Blog do Eliomar

Categorias para Internacional

Coreia do Norte lança três foguetes no Mar do Japão

A Coreia do Norte lançou, na manhã deste sábado (18), três mísseis guiados de curto alcance no Mar do Japão, segundo fontes do Ministério da Defesa da Coreia do Sul.

Autoridades do governo admitem a possibilidade de o lançamento dos mísseis ser parte de um treinamento ou um lançamento de teste, mas disseram que a Coreia do Sul está mantendo um nível de alerta alto e entrou em prontidão para responder a qualquer ameaça.

Esta semana, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse que a Coreia do Norte não tem a capacidade de armar um míssil balístico com ogiva nuclear.

Em discurso no Congresso americano, há poucos dias, a presidenta da Coreia do Sul, Park Geun-Hye, propôs a construção de um parque internacional na fronteira com a Coreia do Norte como alternativa para encerrar o impasse envolvendo os dois países.

Segundo Park Geun-Hye, a proposta é que o parque industrial internacional seja construído em uma região desmilitarizada que divide a Península Coreana desde o fim da Guerra da Coreia. Para a presidenta da Coreia do Sul, o complexo tem que significar, para o mundo, uma mensagem de paz.

(Agência Brasil)

Asteroide vai sobrevoar a Terra este mês

Um asteroide com 2,7 quilômetros de comprimento vai sobrevoar a Terra no dia 31 de maio, anunciaram nesta sexta-feira (17) investigadores ao site wwww.space.com. O corpo celeste, denominado 1998 QE2, não representa uma ameaça para o planeta e passará a uma distância de 5,8 milhões de quilômetros da Terra.

A aproximação será examinada por dois grandes telescópios – o observatório Goldstone, na Califórnia, e o radiotelescópio de Arecibo, em Porto Rico. O asteroide 1998 QE2 foi descoberto em agosto de 1998 por astrônomos do projeto Lincoln Near-Earth Asteroid Research (Linear), do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).

O nome do asteroide vem da organização Centro de Planetas Menores, em Cambridge, que o nomeia de acordo com um sistema alfanumérico que demonstra a data em que o corpo celeste foi descoberto.

(Agência Brasil)

Morre Rafael Videla, primeiro presidente da ditadura argentina

Jorge Rafael Videla, o primeiro presidente da ditadura argentina, morreu aos 87 anos na manhã desta quinta-feira. Na noite anterior, ele teria se recusado a jantar e disse que se sentia mal. Ele estava preso no cárcere Marcos Paz, onde cumpria pena de prisão perpétua por crimes de guerra. Sua esposa, Cecilia Pando, confirmou a notícia à rádio Radio Once Diez e disse que o marido morreu dormindo.

O ditador nasceu em 2 de agosto de 1925 na cidade de Mercedes, na província de Buenos Aires. Ocupou a presidência da Argentina entre 1976 e 1981, na ditadura que se autodenominava Processo de Reorganização Nacional, iniciada em um golpe de Estado em 1976.

(Com Agências)

Clima de "help!" nos bastidores do show de Paul McCartney

94 4

Com o título “E aí, cidadão, vamos “botar boneco”?, eis artigo do procurador da República Alessander Sales, no O POVO desta quinta-feira. Ele se apega a uma frase dita pelo cantor Paul McCartney, durante show na Arena Castelão, para uma série de abusos cometidos pela organização do evento, além de problemas de infraestrutura. Tudo com a conivência do Governo e dos órgãos de defesa do consumidor. Confira:

Dizem que Paul McCartney, em recente show na Cidade, dirigiu-se aos fãs conclamando-os a “botar boneco”. Este chamado deve ter sido um apelo do renomado artista contra todos os absurdos verificados antes e durante o evento. Com perplexidade, soube que a Arena Castelão tem os lugares marcados, mas que os ingressos foram vendidos para quem chegasse primeiro.

Soube também, é certo, que embora seu show nos Estados Unidos custe de 57 a 250 dólares, aqui pagamos bem mais para assistir a ele. Tomou ciência, ainda, em um rápido intervalo entre as músicas, que muitos só o viam pelo telão e que, descumprindo a lei, para uma parte da arena não se vendeu meia-entrada. Ficou abismado quando ouviu falar, no dia anterior ao show, que as vagas cobertas do estádio eram só para autoridades e convidados vips. Reagiu com indignação ao saber que, minutos antes de subir ao palco, seus admiradores travavam uma verdadeira guerra no trânsito e que, provavelmente, muitos não iriam chegar a tempo de curtir todo o show já que o engarrafamento, a falta de transporte público, a caminhada na lama e por vias escuras cheias de escombros não permitiriam.

Sentiu na pele a fornalha que é a arena lotada e o desespero das pessoas para encontrarem um sinal de celular inexistente. Certamente penalizou-se com quem saiu de casa cedo, esperou mais de seis horas por um show de mais de três horas e, como lhe disseram, só chegaria em casa por volta das duas da manhã do dia seguinte. Não entendeu por que os táxis, mesmo prestando um serviço público, cobravam R$ 200 de frete, e não pela distância percorrida. Por fim, encorajou-se a falar em português ao constatar que tudo ocorria com a conivência do poder público e a omissão dos órgãos de proteção ao consumidor.

Para o cidadão, portanto, só resta atender ao apelo de Paul e “botar boneco” contra o poder público e os exploradores privados que, unidos, fizeram gato e sapato do consumidor local. Devem alardear os absurdos para que não se repitam. Caso continuem a vociferar, anestesiados, o sucesso do evento, negando o óbvio, aí sim, vai ficar a impressão de que, na verdade, foram os organizadores e os patrocinadores que, pra valer, “botaram boneco”.

* Alessander Sales

Procurador da República no Ceará.

Presidente da Fiec e seu lado "beatlemaníaco"

Simplesmente com o título “Paul”, eis artigo do presidente da Federação das Indústrias do Ceará, (Fiec), Roberto Macedo, com suas impressões sobre o show de Paul McCartney. Conhecido por sua discrição, Macedo não pediu “help” e expõe aqui sua admiração pelo ex-Beatle que encantou a todos na Arena Castelão. 

Quando a minha filha Natasha me convidou para ir ao show do Paul McCartney, na Arena Castelão, no último dia 9, resisti no primeiro momento por não ser afeito a eventos que envolvem multidões. Ela insistiu, assegurando que eu não me arrependeria, porque “o Paul é um artista único no mundo”. Ela tinha razão.

Pela qualidade do espetáculo, por tudo o que vi e vivenciei, eu repetiria essa experiência. Ao sentir o público em uníssono, cantando sucessos que tocam de avós a netos, entrei naquele enlevo que parecia conectar a música com  dimensões de espiritualidade.

O encantamento visual, que deslumbrava a partir da iluminação do palco e que se estendia por toda a amplidão do estádio, demonstrava uma combinação perfeita entre a arte e a tecnologia. A esse espetáculo de luzes e sons, agregava-se a contribuição das pessoas que, como vagalumes, faziam brilhar as lanterninhas de seus celulares.

Em meio àquele ambiente de intensa comunhão, pensei no poder de McCartney em unir pessoas com mensagens aglutinadoras. O que motiva alguém com 70 anos de idade, com mais de meio século de carreira consagrada, do ponto de vista da fama e do dinheiro, sair em turnês pelo mundo afora oferecendo à admiração dos seus fãs a dádiva de sua presença?

Serão coisas como sua surpresa emocionada diante da manifestação do público ao soltar centenas de balões verdes e amarelos, quase no final do show, quando ele cantava Hey Jude? Seria esse tipo de recompensa, que só pode ocorrer na interação presencial, que leva Paul MacCartney, considerado um dos maiores artistas vivos do mundo, a enfrentar as canseiras de viagens internacionais e colocar tanta energia durante três horas de espetáculo?

Os esforços do público para vivenciar aquele encontro também me chamaram a atenção. Por que o ingresso caro e o acesso dificultado pelas obras do entorno da Arena Castelão não foram impedimento para o comparecimento das pessoas? O que estaria faltando para que haja uma presença tão maciça, quanto a que ocorreu nesse show, em encontros religiosos de busca de satisfação para a alma?

Essas e outras interrogações que me passaram pela cabeça nesse evento, que serviu de ensaio para a Copa das Confederações, não me tiraram a preocupação sobre a má qualidade do atendimento e sobre a logística de chegada e de saída do estádio.

Já não há mais tempo para medidas de infraestrutura para a Copa das Confederações, que começa em menos de um mês. O desafio agora é extrair lições dos problemas revelados com a realização do show do Paul McCartney, para a adoção de providências pontuais de engenharia de tráfego e de treinamento de pessoas. O Ceará e Fortaleza estão de parabéns pelo êxito deste grandioso evento, mas não se pode deixar de agir para tornar a movimentação de pessoas mais rápida e mais segura e os serviços adequados ao padrão requerido por um equipamento do nível da Arena Castelão.

* Roberto Macêdo

roberto@pmacedo.com.br
Presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec).

Justiça determina fim das investigações sobre morte de Salvador Allende

“A Corte de Apelações de Santiago, capital do Chile, determinou o encerramento das investigações sobre a causa da morte do presidente Salvador Allende (1970-1973), em setembro de 1973. A pedido do Movimento do Socialismo, foi investigado se Allende foi morto por terceiros. Porém, as conclusões indicam que ele morreu no momento em que o Palácio de La Moneda, sede do governo chileno, foi atacado por aviões e tanques militares, durante o golpe de Estado. O veredicto da Corte é que Allende tirou sua vida, indicando suicídio, no momento em que o La Moneda era bombardeado, para evitar ser pego por militares amotinados e liderados pelo general Augusto Pinochet, chefe do Estado Maior do Exército. Segundo testemunhas, Allende combateu e resistiu até a morte.

Momentos antes de sua morte, Allende fez um discurso que entrou para a história. Em tom emocionado, o então presidente lembrou que fazia parte de um governo “legitimamente constituído” e pediu à população para não aceitar as provocações dos militares. O governo militar no Chile, que durou mais de 16 anos, foi um dos mais violentos da América Latina.

A Quarta Sala de Justiça, formada por três magistrados, confirmou a decisão da Corte de Apelações de Santiago, cuja decisão foi do juiz Mario Carroza, que indicou o suicídio como causa da morte. Porém, os simpatizantes de Allende rechaçaram o fim das investigações e disseram que vão levar o caso para a Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos e outras instâncias internacionais.”

(Agência Brasil com Telesur)

Um Paul McCartney sem frescuras

72 1

Com o título “Sir Paul, Generoso”, eis artigo do professor universitário Vasco Furtado, no O POVO desta terça-feira. Ele aborda o que destacamos neste Blog: a simplicidade e o profissionalismo de Paul mcCartney. Lição para as beldades atuais da nossa música popular brasileira. Confira:

Estive no Castelão. Poderia contar sobre a odisseia de lá chegar e sair, das dificuldades de sinalização, do calor sufocante, mas tudo isso me parece menor comparado à figura única de Paul McCartney.

Sempre fui admirador de sua obra, mas o show aqui em Fortaleza trouxe-me um algo mais que não costumo sentir por artistas ou celebridades quaisquer que sejam. A relação entre artistas e seus fãs é simbiótica. Não existe um sem outro. Artistas precisam de audiência, afinal, obtê-la é razão de sobrevivência. Ocorre que nos dias atuais a indústria da celebridade trabalha forte para criar ídolos que, pelo artificialismo de sua criação, são cada vez mais efêmeros.

Paul não tem nada de efêmero. Com os garotos de Liverpool ou em carreira solo, Paul sempre criou e encantou. Sua postura sem exotismos também já me era conhecida. Aqui em Fortaleza mostrou-se detentor de um carisma que me tocou. Talvez estive esperando que ele agisse de acordo com o que sua fama lhe daria o direito (a tirar pelo comportamento esnobe de grande partida dos famosos de hoje em dia). Ao contrário, Paul foi de um profissionalismo, uma simplicidade e uma classe sem tamanho.

Paul se preparou para compartilhar seu palco. Senti seu prazer em fazer sua audiência alegre com sua música. Seu interesse em se conectar com os cearenses foi tocante. Claro que era tudo programado. As “pescas” escritas em português e cearês que usava demonstrava isso. Mas por que aquilo tudo não soava falso? Porque era dito por Paul. Porque ele não precisava daquilo. Se fizesse um show tecnicamente correto, todos iriam adorar. Quis ir além. E foi.

Havia uma generosidade no ar. Ele tinha mais a nos dar do que nós a ele. O mais incrível é que, no fim, creio que ele ficou feliz. É a plenitude da relação simbiótica. A realização do astro pela emoção dos fãs. Astro. Essa palavra está muito bem aplicada a Paul. Ele não é desse planeta.

* Vasco Furtado

furtado.vasco@gmail.com
Cientista e professor universitário.

Paul McCartney levou um mimo. Mas de Goiânia

Na passagem por Goiânia (GO), o ex-beatle Paul McCartney ganhou de presente do governador Marconi Perillo: um quadro do artista Siron Franco. A obra fazia parte da coleção particular do político tucano. Veja imagem:

quadroo

(Com Blog do Camarotti)

VAMOS NÓS – Paul levou algum presente do Governo do Estado? Se não levou, devia. Para compensar o calor da Arena Castelão e saber que seus fãs passaram sufoco danado para chegar ao local

Paul McCartney divulga nota agradecendo tantas emoções em Fortaleza

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=lnYRzv7ra7Y[/youtube]

“A noite foi especial não só para os fãs que curtiram o show de Paul McCartneyna Arena Castelão, mas também para o ex-Beatle. O Sir se emocionou com a homenagem feita pelo público, que soltou balões verdes e amarelos durante a apresentação. Nesta sexta-feira, 10,o site oficial de Paul McCartney divulgou uma nota sobre o show do ex-Beatle em Fortaleza, na qual conta que o astro inglês se surpreendeu com os fãs. Confira abaixo.

Nota do site oficial de Paul McCartney:

“Dando continuidade aos dois primeiros shows da turnê, a emocionante noite final em Fortaleza viu uma multidão diversa se reunir para a festa por quase três horas em um calor sufocante, sem um gafanhoto à vista!

No show a plateia riu, chorou, dançou, gritou e berrou enquanto Paul cantava os grandes sucessos de sua carreira. Os fãs mostraram o seu apreço por Paul com mais uma surpresa. Durante Hey Jude a multidão soltou balões verdes e amarelos, uma surpresa que foi organizada em sites de redes sociais semanas antes do show. Uma visão impressionante de ser ver ePaul foi claramente tocado pelo tributo.”.

A nota ainda traz uma declaração de Paul sobre a turnê no Brasil.

“Eu gostaria de agradecer a todos que foram nos ver esta semana, nós nos divertimos bastante. Eu, minha banda e minha produção tivemos grandes momentos e grande parte disso se deve à resposta da plateia. Então, obrigado a todos por serem tão legais, por estarem prontos para festejar e por amarem a nossa música”, disse Paul McCartney.

(Com O POVO Online)

Um pouco do clima do show de Paul McCartney

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=lnYRzv7ra7Y[/youtube]

Paul McCartney emocionou, em seu show inesquecível na Arena Castelão, ao cantar “Let it be”. Deu para compensar os atropelos logo na entrada, com filas quilométricas e desorganizadas, sem falar noutro ponto negativo: apenas uma saída nos estacionamentos pagos previamente. Os moços do “Posso Ajudar?” estavam mais perdidos do que a turma das obra de mobilidade no entorno do Castelão, que promete entregar tudo até 15 de junho, o que muitos duvidam.

Paul convidou no show: "Vamo botar boneco?!"

O cantor Paul McCartney subiu ao palco na Arena Castelão pontualmente às 21h36min desta quinta-feira. Com cumprimento em português, avisou logo, com expressão bem cearense, convidou: “Vamo botar boneco?!”

Foram mais de três horas de um show emocionante, com direito a hits famosos como Yesterday e um público que se contagiou e fez Paul voltar ao palco duas vezes ao final da apresentação. Numa delas, um casal teve direito a fazer juras de amor, com pedido de casamento e tudo.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=1Ulph39RYnM[/youtube]

 

 

Várias caravanas de fãs desembarcam para o show de Paul McCartney

teresina

Vários grupos desembarcaram nas última horas no Aeroporto Internacional Pinto Martins com um só objetivo: conferir, a partir das 21 horas, na Arena Castelão, o show de Paul McCartney. Para eles, um momento inesquecível e histórico.

Este grupo aí da foto é de Teresina (PI), mas chegou caravana do Recife, Salvador, Natal e até de Belo Horizonte.

(Foto – Paulo MOsKa)

Presidente da Venezuela inicia visita à Argentina e ao Brasil

“Depois de passar o dia ontem (7) em Montevidéu (Uruguai), o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, chega hoje (8) a Buenos Aires (Argentina). Amanhã (9), ele desembarca em Brasília. Maduro destacou que o Mercosul é exemplo de recuperação econômica e produtiva. “Há um Mercosul social quando integramos empresas recuperadas pelos trabalhadores que sofreram na época do neoliberalismo. Estamos falando de um Mercosul ativo e de trabalho produtivo”, ressaltou Maduro. Segundo ele, um exemplo é a empresa uruguaia Urutransfor, recuperada pelos trabalhadores e encarregada de produzir transformadores elétricos.

O venezuelano destacou que essas empresas são dirigidas pela classe trabalhadora com o objetivo de produzir bens de serviços a partir do Mercosul. “É uma forma que está sendo construída, que só é possível na América Latina da parte Sul. Era impossível pensar isso há 20 ou 15 anos”, disse.

Em Buenos Aires hoje, Nicolás Maduro se reúne com a presidenta Cristina Kirchner. Eles participam de uma homenagem à chamada Pátria Grande, em alusão à unidade latino-americana. A cerimônia homenageará também o presidente venezuelano Hugo Chávez, que morreu em 5 de março em decorrência de complicações causadas por um câncer. “É tempo de ideias e projetos”, disse Maduro.”

(Agência Brasil com Agência Telam)

Brasileiro comandará a Organização Mundial do Comércio

“A Organização Mundial do Comércio (OMC) elegeu hoje (7) o diretor-geral da entidade. O escolhido é o embaixador brasileiro Roberto Carvalho de Azevêdo, de 55 anos. O brasileiro disputou com o mexicano Herminio Blanco, de 62 anos. O novo diretor-geral assume o cargo em 31 de agosto substituindo o francês Pascal Lamy. A eleição foi disputada até o último minuto. O número de votos obtido pelo brasileiro só deve ser revelado mais tarde.

Azevêdo teve apoio do grupo Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), além dos países de língua portuguesa e de várias nações da América Latina, da Ásia e da África. Desde 2008, ele é representante permanente do Brasil na OMC. Azevêdo está diretamente envolvido em assuntos econômicos e comerciais há mais de 20 anos.

O embaixador brasileiro, que é diplomata de carreira, foi chefe do Departamento Econômico do Ministério das Relações Exteriores, Itamaraty, de 2005 a 2006, e chefiou a delegação brasileira nas negociações da Rodada Doha da OMC, sobre liberalização de mercados.”

(Agência Brasil)