Blog do Eliomar

Categorias para Internacional

ONU pede um cessar-fogo imediato na Faixa de Gaza

“O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, apelou hoje (20) para que os envolvidos nos conflitos na Faixa de Gaza promovam “um cessar-fogo imediato”. Os confrontos completam hoje sete dias. “Todas as partes devem impor um cessar-fogo imediatamente. Qualquer nova escalada da situação colocaria toda a região em perigo”, disse. Paralelamente, a embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Susan Rice, informou que o governo norte-americano não apoiará uma eventual declaração do Conselho de Segurança sobre o conflito em Gaza que ameace os esforços para um acordo.

Por determinação do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, segue hoje para o Oriente Médio. A ideia é que ela tente mediar o fim do conflito. Hillary tem encontros com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, e com o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas.

Em meio aos debates, as autoridades da Rússia disseram que o governo vai propor resolução para um cessar-fogo imediato. Segundo os russos, se não houver acordo entre os 15 integrantes do Conselho de Segurança, será sugerido um texto apelando pelo fim das hostilidades entre Israel e os grupos palestinos na Faixa de Gaza.”

(Agência Lusa)

Futsal – Brasil é heptacampeão mundial

E daí que a Fifa não o colocou entre os cinco melhores do Mundial? E daí que ele está com um lado do rosto paralisado e a panturrilha esquerda comprometida? Com todos os problemas, Falcão ainda é o cara da Seleção Brasileira de Futsal. Foi ele o responsável por entrar no segundo tempo e mudar o panorama do jogo contra a Espanha.

Foi com ele em quadra que o Brasil marcou seus gols no empate de 2 a 2 com a Espanha no tempo regulamentar. E, com ele no time e o gol decisivo de Neto na prorrogação, a 20 segundos do final, o Brasil é heptacampeão mundial no futsal!

Antes do jogo, a federação espanhola de futsal já trazia em seu site oficial o escudo com o terceiro título mundial, dando como certa a vitória sobre o Brasil neste domingo. Eles só esqueceram de combinar com Falcão e Neto. Concorrente ao título de melhor jogador do Mundial, ele começou errando muitos passes, mas foi decisivo ao marcar dois dos gols brasileiros na partida decisiva – o outro foi de Falcão. Descontaram para a Espanha Torras e Alcardo.

(Com POVO Online e Agências)

Dilma cumpre agenda na Espanha

“A presidenta Dilma Rousseff está hoje (16) em Cádiz, no Sul da Espanha, para participar da 22ª Cúpula Ibero-Americana de Chefes de Estado e de Governo. Ela chegou ontem à cidade acompanhada pelos ministros Antonio Patriota, das Relações Exteriores, e Helena Chagas, da Secretaria de Comunicação Social. Em pauta, temas econômicos e sociais.

Depois de Cádiz, Dilma segue para Madri, quando conversa sobre o tratamento dispensado aos brasileiros que vão à Espanha e a ampliação de acordos comerciais. O rei espanhol Juan Carlos e o primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, oferecerão um jantar aos convidados. Pelo programa oficial da cúpula, as reuniões começam de manhã, com a apresentação do relatório Perspectivas Econômicas da América Latina 2013, no âmbito do 8º Encontro Empresarial Ibero-Americano.

Depois, haverá uma reunião dos ministros das Relações Exteriores, que antece à dos presidentes e primeiros-ministros. A cúpula é formada por 22 países, mas pelo menos quatro presidentes informaram que não participarão do encontro: Cristina Kirchner (Argentina), Raúl Castro (Cuba), Hugo Chávez (Venezuela) e Otto Pérez Molina (Guatemala), que alegaram questões internas.

As discussões ocorrerão no Palácio do Congresso, que está cercado por mais de 3.500 seguranças, A área é mantida sob vigilância aérea, terrestre e marítima. Há ainda restrições às estradas que dão acesso à cidade de Cádiz.”

(Agência Brasil)

Unicef lança campanha “Natal dos Amigos 2012”

“O Unicef no Brasil está lançando a edição 2012 de sua campanha Natal dos Amigos. A ação é totalmente online e disponibilizará cartões de natal que poderão ser personalizados pelos internautas com fotos e mensagens, e compartilhado nas redes sociais e via e-mail. A campanha é uma criação em conjunto com a agência Pepper – especializada em marketing interativo.

Além de ser uma maneira divertida de desejar boas festas, a ação é ainda uma forma de contribuir para a realização dos direitos de crianças e adolescentes no Brasil. Os participantes da campanha Natal dos Amigos poderão contribuir com as ações e projetos do Unicef no Brasil e no mundo fazendo doações. Todo o recurso arrecadado ajudará nas atividades do Fundo em 2013.

SERVIÇO

Para participar, basta acessar o site www.nataldosamigos.com e escolher o modelo do cartão e o personagem de sua preferência: boneco de gengibre, boneco de neve, anjinho, duende, rena, Papai e Mamãe Noel. São sete modelos de cartões exclusivos, sendo cinco deles vinculados a uma doação de qualquer valor para o Unicef.

Congresso do Partido Comunista da China confirma “Pequeno príncipe” como novo líder

“O Congresso do Partido Comunista da China chegou ao ponto alto hoje (15) sem surpresas. O até agora vice-presidente do país, Xi Jinping, foi confirmado como chefe do partido e próximo presidente chinês. Xi Jinping substituirá o atual líder, Hu Jintao, que deixará a chefia do partido neste ano e a Presidência da China em 2013 – e será encarregado de conduzir o país mais populoso e a segunda maior economia do mundo.

O político, de 59 anos, é visto como um “pequeno príncipe”, termo usado para descrever os funcionários de alto escalão do partido cujo êxito, ao menos em parte, é atribuído por muitos às suas conexões familiares. Xi Jinping é filho de um político que integrou nos anos 80 o Politburo, o segundo organismo na hierarquia de poder da China. Até agora, além de ser vice-presidente, Xi integrava o Comitê Permanente do Partido Comunista da China e era membro do órgão do partido que controla o Exército, algo que os analistas viam como um sinal de que estava sendo preparado para comandar o partido.

Nascido em Pequim em 1953, Xi Jinping é filho de um veterano revolucionário, Xi Zhongxun, um dos fundadores do Partido Comunista. Antes da Revolução Cultural (1966-1976), Xi Zhongxun foi expulso de seu posto como vice-primeiro-ministro em 1962 e posteriormente preso. Ele foi libertado somente em 1975.”

(Agência Brasil com BBC)

Dilma participará de reunião da Cúpula Ibero-Americana na Espanha

“A presidenta Dilma Rousseff viaja hoje (15) à Espanha, para participar da 22ª Cúpula Ibero-Americana de Chefes de Estado e Governo, em Cádiz, no Sul do país. Depois ela segue para Madri, onde deve permanecer até o dia 19. Dilma incluiu na agenda uma série de reuniões políticas com o rei Juan Carlos e o primeiro-ministro, Mariano Rajoy. Em discussão, a situação dos brasileiros na Espanha, ciência, tecnologia e inovação e a crise econômica internacional.

Nas conversas com as autoridades espanholas, Dilma pretende tratar da situação dos brasileiros que tentam entrar na Espanha e até pouco tempo sofriam restrições. Houve uma série de reuniões entre diplomatas e técnicos dos dois países na tentativa de estabelecer melhor tratamento aos brasileiros, que reclamavam de preconceito e agressão.

Durante a visita, Dilma também pretende reunir-se com estudantes que integram o Programa Ciência sem Fronteira, para falar sobre os desafios gerados pela crise econômica internacional. A cúpula reúne representantes de 22 países – de Andorra, da Argentina, da Bolívia, do Brasil, da Colômbia, da Costa Rica, de Cuba, do Chile, da República Dominicana, do Equador, de El Salvador, da Espanha, da Guatemala, de Honduras, do México, da Nicarágua, do Panamá, do Paraguai, do Peru, de Portugal, do Uruguai e da Venezuela. Também faz parte dos compromissos da presidenta ampliar os acordos comerciais com a Espanha.”

(Agência Brasil)

ONU aprova resolução condenando embargo a Cuba

“A Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou ontem (13), por 188 votos a favor, 3 contra ( Estados Unidos, Israel e Ilha de Palau – localizada no Oceano Pacífico) e 2 abstenções (Ilhas Marshall e Micronésia), resolução que recomenda o fim do embargo econômico, comercial e financeiro a Cuba. O embargo é imposto pelos Estados Unidos desde 1962. Há 21 anos, a ONU condena a medida.

A resolução expressa ainda a preocupação com os efeitos da manutenção do embargo, afetando a população cubana, que sofre restrições e uma série de prejuízos. Durante a sessão, representantes de vários países se manifestaram. Recentemente, no Peru, a presidenta Dilma Rousseff criticou o embargo e defendeu o fim da medida.

O ministro das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez Parrilla, disse que não há motivo legítimo ou moral para manter o embargo. “É apenas a arma de uma minoria cada vez mais escassa, isolada, e da arrogância violenta”, disse ele. “É uma violação ao direito internacional.” O chanceler cubano reiterou o compromisso do país de avançar em direção à normalização das relações com os Estados Unidos. Rodrigues Parrilla propôs uma agenda para o diálogo bilateral sobre uma base de reciprocidade e igualdade soberana. De acordo com estimativas de Cuba, o embargo imposto em fevereiro de 1962 tem causado prejuízos à economia da ilha caribenha que já ultrapassam US$ 1 trilhão, tanto econômicos quanto sociais.”

(Com Agência Brasil)

Banco Mundial divulga em relatório que classe média cresceu na América Latina e Caribe

“Um novo relatório do Banco Mundial divulgado hoje mostra que a América Latina e o Caribe registraram um salto de 50% no número de pessoas que passaram a integrar a classe média durante a última década, o que foi considerado pelos economistas um acontecimento histórico para uma região caracterizada durante um longo período pela elevada desigualdade de renda. O relatório Mobilidade Econômica e a Ascensão da Classe Média Latino-Americana aponta que a classe média da região expandiu para cerca de 152 milhões de pessoas em 2009, comparado a 103 milhões em 2003, o que correspondeu a um aumento de 50%.

“A experiência recente da América Latina e do Caribe mostra ao mundo que as políticas que estabelecem o equilíbrio entre o crescimento econômico e a expansão das oportunidades para os mais vulneráveis, podem promover a prosperidade de milhões de pessoas”, disse Jim Yong Kim, Presidente do Banco Mundial. “Os governos da América Latina e do Caribe ainda precisam fazer mais, pois um terço da população ainda vive na pobreza, mas devemos comemorar essa conquista do crescimento da classe média e aprender com ela.”

Durante décadas, a redução da pobreza e o crescimento da classe média na América Latina e no Caribe (ALC) avançaram em ritmo muito lento porque o baixo crescimento e a persistente desigualdade detiveram o progresso. Nos últimos dez anos, no entanto, a renda dos mais pobres apresentou uma significativa melhora na região devido a mudanças nas políticas públicas que enfatizaram a criação de programas sociais e a estabilidade econômica.

O resultado final foi que a classe média cresceu 50% e passou a representar 30% por cento da população da região em 2009. Entre os países com melhor desempenho estão o Brasil, que compreendeu cerca de 40% do crescimento de classe média na região; a Colômbia, onde 54% das pessoas melhoraram sua situação econômica no período de 1992 a 2008; e o México, que viu 17% da sua população ingressar na classe média entre 2000 e 2010. Hoje, a classe média e os pobres na América Latina respondem por parcelas similares da população, segundo o relatório.

CAUSAS

O estudo concluiu que alguns dos principais fatores associados a uma maior mobilidade ascendente das famílias na América Latina foram o aumento do nível de escolaridade entre os trabalhadores, o crescimento do emprego no setor formal, mais pessoas vivendo em áreas urbanas e, um número mais elevado de mulheres na força de trabalho. O relatório definiu a classe média em termos da renda como um segmento de indivíduos em domicílios com renda per capita entre US$10 e US$50 por dia. Esse nível de renda proporciona um aumento da capacidade de resistência a eventos inesperados e reflete uma menor probabilidade de retorno à pobreza.

CLASSE VULNERÁVEL

No entanto, o relatório também descreve uma quarta camada social, a classe vulnerável, o que reforça a necessidade dos países de fazerem muito mais para ampliar a prosperidade compartilhada. Os membros desse grupo vulnerável, que representam 38% da população, apresentaram um melhor desempenho em termos de renda do que os pobres, mas carecem da segurança econômica da classe média. Situada entre as duas, a classe vulnerável ganha entre US$4 e US$10 per capita por dia. O relatório também constata que a mobilidade intergeracional permanece limitada. A situação econômica e social dos pais de uma pessoa jovem ainda desempenha um papel importante na determinação do seu futuro econômico.

Contudo, isto pode mudar, segundo Augusto de la Torre, Economista-Chefe do Banco Mundial para a América Latina e o Caribe. “Uma sociedade com uma classe média em crescimento terá maior probabilidade de reduzir essas desigualdades”, salientou. “É amplamente reconhecido que a classe média é um agente de estabilidade e prosperidade. Para uma região de renda média como a América Latina, uma classe média maior tem implicações cruciais.” No mundo inteiro, uma classe média mais ampla pode significar uma melhor governabilidade, mercados de crédito mais extensos e maiores gastos em setores sociais como saúde e educação pública. Mas essa promessa ainda não foi totalmente cumprida na América Latina, explicaram os autores do relatório, citando razões históricas para isso.

Com a exceção da Argentina e do Brasil, a maioria dos países da região caracteriza-se por uma carga tributária relativamente baixa. Com estados relativamente pequenos, muitos países da região têm tido dificuldades para oferecer serviços públicos de qualidade em áreas como saúde, educação e infraestrutura. Como resultado, na segunda metade do século XX a classe média tendeu a abandonar os serviços públicos e pagar até mesmo por serviços básicos como eletricidade e segurança no setor privado. Ainda que esse quadro venha mudando nos últimos 10 a 20 anos, o contrato social fragmentado da região mantém com frequência a adesão da classe média aos serviços privados e com pouca vontade de contribuir para o erário público. Isto, por sua vez, reduz as oportunidades daqueles que continuam pobres de se unir à população recém-ingressa na classe média.

O relatório identifica três estratégias que os governos poderiam adotar visando obter o apoio da classe média para um contrato social mais justo e legítimo:

● Incorporar explicitamente o objetivo de igualdade de oportunidade nas políticas públicas para romper com a percepção de que o sistema tende a favorecer os mais privilegiados.
● Implantar uma segunda geração de reformas no sistema de proteção social – incluindo assistência social e seguro social – para superar a fragmentação, melhorando a equidade e a eficiência.
● Romper o ciclo vicioso de baixa tributação e má qualidade dos serviços públicos, investindo uma parte do ganho inesperado com as commodities da região para melhorar a qualidade dos serviços e da administração pública.

Este debate sobre políticas sociais em torno de como obter uma maior adesão dos segmentos mais ricos da sociedade poderá se manter como um tema importante na América Latina em um futuro previsível. Com o objetivo de estimular essa discussão, o relatório concluiu que um conjunto adequado de reformas terá como consequência a transformação da classe média em um agente cada vez mais determinante de mudanças no sentido de expandir a prosperidade, de forma a alcançar os que ainda ficaram para trás.

* Do Banco Mundial aqui.

Presidente do Equador vai disputar reeleição

“O presidente do Equador, Rafael Correa, de 49 anos, anunciou oficialmente que concorrerá, pela segunda vez, à reeleição. Acompanhado por colaboradores e simpatizantes, Correa percorreu de bicicleta o trajeto de 6 quilômetros (km) do palácio presidencial até o edifício do Conselho Nacional Eleitoral (CNE), órgão responsável por supervisionar as eleições.

Correa deve disputar as eleições com Guillermo Lasso, empresário e ex-banqueiro, que ainda não anunciou formalmente a candidatura. As eleições presidenciais devem ocorrer em fevereiro de 2013. De acordo com levantamento feito por um instituto de pesquisas privado do país, Correa detém 55% das intenções de voto, contra 23% de Lasso.

(Com Agência Brasil e BBC)

Homem da confiança de Khadafi começa a ser julgado na Líbia

“Al Baghdadi Al Mahmudi, que foi primeiro-ministro do ex-presidente da Líbia Muammar Khadafi, morto há 13 meses, será julgado a partir de hoje (12) por crimes de violação de direitos humanos. Ele pode receber a pena de morte. O julgamento foi confirmado pelo porta-voz do Ministério Público, Taha Baara.

Baara disse que são vários os crimes que pesam contra o ex-primeiro-ministro, inclusive de segurança de Estado. Em setembro do ano passado, Mahmudi fugiu para a Tunísia. Em junho, foi extraditado para a Líbia para ser julgado, apesar das advertências de grupos de direitos humanos de que há risco de ser definida a sentença de pena de morte.

Khadafi comandou a Líbia por mais de quatro décadas. Ele foi morto em outubro de 2011. Um dos filhos dele também espera para ser julgado. O Tribunal Penal Internacional (TPI) apelou para julgar o caso, mas as autoridades líbias rejeitaram o pedido.”

(Agências Lusa e Brasil)

Obama anuncia aumento de impostos para os mais ricos

43 2

“Em suas primeiras declarações públicas após ser reeleito, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse hoje (9) que, seja qual for o plano para reduzir o déficit do país, deve incluir aumentos de impostos para os mais ricos.

Obama convidou os líderes dos dois partidos (Republicano e Democrata) no Congresso para uma reunião na Casa Branca na próxima semana, em que serão discutidas maneiras de evitar o “abismo fiscal” diante dos EUA. A partir de 1º de janeiro de 2013, entram em vigor cortes de gastos profundos e o fim da redução de impostos remanescentes do governo de George W. Bush (2000-2008), o que pode levar o país de volta à recessão.

O presidente disse que os americanos votaram por ação, não pelas coisas como estão, e afirmou que quer reduzir o déficit de maneira equilibrada e responsável. Obama disse ainda que as eleições de terça-feira (6) mostraram que a maioria dos americanos concorda com sua abordagem e ele quer que o Congresso reflita essa maioria.”

(Agência Brasil/BBC)

Grito das minorias deu mesmo vitória a Obama?

Com o título “Porque Obama venceu”, eis artigo do professor doutor em História Latino-Americana no Pratt Institut de Nova York. Para ele, a reeleição veio principalmente das minorias, mesmo com um alto índice de desemprego reinando nos EUA. Confira:

Obama assumiu o poder durante uma era de forte turbulência econômica. Os Estados Unidos estavam perdendo milhares de postos de trabalho por mês. O presidente reverteu esta tendência criando mais de três milhões de postos de trabalho durante seu mandato. Infelizmente a economia americana ainda tem um baixo desempenho e baixo crescimento e, o mais importante, o desemprego ainda permanece alto como estava quando ele assumiu o primeiro mandato. Com este cenário, seria natural que se pensasse que

Obama perderia esta eleição de um modo bem decisivo.

Ao invés disso, Obama é o primeiro presidente desde Franklin Delano Roosevelt nos anos 30 a vencer uma eleição com índices tão altos de desemprego. A razão pela qual Mitt Romney não irá para a Casa Branca deve-se ao voto latino. A América está se tornando cada vez mais uma nação de diversidade. A política de divisão étnica e racial não é mais um caminho para o Partido Republicano vencer as eleições. Nenhum candidato pode vencer uma eleição presidencial sem construir uma coalizão multi-étnica-racial que diga respeito as diversas comunidades da América. O partido Democrata de Obama entendeu isso. O Partido Republicano de Romney tornou-se o partido de “velhos homens brancos”. No governo de George Bush Jr. o Partido Republicano conseguiu atrair mais de 40% do voto latino contra apenas 27% nesta eleição. Há 20 anos não teria tido importância se os Republicanos obtivessem uma votação latina tão baixa porque a América era predominantemente branca. Hoje os afro-americanos, Latinos e americanos asiáticos constituem quase 40% do eleitorado.

Os votos de Obama foram construídos por uma coalisão de negros, latinos, asiáticos, jovens e mulheres de todos os grupos étnicos. Obama conquistou mais de 80% dos votos dos “não brancos”. Esta coalisão foi construída com base em uma economia inclusiva que envolveu baixar os impostos para a classe média e a reforma do sistema de saúde. Esta eleição também se baseou em uma versão menor do chamado Dream Act, lei que possibilita jovens que estão no país, sem a devida documentação, a permanecerem na América sem serem deportados.

A administração de Obama utilizou uma linguagem inclusiva ao dar suporte a todos os grupos étnicos e a todos os americanos, independente de sua orientação sexual. Até que o Partido Republicano prove a comunidade latina que é um partido de todos os grupos, terá que esquecer a vitória em eleições presidenciais dos Estados Unidos.

Tshombe Lee Miles

Professor doutor em História Latino Americana no Pratt Institute de Nova York.

China terá projeto de reforma financeira

“Reunidos no 18º Congresso Nacional do Partido Comunista da China (PCC), o comando da política do país prepara para hoje (9) a aprovação de um projeto piloto de reforma financeira. O projeto será instaurado em Wenzhou, na província de Zhenjiang, para servir como modelo ao restante da China, uma vez que o governo pretende estabelecer nova ordem econômica e financeira.

Pelo projeto, haverá aumento no incentivo à participação de capital privado em bancos locais e instituições não financeiras. Segundo dados oficiais, há 11 bancos cooperativos rurais em Wenzhou e dois deles concluíram reformas internas para a sociedade anônima. Localizado no Sudeste da China, o município de Wenzhou reúne duas cidades satélites e seis áreas agrícolas, com 9 milhões de habitantes. No século 19, a região se transformou em referência na produção de chá, importante produto no país.

O 18º Congresso Nacional do PCC, que começou ontem (8), reúne a cúpula política chinesa, incluindo 2.270 delegados, e vai até o dia 14. No congresso serão escolhidos os novos líderes políticos. O atual vice-presidente, Xi Jinping, deverá substituir o presidente Hu Jintao no comando do país e do PCC, dando início a uma nova geraçao de líderes.

Na segunda quinzena do mês, devem ser definidas as composições do Politburo (a cúpula do partido, com 25 membros) e do Comitê Permanente (com nove integrantes). Na abertura do congresso hoje (8), o presidente chinês, Hu Jintao, apresentou relatório indicando as prioridades para os próximos anos.”

(Com Agência Brasil e Prensa Latina)

Por telefone, Dilma cumprimenta Obama pela vitória

“A presidenta Dilma Rousseff conversou, por telefone, no começo da tarde de hoje (8) com o presidente reeleito dos Estados Unidos, Barack Obama, segundo relato do governador do Ceará, Cid Gomes. Dilma havia tentado falar com o norte-americano ontem (7), porém Obama havia tirado o dia de folga para descansar e retornou hoje a ligação da presidenta.

No telefonema de hoje, Dilma cumprimentou Obama pela reeleição e demonstrou “preocupação com essa história do abismo fiscal”, conforme Cid Gomes, após almoço com a presidenta no Palácio do Alvorada. O governador não deu detalhes sobre a conversa.

Barack Obama foi reeleito na última terça-feira (6) com 303 votos dos 538 do Colégio Eleitoral. Com o lema de campanha “Four More Years!” (Mais Quatro Anos!), Obama venceu uma disputa apertada, com o concorrente republicano Mitt Romney, em uma campanha política considerada a mais cara dos Estados Unidos.”

(Agência Brasil)

Mauro Benevides destaca revista sobre estudos constitucionais dirigida por Paulo Bonavides

Nesta quinta-feira, o deputado federal Mauro Benevides (PMDB) registrou, em pronunciamento na Câmara, o lançamento da 13ª edição da Revista Latino-Americana de Estudos Constitucionais.

A publicação, que tem como diretor o jurista Paulo Bonavides, foi lançada nesta manhã de quinta-feira, no Espaço O POVO de Cultura e Arte, com a presença de professores e autoridades como o presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargador Ademar Mendes Bezerra.

A revista é mais uma publicação de Edições Demócrito Rocha.

Obama – Crise imobiliária e desemprego são desafios para o segundo mandato

“Reeleito para o segundo mandato, o presidente norte-americano Barack Obama tem importantes questões à espera de solução. De acordo com analistas políticos, os problemas não são novos e estão na agenda – pelo menos cinco temas são considerados prioritários. O que predomina entre as preocupações é a questão econômica e seus desdobramentos, como o desemprego e a crise imobiliária.

O primeiro item da pauta de desafios de Obama é o enfrentamento da crise econômica. O desemprego caiu, mas permanece elevado, em 7,9%, e a geração de emprego ainda é lenta para absorver os milhões de americanos desempregados ou com subempregos. O crescimento econômico também é lento – 2% no terceiro trimestre. Há dificuldade de combater os efeitos da crise econômica internacional, pois persistem as limitações no mercado imobiliário, as incertezas sobre a política fiscal do governo em curto prazo e as preocupações com a divisão política em Washington.

Os norte-americanos, porém, tiveram notícias positivas nas últimas semanas –o emprego cresceu, ainda que de maneira modesta, e há uma retomada do Produto Interno Bruto (PIB), mesmo que lenta, sinais de que o mercado imobiliário indica recuperação e a retomada da confiança. A partir de 1º de janeiro, haverá aumento de impostos e cortes nos gastos do governo que irão afetar praticamente todos os norte-americanos e podem devastar a já fraca economia – a não ser que o Congresso tome alguma medida. Economistas dizem que a combinação de cortes de gastos e aumento de impostos pode levar a economia interna de volta à recessão.

Há ainda a expectativa de que um acordo tire os Estados Unidos do abismo fiscal e aborde o déficit, que neste ano chegou a US$ 1,1 trilhão. Para isso, Obama e o Parlamento terão de lidar com programas sociais em rápida expansão, o orçamento da defesa de US$ 651 bilhões e a estrutura de Imposto de Renda. Também está em discussão a tensa relação com o Irã e o Oriente Médio. Um dos desafios de Obama é reduzir a presença dos Estados Unidos no Afeganistão, garantir a estabilidade do Iraque, promover a resolução do conflito entre Israel e os palestinos, lutar contra o terrorismo, garantir acesso livre à energia e impedir a proliferação nuclear.”

(Agência Brasil com BBC Brasil)

Barack Obama teve apoio de 66% dos latinos na Flórida e da maioria das mulheres

Durante toda a campanha, a Flórida recebeu grande atenção dos candidatos republicano, Mitt Romney, e democrata, Barack Obama. Eles gastaram mais de US$ 130 milhões em anúncios na TV, estratégia para conquistar os eleitores indecisos, principalmente os latinos, responsáveis por mais da metade do crescimento populacional dos Estados Unidos, de acordo com os dados do censo de 2010. Segundo pesquisa da Reuters/Ipsos, o presidente Obama teve apoio de 66% dos eleitores da Flórida.

O cientista político Gregory Koger, da Universidade Internacional de Miami, disse que o resultado da eleição representa os desejos dessa nova população que se consolida nos Estados Unidos. O professor acredita que Obama e os próximos presidentes vão ter que a dialogar melhor com os latinos. “Obama venceu porque hoje ele é o presidente de todos os grupos, representa todo o povo americano, especialmente os que ainda virão a se tornar povo americano”, disse.

As mulheres também tiveram peso no resultado da disputa entre Barack Obama e Mitt Romney. O presidente americano conquistou a preferência de 55% de votos feminino, contra 43% recebidos pelo republicano.

A estudante Ziebe Zareie disse que votou em Obama porque ele “fortaleceu a América para deixá-la como está agora”, e que acredita que ele “não vai fazer tudo necessariamente sozinho, mas está fazendo as coisas irem para frente. Já Romney ia regredir.” Outra eleitora, Emile Hudson, manifestou sua felicidade com a vitória de Obama, “porque ele apóia os direitos sociais”.

(Agência Brasil)

Líderes políticos mundiais comemoram vitória de Barack Obama

“Líderes políticos mundiais parabenizaram o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pela reeleição. A maioria dos cumprimentos ocorreu em telefonemas e mensagens na internet, por meio da rede social Twitter. Houve também comunicados oficiais na imprensa. A União Europeia divulgou nota parabenizando Obama e dizendo que norte-americanos e europeus trabalharão juntos na busca por soluções para os desafios globais.

A nota foi assinada pelos presidentes da União Europeia, Herman Van Rompuy, e da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso. O texto menciona a necessidade de a Europa e os Estados Unidos “reforçarem suas relações bilaterais” e “enfrentarem juntos os desafios globais”.

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, também enviou mensagem a Obama por intermédio de nota oficial. No texto, Ki-moon diz que os esforços conjuntos devem ser para  “acabar com o derramamento de sangue na Síria, voltar a por no caminho o processo de paz no Oriente Médio, promover o desenvolvimento sustentável e fazer face aos desafios colocados pelas alterações climáticas”.

O presidente da China, Hu Jintao, e o primeiro-ministro do país, Wen Jiabao, enviaram hoje (7) mensagem conjunta de felicitações a Obama. “Em uma nova era histórica, desejo que as nossas relações bilaterais, baseadas em uma cooperação construtiva, entrem em nova fase”, diz o texto. “[Nos quatro anos do primeiro mandato de Obama] graças aos esforços comuns das duas partes, as relações China-Estados Unidos registraram progressos significativos.”

O governo de Israel, um dos principais parceiros estratégicos dos Estados Unidos, também encaminhou nota de felicitações. O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, reiterou que as relações entre os dois países  estão mais fortes do que nunca.

Por intermédio do Twitter, o primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, chamou Obama de “amigo” e desejou felicidade para os próximos quatro anos. “Calorosas felicitações para o meu amigo @BarackObama”, escreveu Cameron, que hoje (7) visita um campo de refugiados sírios no Norte da Jordânia.

O presidente da França, François Hollande, também parabenizou Obama. “É um momento importante para os Estados Unidos, mas também para o mundo”, disse Hollande em comunicado. “A reeleição é escolha clara em favor de uma América aberta, solidária e plenamente empenhada na cena internacional e consciente dos desafios do planeta: a paz, a economia e o ambiente”, disse.

O primeiro-ministro do Canadá, Stephen Harper, saudou Obama. Harper disse que se alegra com a perspectiva de trabalhar com o presidente reeleito por mais quatro anos. “Será necessário avançar com as infraestruturas de transporte e de segurança necessárias para levar as relações comerciais bilaterais a novos níveis, assim como aliviar a burocracia, para que as empresas dos dois lados da fronteira possam criar mais empregos”, disse o primeiro-ministro em nota.

(Agência Lusa)