Blog do Eliomar

Categorias para Educação

Aluna de Sobral ganha primeiro lugar no Prêmio Nacional MPT na Escola

Karízia Lima, aluna do 5° ano da Escola Elpídio Ribeiro da Silva (distrito de São José do Torto), obteve o primeiro lugar na etapa nacional do “Prêmio Ministério Público do Trabalho na Escola”, na categoria conto. Ela concorreu com estudantes de 386 municípios de 11 estados e do Distrito Federal. O prêmio será entregue pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) no dia 28 de novembro, em Brasília.

O conto vencedor, intitulado “Os monstros de Luna”, aborda o trabalho infantil e identifica, a partir dos dias da semana, os vilões que obrigam uma criança a abrir mão da sua infância para manter uma jornada de trabalho ininterrupta. Além da categoria conto, a competição reúne também trabalhos nas áreas de desenho, poesia, curta-metragem, esquete teatral e música.

O conto de Karizia foi classificado para a etapa nacional, após obter a primeira colocação na etapa estadual do Prêmio Peteca (Programa de Educação contra a Exploração do Trabalho de Crianças e Adolescentes).

Projeto Peteca

O Peteca é desenvolvido pelo Ministério Público do Trabalho no Ceará, com o objetivo de promover ações de conscientização e sensibilização da comunidade escolar e da sociedade em geral sobre os direitos da criança e do adolescente, com foco na erradicação do trabalho infantil e na proteção ao trabalhador adolescente.

(Com MPT/CE)

Abertas inscrições para Encontro de Saúde Mental e Qualidade de Vida do Estudante de Medicina

Estão abertas, até 22 de novembro, as inscrições para o Encontro de Saúde Mental e Qualidade de Vida do Estudante de Medicina, a se realizar nos dias 23 e 24 deste mês, no Auditório Paulo Marcelo, da Faculdade de Medicina (FAMED) da Universidade Federal do Ceará.

Com foco em estudantes e professores de escolas médicas de quaisquer instituições, o evento conta com 90 vagas. Interessados podem se inscrever via formulário eletrônico (https://docs.google.com/forms/d/18O5G4a5wQyiki7oTaHRouWdRena5HqVLDeaE2vzfKRs/viewform?edit_requested=true) ou presencialmente, no dia do encontro, caso restem vagas. Apesar de ter público-alvo específico, a atividade também é aberta a estudantes de outras áreas.

O evento se insere no conjunto de ações do Projeto ConversAções para Saúde Mental do Estudante de Medicina, criado por ocasião do edital do Programa de Acolhimento e Incentivo à Permanência (PAIP), da Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD).

Com mesas-redondas e conferências, a atividade terá como convidados psicólogos, psicopedagogos, psiquiatras e professores da UFC e de outras instituições. A programação completa pode ser acessada on-line (https://docs.google.com/forms/d/18O5G4a5wQyiki7oTaHRouWdRena5HqVLDeaE2vzfKRs/viewform?edit_requested=true).

O Encontro de Saúde Mental e Qualidade de Vida do Estudante de Medicina tem apoio da Liga de Psiquiatria e Saúde Mental (LPSM), do Departamento de Medicina Clínica da FAMED e do Centro de Atenção ao Estudante e Pesquisa do Estresse (CAEPES), que, na ocasião, celebrará 10 anos de atuação.

(UFC)

Brasil cai para último lugar em ranking sobre prestígio de professor

1436 11

Percepção de falta de respeito dos alunos, salários insuficientes e uma carreira pouco segura para os jovens. É assim que a maioria da população brasileira enxerga a profissão docente e coloca o País como o que dá menos prestígio aos professores. Esse cenário foi revelado pelo Índice Global de Status de Professores de 2018, divulgado na noite dessa quarta-feira, 7, pela Varkey Foundation, organização voltada para a educação. O levantamento avalia como a população de 35 países enxerga a profissão, informa o Estadão.

Enquanto há uma tendência global de crescimento no prestígio dado aos professores, o Brasil regrediu nos últimos cinco anos. Em 2013, quando o estudo foi feita pela primeira vez e avaliou 21 nações, o País aparecia na penúltima colocação. Na edição deste ano, com a piora na percepção sobre o respeito dos alunos e com menos pais dispostos a incentivar seus filhos a seguir a profissão, o índice nacional piorou e colocou o País como lanterna do ranking.

Para chegar ao indicador, foram entrevistadas mil pessoas, de 16 a 64 anos, em cada país e mais de 5,5 mil docentes. No Brasil, apenas 9% acreditam que os alunos respeitam seus professores – na China, o líder, 81% veem esse respeito. O dado aparece em consonância com o fato de que só 20% dos pais brasileiros afirmam que encorajariam seus filhos a seguir a carreira – ante 55% dos pais chineses.

O estudo também indica que o brasileiro subestima a jornada de trabalho da profissão. A sociedade estima uma carga horária semanal média de 39 horas, ante o relato dos professores de uma média de 48 horas. Segundo a pesquisa, essa percepção é forte nos países latino-americanos e se diferencia de países como Finlândia, Canadá e Japão, onde os docentes trabalham menos horas do que a percepção de suas comunidades.

A mesma tendência é observada em relação aos salários. Enquanto brasileiros consideram que um salário justo para os professores seria de U$ 25 mil (cerca de R$ 93 mil) ao ano, a remuneração real média relatada pelos profissionais é de U$ 15 mil (cerca de R$ 56 mil).

Desempenho

O estudo também identificou que a valorização docente está ligada ao desempenho dos alunos. Países com melhores notas no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa), maior avaliação de estudantes do mundo.

“Mais respeito aos professores significa que estudantes com melhor desempenho serão atraídos para a profissão, que melhores docentes irão permanecer na carreira. São fatores muito importantes para melhorar os resultados educacionais dos países”, explicou ao Estado Vikas Pota, presidente da Varkey Foundation.

Para ele, o poder público precisa investir em ações para apoiar os professores, tanto financeiramente como na melhora de condições de trabalho, para que os índices educacionais do país progridam. Na última edição do Pisa, em 2016, o Brasil apareceu entre os dez últimos do ranking. De 70 nações avaliadas, o País ficou na posição 63.ª em Ciências, 65.ª em Matemática e 59.ª em Leitura.

Professor Nazareno, da Rede Master, ganha homenagem da Academia Cearense de Língua Portuguesa

Nazareno e Herbeni, sua mulher e também diretora da Rede Master.

O educador, diretor e empresário Nazareno Oliveira, diretor-geral do Colégio Master, foi agraciado com uma homenagem da Academia Cearense da Língua Portuguesa (ACLP). Ele recebeu a Medalha de Mérito Cultural Hélio Melo pelo destaque no estudo da Língua Portuguesa.

Nazareno Oliveira, carinhosamente conhecido apenas como “Professor Nazareno”, trabalha, ao lado da esposa e também professora, Herbenni Oliveira, na missão de levar ensino de qualidade de maneira humanizada a crianças e adolescentes desde o ano 2000. Na época, os dois fundaram a primeira sede do Colégio Master, na Avenida Bezerra de Menezes (Bairro São Gerardo), em Fortaleza.

Cinco anos mais tarde os professores criaram o Colégio Master Sul, também na capital cearense. Em 2014, foi a vez de inaugurar a primeira instituição de ensino fora do Ceará: o Colégio Master Natal, localizado no bairro Capim Macio (Natal/RN).

VAMOS NÓS – Homenagem mais do que merecida a um sacerdote da educação. Além de pessoa simples, o Professor Nazareno trata seus alunos como verdadeiros filhos.

(Foto – Divulgação)

FB participa da Olimpíada Latino-Americana de Robótica

A Rede Farias Brito de Ensino participa, a partir desta terça-feira, em João Pessoal (PB), da Olimpíada Latino-Americana de Robótica. O evento vai se estender até sábado.

No grupo do FB, tendo à frente Aline Castro, coordenadora de Olimpíadas, os alunos Lucas Patrocínio (18), Alexandre Costa (18), Matheus Cunha (18) e Gisele Vieira (17) e a expectativa de conquistar novas medalhas.

O objetivo é a classificação para a Olimpíada de Robótica de Sidney (Austrália) em 2019.

(Foto – Paulo MOska)

Camilo deseja sorte aos 107 mil alunos da rede estadual que farão Enem neste domingo

228 1

O governador Camilo Santana gravou mensagem neste sábado (3) aos mais de 107 mil alunos da rede estadual de ensino que farão as provas do Enem neste domingo (4).

Ao agradecer professores, coordenadores de ensino e colaboradores pelo empenho aos alunos, durante todo este ano, Camilo desejou sorte aos estudantes e disse que espera que o Ceará quebre o recorde de aprovações, que no ano passado somou 17 mil ingressos em universidades públicas.

Comissão aprova proposta que obriga escola a informar faltas injustificadas dos alunos

A Comissão de Finanças e Tributação aprovou proposta que obriga estabelecimentos de ensino a informarem pais de alunos ou responsáveis legais sobre faltas injustificadas do estudante por mais de quatro dias consecutivos ou oito intercalados.

O relator, deputado João Paulo Kleinübing (DEM-SC), recomendou a aprovação do texto na forma do substitutivo ao Projeto de Lei 1545/15, do deputado Carlos Henrique Gaguim (DEM-TO), aprovado em 2016 pela Comissão de Educação.

O texto aprovado altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB – 9.394/96). Essa norma exige dos alunos frequência mínima de 75% do total de horas letivas para fins de aprovação e também prevê que os pais sejam informados das faltas, mas não define quando isso deve ocorrer.

O substitutivo determina ainda que o atendimento aos alunos das escolas públicas de educação básica por psicólogos será feito por profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS) – haverá prazo de um ano, a partir da publicação da futura lei, para oferta desse serviço. O projeto original obrigava todas as escolas a disporem de psicólogos em seus quadros de profissionais.

O projeto tramita em caráter conclusivo e ainda será Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

(Agência Câmara Notícias)

Câmara Federal promove audiência pública sobre educação midiática

A Comissão de Educação da Câmara vai promover na terça-feira (6) uma audiência pública para tratar de educação midiática. Entre os convidados, estão representantes do governo, da UNESCO e professores.

Política pública já adotada na Europa e nos Estados Unidos, a educação midiática é o ensino de competências que permitam às pessoas interagirem em uma sociedade marcada pela diversidade de informações e de plataformas de mídia. É também adquirir posicionamento crítico em meio à enorme quantidade de conteúdo e a uma sociedade em constante mudança.

A deputada que solicitou a audiência, Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO), ressaltou que vivemos em um momento muito preocupante, com a disseminação em massa das chamadas fake news. Por isso, ela considera essencial que os cursos de licenciatura sejam capazes de preparar o professor para lidar com esse cenário.

“É saber distinguir qual informação é correta e qual não é, como o professor consegue lidar com essa diversidade, saber abordar e enfrentar o tema e aproveitar essa riqueza, essa produção de conteúdo diversa, que está disponível ao aluno e ao professor.”

Segundo a deputada Dorinha Seabra, o encontro na Comissão de Educação tem o objetivo de debater a adequação curricular no que se refere à utilização da mídia e da tecnologia a serviço da educação, que é um dos maiores desafios da atualidade.

(Agência Câmara Notícias)

ONG promove palestras em escolas sobre educação inclusiva

Não há deficiência, mas sim eficiência. Esse é o tema das palestras promovidas pela ONG Existir Associação Inclusiva de Fortaleza, para alunos do ensino infantil, com o objetivo de uma educação inclusiva. Esta semana, a palestra ocorreu para alunos do Colégio Master Sul, na Cidade dos Funcionários.

Para o presidente da ONG que cuida de crianças e jovens portadores da Síndrome de Down, João Manoel Silva, “é preciso conhecer e respeitar as diferenças, independente das limitações físicas e mentais”.

O palestrante pontuou a necessidade das escolas a trabalharem a temática desde cedo, evitando a discriminação social e, em contrapartida, fortalecendo boas ações no futuro.

“Devemos preparar nossas crianças para uma vida de grandes desafios e sem preconceitos, que muitas vezes aparecem de forma sutil”, completou o dirigente da entidade, que há 13 anos está à frente do projeto no bairro Bela Vista. Crianças doaram brinquedos ao projeto sem fins lucrativos.

SERVIÇO

ONG Existir
Rua Mário de Andrade, 891, bairro Bela Vista
http://sindromededownexistir.blogspot.com
Facebook.com/Associação-Inclusiva-de-Fortaleza-Existir.

(Foto: Divulgação)

Prefeitura lança seleção pública para formar cadastro de reserva na área do professorado

O Instituto Municipal de Desenvolvimento de Recursos Humanos (Imparh) lançou, em seu site, seleção pública para formação de cadastro de reserva para professores substitutos da rede municipal de ensino de Fortaleza. As inscrições já podem ser feitas, exclusivamente, pela internet. O prazo vai até o próximo dia 25, no Canal de Concursos e Seleções do Portal da Prefeitura, informa a assessoria de comunicação do Paço Municipal.

Os interessados em participar da seleção devem possuir licenciatura em pedagogia ou licenciatura que habilite para ensino nas seguintes disciplinas: língua portuguesa, libras, língua inglesa, língua espanhola, matemática, ciências, geografia, história, artes, educação física e ensino religioso.

Os candidatos aprovados na seleção serão lotados no período da manhã, tarde e/ou noite, nas Escolas Municipais localizadas nos seis Distritos de Educação, obedecendo-se rigorosamente à ordem crescente de classificação final, por área e distrito de sua opção.

Processo

O processo seletivo será realizado em uma única etapa, que constará da aplicação de prova objetiva, com 40 questões, de caráter eliminatório e classificatório. A data prevista para aplicação da prova objetiva é 16 de dezembro, sendo no período da manhã para os candidatos das áreas específicas, e no período da tarde para os candidatos da pedagogia.

Para se inscrever, os interessados devem acessar o Canal de Concursos e Seleções do Portal da Prefeitura, preencher o formulário eletrônico e pagar a taxa de inscrição no valor de R$ 110.

SERVIÇO

*Diretoria de Concursos e Seleções (Dices) – Avenida João Pessoa, 5609 – Damas
*Mais Informações – 3433.2987.

TJ do Ceará diz que escolas públicas não podem impedir a entrada de alunos sem fardamento

As escolas municipais e estaduais não poderão mais impedir a entrada de estudantes que não estejam vestidos com o fardamento. A decisão é da 1ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça do Ceará, que manteve liminar proferida pelo Juízo da 2ª Vara da Comarca de Quixadá (Sertão Central). Em caso de descumprimento, fixou multa diário de R$ 5 mil. A informação é da assessoria de imprensa do TJCE.

“No caso concreto, tem-se uma restrição ainda mais grave, tendo em vista que há exigência de contraprestação financeira, dentro da rede pública de ensino, para a compra de fardamento”, destacou no voto o relator da matéria, desembargador Fernando Ximenes. De acordo com o processo, a Defensoria Pública do Estado ajuizou ação civil pública solicitando que as escolas públicas municipais e estaduais se abstenham de impedir a entrada de estudantes que não tiverem condições de adquirir o fardamento. Além disso, requereu que o Estado forneça o fardamento aos alunos.

O Juízo da 2ª Vara da Comarca de Quixadá deferiu o pedido para que as instituições de educação não impeçam a entrada dos estudantes sem fardamento. Em caso de descumprimento, fixou multa de R$ 5 mil por dia.

Requerendo o efeito suspensivo da medida, o Estado interpôs agravo de instrumento (nº 0624545-53.2017.8.06.0000) no TJCE. Alegou que a decisão causa lesão grave e de difícil reparação, pois impõe o custo do fornecimento de fardas escolares para os alunos, em descumprimento à legislação estadual.

Também argumentou falta de segurança em razão da permissão do ingresso de pessoas não fardadas dentro da escola. Informou ainda que, mediante consulta pública do Conselho Escolar sobre a adoção de fardamento, os pais se comprometeram a adquirir o material pelo valor de R$ 30,00.

Ao apreciar o caso na última segunda-feira (29/10), a 1ª Câmara de Direito Público manteve a liminar. No voto, o desembargador ressaltou que “não me parece razoável, muito menos compatível com as ideias de igualdade e respeito às pluralidades defendidas pela CF/88, o ato de excluir do ambiente escolar aqueles que não possuem condições para a aquisição onerosa do fardamento. Portanto, vislumbra-se de pronto a probabilidade do direito apontada pela autora como requisito à obtenção da tutela de urgência em análise”.

No que diz respeito à consulta aos pais dos alunos, o relator afirmou que “não há indício de que tenha sido lançada consulta pública à comunidade sobre o uso ou não de fardamento, o que pressupõe coleta de votos, tampouco que essa decisão caberia igualmente aos pais”.

Ainda segundo o desembargador, “avaliando-se o perigo de dano ou o risco ao resultado útil do processo, impossível que se verifique nos autos qualquer prova ou indício de dano real pelo fato de se permitir que um aluno tenha tão somente permissão para assistir as aulas que lhe são direcionadas. Embora haja uma suposta justificativa de segurança para o ambiente escolar, deve ser buscada uma alternativa inclusiva e socialmente adequada, para que não haja desvios discriminatórios, como se observa no caso em tela”.

MEC muda regras para expedição de diploma para garantir segurança no processo

O Ministério da Educação (MEC), estabeleceu novas regras para expedição e registro de diplomas de graduação. Agora, as faculdades e universidades terão que publicar no Diário Oficial da União informações sobre os diplomas registrados e manter informações detalhadas para consulta pública nos próprios sites. As mudanças foram publicadas no Diário Oficial da União.

De acordo com o MEC, o objetivo é reduzir o risco de fraudes e conferir maior segurança nos procedimentos internos das instituições de educação superior. As instituições terão um prazo de 180 dias para se adequar às novas regras.

Entre as mudanças está a exigência de um termo de responsabilidade a ser assinado pelas instituições de educação superior e prazos para a expedição e o registro dos diplomas. As instituições também deverão cancelar diplomas irregulares quando detectarem vícios nos procedimentos de expedição e registro e dar publicidade dos diplomas cancelados.

Outra alteração é que o verso do diploma deverá trazer a identificação da mantenedora da instituição de educação superior. A expedição e o registro da primeira via do diploma, do histórico escolar final e do certificado de conclusão de curso seguem gratuitos.

(Agência Brasil)

STF autoriza cobrança de mensalidade nos 13 colégios militares do País

Por unanimidade, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (24) validar a cobrança de mensalidade nos 13 colégios militares do país. As escolas fazem parte do sistema de ensino militar, gerido pelo Exército.

A constitucionalidade da cobrança foi confirmada no julgamento no qual a Corte julgou improcedente ação da Procuradoria-Geral da República (PGR). Em 2013, o então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, defendeu o fim da cobrança por entender que os colégios militares fazem parte do sistema de ensino público, fato que impediria a cobrança de qualquer valor, devendo ser ofertado de forma gratuita.

A cobrança de contribuições nos colégios militares está prevista na Lei Federal nº 9.786/99 e na Portaria nº 42/08, do Comando do Exército.

No julgamento, prevaleceu o voto do relator, ministro Edson Fachin. Segundo Fachin, as escolas do sistema educacional do Exército fazem parte de uma modalidade diferente do ensino público. Dessa forma, as contribuições podem ser cobradas dos alunos, conforme previu a lei.

“Fundamenta-se esse juízo com base na constatação da peculiaridade dessas organizações militares, que se voltam à formação de quadros ao Exército brasileiro. Secundando esse critério pelo fato de o ensino básico obrigatório e gratuito remanescer disponível a toda a população brasileira de forma gratuita para o estudante”, afirmou o ministro.

Seguiram o relator na votação, os ministros Alexandre de Moraes, Rosa Weber, Luiz Fux, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Marco Aurélio, Celso de Mello e o presidente, Dias Toffoli.

De acordo com a Advocacia-Geral da União (AGU), que defendeu a cobrança no Supremo, as mensalidades custam cerca de R$ 226 para alunos que cursam o ensino fundamental e R$ 251 para o ensino médio.

Durante o julgamento, a ministra da AGU, Grace Mendonça, defendeu a cobrança por entender que a medida é uma forma de manutenção financeira do sistema de ensino do Exército.

Grace lembrou que a lei diferenciou as escolas militares, com objetivo de ofertar ensino de qualidade aos filhos dos militares, que estão constantemente mudando de cidade em razão de transferências determinadas pelas Forças Armadas.

“A gratuidade plena geraria a precarização de todo o sistema, mas também colocaria em risco a própria permanência das instituições, que são, como nós sabemos, instituições seculares”, disse a ministra.

Que futuro nos aguarda?

Com o título “Que futuro nos aguarda?”, eis artigo do professor Ariosto Holanda, ex-deputado federal e ex-secretário na Era Tasso. Ele aborda o mercado e os rumos da educação. Confira:

O Homem sempre procurou na Ciência meios para melhorar a sua qualidade de vida e viver mais. Para isso, ele teve que enfrentar seus três grandes inimigos: a fome, as doenças e as guerras. Pela Ciência e Tecnologia encontrou os caminhos para derrotar esses inimigos.

Se o tempo médio de vida na era das cavernas era 18 anos hoje é 85 anos. As leis da Física tiraram o homem da idade das trevas e lhes mostraram o caminho do renascimento. As revoluções industriais e os serviços que delas surgiram aumentaram a produção, a qualidade dos produtos e lhes proporcionaram melhor expectativa de vida.

A Ciência garantiu a superprodução de alimentos, medicamentos e novos produtos a partir da Física, Matemática, Química, Biologia, Aplicadas na Biotecnologia, Engenharia Genética, Química Fina, Nanotecnologia, Inteligência Artificial etc. Apesar dessas conquistas, ainda temos uma sociedade extremamente desigual.

Neste mundo de abundância, com 7 bilhões de pessoas, 800 milhões passam fome e vivem em extrema pobreza sem os serviços básicos de habitação e saneamento. Em 2017, para desespero do Trump, mais de 60 milhões de pessoas migraram de países subdesenvolvidos para a Europa na busca do seu direito à vida. Some-se a essa triste situação o desemprego que está destruindo o homem.

A persistir a lógica do mercado e não a do desenvolvimento humano as contradições tendem a se agravar com o aparecimento da marginalidade e violência. Temos com urgência que rever e discutir um novo modelo de desenvolvimento.

O que fazer com milhões de trabalhadores cuja força de trabalho é cada vez menos exigida ou nem mais o é? A qualificação profissional e a geração de trabalho são, atualmente, os principais desafios para a promoção da cidadania de milhões de excluídos.

Infelizmente, as nossas escolas, disfuncionais, não atendem nem ao mercado e nem ao desenvolvimento humano. Esquecemos de investir no profissional que faz a diferença – o professor. Defendo a educação como a saída dos nossos problemas.

É oportuna e merece reflexão a frase do filósofo Karl Popper, do livro A Lógica das Ciências Sociais: “Sou partidário da audácia intelectual; não podemos ser intelectualmente covardes e ao mesmo tempo buscar a verdade”.

*Ariosto Holanda

Professor

ariostoholanda@terra.com.br

IFCE de Caucaia ganha prata em Olimpíada Nacional de Geografia

O IFCE de Caucaia (Região Metropolitana de Fortaleza) ganhou a medalha de prata na IV Olimpíada Nacional de Ciências da Terra e Geografia, realizada no último fim de semana, em Brasília. Veio através dos alunos Diogo Augusto de Araújo e José Ernando de Farias, ambos do curso técnico integrado de Eletroeletrônica.

A dupla já havia conquistado prata, também, na Olimpíada de História em agosto último, na Unicamp (SP).

Diogo Augusto e José Ernando alcançaram destaque entre mais de 30 mil inscritos na competição. O Estado ainda obteve três ouros e um bronze, estes do Colégio Farias Brito, que é da rede privada.

(Foto – Divulgação)

Primeira fase do concurso para professores do Estado será realizada neste domingo

A primeira etapa do concurso para professores da Rede Pública Estadual acontecerá amanhã, 21, das 9h às 13h, horário de Fortaleza. Ao todo, 55.238 candidatos irão disputar 2.500 vagas das 13 disciplinas do ensino médio, como Biologia, Educação Física e Língua Portuguesa. O certame é dividido em três etapas. Na primeira fase, os candidatos responderão 80 questões, abrangendo Administração Pública, Educação Brasileira: temas educacionais e pedagógicos, além da disciplina específica da área de habilitação.

Os locais de prova já podem ser consultados pelo site www.uece.br/cev. Além da Capital, as provas serão realizadas nas cidades de Acaraú, Baturité, Brejo Santo, Camocim, Canindé, Crateús, Crato, Horizonte, Icó, Iguatu, Itapipoca, Jaguaribe, Juazeiro do Norte, Maracanaú, Quixadá, Russas, Sobral, Tauá, Tianguá e Senador Pompeu. Os candidatos deverão chegar ao local de prova com uma hora de antecedência, levando caneta esferográfica transparente, de tinta nas cores preta ou azul, além de documentos oficiais de identificação, conforme especificado no edital.

A segunda etapa será uma prova prática, onde os candidatos deverão ministrar uma aula na disciplina em que está concorrendo. As duas primeiras etapas são eliminatórias e classificatórias. A terceira etapa consiste na avaliação de títulos, e também é classificatória. A remuneração para os aprovados é de R$ 3.588.27, acrescida do vale-alimentação no valor de R$ 15,00 por dia útil trabalhado.

(O POVO ONline)

Professor Nazareno, da Rede Master de Ensino, ganha homenagem

824 2

A Academia Cearense da Língua Portuguesa vai entregar, às 19h30min, do próximo dia 30, no Ideal Clube, a Medalha de Mérito Cultural Hélio Melo ao professor Nazareno Oliveira, diretor-geral do Colégio Master

Nazareno Oliveira, carinhosamente conhecido como “Professor Nazareno”, trabalha, ao lado da esposa e também professora, Herbenni Oliveira, com a missão de levar ensino de qualidade de maneira humanizada a crianças e adolescentes desde o ano 2000 quando, juntos, fundaram a primeira sede do Colégio Master, na Avenida Bezerra de Menezes (Bairro São Gerardo).

Cinco anos mais tarde, eles fundaram o Colégio Master Sul, também na capital cearense. Em 2014, foi a vez de alçar um voo ainda mais alto, inaugurando a primeira instituição de ensino fora do Ceará: o Colégio Master Natal, localizado no bairro Capim Macio (Natal/RN).

VAMOS NÓS – Conhecemos de perto o trabalho do Professor Nazareno, um devotado à educação e que, acima de tudo, ama o que faz. Homenagem das mais justas.

(Foto – Divulgação)

O cenário eleitoral e o futuro da Rede Federal de Educação Tecnológica

Em artigo conjunto sobre o cenários político atual, a Diretoria Colegiada do Sindicato dos Servidores do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará sugere a defesa da educação tecnológica. Confira:

Diante da situação política extremamente grave em nosso País, a diretoria do Sindicato dos Servidores do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (SINDSIFCE) avalia os cenários e as perspectivas colocados para a rede federal de educação tecnológica a partir dos resultados eleitorais do primeiro turno.

Teremos um congresso ainda mais neoliberal, que coloca em risco a própria existência dessa rede. Em 2019, a Câmara dos Deputados terá mais representantes da política ultraneoliberal. O chamado “centrão” (DEM, PP, PR, PRB e Solidariedade), agrupamento que reúne os partidos mais fisiológicos do Congresso, liderado pelo deputado Rodrigo Maia, ocupará 142 cadeiras no parlamento. Esse bloco foi determinante para a aprovação da Emenda Constitucional 95, que congela por 20 anos os investimentos públicos nas áreas sociais. Também foi decisivo para a aprovação da contrarreforma trabalhista e do Ensino Médio, além da lei da terceirização irrestrita, inclusive para os serviços públicos.

O melhor exemplo do avanço dos defensores do Estado Mínimo foi o aumento expressivo do PSL, partido do presidenciável Jair Bolsonaro, que elegeu 51 deputados, segunda maior bancada da Câmara Federal.

Essa turma defende, por exemplo, privatizações irrestritas e ausência absoluta de intervenção do Estado nas relações de trabalho. De acordo com o próprio candidato, as regras contratuais de trabalho deveriam ser estabelecidas, exclusivamente, entre trabalhador e empregador sem interferência do poder público. “Aos poucos, a população vai entendendo que é melhor menos direitos e [mais] emprego do que todos os direitos e desemprego”, disse o candidato num evento, em maio desse ano, na ACRJ (Associação do Comércio do Rio de Janeiro).

No Senado, historicamente ainda mais elitista que a Câmara, o quadro se repete, com a redução do número de parlamentares ligados às forças populares.

Como é sabido, a expansão da rede federal de educação tecnológica só foi possível devido ao aumento do orçamento destinado à educação pública. Nesse sentido, a manutenção dos institutos também está amparada no orçamento da União.

Neste ano, já começamos a sentir os efeitos da redução orçamentária produto da EC 95. Demissões de funcionários terceirizados, cortes nas verbas de capital dos campi, redução dos auxílios estudantis e mais um ano de congelamento salarial são alguns exemplos.

Não temos dúvidas de que a nova configuração do Congresso, somada ao novo regime fiscal aprovado pelo governo Temer, representará mais retrocessos e perigos para o que é mais representativo da rede federal de educação tecnológica: ajudar a democratizar o acesso à ciência e ao conhecimento, ofertando um ensino de qualidade, e oportunizar melhores condições de trabalho e renda para filhos e filhas da classe trabalhadora.

O resultado do segundo turno e o futuro do IFCE

Os caminhos da rede federal de educação tecnológica estão intimamente ligados com o resultado que sairá das urnas no próximo 28 de outubro.

Se o projeto autoritário de educação vencer, teremos a rápida aplicação da reforma do Ensino Médio dentro dos institutos. Um retrocesso para o modelo de Ensino Médio Integrado hoje em vigor.

Se os defensores do projeto “escola com mordaça”, conhecido, demagogicamente, como “escola sem partido”, ganharem, teremos o cerceamento da liberdade de expressão em nome de uma suposta neutralidade no ato de ensinar. Como consequência disso, o ensino de vários conteúdos das humanidades se converterá em prática criminosa. Teremos um ensino tecnológico e superior que não dialogará com as necessidades e diversidades étnica, racial, sexual e de gênero das comunidades e realidades sobre as quais os institutos atuam.

Se o projeto ultraneoliberal ganhar, as parcerias com o setor privado serão apresentadas como a solução possível para os problemas orçamentários, promovendo uma ingerência do mercado sobre os interesses públicos que devem guiar o projeto pedagógico das nossas instituições.

Temos posição: defendemos a rede federal de educação tecnológica!

O SINDSIFCE, ao longo de sua jornada, atua na defesa de uma educação pública, gratuita e de qualidade, socialmente referenciada para aqueles e aquelas que estiveram alijados do direito à educação.

Entendemos que, apesar de vários limites, a expansão da rede nos últimos 14 anos permitiu que, pela primeira vez na história, uma primeira geração de filhos e filhas de famílias pobres tivesse acesso à educação tecnológica e superior de qualidade.

Queremos avançar e não retroceder. Queremos aperfeiçoar e ampliar, e não privatizar ou precarizar o IFCE e os demais institutos. Nas eleições, defenda a rede federal de educação tecnológica.

Diretoria colegiada do SINDSIFCE