Blog do Eliomar

Categorias para Eleições 2018

Haddad nega envolvimento do PT em corrupção e cita Tasso por insucesso de Dilma

213 2

O candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, negou nesta sexta-feira (14), durante entrevista ao Jornal Nacional, da Rede Globo, que o PT tenha envolvimento em corrupção. Ao ser questionado pelos jornalistas William Bonner e Renata Vasconcellos sobre as condenações e investigações contra petistas, Haddad disse que a Globo também é investigada e que a Polícia Federal reconhece que o Partido dos Trabalhadores incentivou as investigações. O petista reclamou que a Globo costuma condenar pessoas, quando muitas vezes essas são depois absolvidas das acusações.

Haddad acredita que o envolvimento de seu nome em denúncias de corrupção passiva e formação de quadrilha, segundo o Ministério Público, é estranho a 30 dias das eleições.

Haddad disse que foi indicado por Lula à Prefeitura de São Paulo porque foi o melhor ministro do ex-presidente, que perdeu à reeleição, diante de um ano atípico contra o PT. Lembrou que Tasso Jereissati reconhece agora o erro de o PSDB ter aprovado pautas bombas contra o governo Dilma.

Bonner pergunta qual a dificuldade do PT em fazer uma autocrítica e reconhecer os erros. Lembra do estelionato eleitoral na campanha à releição de Dilma. Haddad aponta que houve sabotagem contra o governo do PT.

(Foto: Reprodução)

Coligação de Eunício entra com representação contra Eduardo Girão; O candidato contesta em nota

 

ATUALIZAÇÃO – 6h02min)

A coligação majoritária “A Força do Povo” (MDB/PHS/AVANTE/SD/PSD/PSC/PODEMOS/PRB) entrou com representação nesta sexta-feira (14) contra o candidato do Pros ao Senado, Eduardo Girão, por fraude eleitoral.

Segundo a denúncia, Girão teria divulgado hoje, no Facebook e no Instagram, uma falsa pesquisa em que aparece em segundo lugar nas intenções de voto, com 17%, enquanto Eunício Oliveira (MDB) teria apenas 2%. A representação é assinada pelo advogado Anderson Queiroz Costa.

O Tribunal Superior Eleitoral prevê multa entre R$ 53.2 mil a R$ 106,4 mil, em caso de divulgação de pesquisa sem registro ou fraudulenta, além de detenção de seis messes e um ano, em caso de fraude.

Outro lado

A campanha do candidato o Senado Eduardo Girão (PROS) esclarece que não divulgou pesquisa eleitoral em suas redes sociais. O gráfico público, elaborado pela Google Trends, indica o interesse dos usuários pelo nome dos candidatos, sem qualquer conotação de pesquisa eleitoral. Há indicação da fonte na imagem veiculada em redes sociais, ao lado direito da arte.

Diz ainda que com a credibilidade e seriedade que marca sua ativação, o Jornal O POVO publicou ainda os dados do gráfico público da Google Trends, que indica o interesse de internautas divulgados na imagem veiculada em redes sociais, na coluna “Nas Redes”, do repórter Daniel Herculano, desta quinta-feira (14), conforme imagens anexas, e no portal digital do veículo (link: https://www.opovo.com.br/jornal/politica/2018/09/google-trends-aponta-interesse-dos-eleitores.html).

(Foto: Reprodução)

Datafolha: Bolsonaro tem 26%; Haddad e Ciro têm 13% cada um

Nova pesquisa do instituto Datafolha mostra o candidato Jair Bolsonaro (PSL) com 26% das intenções de voto na disputa presidencial. Fernando Haddad (PT) atingiu 13% e está empatado com Ciro Gomes, que tem o mesmo percentual. Geraldo Alckmin (PSDB) obteve 9% dos votos e Marina Silva (Rede) é a candidata de 8% dos entrevistados.

Alvaro Dias (Podemos), Henrique Meirelles (MDB), João Amoêdo (Novo) marcam cada um 3% das intenções de voto. Também estão empatados Cabo Daciolo (Patriota), Guilherme Boulos (PSOL) e Vera Lúcia (PSTU), com 1%. João Goulart Filho (PPL) e Eymael (DC) não pontuaram.

Treze por cento dos entrevistados declaram votar em branco ou nulo; e 6% não sabem ou não responderam.

O levantamento foi feito ontem (13) e nesta sexta-feira (14) junto a 2.820 eleitores em 187 cidades. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi contratada pelo jornal Folha de São Paulo e pela Rede Globo.

Na comparação com a pesquisa realizada na última segunda-feira (10), Jair Bolsonaro oscilou dois pontos percentuais, Fernando Haddad cresceu quatro pontos percentuais e Ciro Gomes manteve-se estável. O ex-governador paulista Geraldo Alckmin perdeu um ponto percentual e a ex-senadora Marina Silva desceu três pontos.

Não oscilaram os percentuais de intenção de voto os candidatos Alvaro Dias, Henrique Meirelles, João Amoêdo, Cabo Daciolo, Guilherme Boulos, Vera Lúcia, João Goulart Filho e Eymael.

A proporção que declara votar nulo ou em branco reduziu em dois pontos percentuais e o número de indecisos e não respondentes oscilou em um ponto.

(Agência Brasil)

É gente boa, mas… “País não pode ser governado por procuração”, diz Cid sobre Haddad

156 1

O ex-governador do Ceará, Cid Gomes, candidato ao Senado pelo PDT, disse nesta sexta-feira (14), em Itapajé, que “o Haddad (candidato do PT ao Palácio do Planalto) é gente boa, mas o país não pode ser governado por procuração”.

A fala de Cid foi em defesa do irmão Ciro Gomes, candidato à Presidência da República pelo PDT. “É o caminho para o país entrar nos trilhos, nos eixos, principalmente para melhorar a vida dos mais pobres”, apontou.

O ex-governador disse estar confiante na eleição de Ciro. “Anotem aí: se ele chegar ao segundo turno, ele vai ser o presidente da República”, previu.

(Foto: Divulgação)

Bolsonaro pode ganhar logo no primeiro turno?

Com o título “Primeiro cenário do segundo turno, se houver”, eis artigo de Antonio Jorge Pereira Jr, doutor e mestre em Direito – USP, professor do Programa de Mestrado e Doutorado em Direito da Universidade de Fortaleza. Confira:

Estamos a três semanas da primeira rodada das eleições. Se a última pesquisa se confirmar, Bolsonaro e Ciro disputarão o segundo turno. Os dois têm tido ascensão progressiva. A ausência de Lula deve render votos a ambos. Mas, antes de tecer algo sobre esse cenário, que pode levar à Presidência um cearense nascido no interior paulista, é oportuno especular um outro.

Estimado leitor, a facada no candidato do PSL na semana passada e a saída oficial de Lula das eleições geraram possibilidade de o pleito ser definido em uma única rodada.

Vejamos. Há dois anos, houve surpresa com a vitória de João Doria para a Prefeitura de São Paulo no primeiro turno. Na ocasião, a última pesquisa estimulada do Ibope apontava-lhe índice de 35% enquanto a pesquisa espontânea lhe atribuía 22% dos votos. Entre a pesquisa e a votação não houve fato novo. Passaram-se 72 horas. Doria recebeu 54% dos votos. Foi eleito no primeiro escrutínio, para espanto de todos.

Também nos Estados Unidos, pesquisa Ipsos/Reuters informava ser de 90% a chance de vitória de Hillary, na véspera da eleição de Trump. Entre outras causas, como se apurou, as pesquisas ali não refletiam a real intenção de votos pelo fato de os cidadãos sentirem-se intimidados ou pouco confortáveis em anunciar voto em Trump, em face do bullying que costumavam sofrer pelos “democratas”, “tolerantes” e pela pressão da Grande Mídia. Aqui se passa algo similar em quem declara apoio a Bolsonaro. De modo que, no secreto silêncio do voto, talvez se escute a voz de um Brasil que se quis abafar. Portanto, não é surreal imaginar que a intenção de votos do candidato do PSL possa estar subestimada, como a de Doria em São Paulo e a de Trump nos EUA.

Nesse contexto, o atentado frustrado pode gerar efeito oposto ao pretendido pelo autor e contribuir para a eleição de Bolsonaro, dia 7 de outubro.

A despeito do risco de morte e da interrupção da campanha nas ruas, há desdobramentos que foram favoráveis ao candidato. Primeiro, seus eleitores fiéis (78% convictos) engajaram-se mais na campanha. Basta que cada um consiga outro voto para definir a eleição (se a rejeição é de 43%, há 57% que votariam em Bolsonaro). Segundo, a situação propiciou blindagem circunstancial ao parlamentar: ficou protegido do ataque de oponentes, receosos da atrair antipatia popular caso agridam tão cedo uma vítima de tamanha violência. Terceiro: criou-se justificativa médica para sua ausência nos debates, onde seria desgastado. Quarto, a Grande Mídia, por dever profissional, deu projeção ao incidente, e fez dele o presidenciável mais presente nos veículos de comunicação. Quinto, sua exposição como vulnerável suavizou a imagem hostil que lhe fora caracterizada, em parte reforçada pela própria imprensa. Será que haverá tempo de neutralizar essas ondas favoráveis?

A vitória do PSL dia 7/10 ou o segundo turno entre Ciro e Bolsonaro confirmariam o afastamento do MDB, PT e PSDB da cúpula do Executivo. Um bom recado à classe política que dominou o País.

As próximas semanas permitirão vislumbrar os efeitos dos fatores apontados. Acredito efetivamente que mais eleitores se sentirão à vontade para declarar voto em Bolsonaro. E isso demandará novas estratégias de Ciro e demais pretendentes.

*Antonio Jorge Pereira Jr

antoniojorge2000@gmail.com

Doutor e mestre em Direito – USP, professor do Programa de Mestrado e Doutorado em Direito da Unifor.

João Saraiva, em sua campanha rumo ao Senado, apregoa: É ficha limpa

173 1

O ambientalista João Saraiva, candidato ao Senado pela Rede, espera nova visita de Marina Silva ao Ceará, até o fim da campanha. Ele diz que ela quer reforçar presença no Nordeste. Nega que seja algum efeito Haddad e diz que a candidata tem condições de ir para o segudo turno e derrotar  Jair Bolsonaro (PSL).

Em conversa com a reportagem do Blog, João reforçou também a pregação de que é ficha limpa e que, por conta disso, merece a confiança do eleitorado.

Em busca da reeleição, Renan se abraça com pastor e mãe de santo

Para mitigar possíveis reações negativas ao depoimento do pastor R R Soares à candidatura de Renan Calheiros, sua campanha de reeleição ao Senado pelo MDB já tem engatilhado vídeos de apoio com padres e mães de santo.

É o que informa a Veja Online desta sexta-feira.

A intenção da campanha de Renan é abraçar também outras religiões.

(Foto – Agência Brasil)

Domingos Filho sai do páreo e entra sua mulher, Patrícia Aguiar

325 1

O conselheiro Domingos Filho, à disposição do TCE, não disputará mandato estadual como pretendia. Não obteve condições legais para isso. Ele, em suas redes sociais, deixou mensagem anunciando que sua mulher, a ex-prefeita de Tauá, Patrícia Aguiar (PSD), disputará mandato.

Mensagem aos cearenses

Em abril passado, a minha candidatura foi assegurada por meio de uma liminar da 28ª Vara da Justiça Civil e confirmada no último dia 6 pela 2ª Vara da Fazenda Pública. No entanto,  o Tribunal Regional Eleitoral (TRE)  em sessão nesta sexta-feira (14) deliberou, em uma votação dividida, sobre a impugnação da minha candidatura a deputado estadual para a eleição de outubro próximo. Importante ressaltar que a impugnação não foi por qualquer malfeito. Em 24 anos de vida pública, mantenho meu nome limpo sem qualquer envolvimento em escândalos e improbidade.

Há pouco mais de 10 dias, adversários políticos entraram junto ao Ministério Público Eleitoral para me impedir de disputar as eleições, um processo marcado pela democracia, onde ficou nítida a grande receptividade de meu nome junto aos cearenses. Essa foi uma perseguição vil e mesquinha de um grupo político que tem como características a arrogância, a prepotência e a perseguição.

O meu nome sai da disputa eleitoral, mas teremos em nossa chapa do PSD o nome de uma mulher guerreira, honesta e de mãos limpas: Patrícia Aguiar. Ex-vereadora, três vezes prefeita de Tauá,  secretária de Turismo de Fortaleza, secretária de Assistência Social em Tauá, gerente Região Nordeste da FINEP, e que teve em todos os cargos que ocupou o objetivo de bem servir à população.

Ao lado de Patrícia, irei percorrer esse Estado com a mesma garra, coragem e espírito público que tive durante esses 30 dias de campanha.

Vamos em frente. Obrigado a todos pelo apoio e confiança. Agora é ela! É Patrícia Aguiar 55333! Juntos somos mais!

DETALHE – Uma candidatura de Domingos havia sido contestada pelo eleitor José Adalberto Feitosa Rodrigues, enquanto ele buscava mostrar que sua disponibilidade ocorreu em caráter de “aposentadoria compulsória”, sem chance de aproveitamento. Domingos Filho entrou nessa condição quando da extinção do TCM, que ele presidia.

(Foto – Divulgação)

Aracoiaba e Croatá terão eleições para prefeito e vice no dia 28 de outubro

As cidades de Croatá e Aracoiaba terão eleições suplementares para escolha do prefeito e vice-prefeito no próximo dia 28 de outubro, mesma data par ao segundo turno das eleições gerais de 2018. A decisão foi tomada nesta manhã de sexta-feira, durante sessão do Pleno do Tribunal Regional Eleitoral, informa o site da Instituição.

As convenções partidárias destinadas a deliberar sobre coligações e a escolha de candidatos serão realizadas no período de 21 a 23 de setembro. Já os candidatos deverão ser registrados nos Cartórios Eleitorais das Zonas Eleitorais 67ª (Aracoiaba) e 74ª (Croatá, com sede em Guaraciaba do Norte) até o dia 25/9.

As prestações de contas das campanhas eleitorais das eleições suplementares para os cargos de prefeito e de vice-prefeito de Aracoiaba e Croatá estão disciplinadas, respectivamente, nas Resoluções nº 715 e 717/2018, também aprovadas pelos juízes da corte do TRE.

Processos

Na sessão do dia 30/8, a Corte do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará manteve, por unanimidade, a cassação do diploma do prefeito de Aracoiaba, Antônio Cláudio Pinheiro, e o declarou inelegível por 8 anos, juntamente, com Maria Valmira Silva de Oliveira, por abuso de poder político e econômico nas eleições de 2016.

O Pleno do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará decidiu, por maioria, no dia 14/8, nos embargos de declaração para reformar a decisão anterior da Corte e cassar os mandados do prefeito de Croatá, Thomaz Laureano Farias de Aragão, e o vice-prefeito, José Antônio Rodrigues de Aragão, e declarar a inelegibilidade de ambos por 8 anos, incluindo nesta condenação o radialista Cyro Leopoldo Aragão.

Jair Bolsonaro segue estável na UTI e deve retomar fisioterapia

O candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, permanece internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), em condições clínicas estáveis e sem complicações pós-operatórias, segundo o boletim médico divulgado hoje (14) pelo Hospital Albert Einstein.

De acordo com o boletim, Bolsonaro reiniciará hoje fisioterapia, com caminhada e exercícios respiratórios. O presidenciável segue recebendo analgésicos para controle da dor, está sem febre e sem outros sinais de infecção, com jejum oral e alimentação parenteral exclusiva.

Histórico

No último dia 6, o candidato a presidente levou uma facada na região abdominal durante atividade de campanha nas ruas de Juiz de Fora (MG). Ele foi atendido na Santa Casa da cidade onde passou por cirurgia.

Na sexta-feira (7), o candidato foi transferido para o Hospital Albert Einstein, em São Paulo, a pedido da família.

Bolsonaro tinha recebido alta da UTI na última terça-feira (11), mas precisou passar por cirurgia de urgência na noite de quarta-feira (12), por ter apresentado distensão abdominal progressiva, sugerindo o diagnóstico de obstrução intestinal – diagnóstico confirmado por tomografia computadorizada.

Ele foi levado para a cirurgia de urgência onde foram desfeitas as aderências do intestino e liberado o ponto de obstrução. Os médicos cuidaram também de um extravasamento de secreção intestinal em uma das suturas realizadas anteriormente para correção dos ferimentos intestinais.

(Agência Brasil/Foto – Facebook)

Servidores da Ematerce querem assistência técnica incluida em documento da Faec para governamentáveis

O presidente da Associação dos Servidores da Ematerce (Assema), Sabino Bizarria, encaminhou uma mensagem ao presidente da Federação da Agricultura do Ceará (Faec), Flávio Saboya, pedindo a inclusão, no documento de reivindicações do setor agrícola a ser entregue aos candidatos ao Governo do Estado, o pleito pró-fortalecimento do serviço de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) Pública e que venha a ser prestado com mais qualidade e abrangência.

Bizarria manifestou-se sobre pedido de inclusão depois que a Federação das Agricultura do Estado do Ceará (FAEC) anunciou nessa quarta-feira (12/9), em nossa Coluna no O POVO, que ouvirá, em um evento, os quatro candidatos mais bem posicionados nas pesquisas para o Governo. O anúncio foi feito pelo presidente da entidade, Flávio Saboya, que marcou o encontro para o próximo dia 19. Será na sede da Faec (Avenida Eduardo Girão, 317), a partir das 12 horas.

Todos receberão um documento prévio da entidade onde estão expostas as reivindicações do setor agrícola que, de acordo com Flávio Saboya, resume-se em mais crédito e segurança no campo. Sabino Bizarria considera importante a realização desse debate. Estarão presentes os representantes dos 50 sindicatos filiados à Federação.

O governador Camilo Santana (PT) será o primeiro convidado do dia 19 próximo a expor seus planos para a agricultura. Depois, às 13 horas, a vez do General Theophilo (PSDB), seguindo-se Hélio Gois (PSL), às 14 horas, e, por último, Aílton Lopes (PSOL).

Fernando Haddad deve aproveitar entrevista ao JN para mandar recados ao mercado financeiro

144 1

Fernando Haddad, agora candidato de fato do PT a presidente da República, foi aconselhado a usar parte da entrevista ao Jornal Nacional, da Globo, nesta sexta (14), para fazer um aceno ao mercado financeiro. É o que informa a Coluna Painel, da Folha de S.Paulo.

Auxiliares do petista dizem que ele deveria aproveitar o espaço para mostrar que não é um bicho-papão e disseminar o discurso de que, se eleito, haverá segurança jurídica e previsibilidade.

Os principais aliados de Haddad calculam que, se comunicar de maneira eficiente ao eleitor a indicação de Lula, ele poderá estar na disputa pela liderança nas pesquisas em até 15 dias.

(Foto – Heuler Andrey, da Folhapress)

Para Ciro Gomes, candidatura de Haddad vai dar m…

Ciente de que disputa diretamente votos com a recém-oficializada candidatura de Fernando Haddad (PT) à Presidência, o candidato do PDT, Ciro Gomes, criticou duramente o petista ontem. O pedetista adotou a estratégia de acusar o ex-prefeito de São Paulo de fragilidade política e também questionar sua capacidade de derrotar Jair Bolsonaro (PSL) num eventual segundo turno.

“O atributo do Haddad presidente indicado por Lula, isso vai dar m(*), não tenho a menor dúvida”, disse Ciro, citando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso pela Lava Jato, durante evento na Academia Brasileira de Ciências (ABC).

“Bolsonaro é o cabra marcado para perder a eleição no segundo turno, se a gente não cometer nenhuma imprudência; porque a rejeição dele é a maior de todas”, afirmou.

Em Osasco (SP), Fernando Haddad evitou responder a ataques de Ciro Gomes, que, na quarta-feira, 12, comparou o petista à ex-presidente da República Dilma Rousseff (PT).

“Este tipo de ataque pessoal não vamos fazer”, disse Haddad. “Nossa estratégia até o final da campanha é só comparar proposta. Se você me apresentar uma proposta dele (do Ciro) para comentar, eu comento”.

Em sabatina do jornal O Globo, Ciro disse que o Brasil não aguenta outra Dilma.

Haddad também comentou a abertura de reclamação disciplinar do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) contra promotores de São Paulo que ofereceram, semana passada, denúncias contra ele e o ex-governador paulista, Geraldo Alckmin (PSDB). “Isto depura o MP. Promotor não pode fazer política”, disse. O petista também afirmou que em um eventual governo dele vai fortalecer o Ministério Público, que, para ele, “precisa ser apartidário para ser forte”.

(Agência Estado)

Crítica

Alckmi

Camilo diz, em ato do PT, que Haddad é um presidenciável “preparado”

179 2

O governador Camilo Santana (PT) fez elogios ao presidenciável Fernando Haddad (PT) e afirmou que o ex-ministro de Lula é “preparado”. Foi nessa noite de quinta-feira, quando participou de um ato do PT com movimentos sociais, no bairro Benfica, em Fortaleza.

Nos últimos dias, Ciro Gomes (PDT), padrinho político do governador, comparou o adversário à ex-presidente Dilma Rousseff (PT). “O Brasil não aguenta outra Dilma”, declarou o pedetista em referência à indicação de Lula. A estratégia do ex-governador é polarizar a disputa na corrida ao Palácio do Planalto com o ex-prefeito de São Paulo para conseguir ir ao segundo turno.

No evento, a militância petista exibiu um vídeo gravado por Fernando Haddad cumprimentando os eleitores cearenses e pedindo votos para a reeleição de Camilo. Ao assistir no palanque, o governador sorriu, fez o “L” de Lula com as mãos e elogiou o substituto do ex-presidente na campanha para a Presidência.

“E eu quero dizer a vocês que a gente está muito triste porque estamos com a nossa democracia abalada. Só vamos restituir a verdadeira democracia nesse País quando Lula estiver livre. É uma prisão política, que não estão deixando por uma questão política Lula ser candidato. E agora, assume no lugar do Lula um jovem que foi por oito anos ministro da Educação, que ajudou muito ao Ceará, que fez um trabalho extraordinário, que está preparado, que está colocando seu nome à disposição do povo brasileiro para que a gente possa resgatar o projeto de Lula, o projeto de Dilma”, declarou Camilo à militância.

O petista defendeu que o novo presidente tenha um projeto “que dê oportunidade para as pessoas, que divida as riquezas desse País, que dê terra para quem não tem terra, que faça a reforma agrária”, e completou: “Precisamos ir para as ruas (…) e pedir para que no dia 7 de outubro quando abrir as urnas do Estado do Ceará a gente só vai ouvir 13, 13, 13, 13…”.

Membro da Executiva Nacional do PT, o deputado federal José Guimarães disse ao O POVO que as reclamações do governador sobre o volume de repasses do fundo partidário à campanha no Ceará estão sendo discutidas, mas que o assunto já está “pacificado”.

Ainda sem uma resposta sobre a possibilidade de novos aportes à campanha no Estado, Camilo afirmou que ainda não recebeu retorno da insatisfação, mas disse que não houve problemas com a instância nacional, que apenas fez uma reclamação pontual.

O presidente do PT no Ceará, deputado estadual Moisés Braz, reforçou a fala do governador e disse que a insatisfação é em todas as alas, principalmente em relação às candidaturas à Assembleia Legislativa que estão entre as de menor prioridade da instância nacional do partido.

Dirigentes do PT no Ceará confirmaram a presença de Fernando Haddad mais uma vez no Ceará. A expectativa é que o candidato faça duas carreatas na Região Metropolitana e no Cariri.

(Com O POVO -Repórter Wagner Mendes/Foto – Alex Gomes)

Eleições 2018 – Mais de 10 mil PMs atuarão no pleito do Ceará

Para o primeiro turno das eleições no Ceará, mais de 10 mil policiais militares serão mobilizados, informa o Tribunal Regional Eleitoral. Nesse contingente, 7.287 policiais militares, além do efetivo normal de serviço, o que significa que 10.023 PMs trabalharão na data em todo o Estado.

O dado consta do Plano Operacional de Segurança para as Eleições 2018 , que foi entregue à presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará, desembargadora Nailde Pinheiro Nogueira, e ao vice-presidente e corregedor, desembargador Haroldo Correia de Oliveira Máximo.

O Plano Operacional foi entregue pelo chefe da Operação Eleições 2018, tenente-coronel Jano Emanuel Marinho. Na Capital, o reforço na Segurança será de 1.500 policiais. O efetivo que trabalhará no Interior deve se deslocar no dia 3 de outubro. A Operação Eleições será das 18 horas da sexta-feira, 5 de outubro, até as 7 horas de segunda-feira, 8 de outubro.

(Foto – Paulo MOska)

Falta de autoridade compromete segurança e economia, diz Tasso

O senador Tasso Jereissati (PSBB) reforçou, nesta quinta-feira (13), ao lado do candidato a governador do Ceará, General Theophilo (PSDB), e da candidata ao Senado, Dra. Mayra (PSDB) – que o Ceará está vivendo um grande quadro de violência e desaceleração da economia. No Cariri, eles visitaram Juazeiro do Norte, Brejo Santo e Crato.

Para Tasso, “a solução é impor a ordem. Quando você vê tudo bagunçado, ódio, extremismo, insegurança, não há investimento. Então, é preciso restaurar a confiança e isso é feito com autoridade. Por isso, que estamos trazendo nossa chapa ‘Tá Na Hora de Mudar’ com General Theophilo e Dra.Mayra, pessoas fichas limpas e de pulso firme’.

Em entrevista, o General afirmou que está preparado para ser o novo governador do Ceará e elencou como prioridades de seu mandato: segurança, saúde, geração de emprego e segurança hídrica. “A população está ansiosa pela mudança e está aceitando muito bem nosso plano de governo ‘Ceará Compartilhado’, tenho sentido isso por todos os municípios que estamos visitando. E nós estamos lutando para mudar o Ceará mentiroso das propagandas do atual governo”, enfatizou.

Agenda desta sexta-feira (14) da comitiva:

10:00 – Encontro com Trade Turístico, em Juazeiro do Norte

Local: IU’Á Hotel

11:00 – Encontro com Pastores e Líderes Evangélicos, em Barbalha.

Local: Imperial Palace Hotel

17:00 – Visita ao município de Iguatu

(Foto: Divulgação)

Bolsonaro segue na UTI sem previsão de alta, diz boletim

O candidato à Presidência da República pelo PSL Jair Bolsonaro está recebendo analgésicos para controlar a dor, após cirurgia realizada ontem à noite para tratar uma aderência que obstruiu o intestino delgado. Ele continua internado na Unidade de Terapia Intensiva sem previsão de alta, segundo o mais recente boletim médico divulgado nesta quinta-feira (13) pelo Hospital Albert Einstein, onde está internado desde o último sábado (7).

Ele não apresentou sangramentos nem outras complicações decorrentes da cirurgia e está em jejum oral, com alimentação exclusivamente endovenosa.

Apesar do procedimento, a avaliação médica é de que Bolsonaro tem evolução clínica estável, permanece sem febre, sem sinais de infecção e com função renal normal.

Por ordem médica, as visitas estão restritas a pessoas autorizadas pela família.

(Agência Brasil / Foto: Arquivo)

Henrique Meirelles quer vir ao Ceará para tentar ganhar espaço

O candidato a presidente da República pelo MDB, Henrique Meirelles, quer vir ao Ceará mais uma vez, antes do pleito. Convocou, inclusive, o secretário-geral do partido, João Melo, para uma conversa nesta quinta-feira, em Brasília.

No Ceará, o partido nem fala em Meirelles.

Quem ainda difunde o candidato é a corrente da Assembleia de Deus ligada ao pastor Neto Nunes.

(Foto – Agência Brasil)

TSE nega direito de resposta de Ciro à Veja

248 1

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou hoje (13), por 6 votos a 1, um pedido de direito de resposta do candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, a uma reportagem publicada pela revista Veja.

Na semana anterior ao início da campanha eleitoral em TV e rádio, a revista publicou, com o título “O Esquema Cearense”, reportagem segundo a qual o governo de Cid Gomes, irmão de Ciro, concederia benefícios fiscais a empresas no Ceará em troca de caixa dois para campanhas eleitorais.

Com base no depoimento de Niomar Calazans, ex-tesoureiro do Pros, partido do qual Ciro foi filiado, o candidato à Presidência teria conhecimento e participação no esquema. Na mesma reportagem, porém, o entrevistado afirma não ter provas desse envolvimento.

“Essa fonte já foi condenada por difamação, dá uma entrevista à revista dizendo que sabe, com certeza, que Ciro Gomes está envolvido no caso de corrupção, mas não tem nenhuma prova disso”, sustentou o advogado André Xerez, que representa Ciro.

“A entrevista não foi dada por uma pessoa insana. Não é o caso”, rebateu o advogado Alexandre Fidalgo, em nome da revista Veja. “A imprensa trabalha com elementos de razoabilidade, de verossimilhança. Eu não preciso necessariamente saber de verdade se a declaração será provada ou não provada”, acrescentou.

Relator

O relator ministro Sergio Banhos entendeu que a revista exerceu adequadamente seu direito à liberdade de imprensa e negou o direito de resposta. “O fato da mateira ter como fonte apenas uma pessoa não altera sua natureza jornalística”. O ministro entendeu não ser possível afirmar, categoricamente, que as informações divulgadas pela reportagem são indubitavelmente inverídicas, motivo pelo qual não estariam presentes os critérios que permitiriam a concessão do direito de resposta.

“Por mais temerária que se possa entender a narrativa trazida pela revista, entendo que não cabe ao Poder Judiciário interferir no método adotado pelo veículo de comunicação social”, disse Banhos. Seguiram o relator, os ministros Luís Roberto Barroso, Edson Fachin, Jorge Mussi, Tarcísio Vieira e Luis Felipe Salomão.

Somente a ministra Rosa Weber, presidente do TSE, votou pela concessão do direito de resposta. Ela aceitou argumentação do vice-procurador-geral-eleitoral, Humberto Jacques, segundo o qual “não se compreende a liberdade de expressão sem a possibilidade de direito de resposta”.

(Agência Brasil)