Blog do Eliomar

Categorias para Internacional

Cuba rebate com números dúvidas sobre a capacitação de médicos formados no país

A polêmica gerada pela disposição do governo de contratar cerca de 6 mil médicos de Cuba para trabalhar na atenção primária à saúde nas regiões mais carentes do país é estimulada, entre outras razões, pela dúvida sobre a formação profissional deles. Mas o governo cubano rebate as dúvidas com números. Em Cuba, há 25 faculdades de medicina, todas públicas, e uma Escola Latino-Americana de Medicina, na qual estudam estrangeiros de 113 países, inclusive do Brasil.

A duração do curso de medicina em Cuba, a exemplo do Brasil, é seis anos em período integral, depois há mais três a quatro anos para especialização. Pelas regras do Ministério da Educação de Cuba, apenas os alunos que obtêm notas consideradas altas em uma espécie de vestibular e ao longo do ensino secundário são aceitos nas faculdades de medicina. Médicos cubanos que atuam no Brasil contam que, em Cuba, o estudante tem duas chances para ser aprovado em uma disciplina na faculdade: se ele for reprovado, é automaticamente desligado do curso. Na primeira etapa do curso, há aulas de biomédicas, ciências sociais, morfofisiologia e interdisciplinaridade.

Nas etapas seguintes do curso, os estudantes de medicina em Cuba têm aulas de anatomia patológica, genética médica, microbiologia, parasitologia, semiologia, informática e outras disciplinas. Segundo os médicos cubanos, não há diferença salarial entre os profissionais exceto pela formação – os que têm mestrado e doutorado podem ganhar mais. De acordo com os profissionais cubanos, todos os estudantes de medicina passam o sexto ano do curso em período de internato, conhecendo as principais áreas de um hospital geral. A formação dos profissionais em Cuba é voltada para a chamada saúde da família: os médicos são clínicos gerais, mas com conhecimento em pediatria, pequenas cirurgias e até ginecologia e obstetrícia.

(Agência Brasil)

Na Etiópia, Dilma discursa em nome dos líderes da América Latina

A presidente Dilma Rousseff passa este sábado (25) em Adis Adeba, capital da Etiópia, onde fica até o começo da noite. A presidenta discursa, nas comemorações do aniversário de 50 anos da União Africana (que reúne 54 países), representando a América Latina. Em nome dos países não alinhados (que reúne países que buscam um caminho independente) discursará o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad. A presidente viajou para a Etiópia acompanhada por uma comitiva de ministros, como Antonio Patriota (Relações Exteriores), Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio), Luiza Bairros (Secretaria de Políticas da Promoção da Igualdade Racial) e Aluizio Mercadante (Educação), além do porta-voz da Presidência, Thomas Traumann, empresários e assessores.

Criada em maio de 1963, a União Africana (que reúne 54 países) assumiu a função de buscar soluções internas para os conflitos envolvendo as distintas nações, assim como o processo de progressiva democratização e fortalecimento institucional. O intercâmbio comercial entre Brasil e África cresceu cinco vezes nos últimos dez anos, evoluindo de US$ 5 bilhões, em 2002, para US$ 26,5 bilhões, em 2012. O diretor do Departamento de África, Nedilson Ricardo Jorge, destacou que a União Africana contribui para a construção da democracia e busca melhorias econômicas e sociais. Segundo ele, o bloco tem “tolerância zero” contra tentativas de golpes de Estado. Atualmente, o bloco está voltado para Guiné-Bissau (que teve um golpe de Estado no ano passado e ainda não se estabilizou), República Centro Africana e Madagascar. Os três países ainda não retomaram a chamada ordem democrática.

As preocupações da União Africana atualmente também estão concentradas na promoção do desenvolvimento das redes de transporte, energia e telecomunicações, além da integração econômica, combate à fome e à pobreza, incentivos agrícola e rural. Mas os temas específicos sobre a África serão tratados na Cúpula da União Africana, nos dias 26 e 27, da qual a presidente não deverá participar.

(Agência Brasil)

Tem parlamentnar cearense na posse do presidente do Equador

“Cerca de 90 delegações e pelo menos dez chefes de Estado assistirão hoje (24) a posse do presidente do Equador, Rafael Correa. A cerimônia está prevista para as 10h (12h no horário de Brasília). Reeleito em fevereiro, Correa tomará posse na Assembleia Nacional, em solenidade conduzida por três mulheres: pela presidenta da Assembleia, Gabriela Rivadeneira, e pelas vice-presidentes da casa Legislativa, Rosana Alvarado e Marcela Aguiñaga.

Confirmaram presença os presidentes do Irã, Mahmoud Ahmadinejad; da Venezuela , Nicolás Maduro; do Peru, Ollanta Humala; da Bolívia, Evo Morales e da Colômbia, Juan Manuel Santos. A posse deve durar cerca de três horas, a presidenta Dilma Rousseff não estará presente, porque que viajou ontem (23) à Etiópia, para as comemorações dos 50 anos da União Africana. O Brasil será representado na cerimônia, pelo vice-presidente Michel Temer.”

(Agência Brasil)

DETALHE – Na comitiva de Michel Temer, dois cearenses: o deputado federal Ilário Marques e sua mulher, a deputada estadual Rachel Marques, ambos do PT.

Dilma participará das comemorações dos 50 anos da União Africana

“A presidenta Dilma Rousseff embarca hoje (23), às 19h, para Adis Adeba, na Etiópia, onde participa das comemorações do aniversário de 50 anos da União Africana (que reúne 54 países), no próximo dia 25. A previsão é que ela esteja de volta ao Brasil até o dia 27. Dilma será a única chefe de Estado da América Latina nas celebrações. Os programas sociais e as conquistas econômicas do Brasil estão na pauta de discussões.

Segundo diplomatas, os avanços sociais associados ao crescimento econômico fazem do Brasil um dos convidados de honra das comemorações, ao lado da França e da União Europeia, além da China e Índia. A presidenta viaja acompanhada por uma comitiva de ministros, entre eles Antonio Patriota (Relações Exteriores) e Aloizio Mercadante (Educação), empresários e assessores.

A presidenta discursará no sábado (25) à tarde. Ela terá uma reunião bilateral com o primeiro-ministro da Etiópia, Hailemariam Desalegn, que tem interesse nos programas de desenvolvimento agrícola, de transferência de renda e de educação implementados no Brasil. O Brasil é o país latino-americano com o maior número de embaixadas na África. No total, são 37 representações. No Conselho de Segurança das Nações Unidas, apenas a China, os Estados Unidos e a Rússia têm mais embaixadas na África do que o país.”

(Agência Brasil)

Michel Temer vai á posse de Correa no Equador

“O vice-presidente da República, Michel Temer, representará o Brasil na cerimônia de posse do terceiro mandato do presidente do Equador, Rafael Correa, amanhã (24) em Quito. Temer estará interinamente no poder enquanto a presidenta Dilma Rousseff viaja para a Etiópia (África), onde participa das comemorações dos 50 anos da União Africana.

A solenidade de posse de Correa vai reunir pelo menos 14 chefes de Estado. Confirmaram presença os presidente Mahmoud Ahmadinejad (Irã), Nicolás Maduro (Venezuela), Laura Chinchilla (Costa Rica), Ollanta Humala (Peru) e Porfirio Lobo (Honduras).

Reeleito há três meses, Correa ficará no poderá até 2017, quando completa uma década no governo. O novo vice-presidente é Jorge Glas. Correa venceu o ex-banqueiro Guillermo Lasso. Para a campanha, ele se licenciou do cargo.”

(Agência Brasil)

Ministro Leônidas firma parcerias na Flórida

content_id (3)

O secretário nacional dos Portos, ministro Leônidas Cristino, participou, nesta quarta-feira, na Flórida, da assinatura do Acordo Internacional de Portos Marítimo Irmãos firmado entre a Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ) e a Autoridade Portuária de Manatee. O acordo possibilitará o estabelecimento de linhas regulares de navegação entre os dois Portos, principalmente em função da grande importação de produtos brasileiros pela região. O documento foi assinado pelo Presidente da CDRJ, Jorge Mello e pelo Diretor Executivo do Porto de Manatee, Carlos Buqueras. A partir de agora, os portos deverão trocar informações livres e abertas, referentes à movimentação operacional de carga e de turismo, planejamento e pesquisas desenvolvidas. Será criado ainda um grupo de trabalho para dar o acompanhamento necessário e colocar em prática as intenções deste acordo.

O Porto de Manatee fica localizado na costa oeste da Flórida a cerca de uma hora de da Cidade de Orlando. A região tem grande afluência de brasileiros, o que contribui para aumento substancial da importação de produtos e carga brasileira, com possibilidade de geração de grande volume de negócios por intermédio do Porto de Manatee. Tal possibilidade é ainda potencializada pelo grande congestionamento dos portos de Miami e de Everglades, em razão do grande crescimento urbanos das Cidades.
A proximidade do Porto de Manatee com o Canal do Panamá também possibilita a redução dos custos de transporte, permitindo maior agilidade na entrega das mercadorias e fácil conexão entre portos americanos e brasileiros.

O Porto Organizado de Manatee, diferentemente dos principais Portos do Estado da Flórida, ainda dispõe de grandes áreas para expansão e inclui em seu planejamento a construção de plataformas logísticas, conhecidas nos Estados Unidos como Centros de Distribuição. Estas instalações, por estarem mais próximas dos grandes centros urbanos daquele Estado, possibilitam um grande crescimento do Porto. Nesse sentido, o Termo de Cooperação hoje firmado possibilita o aumento do comércio entre os dois Países, em uma região de grande afluência de brasileiros. Participaram também da reunião o Secretário de Gestão e Infraestrutura de Portos, Fernando Victor Castanheira de Carvalho, e o Assessor Internacional, José Newton Barbosa Gama.

(Com Site da SENAP)

Dilma é a segunda mulher mais poderosa do mundo, segundo a "Forbes"

A revisa “Forbes” definiu a presidente Dilma Rousseff como a segunda mulher mais poderosa do mundo, atrás apenas da chanceler alemã Angela Merkel. Dilma, que ficou na terceira posição por dois anos consecutivos, alcançou o segundo lugar após a saída de Hillary Clinton do posto de secretária de Estado americano, o que fez a ex-primeira dama dos Estados Unidos cair para o quinto lugar.

A lista deste ano a “Forbes”  foi divulgada nesta quarta-feira.

Câmara dos Comuns da Inglaterra aprova lei do casamento homossexual

“A Câmara dos Comuns, o Parlamento britânico, aprovou hoje (21), por maioria, a lei sobre o casamento homossexual, que a partir de quarta-feira será analisada pela Câmara dos Lordes. A nova legislação, impulsionada pelo primeiro-ministro conservador David Cameron, superou a terceira e última leitura na câmara com o apoio dos trabalhistas e liberais-democratas, por 366 votos a favor e 161 contra, com a oposição de parte dos deputados do próprio partido de Cameron.

O projeto para permitir o casamento de pessoas do mesmo sexo na Inglaterra e País de Gales (a Escócia e Irlanda do Norte têm competências próprias nessa matéria) entrará em vigor em 2014, caso supere diversos trâmites parlamentares. A legislação permitirá aos casais homossexuais contrair matrimônio civil e permite que as instituições religiosas não celebrem o matrimônio entre pessoas do mesmo sexo em caso de inexistência de uma autorização específica para a concretizar.”

(Agência Brasil com Agência Lusa)

UFC firma convênio com universidade chinesa

A Universidade Federal do Ceará acaba de firmar seu primeiro convênio com uma instituição de ensino chinesa.

O Coordenador de Assuntos Internacionais da UFC, professor Tito Lívio Cruz Romão, assinou um acordo de entendimento geral para cooperação em pesquisa com a Universidade de Jiujiang, que fica no leste da China. A relação entre as duas instituições foi iniciada pelos trabalhos desenvolvidos pela professora Mônica Alves Amorim, do Departamento de Teoria Econômica da Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade (FEAAC).

Mônica Alves é secretária-geral para a América do Sul do recém-criado Instituto de Pesquisas sobre Montanhas Famosas do Mundo. Esse centro de estudos dedica-se a produzir e trocar informações sobre o desafio de proteger e manter os frágeis ecossistemas montanhosos do mundo, levando em consideração aspectos como turismo, desenvolvimento
local, patrimônio ambiental, memória e cultura.

(Com Site da UFC)

Coreia do Norte lança três foguetes no Mar do Japão

A Coreia do Norte lançou, na manhã deste sábado (18), três mísseis guiados de curto alcance no Mar do Japão, segundo fontes do Ministério da Defesa da Coreia do Sul.

Autoridades do governo admitem a possibilidade de o lançamento dos mísseis ser parte de um treinamento ou um lançamento de teste, mas disseram que a Coreia do Sul está mantendo um nível de alerta alto e entrou em prontidão para responder a qualquer ameaça.

Esta semana, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse que a Coreia do Norte não tem a capacidade de armar um míssil balístico com ogiva nuclear.

Em discurso no Congresso americano, há poucos dias, a presidenta da Coreia do Sul, Park Geun-Hye, propôs a construção de um parque internacional na fronteira com a Coreia do Norte como alternativa para encerrar o impasse envolvendo os dois países.

Segundo Park Geun-Hye, a proposta é que o parque industrial internacional seja construído em uma região desmilitarizada que divide a Península Coreana desde o fim da Guerra da Coreia. Para a presidenta da Coreia do Sul, o complexo tem que significar, para o mundo, uma mensagem de paz.

(Agência Brasil)

Asteroide vai sobrevoar a Terra este mês

Um asteroide com 2,7 quilômetros de comprimento vai sobrevoar a Terra no dia 31 de maio, anunciaram nesta sexta-feira (17) investigadores ao site wwww.space.com. O corpo celeste, denominado 1998 QE2, não representa uma ameaça para o planeta e passará a uma distância de 5,8 milhões de quilômetros da Terra.

A aproximação será examinada por dois grandes telescópios – o observatório Goldstone, na Califórnia, e o radiotelescópio de Arecibo, em Porto Rico. O asteroide 1998 QE2 foi descoberto em agosto de 1998 por astrônomos do projeto Lincoln Near-Earth Asteroid Research (Linear), do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).

O nome do asteroide vem da organização Centro de Planetas Menores, em Cambridge, que o nomeia de acordo com um sistema alfanumérico que demonstra a data em que o corpo celeste foi descoberto.

(Agência Brasil)

Morre Rafael Videla, primeiro presidente da ditadura argentina

Jorge Rafael Videla, o primeiro presidente da ditadura argentina, morreu aos 87 anos na manhã desta quinta-feira. Na noite anterior, ele teria se recusado a jantar e disse que se sentia mal. Ele estava preso no cárcere Marcos Paz, onde cumpria pena de prisão perpétua por crimes de guerra. Sua esposa, Cecilia Pando, confirmou a notícia à rádio Radio Once Diez e disse que o marido morreu dormindo.

O ditador nasceu em 2 de agosto de 1925 na cidade de Mercedes, na província de Buenos Aires. Ocupou a presidência da Argentina entre 1976 e 1981, na ditadura que se autodenominava Processo de Reorganização Nacional, iniciada em um golpe de Estado em 1976.

(Com Agências)

Clima de "help!" nos bastidores do show de Paul McCartney

65 4

Com o título “E aí, cidadão, vamos “botar boneco”?, eis artigo do procurador da República Alessander Sales, no O POVO desta quinta-feira. Ele se apega a uma frase dita pelo cantor Paul McCartney, durante show na Arena Castelão, para uma série de abusos cometidos pela organização do evento, além de problemas de infraestrutura. Tudo com a conivência do Governo e dos órgãos de defesa do consumidor. Confira:

Dizem que Paul McCartney, em recente show na Cidade, dirigiu-se aos fãs conclamando-os a “botar boneco”. Este chamado deve ter sido um apelo do renomado artista contra todos os absurdos verificados antes e durante o evento. Com perplexidade, soube que a Arena Castelão tem os lugares marcados, mas que os ingressos foram vendidos para quem chegasse primeiro.

Soube também, é certo, que embora seu show nos Estados Unidos custe de 57 a 250 dólares, aqui pagamos bem mais para assistir a ele. Tomou ciência, ainda, em um rápido intervalo entre as músicas, que muitos só o viam pelo telão e que, descumprindo a lei, para uma parte da arena não se vendeu meia-entrada. Ficou abismado quando ouviu falar, no dia anterior ao show, que as vagas cobertas do estádio eram só para autoridades e convidados vips. Reagiu com indignação ao saber que, minutos antes de subir ao palco, seus admiradores travavam uma verdadeira guerra no trânsito e que, provavelmente, muitos não iriam chegar a tempo de curtir todo o show já que o engarrafamento, a falta de transporte público, a caminhada na lama e por vias escuras cheias de escombros não permitiriam.

Sentiu na pele a fornalha que é a arena lotada e o desespero das pessoas para encontrarem um sinal de celular inexistente. Certamente penalizou-se com quem saiu de casa cedo, esperou mais de seis horas por um show de mais de três horas e, como lhe disseram, só chegaria em casa por volta das duas da manhã do dia seguinte. Não entendeu por que os táxis, mesmo prestando um serviço público, cobravam R$ 200 de frete, e não pela distância percorrida. Por fim, encorajou-se a falar em português ao constatar que tudo ocorria com a conivência do poder público e a omissão dos órgãos de proteção ao consumidor.

Para o cidadão, portanto, só resta atender ao apelo de Paul e “botar boneco” contra o poder público e os exploradores privados que, unidos, fizeram gato e sapato do consumidor local. Devem alardear os absurdos para que não se repitam. Caso continuem a vociferar, anestesiados, o sucesso do evento, negando o óbvio, aí sim, vai ficar a impressão de que, na verdade, foram os organizadores e os patrocinadores que, pra valer, “botaram boneco”.

* Alessander Sales

Procurador da República no Ceará.

Presidente da Fiec e seu lado "beatlemaníaco"

Simplesmente com o título “Paul”, eis artigo do presidente da Federação das Indústrias do Ceará, (Fiec), Roberto Macedo, com suas impressões sobre o show de Paul McCartney. Conhecido por sua discrição, Macedo não pediu “help” e expõe aqui sua admiração pelo ex-Beatle que encantou a todos na Arena Castelão. 

Quando a minha filha Natasha me convidou para ir ao show do Paul McCartney, na Arena Castelão, no último dia 9, resisti no primeiro momento por não ser afeito a eventos que envolvem multidões. Ela insistiu, assegurando que eu não me arrependeria, porque “o Paul é um artista único no mundo”. Ela tinha razão.

Pela qualidade do espetáculo, por tudo o que vi e vivenciei, eu repetiria essa experiência. Ao sentir o público em uníssono, cantando sucessos que tocam de avós a netos, entrei naquele enlevo que parecia conectar a música com  dimensões de espiritualidade.

O encantamento visual, que deslumbrava a partir da iluminação do palco e que se estendia por toda a amplidão do estádio, demonstrava uma combinação perfeita entre a arte e a tecnologia. A esse espetáculo de luzes e sons, agregava-se a contribuição das pessoas que, como vagalumes, faziam brilhar as lanterninhas de seus celulares.

Em meio àquele ambiente de intensa comunhão, pensei no poder de McCartney em unir pessoas com mensagens aglutinadoras. O que motiva alguém com 70 anos de idade, com mais de meio século de carreira consagrada, do ponto de vista da fama e do dinheiro, sair em turnês pelo mundo afora oferecendo à admiração dos seus fãs a dádiva de sua presença?

Serão coisas como sua surpresa emocionada diante da manifestação do público ao soltar centenas de balões verdes e amarelos, quase no final do show, quando ele cantava Hey Jude? Seria esse tipo de recompensa, que só pode ocorrer na interação presencial, que leva Paul MacCartney, considerado um dos maiores artistas vivos do mundo, a enfrentar as canseiras de viagens internacionais e colocar tanta energia durante três horas de espetáculo?

Os esforços do público para vivenciar aquele encontro também me chamaram a atenção. Por que o ingresso caro e o acesso dificultado pelas obras do entorno da Arena Castelão não foram impedimento para o comparecimento das pessoas? O que estaria faltando para que haja uma presença tão maciça, quanto a que ocorreu nesse show, em encontros religiosos de busca de satisfação para a alma?

Essas e outras interrogações que me passaram pela cabeça nesse evento, que serviu de ensaio para a Copa das Confederações, não me tiraram a preocupação sobre a má qualidade do atendimento e sobre a logística de chegada e de saída do estádio.

Já não há mais tempo para medidas de infraestrutura para a Copa das Confederações, que começa em menos de um mês. O desafio agora é extrair lições dos problemas revelados com a realização do show do Paul McCartney, para a adoção de providências pontuais de engenharia de tráfego e de treinamento de pessoas. O Ceará e Fortaleza estão de parabéns pelo êxito deste grandioso evento, mas não se pode deixar de agir para tornar a movimentação de pessoas mais rápida e mais segura e os serviços adequados ao padrão requerido por um equipamento do nível da Arena Castelão.

* Roberto Macêdo

roberto@pmacedo.com.br
Presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec).

Justiça determina fim das investigações sobre morte de Salvador Allende

“A Corte de Apelações de Santiago, capital do Chile, determinou o encerramento das investigações sobre a causa da morte do presidente Salvador Allende (1970-1973), em setembro de 1973. A pedido do Movimento do Socialismo, foi investigado se Allende foi morto por terceiros. Porém, as conclusões indicam que ele morreu no momento em que o Palácio de La Moneda, sede do governo chileno, foi atacado por aviões e tanques militares, durante o golpe de Estado. O veredicto da Corte é que Allende tirou sua vida, indicando suicídio, no momento em que o La Moneda era bombardeado, para evitar ser pego por militares amotinados e liderados pelo general Augusto Pinochet, chefe do Estado Maior do Exército. Segundo testemunhas, Allende combateu e resistiu até a morte.

Momentos antes de sua morte, Allende fez um discurso que entrou para a história. Em tom emocionado, o então presidente lembrou que fazia parte de um governo “legitimamente constituído” e pediu à população para não aceitar as provocações dos militares. O governo militar no Chile, que durou mais de 16 anos, foi um dos mais violentos da América Latina.

A Quarta Sala de Justiça, formada por três magistrados, confirmou a decisão da Corte de Apelações de Santiago, cuja decisão foi do juiz Mario Carroza, que indicou o suicídio como causa da morte. Porém, os simpatizantes de Allende rechaçaram o fim das investigações e disseram que vão levar o caso para a Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos e outras instâncias internacionais.”

(Agência Brasil com Telesur)

Um Paul McCartney sem frescuras

58 1

Com o título “Sir Paul, Generoso”, eis artigo do professor universitário Vasco Furtado, no O POVO desta terça-feira. Ele aborda o que destacamos neste Blog: a simplicidade e o profissionalismo de Paul mcCartney. Lição para as beldades atuais da nossa música popular brasileira. Confira:

Estive no Castelão. Poderia contar sobre a odisseia de lá chegar e sair, das dificuldades de sinalização, do calor sufocante, mas tudo isso me parece menor comparado à figura única de Paul McCartney.

Sempre fui admirador de sua obra, mas o show aqui em Fortaleza trouxe-me um algo mais que não costumo sentir por artistas ou celebridades quaisquer que sejam. A relação entre artistas e seus fãs é simbiótica. Não existe um sem outro. Artistas precisam de audiência, afinal, obtê-la é razão de sobrevivência. Ocorre que nos dias atuais a indústria da celebridade trabalha forte para criar ídolos que, pelo artificialismo de sua criação, são cada vez mais efêmeros.

Paul não tem nada de efêmero. Com os garotos de Liverpool ou em carreira solo, Paul sempre criou e encantou. Sua postura sem exotismos também já me era conhecida. Aqui em Fortaleza mostrou-se detentor de um carisma que me tocou. Talvez estive esperando que ele agisse de acordo com o que sua fama lhe daria o direito (a tirar pelo comportamento esnobe de grande partida dos famosos de hoje em dia). Ao contrário, Paul foi de um profissionalismo, uma simplicidade e uma classe sem tamanho.

Paul se preparou para compartilhar seu palco. Senti seu prazer em fazer sua audiência alegre com sua música. Seu interesse em se conectar com os cearenses foi tocante. Claro que era tudo programado. As “pescas” escritas em português e cearês que usava demonstrava isso. Mas por que aquilo tudo não soava falso? Porque era dito por Paul. Porque ele não precisava daquilo. Se fizesse um show tecnicamente correto, todos iriam adorar. Quis ir além. E foi.

Havia uma generosidade no ar. Ele tinha mais a nos dar do que nós a ele. O mais incrível é que, no fim, creio que ele ficou feliz. É a plenitude da relação simbiótica. A realização do astro pela emoção dos fãs. Astro. Essa palavra está muito bem aplicada a Paul. Ele não é desse planeta.

* Vasco Furtado

furtado.vasco@gmail.com
Cientista e professor universitário.