Blog do Eliomar

Categorias para Internacional

Obama saúda novo Papa e espera que ele leve adiante a mensagem de amor e compaixão

O presidente dos EUA, Barack Obama, desejou “calorosos votos”, em nome do povo americano, para o novo Papa, Francisco I, que foi eleito  nesta quarta-feira. Ele saudou o argentino como “o primeiro Papa das Américas.”

Disse ainda Obama: “Como campeão dos pobres e dos mais vulneráveis dentre nós, ele leva adiante a mensagem de amor e compaixão que inspirou o mundo por mais de dois mil anos, que em cada um vemos a face de Deus.”

(Com Agências)

Teólogo Leonardo Boff surpreso com papa argentino

75 5

papapa

O teólogo brasileiro Leonardo Boff, em declaração, nesta quarta-feira, à ANSA, disse ter ficado “surpreso” com a “rápida” eleição do novo papa. Francisco I, argentino, foi anunciado como substituto de Bento XVI em clima de festa, na Praça São Pedro, no Vaticano.

“A verdade é que estou surpreso, eu não posso dizer nada sobre o novo papa, é preciso esperar, mas a escolha foi rápida, tão rápida, que é surpreendente, só gostaria que o papa eleito –o qual não conhecemos ainda– seja um Francisco I, um papa de sandálias para caminhar”, disse Boff, em uma entrevista telefônica.

O conclave que escolheu Francisco I durou dois dias.

Francisco I se comportou como "Bispo de Roma", o que deve facilitar diálogo com igrejas ortodoxas, diz jornalista

papapa

A escolha do novo papa, o argentino Jorge Mário Bergoglio que adotou o nome de Francisco I também pegou de surpresa profissionais de imprensa que acompanham no Ceará a vida da Igreja Católica. Um deles, o jornalista e editorialista do O POVO, Waldemar Menezes.

“Eu fiquei muito impressionado com a apresentação do novo papa pela simplicidade. Ele se mostrou um homem humilde e completamente avesso a cerimônias. Mostrou ainda um respeito profundo ao povo, ao se reconhecer como um pastor que deve, antes de tudo, receber apoio do seu rebanho. Deixou isso claro ao se curvar para pedir orações. Ao mesmo tempo, demonstrou que é uma pessoa mística”, disse Menezes.

Segundo Waldemar, o novo Papa chamou a atenção também por ter falado como “bispo de Roma”, o que dá sinaliza, em sua avaliação “um gesto importante”. Ou seja, antes de tudo, será um bispo. “A função papal é uma função recebida por ele para ser exercida em nome da igreja, mas, fundamentalmente, é bispo de Roma, o que, acredito, deve facilitar o diálogo com igrejas ortodoxas. Acho que vão perceber isso”.

Para a América Latina, a escolha de Jorge Mario, o Francisco I, foi muito importante, conforme Waldemar, porque é o Continente que representa “a parte mais viva do Cristianismo junto com a África”.

“Ele vem de uma região que tem muito a contribuir com a Igreja. Ele é homem conhecido por ser simples, andar de bicicleta, de ônibus e preparar sua própria comida. É de uma ordem religiosa, no caso jesuíta, formado, portanto, numa escola de mística muito profunda”, complementou Waldemar Menezes.

"Papa Francisco I foi uma escolha do Espírito Santo", diz pároco da Catedral de Fortaleza

papa2

 

A Igreja de Fortaleza recebeu “com um misto de surpresa e muita alegria” o anúncio do novo papa, Francisco I. Disse para o Blog o pároco da Catedral Metropolitana de Fortaleza, padre Clairton Alexandrino. “O novo papa, pelo nome, é um indicativo de um programa. Ele é papa do terceiro mundo, o que é uma alegria muito grande para todos nós”.

Bastante emocionado, padre Clairton Alexandrino destacou que toda a imprensa noticiava favoritos, que seria um brasileiro com setenta e tantos votos ou outro com tantos votos… os vaticanistas ventilavam nomes. Falou-se em briga de correntes, mas tudo confirmou um fato: a escolha é do Espírito Santo, que é dado por Deus e não pelos homens”, comemorou.

Ele fez questão de reiterar, várias vezes, que “todos erraram em suas previsões” porque a “escolha é do Espírito Santo”.

Na Argentina, festa para Francisco I

“A escolha do argentino Jorge Bergoglio como novo Papa foi recebida, nesta quarta-feira, com prolongados aplausos por parte de centenas de fieis que se encontravam na missa na Catedral de Buenos Aires.

Depois da surpresa inicial, cerca de 200 fieis ovacionaram o novo Papa Francisco I, enquanto dezenas de pessoas e jornalistas se dirigiam para a Catedal, frente à histórica Plaza de Mayo.

(Com AFP)

Papa Francisco I, homem de jeito simples

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=-e6J2GWEFVU[/youtube]

Eis as primeiras palavras de Francisco I

O novo Papa, que adotou o nome de Francisco I, deixou ótima impressão aos mais de 50 mil fiéis e ao povo católico do mundo. A escolha dele pelos 115 cardeais, nesta quarta-feira, foi uma surpresa.

Principalmente, porque ele veio da Argentina, país da América Latina, continente que concentra o maior número de católicos do mundo. A expectativa é de que haja renovação no sentido do estilo desse novo papa, de jeito simples.

É o primeiro jesuíta papa que, em suas palavras citou as expressões “hospitalidade”, “fraternidade”, “silêncio” e “oração”.

Cardeal argentino é o novo Papa

bergoglio

Saiu a fumaça branca das chaminés do Vaticano e, após mais de uma hora, saiu o nome do novo Papa, que substituirá Bento XVI. É o cardeal-arcebispo de Buenos Aires, Jorge Mário Bergoglio (76), que adotou o nome de “Francisco”, anunciou o cardeal francês Jean-Louis Tauran. O escolhido é o líder católico de número 266.

A eleição, que reuniu 115 cardeais, foi a terceira mais rápida de um Papa. O nome saiu após o quinto escrutínio.

Uma multidão faz festa na Praça São Pedro, no Vaticano. Caberá ao novo Papa, que comandará mais de 1 bilhão 500 milhões de fieis, fazer a tradicional bênção Urbi et Orbi (para a cidade e para o mundo).

Pois é, o primeiro Papa latino-americano e jesuíta.

E os brasileiros católicos agora vão ter que ajoelhar literalmente para a Argentina. Com todo respeito, claro!

* Sobre novo Papa aqui.

Nada de Habemus Papam!

“O primeiro dia de votações hoje (12) do conclave, que elegerá o sucessor do papa Bento XVI, acabou sem consenso. A fumaça escura, indicando a ausência de decisão, foi vista pela chaminé da Capela Sistina por volta das 19h40h (15h40 de Brasília). O cálculo dos vaticanistas é que o conclave dure, no mínimo, três dias e, no máximo, 11.

A Praça São Pedro lotou no final da tarde para o início da noite. Fiéis, religiosos e curiosos das mais diversas nacionalidades ignoraram a chuva fina que caía e aguardaram para ver a cor da fumaça. A terça-feira foi um dos dias mais frios da semana, registrando 8 graus Celsius.

O resultado da votação de hoje foi divulgado – por meio apenas da fumaça – cerca de duas horas depois de os cardeais se reunirem no conclave. Os 115 cardeais participaram, inclusive, o italiano Antonio Maria Vegliò, de 75 anos, que durante a missa da manhã passou mal e foi socorrido. A previsão é que amanhã (13) ocorram votações pela manhã e pela tarde.”

(Agência Brasil)

 

"Habemus Papam" terá sotaque francês

“A célebre frase proferida em latim “Habemus Papam” (Temos Papa, em português), aguardada para qualquer momento após o início do conclave, terá sotaque francês. O responsável pelo anúncio é o presidente do Pontifício Conselho para o Diálogo Interreligioso, cardeal protodiácono francês Jean-Louis Tauran, 69 anos. Ele só não dirá a frase caso seja o escolhido para suceder o papa emérito Bento XVI.

A escolha do cardeal francês para proferir a frase atende à exigência de que essa seja uma atribuição do primeiro cardeal da ordem dos diáconos, da qual Tauran faz parte desde fevereiro de 2011. Em 2005, a eleição do papa emérito Bento XVI foi anunciada pelo cardeal chileno Jorge Arturo Medina Estevez. A frase é dita aos fiéis da Varanda Central da Basílica de São Pedro.”

(AgÇencia Brasil)

Conclave começa nesta 3ª feira com ritual rigoroso

Os 115 cardeais que têm direito a voto e vão eleger o sucessor do papa Bento XVI estarão concentrados para a primeira votação do conclave, marcada para as 17 horas (13h de Brasília). Eles participam de ritual, que inclui missa, juramento e uma pequena procissão a pé, acompanhada por cantores religiosos. A previsão dos especialistas em Vaticano, os vaticanistas, é que o conclave dure de três a 11 dias. No século 20, as eleições mais rápidas foram as dos papas João Paulo II, em 1978, e Bento XVI, em 2005. A eleição do papa João Paulo II levou três dias. A mais longa do século passado foi a de São Pio X, que demorou cinco dias.

No conclave ocorrerá hoje apenas uma votação à tarde. A previsão é que a fumaça branca, no caso de eleito o papa, ou escura, se não houver consenso, seja emitida pela chaminé na Capela Sistina, na Praça de São Pedro, no fim da tarde ou começo da noite. O porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, lembrou ontem (11) que quando Bento XVI foi eleito, em 2005, a fumaça branca foi vista no fim da tarde.

* Com Agência Brasil aqui.

Livro sobre o Haiti será lançado em Fortaleza

rebeliaoo

Padre Ermano Allegri e Adriana Santiago lançarão, na próxima quinta-feira, às 15h30min, na Sala de Comissões Técnicas da Assembleia Legislativa, o livro “Haiti por si: A reconquista da independência roubada”.

A publicação traz vários depoimentos colhidos nesse País e expõe o retrato desse País da América Central,  ainda castigado por conflitos políticos internos e miséria.

Conclave – Jornais italianos apostam em três candidatos

“Os principais veículos da imprensa italiana, como os jornais Corriere Della Sera e o La Republica, apostam em três candidatos como os mais prováveis entre os 115 cardeais a suceder o papa emérito Bento XVI. Na relação estão o arcebispo de São Paulo, dom Odilo Scherer, de 63 anos; o cardeal canadense Marc Oullet, de 68 anos, e o italiano Angelo Scola, de 69 anos. Mas também são apresentados nomes alternativos.

Tradicionalmente, os principais veículos de imprensa na Itália mantêm vaticanistas – especialistas em temas da Igreja Católica Apostólica Romana – entre seus comentaristas e consultores. No Corriere Della Sera, a reportagem principal faz um perfil dos três cardeais, apontados como prováveis candidatos à sucessão de Bento XVI. O canandense é descrito como o mais aberto. O brasileiro dom Odilo é definido como o candidato que conta com o apoio de um elevado número de cardeais, principalmente da América do Sul. O arcebispo de Milão, Angelo Scola, é apoiado pelos europeus e, naturalmente, pelos italianos que têm mais votos no conclave, segundo o Corriere Della Sera.

O jornal também apresenta como candidatos paralelos o mexicano Francisco Robles Ortega, o húngaro Péter Erdo e o austríaco Christoph Schönborn. O La Republica menciona a pressão feita por norte-americanos por um nome oriundo dos Estados Unidos. O nome que tem o apoio dos norte-americanos é Timothy Dolan, o arcebispo de Nova York. Porém, para o La República o nome que reúne mais votos é o do italiano Angelo Scola. Ele, segundo o jornal, é considerado um cardeal moderado e sua escolha pode representar a abertura da Igreja, na busca por mudanças internas, no momento de denúncias de casos de pedofilia e desvio de recursos no Vaticano.”

(Agência Brasil)

Menor que matou torcedor na Bolívia teve cúmplice

“O menor que assumiu a responsabilidade pela morte do torcedor boliviano Kevin Espada , de 14 anos,no jogo do Corinthians contra o San Jose há dezoito dias pela Copa Libertadores, na Bolívia, foi mesmo o autor do disparo. A conclusão é do perito Nelson Massini, da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), em entrevista à edição deste domingo do Fantástico, da TV Globo. “É 100% de garantia de que é o menor (o autor do disparo)”, disse Massini.

A partir da análise de cenas da torcida no estádio feitas por uma TV boliviana, a reportagem também mostrou que o menor não agiu sozinho. Enquanto atirava, um outro torcedor do Corinthians segurava a sua mochila. Em fevereiro, em entrevista ao Fantástico, o menor disse que havia agido sozinho. Procurado pela Globo, o advogado Ricardo Cabral, que atende a torcida organizada Gaviões da Fiel e o menor de idade, enviou uma nota alegando que o garoto reconheceu agora que a sua mochila estava com um torcedor um degrau acima dele na arquibancada do estádio de Oruro.”

(Veja)

Jornalistas de 65 países pedem ao Vaticano autorização para cobrir conclave

“A eleição do sucessor do papa emérito Bento XVI chama a atenção da imprensa mundial. Pelo menos 4.812 jornalistas, de 1.400 veículos de imprensa, de 24 idiomas e 65 países, obtiveram credenciais (autorização) para a cobertura do conclave, que começa amanhã (12). Porém, até ontem (11) o número de pedidos era 5.256. Antes da concessão de autorização, o Vaticano busca informações sobre os profissionais e os veículos que representam.

De acordo com o Vaticano, estrutura semelhante ocorreu quando o papa João Paulo II morreu, em 2005, e, em seguida, houve a eleição de seu sucessor Bento XVI. Porém, na tentativa de organizar a cobertura, predominam os sistemas de sorteio e pool (quando um veículo é responsável pela transmissão de imagens e informações para os demais).

O Vaticano montou uma estrutura específica para a cobertura do conclave. Há uma sala de imprensa na Santa Sé com direito a informações e imagens enviadas pela Rádio Vaticano, o Centro Televisivo Vaticano e o Conselho Pontifício para as Comunicações Sociais e da União Europeia de rádio FM (EBU).”

(Agência Brasil)

Venezuela – Maduro inscreve candidatura nesta 2ª feira

52 1

O presidente interino da Venezuela, Nicolás Maduro, vai inscrever oficialmente, nesta segunda-feira, sua candidatura à Presidência da República no Conselho Nacional Eleitoral (CNE). Maduro é o candidato do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) e foi designado sucessor do presidente Hugo Chávez, que morreu na última terça-feira (5) em Caracas, aos 58 anos. As eleições para a Presidência da Venezuela estão marcadas para o dia 14 de abril.

Segundo o deputado Robert Serra, também do PSUV, a batalha não será eleitoral, “mas de princípios, ideias e sentimentos”. Porta-vozes do governo têm reiterado pela rede social Twitter que o registro da inscrição de Maduro será feito às 9h desta segunda-feira e convocaram o povo venezuelano a acompanhar o candidato em uma concentração na Praça Diego Ibarra.]

(Com Agência Brasil)

Imprensa internacional aposta em dom Odilo Scherer como próximo papa

A missa celebrada pelo arcebispo de São Paulo, dom Odilo Pedro Scherer, de 63 anos, indicou neste domingo (10) que, para a imprensa estrangeira, ele está entre os mais cotados para suceder o papa Bento XVI. Repórteres, fotógrafos e cinegrafistas italianos, espanhóis, portugueses, norte-americanos e canadenses lotaram a Igreja de Sant’Andrea (Santo André, em português), no centro de Roma, para assistir à cerimônia.

Dom Odilo nasceu em uma família de 13 filhos, de pais descendentes de alemães radicados no interior do Rio Grande do Sul. Desde cedo, demonstrou vocação para o sacerdócio, estudando no Seminário São José, em Toledo, no Paraná, no Seminário Menor São José, em Curitiba, e na Faculdade de Educação da Universidade de Passo Fundo, no Rio Grande do Sul.

O cardeal é formado em Teologia, no Studium Theologicum da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, é mestre em Filosofia e doutor em Teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma. Dom Odilo domina vários idiomas, entre eles alemão, italiano e latim.

Às vésperas do início do conclave (reunião de cardeais para eleição do papa), a imprensa italiana e internacional intensifica as apostas sobre quem será o sucessor de Bento XVI. Com o voto secreto, garantido por juramento dos cardeais e pela cédula queimada, as especulações em torno do nome aumentam.

Na relação dos cardeais com chance de suceder Bento XVI, há brasileiros, argentinos, colombianos, asiáticos, africanos, europeus, canadenses e norte-americanos. O nome de dom Odilo passou a ser citado com mais frequência, embora ainda ocorram menções a outros candidatos.

(Agência Brasil)

Venezuela – Maduro assume interinamente presidência e pede convocação das eleições

39 1

“Nicolás Maduro foi juramentado como presidente interino da Venezuela. Ele solicitou ao Conselho Regional Eleitoral (CNE) que convoque eleições presidenciais em 30 dias, como determina a Constituição. A cerimônia ocorreu ontem (8), às 19h30 (22h no horário de Brasília), no Palácio Federal Legislativo. Após receber a faixa presidencial do presidente da Assembleia, Diosdado Cabello, Maduro disse que conversou com a presidenta do CNE, Tibisay Lucena e pediu que todos os marcos constitucionais para o processo sejam respeitados. “Na data fixada pelo CNE faremos eleições e desde então vamos para as ruas”, declarou.

O presidente interino jurou lealdade e prometeu seguir o caminho traçado por Hugo Chávez, cujo corpo continua sendo velado na Academia Militar do país. “Se for a vontade de Deus, da pátria e do glorioso povo, a Venezuela seguirá a rota que Hugo Chávez fixou na construção do socialismo”, disse. Antes da posse de Maduro, o líder oposicionista e governador do estado de Miranda, Enrique Capriles, convocou uma entrevista à imprensa. Ele pediu um minuto de silêncio em homenagem a Hugo Chávez. Capriles destacou que “era adversário do ex-presidente, mas não seu inimigo”.

Capriles criticou Maduro e o Tribunal Superior de Justiça (TSJ). Segundo o líder oposicionista, o Artigo 233 da Constituição permite apenas que Maduro permaneça no cargo interinamente até as eleições, mas sem mudar o status de vice-presidente para presidente.Para ele, a sentença do TSJ, que designou Nicolás Maduro como presidente encarregado, é uma “fraude constitucional”. “O TSJ não decide quem é o presidente. Quem decide é o povo e ninguém votou em Nicolás Maduro para presidente”, declarou.”

(Agência Brasil)

Conclave pode ter duração curta e consenso, indica Vaticano

O conclave, que começa na terça-feira (12), pode ter resultado rápido e com consenso. Porém, é impossível arriscar quanto tempo levará. Mas a indicação sobre o curto prazo de duração foi dada neste sábado (9) pelo porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi. Ao detalhar os assuntos da oitava reunião antes do conclave, Lombardi admitiu que há um esforço entre os 115 cardeais, com direito a voto, em buscar um nome comum.

“[A expectativa é a] rápida convergência de alguns candidatos”, disse o porta-voz, sem sinalizar quem são os candidatos com mais chances de consenso. Nas ruas, italianos e fiéis de várias nacionalidades fazem apostas. Assunto que é repetido pelas emissoras italianas de televisão em programas de debates e telejornais.

De acordo com o Vaticano, podem ocorrer até 34 votações em um total de 11 dias. Caso não seja obtido o consenso de dois terços dos votos em favor de um nome, é estabelecido um prazo para orações e reflexões, e aberta uma votaçãpo entre os dois que conseguiram mais votos.

(Agência Brasil)