Blog do Eliomar

Categorias para Internacional

ONU elogia decisão do STF de manter aberta fronteira com a Venezuela

A Agência das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) elogiou, hoje, a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de rejeitar uma decisão judicial prévia de fechar a fronteira do Brasil com a Venezuela para evitar a entrada de refugiados e imigrantes ao país.

Um juiz federal do estado de Roraima ordenou no domingo a suspensão temporária da entrada de venezuelanos por terra até que houvesse um
equilíbrio entre o número de imigrantes que chegam desde o país vizinho com os que saem para outras cidades brasileiras. A decisão foi cancelada pelo STF no dia seguinte, algo que foi aplaudido hoje pela Acnur.

“Aplaudimos a decisão do Supremo. O Governo brasileiro, até agora, assegurou o acesso ao território a refugiados venezuelanos e imigrantes que necessitam de proteção e lhes proporcionou acesso aos serviços básicos”, destacou em entrevista coletiva William Spindler, porta-voz da Acnur.

Spindler lembrou que a Acnur ajudou as autoridades a registrar os recém-chegados e proporcionar os serviços necessários Até o momento, foram encaminhados de Roraima para outros estados 800 venezuelanos, especificou o porta-voz.

(Agência Brasil com EFE)

Paulo VI será canonizado 40 anos depois de sua morte

O Papa Paulo VI, que concluiu o Concílio Vaticano II, será canonizado em outubro, menos de dois meses depois da comemoração, nesta segunda-feira (6), do 40° aniversário de sua morte (1978), um ano que entrou para a história como o dos três papas, pois também foram designados para a função João Paulo I e João Paulo II. “Lembramos com muita veneração e gratidão, à espera de sua canonização
em 14 de outubro”, disse o papa Francisco perante milhares de fiéis de diversas partes do mundo reunidos na Praça São Pedro.

Giovanni Battista Montini, “o grande papa da modernidade”, em palavras de Francisco, nasceu em 26 de setembro de 1897 na cidade italiana de Concesio (norte) e foi ordenado sacerdote em 29 de maio de 1920. Em 21 de junho de 1963, sucedeu à frente do pontificado o agora já santo João XXIII (1958-1963), que tinha convocado o Concílio Vaticano II (1962-1965).

De fato, um dos maiores desaÚos de Paulo VI foi concluir esse Concílio Vaticano II, que marcou o mundo católico na segunda metade do século XX e que propôs a maior revisão da liturgia desde o Concílio de Trento. Foi um religioso reformador e comprometido com os problemas dos mais necessitados, considerado um símbolo do diálogo e da reconciliação entre igrejas, além de ser o primeiro com um pontiÚcado viajante.

Paulo VI visitou a Terra Santa (1964), quando o correu o histórico encontro com o Patriarca ortodoxo Atenagoras I, mas também viajou para Mumbai (Índia), Fátima (Portugal), Istambul, Bogotá, Genebra, Uganda, Ásia Oriental e Austrália. Durante seu pontificado, que durou 15 anos, criou cardeais como Karol Wojtyla, em 1967, e Joseph Ratzinger, em 1977, que depois se transformariam em seus sucessores, João Paulo II e Bento XVI, respectivamente.

Foi Bento XVI que lhe outorgou em 2012 o título de “Venerável Servo de Deus”, primeiro passo para a santidade. Depois, foi beatificado pelo papa Francisco em 19 de outubro de 2014. O ano de 1978 é recordado como o ano dos três papas. Depois da morte de Paulo VI, ocorreu o falecimento de João Paulo I, após 33 dias de pontificado, em 28 de setembro, e a escolha posterior, em 16 de outubro de 1978, do agora santo João Paulo II.

(Agência Brasil com EFE)

Google deve acatar censura para voltar à China

O Google terá que se submeter às leis da China como “requisito prévio e indispensável” para retornar ao mercado do país, segundo um editorial publicado nesta segunda-feira no “Diário do Povo”, o principal jornal oficial chinês. “A China dá as boas-vindas ao Google, mas a empresa deve cumprir com as leis do país se realmente deseja retornar”, destacou o jornal, órgão oficial do Partido Comunista da China (PCCh).

Na quinta-feira, o “The Intercept” filtrou que o Google, bloqueado na China desde 2010, está planejando relançar seu sistema de busca mesmo com resultados censurados para cumprir com os requisitos das autoridades chinesas. A versão censurada bloquearia buscas sobre direitos humanos, religião e protestos pacíÚcos, o que motivou as críticas de organizações como a Anistia Internacional.

No entanto, para a China o ciberespaço “deve ser regulado por leis e regulações nacionais”, e “não será permitido que a internet Úque cheia de pornografia, violência, mensagens subversivas, separatismo étnico, extremismo religioso, elementos racistas e terrorismo”, explica o editorial.

A publicação também assegura que a China é agora “bem mais aberta” do que há oito anos, mas que seguirá garantindo que “as atividades no ciberespaço são seguras para a sociedade”. O editorial também critica a decisão do Google de sair do mercado chinês há oito anos, o que foi “um grande equívoco”.

“O certo é que o Google sempre foi uma marca politizada. E isto é uma tragédia, porque perdeu oportunidades de ouro no desenvolvimento de internet deste país”, afirma o jornal oficial.

(Agência Brasil com EFE)

Brasil recebe o Congresso Internacional de Matemática

Começa hoje (1º), no Rio de Janeiro, no RioCentro, o Congresso Internacional de Matemáticos (ICM 2018, na sigla em inglês), que vai reunir, até o dia 9, cerca de 2.500 pesquisadores dos cinco continentes. A agenda terá 1.200 palestras, painéis de debates e comunicações, além de 40 eventos científicos paralelos em todo o país, como o World Meeting for Women in Mathematics, o (WM)2 que discutiu ontem (31) questões de gênero na matemática.

O primeiro ICM foi realizado em 1897, em Zurique, Suíça. Ele é organizado a cada quatro anos pelo país-sede em parceria com a União Matemática Internacional (IMU).

Esta é a primeira vez que o encontro ocorre em um país do hemisfério sul. No Brasil, o evento integra o Biênio da Matemática do Brasil 2017-2018, parte das ações nacionais e internacionais destinadas, entre outros objetivos, a incentivar o estudo da disciplina, popularizá-la e promover atividades que contribuam para aproximá-la do público.

O diretor geral do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), Marcelo Viana, também presidente do Comitê Organizador do ICM 2018, explica que o Brasil passa por um momento histórico e de reconhecimento do avanço das pesquisas na área conquistadas pelo país.

“Há 70 anos praticamente não havia pesquisa em matemática no país. [O avanço] já foi reconhecido no começo do ano quando o Brasil foi promovido ao grupo 5, o grupo máximo da União Matemática Internacional, que reúne as 11 nações mais avançadas na área”, afirma.

Para Viana, a escolha do Brasil como sede também faz parte desse reconhecimento. Ele destaca que o objetivo principal do ICM 2018 é ser um instrumento para ajudar a popularizar a matemática e torná-la mais próxima da sociedade.

“Estamos convidando escolas para participar do evento, com atividades desenhadas para crianças e professores, e acredito que vai ser um grande sucesso, vai ter um impacto significativo nessa aproximação da matemática com a sociedade brasileira. O Biênio foi a realização desse objetivo que nós tínhamos já ao apresentar a candidatura para o congresso, é um evento charmoso, que chama a atenção”, argumenta.

Durante nove dias, haverá mesas redondas sobre temas como distribuição de gênero, história da matemática, desenvolvimento da matemática nos países em desenvolvimento e o impacto que a tecnologia tem na matemática.

(Agência Brasil)

Corpo de estudante assassinada na Nicarágua chega nesta sexta-feira

O corpo da estudante pernambucana assassinada na cidade de Manágua, na Nicarágua, no último dia 23, Raynéia Gabrielle Lima, chegará ao Recife na madrugada da próxima sexta-feira (03). O anúncio foi feito durante coletiva de imprensa pelo secretário de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco, Pedro Eurico. O funeral será no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, na região metropolitana do Recife.

De acordo com o secretário, o corpo sairá de Manágua às 14h30min, com parada na capital do Panamá, de onde parte às 18h15, sempre no horário de Brasília, com destino ao Brasil. A chegada ao Recife está prevista para as 00h35min da sexta-feira. “O governo de Pernambuco conclui definitivamente a sua participação neste caso, no que tange ao translado do corpo de Raynéia para o Brasil”, afirmou Eurico.

Segundo o secretário, as despesas do traslado, que estão sendo custeadas pelo governo de Pernambuco, totalizaram R$ 16.273,16.

Entenda o caso

A estudante brasileira Raynéia Gabrielle Lima foi morta, na noite de segunda-feira (23) da semana passada, com um tiro no peito que, segundo o reitor da Universidade Americana (UAM), Ernesto Medina, foi disparado por um “um grupo de paramilitares” no sul da capital Manágua.

A Nicarágua vive uma crise sociopolítica com manifestações que se intensificaram desde abril. Os manifestantes pedem a saída do presidente Daniel Ortega, que se mantém há 11 anos no poder, em meio a acusações de abuso e corrupção. A repressão aos protestos populares já deixou entre 277 e 351 mortos, de acordo com organizações humanitárias locais e internacionais.

O assassinato da estudante brasileira ocorreu horas depois de o reitor participar de um fórum no qual disse que o crescimento econômico e a segurança na Nicarágua, antes da explosão dos protestos contra Ortega, em abril, “era parte de uma farsa” porque “nunca houve um plano que acabasse com a pobreza e a injustiça”.

O governo de Daniel Ortega foi acusado pela Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) e o Escritório do Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos (Acnudh) pelos assassinatos, maus tratos, possíveis atos de tortura e prisões arbitrárias ocorridas em território nicaraguense.

(Com Agência Brasil)

Maduro assume “responsabilidade” pela crise econômica da Venezuela

317 1

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, reconheceu a “responsabilidade” na crise econômica que aflige o país e estimou precisar de dois anos para “conseguir” uma recuperação com “alto nível de estabilidade”.

“Os modelos produtivos que testamos até agora fracassaram, e a responsabilidade é nossa, é minha. Precisamos levar a diante o poder
econômico que temos”, disse Maduro, em uma sessão de trabalho do IV congresso do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV).
Apesar de sua enorme riqueza em recursos, a Venezuela atravessa uma severa crise econômica, resultando em uma escassez de alimentos básicos e remédios, má prestação dos serviços públicos e uma altíssima inflação que o Fundo Monetário Internacional (FMI) estima fechará em 1.000.000% neste ano.

Com frequência, o governo venezuelano atribui o fraco desempenho da sua economia a uma “guerra” liderada pelos Estados Unidos junto a fatores de oposição interna e da região, mas hoje o próprio Maduro pediu aos seus ministros que troquem as desculpas por resultados.
Para enfrentar a crise, o presidente venezuelano anunciou na semana passada uma série de medidas que incluem retirar cinco zeros das notas de bolívar, rever as mudanças na lei, efetuar o censo da frota para promover o “uso racional” da gasolina e aumentar os impostos para importação de bens de capital.

Maduro disse que deste programa de recuperação, que estima mostrar “os primeiros sinais da nova prosperidade” em dois anos, existem “muitas coisas” que deve “ir administrando”, mas pediu o apoio do partido para divulgar informações sobre as comunidades.
Analistas consultados pela Agência EFE disseram na semana passada que o plano de recuperação de Maduro é “insuficiente”, entre outras coisas, por não contar com ajuda financeira internacional.

No entanto, o presidente insistiu hoje que a “Venezuela tem tudo para ser uma potência média no contexto latino-americano” e ratificou que seu governo tem como meta elevar a produção de petróleo, motor da economia da nação, para seis milhões de barris por dia.
Segundo o último relatório da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), elaborado a partir de fontes secundárias, a Venezuela bombeia apenas 1,39 milhão de barris diários.

Mas o país disse em meados do mês que sua produção média durante o primeiro semestre de 2018 foi de 1.570.000 barris por dia e que conseguiu “parar o declínio” no bombeamento.

(Agência Brasil com EFE/Foto – Marcos Bello, da Reuters)

Cearense é primeira brasileira a ganhar ouro em Olimpíada Internacional de Química

582 1

A estudante cearense Ivna de Lima Ferreira Gomes, de 16 anos, foi medalhista de ouro na Olimpíada Internacional de Química, que aconteceu, neste mês, na República Tcheca e Eslováquia. Esta é a primeira vez que uma mulher brasileira cearense conquista esse título.

Além de Ivna, mais dois estudantes de Fortaleza foram medalhistas na competição. João Victor Moreira Pimentel (16), levou a medalha de prata e Orisvaldo Salviano Neto (17), conquistou o bronze. Vinícius Figueira Armelin, de São Paulo, também representou o Brasil e conquistou o ouro.

Todos os participantes passam por dois exames – um prático e outro teórico -, tendo avaliações, e os 10% mais bem pontuados são premiados com a medalha de ouro.

De acordo com o site da olimpiada (50t IChO 2018), participaram 76 países. Ao todo, 35 alunos conquitaram o ouro. Esse foi o melhor desempenho do Brasil na história de todas as modalidades de olimpíadas científicas.

Um sonho realizado

Moradora do bairro Benfica, Ivna conta ao O POVO Online que foi incrível participar da olimpíada e conquistar a medalha de ouro. “É a concretização de um sonho que eu nem ousava sonhar há algum tempo, e a recompensa por quase 4 anos de muito estudo pra essas competições”.

Para a estudante, a premiação não foi importante só para ela, mas para que todos os participantes dos próximos anos vejam que é, sim, possível. “E para que todas as meninas que se interessam pela ciência se sintam representadas e encorajadas a sonhar alto, independente dos estereótipos de gênero e dos obstáculos que são, muitas vezes, impostos às meninas”, conclui.

Ivna participou em 2017 da IChO e foi medalhista de prata. No mesmo ano, foi ouro na Olímpiada Ibero-americana de Química.

(O POVO Online – Repórter Matheus Nunes/Foto – Arquivo Pessoal)

Economia dos EUA sobe 4% no segundo trimestre deste ano

A economia dos Estados Unidos (EUA) cresceu um ritmo anual de 4,1% no segundo trimestre de 2018, a maior taxa desde 2014. O Departamento de Comércio publicou hoje (27) o primeiro dos seus três cálculos sobre a evolução do Produto Interno Bruto (PIB) entre abril e junho nos EUA. O número coincidiu com as expectativas dos analistas, que tinham previsto em torno de 4%.

O Governo revisou, além disso, o número do crescimento econômico do primeiro trimestre do ano de 2,2% para 2,5%. Esta alta aconteceu em grande parte devido aos gastos dos consumidores, que nos Estados Unidos representam quase dois terços da atividade econômica, que cresceu a uma taxa anualizada de 4%. Além disso, o investimento empresarial também contribuiu para a aceleração econômica com uma alta de 5,4%.

Este primeiro cálculo do segundo trimestre aproxima a promessa do presidente americano, Donald Trump, de levar o crescimento a uma taxa anual de 3%, impulsionado por um enorme plano de estímulo fiscal aprovado em dezembro do ano passado que inclui notáveis cortes de impostos para as empresas e, em menor medida, para os trabalhadores.

(Agência Brasil com EFE)

Reunião do Brics – Comércio do Brasil avança, mas agenda mudou em 10 anos

A 10º reunião de Cúpula do Brics, com chefes de Estado do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, em Joanesburgo, na África do Sul, evidencia a mudança de agenda do bloco. A agremiação dos países foi diplomaticamente criada, no esteio da crise financeira internacional de 2008, com o objetivo de aumentar atuação e o poder de voto dos países emergentes em organismos multilaterais como o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional (FMI).

“A associação tinha objetivo principal de reformar as instituições de governança financeira globais”, lembra Guilherme Casarões, professor de Relações Internacionais da Fundação Getúlio Vargas. Segundo o especialista, em vez daquela agenda, os países adotaram a defesa do comércio multilateral e avançaram na criação do Novo Banco do Desenvolvimento, chamado “Banco do Brics”, que poderá ter escritório regional em São Paulo após decisão na reunião de cúpula.

Para Casarões, o Brics “não é um bloco a reboque da China”, mas a desigualdade das economias limita o potencial de comercialização entre os parceiros. A pauta de exportação do Brasil, por exemplo, se destaca pelo predomínio de produtos de menor valor agregado como carne, soja e minério de ferro.

Na avaliação de Casarões, o momento político do Brasil, com eleições marcadas para 7 de outubro, retira “margem de manobra” dos atuais negociadores. “A incerteza eleitoral torna muito difícil que o Brasil assuma posições definitivas como a disputa entre a China e os Estados Unidos”, assinala.

O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge de Lima, admite que o destino político do Brasil “causa curiosidade”, mas aos interlocutores que indagam sobre a perenidade das políticas comerciais lembra que “a burocracia é sólida, formada por carreiras públicas como corpo diplomático e de comércio exterior, que continuará trabalhando com a visão de Estado. A orientação é continuar avançado”.

O ministério divulgou dados que registram o incremento do comércio com os parceiros dos Brics. “De janeiro a junho deste ano, o Brasil exportou US$ 33,1 bilhões para Rússia, Índia, China e África do Sul. Houve um crescimento de 5,4% em relação ao mesmo período do ano passado, quando a venda para esses países somou US$ 31,4 bilhões. As importações somaram, neste ano, US$ 18,3 bilhões, o que resulta em um superávit comercial de US$ 14,8 bilhões”.

(Agência Brasil)

Temer já está na África d Sul para a reunião do Brics

O presidente Michel Temer já está na África do Sul para o 10º encontro do Brics, bloco formado pelo Brasil, a Rússia, Índia, China e África do Sul. Pelo Twitter, ele falou de alguns de seus compromissos durante os três dias em que ficará na África. Temer anunciou que falará na abertura da reunião plenária da Cúpula do Brics. Além disso, terá reuniões bilaterais com o presidente da China, Xi Jimping, e da África do Sul, Ciryl Ramaphosa.

Na sexta-feira (27), Temer participará de um encontro dos líderes do Brics com outros líderes do continente africano. “Na sexta, participo de encontro dos chefes de Estado do Brics com outros líderes da África p/ discutir o papel do continente africano. A reunião tem significado especial para o Brasil. Somos um país formado por múltiplas culturas, e a presença africana é uma das mais expressivas”, disse Temer na rede social.

Os país integrantes do Brics representam por volta de 23% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial. Neste 10º encontro, serão tratados temas de cooperação econômica e desenvolvimento, entre outros. A cúpula também contará com a presença de presidentes de outros países africanos – como Ruanda, Angola e Namíbia – para impulsionar os interesses do continente.

Entre os temas que serão tratados figuram a industrialização e as novas tecnologias, o crescimento inclusivo e a cooperação em temas de manutenção da paz e em assuntos de saúde, como a criação de uma plataforma de vacinação do bloco.

(Agência Brasil com Agência EFE)

Eclipse lunar poderá ser conferido na Seara da Ciência

A Seara da Ciência, organismo da Universidade Federal do Ceará, abrirá suas portas, a partir das 17 horas desta sexta-feira, para observação de eclipse lunar. Segundo o Observatório Nacional, trata-se do mais longo eclipse total da Lua do século XXI. A atividade é gratuita e para quem tiver interesse em ver o fenômeno e sobre ele informar-se. A observação começará a partir das 18 horas e seguirá até as 20 horas.

De acordo com o professor Ednardo Rodrigues, organizador do evento, a expectativa é que 120 pessoas participem da atividade. Um telescópio newtoniano de 300 milímetros de abertura ficará disponível para os visitantes. A depender do número de pessoas, a equipe estuda colocar outros três telescópios para observação.

De acordo com o Observatório Nacional, a fase total do eclipse ocorrerá entre 16h30min e 18h13min. A partir dessa hora, a Lua começará a sair da sombra mais escura, dando início ao eclipse parcial, que seguirá até as 19h19min. A fase penumbral do eclipse (quando a Lua passa pela sombra mais clara) vai até as 20h29min.

Assim, quem for ao local terá a oportunidade de ver o fim do eclipse, observar a Lua e compreender por que ela tenderá a ficar avermelhada. “Em Fortaleza o eclipse poderá ser visto no fim da tarde, por volta das 17h40min, mas, aqui, ele será parcial e causará apenas uma vermelhidão na superfície lunar, que acabará por volta das 19 horas”, explica o organizador.

SERVIÇO

*Seara da Ciência – Rua Abdenago Rocha Lima, s/n, na entrada do Campus do Pici.

(Foto – Arquivo Reuters)

10ª Cúpula do Brics começa nesta quarta-feira em Joanesburgo

A 10ª Cúpula do bloco de potências emergentes BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) começou nesta quarta-feira (25), em Joanesburgo, com a abertura de um fórum econômico com a presença de líderes e mais de mil delegados desses países. O ministro do Comércio e Indústria da África do Sul, Rob Davies, foi o encarregado de inaugurar o fórum no Centro de Conferências de Sandton, no
centro Únanceiro de Joanesburgo.

Os presidentes da África do Sul, Cyril Ramaphosa; Brasil, Michel Temer; China, Xi Jinping; assim como o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, discursarão mais tarde. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, não participará dessa sessão, mas tem presença garantida na reunião em Joanesburgo, amanhã (26), confirmaram à Agência EFE fontes da organização.

A cúpula do Brics, que representa 43% da população mundial e 26% do Produto Interno Bruto (PIB) do planeta, acontece em um contexto
internacional influenciado pela política unilateral e protecionista dos Estados Unidos, que não compartilha do bloco.

No discurso de abertura do fórum de negócios, Davies destacou o “enorme crescimento” da economia do Brics nos “últimos anos”, pois passou em uma década de 12% para 26% do PIB mundial. “Não é um segredo que vivemos tempos de turbulências” no panorama
internacional, afirmou o ministro sul-africano ao ressaltar que “é um momento de crise para o sistema de comércio”.

(Agência Brasil e EFE)

Após morte de brasileira, Itamaraty chama de volta embaixador em Manágua

O Itamaraty chamou, para consultas, o embaixador brasileiro na Nicarágua, Luís Cláudio Villafañe Gomes Santos. A decisão ocorre após a morte de uma universitária brasileira nessa segunda-feira (23) na capital Manágua. Hoje a embaixadora da Nicarágua no Brasil, Lorena Del Carmen, também foi convocada para prestar esclarecimentos. Ela esteve no Itamaraty em reunião com o subsecretário de América Central e Caribe, Paulo Estivallet.

A estudante brasileira Raynéia Gabrielle Lima foi morta, na noite de segunda-feira (23), com um tiro no peito que, segundo o reitor da Universidade Americana (UAM), Ernesto Medina, foi disparado por um “um grupo de paramilitares” no sul da capital Manágua.

Mais cedo, o governo brasileiro já havia manifestado indignação e exigido que autoridades nicaraguenses mobilizem todos os esforços necessários para identificar e punir os responsáveis pelo assassinato da estudante. No texto, o governo ainda condenou “o aprofundamento da repressão, o uso desproporcional e letal da força e o emprego de grupos paramilitares em operações coordenadas pelas equipes de segurança” e repudiou a perseguição a manifestantes, estudantes e defensores dos direitos humanos.

Crise

A Nicarágua vive uma crise sociopolítica com manifestações que se intensificaram, desde abril, contra o presidente Daniel Ortega que se mantém há 11 anos no poder em meio a acusações de abuso e corrupção. A repressão aos protestos populares já deixou entre 277 e 351 mortos, de acordo com organizações humanitárias locais e internacionais.

O assassinato da estudante brasileira ocorreu horas depois de Medina participar de um fórum no qual disse que o crescimento econômico e a segurança na Nicarágua antes da explosão dos protestos contra Ortega em abril “era parte de uma farsa” porque “nunca houve um plano que acabasse com a pobreza e a injustiça”.

Em entrevista a uma emissora de TV local, o retior da UAM acrescentou que as forças paramilitares “sentem que têm carta branca, ninguém vai dizer nada a eles, ninguém vai fazer nada. Eles andam sequestrando e fazendo batidas”.

O governo de Daniel Ortega foi acusado pela Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) e o Escritório do Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos (Acnudh) pelos assassinatos, maus tratos, possíveis atos de tortura e prisões arbitrárias ocorridas em território nicareguense.

(Agência Brasil)

Show vai escolher quinta cantora do espetáculo “Lady Zeppelin”

Será escolhida em audição pública nesta quarta-feira, 25, às 19 horas, no Teatro Via Sul, a quinta cantora do espetáculo “Lady Zeppelin”, uma homenagem de cantoras e instrumentistas cearenses à imortal banda Led Zeppelin. A audição terá entrada franca e o show ocorrerá no dia 17 de agosto também nesse teatro, informa a organização.

As cantoras que se inscreveram e foram classificadas para a seletiva desta quarta são Alice Brasil, Amanda Sales, Luciana Lívia, Fernanda Fialho, Gabriela Alcântara, Lorene Gualda, Ana Cavalcante, Natalia Pessoa, Tatiana Freitas e uma surpresa: a candidata de apenas 14 anos Yasmin Berti, que, no ano passado, participou da seletiva The Voice Kids, em São Paulo.

O espetáculo tem direção musical e coordenação de produção assinadas pelo baterista e professor Adriano Azevedo, um dos nomes mais respeitados do cenário musical cearense, e foi apresentado pela primeira vez no ano passado, no Theatro José de Alencar, com grande público e intensa repercussão para a proposta de ter mulheres interpretando clássicos e músicas menos recorrentes do Lady Zeppelin.

SERVIÇO

*Os ingressos para “Lady Zeppelin” já estão à venda no site e também na bilheteria do Teatro Via Sul. Inferior: R$ 80, e R$40, (meia). Plateia superior: R$ 60, e R$ 30, (meia).

(Foto – Rádio France)

Estudante brasileira é assassinada na Nicarágua. Governo cobra punição dos responsáveis

Em nota divulgada há pouco, o governo brasileiro manifestou indignação e exigiu que autoridades nicaraguenses mobilizem todos os esforços necessários para identificar e punir os responsáveis pelo assassinato da estudante brasileira Raynéia Gabrielle Lima, na noite de segunda-feira (23). No texto, o governo ainda condenou “o aprofundamento da repressão, o uso desproporcional e letal da força e o emprego de grupos paramilitares em operações coordenadas pelas equipes de segurança” e repudiou a perseguição a manifestantes, estudantes e defensores dos direitos humanos.

A estudante de medicina foi morta com um tiro no peito que, segundo o reitor da Universidade Americana (UAM), Ernesto Medina, foi disparado por um “um grupo de paramilitares” no sul da capital Manágua. “A brasileira foi atingida por disparos em circunstâncias sobre as quais [o governo brasileiro] está buscando esclarecimentos junto ao governo nicaraguense”, destacou o Itamaraty, estendendo votos de solidariedade à família da estudante.

Crise

A Nicarágua vive uma crise sociopolítica com manifestações que se intensificaram, desde abril, contra o presidente Daniel Ortega que se mantém há 11 anos no poder em meio a acusações de abuso e corrupção. A repressão aos protestos populares já deixou entre 277 e 351 mortos, de acordo com organizações humanitárias locais e internacionais.

O assassinato da estudante brasileira ocorreu horas depois de Medina participar de um fórum no qual disse que o crescimento econômico e a segurança na Nicarágua antes da explosão dos protestos contra Ortega em abril “era parte de uma farsa” porque “nunca houve um plano que acabasse com a pobreza e a injustiça”.

Em entrevista a uma emissora de TV local, o reitor da UAM acrescentou que as forças paramilitares “sentem que têm carta branca, ninguém vai dizer nada a eles, ninguém vai fazer nada. Eles andam sequestrando e fazendo batidas”.

O governo de Daniel Ortega foi acusado pela Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) e o Escritório do Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos (Acnudh) pelos assassinatos, maus tratos, possíveis atos de tortura e prisões arbitrárias ocorridas em território nicareguense.

(Agência Brasil)

Fifa divulga lista dos 11 melhores técnicos. Tite está fora

402 1

Tite não está entre os onze técnicos finalistas do prêmio “The Best” da Fifa, anunciado hoje. No ano passado, o técnico brasileiro ficou em oitavo lugar entre os melhores do futebol masculino. Pesou contra Tite a campanha da seleção na última Copa do Mundo, em que os pentacampeões mundiais ficaram nas quartas de final.

Os quatro semi-finalistas do Mundial também estão entre os dez. São eles o francês Didier Deschamps, campeão pela França; o croata Zlatko Dalic, vice por seu país; o espanhol Roberto Martínez, que ajudou a Bélgica a obter um inédito terceiro lugar; e o inglês Gareth Southgate, quarto pelos ‘Three Lions’.

Os outros cinco nomeados trabalham em clubes. O francês Zinedine Zidane, que recentemente deixou o Real Madrid após ter conquistado a Liga dos Campeões pela terceira vez seguida, tenta ser agraciado pelo segundo The Best seguido e tem como concorrentes, além dos já citados, o italiano Massimiliano Allegri (Juventus), os espanhóis Josep Guardiola (Manchester City) e Ernesto Valverde (Barcelona), o alemão Jürgen Klopp (Liverpool) e o argentino Diego Simeone (Atlético de Madrid).

Entre os indicados, escolhidos por um painel de especialistas, serão definidos três finalistas em uma votação que envolverá torcedores, jornalistas, técnicos e capitães de seleções. Os três mais votados estarão na cerimônia de gala em que será anunciado o
vencedor, em 24 de setembro, em Londres.

(Agência Brasil com EFE/Foto – Divulgação)

A diplomacia na crise das crianças

Com o título “A diplomacia na crise da crianças”, eis o Editorial do O POVO desta segunda-feira:

É um alívio o anúncio de liberação de 19 das 52 crianças brasileiras mantidas separadas dos pais pelas autoridades dos Estados Unidos, desde maio, como resultado de uma política de tolerância zero contra a imigração ilegal posta em prática pelo governo Donald Trump. O Ministério das Relações Exteriores dá a notícia tendo a compreensão de que é ainda um resultado muito tímido e que não se pode pode descansar enquanto um só cidadão do nosso país estiver sofrendo tal situação, especialmente na idade que apresentam essas pequenas vítimas de uma crise sobre a qual elas não têm como ser responsabilizadas.

Desde o início do episódio que se nota uma postura excessivamente tímida do Itamaraty, o que vai de encontro à sua histórica competência para lidar com as grandes questões da política internacional que envolvam o interesse brasileiro, do Estado ou de cidadãos. Apesar, admita-se, do quadro de constrangimento institucional a ser administrado, já que o grupo tentava uma entrada ilegal em território americano, o que dá razão ao governo de lá no seu esforço inicial de conter as investidas, que também envolviam famílias de outras nacionalidades igualmente detidas e submetidas ao tratamento cruel.

A questão é que a política de Trump extrapolou o razoável ao segregar as crianças dos pais, mantendo-as sozinhas em abrigos.

Uma atitude que, além do aspecto desumano, em si, reveste-se de uma patente ilegalidade. A atitude inicialmente complacente e silenciosa do ministro Aluísio Nunes Ferreira e dos diplomatas diretamente envolvidos nas negociações até passou a ideia de que a situação estava sendo entendida como natural pelo lado brasileiro.

Agora, com a informação de que parte das crianças já voltou à companhia dos pais ou responsáveis, percebe-se que algo está sendo feito, o que garante um certo alívio às famílias de outros 33 pequenos brasileiros ainda submetidos à situação humilhante de permanecerem separados de seus entes.

De qualquer forma, lamente-se a situação em que cidadãos brasileiros se veem obrigados a, fugindo de uma crise que não apresenta perspectiva de reversão a curto prazo, procurar alternativa de vida em outros países, aceitando se submeter a riscos para isso. A nossa diplomacia não tem como obrigar o grupo a retornar ao País, mas, no episódio, agiu com excessiva cautela e uma timidez política pouco usual à sua prática habitual de posicionar o Brasil e seus interesses de maneira adequada sempre que chamada a fazê-lo.

Tiroteio deixa 1 morto e 13 feridos em Toronto

Pelo menos uma pessoa morreu e outras 13 Úcaram feridas em um tiroteio registrado esta noite em um restaurante de Toronto, no qual também morreu o autor dos disparos, informou a Polícia local. “Quatorze vítimas receberam disparos com uma arma de fogo. Uma mulher adulta morreu”, informou a Polícia no Twitter, ao citar o chefe policial da cidade, Mark Saudenrs, que se encontra no local.

A Polícia acrescentou que um dos feridos é uma menina que está em estado crítico e que “o suspeito está morto”, em referência ao autor dos disparos. A unidade de homicídios está investigando o acontecido. O fato aconteceu na noite do domingo em um restaurante no bairro de Riverdale, de Toronto, a maior cidade do Canadá.

O comandante adjunto dos serviços de Emergência, Shawn Staff tinha dito previamente ao jornal “The Globe and E-mail” que “várias pessoas apresentam ferimentos de grande gravidade”, sem dar um número exato. As testemunhas explicaram que tinham escutado cerca de 20 tiros, e que rapidamente se tinha deslocado para a região uma grande quantidade de viaturas de Polícia e de salvamento.

(Agência Brasil com EFE)

UFC avança em quatro de cinco itens de ranking de melhores universidades da América Latina

Saiu o ranking de reputação acadêmica Times Higher Education (THE), um dos mais importantes e prestigiados do mundo, que traz as melhores universidades da América Latina neste ano de 2018. A Universidade Federal do Ceará melhorou a própria nota em quatro dos cinco itens avaliados, informa a assessoria de imprensa da Instituição.

Em relação a 2017, a UFC avançou em pesquisa (volume de publicações, reputação dos periódicos nos quais a instituição publica etc.), cuja nota passou de 37.9 a 48.5; citações, com nota ampliada de 53.9 para 58.2; internacionalização, com aumento de 26.3 para 30.2; e transferência de conhecimento, cuja nota cresceu de 37.9 para 43.0. O quinto item de avaliação é ensino (ambiente de aprendizagem), no qual a nota da UFC passou de 53.5 para 52.6, permanecendo praticamente estável.

Com pontuação geral também maior em relação ao ano passado – movendo-se do intervalo de 46.7-49.5 para o de 49.4-53.4 –, a UFC figura no ranking de 2018 na 51ª posição. Este ano, o ranking avaliou 129 universidades latino-americanas, contra 82 no ano passado.

A Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) lidera o ranking latino-americano. Mais detalhes sobre o levantamento podem ser obtidos no site do THE (https://bit.ly/2L9P2IB).

Governo dos EUA devolve 364 crianças migrantes aos pais

O governo dos Estados Unidos informou nesta quinta-feira (19) que devolveu aos pais 364 crianças imigrantes irregulares maiores de 5 anos que tinham sido detidas na fronteira com o México. A reunificação das famílias é resultado da determinação de um juiz federal de
San Diego, que deu ao governo federal até o dia 26 de julho para devolver 2.551 menores imigrantes, com idades entre 5 e 17 anos, separados dos responsáveis pelas autoridades americanas.

Em documento apresentado nesta quinta-feira ao juiz Dana Sabraw, o governo informou que, dos 2.551 menores nessa faixa de idade, 1.606 são elegíveis para serem reunificados aos pais, enquanto mais de 900 nomes não se enquadram na medida porque, entre outros motivos, os progenitores têm antecedentes criminais ou renunciaram a esse benefício.

Do grupo catalogado como elegível, 848 pais já passaram da etapa de investigação e poderão ser reunificados aos seus filhos, enquanto outros estão à espera de serem entrevistados pelas autoridades federais ou foram libertados pelo Escritório de Imigração e Alfândegas (ICE) dos EUA.

No texto judicial, o governo federal informou que conta com ordens de deportação para 719 pais incluídos neste processo coletivo, elaborado pela União Americana de Liberdades Civis (ACLU).

O juiz Dana Sabraw ordenou ao governo em junho passado a reunificação dos cerca de três mil menores que foram separados dos pais após atravessarem a fronteira com o México como parte da política do presidente Donald Trump de “tolerância zero” em relação à imigração ilegal.

(Agência Brasil com EFE)