Blog do Eliomar

Categorias para Eleições 2018

PSB vai ao Supremo para evitar cancelamento de títulos sem biometria

O PSB deu entrada, nessa noite de quara-feira, com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para evitar o cancelamento dos títulos de eleitores que não realizaram o cadastramento por biometria em todo o país. Segundo os advogados do partido, cerca de 4 milhões de eleitores não poderão votar nas eleições de outubro porque não cumpriram o prazo de recadastramento.

Segundo a legenda, as resoluções do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que disciplinaram o cancelamento do título, como penalidade ao eleitor que não realizou o cadastro biométrico obrigatório dentro do prazo, são inconstitucionais porque resultaram no indevido cerceamento do direito de votar. Na avaliação do partido, “tudo indica que a maioria dos eleitores privados do direito ao voto é de cidadãos humildes” e que não tiveram acesso à informação para cumprir a formalidade.

“Os prováveis mais de 4 milhões de títulos eleitorais cancelados representam a totalidade de eleitores de estados como Goiás e Maranhão. Equivalem à soma do total de eleitores dos estados do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul. Para ilustrar a magnitude do volume de eleitores excluídos das próximas eleições, convém recordar que a diferença de votos entre os candidatos a presidente da República no 2º turno das últimas eleições gerais foi de menos de 3,5 milhões de votos”, argumenta o PSB.

Nas eleições de outubro, o cadastramento biométrico foi obrigatório para eleitores de cerca de 2,8 mil municípios. O objetivo da Justiça Eleitoral com a biometria é prevenir fraudes, já que o cadastro limita a intervenção humana no processo eleitoral.

A expectativa do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é de que toda a população brasileira esteja cadastrada até 2022. Atualmente, mais de 81 milhões de eleitores já fizeram o cadastro biométrico e 10 estados já completaram o cadastramento de seus eleitores.

De acordo com dados atualizados do TSE, 5,5 milhões de títulos foram cancelados pela falta de recadastro biométrico.

(Agência Brasil)

Filho de Bolsonaro grava vídeo defendendo Anitta de “perseguição covarde”

Depois de Anitta ser criticada por fãs por seguir uma página em apoio ao candidato a presidente da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, o filho dele, Flavio Bolsonaro ,gravou um vídeo defendendo a cantora.

“Há uma perseguição covarde sobre artistas que se posicionam publicamente a favor de Bolsonaro. Eu nunca vi Anitta na minha vida, nunca troquei mensagem com ela, não sei quem ela é”, disse.

Veja abaixo o vídeo completo:

(Com Veja Online)

Justiça Eleitoral proíbe Dra Mayra de veicular na propaganda “montagens” contra Eunício Oliveira

266 1

O Tribunal Regional Eleitoral, por meio do seu colegiado, determinou a imediata retirada da propaganda eleitoral gratuita da TV da candidata ao Senado pelo PSDB, Dra. Mayra, de recursos gráficos e montagens contra o senador Eunício Oliveira (MDB).

Na propaganda, Eunício aparece como se estivesse envolvido em escândalos como a Lava Jato.

Além de mandar retirar, o colegiado do TRE determinou que a campanha de Dra. Mayra se “abstenha” de fazer tais citações. Foram duas liminares acatadas, durante sessão do tribunal, nessa noite de quarta-feira, interpostas pelos advogados do senador emedebista.

Eunício Oliveira garante que é ficha limpa.

(Foto – Divulgação)

Datafolha: Bolsonara lidera; Haddad e Ciro estão no empate técnico

186 1

Saiu a pesquisa Datafolha sobre o desmepenho dos presidenciáveis. Foi divulgada na madrugada desta quinta-feira, 19. Jair Bolsonaro (PSL) cresceue chega aos 28% de prefeerência, bem como o petista Fernando Haddad (PT), que aparece com 16% das intenções de votos. Mas Ciro Gomes (PDT) está tecnicamente empatado com Haddad na segunda colocação, com 13%.

Confira os números

Jair Bolsonaro (PSL): 28%
Fernando Haddad (PT): 16%
Ciro Gomes (PDT): 13%
Geraldo Alckmin (PSDB): 9%
Marina Silva (Rede): 7%
João Amoêdo (Novo): 3%
Alvaro Dias (Podemos): 3%
Henrique Meirelles (MDB): 2%
Vera Lúcia (PSTU): 1%
Guilherme Boulos (PSOL): 1%
Cabo Daciolo (Patriota): 0%
João Goulart Filho (PPL): 0%
Eymael (DC): 0%
Branco/nulos: 12%
Não sabe/não respondeu: 5%

Comparativo com levantamento anterior do instituto, divulgado na terça-feira (11):

Jair Bolsonaro foi de 26% para 28%;
Haddad passou de 13% para 16%;
Ciro se manteve em 13%;
(Haddad e Ciro estão empatados dentro da margem de erro)
Alckmin se manteve com 9%;
Marina foi de 8% para 7%.

O Datafolha também questionou em quais candidatos o entrevistado não votaria no primeiro turno das eleições deste ano.
Neste levantamento, os entrevistados podem citar mais de um candidato. Por isso, os resultados somam mais de 100%.

Confira os resultados da rejeição

Bolsonaro: 43%
Marina: 32%
Haddad: 29%
Alckmin: 24%
Ciro: 22%
Vera: 19%
Cabo Daciolo: 19%
Boulos: 18%
Eymael: 17%
Meirelles: 17%
João Goulart Filho: 15%
Alvaro Dias: 15%
Amoêdo: 15%
Rejeita todos/não votaria em nenhum: 4%
Votaria em qualquer um/não rejeita nenhum: 2%
Não sabe: 5%

Simulações de segundo turno

Bolsonaro 42% x 41% Marina (branco/nulo: 16%; não sabe: 2%)

Ciro 41% x 34% Alckmin (branco/nulo: 22%; não sabe: 2%)

Alckmin 40% x 39% Bolsonaro (branco/nulo: 19%; não sabe: 2%)

Alckmin 39% x 36% Marina (branco/nulo: 23%; não sabe: 2%)

Ciro 45% x 39% Bolsonaro (branco/nulo: 14%; não sabe: 2%)

Alckmin 39% x 35% Haddad (branco/nulo: 24%; não sabe: 3%)

Haddad 41% x 41% Bolsonaro (branco/nulo: 15%; não sabe: 2%)

Ciro 45% x 31% Marina (branco/nulo: 22%; não sabe: 2%)

Marina 37% x 37% Haddad (branco/nulo: 24%; não sabe: 2%)

Ciro 42% x 31% Haddad (branco/nulo: 25%; não sabe: 3%)

*Foram entrevistad so 8.601 eleitores em 323 cidades nos dias 18 e 19 de setembro. A margem de rro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

*Registro no TSE: BR-06919/2018
Nível de confiança: 95%

*Contratantes da pesquisa: TV Globo e “Folha de S.Paulo” .

Cid Gomes faz adesivaço na avenida Mister Hull

O candidato do PDT ao Senado, Cid Gomes, participou, no começo desta noite de quarta-feira, de um adesivaço no cruzamento da avenida Mister Hull com rua Tomás Rodrigues, no bairro Antônio Bezerra, em Fortaleza.

Um grupo de militantes, com bandeiras e muita alegria, circulou entre motoristas e motociclistas. Além de adesivos dele, distribuiu vários de Ciro Gomes entre caminhoneiros que passavam pelo local

Cid era o único da chapa majoritária no ato.

Na agenda dele, constava viagem para São Paulo, onde teria reunião na coordenação da campanha de Ciro, que acabou cancelada.

(Foto – Divulgação)

Jair Bolsonaro inicia alimentação por via oral

O candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro, do PSL, iniciou hoje alimentação líquida por via oral, com boa tolerância, mantendo também a nutrição endovenosa, segundo boletim médico divulgado nesta tarde pelo Hospital Israelita Albert Einstein, onde ele está internado desde o último dia 7.

Bolsonaro, atualmente tratado em unidade semi-intensiva, continua sem febre nem outros sinais de infecção. Ele está realizando exercícios respiratórios e caminhadas.

Na tarde desse domingo (16), o candidato recebeu alta dos tratamentos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), quando passou a receber cuidados semi-intensivos. Ele estava na UTI desde a última quarta-feira (12), quando foi submetido a uma cirurgia de emergência para tratar aderência que obstruía o intestino delgado.

Antes das complicações, os médicos haviam começado a reintroduzir a alimentação por via oral.

Bolsonaro recebeu uma facada durante ato de campanha no último dia 6, em Juiz de Fora (MG). Após ter sido atendido na Santa Casa da cidade, onde chegou a passar por uma cirurgia, ele foi transferido, a pedido da família, para o Hospital Albert Einstein, na capital paulista, na manhã do dia 7.

(Agência Brasil)

Temer encurtará viagem aos EUA para não atrapalhar campanhas de Rodrigo Maia e Eunício

Os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (MDB), pediram e o presidente Michel Temer decidiu encurtar sua viagem aos Estados Unidos.

Agora, Temer ficará apenas os dias 24 e 25 de setembro, informa a Veja Online.

Ao invés de uma intensa agenda, foram mantidos apenas um almoço com empresários e o discurso de abertura na Assembleia Geral da ONU.

DETALHE – Rodrigo Maia e Eunício são candidatos à reeleição e avaliaram que ficar distante da campanha, em clima de reta final, não seria nada bom.

(Foto – Agência Brasil)

Acrísio se compromete na luta por verbas para a Cultura

Secretário Fabiano Piúba (Cultura), Acrisio e o fotógrafo Tiago Santana.

O vereador Acrísio Sena (PT), candidato a deputado estadual, assinou documento da Rede Parlamentar pela Cultura durante ato no Comitê de Cultura Pró-Camilo Santana. Dentre os compromissos assumidos, a defesa da ampliação do orçamento da cultura na lei Orçamentária Anual (LOA) e na Lei do Plano Plurianual (PPA).

“Temos a perspectiva de fortalecer institucionalmente a construção de uma política pública de Estado para a cultura no Ceará, como prioridade estratégica, para fortalecer a formação de nossa juventude e combater a violência”, disse Acrísio Sena.

(Foto – Divulgação)

“Nem a pau, Juvenal!, diz Ciro sobre possível apoio a Fernando Haddad no 2º turno

“O Brasil não suporta mais um presidente fraco que tenha de consultar o seu mentor. Foi assim com a Dilma, uma pessoa honrada, mas sem experiência e maturidade política, eleita na popularidade do Lula e que, na hora da crise, nomeou Lula ministro. Se apertar, o Haddad vai fazer o quê? Ir para Curitiba?”, disse Ciro Gomes, candidato a presidente da República pelo PDT, em sabatina, nesta quarta-feira, promovida pela Rádio O POVO/CBN e do Portal G1.

Haddad disse na sabatina do UOL em parceria com a Folha e o SBT que, caso eleito, manterá visitas a Lula na prisão. “Considero ele um grande conselheiro e terá [em um eventual governo] um papel destacado em aconselhamento”, disse. “Jamais dispensaria a experiência do presidente Lula. Ele será meu interlocutor permanente, é uma pessoa que admiro profundamente e vítima de uma injustiça será reparada o quanto antes”, completou.

Perguntado na sabatina desta quarta-feira (19) se pensa em apoiar Haddad em um eventual segundo turno entre o petista e Bolsonaro, Ciro disse que ainda não pensa neste cenário. “Nem a pau, Juvenal! Eu ser vice dele [Fernando Haddad]? Em nenhuma circunstância… O Haddad aceitou desenvolver um papel que eu considero que o diminui profundamente. Esse papel foi oferecido a mim, esse é um fato real. O Lula – via Dilma Rousseff, via Roberto Requião, via Gleisi Hoffmann– me cercou por todos os lados para eu aceitar ser o vice dele de araque”, disse.

Desde que foi oficializado como candidato do PT, em 11 de setembro, Haddad subiu de 8% para 19% nas intenções de votos segundo pesquisa Ibope divulgada na última terça-feira (18). Jair Bolsonaro (PSL) lidera com 28% e Ciro aparece em terceiro com 11%.

(Também com Agências)

Será Bolsonaro o Donald Trump brasileiro?

Com o título “Será Bolsonaro o Trump brasileiro?”, eis artigo de Paulo Henrique Martins, professor de Sociologia da UFPE e ex-presidente da Associação Latino-Americana de Sociologia. Confira:

Engana-se quem pensa que Trump não tem muitos seguidores no Brasil. Seus tuítes irados, seu machismo e seu ódio aos imigrantes, sua agressividade ao lidar com auxiliares e de tomar decisões arbitrárias produzem muitas simpatias nos segmentos de direita. O fato de se tratar de um personagem “outsider” que dobrou o Partido Republicano impondo uma agenda agressiva e sedutora que o levou com sucesso à Presidência dos Estados Unidos, desperta em muitos eleitores um alívio que somente emerge com a chegada dos “heróis salvadores da pátria”.

Bolsonaro tem algo do Trump pelo destempero verbal e pela defesa inflamada da liberação de armas de fogo (e de armas brancas, suponho!). Suas referências agressivas aos movimentos sociais e aos direitos indígenas e afrodescendentes acendem em muitos indivíduos este sentimento de que enfim chegou o “Mito” salvador, assim como Trump.

Mas as aproximações entre Bolsonaro e Trump têm limites claros. Apesar de sua loucura Trump é um protecionista e não um simpatizante da abertura do “livre mercado”. O fundamento de sua política é a defesa das condições de trabalho dos norte-americanos pobres e das indústrias norte-americanas.

Lembremos que as palavras que ele pronunciou quando tomou posse foram: “Vamos renovar o sonho americano” e que ele se elegeu contra a vontade dos financistas de Wall Street que apoiavam Hillary Clinton.

Neste ponto, Bolsonaro é o oposto. Ele não é um protecionista mas um entreguista. Seu programa de governo escrito pelo economista ultra-liberal Paulo Guedes constitui uma ameaça efetiva à soberania nacional do Brasil. As privatizações de empresas estratégicas como Petrobras e Eletrobras, a desqualificação das políticas públicas para a educação, saúde e trabalho num País de exclusão estrutural como o nosso, entre outras medidas privatizantes, significa a desarticulação do Estado Nacional e o regresso à posição de entreposto colonial. É isso que nós brasileiros queremos? Será que não há mesmo alternativas a este cenário neoliberal radical? Não custa lembrar que o voto é também um modo de tomar consciência e responsabilidade coletiva sobre nosso destino como País livre.

*Paulo Henrique Martins

paulohenriquemar@gmail.com

Professor de Sociologia da UFPE e ex-presidente da Associação Latino-Americana de Sociologia (Alas).

PSDB quer cassação de Camilo e Cid Gomes

293 2

O candidato ao Governo do Estado pelo PSDB, General Theophilo, entrou com representação contra chapa de Camilo Santana, Izolda Cela e Cid Gomes, com base na delação de Wesley Batista, da JBS. O texto da acusação diz que Camilo Santana e o então governador Cid Gomes conseguiram ocultar da Justiça Eleitoral a maneira ilícita como conseguiram os recursos declarados na prestação de contas da campanha de 2014.

“Esse ‘êxito’ (de supostas manobras financeiras ilegais), porém, não pode converter-se em ‘direito adquirido’ à impunidade”, defende ação de autoria de Maia Filho, advogado do PSDB, que representa o candidato tucano.

A delação de Batista se refere à campanha de 2014, mas a delação só foi feita em maio de 2017. Segundo Maia Filho, o único momento em que a Justiça Eleitoral recebe denúncias é quando os alvos tornam-se candidatos, motivo pelo qual a ação só foi realizada agora.

Segundo a delação, entre junho e outubro de 2014, o Governo do Ceará liberou nove pagamentos para empresas do grupo JBS, que totalizavam R$ 111,6 milhões. Isso porque Cid Gomes teria visitado Batista em sua casa, solicitando R$ 20 milhões para a campanha de Santana. Ouviu, entretanto, que o repasse era impedido por dívida de R$ 110,4 milhões em restituição de ICMS que tinha o Estado com as empresas dos irmãos Batista. Duas semanas depois, o empresário disse ter sido procurado por Antonio Balhmann e Arialdo Pinho. Os dois ofereciam a liberação integral dos créditos do ICMS em troca dos R$ 20 milhões.

Questionado sobre a incapacidade de delações, por si, constituírem prova, ele sustentou que os repasses estão documentados no site da Secretaria da Fazenda (Sefaz) e na prestação de contas no site do TRE-CE, que guardam compatibilidade com o relatado por Batista .

Na avaliação do advogado, se for feita análise isenta da lei eleitoral, “em qualquer lugar do mundo” os citados estariam fora destas eleições. Segundo Filho, inclusive, a expectativa da coligação PSDB/Pros é esta.

Abordado pelo O POVO durante carreata no bairro Conjunto Ceará na tarde de ontem, Theophilo afirmou não não querer comentar a ação, porque o assunto é para ser tratado com o jurídico do partido. Justificou ainda que suas atenções estão voltadas unicamente para a campanha.

A assessoria do candidato à reeleição Camilo limitou-se a afirmar que trata-se de “uma ação completamente infundada, com objetivo de gerar notícia”.

Já advogado do governador, André Costa, afirmou que, no momento, não se manifestará sobre a questão, já que não foram notificados. As chamadas feitas ao telefone de Cid Gomes não foram atendidas.

(O POVO – Carlos Holanda/Foto – Alex Gomes)

Paulo Guedes propõe um imposto nos moldes da CPMF

O economista Paulo Guedes, que foi anunciado pelo presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) como seu ministro da Fazenda, caso seja eleito em outubro, propõe a criação de um tributo semelhante à extinta CPMF – que era aplicada sobre movimentações bancárias – e um imposto de renda único de 20% para pessoas físicas e jurídicas. Uma taxa também de 20% incidiria sobre a distribuição de lucros e dividendos. A informação está na Folha de S.Paulo desta quarta-feira.

O anúncio de sua provável reforma tributária, que ainda prevê a eliminação da contribuição patronal para a Previdência, foi feito em evento fechado e organizado pela GPS Investimentos, empresa de aconselhamento e gestão de fortunas familiares.

O novo imposto se chamaria Contribuição Previdenciária e seria usado para financiar o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

(Foto – CNEWS)

Lula turbina Haddad, mesmo da cadeia, e Bolsonaro sobe, mesmo numa cama de hospital

Da Coluna Política, do jornalista Érico Firmo, no O POVO desta quarta-feira, eis o tópico “Um na cadeia, outro na cama de hospital”. Confira:

A pesquisa Ibope divulgada na noite de ontem confirmou a impressionante ascensão de Fernando Haddad (PT). Ele é a onda da vez na eleição presidencial. Chega a ser assombrosa a capacidade de transferência de votos de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Nunca antes na história deste País – talvez de qualquer outro país – um detento foi capaz de impulsionar a esse ponto um candidato. Lula elegeu Dilma, é verdade, mas foi trabalho de quatro anos. “Mãe do PAC” e aquele negócio todo. Haddad virou candidato na semana passada. Não participou de um debate até agora. Só na sexta-feira passou a ir às sabatinas. O lulismo, com Lula preso, está a protagonizar um de seus feitos mais impressionantes.

Haddad deu um salto, enquanto Bolsonaro segue sua toada de crescimento lento e contínuo. Especulava-se se teria chegado ao teto, se iria ser esvaziado durante a campanha. Nada disso aconteceu. Ele resiste e sobe com impressionante consistência. Não houve um salto imediatamente após o atentado. Mas, em 12 dias desde então, cresceu seis pontos. Cresceu uma Marina Silva (Rede). Isso de uma cama de hospital.

(Fotos – Folhapress e Facebook)

“Não leva o meu apoio, não leva meu voto nem o da AM”, diz Arthur Virgílio, do PSDB, sobre Alckmin

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio (PSDB-AM), um dos expoentes do tucanato, subiu no palanque de um aliado em sua cidade e pregou voto contra o candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin. “Não leva o meu apoio, não leva o meu voto, não leva o dos amazonenses”. disse. A fala foi filmada por aliados, informa a Coluna Painel, da Folha de S.Paulo desta quarta-feira.

Arthur se colocou como rival interno de Alckmin e lutou por uma indicação de candidato a presidente. Ele deixou a disputa das prévias alegando desigualdade de condições para disputar. Chegou a ser procurado por aliados de Alckmin para refazer as pontes com o tucano, mas parece ter decidido implodir qualquer chance de entendimento.

A fala de Virgílio acontece num momento crítico para Alckmin na disputa presidencial, em que o tucano patina nas pesquisas de intenção de votos sem conseguir fazer sombra a Jair Bolsonaro (PSL), que corre no campo da direita.

Virgílio chama sua fala de um desabafo. “Ele que faça o que bem entender, não sei como funciona essa coisa do jurídico… Só sei de uma coisa: não seria eu cúmplice de uma mentira que seria contada mais uma vez. Em 2006 ele veio aqui, eu me sacrifiquei por ele, Arthur Bisneto quase não se elege deputado estadual para que a gente pudesse fazer um palanque para ele aqui”, diz o prefeito, citando a última eleição em que Alckmin concorreu à Presidência.

“Pois muito bem: traiu. Entrou com um pedido no Supremo Tribunal Federal [contra a zona franca de Manaus] e tinha prometido que iria defendê-la quando por aqui passou e pediu o nosso voto. Então não leva o meu apoio, não leva o meu voto, não leva o dos amazonenses, não leva o dos companheiros”, disse Virgílio. “Não voto em quem trai a zona franca de Manaus”.

Alckmin foi ao Supremo contra incentivos fiscais concedidos na Zona Franca de Manaus.

Neymar grava vídeo apoiando Romário para o governo do Rio

Neymar gravou um vídeo de apoio a Romário, candidato ao governo do Rio de Janeiro. Diz o jogador do PSG na propaganda:

— Fala, Romário. Estou aqui para falar que eu te apoio. Você e todos que estão contigo.

Em outro momento do vídeo, Neymar menciona o seu carinho pela cidade do Rio — embora Romário seja candidato ao governo:

— Espero que você possa melhorar muito o Rio de Janeiro, que eu sou um frequentador e amo muito essa cidade.

*Da Veja Online, confira o vídeo aqui.

Salmito Filho é chamado de “meu prefeito” em evento de campanha

Durante evento pró-Camilo no bairro Bela Vista, na segunda-feira, chamou a atenção a manifestação de grupos que participavam do ato. Quando o presidente da Câmara Municipal, Salmito Filho (PDT), ali chegou, ganhou tratamento dos mais carinhosos: “Meu prefeito!”

Bom lembrar que, correndo por fora, está Queiroz Filho, candidato a deputado estadual pelo PDT e que é tido como o preferido do prefeito Roberto Cláudio (PDT) para a Prefeitura em 2020.

(Foto – Divulgação)

Alckmin diz que, apesar das pesquisas, vai para o segundo turno

O candidato a presidente da República pelo PSDB, Geraldo Alckmin, disse, em entrevista ao Jornal da Globo, nessa noite de terça-feira, estar confiante de que, apesar do que apontam as pesquisas, vai para o segundo turno. O tucano, com maior tempo no horário gratuito, aparece com 7% das intenções de voto, segundo pesquisa Ibope divulgada na noite dessa terça – eram 9% em 4 e em 11 de setembro e 7% em 28 de agosto.

“Se pegar a eleição em que fui candidato à Presidência da República [em 2006], a 12 dias da eleição a minha diferença do Lula era 24 pontos na pesquisa, na hora em que abriu a urna eram sete pontos, diferença de 17 pontos”, disse.

Alckmin afirmou que “uma parte do eleitor que está ali com Bolsonaro, ele está com medo do PT, então ele acha que o Bolsonaro é o que pode ganhar a eleição do PT. É o contrário, o Bolsonaro é o passaporte para a volta do PT porque no primeiro turno tem 13 candidatos, eu escolho um, no segundo turno ficam dois, é rejeição: eu não quero este voto no outro. O Bolsonaro é a maior rejeição, eu tenho das menores. Eu acredito que a última onda, que é a onda que vale, nós vamos chegar lá pra mudar o Brasil”.

(Foto – Reprodução de TV)

“Vou entrar com processo contra ele”, diz Camilo sobre General

229 2

O governador Camilo Santana (PT) disse ontem que irá processar o candidato tucano ao Governo do Estado, General Theophilo, por acusá-lo de comprar apoio de prefeitos do PSDB no Interior com promessa de obras.

“Eu vou entrar com processo contra ele (General) porque só anda mentindo nesta eleição”, disse o petista durante ato de campanha ontem. “Eleição não se faz com mentira, se faz com proposta”, afirmou.

Camilo, que concorre à reeleição, participou de adesivaço na esquina das avenidas Desembargador Moreira e Abolição.

Um dia antes, Theophilo havia afirmado ao O POVO que o governador tem cortejado gestores da sigla. “Muito prefeito do PSDB, que deveria estar me apoiando, não está. E não está por quê?”, perguntou o militar da reserva.

“Porque está sendo vendido para a situação, para o governador Camilo, que constrói uma estrada, que faz uma escola, que inaugura uma obra desnecessária. Esse tipo de política eu não faço.”

O tucano voltou a se queixar da falta de apoio dentro da legenda e disse que, no Ceará, “dar aulas é muito mais tranquilo do que fazer política”.

O General se referia às baixas que a chapa vem sofrendo desde o início da disputa. Ele chegou a comparar a própria situação com a do presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB), que sofre deserção de integrantes de partidos do “centrão”.

De acordo com Camilo, “ele (General) tem que propor o que quer fazer no Ceará, porque, até agora, não vi nada”. Segundo pesquisa Ibope mais recente, divulgada em agosto, o petista lidera a corrida ao Palácio da Abolição, com 64% da preferência do eleitorado cearense, à frente do adversário tucano, com 4%.

Questionado sobre representação que o PSDB moveu contra a sua candidatura com base em delação dos irmãos Wesley e Joesley Batista, do grupo JBS, Camilo disse que “não nem iria comentar”.

O prazo para mudança ou substituição de candidatos que disputam eleições em 2018 se esgotou na última sexta-feira, conforme o calendário definido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

(O POVO)

Ibope – Bolsonaro lidera com 28%, Haddad fica com 19% e vem em segundo e Ciro aparece com 11%

O Jornal Nacional divulgou, nesta noite de terça-feira, a mais recente pesquisa do Ibope, que ouviu, de domingo até esta terça, 2.506 votantes. A pesquisa foi registrada junto ao TSE por O Globo e Estadão. Se a eleição fosse hoje, a briga ficará entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).

Confira os números

Bolsonaro – 28

Haddad – 19

Ciro – 11

Alckmin – 7

Marina  – 6

Álvaro Dias – 2

Meirelles – 2

Cabo Daciolo – 1

Brancos/Nulos – 14

Não souberam/Não opinaram – 7

*Vera Lúcia, João Goulart, Eymael e Boulos não pontuaram.

REJEIÇÃO

Bolsonaro – 42

Haddad – 29

Marina – 26

Alckmin – 20

Ciro – 19

Meirelles – 12

Cabo Daciolo – 11

Eymael – 11

Boulos – 10

Álvaro Dias – 10

Vera Lúcia – 9

Amoedo – 9

João Goulart Filho – 8

Vota em todos – 2

Não soube/não opinou – 9

SEGUNDO TURNO

Ciro – 40

Bolsonaro – 39


Bolsonaro – 38

Alckmin – 38


Bolsonaro – 41

Marina – 36


Bolsonaro – 40

Haddad – 40