Blog do Eliomar

Categorias para Internacional

Liga Árabe pede à ONU imposição de zona de exclusão aérea na Líbia

“A Liga Árabe pedirá ao Conselho de Segurança da ONU a imposição de uma zona de exclusão aérea na Líbia e reconheceu o principal comitê rebelde como interlocutor oficial no país, disse neste sábado o ministro das Relações Exteriores do Omã, Yousef Bin Alawi Bin Abdullah. Em entrevista coletiva após a reunião extraordinária da organização pan-árabe, no Cairo (Egito), o ministro omani disse que a exclusão aérea tem o objetivo de “proteger o povo líbio e os estrangeiros como medida preventiva humanitária” Já Amre Moussa, secretário-geral da Liga Árabe, anunciou que a organização iniciará os contatos oficiais com o Conselho Nacional de Transição Interino (CNLT) líbio.

“O relacionamento com o Conselho Nacional é um reconhecimento prático”, disse Moussa em entrevista coletiva. O secretário-geral afirmou que “a colaboração com o comando rebelde visa facilitar a proteção e a ajuda humanitária ao povo líbio de acordo com as leis internacionais”.

Quanto à imposição da exclusão aérea, Moussa disse que a Liga Árabe transmitirá “oficialmente o pedido ao Conselho das Nações Unidas como uma medida preventiva, e não militar”. Além disso, ele explicou que o ato de levar a solicitação ao Conselho de Segurança da ONU se deve ao fato de ser “o órgão encarregado pela segurança mundial”.

“Assim como aceitamos esta medida, também rejeitamos qualquer intervenção estrangeira sob qualquer pretexto, e esta ação deve ser encerrada quando terminarem as causas da crise”, ressaltou, por sua vez, o chefe da diplomacia omani. Além disso, Abdullah assegurou que a Liga Árabe espera que a “Líbia respeite a eventual decisão do Conselho de Segurança, e não use armas contra o povo líbio”.

(Portal Terra)

Terremoto no Japão – Outro reator nuclear com problema

“De acordo com informações da agência de notícias Kyodo, outro reator da usina nuclear de Fukushima, região nordeste do Japão, apresentou problemas em seu sistema de refrigeração, depois que foi registrada uma explosão nessa central.

Milhares de pessoas foram retiradas das proximidades da usina nuclear, que sofreu o impacto do terremoto de 8,9 graus na escala Richter de sexta-feira, já que o reator corre o risco de explosão. Um funcionário da Agência Nuclear do Japão disse à CNN que existe a possibilidade de um colapso na usina.

Em entrevista por telefone, ele informou que os engenheiros não conseguiram chegar perto o suficiente do núcleo da usina para saber o que está acontecendo, mas funcionários têm injetado água do mar e boro nos reatores, na tentativa de esfriar o combustível nuclear.

– Nós temos alguma confiança, até certo ponto, de que vamos tornar a situação estável – disse o funcionário.”

(Globo)

Terremoto no Japão – Explosão é ouvida em usina nuclear

“A televisão pública NHK, do Japão, informou que vários funcionários da usina nuclear Fukushima 1 ficaram feridos após explosão que ocorreu às 16h (horário local), por razões desconhecidas. Um tremor foi sentido e fumaça pode ser vista na região da usina. O oficial do distrito de Fukushima, no nordeste do Japão, Masato Abe, disse que a causa ainda está sob investigação e não está claro se houve realmente uma explosão. Ainda segundo a TV japonesa, o teto e os muros do reator nuclear foram derrubados.

De acordo com informações da imprensa local, o nível de radioatividade na área é 20 vezes superior ao normal e césio radioativo foi encontrado próximo da usina, que enfrenta uma série de problemas desde o forte terremoto de 8,9 pontos na Escala Richter que atingiu o Japão na sexta-feira (11).

A Agência de Segurança Nuclear e Industrial japonesa estimou neste sábado que é “altamente provável” que esteja acontecendo uma fusão no reator número 1 da usina. Um funcionário da companhia elétrica que administra o centro nuclear, a Tepco (Tokyo Eletric Power), disse que a empresa está tentando resfriar o reator, onde anteriormente foi notado um  aumento de pressão, assim como disfunções no sistema de refrigeração.

Seguindo instruções das autoridades governamentais, a Tepco liberou vapor radioativo do reator para aliviar a pressão, e evacuou um raio de 10 km do entorno da usina. Assim, cerca de 45 mil pessoas deixaram suas casas.

O chefe de gabinete do governo, Yukio Edano, disse mais cedo que a quantidade de radiação em forma de vapor que vazou da usina Fukushima 1 é “muito pequena” e não deve afetar o meio ambiente e os moradores do local.  “Com a evacuação, nós podemos garantir a segurança”, disse durante uma entrevista neste sábado.”

(Portal Uol, com Agências Internacionais)

Petrobras diz que suas atividades no Japão não foram afetadas

A Petrobras informa, por meio de sua assessoria de imprensa, que suas atividades no Japão não foram afetadas pelo terremoto que atingiu a costa Nordeste do país nesta sexta-feira (11/03). Os empregados da Companhia estão em segurança e não há registro de feridos. Também não houve danos materiais às instalações da Petrobras no Japão.
 
A refinaria Nansei Sekiyu (NSS), localizada na ilha de Okinawa, está operando normalmente. A Petrobras detém 100% de participação no ativo, que possui capacidade de processamento de 100 mil barris de óleo equivalente diários (boed). A Companhia tem cerca de 200 empregados no Japão.

Terremoto do Japão – Mais de 300 mortos

“O terremoto de 8,8 pontos na Escala Richter que atingiu o Japão nesta sexta-feira (11), segundo a Agência de Gerenciamento de Desastres e Incêndio, é considerado um dos maiores da história do país. Pelo menos 337 pessoas morreram e 531 estão desaparecidas, segundo novo balanço a polícia. Segundo a agência de notícias Kyodo, o número de mortos pode chegar 1.000. Apenas em Sendai, uma das cidades mais afetadas pelo tremor, mais de 200 corpos foram encontrados pela polícia na praia, segundo a agência de notícias local Jiji Press.

O terremoto gerou um tsunami que invadiu cidades da costa leste do Japão com ondas de até 10 metros que arrastaram barcos de pesca e outras embarcações pelas cidades. Vários veículos e casas ficaram submersos. Ondas gigantes viajaram pelo Pacífico a uma velocidade de cerca de 800 km/h, antes de atingir a costa do Japão. O epicentro do terremoto foi no oceano Pacífico, a 400 km de Tóquio, a uma profundidade de 32 km. Os primeiros tremores foram identificados às 14h46 (2h46, horário de Brasília).

As comunicações no Japão estão prejudicadas. Os celulares estão funcionando com limitações e a telefonia fixa, em Tóquio, com alguma irregularidade. O metrô da capital japonesa foi paralisado, os carros detidos nas estradas, os aeroportos foram fechados e os prédios foram evacuados entre sons das sirenes e chamadas à evacuação. A refinaria de petróleo Cosmo, na cidade de Chiba, perto de Tóquio, pegou fogo, com as chamas de até 30 metros de altura. Incêndios em refinarias de outras cidades também foram reportados.

De acordo com agências de notícias, este é o maior tremor que atinge o país em sete anos, e o 7º maior na história, segundo dados do Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS). Já a Agência de Metereologia Japonesa afirmou que este foi o terremoto mais forte registrado no Japão. Após o tremor, a cidade de Tóquio foi atingida por uma forte réplica de magnitude 6,7 na Escala Richter. A princípio, o terremoto foi considerado de 7,9 pontos e, posteriormente, de 8,8 pontos pelo Departamento de Pesquisas Geológicas dos EUA.

As vítimas do terremoto incluem um homem de 67 anos, esmagado por uma parede, e uma idosa, atingida pelo teto da própria casa, que desabou, ambos na região de Tóquio. Outras três pessoas morreram soterradas dentro de casa em Ibaraki, a nordeste da capital, segundo informações da Agência de Gerenciamento de Desastres e Incêndio. O último terremoto de grandes proporções registrado no Japão aconteceu em 1932, em Kanto. O tremor de magnitude 8,3, matou 143 mil pessoas, segundo o USGS. Em 1996, um tremor de magnitude 7,2, em Kobe, deixou 6.400 mortos.”

(Portal Uol com Agências internacionais)

Embaixada dos EUA faz campanha de boas-vindas para Obama

47 1

“A uma semana da chegada do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ao Brasil, a embaixada norte-americana em Brasília começou uma campanha de divulgação sobre a primeira visita do chefe de Estado à América Latina. Além do Brasil, Obama irá ao Chile e a El Salvador. O presidente norte-americano visita Brasília e o Rio de Janeiro nos próximos dias 19 e 20. Na divulgação da visita de Obama, a embaixada utiliza a rede social Twitter e também a internet.

“Visita do presidente Barack Obama à América Latina. O presidente Obama e a primeira-dama [Michelle Obama e as filhas Malia e Sasha]  viajarão ao Brasil, Chile e a El Salvador de 19 a 23 de março, onde o presidente se reunirá com líderes e falará à população desses países para tratar de uma grande variedade de temas”, diz o texto principal no site da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil.

Paralelamente, na mesma página da embaixada, do lado direito, há espaço para as mensagens por Twitter, dando boas-vindas a Obama. Há sugestões para que embaixadores apoiem a visita do presidente norte-americano e também apelos para que as pessoas enviem mensagens. “Estamos quase no final do carnaval, mas você ainda tem muito tempo para mandar mensagens de boas-vindas”, diz um dos textos.

Na visita a Brasília, Obama cumprirá uma intensa agenda. Com a presidenta Dilma Rousseff, a previsão é que ele assine dez acordos bilaterais em resposta à demandas dos empresários, dos governos estaduais e até da comunidade brasileira que vive em território norte-americano.

De acordo com negociadores brasileiros, um dos objetivos é facilitar a parceria no setor aéreo para aumentar o número de voos entre o Brasil e os Estados Unidos. Também há a disposição de ajudar os brasileiros que vivem nos Estados Unidos, mas pretendem voltar para o Brasil, aproveitando o que pagou de Previdência Social.

Há ainda planos para uma ação comum na divulgação da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016, em parceria com a iniciativa privada e o governo norte-americano. As informações são de diplomatas norte-americanos e brasileiros que trabalham na organização da visita.

Obama deve desembarcar no Brasil na próxima sexta-feira (18) à noite, acompanhado pela primeira-dama, Michelle, e pelas filhas Sasha e Malia, além de uma comitiva que deve reunir cerca de mil pessoas. Eles ficarão o dia 19 em Brasília e, no dia 20 viajam cedo para o Rio de Janeiro. Em seguida, vão para o Chile e depois para El Salvador.

No Rio, Obama e a família devem intercalar alguns programas turísticos, como visitas ao Pão de Açúcar, ao Corcovado e a uma praia, com atividades de trabalho, como visita a uma comunidade pacificada.

O governador do Rio, Sérgio Cabral, disse que a comunidade escolhida para ser visitada por Obama é a de Chapéu Mangueira, no Leme, na zona sul. Na comunidade de Chapéu Mangueira foi filmado Orfeu Negro, em 1959. O filme, segundo Obama na sua biografia, encantou a sua mãe.”

(Agência Brasil)

Terremoto no Japão – Não há brasileiros entre mortos ou feridos, informa Embaixada

A agência de notícias Kyodo informou nesta sexta-feira que mais de 300 corpos já foram encontrados em Sendai. É o maior tremor – 8,9 pontos na escala Richter, já registrado na história do Japão, que mantém dados sobre abalos há 140 anos.

O embaixador do Brasil no Japão, Marcos Galvão, também informou que não há registro de brasileiros mortos ou feridos na tragédia . Segundo ele, há 254 mil brasileiros no país, mas a maioria se concentra em Tóquio.

O tsunami de 10 metros provocado pelo terremoto atingiu o estado americano do Havaí , no Pacífico, e a Indonésia.

A capital japonesa também foi afetada pelo tremor, mas não foi devastada pela onda gigante como outras cidades. O alerta de tsunami se estende do México à América do Sul , mas a maior preocupação é com as ilhas do Pacífico. No Japão, há temor em relação às usinas nucleares e uma delas foi colocada em estado de emergência após uma falha no sistema de resfriamento.

(Com Agências Internacionais)

Reitor da UFC já presenciou terremotos no Japão

Quem está impressionado com a tragédia provocada pelo terremoto que atingiu o Japão nesta sexta-feira é o reitor da Universidade Federal do Ceará, Jesualdo Farias. Ele contou para o Blog que morou em Nagoya, em 1986, quando fez pós-graduação em Metalurgia Física.

Jesualdo disse que várias vezes presenciou terremotos – que são comuns, mas observou que ficou impressionado com esse que registrou 8,9 pontos. “Se fosse em outro País, a tragédia seria muito grande. O Japão tem esterutura e é preparado para aguentar terremoto. Agora, o problema é o tsunami”, observou para o Blog.

Sobre alunos ou professores da UFC que estariam estudando no Japão, o reitor disse que  há gente da Instituição ali, mas nenhum morando nas regiões atingidas pelo terremoto.

Terremoto do Japão é o 7º mais forte da história

“O terremoto de magnitude 8,9 ocorrido nesta sexta-feira no Japão já é considerado o sétimo mais intenso já registrado na história, de acordo com dados do governo dos Estados Unidos.  Segundo informações do programa de ameaça de terremotos da agência geológica americana (USGS, na sigla em inglês), o mais forte terremoto da história ocorreu em 22 de maio de 1960, em Valdívia (Chile), com magnitude 9,5. Este tremor matou 2.000 pessoas e gerou um maremoto com ondas de até 10 metros. As ondas apagaram do mapa cidades inteiras na costa chilena e fizeram vítimas também em outros países banhados pelo Oceano Pacífico.

O segundo maior terremoto já registrado ocorreu no Alasca (EUA), em 27 de março 1964: um abalo de magnitude 9,2 fez 15 vítimas fatais e gerou um tsunami que matou outras 128 pessoas. Seu epicentro foi na região de Prince William Sound, no sul do Alasca. A ilha de Sumatra, na Indonésia, registrou em 26 de dezembro de 2004 um terremoto de magnitude 9,1, causando um tsunami que matou 230 mil pessoas em 14 países da região. O tremor ocorreu a 30 quilômetros de profundidade no Oceano Índico.

Em 4 de novembro de 1952, um abalo de magnitude 9,0 na península de Kamchatka, extremo oeste da Rússia, gerou ondas gigantes que chegaram até o Havaí, causando prejuízos financeiros de até US$ 1 milhão, mas nenhuma vítima fatal. Também de magnitude 9,0, dois grandes terremotos abalaram a região de Arica, fronteira entre Peru e Chile, em 13 de agosto de 1868. Diversas cidades foram afetadas pelas ondas causadas pelo tremor, que vitimou cerca de 25 mil pessoas.

Outro terremoto de magnitude 9,0 ocorreu em 26 de janeiro de 1700 em uma região de cerca de 1.000 km na costa noroeste da América do Norte, entre os Estados Unidos e o Canadá. O tsunami que se seguiu chegou até o Japão. Não há estimativa de vítimas. Em sétimo lugar, fica o tremor de magnitude 8,9 (segundo medição da Agência Meteorológica do Japão) que atingiu o Japão por volta das 15h (horário local) de 11 de março de 2011. O epicentro foi na costa próxima à província de Miyagi, a 373 km de Tóquio.

Dois terremotos na história tiveram medida uma magnitude de 8,8. Um ocorreu no Chile, em 27 de fevereiro de 2010, matando mais de 800 pessoas e deixando cerca de 20 mil desabrigados. O epicentro foi a região de Bío-Bío, a cerca de 320 km ao sul de Santiago. O outro atingiu a costa entre o Equador e a Colômbia em 31 de janeiro de 1906, matando entre 500 e 1,5 mil pessoas. O tremor chegou a ser sentido em San Francisco (EUA) e no Japão.

Três terremotos já foram registrados com magnitude 8,7: Em 1º de novembro de 1755, um tremor de magnitude 8,7 destruiu Lisboa, matando cerca de 70 mil pessoas. Já em 4 de fevereiro de 1965, um tremor também de magnitude 8,7 atingiu as ilhas Rat, no Alasca (EUA), gerando um tsunami de cerca de 10 metros de altura na ilha de Shemya. Apesar disto, o abalo causou poucos danos. Em 8 de julho de 1730, um terremoto de igual magnitude atingiu Valparaíso (Chile), gerando um tsunami e causando danos em diversas cidades da costa, mas causando poucas mortes.”

(Portal Uol, com Agências Internacionais)

Terremoto no Japão – Jogador brasileiro fala sobre o fato

55 1

Um terremoto de 8,9 pontos na Escala Richter atingiu o Japão nesta sexta-feira. Em Osaka, o atacante brasileiro Rodrigo Pimpão disse ter sentido o tremor, o maior registrado no país de acordo com a Agência de Metereologia Japonesa. O ex-jogador do Vasco afirma estar bem ao lado de seus familiares, mas relata 20 segundos de terror.

“Antes do treinamento, sentimos o terremoto. Cerca de 20 segundos balançando. Os jogadores da equipe, preocupados com seus familiares, vieram correndo para o vestiário buscar informações para saber se tudo está bem”, escreveu o brasileiro, através do Twitter. O brasileiro, atleta do Cerezo Osaka, também comenta sobre a “situação triste” que o Japão vive por causa da catástrofe.

Pimpão destaca que está bem. O jogador, no entanto, lamenta a destruição em diversas cidades do Japão após o tremor. “Em Osaka, cidade onde moro, só sentimos o terremoto. Lamentável a situação. A situação aqui é triste. O tsunami afetou várias cidades”, ressaltou.

Outro brasileiro que joga no futebol japonês, Jorge Wagner também usou o Twitter para comentar sobre o clima no Japão após o terremoto. Ex-jogador do São Paulo, o meia está no Kashiwa Reysol. “Estamos aqui ainda na estação Shin-Yokohama. Muita correria da população”.

Em virtude do violento terremoto que atingiu o Japão, toda a rodada do Campeonato Japonês programada para este fim de semana foi adiada. As partidas válidas pela primeira e segunda divisões do país foram canceladas.

Além dos jogos de futebol, algumas partidas de exibição de beisebol também foram adiadas. O epicentro do tremor foi a cerca de 400 km da capital Tóquio.

A região noroeste do Japão foi a mais atingida. A cidade de Sendai sofre as consequências de um tsunami, com seu aeroporto inundado. O serviço de trem-bala para o norte do Japão foi suspenso e as atividades no aeroporto de Narita (Tóquio) foram interrompidas.”

(Portal Uol com Agências Internacionais)

EUA – Internet já supera mídias tradicionais

“Os americanos já acessam mais notícias na internet que em outras mídias. A informação é de um estudo da PriceWaterHouseCoopers, que também revela que os americanos entre 18 e 60 anos ficam mais tempo na internet do que vendo televisão, lendo jornal ou escutando rádio, se a comparação for feita individualmente.

O estudo revela que a faixa etária dedica uma média de 7,3 horas por semana vendo televisão pela internet, enquanto são só 6,1 horas de televisão vista pelo aparelho. Os dados ficam ainda mais significativos quando se faz a comparação entre pessoas mais jovens. A população americana entre 18 e 34 anos consome oito horas semanais na rede, e 5,6 horas no televisor na média. Americanos ficam mais tempo na internet que na televisão

No caso da leitura de jornal, são gastas em média no Estados Unidos quatro horas lendo na web por semana. Os jornais impressam ocupam apenas 1,9 horas da semana dos habitantes daquele país. No cinema a discrepância também é grande. São 5,1 horas de filmes vistos pela internet semanalmente, contra 1,5 horas nas salas de cinema. No total, são 19,3 horas semanais de consumo de conteúdo de informação e entretenimento digital e 15,8 horas de consumo deste tipo de conteúdo em mídias tradicionais.”

(JN Online)

Terremoto de 8,9 pontos atinge Japão e causa tsunami

Imagem da TV NHK mostra aeroporto de Sendai inundado por tsunami.

“Ao menos sete pessoas morreram em decorrência do terremoto de 8,9 pontos na Escala Richter que atingiu o Japão nesta sexta-feira (11). Este é o maior tremor que atinge o país em sete anos. A cidade de Tóquio foi atingida por uma forte réplica de magnitude 6,7 na mesma escala. A princípio, o tremor foi considerado de 7,9 pontos e, posteriormente, de 8,8 pontos pelo Departamento de Pesquisas Geológicas dos EUA. O primeiro-ministro do Japão, Naoto Kan, afirmou que o terremoto causou “maiores danos” no nordeste do país, mas que as instalações de energia nuclear na área não foram atingidas e não há risco de vazamento de material radioativo.

O terremoto abalou prédios em Tóquio e fez com que as autoridades emitissem um alerta sobre tsunamis, avisando que as ondas podem atingir até 6 metros de altura – no entanto, há registro de que um tsunami de 10 metros de altura arrasou a costa da cidade de Sendai, no noroeste do país, segundo agências de notícias japonesas. A pista do aeroporto de Sendai, no distrito de Miyagi, foi inundada. O governo enviou barcos da Força Naval do país para a área.

O fornecimento de energia elétrica foi interrompido em Tóquio e regiões vizinhas, afetando cerca de 4 milhões de residências. Os moradores da capital do país evacuaram os prédios como medida de precaução e imagens do canal de televisão NHK registraram fumaça saindo de um prédio em Odaiba, bairro de Tóquio, logo após os tremores. O mesmo canal exibiu outra reportagem na qual carros e barcos foram varridos pelas ondas na prefeitura de Fukushima após o tremor.

Diversas pessoas ficaram feridas na queda do telhado de um edifício no centro de Tóquio onde 600 estudantes participavam de uma cerimônia de entrega de diplomas, de acordo com os bombeiros.

O serviço de trem-bala para a região norte do país foi suspenso e as atividades do aeroporto Narita, em Tóquio, estão interrompidas. Outras fontes dizem que o serviço de trens e aviões não está funcionando “em grande parte do país” e cinco usinas nucleares foram fechadas por precaução.

Outras imagens mostram o nível da água subindo rapidamente na cidade costeira de Miyako, na prefeitura de Iwate. Dezenas de carros estavam boiando nas águas do porto e vários barcos estão à deriva. O parque de diversões Disney de Tóquio também ficou inundado por causa do tsunami.

O epicentro do terremoto foi registrado a 400 km de Tóquio, a uma profundidade de 32 km. Os primeiros tremores foram identificados às 14h46 (2h46, horário de Brasília).

Tremores

A região onde se encontra o Japão foi atingida por outros terremotos durante a semana. Na quarta-feira, a costa norte do país foi atingida por um terremoto de 7,3 pontos localizado no Oceano Pacífico, que não deixou danos. Um dia depois, várias réplicas, a maior delas com magnitude de 6,8 pontos na escala Richter, voltaram a sacudir a costa nordeste do Japão.

Terremotos são comuns no Japão, o país que registra maior atividade sísmica do mundo. O país contabiliza cerca de 20% dos terremotos do mundo com magnitude acima de 6 pontos na escala Richter.”

(Portal Uol, com agências internacionais)

Brasil não tem universidade entre as 100 melhores do mundo

“O Brasil não tem nenhuma instituição entre as 100 melhores universidades em reputação do mundo, segundo o ranking elaborado pela organização Times Higher Education. A Universidade de São Paulo (USP) só apareceu na 232ª posição, e acabou representando todas as instituições da América do Sul. A universidade de Harvard é a líder do ranking com pontuação máxima em todos os critérios.

O ranking foi montado a partir de uma pesquisa somente para convidados de mais de 13 mil professores de 131 países do mundo e reforça a posição dominante das instituições dos EUA e consagra boa reputação de universidades do Reino Unido e do Japão. O índice faz parte do ranking das melhores universidades do mundo divulgado pela THE em setembro do ano passado.

Rússia (Universidade Lomonosov de Moscou), China (universidades Tsinghua, Pequim e Hong Kong) e Cingapura e Hong Kong aparece com instituições entre as 50 melhores do ranking. No grupo entre as posições 51º e 100º aparecem universidades de países emergentes como a Universidade de Seul, na Coreia do Sul; Universidade de Taiwan e o Instituto de Ciência da Índia. O Brasil é o único dos BRICs a não ter nenhuma instituição de ensino superior entre as melhores.

A pesquisa pediu aos acadêmicos experientes para destacar o que eles acreditavam ser o mais forte das universidades para o ensino e a pesquisa em seus próprios campos. Harvard obteve 100 pontos. As outras cinco melhores classificadas foram Instituto de Tecnologia de Massachusetts; Universidade de Cambridge (Reino Unido); Universidade da Califórnia, em Berkeley; Universidade de Stanford University e Universidade de Oxford (Reino Unido).”

(Globo Online)

França reconhece rebeldes como "representantes legítimos" da Líbia

“O governo da França reconheceu oficialmente nesta quinta-feira (10) o Conselho Nacional de Transição (CNT) – a instância política dos rebeldes da Líbia – como o “representante legítimo” do país. A decisão foi anunciada depois de um encontro do presidente Nicolas Sarkozy, em Paris, com os enviados do grupo.

A decisão coloca ainda mais pressão sobre o ditador Muammar Gaddafi, que agora enfrenta não só a resistência feroz dos opositores, mas perde legitimidade diante da França, um importante ator da política internacional e membro permanente do Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas).

No último domingo (6), a França já havia “saudado” a criação do conselho, afirmando que apoiava os princípios e as metas fixadas, de acordo com comunicado do Ministério das Relações Exteriores.

Na ocasião, o porta-voz da chancelaria francesa, Bernard Valero, elogiou “a vontade de unidade que presidiu a instauração do conselho” e estimulou “os líderes e os movimentos que o compõem a prosseguir as ações com o mesmo espírito”.

No último sábado (5), o Conselho Nacional de Transição, criado pelos representantes da insurreição que luta desde 15 de fevereiro contra as tropas de Gaddafi, se reuniu e afirmou ser “o único representante da Líbia”.

No mesmo fim de semana, no Cairo, capital do Egito, o ministro das Relações Exteriores da França, Alain Juppé, afirmou que a Europa e a França “não podem tolerar a loucura criminosa” do regime de Gaddafi.”

(R7.com)

Sem medo de ser rebelde

49 2

Esse aí com a foto de Kadaffi estampada no peito é o padre Haroldo Coelho que, inclusive, já mandou artigo para o Blog defendendo o ditador líbio. Ligado ao PSOL, o religioso aproveitou o Carnaval de Rua de Fortaleza e engrossou desfile do Movimento Crítica Radical que pedia a libertação do ex-preso político italiano Cesare  Battisti.

Para o padre Haroldo, Kadaffi é vítima do imperalismo norte-americano e Cesare não é homicida como defende o Governo da Itália.

(Foto – Mauri Melo)

Sob Lula, Brasil abriu 79 representações no Exterior. Até na Micronésia

“A herança que Lula deixou para Dilma Rousseff incluiu uma tarefa entre prosaica e insólita: incrementar as relações diplomáticas do Brasil com a Micronésia. Você talvez não saiba, mas o país existe. Acredite. É um arquipélago assentado na Oceania. Tem cerca de 700 km2.

Trata-se de um paraíso. Banhado pelo pacífico. Em 22 de dezembro, dez dias antes de deixar o governo, Lula baixou o decreto 7401, criando a embaixada brasileira em Palikir, capital da Micronésia. Funciona cumulativamente com a de Manila (Filipinas).

Pela lógica, dois fatores determinam a instalação de representações no exterior: 1) o interesse econômico; 2) a presença de grande comunidade de brasileiros no país. A novíssima representação da Micronésia, por ilógica, foge aos padrões. Difícil achar brasileiros entre seus cerca de 110 mil habitantes.

Dono de um PIB miúdo –pouco mais de US$ 200 milhões— o país tampouco oferece grandes perspectias de parceria comercial. A força de trabalho da Micronésia soma 20 mil pessoas. Dedicam-se ao atendimento de turistas, à pesca e à agricultura (coco, banana, mandioca, batata doce e castanha).

Essa foi a 79ª representação criada por Lula no estrangeiro –57 embaixadas e 22 consulados. Média de 10 por ano. Quase uma por mês.

Sob FHC, o Itamaraty fora mais comedido. Nos oito anos da Era tucana, inauguraram-se 16 novas representações –12 embaixadas e quatro consulados. O expansionismo diplomático do Brasil de Lula pautou-se pela flexibilização ideológica e pelo desejo de obter um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU.

A maleabilidade política resultou em vexame. Abriram-se embaixadas em países notáveis pelo desrespeito aos direitos humanos e pelo desapreço aos valores democráticos. Entre eles, por exemplo, Guiné Equatorial, Sudão, Mianmar e, veja você, até a Coréia do Norte do companheiro-ditador Kim Jong-Il.

Quanto ao sonho da cadeira permanente no principal conselho da ONU, resultou irrealizado a despeito da proliferação de novos parceiros diplomáticos. Restou o legado das quase oito dezenas de novas representações. Coisa para Dilma Rousseff administrar. A fúria inauguratória de Lula levou o Brasil a países pequenos e de relevância diplomática duvidosa.

O grosso das novas embaixadas e consulados foi instalado em nações ex-comunistas, países africanos pobres e ilhas do Pacífico e do Caribe. Além dos neoparceiros já mencionados, a lista inclui: Albânia, Croácia, Azerbaijão, Casaquistão, Zâmbia, Tanzânia, Benin, Togo, Sri Lanka…Guiné, Botsuana, Congo, Dominica, Bahamas, Santa Lúcia, São Cristóvão e Névis, Dominica e um interminável etc..

Antes de despertar para a abrir a Micronésia, Lula editou o decreto 7376. Datado de 1º de dezembro de 2010, criou a embaixada brasileira em Tarawa, capital do Kiribati. Neste caso, funciona cumulativamente com a de Wellington, na Nova Zelândia.

Vinte dias antes, em 11 de novembro, o Kiribati havia sido pendurado nas manchetes em posição algo desesperadora. Pequeno arquipélago do Pacífico, o país anunciou ao mundo que pode ter de deslocar toda sua população –cerca de 100 mil pessoas— para outra localidade.

Por quê? O aquecimento global faz com que o mar avance sobre o território de Kiribati, encobrindo-o aos poucos. “Para algumas comunidades, já é tarde demais. Não há como protegê-las”, disse o presidente de Kiribati, Andote Tong. Gestor de uma ilha vulcânica condenada ao desaparecimento, Tong guindou ao topo de suas prioridades a obtenção de terras onde possa acomodar seu povo.

A representação de Kiribati foi ao bololô da política externa de Lula como uma espécie de cereja. Chama-se Samuel Pinheiro Guimarães o ideólogo da estratégia. Coisa implementada com o apoio do ex-chanceler Celso Amorim e sob aplausos do assessor internacional da Presidência, Marco Aurélio Garcia.

Samuel ocupou a secretaria-geral do Itamaraty até 2009. Na fase final do governo Lula, chefiou a Secretaria de Assuntos Estratégicos. Os dados que recheiam essa notícia foram recolhidos nos arquivos do Senado. Cabe aos senadores aprovar a criação de novas embaixadas e consulados. Aprovou-se tudo o que Lula propôs.”

(Blog do Josias de Souza)

Tribunal egípcio confirma: Mubarak não pode deixar o País

“O Tribunal egípcio confirmou nesta terça-feira que o ex-presidente Hosni Mubarak não tem permissão para deixar o país.O ex-líder também teve os seus bens congelados.

Segundo a edição digital do diário governamental “Al-Ahram”, a decisão foi anunciada durante a primeira audiência judicial relativa ao caso, que aconteceu nesta terça-feira no Tribunal de Apelações do Cairo.

Na audiência, o juiz rejeitou um pedido do advogado de Mubarak, Sair Sheshtaui, para que a decisão do tribunal fosse adiada em 24 horas.

(Portal Terra)

Brasil perde posições no ranking do turismo mundial

“O Brasil perdeu posições em um ranking mundial de competitividade no setor do turismo, embora tenha obtido pontuação semelhante à de 2009. Em sua última edição, relativa a 2011, o relatório elaborado pelo Fórum Econômico Mundial coloca a sede da próxima Copa do Mundo e das Olimpíadas de 2016 na posição 52 entre 139 países avaliados. A pontuação, 4,36 em uma escala de um a sete, foi praticamente a mesma que em 2009 (4,35), quando foi elaborado o ranking anterior. Naquele ano, quando foram consideradas 133 nações, o país ficou em 45º lugar. Em 2011, o Brasil foi ultrapassado por outros países que registraram incremento mais expressivo, como México e Porto Rico.

“O Brasil ficou em sétimo lugar no ranking das Américas e 52º no ranking geral. O país é o que tem a melhor pontuação entre todos os países no que tange aos recursos naturais e 23º em recursos culturais, com muitos lugares considerados patrimônio da humanidade, uma grande proporção de área protegida e a fauna mais rica do mundo”, afirma o relatório. “Isto é reforçado por uma ênfase na sustentabilidade ambiental (posição 29 do ranking), uma área que vem melhorando ao longo dos últimos anos. A segurança também melhorou de forma impressionante desde a última avaliação”, informa o texto. Em 2009, o relatório aponta preocupação com a qualidade da rede de transporte terrestre e aéreo brasileira, bem como o nível de insegurança.

Sobre o panorama atual, o relatório avalia que “o transporte rodoviário continua subdesenvolvido, com a qualidade das rodovias, portos e ferrovias requerendo melhoras”. “O país continua a sofrer com a baixa competitividade de preços, atribuída em parte a altas taxas aeroportuárias e sobre os bilhetes aéreos, e o nível fiscal em geral”, assinala o texto. “Além disso, o ambiente de negócios não é particularmente propício para o desenvolvimento do setor, com regras restritivas para os investimentos externos, os longos prazos para abrir uma empresa e requerimentos de certa maneira restritivos à abertura de negócios no setor de turismo.”

O relatório destaca a superação da crise econômica mundial pela indústria do turismo internacional. Depois de se contrair em 2009, o setor voltou a se recuperar no ano passado, atingindo neste ano o seu nível pré-crise. Combinando atividades diretas e indiretas, o relatório estima que o setor de viagens e turismo responda hoje por 9,2% do PIB global, mesma proporção dos investimentos mundiais e 4,8% das exportações do planeta. Suíça, Alemanha e França foram considerados os países com melhor ambiente para desenvolvimento da atividade.”

(Agência Basil)