Blog do Eliomar

Categorias para Energia

Bandeira tarifária de outubro será amarela, diz Aneel

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou na tarde de hoje (27) que a bandeira tarifária de outubro será amarela. Dessa forma, a tarifa sofre acréscimo de R$ 1,50 a cada 100 quilowatt-hora (kWh) consumidos. A medida representa uma redução em relação aos meses de agosto e setembro, quando a agência adotou a bandeira tarifária vermelha, no patamar 1, com acréscimo de R$ 4 para cada 100 kWh consumidos.

Segundo a agência, a mudança da bandeira vermelha para amarela ocorre pela previsão do aumento das chuvas em outubro. “A previsão hidrológica para o mês sinaliza elevação das vazões afluentes aos principais reservatórios, o que também permitirá reduzir a oferta de energia suprida pelo parque termelétrico”, disse a Aneel, em nota.

Criado pela Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos com base nas condições de geração.

O cálculo para acionamento das bandeiras tarifárias leva em conta, principalmente, dois fatores: o risco hidrológico– GSF, na sigla em inglês, e o preço da energia (PLD). Segundo a agência, o cenário favorável reduziu o preço da energia para o patamar mínimo, o que “diminui os custos relacionados ao risco hidrológico e à geração de energia de fontes termelétricas”, possibilitando a manutenção dos níveis dos principais reservatórios próximos à referência atual.

(Agência Brasil)

Energias Renováveis – Sindienergia debate o futuro do setor no Ceará

Em evento promovido pelo Sindienergia, em parceria com a Fiec, representantes de todas as categorias do setor de energia debateram esta semana os rumos do mercado de energias no Ceará, diante do setor ter se tornado um importante insumo para a indústria, com grande impacto nos custos de produção.

Os palestrantes e debatedores conduziram painéis com os temas: Oportunidades e desafios do setor de energias, Geração Centralizada de Energia, Geração Distribuída de Energia, O futuro da Distribuição de Energia, entre outros.

O encontro debateu ainda todas as matrizes de energias, porém, o tema Energias Renováveis dominou os painéis devido a crescente capacidade dentro do setor. O Ceará, em especial, ocupa uma posição privilegiada no âmbito nacional. De acordo com a Aneel o Estado é a 7ª potência mundial no mercado de geração distribuída fotovoltaica.

Segundo o CEO da Quadran Brasil, Armando Abreu, 45% da energia utilizada no Brasil já é renovável. A expectativa é que nos próximos 20 ou 30 anos esse percentual chegue a 94%.

(Foto: Divulgação)

Bandeira tarifária continua no patamar vermelho em setembro

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou que a bandeira tarifária para setembro de 2019 continuará na cor vermelha no Patamar 1, a mesma de agosto. Isso significa que haverá uma cobrança extra de R$ 4 para cada 100 quilowatts-hora consumidos. Em julho vigorou a cobrança da bandeira tarifária amarela, na qual há um acréscimo de R$ 1,50 a cada 100 kWh consumidos.

De acordo com a Aneel, a decisão de manter a bandeira no patamar vermelho 1 foi tomada devido ao fato de uma parcela significante da energia ser fornecida por meio de usinas termelétricas, que têm custo de geração de energia mais alto. Também pesou na decisão a diminuição do volume de chuvas, com a intensificação da estação seca.

“Setembro é um mês típico do final da estação seca nas principais bacias hidrográficas do Sistema Interligado Nacional (SIN). A previsão hidrológica para o mês sinaliza permanência do quadro de estiagem, com vazões abaixo da média histórica”, disse a Aneel.

Criado pela Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos com fbase nas condições de geração.

O cálculo para acionamento das bandeiras tarifárias leva em conta, principalmente, dois fatores: o risco hidrológico– GSF, na sigla em inglês, e o preço da energia (PLD). Segundo a agência, o cenário favorável reduziu o preço da energia para o patamar mínimo, o que “diminui os custos relacionados ao risco hidrológico e à geração de energia de fontes termelétricas”, possibilitando a manutenção dos níveis dos principais reservatórios próximos à referência atual.

No dia 21 de maio, a agência aprovou um reajuste no valor das bandeiras tarifárias. Com os novos valores, caso haja o acionamento, o acréscimo cobrado na conta pelo acionamento da bandeira amarela passou de R$ 1 para R$ 1,50 a cada 100 kWh consumidos. Já a bandeira vermelha patamar 1 passou de R$ 3 para R$ 4 a cada 100 kWh e, no patamar 2 da bandeira, passou de R$ 5 para R$ 6 por 100 kWh consumidos. A bandeira verde não tem cobrança extra.

Os recursos pagos pelos consumidores vão para uma conta específica e depois são repassados às distribuidoras de energia para compensar o custo extra da produção de energia em períodos de seca.

(Agência Brasil)

Eletrobras aumenta em 30% sua capacidade instalada no País

A Eletrobras registrou o aumento de 30% da capacidade instalada do país e ultrapassou o total de 50 mil MW. De acordo com a companhia, o número é relativo a 128 usinas de propriedade das suas empresas ou que contam com sua participação em empreendimentos do setor.

A entrada, hoje (20), em operação comercial da 15ª unidade geradora da usina de Belo Monte, as empresas Eletrobras somam 50.207 MW de potência instalada. Conforme a companhia, com o acionamento, em julho, da 14ª unidade geradora de Belo Monte, instalada no Rio Xingu, no Pará, a hidrelétrica se tornou a maior usina 100% brasileira.

“Ainda em 2019, há a previsão de início de funcionamento de outras três unidades geradoras de Belo Monte”, informou por meio de nota. Para a Eletrobras, o marco dos 50 mil MW reforça a contribuição das suas empresas “para que o Brasil tenha uma das matrizes de energia mais renováveis e com menor emissão de gases de efeito estufa do mundo, além de o país abrigar algumas das maiores usinas hidrelétricas do planeta”.

(Agência Brasil)

Aneel anuncia bandeira tarifária vermelha para agosto

Linhas de transmissão de energia, energia elétrica

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou, hoje (26), que a bandeira tarifária para o mês de agosto será a vermelha, no patamar 1, onde há uma cobrança extra de R$ 4 para cada 100 quilowatts-hora consumidos. Em julho, a cobrança foi da bandeira tarifária amarela, quando há um acréscimo de para R$ 1,50 a cada 100 kWh consumidos.

De acordo com a agência, a medida foi tomada pela possibilidade de aumento no acionamento das usinas termelétricas, que têm custo de geração de energia mais alto. Também pesou na decisão, a diminuição do volume de chuvas, com a chegada da estação seca.

“Agosto é um mês típico da estação seca nas principais bacias hidrográficas do Sistema Interligado Nacional (SIN). A previsão hidrológica para o mês sinaliza vazões abaixo da média histórica e tendência de redução dos níveis dos principais reservatórios”, disse a Aneel.

De acordo com a Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.

O cálculo para acionamento das bandeiras tarifárias leva em conta, principalmente, dois fatores: o risco hidrológico (GSF, na sigla em inglês) e o preço da energia (PLD).

No dia 21 de maio, a Aneel aprovou um reajuste no valor das bandeiras tarifárias. A bandeira amarela passou de R$ 1 para R$ 1,50 a cada 100 kWh consumidos, a bandeira vermelha patamar 1 passou de R$ 3 para R$ 4 a cada 100 kWh e no patamar 2 passou de R$ 5 para R$ 6 por 100 kWh consumidos.

A bandeira verde não tem cobrança extra.

Os recursos pagos pelos consumidores vão para uma conta específica e depois são repassados às distribuidoras de energia para compensar o custo extra da produção de energia em períodos de seca.

(Agência Brasil)

Aneel define bandeira amarela nas contas de energia de julho

A bandeira tarifária utilizada como referência nas contas de luz do mês de julho será a amarela. O comunicado é da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Com a medida, as cobranças terão um acréscimo de R$ 1,50 para cada 100 quilowatts-hora consumidos.

O adicional retorna às contas após a autoridade reguladora ter definido bandeira verde em junho, situação em que não é cobrado acréscimo nas contas. No comunicado, a Aneel justificou a bandeira amarela pelo fato de julho ser um mês “típico da seca nas principais bacias hidrográficas do país”.

“A previsão hidrológica para o mês sinaliza vazões abaixo da média histórica e tendência de redução dos níveis dos principais reservatórios. Esse cenário requer o aumento da geração termelétrica, o que influenciou o aumento do preço da energia (PLD) e dos custos relacionados ao risco hidrológico (GSF) em patamares condizentes com o da Bandeira Amarela”, justificou a agência.

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado, de acordo com a Aneel, para sinalizar aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica. O funcionamento das bandeiras tarifárias tem três cores, a verde, a amarela e a vermelha (nos patamares 1 e 2), que indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.

O cálculo para acionamento das bandeiras tarifárias leva em conta, principalmente, dois fatores: o risco hidrológico e o preço da energia. Os recursos pagos pelos consumidores vão para uma conta específica e depois são repassados às distribuidoras de energia para compensar o custo extra da produção de energia em períodos de seca.

No dia 21 de maio, a Aneel aprovou um reajuste no valor das bandeiras tarifárias. Com os novos valores, caso haja o acionamento da bandeira amarela, o acréscimo cobrado na conta passou de R$ 1 para R$ 1,50 a cada 100 kWh consumidos. Já a bandeira vermelha patamar 1 passou de R$ 3 para R$ 4 a cada 100 kWh e no patamar 2, passou de R$ 5 para R$ 6 por 100 kWh consumidos. A bandeira verde não tem cobrança extra.

(Agência Brasil)

Prefeitura vai selecionar empresas para reduzir custos com energia

Nesta sexta-feira, às 9 horas, no Paço Municipal, nada de ponto facultativo.

O prefeito Roberto Cláudio vai lançar o Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) para a escolha de até três empresas que queiram realizar estudos de viabilidade para a implantação de projetos de eficientização, gestão, operacionalização e manutenção. Empresas escolhidas prestarão serviços para os prédios e equipamentos públicos do município.

A iniciativa faz parte do Programa Fortaleza Competitiva e visa aproveitar o avanço tecnológico e normativo do setor elétrico, com a implantação de projetos que permitam a redução de custos com energia e uma maior sustentabilidade ambiental. “Além da redução de custos nos prédios públicos, também estaremos gerando energia limpa”, destaca o coordenador de Fomento às PPPs, Rodrigo Nogueira.

DETALHE – O Fortaleza Competitiva é uma iniciativa que engloba um pacote de medidas de estímulo à criação de um cenário qualificado para novos negócios na Capital, viabilizando mecanismos para o surgimento e o crescimento de empresas em áreas estratégicas do Município, gerando emprego, renda e desenvolvimento.

Maio terá bandeira amarela na tarifa de energia elétrica

Linhas de transmissão de energia, energia elétrica

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informa que a bandeira tarifária para maio será amarela, com custo adicional de R$ 1 para cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumido. De acordo com a agência, embora a previsão hidrológica para o mês indique tendência de vazões próximas à média histórica, “o patamar da produção hidrelétrica já reflete a diminuição das chuvas, o que eleva o risco hidrológico e motiva o acionamento da bandeira amarela”.

“Diante da perspectiva de que as afluências aos principais reservatórios fiquem perto da média, o preço esperado para a energia (PLD) deve permanecer próximo ao registrado nos últimos meses”, informou a Aneel.

Sistema

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado, de acordo com a Aneel, para sinalizar aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica. A adoção de cada bandeira, nas cores verde (sem cobrança extra), amarela e vermelha (patamar 1 e 2) está relacionada aos custos da geração de energia elétrica.

Na amarela há o acréscimo de R$ 1 a cada 100 kWh consumido. Na vermelha, no patamar 1, o adicional nas contas de luz é de R$ 3 a cada 100 kWh; no 2, o valor extra sobe para R$ 5.

Dicas de economia

Para evitar aumento significativo nas contas, a Aneel dá dicas para que os consumidores economizem energia. Entre elas a de, no caso do uso de chuveiros elétricos, tomar banhos mais curtos. A agência sugere também a diminuição no uso do ar-condicionado e que, quando o aparelho for usado, que se evite deixar portas e janelas abertas, além de manter o filtro limpo.

A Aneel indica, ainda, que o consumidor tenha atenção para deixar a porta da geladeira aberta apenas o tempo que for necessário e que nunca se coloque alimentos quentes em seu interior. Uma outra dica da Aneel para que o consumidor economize energia é a de juntar roupas para serem passadas de uma só vez e que não se deixe o ferro de passar ligado por muito tempo.

(Agência Brasil)

Reajuste da conta de luz do cearense entra em vigor nesta segunda-feira

Entra em vigor, nesta segunda-feira, no Ceará, mais um reajuste da conta de luz concedido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O aumento médio é de 8,22% para as tarifas de energia da Companhia Energética do Ceará (Enel Ceará).

Para os consumidores industriais, atendidos em alta tensão, o reajuste médio será de 7,87%, já para os consumidores atendidos em baixa tensão – residenciais e comerciais – o reajuste médio será de 8,35%.

O aumento na tarifa foi autorizado dentro do processo de revisão tarifária da empresa. A Enel Ceará atende 3,5 milhões de unidades consumidoras em todo o estado do Ceará.

40 horas sem dormir – Enel não cumpre diversos prazos para reparo em fiação e idoso abandona residência

379 6

O aposentado Edilson Mapurunga, 69, deixou sua residência na manhã deste domingo (21), no bairro Parque Araxá, após passar cerca de 40 horas sem dormir à espera do cumprimento de diversos prazos estabelecidos pela Enel para reparo na fiação do poste que fornece energia elétrica na casa do idoso.

Desde a manhã da sexta-feira (19) que o fornecimento de energia foi interrompido, diante do mau contato na fiação. Segundo o aposentado, quando o vento sopra forte a fiação balança e as luzes piscam na residência.

De acordo ainda com o aposentado, a Enel estabeleceu diversos prazos para o trabalho de reparo, mas não cumpriu nenhum. O último foi marcado para as 13h08min deste domingo. Segundo ainda o aposentado, foi comunicado à Enel que ele reside sozinho na casa e que depende da energia para cuidados com a saúde e manutenção de alimentos, como forma de evitar intoxicações.

O idoso, leitor do Blog, informou ainda que se sente abatido por causa do computador, por onde mantém contato com os filhos – não residem em Fortaleza – e busca entretenimento em grupos de conversas e torneios de baralho.

ATUALIZAÇÃO – Por volta das 14h30min, uma equipe da Enel realizou reparos no poste de energia elétrica e reativou o fornecimento na casa do aposentado. Vizinhos informaram que a equipe afirmou que foi acionada para a ocorrência por volta do meio-dia e que realiza mais de 50 atendimentos por dia. No final desta tarde, o aposentado retornou para a residência.

Obrigado a não dormir – Leitor do Blog aguarda “aleluia” da Enel

O leitor do Blog, o aposentado Edilson Mapurunga, 69, morador do Parque Araxá, desde as primeiras horas da Sexta-Feira da Paixão (19) peregrina uma Via Crucis em busca do atendimento da Enel, prestadora dos serviços de fornecimento de energia elétrica no Ceará.

Apesar dos cuidados com a saúde e de morar sozinho, o leitor se encontra sem energia elétrica, diante do problema no poste de fiação, que antes do interrompimento da luz proporcionou faíscas.

Aconselhado pela Enel a ficar acordado até as 2 horas desde Sábado de Aleluia (20), limite máximo para o atendimento, o aposentado está obrigado a não dormir por mais algumas horas, pois a Enel fixou o novo prazo do atendimento para o início da tarde.

Pelo visto, a volta do fornecimento deverá ficar para este Domingo de Ressurreição…

(Foto: Arquivo)

Conta de luz do cearense vai subir 7,39% a partir da próxima segunda-feira

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou o reajuste da conta de luz para os clientes da Enel Distribuição Ceará. O aumento médio será de 8,2%. Para clientes residenciais, a elevação na conta ficará em 7,39%.

O aumento para estabelecimentos que usam energia de baixa tensão será de 8,35%. Para consumidores de média e alta tensão, como indústrias e grandes comércios, o aumento será de 7,87%.

O reajuste vai entrar em vigor na próxima segunda-feira, 22. A aprovação, por parte da Aneel, ocorreu nesta terça-feira, 16.

O principal argumento para o aumento é o custo da compra de energia. Já consta neste reajuste o desconto do pagamento do empréstimo da Conta ACR, que representou 3,15%. A Conta-ACR foi criada pela Aneel para repassar às distribuidoras os custos de compra de energia não previstos e pagos pelas concessionárias entre fevereiro e dezembro de 2014.

A revisão tarifária da Enel ocorre a cada quatro anos, conforme estabelece o contrato de concessão. Além disso, há um reajuste anual de revisão da tarifa.

Câmara Federal pode votar MP que viabilizou privatização de empresas de energia

O Plenário da Câmara dos Deputados pode votar, a partir da terça-feira (9), a medida provisória que facilitou a privatização de distribuidoras de energia sob controle da Eletrobras (MP 855/18).

A MP facilitou o saneamento de contas da Eletrobras, que tinha o controle das distribuidoras Amazonas Energia e Companhia Energética de Alagoas (Ceal), privatizadas em dezembro do ano passado. Os vencedores dos leilões assumiram as empresas sem as dívidas.

Editada em novembro do ano passado, a medida garantiu o uso de recursos da Reserva Global de Reversão (RGR) para o pagamento de valores não reembolsados à Amazonas Energia devido à sua ineficiência energética e econômica.

O projeto de lei de conversão do deputado Edio Lopes (PR-RR) acrescenta outras mudanças na legislação do setor, como a reabertura do prazo para usinas geradoras pedirem prorrogação de outorga com base na Lei 12.783/13.

(Agência Câmara Notícias)

Assembleia Legislativa cobra da Arce providências contra bitributação na conta de energia elétrica

Deputados estaduais aprovaram na tarde desta quinta-feira (4), no plenário da Assembleia Legislativa do Ceará, providências da Agência Reguladora de Serviços Delegados do Estado (Arce) em relação à cobrança indevida do Imposto de Circulação sobre Mercadorias e Serviços (ICMS) na conta de energia elétrica. O requerimento é de autoria do deputado Vitor Valim (PROS).

Em pronunciamento, Valim observou que o consumidor cearense paga o ICMS não sobre o montante consumido, mas adicionado em cima dos índices da Tarifa de Uso do Sistema de Transmissão (Tust) e da Tarifa de Uso do Sistema de Distribuição (Tusd), o que acarreta bitributação.

(Foto: Divulgação)

Fortaleza é sede do II Congresso de Empreendedorismo Solar

570 6

O Instituto Solar, empresa associada à incubadora de empresas do IFCE, vai realizar, de 23 a 26 deste mês de abril, o II Congresso de Empreendedorismo Solar – Conemsol. O diferencial desse evento é que ocorrerá 100% online e 100% gratuito. O objetivo é promover e fomentar o mercado de energia solar no Brasil.

Na programação, palestras e minicursos facilitados por diversos profissionais integradores da área de energia solar de todo o País. O tema desse congresso é “Passo a Passo sobre como trabalhar com Energia Solar em 2019”, e será abordado por seus pilares: Preparo técnico, Empregabilidade, Instalação, Projetos, Vendas e comercial e Empreendedorismo solar

Programação

Durante quatro dias, haverá 12 palestras transmitidas gratuitamente no portal do conemsol, sendo três por dia. Além do congresso presencial, os inscritos poderão reservar presença nos dias e horários marcados para cada transmissão, de acordo com a programação divulgada no site.

*Mais Informações – e-mail oficial do evento: contato@conemsol.com.br

Quem são os palestrantes convidados:

Representantes de empresas integradoras de energia solar;
Fornecedores e fabricantes de equipamentos;
Representantes de Instituições de financiamentos e linhas de crédito para projetos de Energia Solar;
Profissionais da área acadêmica com formação e experiência na área de Energias Renováveis;
Pesquisadores e autores de livros na área de Energia Solar (nacional e internacional);
Instituições de ensino representadas por seus professores;

SERVIÇO

*Inscrições gratuitas no portal do evento até dia 19 de Abril –

*Portal: http://conemsol.com.br

Consumo de energia elétrica cresce 4,6% em fevereiro

O consumo de energia elétrica no Brasil cresceu 4,6% em fevereiro, em comparação ao mesmo mês do ano passado, de acordo com a Resenha Mensal do Mercado de Energia Elétrica, divulgada hoje (29) pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), vinculada ao Ministério de Minas e Energia. No acumulado de 12 meses, houve aumento de 1,7%. No primeiro bimestre de 2019, a alta no consumo foi de 4,4%, em relação a igual período de 2018.

À exceção da Região Norte, cujo consumo de energia caiu 9,3% em fevereiro, motivado pela redução do consumo industrial no segmento de metalurgia dos metais não ferrosos (-22,4%), as demais regiões brasileiras mostraram expansão do consumo. A maior elevação foi registrada no Centro-Oeste (9,1%) do país. O Nordeste e o Sul tiveram aumento de 6,9% e 6,5%, respectivamente, enquanto na Região Sudeste o consumo cresceu 4,4%.

A análise por classes de clientes revela que a maior alta em fevereiro foi verificada no consumo residencial (9,2%), seguida do comercial (7,2%), devido às altas temperaturas, acima de 28 graus Celsius na maioria das capitais, que levaram ao uso mais intenso de equipamentos como ar-condicionado e ventiladores. De acordo com a EPE, o consumo registrado na classe residencial foi o mais elevado dos últimos cinco anos. Em janeiro, o consumo das residências atingiu 8%.

Na classe industrial, ao contrário, houve queda de 2,1% no consumo de energia elétrica, em razão da redução observada nos segmentos extrativo mineral metálico (-16,4%), fabricação de papel e celulose (-5,6%) e metalurgia (-5,5%).

(Agência Brasil)

Mais três usinas de energia solar começam a operar no Ceará

Da Coluna O POVO Economia, da jornalista neila Fontenele, no O POVO desta segunda-feira:

Três usinas integrantes do complexo de geração solar da Steelcons Energy, denominado Sol do Futuro e localizado em Aquiraz (Região Metropolitana de Fortaleza), tiveram sua operação comercial aprovada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Cada uma das usinas terá cerca de 1,1 MW de potência.

(Foto – Arquivo)

Ministério divulga leilões de energia até 2021

O Ministério de Minas e Energia (MME) divulgou hoje (6), no Diário Oficial da União (DOU), as portarias de número 151 e 152, publicadas na seção 1, com o calendário de leilões de compra de energia elétrica de novos empreendimentos e de geração existente que serão realizados neste e nos próximos dois anos, no período de 2019 a 2021.

Para compra de energia nova, estão previstos os seguintes leilões: em 2019, leilão A-4 em 27 de junho e leilão A-6 em 26 de setembro.

Em 2020, devem ser promovidos o leilão A-4 em 23 de abril e leilão A-6 em 24 de setembro. Para em 2021, estão previstos o leilão A-4 em 29 de abril e leilão A-6 em 30 de setembro.

Para a contratação de energia de geração já existente, o cronograma estimado prevê: em 2019, leilões A-1 e A-2 em 6 de dezembro.

Em 2020, as previsões são para os leilões A-1 e A-2 em 4 de dezembro; e 2021, leilões A-1 e A-2 em 3 de dezembro.

(Agência Brasil)

Bandeira tarifária da conta de luz continua verde em março

A bandeira tarifária que será aplicada nas contas de luz em março será verde, ou seja, sem custo extra para os consumidores, de acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A bandeira verde é aplicada desde dezembro do ano passado.

Em nota, a Aneel diz que, apesar da pouca ocorrência de chuvas em janeiro, “o nível de produção da energia hidrelétrica no país ainda se mantém elevado”, o que garante a manutenção da bandeira verde.

O sistema de bandeiras tarifárias, criado pela Aneel, sinaliza o custo real da energia gerada. As cores verde, amarela ou vermelha, nos patamares 1 e 2, indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.

Segundo a Agência, com as bandeiras, a conta de luz ficou mais transparente e o consumidor tem a melhor informação, para usar a energia elétrica de forma mais eficiente, sem desperdícios.

Combate ao desperdício

A Aneel alerta que mesmo com a bandeira verde, é necessário manter as ações relacionadas ao uso consciente e ao combate ao desperdício.

Algumas dicas são: tomar banhos mais curtos, de até cinco minutos; não deixar portas e janelas abertas em ambientes com ar condicionado; só deixar a porta da geladeira aberta o tempo que for necessário; utilizar iluminação natural ou lâmpadas econômicas e apagar a luz ao sair de um cômodo.

(Agência Brasil)