Blog do Eliomar

Categorias para Educação

Professora relata preconceito de shopping contra alunos de escola pública. Shopping se manifesta

1695 41

Caro Eliomar de lima, Gostaria de compartilhar com você este relato de uma professora via Facebook. Acho que deveríamos divulgar a falta de respeito desse shopping com os alunos de escola pública. Por favor, peço que publique, pois é um grito pela educação pública.

Anne Shérida, sentindo-se indignada com Gabriel Sorriso e outras 16 pessoas em Shopping Parangaba.

Hoje, 27/10/2016, fomos eu e mais quatro professores com um grupo de 120 alunos para uma sessão especial de cinema no Shopping Parangaba. Fomos bem recebidos pelos funcionários do cinema, o filme foi muito bom e os alunos amaram, muitos deles estavam tendo essa experiência pela primeira vez.

No entanto, quando o filme terminou, tínhamos uma hora para passear e merendar pelo shopping, que era o tempo que demoraria para o ônibus vir nos buscar. Mas, infelizmente, foi muito constrangedor o que passamos (e não digo isso por mim porque eu sei me defender, mas pelos meus alunos).

Logo que o filme terminou, uma segurança me abordou e disse que os clientes do shopping estavam incomodados com os alunos, que eu pedisse para que eles fizessem silêncio. Como assim? Incomodados? Parece piada, né? Olhei nos olhos dela e disse que eles eram tão clientes quanto aqueles poucos que estavam ali almoçando. Pensei que o problema estava resolvido, grande ilusão!

Combinamos o horário e lugar de encontro com os alunos e deixamos eles irem passear, mas quando os mesmos estavam descendo a escada rolante do 3° piso em direção ao 2° piso, foram abordados por uns 3 seguranças e uma bombeira dizendo que eles não poderiam circular pelo shopping . Não consigo descrever a raiva que senti ao ver os meus alunos todos fardados e identificados “presos” naquele cubículo do 2° piso simplesmente por serem alunos da escola pública, porque foi exatamente isso que aconteceu: PRECONCEITO!!! Pois haviam lá alunos com a farda do Farias Brito, do Teleyos, mas eles podiam circular livremente pelo shopping, mas os nossos alunos não. Indignei-me com aquela situação e fui lá com a coordenadora, perguntamos qual era problema, dissemos que eles iriam passear sim caso contrário iríamos chamar a polícia.

Os alunos passearam, merendaram, jogaram no Game Station, pois eles haviam se preparado financeiramente para aquele momento, mas, infelizmente, mesmo depois que conversamos com os seguranças e fizemos uma reclamação à administração do shopping, os alunos ainda sofreram constrangimentos por parte daqueles seguranças desalmados e mal treinados proibindo os meninos de usarem o elevador, tirar selfie. Um absurdo sem tamanho! Estou extremamente decepcionada com o treinamento que o shopping dá aos seus funcionários.

Para finalizar, quando estávamos indo embora, um aluno do 6° ano, uma criança de 11 anos de idade, olhou para mim e disse assim: – Tia, eu amei o cinema, eu nunca tinha vindo, amei o passeio; que pena que eles não gostaram muito da gente, né?! Vai ter outro, Tia?

Aquilo me doeu na alma. Olhei nos olhos dele, tão empolgados pela aquela nova experiência, e disse: – Nós não precisamos que eles gostem da gente! E, sim, vai ter outros sim! Eles vão ter que engolir o preconceito deles e nos aceitar! Vamos vir quantas vezes quisermos!

E um sorriso brotou naquele rosto tão inocente.

Francisco Djacyr Silva de Souza, professor

Outro lado

*Nota de Esclarecimento

O Shopping Parangaba vem a público esclarecer o fato ocorrido nesta última quinta-feira (27/10) nas dependências do empreendimento comercial.

A administração do empreendimento está em contato com todos os envolvidos para dialogar e esclarecer eventuais equívocos, além de oferecer uma nova visita aos alunos e professores.

Após uma análise criteriosa das imagens e apuração junto aos envolvidos, constatamos que os funcionários do shopping agiram no intuito de garantir a integridade física dos alunos.

O Parangaba possui uma postura de respeito e tolerância, além de manter parcerias com escolas municipais que permitem a todos o livre acesso ao lazer e à cultura em suas dependências.

O Shopping Parangaba se coloca à disposição para demais esclarecimentos no intuito de manter a transparência de seus negócios e o bom relacionamento com os clientes e moradores de Fortaleza.

Asseec reelege Rita de Cássia para o próximo triênio

foto-sindicalismo-asseec-eleicao-rita

A presidente da Associação dos Servidores da Secretaria de Educação do Estado do Ceará (Asseec), Rita de Cássia Gomes, teve a sua reeleição confirmada na noite dessa quarta-feira (26), após o fim da apuração das urnas de Fortaleza e do interior do Estado, quando 1.326 votos válidos foram contabilizados. A eleição ocorreu na terça-feira (25).

Ex-alunos do Liceu do Ceará cobram da Seduc notebooks que ganharam em premiação

sem-titulo

De Felipe Carvalho, leitor do Blog, recebemos a seguinte nota, em tom de cobrança ao Governo do Estado. Confira:

Caro Eliomar de Lima,

Chamo-me Felipe Carvalho, sou estudante de Publicidade e Propaganda da UFC, e gostaria de pedir um imenso favor: o seu apoio na denúncia sobre o descaso com a entrega dos notebooks do SPAECE, prêmio que ganhei no ensino médio em 2013. Passaram-se incríveis três anos e eu e mais 92 alunos do Colégio Liceu do Ceará ainda não recebemos nossa premiação.

O que mais me chateia é o colégio, que recebe os prêmios pelos alunos, não se posicionar firme indo atrás do que é nosso. Coloquei-me como líder, há meses, pra ir atras de algo que é nosso por direito, mas o Liceu do Ceará informa apenas que não pode fazer muito, a não ser aguardar.

E quando eu ligo inúmeras vezes para a Secretaria da Educação do Estado, quando atendem, informam que “está chegando”, “está próximo de vir”, “os notebooks deram defeito, mudamos o lote”. Mas SEMPRE dão informações vagas.

Por conta desse descaso, em nome de todos os estudantes contemplados com o prêmio, pedimos que o senhor torne público essa situação. Quem sabe assim, a Seduc e/ou colégio tomarão alguma iniciativa e ação concretas em prol de nós, estudantes.

Sem mais,

Felipe Cardoso.

Bolacha seca com suco – Ex-aliado de Capitão Wagner diz que candidato mente sobre merenda escolar em Fortaleza

márcio cruz

O vereador Márcio Cruz (PSD) disse, na manhã desta quarta-feira (26), no plenário da Câmara Municipal de Fortaleza, que o candidato do PR ao Palácio do Bispo, Capitão Wagner (PR), mente com relação à merenda escolar servida na rede municipal de ensino. Segundo o vereador, que é guarda municipal e ex-aliado de Capitão Wagner, quando ingressaram juntos na Câmara Municipal em 2013, como únicos parlamentares do PR, a merenda escolar possui carne e macarronada.

Márcio Cruz alegou que esteve nessa terça-feira (25) em duas escolas no bairro Jardim Iracema, uma delas citadas pelo candidato Capitão Wagner em seu discurso eleitoral. Márcio Cruz relatou a indignação de professores para com a fala de Capitão Wagner sobre a merenda escolar.

É preciso garantir o direito dos alunos

255 1

Editorial do O POVO neste sábado (22) ressalta que as greves na Uece ocorrem com frequência inaceitável, pois, nos últimos 10 anos, as paralisações somam cerca de um ano e cinco meses. Confira:

Assembleia de professores da Universidade Estadual do Ceará (Uece) votou pelo fim da greve, que completou seis meses de duração. O que possibilitou o término do movimento foi a assinatura de um “termo de compromisso” entre o governo do Estado e o Sindicato dos Docentes da Uece (Sinduece): o resultado do acordo pode ser conferido na reportagem que este jornal publica hoje sobre o assunto.

Os estudantes poderão agora retornar às aulas, tentando recuperar o tempo que a greve lhes tomou. Prejuízo que sentem, principalmente, os alunos que precisam concluir a graduação para ingressarem em empregos que exigem o término do curso; aqueles que se preparam para concursos e exames; ou para quem pretende continuar seus estudos em pós-graduação. Em resumo, todos têm algum tipo de prejuízo decorrente da greve.

E as greves na Uece ocorrem com frequência inaceitável. No período de dez anos, foram cinco movimentos paredistas, média de uma greve a cada dois anos. Paralisações ocorreram em 2005, 2007, 2013, 2014 e neste ano, somando mais de 500 dias parados. Somente para regularizar o calendário letivo, devido à greve terminada ontem, serão necessários três anos. Quanto aos outros estragos, fica difícil mensurar a sua magnitude.

Em se tratando de educação, deve-se também cobrar a responsabilidade do governo do Estado, que deveria manter negociação permanente com os professores. Mas também, por dever de justiça, reconheça-se que os professores da Uece recebem salário equivalente ao de docentes de outras universidades estaduais nordestinas (à exceção de uma, em Alagoas) e também da Universidade Federal do Ceará (UFC). A diferença, em termos salariais, fica apenas para os professores substitutos, temporários e visitantes, problema que foi contemplado no acordo assinado.

Também não se quer negar aos professores o direito democrático de defender seus interesses e de lutar por melhores condições de ensino. Mas é preciso questionar, com vigor, se apenas a greve deve ser o instrumento dessas reivindicações. Não teriam os professores outra forma de de apresentar suas propostas, sem apelar com tamanha frequência para greves? Não teriam os estudantes de ser preservados de tantos prejuízos, sendo eles a razão que justifica a profissão de educador e fundamenta a existência da própria universidade?

Um debate sobre o “Pacote de maldades” de Temer

elmano de freitas

O Centro de Educação de Jovens e Adultos (CEJA), que fica em frente ao Shopping Benfica (Bairro Benfica), promoverá, na próxima terça-feira, às 18 horas, um debate sobre a PEC 241, que limita gastos públicos, e a MP 746, que trata da reforma do ensino médio.

Antes do debate, haverá palestra do deputado estadual Elmano de Freitas (PT), que vai expor essas matérias. Em seguira, virá o debate envolvendo professores, alunos e pais de alunos.

SERVIÇO

*CEJA – Rua Juvenal Galeno com Avenida Carapinima.

*Mais Informações – 31016575 ou 991298578 (Professor Leonardo).

Seduc/CE e Unibanco promoverão encontro com 700 alunos do ensino médio em Fortaleza

A Secretaria de Educação Básica do Ceará, com o apoio do Instituto Unibanco, realizará nos dias 26, 27 e 28 deste mês o Diálogo sobre Gestão, evento que reunirá cerca de 700 estudantes do ensino médio da rede pública do Estado (235 a cada dia) – presidentes de grêmios estudantis e alunos com perfil de liderança das escolas estaduais cearenses. O objetivo da ação, que ocorrerá das 8 às 17 horas, no Hotel Romanos, é promover o engajamento desses jovens na gestão escolar.

A programação, com duração de oito horas diárias, prevê apresentações sobre a gestão das escolas, seguidas de reflexões coletivas de como é possível participar e ajudar na dinâmica do universo escolar. Os estudantes participarão de atividades de artes e escrita, divididos em grupos, como forma de expressar seus sentimentos, dificuldades e expectativas em relação ao ambiente da escola e à gestão. Ao final, os alunos serão chamados para apresentar o resultado de seus trabalhos, que incluirão a produção de fanzines, cordel, cartazes, rap, cartas e até produção de rádio e vídeo.

“Queremos com o evento saber como o jovem se vê implicado na gestão da escola e mostrar qual o seu papel nesse processo. Queremos escutar o jovem e fazer com que ele se veja corresponsável na gestão escolar”, explica Tiago Borba, gerente de Planejamento e Articulação Institucional do instituto Unibanco.

Todo material produzido no evento pelos jovens será compilado em pendrive e distribuído aos estudantes para que apresentem e repliquem as atividades em suas escolas. “Nossa expectativa é que eles voltem para as suas escolas e compartilhem com colegas, professores e diretores o que vivenciaram”, completa Borba.

SERVIÇO

*Hotel Romanos – Rua Padre Pedro Alencar, 2012 – Bairro de Messejana, Fortaleza.

Câmara rejeita restrições ao fechamento de escolas públicas

A Comissão de Educação rejeitou o Projeto de Lei 4822/16, do Senado, que condiciona o fechamento ou reestruturação de escolas públicas da educação básica à manifestação do Conselho de Educação do respectivo sistema e da comunidade escolar. Como foi rejeitada na única comissão de mérito, a proposta será arquivada, a não ser que haja recurso para votação em Plenário.

O relator da proposta, deputado Átila Lira (PSB-PI), avaliou que o texto fere a autonomia dos estados e municípios para organizar sua política educacional, o que inclui a reestruturação e a extinção de determinados centros de ensino. “Não é recomendado que a legislação federal faça excessivo detalhamento naquilo que cabe à autonomia dos diversos entes, devendo, pois, permanecerem as normas federais e nacionais no campo das normas gerais”, avaliou.

Lira afirmou ainda que a proposta não está em harmonia com a lei que pretende alterar, a Lei de Diretrizes e Bases (9.394/96). “A proposição analisada apresenta, ainda, um contrassenso lógico. Limita a autonomia dos estabelecimentos escolares justamente no art. 15 da LDB, que assegura às unidades escolares públicas de educação básica progressivos graus de autonomia pedagógica e administrativa e de gestão financeira”, justificou.

(Agência Câmara Notícias)

Professores podem adoecer por falta de organização no trabalho, diz pesquisa

A médica e pesquisadora Ella Avellar afirmou que o adoecimento dos professores pode estar muitas vezes mais relacionado a questões de organização no trabalho do que a problemas físicos, como surdez ou depressão. O problema foi relatado em pesquisa, nessa sexta-feira (14), durante o I Seminário sobre Condições de Saúde e Trabalho dos Professores, promovido pela Fundação Jorge Duprat e Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho (Fundacentro), em São Paulo.

“Muitas vezes os técnicos estão preocupados com o ruído que vai causar surdez. E ali tem que ter um outro olhar. Eles tem que ter como base os indicadores, não só as normas. Nós temos que ver do que estão adoecendo os professores”.

Segundo a médica, entre as principais doenças que provocam afastamentos estão transtornos mentais, como depressão, transtorno bipolar e agorafobia. Também há com frequência problemas como rouquidão e paralisia das cordas vocais.

Uma pesquisa divulgada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE) em 2012 – Trabalho Docente na Educação Básica no Brasil -, aponta que as principais causas de afastamento de docentes são processos inflamatórios das vias respiratórias (17,4%), depressão, ansiedade, nervosismo, síndrome do pânico (14,3%) e estresse (11,7%). Foram entrevistados 8,9 mil professores em Minas Gerais, no Espírito Santo, em Goiás, no Paraná, em Santa Catarina, no Rio Grande do Norte e Pará.

(Agência Brasil)

Alunos da rede municipal poderão receber palestras sobre o uso sustentável e racional da água

paulodiogenes

A Câmara Municipal de Fortaleza vota nesta quinta-feira (13) o Projeto de Indicação do vereador Paulo Diógenes (PSD), que torna obrigatória a oferta de duas palestras anuais sobre uso sustentável e racional da água para os alunos de 1° e 2° Ciclos da Rede Municipal de Ensino Fundamental.

“Somente uma educação voltada para o amanhã, não imediatista e em conformidade com aquilo que os preceitos de conservação e preservação demandam, salvará fauna e flora e, neste caso específico, os mananciais e corpos hídricos que alimentam nossa cidade”, ressaltou o autor do projeto que recebeu parecer favorável do relator Eulógio Neto (PDT).

MEC publica portaria instituindo tempo integral em 572 escolas do nível médio

O Ministério da Educação publicou na edição de hoje (11) do Diário Oficial da União a portaria que institui o programa de fomento e implementação do tempo integral no ensino médio das escolas públicas. O ministério prevê implantar o programa em até 572 escolas públicas. Serão 257.400 vagas a serem divididas entre os estados e o Distrito Federal, de acordo com a população.

A criação do Programa de Fomento à Implementação de Escolas em Tempo Integral foi anunciada pelo governo no dia 22 de setembro, quando foi assinada a Medida Provisória 746/2016, que reestrutura e flexibiliza o ensino médio no país.

O governo federal irá repassar recursos para os entes federados que forem selecionados para participar. A adesão dos estados e do Distrito Federal ao programa será formalizada por meio da assinatura de um termo de compromisso e elaboração de um plano de implementação. Cada edição do programa terá duração de 48 meses, para a implantação, acompanhamento e mensuração de resultados.

Cada secretaria estadual de educação poderá aderir ao programa atendendo ao número mínimo de 2.800 alunos. O número máximo para cada estado está detalhado na portaria. O limite máximo de escolas participantes é de 30 por estado. Em entrevista no dia 30 de setembro, o secretário de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC), Rosseli Soares, disse que o ministério vai repassar aos estados R$ 2 mil ao ano por aluno da educação integral pelo período de quatro anos.

De acordo com a portaria, nos planos de implementação apresentados pelas secretarias de educação, a carga horária curricular deve ser de, no mínimo, 2.250 minutos semanais, com um mínimo de 300 minutos semanais de língua portuguesa, 300 de matemática e 500 dedicados a atividades da parte flexível. A portaria define que, após a publicação da Base Nacional Comum Curricular, as propostas curriculares deverão ser adequadas no prazo de um ano, considerando a reforma do ensino médio.

Uma vez selecionadas, as escolas participantes serão submetidas a avaliações de desempenho para se manterem no programa.

tabela_mec

(Agência Brasil)

Contradição do ensino

Editorial do O POVO deste domingo (9) comenta a recente avaliação do Censo da Educação Superior. Confira:

Existe uma contradição no ensino brasileiro que a recente pesquisa divulgada pelo Ministério da Educação (MEC) ajuda a entender. O Censo da Educação Superior (2015), preparado pelo MEC e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) mostra que para cada aluno matriculado no Ceará, em instituições públicas do ensino superior, existem 2,04 em estabelecimentos da rede privada. Dos 8.033.574 estudantes em ensino superior no Brasil, 6.080.989 estão em faculdades particulares, representando 75% dos alunos.

O que se observa é uma inversão, quando se verifica que o maior contingente de estudantes do ensino fundamental e médio, mais de 80%, estão em escolas públicas, com suas conhecidas deficiências. E são, normalmente, alunos procedentes de famílias de baixa renda. Porém, quando conseguem ascender ao ensino superior, o caminho da maioria desses jovens é a instituição privada. Por sua vez, aqueles que podem pagar pelo ensino particular nos anos iniciais de estudo, têm mais oportunidade de ingressar em universidade pública e gratuita.

Acrescente-se a isso que os jovens pobres têm de se iniciar no trabalho mais cedo, o que também dificulta o acesso a uma universidade pública, seja porque têm menos tempo para se preparar para os exames de seleção ou porque os horários oferecidos são incompatíveis com suas atividades profissionais. Ainda que as políticas de cotas, financiamento e bolsas, implementadas em governos anteriores, tenham provocado algumas mudanças no perfil dos ingressantes nas universidades públicas, a situação ainda continua injusta com os estudantes de condições econômicas mais precárias.

Não se trata, por óbvio, de criticar as faculdades privadas, pois elas são — mesmo com o sacrifício financeiros dos estudantes e famílias — instrumento que permite ao estudante procedente de famílias mais pobres o acesso ao ensino superior.

De qualquer modo, os dados expostos deveriam servir de reflexão para que se busque uma forma equilibrada de garantir o acesso ao ensino superior de forma mais equânime.

Criação do Programa Passe Livre Estudantil será analisada na Comissão de Educação

Os estudantes de baixa renda poderão ter a garantia de transporte público gratuito da residência até a escola onde estão matriculados. É o que estabelece projeto (PLS) 353/2016 que aguarda a apresentação de emendas na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE). A proposta cria o Programa Passe Livre Estudantil, com o objetivo de estimular os municípios a garantirem o passe gratuito para estudantes.

Apresentado pelo senador Roberto Rocha (PSB-MA), atualmente licenciado, em parceria com a senadora Lídice da Mata (PSB-BA), o projeto beneficia os alunos da rede pública e os bolsistas da rede privada de ensino fundamental e médio. Os benefícios também poderão ser estendidos aos estudantes de cursos profissionalizantes e técnicos, bem como aos matriculados em curso de qualificação profissional oferecido pelo programa do seguro desemprego.

Para ter direito à gratuidade, o aluno deverá comprovar a condição de baixa renda e a frequência mínima requerida pelo Ministério da Educação. O município também poderá estabelecer mais exigências para o ingresso do aluno no programa. Para custear o Programa Passe Livre, o projeto prevê a criação do Fundo Nacional do Passe Livre Estudantil, de onde serão transferidos, mediante ressarcimento, os recursos para os municípios que implementarem o programa.

(Agência Senado)

Governo pode editar MP para liberar verbas do Fies

mendonça-filho

“O ministro da Educação, Mendonça Filho, disse hoje (6) que lamenta que o Congresso Nacional não tenha votado, em sessão suspensa na madrugada de hoje (6), a matéria que abre crédito para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), e não descartou a possibilidade de ser editada uma medida provisória para liberar o recurso. A sessão do Congresso foi suspensa, por falta de quórum, antes da votação do projeto de lei que libera créditos extraordinários para o Fies, no valor de R$ 1,1 bilhão.

Segundo ele, a decisão de editar uma medida provisória é do presidente da República e o assunto deve ser discutido fazendo uma avaliação técnica e, também, política da conjuntura. “A decisão de editar uma MP não é uma decisão pessoal minha, como ministro da Educação, é sempre do presidente, ouvidas as áreas técnicas”

E completou: “Evitamos isso desde o primeiro momento, não quero descartar, mas a decisão não é nossa. Vamos discutir, eu, o ministro do Planejamento, levarei o assunto para o ministro-chefe da Casa Civil, Secretaria de Governo e, finalmente, para o próprio presidente Temer, para avaliarmos, junto com o presidente da Câmara e do Congresso, qual o contexto e a viabilidade”, disse.

Após a sessão ser suspensa, o presidente do Congresso, Renan Calheiros, que presidia a mesa, disse que iria sugerir ao presidente Michel Temer que publique uma medida provisória liberando verbas para o Fies, sem consultar o Tribunal de Contas da União, o que agilizaria a liberação dos recursos.”

(Agência Brasil)

Congresso não vota créditos para Fies; Renan vai sugerir a Temer MP sobre o tema

A sessão do Congresso Nacional convocada para a noite dessa quarta-feira (5) foi suspensa na madrugada desta quinta-feira (6) por falta de quórum. A reunião de deputados e senadores era destinada para a apreciação de vetos, dos destaques à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e a votação do projeto de lei que libera créditos extraordinários para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) no valor de R$ 1,1 bilhão.

Ao suspender a sessão, após muita discussão sobre os créditos extraordinários para o Fies, o presidente do Congresso, Renan Calheiros, que presidia a mesa, disse que vai sugerir ao presidente Michel Temer para que publique uma medida provisória liberando verbas para o Fies sem consultar o Tribunal de Contas da União, o que agilizaria a liberação dos recursos.

Os parlamentares conseguiram votar cinco dos sete vetos presidenciais passivos de análise do Congresso que trancavam a pauta da Casa antes da suspensão da sessão, entre eles o que  ampliou o limite de participação do investimento estrangeiro na aviação civil e o que suspendeu a incorporação de gratificação a aposentadorias e pensões dos fiscais agropecuários.

A sessão foi marcada pela obstrução dos partidos de oposição, que tentaram derrubar o quórum durante a votação dos vetos para impedir a análise dos destaques à LDO. Houve uma tentativa de inversão da pauta para votar os créditos extraordinários para o Fies, proposto pela oposição, mesmo assim não houve acordo e a sessão foi encerrada por falta de quórum pelo presidente do Congresso, Renan Calheiros.

(Agência Brasil)

Inep admite equívoco e diz que divulgará nota do Enem dos institutos federais

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) decidiu processar os resultados dos institutos federais no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2015 e divulgar tão logo seja possível, segundo nota divulgada no início da noite de hoje (5). A autarquia admitiu equívoco na interpretação da legislação vigente.

Após a divulgação ontem (4) dos dados do Enem 2015 por escola, os institutos federais reclamaram da ausência das instituições na divulgação. As instituições divulgaram notas dizendo que os cursos de ensino médio ofetado por elas são de referência e que alcançaram posições de destaque nos anos anteriores.

O Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) divulgou em nota que a ausência dos institutos causou indignação. O Conif diz que não sabia que a rede federal, incluída em divulgações anteriores, ficaria de fora da edição de 2015. “As instituições da rede vêm crescendo positivamente no ranking. Portanto, tínhamos uma expectativa diferente para a divulgação do resultado. Cabe-nos, agora, dialogar e tentar reverter esta situação”, diz o presidente do Conif, Marcelo Bender Machado.

(Agência Brasil)

Secult lançará Edital Escolas Livres da Cultura

Fabiano_dos_Santos_Piúba_-_Encontro_Nacional_de_Livro_e_Leitura_(1)
A Secretaria da Cultura do Ceará lançará nesta quarta-feira o Edital Escolas Livres da Cultura. O ato será comandado pelo titular da pasta, Fabiano dos Santos, que repassará todos os detalhes.

A assessoria de imprensa da pasta informa que a cerimônia ocorrerá a partir das 9 horas, na Escola de Artes e Ofícios. São R$ 10,5 milhões para apoio a iniciativas da sociedade no campo do ensino.

SERVIÇO

*Escola de Artes e Ofícios – Avenida Francisco Sá, 1801 – Jacarecanga.