Blog do Eliomar

Categorias para Internacional

Chávez pode vir se tratar com médicos brasileiros

202 1

“A presidenta Dilma Rousseff reforçou hoje (8) a possibilidade de o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, tratar-se do câncer com médicos brasileiros em um dos hospitais do país. Dilma lembrou que os especialistas brasileiros podem ir à Venezuela, se Chávez considerar essa hipótese a adequada. Na conversa, o venezuelano disse que está em franca recuperação.

Chávez telefonou para Dilma hoje de manhã e conversou por cerca de dez minutos, segundo o porta-voz da Presidência da República, Rodrigo Baena Soares. O porta-voz informou ainda que a conversa de Dilma com Chávez foi “calorosa”. Na conversa, o venezuelano novamente agradeceu o apoio da presidenta e lembrou ter recebido a mensagem enviada por ela no último dia 1º prestando solidariedade.

Chávez respondeu apenas que vai avaliar a oferta feita hoje por Dilma e anteriormente pelo ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, em diálogo com o chanceler venezuelano, Nicolás Maduro.

Foi a primeira conversa de Dilma com Chávez, depois de ele ter sido submetido a um tratamento de quase 30 dias em Cuba. No último dia 10, o venezuelano fez uma cirurgia de urgência em Havana para a retirada de um abcesso na região pélvica. Em seguida, ele confirmou que está sofrendo de câncer, mas não informou detalhes da doença nem do tratamento.

Ontem (7), durante solenidade pública em Caracas, Chavez reconheceu que o câncer havia se manifestado há algum tempo, mas que evitava o tratamento. Ao visitar Brasília no mês passado, o presidente reclamou de dores no joelho esquerdo e usou uma muleta para se apoiar. Caminhou, porém, com dificuldade e brincou dizendo que estava envelhecendo.”

(Agência Brasil)

Brasil é alvo de protesto no Parlamento Europeu por rejeitar extradição de Battisti

166 1

O Brasil foi alvo hoje (6) de protestos no Parlamento Europeu por causa da decisão da Supremo Tribunal Federal (STF) de rejeitar a extradição para a Itália do ex-ativista político Cesare Battisti, no último dia 8. Um grupo estendeu faixas e um cartaz no qual havia fotografias de quatro pessoas e a inscrição: Justiça para as Vítimas de Battisti. A manifestação ocorreu no momento da chegada da delegação brasileira à sede do Parlamento.

Na sede do Parlamento Europeu, em Estrasburgo, na França, houve tumulto. A tensão começou quando o presidente da sessão, o britânico Edward McMillan-Scott, mencionou a presença da delegação do Brasil. Em meio à referência do parlamentar, foram estendidas faixas e cartazes. Os manifestantes chegaram a chamar Battisti ser assassino.

Os seguranças tentaram conter os manifestantes, retirando as faixas e os cartazes. Alguns foram destruídos.

No último dia 8, o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou a extradição de Battisti e determinou sua imediata libertação. O ex-ativista está no Brasil desde 2007 e aguardava julgamento preso na Penitenciária da Papuda, em Brasília.

Desde que saiu da prisão, Battisti está morando em São Paulo. Segundo seus advogados, ele continuar morando no Brasil e trabalhar como escritor.

Para as autoridades brasileiras, Battisti deve ser tratado como perseguido político. No entanto, as autoridades italianas o consideram um criminoso comum.

Integrante do grupo guerrilheiro Proletários Armados pelo Comunismo (PAC), Battisti é acusado de participar de quatro assassinatos – de um joalheiro, um policial, um carcereiro e um militante. Ele nega a autoria dos crimes, mas foi julgado à revelia e condenado.

A decisão da STF provocou um debate na Itália, que resiste a aceitar a libertação de Battisti. Autoridades do governo italiano anunciaram que vão recorrer à Corte Internacional. A medida ainda não foi encaminhada.”

(Agência Brasil, com a emissora pública de rádio da França, a RFI)

FAO – Graziano assume comando com verba curta

“O brasileiro José Graziano, o novo diretor da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), recebe o primeiro golpe dos países ricos: terá um orçamento para lidar com a fome no mundo que não foi reajustado nem mesmo para compensar a inflação mundial e ainda vai precisar fazer economias extras na administração da organização.

Diante da pressão das nações desenvolvidas, o orçamento foi incrementado em apenas 1,4% até 2013. Para Graziano, o maior obstáculo para acabar com a fome no mundo é a falta de recursos dos países ricos. “Erradicar a fome até 2015 não será possível”, disse o brasileiro a agências de notícias em Roma, no fim de semana. Segundo ele, muitos países não conseguirão sequer reduzir a fome pela metade até 2015, como se planejava.

Há uma semana, Graziano foi eleito para o posto de diretor da FAO, superando o candidato dos países ricos, o espanhol Miguel Angel Moratinos. A eleição escancarou a divisão na comunidade internacional em relação à forma de se combater a fome.

No fim de semana, Graziano descobriu que sua batalha não será nada fácil. Países ricos, que por anos tentaram esvaziar a FAO, agora insistem em congelar o orçamento da entidade. Parte do motivo é a crise econômica que Europa e Estados Unidos ainda enfrentam. Mas parte da explicação, segundo diplomatas, é a constatação de que, antes de receber dinheiro, a FAO precisa passar por mudanças internas.

Segundo o novo orçamento aprovado no sábado, a FAO terá US$ 1 bilhão. Isso além de US$ 1,4 bilhão em contribuições voluntárias valor semelhante ao do ano passado. Na mesma votação, a FAO aprovou o plano de ação para a reforma da entidade e governos ordenaram à organização corte de mais US$ 34 milhões em gastos administrativos, além da economia que já havia sido planejada.”

(Agência Estado)

Conselho de Administração do Carrefour aprova fusão com Grupo Pão de Açúcar

O Conselho de Administração do grupo francês Carrefour é favorável à fusão com o grupo brasileiro Pão de Açúcar, informa a empresa francesa em um comunicado divulgado nesta segunda-feira.

O projeto não é aceito pelo grupo francês Casino, rival do Carrefour e sócio do Pão de Açúçar e prevê a fusão dos ativos brasileiros do Carrefour com os da Companhia Brasileira de Distribuição (CBD). A poposta conta com o apoio financeiro do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

De acordo com a proposta, a ideia é criar uma nova empresa, chamada de Novo Pão de Açúcar (NPA), a partir da fusão dos ativos do Carrefour no Brasil com os da Companhia Brasileira de Distribuição, holding que detém o Grupo Pão de Açúcar, em uma nova empresa controlada em partes iguais pelo Carrefour e pela CBD, segundo o portal.

 (Com Portal G1)

Brasileiro é eleito presidente da FAO

O brasileiro José Graziano da Silva foi eleito presidente da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO). Ele derrotou o espanhol Miguel Ángel Moratinos, em votação de segundo turno, tendo obtido a maioria dos 179 votos.

No primeiro turno, Graziano havia superado Moratinos por 77 a a 72 votos, nas eleições realizadas neste domingo, em Roma.

Graziano já foi de diretor regional da FAO. Também foi ministro da Segurança Alimentar e do Combate à Fome durante o governo de Lula.

(Com Agências)

ONU põe Brasil sob supeita de tortura e fará visita a cadeias

“A Organização das Nações Unidas (ONU) fará a maior inspeção internacional já realizada nas prisões brasileiras para avaliar sérias denúncias sobre o uso da tortura no País. Segundo informações reveladas ao ‘Estado’ com exclusividade, a missão recebeu evidências de ONGs e especialistas apontando para violações aos direitos humanos em centros de detenção provisória, prisões e nas unidades que cuidam de jovens infratores em vários Estados.

Não é a primeira vez que a tortura no Brasil é alvo de investigação na ONU e a missão promete ser dura com as autoridades. Os locais de visita estão sendo mantidas em sigilo para que o grupo de inspetores faça visitas de surpresa aos locais considerados críticos, impedindo que as autoridades “preparem” as prisões e “limpem” eventuais problemas. Também será a primeira vez que a tortura será investigada em unidades para jovens – como a antiga Febem.

Para poder surpreender as autoridades, a viagem que ocorrerá no início do segundo semestre tem sua agenda guardada a sete chaves. A ministra de Direitos Humanos, Maria do Rosário, só foi informada de que a missão ocorrerá e será liderada pelo Subcomitê de Prevenção da Tortura da ONU. Mas não recebeu nem a lista das cidades que serão inspecionadas nem quais instituições serão visitadas. A obrigação do governo será a de dar acesso irrestrito aos investigadores.”

(Estadão)

Tasso discute em Harvard o futuro do Brasil

O ex-senador Tasso Jereissati participa, nesta semana, nos EUA, do simpósio “Brasil & Século 21”. Organizado pela Harvard Business Schoool e pelo Centro David Rockefeller para Estudos Latino-Americanos da Universidade de Harvard, o evento reúne cerca de 40 líderes brasileiros selecionados de setores do governo, da política, da área privada e da sociedade civil e tem como objetivo discutir questões internacionais que afetarão o Brasil na próxima década.

Os debates, com a presença de professores de diferentes faculdades de Harvard, envolve temas como “A China e a Criação do Setor Empresarial Chinês”, “A Índia e o Surgimento de Empresas Globais Indianas” e “Os Negócios na Base da Pirâmide: O Setor Privado e Responsabilidades Públicas”.

"The Guardian" vai priorizar edição digital

“O jornal londrino “The Guardian” decidiu priorizar sua edição digital, em lugar do formato impresso. A mudança foi anunciada ontem aos funcionários pelo editor-chefe Alan Rusbridger e por Andrew Miller, presidente-executivo do Guardian Media Group (que edita o The Guardian” e também o The Observer”). Eles não estabeleceram uma data para a versão impressa deixar de circular, mas avisaram que, nos próximos meses, as edições de segunda a sexta-feira terão meios páginas e notícias diárias, priorizando análises e grandes reportagens. Posteriormente, o mesmo procedimento será aplicado às edições de sábado e também ao “The Observer”, que circula aos domingos.

De acordo com Rusbridger e Miller, a maior parte dos recursos da editora passam a ser, desde já, destinados ao formato digital.

— Vamos mudar o foco, os esforços e os investimentos para o formato digital, porque esse é o nosso futuro — disse.

Miller afirmou que o grupo pretende duplicar as receitas digitais até 2016, quando deverão alcançar 100 milhões de libras (aproximadamente R$ 258 milhões). No site do jornal, ele destacou que “não fazer nada não era uma opção”.

A edição digital do “Guardian” pode ser considerada um grande

sucesso de público e renda. Em maio, teve 50 milhões de leitores únicos mensais e 2,8 milhões de visitantes por dia A versão do “Guardian” para a internet lucra entre €35 milhões e €40 milhões por ano. A expectativa é que o faturamento chegue a € 90 milhões em cinco anos. Já a edição impressa fechou o ano fiscal com lucro de €228 milhões, 10% a menos que no período anterior.

Rusbridger disse que o jornal precisava abraçar “uma filosofia aberta” sobre suas operações digitais. Ele afirmou que o grupo está absorvendo muitas contribuições dos próprios jornalistas e que, dessa forma, a equipe poderá dedicar 80% de sua atenção ao mundo digital.

— Qualquer jornal está em uma migração para o futuro digital. Isso não significa sair do papel, mas exige uma maior concentração de imaginação, atenção e recursos sobre as diversas formas que o futuro digital deve trazer — afirmou.

Citando pesquisas do Guardian Media Group, Rusbridger informou que mais da metade dos leitores do “Guardian” o lê no período noturno e, por isso, precisam de um produto que seja “tão relevante às nove da manhã como às nove da noite”.

Com a nova estratégia, o “Guardian” espera crescer principalmente nos Estados Unidos, onde vivem aproximadamente 25% de seus leitores digitais.”

(Globo/Portal da ANJ)

Secretário-geral da ONU cumpre agenda em Brasília

“Com agenda lotada, o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, está hoje (16) e amanhã em Brasília. Ele almoça com o o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, e no fim da tarde tem reunião com a presidenta Dilma Rousseff. Os temas em discussão vão desde a defesa do Brasil por reformas no Conselho de Segurança da ONU até questões sobre desenvolvimento sustentável, combate à fome e à pobreza, paz e segurança.

Em campanha pela reeleição, Ki-moon participa de um ato de assinaturas do Marco de Assistência das Nações Unidas para o Desenvolvimento. De manhã, o secretário-geral tem reuniões com  representantes das diversas agências, fundos e programas das Nações Unidas no Brasil. À tarde, ele se  reúne com o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, e integrantes da sociedade civil, no Palácio do Planalto.
 
Ainda hoje, Ban Ki-moon vai se encontrar com os presidentes da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), e do Senado, José Sarney (PMDB-AP). À noite, ele e a mulher, Ban Soon-taek, serão homenageados. Também estão previstas reuniões com a ex-senadora Marina Silva (PV-AC), que integra o Grupo do Secretário-Geral dos Defensores dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio das Nações Unidas.

É a terceira vez que Ban Ki-moon vem ao Brasil. Em janeiro de 2007, ele visitou uma usina de álcool, na cidade de Jaboticabal, no interior de São Paulo, e a Floresta Amazônica. No ano passado, em maio, durante o 3º Fórum da Aliança de Civilizações das Nações Unidas, foi à comunidade Babilônia/Chapéu Mangueira, no Rio de Janeiro, e homenageou os militares brasileiros mortos no terremoto do Haiti, em janeiro de 2010.

Em campanha pela reeleição na ONU, a visita ao Brasil é a última etapa de uma viagem do secretário à América Latina. Antes, ele esteve na Colômbia, Argentina e no Uruguai. Na Argentina, em decorrência da nuvem de cinzas que toma conta de parte do país, Ki-moon teve de enfrentar nove horas de viagem de ônibus do interior argentino até a capital Buenos Aires. No Uruguai, ele viajou de barco.”

(Agência Brasil)

Senado dos EUA mantém barreira sobre etanol brasileiro

“O Senado americano rejeitou nesta terça-feira, por 59 a 40 votos, a emenda do parlamentar republicano Tom Coburn (Oklahoma) que propunha a eliminação da tarifa de importação do etanol brasileiro de U$ 0,54 por galão (equivalente a 3,78 litros) e também do subsídio de U$ 0,45 por galão ao etanol misturado à gasolina – benefício igualmente usufruído pelos produtores brasileiros, mas ainda assim subsiste uma tarifação de U$ 0,09.

O valor anual dos subsídios aos cofres americanos é estimado em U$ 6 bilhões.

– Eliminar os subsídios e a tarifação ao etanol seria um grande passo na direção de restaurar o bom senso fiscal em Washington. A política do etanol é ruim do ponto de vista econômico, energético e ambiental – disse Tom Coburn num comunicado, ao defender sua proposta no contexto da exigência de redução de gastos públicos nos EUA.”

(Com Agências)

Inflação chinesa registra em maio seu pior índice

“A taxa de inflação chinesa foi de 5,5% em maio, o pior dado registrado em quase três anos (34 meses), informou nesta terça-feira o Birô Nacional de Estatísticas da China (BNE).

A taxa supera em 0,1% o indicador de março e em 0,2% o de abril, mostrando que Pequim se afasta de seu objetivo de manter a inflação a níveis inferiores a 4% ao fim deste ano.

Segundo os danos oferecidos pelo BNE, os alimentos foram o principal fator causador da inflação, já que experimentaram uma alta anualizada de 11,7%, em meses difíceis para a agricultura devido à grave seca no delta do Yang Tsé (a pior em 50 anos).

Por outro lado, os outros produtos da cesta do IPC subiram apenas 2,9%, com moderadas altas em categorias como álcool e tabaco (2,6%), vestuário (1,8%), eletrodomésticos (2,5) e despesas médicos e de saúde (3,2%).

Também foi significativa a alta de preços no setor imobiliário (compra e aluguel), que alcançou 6,1% no quinto mês do ano, em um dos setores onde o governo chinês aplica medidas de contenção para evitar a explosão de uma bolha especulativa.

O BNE também detalhou que a alta de preços foi maior nas áreas rurais (6%) que nas urbanas (5,3%).

As autoridades econômicas chinesas reconheceram que a contenção dos preços é uma prioridade este ano, já que o governo chinês teme que fortes altas nos preços possam gerar instabilidade social.

Em 1989, os protestos da Praça da Paz Celestial foram antecedidos por taxas inflacionárias de até 10%.

Nos últimos meses, Pequim tomou medidas de contenção tais como a alta das taxas de juros e o aumento do depósito compulsório nas entidades financeiras, embora por enquanto não haja sinais evidentes de que estes métodos estejam conseguindo “esfriar” mercados como o imobiliário e o de alimentos.”

(Folha.com)

Na Itália, oposição pede a renúncia de Belusconi

A oposição promoveu uma forte campanha para levar os eleitores a votar no referendo na Itália e, diante do que se revela como uma derrota acachapante para Silvio Berlusconi, não perdeu tempo para, quase em coro, pedir a renúncia do primeiro-ministro.

Contra os apelos do premier, que estimulava um boicote, 57% dos eleitores italianos foram às urnas no domingo e [ontem] e repeliram em massa (94% dos votos segundo números preliminares) as legislações de Berlusconi que fomentavam o uso da energia nuclear, a privatização dos serviços de água e a imunidade judicial para ministros.”

(Globo)

Conselheira da Embaixada de Cuba no Brasil dará palestra em Fortaleza

A conselheira da Embaixada de Cuba no Brasil, Maria Emília Vieira, dará palestra em Fortaleza no próximo dia 16, a partir das 19 horas, no auditório da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará. Ela abordará o tema  “Cuba, o 6.º Congresso  e a Consolidação do Socialismo”.
A realização é do Cebrapaz/CE, com apoio da Fundação Mauricio Grabois e Casa da Amizade Brasil/Cuba.
SERVIÇO
Faculdade de Educação da UFC – Rua Waldery Uchôa, 01 – Benfica.

Presidente eleito do Peru tem encontro com Dilma

“Eleito presidente do Peru no último domingo (5), o nacionalista Ollanta Humala, de 48 anos, escolheu o Brasil para ser o primeiro país visitado por ele. Humala se reúne hoje, às 10 horas com a presidenta Dilma Rousseff. O convite para ele vir ao Brasil foi feito no dia seguinte à sua vitória – segunda-feira, dia 6. Dilma pretende ir a Lima para a posse de Humala em 28 de julho. Humala deve passar o fim de semana em São Paulo, segundo assessores peruanos.

Do Brasil, Humala deve seguir para o Uruguai onde se reúne com o presidente José Pepe Mujica. Em seguida, irá à Argentina se encontrar com a presidenta Cristina Kirchner e ao Chile para reuniões com o presidente Sebastián Piñera. Não estão confirmadas, por enquanto, visitas à Bolívia, Colômbia, Venezuela e ao México.

Humala venceu a conservadora Keiko Fujimori, filha do ex-presidente Alberto Fujimori (1990-2000), em uma eleição disputada voto a voto. De acordo com o último boletim, divulgado às 3h41 de hoje pelo Escritório de Processos Eleitores do Peru (cuja sigla em espanhol é Onpe), do total de 99,9% das urnas apuradas, Humala obteve 51,4% dos votos contra 48,5% destinados a Keiko.

Há, porém, um clima de incerteza em relação ao presidente eleito do Peru. A desconfiança vem do mercado financeiro e dos empresários, que receiam as medidas econômicas que ele venha a tomar. Com a economia crescendo, em média,  8% ao ano, o mercado quer que Humala anuncie sua equipe ministerial o mais rápido possível.

O receio ao governo Humala atingiu a Bolsa de Valores de Lima, que registrou no dia seguinte à eleição, a maior queda da história, de 12,51%, fechando mais cedo para evitar novas baixas. O presidente eleito avisou que vai dar prioridade ao crescimento econômico com inclusão social. Também disse que escolherá os melhores técnicos e intelectuais para compor sua equipe.”

(Agência Brasil)

Itália vai recorrer da libertação de Cesare Battisti no Tribunal de Haia

199 1

“O governo italiano expressou nesta quinta-feira seu “profundo desgosto” pela decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de não extraditar o ex-ativista de esquerda Cesare Battisti, e afirmou que irá recorrer da decisão brasileira em outras instâncias internacionais, inclusive no Tribunal Internacional de Justiça de Haia.

O primeiro-ministro do país, Silvio Berlusconi, afirmou em um comunicado oficial que a decisão da Justiça brasileira “não levou em consideração a expectativa legítima de que se faça justiça, em particular para as famílias das vítimas de Battisti”.

“A Itália irá continuar com sua ação e ativar as instâncias judiciais oportunas para garantir o respeito dos acordos internacionais que unem os dois países por vínculos históricos de amizade e solidariedade”, disse o premiê.

Já o chefe da diplomacia italiana, Franco Frattini, anunciou que seu país “irá ativar imediatamente qualquer mecanismo jurídico possível junto às instituições multilaterais competentes, em particular o Tribunal Internacional de Justiça de Haia, para conseguir a revisão desta decisão que não é coerente com os princípios gerais do direito e as obrigações previstas pelo direito internacional”.

Frattini declarou que a decisão tomada pelo STF “ofende o direito à justiça das vítimas dos crimes cometidos por Battisti e está em contradição com as obrigações presentes nos acordos internacionais que unem os dois países”.

(Folha.com)

Em busca da reeleição, secretário-geral da ONU vem ao Brasil na próxima semana

“Em campanha pela reeleição, o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, de 66 anos, admitiu nesta segunda (6) que quer continuar no cargo. Na tentativa de obter o segundo mandato, ele enviou cartas aos representantes dos países que estão na Assembleia Geral e no Conselho de Segurança da ONU. Paralelamente, deverá visitar alguns países, como o Brasil, a Argentina e o Uruguai.
Nos próximos dias 16 e 17, Ban Ki-moon deve visitar o Brasil. O secretário-geral virá a Brasília, mas também pretende visitar outras cidades. Na programação estão previstas reuniões com a presidenta Dilma Rousseff e o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota. Uma das ideias é que Ban Ki-moon conheça projetos de desenvolvimento sustentável e de combate à pobreza no Brasil.
“Foi um enorme privilégio estar na secretaria-geral dessa grande organização. Se for apoiado pelos Estados-Membros, estarei profundamente honrado por servir mais uma vez “, disse ele em entrevista coletiva hoje em Nova York.
“Durante meu mandato, tenho procurado ser um construtor de pontes – entre os Estados-Membros, no âmbito do sistema das Nações Unidas, e entre uma diversidade de parceiros globais. Tentar encontrar um terreno comum é o objetivo central para a obtenção de resultados”, acrescentou o secretário-geral. Em 2007, Ban Ki-moon tomou posse como secretário-geral das Nações Unidas em substituição a Kofi Annan. O mandato é de cinco anos. Se reeleito, o coreano ficará no cargo até o final de 2016. Ele é o oitavo secretário-geral da ONU.”

(Agência Brasil)