pela religião, foi por ela mandado; planejava celebrar e dominar investigação e justiça, começa a ser pela investigação dominado; “se rebelou contra seus próprios políticos e escritores”; estes já mostraram nesta semana do que são capazes, após grandes manifestações. Um governo constituído em sua grande maioria de despreparados em todos os sentidos – o quê inclui o presidente -, de perturbados por ideias de um astrólogo, de aproveitadores que apenas esperam futuros cargos e de profetas pentecostais jamais se conciliaria com a ciência e educação. Ao contrário: tem na ciência e educação os primeiros inimigos.

Se a universidade brasileira é tão ruim, indicadores internacionais nada significam para este soez agrupamento. Sua visão destrutiva do saber e dos processos de formação da ciência representa o contrário do que nossa Constituição estabelece, por exemplo, no seu art. 219, ao incentivar e ressaltar o papel da ciência e tecnologia, do mercado interno e do bem estar social. Este foi o caminho trilhado por qualquer país do capitalismo desenvolvido. Até isso são incapazes de assimilar. Entregam o País ao acaso de vontades estrangeiras, as quais, como se sabe, não virão em favor dos interesses nacionais. Chegamos, em tão curto tempo, ao fundo do poço, sem ter vivido o apogeu.

Não havia como dar certo. Hoje, aqui e acolá, do coro dos arrependidos já se ouve as primeiras lamúrias. Simploriamente, dirão que erraram e pedirão desculpas, como quem esquece de dizer “por favor”. Amarguradas celebridades, jornalistas, intelectuais e políticos sabiam da dimensão do erro que cometeram e que tanto ajudaram a construir. Tinham perfeita noção e por isso não há como receberem perdão, como nos adverte a boa literatura: “o perdão encoraja o pecador”.

*Martônio Mont’Alverne,

Professor da Unifor e ex-procurador-geral de Fortaleza na gestão Luizianne Lins.

(Foto – Divulgação)

Encceja 2019 – Inscrições para o exame já podem ser feitas pela internet

107 1

As inscrições para o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) 2019 começaram hoje (20) pela internet e seguem até o dia 31 de maio. A inscrição é gratuita. Jovens e adultos que não terminaram os estudos na idade adequada podem fazer o exame para obter a certificação de conclusão no ensino fundamental ou médio.

Os interessados no certificado do ensino fundamental precisam ter, pelo menos, 15 anos completos na data da prova. Para o certificado do ensino médio, a idade mínima exigida é de 18 anos.

As provas serão aplicadas no dia 25 de agosto em 611 municípios. Serão quatro provas objetivas, cada uma com 30 questões de múltipla escolha, e uma redação. A nota mínima exigida para obtenção da proficiência é de 100 pontos nas provas objetivas e de cinco pontos na redação.

Os resultados podem ser usados de duas formas. Quem conseguir a nota mínima exigida em todas as provas tem direito à certificação de conclusão do ensino fundamental ou do ensino médio. Aqueles que alcançarem a nota mínima em uma das quatro provas, ou em mais de uma, mas não em todas, terão direito à declaração parcial de proficiência.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) disponibiliza na página do Sistema Encceja apostilas com material de estudo para os participantes de nível fundamental e médio.

Edital em Libras

Uma novidade desta edição será uma versão do edital em Libras. Outra mudança é que o participante que já teve laudo médico aprovado em outras edições não precisa apresentar novo laudo durante a inscrição. Participantes surdos, deficientes auditivos e surdocegos devem indicar, durante a inscrição, se usam aparelho auditivo ou implante coclear.

Dessa vez, será preciso justificar o motivo de ausência na edição anterior, de 2018.

(Agência Brasil)

Parlamentar odeia professor?

Em artigo sobre a proposta da Escola sem Partido, o professor Francisco Djacyr Silva de Souza reclama da ação de vereadores na Câmara Municipal de Fortaleza. Confira:

Fico a me perguntar o que tem levado alguns parlamentares a desferirem ódio aos professores e tentar colocar a população contra aqueles que têm como missão formar pessoas para o futuro da nação.

Recentemente um projeto de lei que tem como objetivo evitar que o ódio dos conservadores possam destruir a vida dos educadores tem sido postergado pela Câmara Municipal de Fortaleza, por meio de uma bancada odienta que se orienta pelos que bradam uma tal Escola Sem Partido.

O projeto em questão, de autoria do Vereador Evaldo Lima, tem sido barrado pela estratégia do vereador Jorge Pinheiro, que constantemente pede vistas com o claro objetivo de destruir os educadores. Qual o objetivo deste vereador ao fazer isso? O que se esconde nessa atitude rasteira? O vereador é simplesmente mais um inimigo da escola e dos educadores? Por que tanto ódio?

Os professores merecem respeito, merecem trabalhar tranquilos sem acusações ou perseguições. O que o vereador faz é ridículo, sem sentido e completamente deslocado do sentido e do respeito aos educadores. O Vereador não deveria fazer isso, não deveria desrespeitar o direito sagrado de uma aula no verdadeiro sentido da democracia.

Quem desrespeita professor faz assim. Quem odeia age assim. Resta apenas pedir um pouco de razão e, se possível, amor.

Francisco Djacyr Silva de Souza

Professor

Instituições têm até segunda para manifestar interesse no ProUni

As instituições de educação superior que desejarem participar da edição do Programa Universidade para Todos (ProUni) do segundo semestre deste ano têm até a segunda-feira (20) para manifestar interesse, por meio do Sistema Informatizado do ProUni, o SisProUni, na internet. A formalização é obrigatória para aquelas que desejam participar do programa tanto no caso de primeira adesão quanto de renovação.

Após a manifestação de interesse, a adesão ao ProUni deverá ser feita até o dia 27. A adesão é facultativa apenas para as mantenedoras que não têm registro no Cadastro Informativo de Créditos não Quitados do Setor Público Federal (Cadin). Também não é obrigatória a renovação das que comprovarem a quitação de tributos e contribuições administrados pela Receita Federal.

O número de bolsas a serem ofertadas em cada curso pelas instituições será informado nos termos de adesão ou aditivos. As informações constam do edital do programa, publicado no final de abril, no Diário Oficial da União.

O ProUni concede bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, em instituições privadas de educação superior. Em contrapartida, as instituições recebem isenção de tributos.

Na primeira edição deste ano foram ofertadas 243.888 bolsas de estudo em 1.239 instituições particulares de ensino. Do total de bolsas, 116.813 eram integrais e 127.075 parciais, de 50% do valor das mensalidades.

(Agência Brasil)

Educação: impasses precisam ser superados

Editorial do O POVO deste sábado (18) aponta que o Ministério da Educação, no atual governo, tem produzindo mais problemas do que propostas . Confira:

Passados cinco meses do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL), um dos ministérios mais importantes da Esplanada – o da Educação – continua funcionando de forma errática, produzindo mais problemas do que propostas para essa área por demais sensível. Não por acaso, foi a partir das escolas e universidades, que se produziu a maior mobilização popular, desde as manifestações pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff.

O governo procurou reduzir a importância dos atos que se espalharam por todo o Brasil, na quarta-feira, chamando a massa estudantil – nas palavras do próprio presidente – de “idiotas úteis”, manobrados por “espertalhões”. Mas o que pôde ser comprovado é que, apesar de algumas reivindicações específicas de poucos setores terem destoado do móvel central da mobilização, a grande maioria dos estudantes foi às ruas para protestar contra o contingenciamento de verbas e o corte de bolsas de mestrado e doutorado nas universidades. Nem se entra aqui no mérito se estão certos ou errados os estudantes, mas o fato inescapável é que foi um ato importante, cujas consequências ainda estão por se observar.

E, nem bem os estudantes haviam deixado as ruas, estoura outra crise no Ministério da Educação: a demissão do presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa Educacionais (Inep), Elmer Coelho Vicenzi. Seu sucessor, Alexandre Lopes é o quarto nome a assumir o cargo, o que soma uma substituição a cada mês, praticamente. Sem contar que a pasta da Educação, em parcos cinco meses, já está no segundo titular.

Essa situação, por si bastante dramática – o Inep é responsável pelas provas do Enem -, torna-se ainda mais grave quando se conhece o motivo que levou ao afastamento de Vicenzi: uma disputa em torno do pedido do ministro Abraham Weintraub em conhecer dados sigilosos dos estudantes, o que foi recusado pelo procurador-chefe do MEC. A intenção do ministro e do governo seria utilizar esses dados, entre outras ações, para criar uma carteira de estudantes, de modo a retirar essa tarefa da responsabilidade da União Nacional dos Estudantes (UNE), a principal fonte de renda da entidade estudantil.

O fato é que a indicação de titulares para o MEC – como é o caso do atual ministro e de seu antecessor -, partidários da teoria de que as universidades e as escolas em geral são o lócus de “esquerdistas”, mais interessados em fazer “balbúrdia” do que em estudar, tem feito muito mal à educação brasileira. Se a situação assim persistir, o impasse continuará impedindo qualquer avanço nesse setor, que poderá, aí sim, transformar-se em um campo de guerra ideológica, o que poderá satisfazer alguns segmentos extremados, tanto da situação quanto da oposição, mas levará a educação brasileira a um beco sem saída.

Dr. Jaziel propõe disciplinas de cidadania, solidariedade e participação política nas escolas

111 1

O deputado federal Dr. Jaziel (PR-CE) protocolou projeto de lei que estabelece as disciplinas de cidadania, solidariedade e participação política nas escolas. Segundo o parlamentar, a ideia é o resgate de valores morais na juventude brasileira.

“O artigo 205 da nossa Constituição Federal fala que a educação visa ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho, assim como a Lei de Diretrizes de Base fala do exercício da cidadania como finalidade da educação. Com esse projeto daremos importantes passos rumo a uma sociedade melhor”, disse Dr Jaziel, nesta sexta-feira (17), durante entrevista ao programa Jornal da Clube, na Rádio Clube, AM 1200, com apresentação dos jornalistas André Capiberibe e Renato Abreu, com participação do jornalista Barros Alves.

“O Brasil precisa ser mudado e é desenvolvendo a consciência patriótica de nossa juventude que avançaremos em direção dessa tão desejada mudança”, completou o deptado.

O programa Jornal da Clube vai ao ar de segunda-feira a sexta-feira, das 18 às 19 horas.

(Foto: Divulgação)

Sindicato Apeoc espera ser recebido por Camilo Santana, nesta sexta-feira

Após dois adiamentos de encontro no Palácio da Abolição, o presidente do Sindicato Apeoc, Anizio Melo, disse que espera ser recebido pelo governador Camilo Santana, em agenda marcada para as 9 horas desta sexta-feira (17), quando deverá ser discutida a pauta salarial da Educação.

“Governador, cumpra os compromissos assumidos com a nossa pauta de reivindicações. Depois de dois adiamentos, queremos resolução”, reclamou Anizio Melo.

O Sindicato Apeoc está com a campanha “Efetiva, Camilo: Reajuste retroativo e para todos; Pagamento de Promoções e Gratificações; Homologação do Concurso para Professor,l; Decreto da Ampliação Definitiva de Carga Horária; Paridade e Integralidade da Regência de Classe na aposentadoria; Fim do teto do Vale-alimentação; e revisão da tabela vencimental dos funcionários da Educação”.

(Foto: Arquivo)

Presidente do Inep pede demissão

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Elmer Coelho Vicenzi, pediu demissão hoje (16). A informação foi confirmada há pouco pelo Ministério da Educação (MEC).

A pasta diz apenas que a demissão foi “a pedido”. O MEC não divulgou ainda um substituto.

Delegado de Polícia Federal, Vicenzi assumiu o Inep no dia 22 de abril. Ele foi chefe do Serviço de Repressão a Crimes Cibernéticos da Coordenação-Geral de Polícia Fazendária da Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado e diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Autarquia vinculada ao Ministério da Educação, o Inep é responsável por avaliações como o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), aplicado a estudantes desde a alfabetização até o ensino médio, além dos Censos Escolar e da Educação Superior.

(Agência Brasil)

Domingos Neto diz que discurso ideológico prevalece sobre risco de fechamento de institutos e universidades

Para o deputado federal cearense Domingos Neto, o discurso ideológico tem prevalecido sobre a iminente ameaça de fechamento de institutos e universidades, diante do corte de verbas federais na educação.

“Há o risco iminente de institutos e universidades fecharem suas portas, mas, mais uma vez, o foco do problema não é atacado no debate. Tudo acaba no discurso ideológico”, lamentou o parlamentar cearense, ao chamar a atenção do ministro da Educação, Abraham Weintraub.

Domingos Neto apontou a importância dos Institutos Federais para os jovens mais carentes do Ceará, lembrando que algumas instituições receberão cortes de mais de 40%.

“Vários dos nossos municípios, inclusive o meu (Tauá), teve um instituto federal que hoje presta um importante serviço para os jovens da nossa região”, comentou.

(Foto: Divulgação)

Mourão diz que governo não soube comunicar bloqueio no orçamento

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou hoje (15) que o governo não soube comunicar os bloqueios orçamentários feitos em várias áreas, em especial na educação. Por causa do contingenciamento na área, milhares de manifestantes, principalmente estudantes e professores universitários, saíram às ruas de todo o país para protestar contra a medida.

“Nós, governo, não soubemos comunicar isso. Ficou o tempo todo colocado como corte, aquele número cabalístico de 30%, quando todos os ministérios que têm um grande número de gastos e um orçamento elevado, eles sofreram um bloqueio consistente”, disse Mourão. Segundo ele, a frustração de receitas, causadas pela queda na arrecadação, determina que haja uma contenção orçamentária, que poderá ser desbloqueada no fim do ano.

“Isso é contingenciamento, o que acontece. Eu tenho que me programar, selecionar quais são minhas despesas principais, colocar minha prioridade naquilo ali e retardar minhas despesas secundárias para o segundo semestre do ano, ou até o último trimestre, quando normalmente esses recursos são desbloqueados”, acrescentou.

Para o vice-presidente, as manifestações estão dentro da normalidade, mas houve exploração política contra o governo, já que, segundo ele, o contingenciamento orçamentário ocorre todo ano e nem sempre há protestos.

(Agência Brasil)

Ato contra bloqueios na educação termina em Fortaleza com convocação de greve geral

Após reunirem milhares de pessoas em ato nesta quarta-feira, 15, representantes estudantis, sindicalistas e diretores de entidades sociais convocaram os manifestantes para uma greve geral, marcada para o próximo dia 14 de junho.

A estimativa dos organizadores é de que mais de 50 mil foram às ruas protestar nesta manhã na Cidade contra o bloqueio de cerca de 30% da verba discriminatória das universidades e institutos federais anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro.

Protestos foram registrados também em todas as capitais do País e no Distrito Federal. No Ceará, há informações de atos nos municípios de Juazeiro do Norte, Iguatu, Crateús, Sobral, Cedro, Quixadá, Russas, Quixeramobim, Tauá e Paracuru.

(O POVO Online / Foto: Fábio Lima)

Inscrições para segunda edição do Sisu abrem dia 4 de junho

As inscrições para a segunda edição de 2019 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) serão abertas no dia 4 de junho e ficam disponíveis até o dia 7. A inscrição é feita pela internet e não é preciso pagar taxa. O edital com as regras foi publicado na edição de hoje (15) do Diário Oficial da União.

Pelo Sisu, os estudantes usam a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para concorrer à vagas em instituições públicas de ensino superior. Poderá se inscrever quem fez a prova do Enem de 2018 e não zerou a nota da redação.

Durante o período de inscrição, os candidatos poderão escolher até duas opções de curso, em ordem de preferência, o local de oferta, o turno e a modalidade de concorrência. O candidato pode alterar as opções de cursos, assim como cancelar. A classificação no Sisu será feita com base na última alteração efetuada e confirmada pelo candidato no sistema.

Os candidatos terão acesso à nota de corte para cada instituição participante, local de oferta, curso, turno e modalidade de concorrência.

O Sisu terá uma única chamada, com resultado divulgado em 10 de junho de 2019 no portal, e nas instituições para as quais efetuou sua inscrição.

A matrícula ou o registro acadêmico na instituição para a qual o candidato foi selecionado na chamada regular deve ser feita nos dias 12 a 17 de junho de 2019.

Para participar da lista de espera, o candidato deverá manifestar seu interesse na página do Sisu, no período de 11 a 17 de junho de 2019. É possível manifestar interesse na lista de espera em apenas um dos cursos para o qual o candidato optou por concorrer em sua inscrição ao Sisu.

(Agência Brasil)