Blog do Eliomar

Categorias para Eleições 2010

Vice da UVC renuncia em protesto contra uso da entidade para fins eleitoreiros

381 11

Do vereador Marcelo Mendes, de Fortaleza, este Blog recebeu a seguinte nota questionando o uso da UVC, por parte do governador Cid Gomes, para fins eleitorais. Vice da entidade, Mendes entrega o cargo. Confira:

Prezado Eliomar de Lima,

Foi com surpresa e certo constrangimento que colegas vereadores da Câmara de Fortaleza – aqui eu me incluo, receberam convite assinado conjuntamente pelo Governador do Estado e pelo Presidente da União do Vereadores do Ceará -UVC, Deuzinho Filho.

No texto do convite lê-se o seguinte: “O Governador do Ceará e o Presidente da UVC, Vereador Deuzinho Filho tem a satisfação de convidar Vossas Excelências a comparecerem para uma reunião de trabalho, onde trataremos de assuntos de classe”.

Tenho pelo meu presidente Deuzinho Filho respeito, admiração e amizade. Não fosse por ele, seu trabalho e esforço pessoal a UVC não seria uma das maiores agremiações políticas do País, com mais de 1.300 vereadores filiados. Porém, erra o presidente Deuzinho ao envolver a UVC em campanha eleitoral.

A instituição é maior que isso e não foi criada para apoiar partido ou candidato A ou B. A 48 horas da eleição, fazer convocar uma reunião com todos os vereadores do Ceará sob a alegativa de que é “uma reunião de trabalho” e para “tratar de assuntos da classe”, é fazer pouco da inteligência dos associados, dos eleitores e do público em geral. Clara e obviamente a reunião é meramente eleitoral, sequer política o é.

Que assunto “da classe” é esse que será tratado? Votar em Dilma Roussef? Esse é o assunto que “interessa” a classe?

Que a pessoa do Presidente tenha suas preferências eleitorais é justíssimo, próprio do processo democrático e natural, mas envolver e usar a instituição, que não pertence a um ou outro vereador, mas ao conjunto de milhares de vereadores do Ceará, na disputa eleitoral de domingo, não é justo, ético, nem correto (e tenho minhas dúvidas se é legal).

Quando se deram essas discussões e debates que levaram a UVC a tomar partido de determinada candidatura? Que consulta houve ao universo da categoria para se tomar tal decisão? Que princípios nortearam as avaliações e decisão final dessa escolha? E as centenas de vereadores que não votarão em Dilma, estão representados? Estão satisfeitos com medida?

A UVC tem como exclusiva finalidade as lutas institucionais pela valorização da figura do vereador e de suas missões, como foi o caso da “Emenda dos Suplentes” que a UVC e Presidente Deuzinho Filho tão competentemente participaram, inclusive, deslocando-se a Brasilia dezenas de vezes para acompanhar votações no Congresso.

Não é para votar em Serra ou Dilma que UVC existe, nem Presidente Deuzinho deveria ter se associado ao Governador utilizando-se do nome de instituição que não lhe pertence, nem deve refletir suas opiniões, escolhas eleitorias e interesses pessoais.

Sou vice-presidente da UVC e tive a alegria e orgulho de conviver e aprender com presidente Deuzinho Filho nestes últimos dois anos, mas já não me sinto à vontade ( nem dezenas de colegas que me procuraram) para continuar nos quadros de direção de nossa União.

Não por ser antiDilma, mas porque o que se está fazendo não é correto. Agiria e tomaria mesmo posicionamento se encontro fosse a convite do senador Tasso Jereissati e UVC para apoiar José Serra. Também seria equivalente equívoco.

Incomodado desde que recebi convite, nessa tarde de quarta-feira, tento contato com o presidente da UVC sem sucesso. Deixei recado e mensagem de texto em seu celular.Gostaria que ele fosse primeiro a saber, porém na impossibilidade de comunicar-lhe, faço uso deste prestigiado Blog para comunicar publicamente, ANTES QUE ENCONTRO NO HOTEL MARINA PARK ACONTEÇA, que protesto contra a reunião e apresento hoje, dia 28.10.2010, minha renúncia ao cargo de vice -presidente da UVC.

Lamento sinceramente que minha passagem pela instituição termine assim e francamente torço para que minha decisão sirva, pelo menos, para uma reflexão: Por que e para quem, afinal, fazemos política?

Atenciosamente,

Marcelo Mendes
Vereador de Fortaleza.

A hora de votar

170 1

Quem não votou nem justificou a ausência no primeiro turno das eleições, poderá votar normalmente no segundo turno, que ocorrerá neste domingo, dia 31 de outubro. A ausência no dia 3 de outubro não impede a participação do eleitor no dia 31. Segundo funcionáris do TSE, os turnos, assim como as justificativas, são independentes. A recomendação também se estende aos eleitores que se cadastraram para votar em trânsito.

No segundo turno, eles devem comparecer aos mesmos locais que votaram no dia 3 de outubro. Poderá votar em trânsito, o eleitor que até o dia 15 de agostos informou a Justiça Federal sua pretensão de votar fora do seu domicílio eleitoral. No caso do eleitor, que se cadastrou para votar em outra capital, tenha voltado para sua cidade de origem ele deverá justificar sua ausência em qualquer Mesa receptora de Justificativa, inclusive na sua seção eleitoral.

Os eleitores também devem ficar atentos ao horário de votação. No Ceará, fora do horário de verão que vigora nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, o processo eleitoral será realizado das 8 às 17 horas.

STF – Decisão pode atingir outros candidatos

“A decisão do STF de reconhecer no caso envolvendo Jader Barbalho a validade da Ficha Limpa atingirá todos os outros candidatos que renunciaram a cargos para evitar a cassação dos mandatos. Mas o reflexo da medida de ontem em casos que não são de renúncia ainda depende de esclarecimentos e de novos julgamentos do Supremo, caso a caso.

O parecer sobre Jader se aplica automaticamente a Paulo Rocha, do PT, que renunciou para escapar da cassação no caso do mensalão e ficou em terceiro lugar na disputa pelo Senado no Pará.

Entre os políticos que não renunciaram, mas que ainda correm risco, estão os ex-governadores Paulo Maluf (PP), de São Paulo; Cássio Cunha Lima (PSDB), da Paraíba; Marcelo Miranda (PMDB), de Tocantins; e o ex-deputado federal Pedro Henry (PP-MT).

São processos de candidatos que disputaram a eleição deste ano e obtiveram votação suficiente para se eleger, mas cujo resultado definitivo do pleito depende da interpretação do Ficha Limpa.

Maluf teve sua candidatura vetada pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, por 4 a 2. Ele foi candidato à reeleição para deputado federal e recorreu ao TSE. O ministro Marco Aurélio Mello indeferiu seu pedido e o candidato recorreu ao plenário do tribunal, que julgará seu caso.

O entendimento do TRE foi de que a condenação de Maluf no Tribunal de Justiça por envolvimento na compra de frangos superfaturados, quando era prefeito, é suficiente para enquadrá-lo no Ficha Limpa.

Cássio Cunha Lima foi o senador mais votado este ano na Paraíba, com cerca de um milhão de votos, mas foi barrado pelo TSE, acusado de abuso de poder econômico e político nas eleições de 2006. Cássio teria se beneficiado da distribuição de 35 mil cheques, num total de R$ 3,5 milhões, por um programa do governo. O tucano foi multado pela Justiça Eleitoral, sanção que o enquadrou na lei.

Ex-deputado federal, Pedro Henry recebeu pouco mais de 80 mil votos no Mato Grosso e estaria eleito para voltar à Câmara dos Deputados. Mas foi um dos primeiros políticos barrados pelo Ficha Limpa. Seu caso ainda não foi apreciado pelo TSE.

O TRE o declarou inelegível por três anos, sob acusação de abuso de poder econômico e utilização indevida de meio de comunicação em favor da candidatura de seu irmão Ricardo Henry (PP) à Prefeitura de Cáceres.”

(O Globo)

Lula aniversaria lamentando fim do mandato

246 1

“O clima de despedida que marcou a comemoração de seus 65 anos emocionou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva na festa do Palácio do Planalto, com funcionários. E, depois também, com militantes na porta do Palácio da Alvorada.

No Planalto, Lula ensaiava um discurso, ficou com a voz embargada e desistiu de falar para a platéia de servidores, assessores e ministros que foram cumprimentá-lo. O presidente deixou claro que ainda não administra bem o fato de seu mandato estar terminando.

– Com toda a sinceridade, eu preferia que este dia nunca tivesse chegado – disse Lula, referindo-se ao último aniversário como presidente.

Mais tarde, em frente ao Palácio da Alvorada, o presidente comemorou a data com mais de 1.000 petistas que levaram um bolo enfeitado com estrelas vermelhas e velas com os números 6 e 5.

Num rápido discurso, Lula agradeceu aos militantes que o apoiaram mesmo nos momentos difíceis do governo, numa referência indireta à crise do mensalão que atingiu o governo em 2005.

– Este é o meu último ano de mandato e quero agradecer a cada um de vocês que estava aqui neste mesmo lugar desde o primeiro ano que tomei posse. Quero agradecer aos companheiros que, independentemente do momento em que estava o nosso país, bom ou mau, não tiveram vergonha de sua bandeira, de sua camisa e de seu candidato. A cada um que tratou Marisa e eu como se fossem membros da sua família nos bons e maus momentos – disse Lula, que ainda teria um jantar com familiares, amigos e ministros, além da presidenciável Dilma Rousseff.”

(O Globo)

Padre Haroldo critica João Alfredo e diz que apoio a Dilma é atraso

342 8

Tem gente revoltada com a postura de alguns membros do PSOl do Ceará que, assim como o vereador João Alfredo, decidiram anunciar voto pró-Dilma Rousseff nas eleições presidenciais. Trata-se do padre Haroldo Coelho.

“Na condição de membro desse partido que surgiu por discordar dos desmandos do PT, não posso ficar calado. Apoiar Dilma é abrir as pernas para tudo o que representa de atraso. Apoiar uma candidata respaldada por um bando de ficha suja é dose”, desabafou para o Blog o religioso.

Padre Haroldo adiantou que o PSOL marcou posição de neutralidade, no que deveria ter o aval de todos da legenda, incluindo o “destemido” João Alfredo. “Respeito a hstória político do companheiro João Alfredo, mas o vejo equivocado. Não podemos respaldar o PT, uma legenda que faz todo tipo de acordo e com gente envolvida em corrupção”, disse, completando:

“Respeito a postura de companheiros como João Alfredo, mas lamento o fato e cosidero apoio ao PT uma vergonha. Temos que ter neutralidade”.

PSDB e aliados fazem carreata neste sábado em Fortaleza

“Hora da virada”

O PSDB e os partidos aliados (DEM, PPS e PR) realizarão neste sábado, em Fortaleza, a “Grande Carreata 45” em favor do candidato a presidente da República, José Serra. O evento faz parte da programação dos partidos na campanha do segundo turno e sairá do estádio Castelão, com concentração a partir das 8 horas.
 
Nos últimos 15 dias, as principais lideranças dos partidos se didividiram em diversos eventos, na Capital e no interior do Estado, num esforço que pretende ampliar a votação obtida por Serra, no Estado, durante o primeiro turno, que foi de 16%. Segundo o deputado Marcos Cals, a expectativa é que esse percentual aproxime-se de 30%.
 
A estratégia é maximizar as propostas dde Serra, em especial para o Ceará como a implantação dos projetos da refinaria e siderúrgica, e a conclusão das obras do Metrofor. Também são ressaltadas a criação do 13º Salário do Bolsa Família e o aumento de 10% para os aposentados. “É importante apresentar as diferença do Serra e da Dilma. Enquanto ele tem um histórico de vida política e de projetos que beneficiam milhares de cearenses, Dilma não possui nenhuma grande obra no Estado. Só isso já bastaria para afirmar que Serra será melhor para o Ceará e para o Brasil”, disse Marcos Cals.
 
DETALHE – Durante esta semana, em diversos pontos de Fortaleza, militantes serristas estão realizando “blitze” com a distribuição de material de divulgação das propostas do candiddato e de desivos e botons.

Quadro de deputados estaduais e federais do Ceará pode mudar?

Eis artigo do advogado Francisco José Andrade Leite. Ele avalia que a composição do quadro de deputados estaduais e federais eleitos no Ceará poderá sofrer nova modificação e faz seu coentário.

Há vários casos de candidatos a deputado federal e estadual no País que tiveram o registro de candidatura indeferido, mas que participaram do pleito sub judice porque recorreram. O fato é que boa parte desses recursos foram julgados somente após as eleições. E em alguns casos, os Tribunais Regionais Eleitorais reformaram suas decisões, deferindo o registro desses candidatos. A questão que vem à tona agora é: Podem os Tribunais Regionais, por vontade própria, computar como válidos os votos dados a esses candidatos?

No Estado do Ceará, no caso do candidato a federal, Manoel Salviano (PSDB), que estava com o registro indeferido e depois obteve uma decisão pelo próprio TRE-CE em favor do seu registro, retirando a vaga do candidato eleito pelo PMDB, Mário Feitoza, há juristas defendendo que houve um erro formal. O art.16-A, da Lei 9.504 de 97, introduzido pela minirereforma eleitoral (Lei 12.034 de 2009), determina que a validade dos votos atribuídos aos candidatos sub judice deve ficar condicionada ao deferimento de seu registro por instância superior, no caso em tela o TSE, portanto, o registro não poderia ter sido deferido pelo TRE-CE, que é instância originária. Há, inclusive, recursos no TSE questionando o registro de candidatura de Manoel Salviano pelo TRE-CE.

Mesmo nos casos em que os recursos contra o indeferimento foram levados diretamente ao TSE, atendendo ao comando do art.16-A da Lei 9.504/97, a exemplo do candidato a deputado estadual Dedé Teixeira (PT), ainda poderá haver alterações. Isso porque as decisões monocráticas de magistrados do TSE, que deferiram os registros de candidaturas de Dedé Teixeira (PT) e de José Wilson Chaves (PP), por exemplo, revertendo julgamentos iniciais do TRE-CE, sofreram agravos regimentais por parte do Ministério Público Eleitoral e aguardam decisão do pleno do TSE.

Nos casos em que os recursos dos candidatos indeferidos foram apreciados pelas instancias originárias (TRES) e não pelo TSE, há quem defenda que deve prevalecer o comando do art.175, parágrafo 3º, do Código Eleitoral, que considera nulos, para todos os efeitos, os votos dados a candidatos inelegíveis ou não registrados. Essas decisões após o pleito acabaram acarretando insegurança jurídica para o meio político, tendo em vista que os respectivos recursos deveriam ter sido julgados em todas as instâncias até 45 dias antes da data das eleições.

Francisco José Andrade Leite

Bacharel em Direito.

PSOL – João Alfredo vota Dilma

485 11

Do vereador João Alfredo (PSOL), este Blog recebeu a seguinte carta. Nela, ele abre seu voto em favor da petista Dilkam Roussef. João faz um verdadeiro tratado para explicar o porquê de sua posição. Confira:

I. Venho tornar pública minha opção de voto nas eleições do segundo turno para a Presidência da República, o que faço com a responsabilidade de homem público, com mandato concedido pelo povo de Fortaleza, e por respeito aos (às) eleitore(as) e ao meu partido. Evidentemente, que nosso(o)s eleitore(a)s são livres em sua decisão, razão porque esta declaração deve ser vista tão somente como uma decisão pessoal, em consonância, evidentemente,  com o que já foi definido pelo PSOL.

II. O Partido Socialismo e Liberdade, através de sua Executiva Nacional, aprovou a consigna “nenhum voto em Serra”, admitindo como legítimos tanto o voto nulo, como o voto crítico em Dilma, sem, no entanto, participar de sua campanha;

III. Considero absolutamente respeitável o voto nulo, que está sendo defendido publicamente pelo nosso valoroso candidato a Presidente, o companheiro Plínio de Arruda Sampaio, pois guarda coerência com o discurso que diferenciou nossa proposta das demais candidaturas, aí incluídas as que chegaram ao segundo turno: Dilma Rousseff e José Serra;

IV. No entanto, peço licença a meu camarada presidente Plínio e aos (às) demais companheir@s que defendem, de forma coerente, repito, o voto nulo, para anunciar o meu voto crítico em Dilma Rousseff;

V. O voto em Dilma – que não foi uma decisão fácil, nem tranqüila – se fundamenta, em primeiro lugar, em uma absoluta rejeição à candidatura de Serra, pelo que esta representa de reacionarismo (que beira ao fascismo) em sua aliança com representantes retrógrados e truculentos do ruralismo latifundiário (que combati à época da CPI da Terra, na Câmara dos Deputados), com setores fundamentalistas e conservadores das igrejas e com a extrema-direita, de um modo geral;

VI. Por outro lado, o fato de diversos movimentos sociais com os quais milito na luta pela Reforma Agrária, pelos Direitos Humanos e pela defesa do Meio Ambiente terem se posicionado pelo apoio a Dilma, não me é indiferente, pois foi no chão da luta de classes, da luta por direitos e pela defesa da natureza que construí minha identidade de militante ecossocialista;

VII. Portanto, nesta hora, me posto ao lado de João Pedro Stedile,   do MST e da Via Campesina; de Leonardo Boff e da luta ecológica; de Tomás Balduíno, Pedro Casaldaliga e da Teologia da Libertação; e de nossos combativos parlamentares, dentre os quais, meus camaradas Chico Alencar, Ivan Valente e Marcelo Freixo;

VIII. No entanto, o voto em Dilma é, acima de tudo, crítico, pois não significa uma adesão ufanista, maniqueísta e acrítica a um projeto com o qual temos – e vamos continuar tendo – muitas e largas divergências, seja por sua política econômica submissa aos interesses do grande capital; seja pelo nacional-desenvolvimentismo que pouco tem de sustentável; seja, ainda, pelas alianças fisiológicas com políticos e partidos que nada têm de progressistas e que levaram a processos de corrupção, como o mensalão;

IX. Em suma, meu voto em Dilma é, fundamentalmente, anti-Serra, e o PSOL – tenho certeza – estará unido na oposição programática e pela esquerda (que não se confunde com o reacionarismo do PSDB/DEM) ao novo governo desde o seu primeiro dia;

X. Por último, quero reafirmar os pontos programáticos apresentados por Plínio e Soraya em nossas campanhas para a Presidência da República e ao Governo do Estado e toda a agenda dos diversos movimentos sociais com os quais dialogamos, da qual, em especial, quero destacar: a defesa da proposta original e integral do PNDH-3 (aí incluída a união civil entre pessoas do mesmo sexo, a descriminalização do aborto, o combate à homofobia e a abertura dos arquivos militares); a Reforma Agrária e Urbana, com a limitação do tamanho das propriedades; a redução da jornada de trabalho sem redução de salário; a defesa do Código Florestal, do desmatamento zero, do fim do programa nuclear e de qualquer apoio a fontes de energia suja; Saúde e Educação universais e integralmente publicas; a auditoria da dívida pública e da dívida ecológica; a suspensão das obras do PAC que degradam o meio ambiente e atingem comunidades tradicionais, como a Usina de Belo Monte; a retirada das tropas brasileiras do Haiti; o Estatuto da Igualdade Racial com direito às cotas, regularização fundiária das comunidades quilombolas e demarcação das terras indígenas; o combate a todas a formas de corrupção e a defesa da Reforma Política, com o fim do financiamento privado das campanhas e adoção de instrumentos de participação popular (referendo e plebiscito) para a decisão de grandes temas nacionais, etc.

XI. É em defesa desta pauta, na luta pela ampliação dos direitos e pela construção de uma sociedade ecológica, popular e socialista, que o PSOL estará junto aos lutadores e às lutadoras do povo nos anos que virão.

Fortaleza, 27 de outubro de 2010

João Alfredo Telles Melo

Advogado, professor e vereador pelo PSOL em Fortaleza.

Cid convoca vereadores para campanha pró-Dilma

O governador reeleito Cid Gomes (PSB) vai reunir, a partir das 10 horas desta quinta-feira, no Marina Park Hotel, vereadores de todo o Estado. O objeteivo, na condição de quem assumiu a coordenação geral da campanha pró-Dilma no Ceará, é fechar estratégias de apoio à petista.

Cid está preocupado com o feriadão, que traz a ameaça da abstenção.

O encontro foi organizado com apoio da União dos Vereadores do Ceará (UVC), comandada pelo  vereador Deuzinho Filho (PMN), que, no primeiro turno das eleições, era serrista e defensor da reeleição do senador tucano Tasso Jereissati.

CNT/Sensus – Dilma, 51,9%; Serra, 36,7%

171 1

“Pesquisa do Instituto Sensus encomendada pela CNT (Confederação Nacional do Transportes), divulgada nesta quarta-feira (27), aponta a candidata do PT, Dilma Rousseff com 51,9% das intenções de voto contra 36,7% do tucano José Serra. Brancos e nulos totalizaram 4,7% e indecisos, 6,8%. 

Na análise apenas dos votos válidos (que excluem nulos e brancos), Dilma ficou com 58,6% ante 41,4% de Serra. A margem de erro é de 2, 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Na pesquisa espontânea, em que os candidatos não são identificados aos entrevistados, Dilma teve 50,4% das intenções de votos e Serra obteve 35,7%.  Outros nomes citados pontuaram 0,3% e o presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva ainda foi citado por 0,2% dos entrevistados. Os votos brancos e nulos somaram 4,6% e os que não sabem ou não responderam correspondem a 8,9%.

Realizada entre os dias 23 e 25 de outubro, a pesquisa entrevistou 2.000 eleitores em 24 Estados, com sorteio aleatório de 136 municípios, e foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número 37609/2010, no dia 20 de outubro.

Rejeição e expectativa de vitória

Com relação ao índice de rejeição, Serra tem 43% ante 32,5% da ex-ministra-chefe da Casa Civil.

A pesquisa mostra um pequeno aumento da rejeição do tucano em relação ao último levantamento (de 11 a 13 de outubro) da CNT/Sensus, quando Serra estava com 37,5% e Dilma com 35,4%.

Questionados sobre a expectativa de vitória, 69,7% dos entrevistados disseram acreditar que a candidata petista deve ganhar a eleição presidencial. Outros 22,3% acreditam que o tucano seria o vencedor do segundo turno.”

(Uol Eleições)

STF – "Ficha Limpa" na pauta desta 4ª feira

“O Supremo Tribunal Federal (STF) deve julgar nesta tarde a validade da Lei da Ficha Limpa para as eleições deste ano. O assunto é o primeiro item da pauta de julgamento do plenário, com o recurso de Jader Barbalho, cujo registro foi negado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O julgamento sobre a lei será retomado do zero, como se nenhum ministro tivesse se posicionado sobre o assunto. A Lei da Ficha Limpa começou a ser julgada no final de setembro, em cima do recurso de Joaquim Roriz (PSC), então candidato ao governo do Distrito Federal.

Na ocasião, o placar ficou em 5 a 5 pela validade da norma nestas eleições. Não houve o voto do 11º ministro da Corte, já que a cadeira está vaga após a aposentadoria do ministro Eros Grau. Os ministros acabaram discutindo os possíveis desfechos para o impasse e chegaram a cogitar a espera da nomeação do novo ministro. Depois de adiar a proclamação do resultado, os ministros foram surpreendidos pela desistência de Roriz, que indicou a mulher, Weslian Roriz, para concorrer em seu lugar.

O motivo da impugnação de Barbalho é o mesmo de Roriz: renúncia de mandato para escapar de possível processo de cassação por quebra de decoro. Por esse motivo, o julgamento de hoje deve ser mais ágil. O julgamento de Roriz foi dividido em dois dias, totalizando cerca de 16 horas.”

(Agência Brasil)

Movimento "Fora Política!" promove debate

206 4

O Movimento Crítica Radical promove nesta quarta-feira, a partir das 18h30min, na quadra do Céu (Campus do Benfica), um debate sobre o tema “A Política fracassou. O que colocar em seu lugar?”

O evento integra campanha contra o voto tocada por essa entidade, que promete manifestações domingo que vem e que tem entre seus articuladores a ex-vereadora Rosa da Fonseca e a ex-prefeita de Fortaleza, Maria Luiza Fontenele.

Obras de refinarias do Nordeste estão atrasadas. A do Ceará ainda no papel

“Citadas pela candidata Dilma Rousseff no debate da noite de segunda-feira, na TV Record , as obras estão atrasadas em Pernambuco e no Ceará.

Orçada inicialmente em R$ 9 bilhões – e atualmente com investimentos previstos de R$ 26 bilhões – a Refinaria Abreu e Lima vem sendo implantada no Complexo Industrial Portuário de Suape, litoral sul de Pernambuco, e pelo cronograma deveria ter sido inaugurada em agosto.

De acordo com o governo de Pernambuco, deverá ficar pronta somente em 2012, embora em seu canteiro de obras trabalhem atualmente cerca de 10 mil pessoas.

A refinaria, projetada para processar 230 mil barris diários de petróleo, é fruto de uma parceria entre o Brasil e a Venezuela – por meio da PDVSA, a estatal venezuelana de petróleo.

Há um ano a Petrobras chegou a anunciar a conclusão das negociações com a PDVSA, mas a sociedade ainda não foi de fato efetivada. O acordo estaria enfrentando dificuldades em função de exigências feitas pelo BNDES ao governo venezuelano e não aceitas pela PDVSA.”

(O Globo)

Lula diz que é "cretinice" atacar Dilma

214 1

Dilma em passagem por Fortaleza.

“O presidente Luiz Inácio Lula da Silva tachou de “cretinice” os ataques sofridos pela candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, e afirmou que uma eventual vitória do PSDB no domingo seria um retrocesso.

As declarações foram feitas nesta terça-feira à noite, durante comício em Curitiba, onde Lula comandou o palanque sem a presença de Dilma, que estava na Bahia.

Ele comparou as críticas a Dilma como as que sofreu em suas primeiras campanhas eleitorais, em 89, 94 e 98, quando saiu derrotado.

– Vocês viram os ataques de que ela (Dilma) foi vítima. A impressão que eu tinha era que eu era que estava sendo atacado, porque em 89, os mesmo diziam de mim: não vota no Lula porque tem uma bandeira vermelha, porque a bandeira tem uma estrela, porque ele tem barba, é comunista. As mesmas cretinices eles falaram da Dilma Rousseff agora.

Sem citar o nome do candidato José Serra (PSDB), Lula o acusou de desrespeitar a candidata petista:

– O cara que não respeita uma campanha política, uma mulher que está disputando com ele, se fosse eleito, como é que ia respeitar cada um de nós, como ia fazer com cada um de nós?- questionou, afirmando que as mulheres “nunca foram respeitadas na política”.

(O Globo/Foto – Paulo Moska)

Datafolha – Lula obtém 83% de aprovação

“Maior cabo eleitoral da presidenciável Dilma Rousseff (PT), o presidente Lula também está se beneficiando do período eleitoral. Pela terceira semana consecutiva, a avaliação de seu governo obteve um patamar recorde de aprovação na série histórica do Datafolha na pesquisa realizada e divulgada hoje pelo instituto. No levantamento atual, 83% dos eleitores brasileiros avaliaram sua administração como ótima ou boa.

Na semana passada, essa aprovação chegava a 82%. No mesmo período, o patamar dos que consideram seu governo regular passou de 14% para 13%, enquanto 3% dizem que ele é ruim ou péssimo, índice que se manteve. Dois de cada três eleitores de Serra (67%) avaliam a gestão de Lula como ótima ou boa. Entre os eleitores de Dilma, esse índice chega a 96%. Para 80% dos eleitores que votaram em Marina no primeiro turno, a gestão do petista é ótimo ou bom. A nota atribuída ao governo Lula no atual levantamento é 8,2, a mesma registrada na semana passada.”

(Folha.com)

Dilma diz em Caruaru que eleitor terá opção de continuar crescendo ou descer serra abaixo

Um dia após o debate inflamado na TV contra o seu adversário tucano José Serra, a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, aproveitou um momento de “apoteose” de sua carreata em Caruaru, nesta terça-feira, para instigar a militância e provocar o opositor. No discurso relâmpago na Praça Nossa Senhora da Conceição, no centro da cidade, Rousseff lembrou que “no próximo dia 31 (domingo de eleição), o eleitor terá que escolher entre “continuar seguindo em frente com o que está dando certo ou descer serra abaixo”. Qualquer trocadilho na frase inspirada da petista “é mera coincidência”, ironizou um aliado em reserva ao Blog da Folha.

Ao final da carreata, no início da noite, Dilma disse a jornalistas que a sua passagem por Caruaru nesta terça-feira “foi de tirar lágrimas, de comover essa efusão, essa força, esse envolvimento da população.Ainda no início de sua chegada, em frente ao aeroporto, um grupo de artesãos presentou a petista com peças locais. O filho do Mestre Vitalino, Severino Vitalino,70 anos, fez questão de produzir um carro de boi feito no barro para entregar pessoalmente à candidata. “Representa o Nordeste e passei dois dias para fazer”, disse o orgulhoso artesão. Dilma ainda ganhou uma réplica da imagem de Luiz Gonzaga e uma miniatura em barro.”

(Blog da Folha)