Blog do Eliomar

Categorias para Internacional

Oposição prevê adiamento da posse de Chávez

“O líder da oposição na Venezuela, Henrique Capriles, admitiu nesta segunda-feira um eventual adiamento da posse do presidente Hugo Chávez – hospitalizado em Cuba após a quarta operação para retirar um câncer – caso não possa assumir o poder no dia 10 de janeiro, como determina a Constituição.

“É preciso ser muito sério e muito transparente nestes casos, penso que não perde a condição de presidente eleito a pessoa que não possa tomar posse exatamente no dia estabelecido”, disse Capriles à imprensa, acompanhando a posição dos chavistas.

“Se o presidente da República não puder se apresentar no dia 10 de janeiro para tomar posse diante da Assembleia Nacional, a própria Constituição tem as respostas. Aí se aplicaria inicialmente uma ausência temporária e, depois, o que estabelece a Constituição para a falta absoluta”, destacou Capriles, derrotado por Chávez nas eleições de outubro passado.

(Veja Online)

Chávez apresenta melhora gradual na saúde

43 1

“Após 12 dias da cirurgia do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, para a retirada de um tumor maligno na região pélvica, ele se recupera gradualmente, segundo o vice-presidente da República e chanceler, Nicolás Maduro. De acordo com Maduro, as orações das pessoas “complementam” o trabalho dos médicos. Chávez está em Havana, Cuba, onde se submeteu à cirurgia e segue o tratamento pós-operatório. Não há previsão de alta.

“Em um momento tão bonito, de recolhimento, meditação, reflexão, nossa mente está sempre em oração para acompanhar o nosso presidente nesse processo de luta pela vida, que está se consolidando a cada dia e que nos enche de felicidade. Chávez sabe que está recebendo as orações e elas complementam o trabalho de uma equipe médica que, podemos dizer, é a melhor do mundo, do ponto de vista científico, acadêmico e de prática clínica”, disse Maduro.

Chávez foi operado no último dia 11, em Havana. Antes de viajar, fez um pronunciamento à nação, informando que o câncer havia reincidido e pediu o apoio da população para que, na sua ausência, Maduro seja confirmado o novo presidente. Porém, pela Constituição da Venezuela, se Chávez não retornar ao poder, será necessário realizar novas eleições.”

(Agência Brasil)

Presidente da Itália dissolve Parlamento

O presidente da Itália, Giorgio Napolitano, dissolveu neste sábado (22) o Parlamento, abrindo caminho para que uma eleição nacional antecipada possa ser convocada, possivelmente para fevereiro de 2013.  A dissolução foi anunciada um dia após o primeiro-ministro italiano, Mario Monti, ter apresentado ao presidente o seu pedido de renúncia ao cargo.

Há 13 meses no poder, Monti implementou medidas de austeridade (cortes de gastos e aumento de impostos) para tirar a Itália da grave crise econômica que atingiu o país nos últimos anos. Embora tivesse anunciado a intenção de deixar o governo no início do mês, quando o partido Povo da Liberdade, do ex-premiê Silvio Berlusconi, deixou de apoiar o governo, Monti só cumpriu a promessa após o Parlamento aprovar a Lei de Orçamento para 2013.

O presidente Giorgio Napolitano chegou a pedir a Monti que permanecesse no cargo, de forma interina, por mais algum tempo. A expectativa dos italianos e analistas políticos, agora, é saber se Monti se lançará ou não candidato.

(Agência Brasil com BBC Brasil)

Filme brasileiro O Palhaço não está entre os pré-selecionados para o Oscar 2012

O filme brasileiro O Palhaço, dirigido por Selton Mello, não está entre os nove longas pré-selecionados para disputar o Oscar de melhor filme estrangeiro. As produções que ainda disputam uma indicação ao prêmio foram anunciadas nessa sexta-feira (21).

Concorrem às cinco vagas na categoria filme estrangeiro Amor, de Michael Haneke (Áustria); No, de Pablo Larraín (Chile); A Feiticeira da Guerra, de Kim Nguyen (Canadá); O Amante da Rainha, de  Nikolaj Arcel (Dinamarca); Intocáveis, de Olivier Nakache e Eric Toledano (França); The Deep, de Baltasar Kormákur (Islândia); Kon-Tiki, de Joachim Rønning and Espen Sandberg  (Noruega); Além das Montanhas, de Cristian Mungiu  (Romênia) e Sister, de Ursula Meier (Suiça).

O anúncio dos filmes que concorrerão à estatueta será feito no dia 10 de janeiro. Foram inscritos 71 filmes de diversos países para concorrer a uma indicação ao prêmio de melhor filme estrangeiro. A cerimônia do Oscar será no dia 24 de fevereiro em Los Angeles.

(Agência Brasil)

Degradação da imagem de Lula é oportunidade eleitoreira mesquinha, diz colunista

40 6

Da coluna Concidadania, no O POVO deste domingo (16), pelo jornalista Valdemar Menezes

Os estrangeiros não entendem como um quadro de tanto prestígio internacional, como o ex-presidente Lula, que fez um governo exitoso, retirando 40 milhões da pobreza e reforçando o papel do Brasil na arena internacional (tanto que está sendo requisitado no mundo todo para conferências e fóruns, e acaba de ser agraciado na Espanha pelo governo da Catalunha) não seja preservado pela elite de seu País como um patrimônio político e diplomático da Nação perante o mundo (ainda mais depois de ter deixado o poder com uma aprovação jamais vista).

Aceitar a degradação de sua imagem a partir das declarações de um condenado (“um pilantra”, segundo Ciro Gomes) em busca de conseguir o benefício da delação premiada, e apenas pelo fato de os adversários políticos do governo verem nelas uma mesquinha oportunidade eleitoreira, vem encontrando repulsa em todas as pessoas de bom senso, inclusive o próprio presidente da França e outras personalidades mundiais, que prestaram solidariedade a Lula.

A articulação que busca desacreditar Lula, na verdade, é insuflada por forças internacionais muito poderosas. Seu alvo verdadeiro é o governo Dilma e a retirada do poder das mãos dos petistas para impedir a continuação do modelo econômico levado a cabo pelo partido.

O governo Lula foi tolerado (tentou-se “sangrá-lo”) porque, ao realizar algumas mudanças, não bateu de frente com os grandes interesses consolidados. Porém, já se presumia que chegaria a hora em que o projeto do PT não poderia mais avançar sem ferir esses interesses.

Foi o que aconteceu, agora, com o governo Dilma. Ela trombou com o sistema ao enquadrar bancos (baixar os juros), restringir os interesses das petroleiras (através do novo marco regulatório do petróleo) das hidroelétricas (redução das tarifas), das telefônicas, dos planos de saúde privados e das agências reguladoras. Isso é uma heresia e uma ameaça à ordem estabelecida pelo Consenso de Washington. A ordem dos centros mundiais de poder é dar um basta na “aventura populista do PT”.

Corinthians é bicampeão mundial

Se eram 30 mil, 20 mil, 10 mil, mil, 100 ou apenas um, não importa. A festa feita pela torcida do Timão já está marcada na história do Mundial de Clubes e do Japão. E a linda demonstração de amor da Fiel foi coroado com o bicampeonato mundial. À la Corinthians, com aquela pitada de sofrimento e muita entrega tática, o time de Tite fez 1 a 0 no Chelsea neste domingo em Yokohama (ou no Pacaembu?) e trouxe a taça para São Paulo.

O Timão de milhões de brasileiros. De todas as idades e partes do mundo. Mundo que “deixou” de ser azul e ficou (mais) preto e branco.
O Bando de Loucos fez barulho antes mesmo de o jogo começar. Fez durante toda a semana no Japão. E neste domingo, durante a disputa do terceiro lugar, já se ouvia os cantos da Fiel em Yokohama.

“Vamos Corinthians, esta noite, teremos que ganhar…”

O primeiro tempo “alternou” a dominância. Nervoso, o Corinthians não conseguiu fazer nada nos primeiros minutos. O Chelsea não teve um grande domínio mas criou uma grande chance aos 10 minutos: após escanteio e bate e rebate na pequena área, Cahill bateu para o gol e a bola parou na bunda de Cássio. A primeira de muitas defesas do goleiro corintiano…

O Timão melhorou na segunda parte do primeiro tempo e assustou os ingleses. Paulinho deu um bom chute. Guerrero fez boa jogada na área e bateu cruzada, a bola passou por toda a área do Chelsea e sobrou para Sheik, que bateu na trave.

E aí Cássio “roubou a cena” de vez. Fez pelo menos três boas defesas em chutes de Fernando Torres, Mata e Mosses.

No segundo tempo, o jogo ficou mais aberto. A velocidade da partida aumentou, os dois times chegaram e Cássio continuou como o “cara”. Aos 8 minutos, o goleiro corintiano salvou mais uma, desta vez nos pés de Hazard.

O Corinthians melhorou no jogo e criou uma boa chance com Paulinho, que recebeu na área e bateu para fora. A torcida continuou em festa.
Aí a bola sobrou para Paulinho… O volante, artilheiro do time no ano (13 gols) e o “heroi” por muitas vezes, fez (outra) grande jogada, tocou para Danilo que bateu… A bola subiu e caiu na cabeça de Guerrero que, sem goleiro, tocou para o fundo das redes aos 23 minutos. Seis gols nos últimos sete jogos do peruano, autor do tento da semifinal contra o Al Ahly.

Ainda deu tempo de Cássio salvar mais uma em chute de Fernando Torres de dentro da pequena área. Cahill foi expulso nos acrécimos. O goleiro corintiano “falhou” uma vez, o atacante espanhol marcou o gol, que foi anulado por impedimento bem marcado.

(POVO Online)

 

Hillary desmaia e sofre concussão cerebral

A secretária de Estado do governo americano, Hillary Clinton, trabalhará de casa por recomendação médica. Em decorrência de um vírus estomacal, ela desmaiou e teve uma concussão cerebral.

As informações foram repassadas à imprensa em um breve comunicado feito pelo porta-voz da Secretaria de Estado, Philippe Reines. Segundo ele, Hillary continuará sob monitoramento regular médico.

O porta-voz destacou que o vírus estomacal deixou a secretária de Estado desidratada o que levou ao desmaio. Mesmo de casa, Reines informou que a secretária permanecerá  “em contato regular com o departamento e outras autoridades”. Acrescentou, ainda, que “ela está ansiosa para voltar logo ao escritório”.

(Agência Brasil)

Agravamento do estado de Chávez gera incertezas e especulações

52 2

O agravamento do estado de saúde do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, leva a uma série de especulações sobre o futuro do país e as consequências para seus vizinhos. Especialistas ouvidos pela Agência Brasil dizem que o momento é de incerteza porque não é possível saber exatamente como está Chávez. Eles afastam, entretanto, a possibilidade de golpe de Estado na Venezuela.

Chávez foi diagnosticado com câncer na região pélvica no ano passado. O tratamento foi feito, na maior parte do tempo, em Havana, Cuba. Há uma semana, Chávez confirmou o reaparecimento do câncer e foi submetido a uma nova cirurgia. Essa foi a quarta operação em 18 meses.

Para os especialistas, uma eventual disputa política ficará entre o atual vice-presidente Nicolás Maduro e o principal adversário político de Chávez, Henrique Capriles. Os professores Antônio Jorge Ramalho da Rocha e Alcides Jorge Costa, do Departamento de Relações Exteriores da Universidade de Brasília (UnB), acreditam que é preciso aguardar a posse de Chávez, marcada para o próximo dia 10, para avaliar os desdobramentos políticos e econômicos.

No início de janeiro, Chávez pode ser empossado e pedir licença do cargo por três meses, prorrogáveis indefinidamente. Caso ele não assuma, o poder ficará com o presidente da Assembleia Nacional, Diosdato Cabello, aliado do governo, até a realização das eleições, em 30 dias. Se houver eleições, os candidatos apontados como mais prováveis são Maduro e Capriles. A oposição ganhou força na última eleição, mas Chávez venceu.

Os professores lembram que há um esforço dos aliados de Chávez para mantê-lo no comando do país. “A tendência é que ocorra como em Cuba, quando o ex-presidente Fidel Castro, mesmo doente, ficou no poder e só depois renunciou”, disse Ramalho.

Costa acrescentou que é fundamental compreender que Chávez instituiu um “regime personalizado” que não necessariamente promove a transferência de votos. “Na ausência de Chávez, haverá disputa entre os aliados dele e a oposição. Nas eleições de outubro, a oposição percebeu que pode avançar”, disse o professor, lembrando que Chávez obteve 54% dos votos e Capriles, 44%.

(Agência Brasil)

Justiça argentina considera constitucional a Lei de Meios

70 2

Uma semana depois de sofrer uma derrota, na Justiça, o governo argentino obteve nessa sexta-feira (14) uma vitória na sua briga com o Grupo Clarín, maior conglomerado de mídia do país. Um juiz de primeira instância decidiu que a Lei de Meios, aprovada há três anos, é constitucional e pode ser integralmente aplicada. Até agora, a presidenta Cristina Kirchner não tinha conseguido implementar a legislação endossada pelo governo, limitando o poder das empresas de comunicação audiovisual, porque o grupo Clarín havia entrado com um pedido de liminar, questionando a constitucionalidade dos Artigos 45 e 161.

O governo esperava implementar a lei na sexta-feira passada (7) – batizado de 7D. Cristina Kirchner havia, inclusive, anunciado o fim dos “monopólios” de comunicação para aquela data, quando 21 empresas de comunicação, entre elas o Clarín, tinham que apresentar os planos de “adequação voluntária” à lei e se desfazer dos negócios excedentes. Pela Lei de Meios, ninguém pode ter mais que dez emissoras de rádio e 24 licenças de TV a cabo – o Clarín tem 240. Quem não apresentasse o plano, deixaria a decisão nas mãos do governo, que escolheria que partes da empresa seriam licitadas de forma compulsória.

Os planos do governo foram frustrados pela Justiça, que prorrogou a liminar do grupo Clarín, até que um juiz de primeira instância decidisse sobre a constitucionalidade dos dois artigos. Decisão tomada nesta sexta-feira pelo juiz federal Horacio Alfonso, de um tribunal civil e comercial.

O grupo Clarín deve recorrer da decisão na próxima segunda-feira (17). O conglomerado argumenta que a legislação viola os direitos adquirido de empresas que fizeram anos de investimentos e que agora têm que vender parte de seus bens. O grupo acha que a lei foi feita para atingir o Clarín, que faz oposição ao governo e que tem sido abertamente questionado por Cristina Kirchner e seus seguidores.

(Agência Brasil)

Temer defende o ex-presidente Lula em viagem a Portugal

44 1

O vice-presidente Michel Temer defendeu nesta sexta-feira (14) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao ser perguntado, em sua viagem a Portugal, sobre declarações atribuídas ao publicitário Marcos Valério que relacionam o ex-presidente ao caso do mensalão. Em entrevista coletiva no Palácio de Belém, em Lisboa, após audiência com o presidente português Cavaco Silva, Temer lembrou que as acusações nunca foram apresentadas durante o processo.

O vice-presidente citou declarações do ex-procurador-geral da República, Antonio Fernando Barros e Silva de Souza, que leu ainda no Brasil. Segundo Temer, o ex-procurador-geral “registrou o fato de que, no início do processo, quando provocado, o cidadão Marcos Valério não chegou a mencionar, em nenhum momento, qualquer inter-relacionamento com o ex-presidente Lula”.

As declarações de Marcos Valério foram publicadas na terça-feira (11) no jornal O Estado de S. Paulo, e teriam sido feitas ao Ministério Público Federal em setembro. Segundo o jornal, Valério disse a procuradores da República que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sabia do esquema do mensalão e o usou para pagamento de “despesas pessoais”.

Temer chegou nessa quinta-feira (13) a Lisboa e nesta sexta-feira, além de Cavaco Silva, tem agenda com empresários em almoço na casa do embaixador brasileiro em Portugal, Mário Vilalva, e visita de cortesia ao ex-presidente Mário Soares. À noite, assiste à peça de teatro “Herivelto como conheci”, com Marília Pêra. A apresentação encerra a Mostra de Teatro do Brasil em Lisboa, que integra a programação do Ano do Brasil em Portugal.

(Agência Brasil)

Dilma terá encontro com Putin

40 1

“No segundo dia de visita oficial a Moscou, a presidenta Dilma Rousseff se reúne hoje (14) com o presidente russo, Vladimir Putin. Eles almoçam juntos e assinam uma série de acordos bilaterais relativos à educação, ciência, tecnologia e inovação, além de parcerias em setores estratégicos. Dilma começa o dia com uma oferenda de flores no túmulo do soldado desconhecido, no Jardim de Alexandre – o primeiro parque público construído em Moscou.

Ontem (13) a presidenta se reuniu com o primeiro-ministro da Rússia, Dmitri Medvedev. Dilma fez um convite para que ele visite o país e os dois conversaram sobre a exportação da carne brasileira. Segundo ela, Medvedev disse que o resultado será positivo”. A exportação da carne brasileira sofreu proibições no Japão e outros países por suspeita de contaminação pelo Mal da Vaca Louca.

Dilma também mencionou a polêmica, no Congresso Nacional, envolvendo os parlamentares favoráveis e contrários aos vetos relativos aos royalties. “Eu acredito que a minha decisão foi justa diante da legislação”, ressaltou. “O Poder Legislativo é autônomo, independente e tem todas as condições de decidir contrariamente à minha decisão.”

Segundo a presidenta, sua decisão em relação aos royalties foi motivada pela “distribuição plena dos ganhos do petróleo para todos os brasileiros”. A proposta do governo é investir os recursos obtidos em educação. “Eu acho muito importante que tenhamos um compromisso com a educação no Brasil. Nós vamos ser um país desenvolvido plenamente quando tivermos uma educação de qualidade para todos.”

Dilma acrescentou que “[para uma educação de qualidade] são necessários recursos. “O recurso do petróleo é finito, não é renovável. Portanto, tudo o que ganharmos de petróleo, temos de deixar para a riqueza mais permanente. E qual é a riqueza mais permanente? É a educação que cada um carrega”. A presidenta fica em Moscou até amanhã (15). A previsão é que a viagem à Rússia seja a última internacional dela este ano. A agenda para o exterior será retomada em janeiro, provavelmente para o Chile.”

(Agência Brasil)

Cirurgia de Chávez em Cuba teve sucesso, diz vice-presidente

“Após seis horas, foi concluída ontem (11) a cirurgia do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, para a retirada de um tumor maligno na região pélvica. O vice-presidente Nicolás Maduro ocupou cadeia nacional de rádio e televisão, por volta das 21h (meia-noite em Brasília), para anunciar que foi “exitosa” a cirurgia. Chávez foi operado em Havana, capital de Cuba. Não há detalhes sobre o estado de saúde dele.

Ao longo dessa terça-feira, a agência pública de notícias da Venezuela publicou informações curtas sobre o preparo, o andamento e a conclusão da cirurgia. Desde o ano passado, o presidente venezuelano luta contra o câncer. Ele chegou a dizer que estava curado, mas o tumor reincidiu. Com limitações, Chávez disputou as eleições em outubro, pelo quarto mandato, e venceu o adversário Henrique Capriles.

Em comunicado emitido ontem, o governo venezuelano diz que há “absoluta confiança” em que Chávez susperará os “obstáculos que a vida apresentou”. O ministro da Comunicação e Informação, Ernesto Villegas, disse que o presidente venezuelano demonstrava confiança no resultado positivo da cirurgia.”

(Agência AVN)

 

Dilma encerra visita à França com agenda intensa

“No último dia da visita a Paris, na França, a presidenta Dilma Rousseff participa hoje (12) da 81ª Assembleia Geral da União Internacional de Ferrovias (UIC) e do seminário empresarial Desafios e Oportunidades de uma Parceria Estratégica. Ela se reúne ainda com o prefeito da capital francesa, Bertrand Delanoe, e o presidente do Senado, Jean-Pierre Bel. Depois, Dilma segue de Paris para Moscou, na Rússia. A viagem deve ser a última internacional da presidenta em 2012. Dilma chega a Moscou às 23h (5h do dia 13 em Brasília). Em discussão, a ampliação de parcerias nas áreas de energia e gás, além do setor espacial. É possível que também entre em pauta a venda de carne bovina para os russos.

Ontem (11), em Paris, Dilma teve encontro com o presidente da França, François Hollande. Foi o segundo em seis meses, pois em junho ambos estiveram juntos na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, no Rio de Janeiro. Eles conversaram sobre a crise econômica internacional e projetos nas áreas de defesa, educação, ciência, tecnologia e inovação.

Na visita à França, Dilma também definiu a parceria para a ampliação da oferta de bolsas para brasileiros interessados em estudar na França. A meta é aceitar alunos de pós-graduação e gradução. O memorando de entendimento será assinado hoje entre os ministérios brasileiros da Educação e da Ciência, Tecnologia e Inovação e o Ministério do Ensino Superior e da Pesquisa da França.”

(Agência Brasil)

 

Brasil e França firmam parceria e aumentam concessão de bolsas de estudo

“Os governos do Brasil e da França vão ampliar a parceria para a concessão de bolsas de estudo para gradução e pós-graduação. Um memorando de entendimento será assinado hoje (11) pelos presidentes Dilma Rousseff e François Hollande (França), em Paris. Pelo acordo, em três anos, a França deverá receber cerca de 2 mil estudantes – nos níveis de doutorado e pós-doutorado. A ideia é que os estudantes de doutorado e pós-doutorado tenham condições de optar por três modalidades de bolsas – doutorado-sanduíche, doutorado pleno e estágio pós-doutoral. As condições de envio e recepção dos bolsistas serão formuladas pelas agências de cooperação dos respectivos países.

O Ministério da Educação (MEC) informou que o objetivo da parceria é fortalecer as relações bilaterais na área de pesquisa científica, pois há um reconhecimento internacional da excelência das universidades francesas, principalmente em ciências básicas e engenharias.

De acordo com o MEC, os governos brasileiro e francês têm um trabalho de cooperação intenso nas últimas décadas. A parceria mais antiga é com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do MEC, que é dos anos 1970. Atualmente, a Capes mantém oito programas de cooperação internacional com a França.

(Agência Brasil)

Uma reflexão sobre o Dia Internacional dos Direitos Humanos

51 2

Com o título “Dia Internacional dos Direitos Humanos”, eis o Editoral do O POVO desta segunda-feria. Aborda um tema que merece ir muito além do que uma data definida pela ONU. Serve para boas reflexões sobre os rumos da humanidade. Confira:

A data de 10 dezembro marca o Dia Internacional dos Direitos Humanos instituído em 1950 pela Organização das Nações Unidas (ONU). A efeméride, ressalte-se, é inspirada na Declaração Universal dos Direitos Humanos, criada dois anos antes, e que propugna em seus princípios os direitos básicos que possam vir a garantir a condição digna de existência a pessoa humana, nos seus mais variados aspectos, no campo da liberdade de expressão, respeito às diferenças, alimentação, saúde, educação, entre outros. Infelizmente, no entanto, apesar dos ganhos já registrados em favor da humanidade nesses anos todos por conta da Declaração, muito ainda se precisa avançar nos mais variados aspectos relacionados a esses direitos, o que exige da sociedade e das instituições a vigilância constante para a sua concretização.

Nesse sentido, as guerras, os governos despóticos e os desmandos e desvirtuamentos oriundos da corrupção nos setores público e privado têm sido os principais obstáculos a que se possa celebrar a data com mais efusividade. Até para que se use a data como alerta, porém, é preciso que a exaltemos como marco importante nas relações humanas. Desde a sua criação, diversos fóruns surgiram inspirados em suas linhas mestras, cobrando e acompanhado a implantação de ações para e pelo homem. Ações, é bom que se ressalte, todas amparadas no arcabouço legal de diversos países e em tratados internacionais.

O Dia Internacional dos Direitos Humanos, portanto, mais do que uma simples data a ser lembrada, deve servir de reflexão sobre os rumos que norteiam a Declaração Universal dos Direitos Humanos. O momento pelo qual a humanidade passa, marcado por indefinições na economia, e sob as ameaças a que o planeta está submetido no que diz respeito à questão ambiental, é extremamente propício para que essa reflexão se faça em profundidade.