Blog do Eliomar

Categorias para Eleições 2018

Juazeiro e Caucaia encerram agenda de General com carreatas

As campanhas majoritárias do PSDB no Ceará encerram neste sábado (6) as atividades, com carreatas em Juazeiro do Norte, no Cariri, e em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza. As duas atividades contarão com as presenças de General Theophilo, candidato ao Governo do Ceará, e com Dra, Mayra, candidata ao Senado. O senador Tasso Jereissati, também estará nas duas carreatas.

A primeira carreata, em Juazeiro do Norte, ocorrerá às 10 horas, enquanto a segunda, em Caucaia, será a partir das 16 horas.

(Foto: Divulgação)

CNJ recomenda que juízes não se manifestem sobre política nas eleições

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) emitiu hoje (5) uma recomendação para que todos os juízes brasileiros não emitam manifestações políticas nas redes socais, na imprensa e não participem de manifestações públicas durante as eleições.

A recomendação foi feita pelo corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins. Segundo Martins, a recomendação tem o objetivo de resguardar a imagem da magistratura brasileira. A proibição do envolvimento de magistrados com atividades políticas já está prevista na Lei Orgânica da Magistratura (Loman).

“O CNJ recomenda a todos os magistrados brasileiros, com exceção do Supremo Tribunal Federal, no exercício ou não da função eleitoral, que se abstenham de participar de manifestações públicas ou de emitir posições político-partidárias em redes sociais, entrevistas, artigos ou através de qualquer outro meio de comunicação de massa, de modo a afastar mácula à imagem de independência do Poder Judiciário brasileiro perante a sociedade, bem como para evitar influência sobre o livre exercício do voto consciente por parte dos cidadãos”, diz a norma.

(Agência Brasil)

“O que me assusta é o fascismo”, diz articulista

91 1

Com o título “O que me assusta é o fascismo”, eis artigo de André Bloc, jornalista do O POVO. “Assusta que mesmo gente consciente, inteligente e bem intencionada fique cega pelo ódio e adira a um candidato anti-democrático – para não antecipar aquele termo lá de cima. Assusta que o presidente da corte máxima do País relativize o golpe de 1964, que rendeu uma brutal ditadura militar”, diz o articulista. Confira:

As palavras têm poder. O uso, no entanto, pode enferrujar essa potência. Exemplo claro disso é o “golpe” alardeado em 2016 e amplamente criticado por toda a esquerda progressista. Ao usar o termo, perdeu-se a dimensão de quebra institucional como aquela do golpe militar de 1964 para esta de agora, de um conluio promíscuo dentro do sempre governista centrão. Outro termo podia dimensionar bem a ruptura que foi o impeachment de Dilma.

Daí, mudo de termo e falo de fascismo. O PT, como tantos, acusava o governo do tucano Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) de ser fascista. A ideia era usar o termo forte para expor uma situação-limite que, sinceramente, estava longe de ser real. Se fascismo era aquilo, fascismo não é quebra, mas um desdobramento democrático.

Jair Bolsonaro (PSL), líder das pesquisas eleitorais há meses, não é um democrata. Mesmo com o discurso diluído que apresenta como candidato à Presidência, o capitão da reserva deixa claro que pretende governar para os dele – aqueles que insistem que o discurso escancaradamente machista, LGBTfóbico, racista e virulento do candidato é fabricação da mídia.

Assusta o quanto o discurso populista cola para uma parcela imensa de cerca de 30% dos votantes. Assusta saber que Bolsonaro está longe de ser exceção.

Assusta que mesmo gente consciente, inteligente e bem intencionada fique cega pelo ódio e adira a um candidato anti-democrático – para não antecipar aquele termo lá de cima. Assusta que o presidente da corte máxima do País relativize o golpe de 1964, que rendeu uma brutal ditadura militar.

Bolsonaro é a maior ameaça à democracia brasileira desde a redemocratização. O candidato se nega a apaziguar o ódio dos seguidores e faz questão de incitar uma polarização que já ultrapassou, há tempos, o limite do suportável. Para além de um projeto real e único para o País, falta ao capitão da reserva um compromisso inabalável com o jogo democrático. Até porque não seria o sangue dele derramado pela ditadura – quem sofre é quem não manda.

O Brasil é um País que esperneia contra a própria história. E me assusta o quanto ela corre o risco de se repetir. “Fascismo” e “golpe” deviam ter sumido do nosso vocabulário para só ressurgir em casos de crise profunda, quando só um termo extremo pudesse dar voz ao que se vive. Vivemos este momento. Vivemos esta ameaça.

*André Bloc

andrebloc@opovo.com.br

Jornalista do O POVO.

“Nunca mais piso nesse lugar”, diz Ciro Gomes sobre a Globo

O candidato a presidente da República pelo PDT, Ciro Gomes, esbravejou contra a TV Globo na sala de imprensa da emissora, no Rio, ao final do debate presidencial no começo da madrugada desta sexta-feira. Ele se queixava da emissora por, segundo relatou, ter autorizado a entrada de um oficial de Justiça em seu camarim para notificá-lo sobre uma ação movida por João Doria, candidato ao governo de São Paulo pelo PSDB, a quem chamou de “farsante” em diferentes ocasiões.

Como Ciro não foi até o camarim ao final do debate, o oficial seguiu atrás dele na sala onde haveria a entrevista coletiva. A ordem da Justiça determinava que o candidato fosse citado na Globo. Ao fim da coletiva, Ciro foi alcançado pelo oficial, que começou a ler a notificação. Apoiadores do pedetista empurraram o profissional, que acabou não conseguindo entregar o documento.

“Nunca mais piso nesse lugar”, disse Ciro, antes de deixar a emissora.

‘Farsante’

Ciro já usou o adjetivo “farsante” para se referir a João Doria mais de uma vez. Em setembro de 2017, fez isso durante um encontro com universitários no Rio de Janeiro.

Posição da TV Globo

Um oficial de Justiça esteve nos Estúdios Globo na noite desta quinta-feira, de surpresa, para entregar uma citação ao candidato Ciro Gomes, que participava do debate com os candidatos à Presidência da República. A pedido dos assessores do candidato, o oficial aceitou esperar o fim do debate para cumprir a diligência. A fim de evitar que o episódio fosse explorado politicamente, o oficial foi encaminhado a uma sala reservada, para que lá pudesse realizar a diligência de forma discreta. Ao final do debate, Ciro, informado da situação, se negou a comparecer à sala em que se encontrava o oficial para receber a citação. O oficial de Justiça então resolveu ir ao encontro do candidato, mas foi impedido pelos assessores ou seguranças de Ciro de se aproximar dele. Ciro deixou os Estúdios se negando a receber o documento.

(Veja/Foto – Agência Brasil)

Presidente do TRE, Corregedor e Ouvidor visitarão locais da votação no domingo da eleição

A presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará, desembargadora Nailde Pinheiro Nogueira, o corregedor regional eleitoral, desembargador Haroldo Correia de Oliveira Máximo, e o ouvidor regional eleitoral, desembargador Raimundo Nonato Silva Santos, visitarão locais de votação neste domingo (7/10), no primeiro turno das eleições 2018. A informação é da assessoria de imprensa do TRE.

Nailde Pinheiro Nogueira, estará, às 11 horas, no Colégio Ari de Sá (Avenida Washington Soares, 3737), ao lado da presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência no Ceará (CEDEF), Regina Tahim, em visita a uma seção eleitoral para acompanhar o atendimento de um eleitor surdo por intérprete de Língua Brasileira de Sinais (Libras) e a sua participação na quarta edição da campanha de identificação dos eleitores com deficiência ou com mobilidade reduzida no dia das eleições.

Já o vice-presidente e corregedor do TRE, desembargador Haroldo Máximo, visitará o Fórum Eleitoral Péricles Ribeiro, às 10 horas, onde estarão de plantão juízes, servidores das dezessete zonas de Fortaleza e policiais militares. Na capital, temos 1.776.365 eleitores, divididos em 620 locais de votação e 4.870 seções.

O ouvidor regional eleitoral do TRE-CE, desembargadora Raimundo Nonato Silva Santos, visitará, às 10 horas, a seção indígena da Escola Lagoa Encantada, situada na comunidade de mesmo nome em Aquiraz. Logo após, seguirá para o município de Pacajus, onde visitará, às 11 horas, a seção eleitoral numa comunidade quilombola, que funcionará na Escola Neli Gama Nogueira na comunidade Base.

O debate que a Globo não viu

223 2

Com o título “O debate que a Globo não viu”, eis artigo do presidente estadual do PCdoB, Luís Carlos Paes. Ele analisa o último debate entre os candidatos a presidente da República, realizado nessa noite de quinta-feira pela Rede Globo, mas sem Jair Bolsonaro (PSL). Confira:

Haddad e a democracia foram os grandes vitoriosos do debate de ontem. Os comentaristas da Globo fizeram seu papel: construir uma narrativa, segundo os interesses de seus patrões, de que o debate teria sido frio, que ninguém teria levado vantagem, que Haddad teria ficado na defensiva e que Bolsonaro não teria sido atacado. Parece até que não assistiram ao debate. Todos criticaram a ausência do candidato fujão do debate, até o monotemático Álvaro Dias, que só abria a boca para falar de corrupção, atacar Lula, o PT e não tinha uma proposta. Fraco que nem caldo de bila, em sua primeira intervenção, sequer chegou a formular sua pergunta ao Meirelles tal a sua ânsia de atacar o Lula. Coitado! Álvaro do Podemos não pode nada. Marina, coitada, tentou encurralar o Haddad e foi surpreendida pela capacidade e firmeza do futuro presidente e ficou com cara de Amélia.

A melhor parte de Marina foi quando ela afirmou que Bolsonaro amarelou (arrancou aplausos da plateia), faltou ao debate da Globo, mas participou, no mesmo horário, de entrevista na TV Record, do Bispo Edir Macedo, aquele que emite passaportes para o céu e que já declarou seu apoio ao capitão. Os dois, o capitão fujão e o bispo da Universal, se merecem.

Ciro e Boulos se saíram muito bem. Este último afirmou, com todas as letras, a que serve a candidatura do capitão da reserva. É um instrumento das grandes corporações, principalmente dos grandes bancos e rentistas, que não conseguem mais impor suas políticas em um regime democrático. Precisam de um regime autoritário e, se necessário, fascista para calar o povo e implementar suas propostas, entre elas a reforma da previdência.

Haddad foi um gigante, mostrou que é um professor universitário que vive de salário, pai de família, casado há trinta anos, que já fez muito pelo Brasil como ministro da Educação de Lula e terá duas grandes obsessões em seu futuro governo: emprego e educação.
Não tem Globo, não tem Moro, não tem militar saudoso da ditadura que impeça a vitória do povo, do Brasil verde-amarelo de verdade e da democracia.

Haddad será o novo presidente do Brasil.

Abaixo o falso moralismo, a hipocrisia e a mentira!

Viva o Brasil soberano, verde e amarelo para os brasileiros e não submisso aos Estados Unidos e as velhas potências europeias.

Abaixo o fascismo e viva a democracia!

*Luís Carlos Paes,

Presidente do PCdoB do Ceará

Lula manda carta de apoio à reeleição de José Guimarães

154 1

O petista José Nobre Guimarães, líder da minoria na Câmara dos Deputados, ganhou uma carta de apoio à sua reeleição assinada pelo ex-presidente Lula.

O parlamentar difunde essa carta em suas redes sociais, no que para membros da cúpula do partido, chega como importante reforço de campanha.

Entre petistas, ninguém se arrisca muito a falar sobre quantas cadeiras poderão ser conquistadas na Assembleia e em Brasília.

Confira:

(Foto – Divulgação)

Crítica Radical promove o ato #Elenao #Nemninguem na Praça do Ferreira

O Movimento Crítica Radical promove, a partir das 10 horas desta sexta-feira, um ato na Praça do Ferreira, no Centro de Fortaleza. Segundo a militante Rosa da Fonseca, o objetivo é começar a campanha que o grupo sempre promove a cada eleição: o Não Voto.

Neste ano, no entanto, a convocação mudou e se chama #Elenão #Nemninguem. Rosa dá detalhes da manifestação.

TRE disponibilizará plantão neste domingo do voto para receber denúncias sobre crimes eleitorais

A desembargadora Naílde Pinheiro Nogueira preside o TRE do Ceará.

O Tribunal Regional Eleitoral do Ceará disponibilizará uma equipe composta por juízes eleitorais, policiais militares e servidores para recebimento de denúncias neste domingo, 10, dia da eleição. Segundo a assessoria de imprensa do TRE, o plantão funcionará das 8 às 17 horas, na Central de Atendimento ao Eleitor, através dos telefones 3211-2603 / 2604 / 2605, e receberá denúncias relacionadas a propaganda irregular e crimes eleitorais, como: compra de votos e boca de urna.

Para informações diversas sobre locais de votação, números de zona e seção, situação cadastral, cancelamento de títulos, biometria, voto em trânsito, justificativa, mesários, dentre outras, o TRE também coloca à disposição do eleitorado o número 148, que funcionará das 7 às 17 horas neste domingo.

Jornal francês chama Bolsonaro de “racista, homofóbico e misógino”

O candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, é destaque de reportagem no jornal francês “Liberatión”.

Sob o título “Racista, homofóbico, misógino, pró-ditadura – e no entanto ele seduz o Brasil”; a publicação, que o coloca na capa, afirma que Bolsonaro é o favorito para vencer a corrida presidencial.

Na semana passada, Bolsonaro ganhou espaço também na revista inglesa “The Economist”, que o tratou como uma “ameaça à América Latina”.

(Com Veja)

Eleições 2018 – Lei Seca vigora em Fortaleza

197 1

Os 17 juízes eleitorais de Fortaleza assinaram portaria conjunta 1/2018, da “Lei Seca”, que estabelece as regras para a venda de bebidas alcoólicas, na Capital, neste dia 7 de outubro, primeiro turno das Eleições 2018. A portaria foi publicada no Diário da Justiça Eletrônico, informa a assessoria de impensa do Tribunal Regional Eleitoral.

De acordo com o documento, é proibida a venda e o consumo de bebidas alcoólicas em bares, restaurantes, mercantis, estabelecimentos congêneres e demais locais abertos ao público no município de Fortaleza, capital do Ceará, no horário compreendido entre 0h e 19h do dia 7 de outubro de 2018 (domingo).

Outros municípios

A Corregedoria Regional Eleitoral do Ceará recomendou aos juízes que, após análise das situações da circunscrição, decidam pela expedição, ou não, de portaria reguladora.

Até a presente data, os juízes titulares das seguintes zonas comunicaram ao TRE a edição de portarias semelhantes:
11ª (Quixeramobim); 14ª (Lavras da Mangabeira); 20ª (Crateús e Ipaporanga); 21ª (Ipu e Pires Ferreira); 22ª (São Benedito e Carnaubal); 39ª (Independência); 54ª (Santa Quitéria, Catunda e Hidrolândia); 59ª (Pedra Branca); 61ª (Tamboril e Monsenhor Tabosa); 62ª (Várzea Alegre, Farias Brito e Granjeiro); 68ª (Araripe e Potengi); 69ª (Aurora); 73ª (Ibiapina e Ubajara); 76ª (Mauriti); 86ª (Alto Santo, Iracema e Potiretama); 91ª (Tabuleiro do Norte e São João do Jaguaribe); 97ª (Trairi); 108ª (Chaval e Barroquinha), bem como as Zonas 28ª e 119ª (Juazeiro do Norte).

TSE promove mudanças em seu site para prevenir contra ataques cibernéticos

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vai promover mudanças em seu site institucional na internet, entre as 18h desta sexta-feira (5) e as 8h da próxima segunda (8), em resposta ao crescimento exponencial de demandas de acesso que costuma ocorrer às vésperas das eleições.
A ação integra um conjunto de iniciativas adotadas pelo tribunal para aumentar a segurança dos sistemas utilizados pela Justiça Eleitoral – em especial, os de totalização dos votos e divulgação de resultados.

Segundo Cristiano Andrade, coordenador de Infraestrutura da Secretaria de Tecnologia da Informação do TSE, a medida tem caráter preventivo, haja vista o esperado volume de ataques cibernéticos que possam acontecer no dia do pleito.
“Historicamente, as tentativas de invasão à rede de computadores da Justiça Eleitoral crescem à medida que se aproxima o dia do primeiro e segundo turno das eleições”, explica. Segundo Cristiano, no fim de semana do primeiro turno das eleições gerais de 2014, o TSE recebeu 200 mil ataques de negação de serviço (DDoS) por segundo.

Além desse método, são comuns investidas e ações de exploração de vulnerabilidades como defacement (pichação de sites), proliferação de cavalos de Troia (programas que abrem portas no sistema para conexões externas indevidas), phishing(captura de dados e senhas) e ‘SQL injection’ (inserção de comandos em bancos de dados por meio da internet).

Com a configuração a ser adotada a partir desta sexta, os sites do TSE e dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) vão operar apenas com as aplicações de maior relevância para o usuário, como consultas aos locais de votação, situação eleitoral, candidaturas e justificativa eleitoral.

(Com TSE)

Se ganhar as eleições, Bolsonaro visitará Trump antes da posse

Se ganhar as eleições presidenciais, Jair Bolsonaro (PSL) vai fazer uma série de gestos aos Estados Unidos.

Segundo informação da Veja, antes mesmo da posse, ele já avisou que quer visitar o presidente Donald Trump e anunciar duas medidas: a derrubada do visto para turistas americanos e uma redução de impostos para produtos daquele país.

(Foto – Reprodução de TV)

Bolsonaro diz que Haddad é fantoche de Lula

Em entrevista à TV Record, na noite dessa quinta-feira (4), o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, disse que Fernando Haddad, do PT, é fantoche de Lula. Segundo institutos de pesquisas de intenções de voto, Bolsonaro e Haddad polarizam as eleições deste ano.

Sobre a agressão sofrida por meio de Adélio Bispo, Bolsonato afirmou que não quer antecipar fatos, mas não acredita que o agressor agiu sozinho.

Bolsonato negou que seja racista, homofóbico e agressor de mulheres. Disse que embate com a deputada Maria do Rosário foi uma reação, após ser chamado de estuprador.

Com relação às fake news, Bolsonaro alegou que Haddad espalha no Nordeste que a sua candidatura sugere acabar com o Bolsa Família. “Eles (petistas) fazem isso toda eleição”, reclamou. O candidato se disse contra às falsas notícias e alegou que não há como controlar milhões de pessoas que postam em redes sociais notícias que destacam sua candidatura, por meio de fake news.

Bolsonaro defendeu o general Mourão, seu vice de chapa, ao afirmar que ele não defendeu o fim do 13º salário. Aproveitaram uma fala mal interpretada do general para desgastar sua candidatura.

O candidato do PSL disse que o combate à corrupção passa pela mão indicação política a cargos no governo.

Bolsonaro afirmou que o ex-ministro Palocci está colaborando com a Justiça e que os depoimentos apontam para uma “tomada de poder” por parte do PT.

O candidato do PSL se diz necessário para o momento. “Querem trazer o socialismo, o comunismo. (…) Será o fim da nossa pátria, se o PT chegar ao poder”, ressaltou Bolsonaro, ao completar que respeitará os números das urnas.

Jair Bolsonaro disse desconfiar das pesquisas de intenções de voto, quando acredita que deverá vencer no primeiro turno.

(Foto: Reprodução)

Candidatos fazem as considerações finais

Alckmin diz que 20% dos votos são decididos nos últimos dias.

Álvaro Dias destaca o combate à corrupção e com o fim de privilégios, quando governador do Paraná.

Ciro ressalta que há 4 anos o país está parado pela política da divisão e agora corre o risco da política do ódio, o que não permite ao Brasil se reconciliar.

Meirelles afirma que agora é o momento de se comparar história dos candidatos. Ódio não gera emprego e vingança não combate a insegurança e não se cria melhoria para a saúde.

Haddad aponta raízes humildes e diz que aprendeu com Lula a ajudar a quem mais precisa. Levante bandeira do trabalho e da educação.

Marina agradece a Deus por não ter caído na tentação do ódio e se diz pacificadora. País não precisa de força física, mas de força moral.

Boulos afirma que domingo é dia de barrar o ódio e pede o voto da esperança.

(Foto: Divulgação)

Ciro diz que Bolsonaro fugiu ao debate, enquanto dá entrevista a outra emissora

Questões relacionadas aos direitos dos trabalhadores, reforma da previdência, desemprego e a desigualdade social deveriam ser esclarecidas pelo candidato Bolsonaro, líder nas pesquisas de intenções de voto.

A cobrança é de Ciro Gomes, em debate com Henrique Meirelles. Para Ciro, Bolsonaro foge ao debate, enquanto dá entrevista à emissora de televisão (Record).

Ciro pede esclarecimentos sobre declarações na campanha de Bolsonaro de perdas do adicional de férias e do 13º salário.

Meirelles aponta que entrevista concedida por Bolsonato tem o conforto na abordagem dos problemas do país.

(Foto: Divulgação)

Marina cobra de Haddad o reconhecimento dos erros do PT

Para a candidata Marina Silva, Haddad poderá cometer os mesmos erros do PT, nos governos Lula e Dilma, diante da dificuldade do partido em reconhecer as falhas cometidas ao longo de 14 anos.

Haddad alega que falou sobre o assunto em outras oportunidades, mas ressaltou conquistas dos governos petistas, como geração de emprego e oportunidades à pessoas menos favorecidas socialmente.

(Foto: Reprodução)

Bolsonaro é o principal alvo entre demais candidatos

Ausente no debate promovido pela Globo, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) foi o principal alvo no primeiro bloco.

Ciro Gomes apontou que o país mão pode estar dividido e que não se pode votar pelo ódio. Haddad e Boulos afirmaram o risco do retorno da perca de direitos, como no tempo da ditadura militar. Marina e Álvaro Dias lamentaram declarações do vice de Bolsonaro, que criticou o 13º salário e adicional de férias. Meirelles e Alckmin apontaram questões do crescimento econômico e retomada do emprego.

(Fotos: Reprodução)

Após ataques, campanha por placas de Marielle já arrecada R$ 28 mil

Menos de um dia depois que circularam nas redes sociais imagens de dois candidatos do PSL-RJ exibindo uma placa destruída que homenageava a vereadora Marielle Franco, uma campanha feita por simpatizantes e apoiadores das causas defendidas por ela já arrecadou hoje (4) 14 vezes o valor definido como meta para fazer novas placas.

O valor estipulado foi de R$ 2 mil para a confecção de 100 placas. Em apenas 24 minutos, a quantia foi obtida. Por volta das 15h desta quinta-feira, as doações já somavam R$ 28 mil com a adesão de mais de mil pessoas. A organização da campanha fará mil placas e destinará o dinheiro restante para outras ações de homenagem à vereadora ainda não divulgadas.

Em um vídeo postado nas redes sociais, o candidato a deputado estadual Rodrigo Amorim, e o candidato a deputado federal Daniel Silveira, ambos do PSL-RJ, retiram a homenagem da placa que foi colocada na esquina da Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro, onde Marielle cumpria seu primeiro mandato quando foi assassinada.

No vídeo, Daniel defende que o assassinato não justificava colar a placa, o que classificou de vandalismo. Já Rodrigo afirma que outras 60 mil pessoas foram assassinadas no país.

Dias depois, os candidatos levaram a placa a um ato político para apoiadores em Petrópolis, na Região Serrana. O ato foi registrado em mais um vídeo postado nas redes sociais, e Amorim e Silveira exibem a placa quebrada ao meio. Os dois foram fotografados com os pedaços da placa nas mãos, e as imagens se espalharam nas redes.

Com a repercussão, os dois políticos fizeram uma transmissão ao vivo no Instagram em que afirmam que repudiam o assassinato de Marielle e defendem que seus algozes têm que ser investigados e punidos severamente.

Na gravação transmitida na internet, eles afirmam que não haverá pedido de desculpas e defendem que retiraram a homenagem como se fosse uma pichação qualquer, sem a intenção de atingir a imagem da vereadora, porque buscavam restaurar o patrimônio público havia sido depredado.

(Agência Brasil)