Blog do Eliomar

Categorias para Internacional

Caso Battisti – Senado italiano aprova moção pró-extradição

“O Senado da Itália aprovou hoje (18) por unanimidade a moção bipartidária – em nome dos deputados e senadores –  sobre a extradição do ex-ativista político Cesare Battisti, que é mantido em prisão preventiva no Brasil. A iniciativa obriga o governo italiano a tomar providências, por meios das vias legais, inclusive no Tribunal Internacional de Justiça, para obter a extradição.

As informações são confirmadas pelo Conselho de Ministros do Governo da Itália.

No último dia 31, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou que Battisti será mantido no Brasil. A decisão foi baseada em parecer da Advocacia-Geral da União (AGU), feito com base nos termos da Constituição brasileira, nas convenções internacionais sobre direitos humanos e do tratado de extradição entre o Brasil e a Itália.

O caso, porém, deverá ser julgado pelo plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) em fevereiro, quando a Corte retorna às atividades. A decisão do governo brasileiro gerou protestos na Itália e ameaças de estremecimentos nas relações entre os dois governos.

Ex-dirigente dos Proletários Armados pelo Comunismo (PAC), grupo extremista que atuou na Itália nas décadas 60 e 70, Battisti, de 52 anos, é acusado de participação em uma série de crimes, inclusive assassinatos.

O ex-ativista foi condenado à prisão perpétua à revelia na Itália por quatro homicídios cometidos pelo PAC entre 1977 e 1979. Ele nega as acusações. Jamais cumpriu pena no país, deixando a Itália rumo à França e depois ao Brasil. Desde março de 2007, Battisti está preso preventivamente na Penitenciária da Papuda, em Brasília.”

(Agência Brasil)

Deputada iraniana critica Dilma

112 1

“A presidente da comissão de direitos humanos do Parlamento iraniano, Zohre Elahian, repudiou as declarações críticas da presidente brasileira, Dilma Rousseff, sobre a situação dos direitos humanos no Irã. Segundo a agência estatal de notícias iraniana Irna, Elahian enviou neste domingo uma carta a Dilma dizendo que aqueles que Dilma defende são na realidade “pessoas acusadas de crimes contra a segurança do Estado”.

“Os que Dilma Rousseff classifica de prisioneiros políticos e de consciência são aqueles que têm registrado em seus antecedentes crimes de segurança contra o povo iraniano”, afirma a deputada. A parlamentar ainda ressalta que os prisioneiros defendidos por Dilma tiveram a intenção de “acabar com o regime iraniano” durante os grandes protestos de junho de 2009 realizados contra a polêmica reeleição do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad.”

(Portal Terra)

O que tem a ver Lady GaGa com Caetano?

127 2

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=Z-ZUuHXgQ8k[/youtube]

O jornalista Giba Um diz em sua coluna o seguinte:

Segundo estimativas da Forbes, a cantora Lady Gaga deverá faturar em 2011 cerca de US$ 100 milhões, graças ao lançamento de seu novo disco Born This Way, mais o sucesso de sua turnê mundial e ao seu novo cachê por apresentação: US$ 800 mil. No ano passado, ainda segundo a Forbes, Lady Gaga embolsou US$ 64 milhões. Com as novas estimativas de faturamento, ela deverá se unir a nomes de peso como as bandas U2 (US$ 130 milhões em 2010) e AC/DC (US$ 114 milhões).

POIS É, por aqui, os gastos com o show de Caetano Veloso na festa de réveillon ficaram em R$ 714 mil, segundo divulgou a Secretaria do Turismo de Fortaleza no Diário Oficial do Município. Isso seria mais da metade do que Lady GaGa cobrará em matéria de cachê neste ano novo. Maldade: quem não tem Lady GaGa, curte Gagá?

Caso Battisti – Chanceler italiano diz que Lula terminou governo da pior maneira

101 1

“O ministro das Relações Exteriores da Itália, Franco Frattini, afirmou nesta segunda-feira que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva encerrou seu mandato “da pior maneira”. A afirmação foi dada durante entrevista ao programa televisivo local Mattino Cinque, em que o chanceler comentou a decisão tomada por Lula no dia 31 de dezembro de manter o ex-ativista italiano Cesare Battisti no Brasil.

“Não podemos permanecer assim, é uma questão de justiça que envolve vítimas inocentes e, em segundo lugar, é um dever moral (extraditar Battisti). É necessário proceder para evitar que o caso de Battisti seja um exemplo”, disse Frattini.

O ministro também comentou que “Battisti publicou um livro em Paris no qual reivindicou todos os homicídios que cometeu, explicou as razões dos crimes, falou do roubo que tinha feito e de como aproveitou o dinheiro”. “Nós queremos Battisti nas prisões italianas. Eu disse que, se necessário, iremos à Corte Internacional de Justiça de Haia”, completou o chanceler.

O caso

Em 31 de dezembro de 2010, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva acatou parecer da Advocacia-Geral da União (AGU) e negou a extradição de Battisti. Para Lula, o retorno do ex-ativista à Itália pode agravar a situação do italiano e gerar perseguição política.

Ex-integrante do grupo de esquerda Proletários Armados pelo Comunismo (PAC), Battisti foi condenado à revelia pela Justiça italiana por participação em quatro assassinatos na década de 70. Battisti nega todas as acusações e alega perseguição política. O italiano está preso no Brasil desde 2007.

Após a decisão de Lula, a defesa de Battisti pediu a imediata soltura de seu cliente. Ao mesmo tempo, o governo italiano contestou decisão do governo brasileiro e apelou para que a presidente Dilma Rousseff reveja a medida. O processo de Battisti foi desarquivado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), com base em dois documentos: o pedido de liberdade feito pela defesa e a contestação da decisão de Lula.

Com o fim do recesso do Judiciário brasileiro, o STF deve voltar a discutir o caso. A decisão deverá ficar a cargo do relator do processo, ministro Gilmar Mendes. O Supremo deve analisar os argumentos usados por Lula para manter Battisti no Brasil. Também será considerada a argumentação do próprio Ministério da Justiça de conceder refúgio político ao italiano. Essa decisão foi considerada ilegal pelo STF.”

(ANSA)

Brasileiros podem estar envolvidos em furto a banco argentino

“Autoridades brasileiras e argentinas confirmaram à BBC nesta quinta-feira (06) que estão investigando a participação de brasileiros no furto de 136 cofres de uma agência do Banco Província, no bairro de Belgrano, em Buenos Aires, ocorrido entre o fim de 2010 e a última segunda-feira.

“Só posso confirmar que a Polícia Federal brasileira percebeu que a ação dos criminosos aqui pode ter sido similar a que ocorreu no Brasil e acionou a Polícia Federal argentina”, disse o promotor do caso, Martín Niklison.

A adida da Polícia Federal na embaixada do Brasil, na capital argentina, a delegada Miranjela Leite, disse que o planejamento dos bandidos foi semelhante ao empregado no assalto do Banco Central, em Fortaleza, em 2005.

“O modus operandi foi similar ao usado em Fortaleza. E o interesse da Polícia Federal brasileira ocorre também porque alguns suspeitos daquele caso não foram presos e os que foram presos já foram liberados”, afirmou.

Segundo ela, até hoje grande parte do valor furtado, estimado em mais de R$ 160 milhões, não foi recuperado.

COOPERAÇÃO

A delegada confirmou que um agente da Polícia Federal brasileira chegará à Buenos Aires no inicio da próxima semana com provas, como digitais e exames de DNA, que envolveram os ladrões brasileiros no roubo em Fortaleza.

As polícias do Brasil e da Argentina vão comparar o material com o que reúnem os investigadores argentinos. “Será um intercâmbio de informações”, disse Leite.

Em Buenos Aires, como em Fortaleza, eles alugaram um ponto ao lado do banco, cavaram um túnel durante meses e retiravam a areia de forma simulada do local. Na capital argentina, o túnel de trinta metros foi cavado durante seis meses, período no qual alugaram uma loja ao lado do banco.

Encapuzados, os ladrões teriam passado várias horas dentro da área onde estão os cofres. O alarme teria sido acionado, mas ninguém desconfiou que fosse um roubo.

Câmeras de segurança de uma pizzaria próxima à agência registraram quando eles deixaram o local e caminhavam para um carro, já com rostos descobertos, carregando sacolas com o que furtaram dos cofres.

ACORDO NO MERCOSUL

As imagens fazem parte da investigação policial e judicial da Argentina. Estima-se que os ladrões possam ter levado mais de US$ 6 milhões, em dinheiro e jóias.

A delegada afirmou ainda que em alguns casos as quadrilhas da região têm agido conjuntamente e por isso os países do Mercosul assinaram, em 1999, um acordo na área de segurança que prevê a troca de informações.

A Polícia Federal argentina também pediu apoio à Interpol, com escritório na capital do país, para localizar os ladrões do Banco Província, ligado ao governo da província de Buenos Aires.

Além do Banco Central do Brasil, em Fortaleza, ladrões teriam usado o mesmo planejamento na tentativa de assalto ao Banrisul, em Porto Alegre, em 2006, onde cavaram, segundo autoridades policiais, um túnel de 80 metros, mas foram flagrados quando ainda faltavam 12 metros para chegarem aos cofres.

Fato similar teria ocorrido recentemente em Assunção, no Paraguai, cujas investigações também contaram com apoio da Polícia Federal brasileira.”

(BBC)

Dilma terá encontro com Cristina Kirchner dia 31 deste mês

“A presidente Dilma Rousseff desembarca no dia 31 de janeiro em Buenos Aires para a primeira viagem ao exterior desde que assumiu o governo, segundo a agência oficial de notícias da Argentina. Autoridades do país informaram que já há uma reunião agendada com a presidente Cristina Kirchner. Antes, no dia 10, o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota, conversa com Cristina Kirchner e o chanceler argentino, Héctor Timerman.

A agenda preliminar de Dilma indica que a presidenta também deverá ir ao Peru, em fevereiro, e ao Uruguai em março. A política regional na América do Sul e no Caribe será uma das prioridades da área externa do novo governo, de acordo com Patriota. Na Argentina, o chanceler do país afirmou que as negociações na área comercial devem predominar nas conversas entre Cristina Kirchner e Dilma. “(Os dois governos vão trabalhar para) superar os desequilíbrios comerciais”, disse Timerman, que faz uma viagem a vários países do Golfo Pérsico.

O embaixador da Argentina no Brasil, Juan Pablo Lohlé, disse que a tendência é que a conversa entre as duas presidentes resulte em definições que levem “à continuidade em certas coisas e a mudanças em outros”, mas não detalhou essas discussões. “Em Buenos Aires houve alguns que criticaram a presidente (brasileira) que, em seu discurso, não mencionou a Argentina. Mas eu acho que essa é a melhor resposta (a visita de Dilma a Buenos Aires). É a resposta mais concreta, que está mostrando que a Argentina está na agenda de prioridade de Dilma Rousseff, a conclusão estará na próxima viagem ao nosso país”, disse Lohlé.

Ainda este semestre, Dilma pretende ir aos Estados Unidos para a primeira reunião com o presidente americano Barack Obama. Também está prevista a ida à Bulgária, em uma visita que deve ser mais afetiva do que política, pois lá estão os parentes do pai da presidente, Petar Rousseff, que migrou para o Brasil.”

(Portal Terra)

Caso Battisti – Embaixador italiano é convocado para dar mais informações sobre decisão de Lula

“Responsável pela defesa da Itália no caso da extradição do ativista Cesare Battisti, o advogado Ricardo Freire Vasconcelos afirmou que o governo italiano convocou o embaixador Gherardo La Francesca para dar explicações sobre a decisão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de manter o militante de esquerda no Brasil. O objetivo é reunir informações para definir como será a atuação política do governo italiano no caso de agora em diante.

Segundo Freire, o embaixador deve viajar à Itália na segunda-feira (3), após participar da posse da presidente eleita, Dilma Rousseff. A princípio, a convocação tem o objetivo de esclarecer detalhes do processo e da decisão de Lula, não há informação se o governo italiano poderá retirar seus diplomatas do país. O G1 entrou em contato com o Itamaraty e não obteve resposta.

“É um ato comum que existe quando as relações de um país com o outro estão como estão, então o governo italiano quer ouvir pessoalmente o seu embaixador, o que está acontecenddo no Brasil. Não é uma resposta retaliativa”, disse o advogado.

O governo italiano também vai recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) da decisão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de não extraditar Cesare Battisti. Para os advogados do governo italiano, a soltura de Battisti ainda pode ser negada pelo Supremo Tribunal Federal, já que caberia à corte definir os efeitos da decisão do presidente Lula.

O primeiro ministro da Itália, Silvio Berlusconi, afirmou, em nota, que a decisão é contrária ao mais elementar senso de justiça”.

Ministro das Relações Exteriores

O chanceler Celso Amorim, ministro das Relações Exteriores, afirmou, também nesta sexta, que não acredita que as relações diplomáticas com a Itália possam ser prejudicadas. Para Amorim, o Brasil “tomou uma decisão soberana”, com base no Tratado de Extradição firmado entre Brasil e Itália.

“Não temos nenhuma razão para estarmos preocupados com a relação com a Itália. O Brasil tomou uma decisão soberana, dentro dos termos previstos no Tratado”, disse Amorim, em entrevista coletiva no Palácio do Planalto, após ler a nota da Presidência com a decisão de Lula.”

(iG)

Amorim: asilo a Battisti não prejudicará relação com a Itália

98 1

“O ministro de Relações Exteriores, Celso Amorim, afirmou há pouco que a decisão brasileira de não extraditar o ex-ativista italiano Cesare Battisti não prejudicará as relações diplomáticas com a Itália.

“Não acho que vai ser prejudicada [a relação com a Itália] porque o Brasil tomou uma decisão soberana”, disse Amorim, acrescentando que o parecer da AGU descreve amplamente as razões para não extraditar Battisti.

Em nota divulga à impresa, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva explicou que a decisão de não extraditar o ex-ativista italiano foi embasada segundo as cláusulas do Tratado de Extradição assinado entre o Brasil e a Itália, em particular a disposição expressa na Letra F do Item 1, do Artigo 3 do tratado.

Segundo essa cláusula, uma das condições para não autorizar a saída do país é a condição do extraditado. “Conforme depreende do próprio tratado, esse tipo de juízo não constitui afronta de um Estado ao outro, uma vez que a situações particulares ao indivíduo podem gerar riscos, a despeito do caráter democrático de ambos Estados”, diz nota.

O documento informa ainda que o governo brasileiro “manifesta sua profunda estranheza com os termos da nota da Presidência do Conselho dos Ministros da Itália, de 30 de dezembro 2010, em particular com a impertinente referência pessoal ao Presidente da República”.

(Agência Brasil)

Governo brasileiro decide conceder asilo a Cesare Battisti

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu conceder asilo ao ex-ativista italiano Cesare Battisti. Ele acatou assim uma recomendação da Advocacia-Geral da União (AGU). O tema divide opiniões entre especialistas no Brasil e na Itália. Mas Lula negou o temor por uma eventual ameaça nas relações bilaterais.

O assunto aguardava definição há sete meses, desde que o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou a extradição. No entanto, a decisão ainda será determinada pela Suprema Corte, depois do período de recesso no Judiciário.

O Supremo Tribunal Federal (STF) havia autorizado a extradição de Battisti, que responde a processos na Itália – envolvendo quatro homicídios atribuídos ao ex-ativista político.

(Com CBN)

Caso Battisti – Governo da Itália faz advertência ao Brasil

“O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, disse na quinta-feira que seria inaceitável se o ex-ativista italiano Cesare Battisti não for extraditado pelo Brasil. A imprensa brasileira informou na quarta-feira que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva havia decidido não extraditar Battisti, condenado à revelia por assassinatos em seu país. O governo ainda não se pronunciou sobre o caso.

O gabinete de Berlusconi destacou em nota que a possível preocupação com a deterioração do bem-estar de Battisti se ele fosse extraditado para a Itália deve ter influenciado a decisão de Lula, que ele pretende declarar como “incompreensível e inaceitável”.

“O presidente Lula terá de explicar a decisão, não apenas ao governo italiano, mas a todos os italianos e em particular às famílias das vítimas”, acrescentou.

O Supremo Tribunal Federal (STF) determinou no ano passado que Battisti deveria ser extraditado após ser condenado em seu país por assassinatos cometidos na Itália na década de 1970, quando grupos radicais de extrema esquerda promoveram uma campanha de violência.

Mas a decisão final cabe a Lula, que concedeu a Battisti o status de refugiado em 2009 e encerra seu segundo mandato na Presidência em 1o de janeiro. No começo da semana Lula disse que tomaria uma decisão até sexta-feira. Seus assessores afirmaram na quarta-feira que não havia ainda nenhuma decisão formal.

Mais cedo na quinta-feira, o ministro italiano da Defesa, Ignazio La Russa, declarou que as relações do país com o Brasil ficariam seriamente abaladas se Battisti não for extraditado.

“Ninguém deveria imaginar que um ‘não’ à extradição de Cesare Battisti não teria conseqüências”, disse La Russa ao diário Corriere della Sera, em entrevista publicada na quinta-feira.

“Eu consideraria isso um grande dano às relações bilaterais.”

La Russa, integrante da ala direitista do governista partido Povo da Liberdade, é considerado um ministro próximo de Berlusconi, mas não está claro o quanto suas opiniões refletem a atual política governamental.

“Até onde eu sei, estou pronto para adotar outras iniciativas”, ele declarou. La Russa não deu nenhum exemplo concreto, mas disse que estaria preparado para dar apoio a boicotes não especificados contra o Brasil.

No entanto, ele afirmou que um acordo de cooperação militar com o Brasil, prestes a ser aprovado pelo Parlamento italiano em 11 de janeiro, estava muito avançado para ser afetado.

“É tarde para isso. O governo já fez o que tinha de fazer. O resto cabe ao Parlamento”, disse ele.

Battisti fugiu de uma prisão italiana em 1981 e viveu muitos anos na França, mas deixou o país quando o governo francês aprovou sua extradição, em 2006. Ele foi preso depois no Brasil.”

(Reuters)

Dilma terá encontro com primeiro-ministro da Bulgária

“A presidente eleita, Dilma Rousseff, irá se encontrar hoje com o primeiro-ministro da Bulgária, Boyco Borissov. Comunicado do Itamaraty informa que Dilma será acompanhada do ministro Celso Amorim e do futuro ocupante do cargo, Antonio de Aguiar Patriota. “A visita tem especial significado em virtude da ascendência búlgara da presidente eleita”, diz a mensagem. O pai de Dilma, Pedro Rousseff, era búlgaro nacionalizado brasileiro.

O Ministério das Relações Exteriores do Equador informou também que o chanceler Ricardo Patiño irá representar o presidente Rafael Correa na posse de Dilma. Também não estão presentes na posse o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que será representado pela secretaria de Estado, Hillary Clinton; e a presidente da Argentina, Cristina Kirchner.

Segundo o Itamaraty, quase 50 autoridades estrangeiras já garantiram presença na posse. Confirmaram presença, porém, os presidentes do Colômbia, Uruguai, Paraguai, Venezuela, Bolívia, Costa Rica, El Salvador e Guatemala. O príncipe das Astúrias, Felipe de Borbón, e o primeiro-ministro da Coreia do Sul, Chung Un-chan, também estarão na posse.”

(Folha.com)

Cristina Kirchner não virá para a posse de Dilma

“A presidente argentina, Cristina Fernández de Kirchner, não assistirá no sábado à posse da presidente eleita, Dilma Rousseff. Ela será representada pelo chanceler, Héctor Timerman. As fontes consultadas pela agência Efe evitaram falar sobre os motivos que levaram Cristina a descartar vir à posse de Dilma, mas ressaltaram que a Argentina estará presente através de seu chanceler, que viajará acompanhado pelo secretário de Política Latino-Americana, Diego Tettamanti.

O anúncio de Cristina causou surpresa na imprensa argentina pela relação de proximidade que ela sempre manteve com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Após a vitória de Dilma no segundo turno das eleições presidenciais em outubro, Cristina a felicitou.

Os chefes de Estado de Bolívia, Guatemala, Paraguai, Uruguai e Venezuela, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, e o Príncipe Felipe da Espanha foram alguns dos que confirmaram presença na posse de Dilma.”

(Folha.com)

Um Natal em ritmo de beatlemania

“A banda Rubber Soul, cover dos Beatles em Fortaleza, realizará sua tradicional festa de fim de ano neste sábado, no Kukukaya. Para os que chegarem antes, a partir das 18 horas será exibido num telão em alta definição uma série de clips em homengem aos “30 anos de Saudades de John Lennon” e um show da atual série “Up and Coming Tour”, de Paul McCartney.

Para celebrar a data, 25 de dezembro, dia de Natal, os integrantes da banda Rubber Soul sugerem que as pessoas que comparecerem ao Kukukaia vistam roupas brancas homenageando a cultura de paz tão estimulada por John Lennon. Para o show, a banda Rubber Soul tocará um repertório de toda a trajetória dos Beatles com o foco centrado no disco “Let it Be”, que completou 40 anos de lançamento em 8 de maio de 2010.”

(Assessoria de Imprensa da Banda)

Turismo – Brasileiros gastaram mais de R$ 1 bi em viagens internacionais

“Aumento da renda, ascensão social e dólar favorável levaram a conta de viagens internacionais a mais um recorde. No mês passado, brasileiros pagaram US$ 1,51 bilhão em passeios e compras no exterior, novo recorde para os meses de novembro. Em 2011, a tendência deve ganhar ainda mais força e o déficit de viagens deve atingir o patamar de US$ 12 bilhões, o maior desde o início da série histórica em 1947.

Brasileiros nunca gastaram tanto no exterior. No mês passado, a conta somou valor 54% maior se comparado a igual mês de 2009, quando o Brasil já havia saído da crise e apresentava recuperação da economia em velocidade acima do observado na média mundial. “A renda do brasileiro continua crescendo, há novos viajantes internacionais graças à ascensão social e o dólar favorece ainda mais esse quadro”, explica o chefe do Departamento Econômico do Banco Central (BC), Altamir Lopes.

Enquanto as despesas cresceram 54%, as receitas obtidas com viajantes estrangeiros no Brasil aumentaram apenas 20%, para US$ 560 milhões. Ou seja, o ritmo de crescimento da despesa de brasileiros é muito maior que da receita obtida com estrangeiros. Assim, o saldo negativo da conta de viagens cresceu 86% na comparação anual e somou US$ 955 milhões no mês passado, também recorde para novembro.

Para 2011, a trajetória vai continuar e a expectativa é que o déficit de viagens internacionais seja 14,3% maior que o observado em 2010 – ano em que o BC prevê saldo negativo de US$ 10,5 bilhões.”

(Agência Estado)

Hillary Clinton vem para a posse de Dilma

“A secretária americana de Estado, Hillary Clinton, assistirá à posse da presidente Dilma Rousseff, no dia 1º de janeiro, segundo confirmação do departamento de Estado. “Brasil é um parceiro essencial no continente e no mundo”, disse o porta-voz do departamento de Estado, Philip Crowley, ao confirmar a viagem.

“Os Estados Unidos estão comprometidos em aprofundar sua relação em uma ampla gama de temas bilaterais, regionais e globais com o governo do Brasil e com seus cidadãos”, disse Crowley.

Em Brasília, Clinton “terá a oportunidade de interagir” com muitos funcionários, destacou Crowley, esclarecendo que até o momento não foi agendada qualquer reunião bilateral.”

(Portal Terra)

Justiça inglesa mandar libertar criador do WikiLeaks

“O juiz Duncan Ouseley, da Alta Corte britânica, rejeitou o recurso apresentado pela Promotoria da Coroa do Reino Unido e confirmou a concessão de liberdade condicional a Julian Assange, criador do WikiLeaks. O anúncio do magistrado de segunda instância confirma a decisão do juiz Howard Riddle na última terça-feira (14), que concedia liberdade condicional ao australiano mediante o pagamento de uma fiança de 200 mil libras (cerca de R$ 535 mil).

Mais cedo, ao chegar ao tribunal, Mark Stephens, o advogado de Assange, afirmou que “parece que o dinheiro já está no sistema bancário”. A Justiça aguarda agora a confirmação do recebimento da fiança, mais duas garantias de 20 mil libras, para poder libertar Julian Assange. Além do pagamento, Assange terá que cumprir uma série de regras, entre elas a entrega de seu passaporte australiano, que ficará em poder das autoridades britânicas.

O criador do site que há duas semanas divulga mais de 250 mil telegramas diplomáticos dos EUA ficou detido por nove dias na prisão londrina de Wandsworth. Seus advogados reclamaram das condições às quais o ativista estava submetido, em uma cela isolada e sem poder receber correspondências.

A decisão desta quinta-feira concede liberdade provisória a Assange enquanto aguarda um veredicto da Justiça britânica sobre sua potencial extradição à Suécia, país em que enfrenta acusações de assédio sexual e estupro. Ainda nesta quinta-feira o jornal “New York Times” indicou que o governo americano busca provas para acusar Assange de conspiração.

Altos funcionários do Departamento de Justiça estão tentando determinar se Assange encorajou ou ajudou o soldado Bradley Manning a extrair do sistema de computadores do governo material militar classificado e arquivos do Departamento de Estado, disse o jornal.”

(Folha.com)

Oposição denuncia Chávez à OEA

89 7

Um grupo de parlamentares eleitos de oposição na Venezuela denunciou nesta quarta-feira, 15, à Organização dos Estados Americanos (OEA) a lei que dá poderes especiais ao Executivo proposta pelo presidente Hugo Chávez à Assembleia Nacional. Os deputados classificaram a medida como uma violação grave ao Estado de direito no país e pediram um audiência com o secretário-geral do órgão, Jose Miguel Inzulza.

(Estadão.com)

Fundador do Facebook é o Homem do Ano

347 5

“A revista norte-americana ‘Time’ nomeou nesta quarta-feira (15) Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, como pessoa do ano 2010. Com 26 anos, Zuckerberg é a segunda pessoa mais jovem já escolhida pela ‘Time’. Em 1927, o aviador norte-americano Charles Lindbergh foi nomeado aos 25 anos. “Ser escolhido a pessoa do ano pela ‘Time’ é uma grande honra e um reconhecimento de que nossa pequena equipe está construindo algo que milhões de pessoas querem usar para fazer do mundo um lugar mais aberto e conectado. Estou feliz por fazer parte disso”, agradeceu Zuckerberg em sua página no Facebook. Entre os candidatos deste ano, Zuckerberg bateu personalidades notáveis, como o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, e o presidente do Afeganistão, Hamid Karzai.

Segundo o jornalista da Time Lev Grossman, que escreveu o perfil de Zuckerberg para a revista, “ele foi premiado por conectar mais de 500 milhões de pessoas e mapear as relações entre elas; por ter criado um novo sistema de compartilhamento de informações e por ter mudado a forma como vivemos hoje”.A Time informou que Assange foi o vencedor da eleição feita pela internet, seguido pelo primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, e pela cantora Lady Gaga. Porém, a revista afirma que ele não foi o vencedor em todos os aspectos, já que Lady Gaga recebeu 65,508 votos no Facebook e Assange, 46,787.

A Time define pessoa do ano como alguém que, para melhor ou pior, fez o máximo para influenciar os fatos do ano. O editor da Time, Richard Stengel, anunciou o vencedor durante o programa ‘Today’, da TV NBC. No ano passado, Ben Bernanke, presidente do Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano), foi escolhido a pessoa do ano. Em 2008 o nomeado foi o presidente dos EUA, Barack Obama. Na quarta-feira, a revista Forbes estimou a fortuna de Zuckerberg em US$ 6,9 bilhões. Em novembro, Zuckerberg apareceu no 40º lugar na lista das pessoas mais poderosas do mundo. Além disso, o filme “A Rede Social”, que narra a história de como Zuckerberg criou o Facebook, recebeu seis indicações ao Globo de Ouro, como de melhor filme dramático, diretor e ator.”

(Portal G1)

Estudo do Banco Mundial aponta educação como prioridade da década para o Brasil

“As quatro prioridades do Brasil para a próxima década devem ser a melhoria da qualificação dos professores, o fortalecimento da educação infantil, mais qualidade para o ensino médio e mais eficiência no gasto público em educação. É o que diz estudo lançado nesta segunda-feira (13) pelo Banco Mundial sobre os resultados alcançados pelo Brasil nos últimos anos em educação.

De acordo com o estudo, o gasto não está “produzindo os resultados esperados”. Os dados mais recentes, de 2009, mostram que o país investe hoje 5% do Produto Interno Bruto (PIB) na área, patamar que, segundo o relatório, já é superior ao verificado nos países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). O país também gasta mais do que o México, o Chile, a Índia e a Indonésia, que têm perfil demográfico semelhante ao brasileiro.

No entanto, investe em média seis vezes mais em um estudante do ensino superior que no aluno da educação básica. Na OCDE, a proporção é de dois para um. O estudo destaca ainda que as altas taxas de repetência permanecem, “apesar de pesquisas indicarem que a repetição é uma estratégia ineficaz para aumentar a aprendizagem”.

O alto grau de corrupção e má administração das verbas da educação também são apontados como razões para os baixos resultados alcançados em relação ao custo. O Banco Mundial aponta ainda “aumento no custo dos professores”, com políticas que reduziram o tamanho médio das turmas e “impuseram aumentos generalizados de salário para os professores”. Para a instituição, há pouca evidência de que o aumento salarial contribuiu para melhorar a qualidade da educação.

O estudo recomenda que o Brasil aproveite o período de transição demográfica que está vivendo para melhorar a qualidade do ensino, já que o fenômeno terá um “impacto notável” sobre a população em idade escolar na próxima década. “A redução projetada de 23% no número de estudantes de ensino fundamental corresponderá a quase 7 milhões de assentos vazios nas escolas do país (…). Essa transformação demográfica é uma bonificação para o sistema educacional e permitirá que os níveis atuais de gastos financiem uma grande melhoria na qualidade escolar”, diz o texto.

Para melhorar a qualificação dos professores, o Banco Mundial defende a adoção de estratégias para atrair os “indivíduos de mais alta capacidade para a sala de aula”, com apoio para formação continuada e recompensa pelo desempenho. Hoje, diz o estudo, a carreira docente se tornou “uma profissão de baixa categoria”, que atrai o “terço inferior dos estudantes do ensino médio”.

O Banco Mundial indica como exemplo de políticas eficientes programas de pagamento de bônus para os professores a partir dos resultados alcançados por suas turmas, como os já adotados em Minas Gerais, Pernambuco e São Paulo e no município do Rio de Janeiro.”

(Agência Brasil)