Blog do Eliomar

Categorias para Internacional

Senado deve analisar crise da Venezuela nesta terça-feira

A crise na Venezuela deve dominar a pauta do Senado nesta terça-feira (15). É que estão na pauta o plenário da Casa dois requerimentos envolvendo o país. Um deles, apresentado pelo senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), pede voto de censura ao presidente do país, Nicolas Maduro. No requerimento Ferraço destaca que Maduro tem adotado posturas arbitrárias e afrontado princípios democráticos e tratados internacionais dos quais inclusive o Brasil faz parte.

O outro requerimento é do senador Jorge Viana (PT-AC) que pede a criação de uma comissão externa para ir ao país vizinho numa “missão de bons ofícios”. A ideia, segundo Viana, é  buscar soluções. O Senado, numa missão de diplomacia parlamentar, se ofereceria no sentido de contribuir para estabelecer um diálogo com as forças políticas venezuelanas, sem distinções ideológicas.

Esse mesmo requerimento foi aprovado no último dia 3 pela Comissão de Relações Exteriores da Casa. “Acho que a situação tem se agravado muito, e talvez o país esteja próximo de uma guerra civil. Não há mais nenhum entendimento, diálogo ou tolerância entre as forças políticas — lamentou o senador, salientando que o aumento da violência e da tensão na Venezuela não interessa à América do Sul”,  destacou.  Jorge Viana disse ainda que o Brasil não pode assistir “de braços cruzados” ao agravamento da crise política e econômica no país vizinho, com o qual divide mais de 2 mil quilômetros de fronteira.

Para o senador Fernando Collor (PTC/AL), presidente da Comissão de Relações Exteriores, os senadores  vão ter que escolher no plenário qual dos requerimentos que vão votar. “Como poderemos ir à Venezuela numa missão de bons ofícios, caso também seja aprovado um voto de censura? Será uma discrepância de atitudes, uma contradição”, ponderou Collor.

Histórico

A crise política na Venezuela foi agravada em maio, quando Maduro, que perdeu as eleições legislativas, convocou uma nova constituinte. O processo eleitoral foi boicotado pela oposição, e protestos de rua já resultaram em mais de 100 mortes. Organizações internacionais de defesa dos direitos humanos têm denunciado a repressão no país. Há líderes oposicionistas presos, enquanto a procuradora-geral da Venezuela, Luisa Ortega Diaz, foi destituída pela Assembleia Constituinte, cujos integrantes são todos partidários de Maduro. O governo brasileiro, por sua vez, atuou no sentido de suspender o país do bloco do Mercosul, com base na cláusula democrática.

(Agência Brasil)

Dezessete países europeus são afetados por escândalo dos ovos contaminados

Um total de 17 países europeus foram afetados pelo escândalo dos ovos contaminados com o inseticida fipronil, afirmou a Comissão Europeia. Os ovos, produzidos na Bélgica e nos Países Baixos, foram distribuídos também na Alemanha, Suécia, França, Reino Unido, Áustria, Irlanda, Itália, Romênia, Luxemburgo, Polônia, Eslováquia, Eslovênia e Dinamarca.

A Comissão Europeia anunciou que fará uma reunião a nível de ministros no próximo dia 26 para “tirar as lições relevantes” do escândalo. O ministro da Alimentação da Alemanha, Christian Schmidt, pediu que a reunião seja antecipada para o começo deste mês. Além disso, a presidência do Conselho da União Europeia (UE) se dispôs a introduzir o tema do fipronil na ordem do dia no próximo conselho de ministros da UE, declarou Schmidt.

O fipronil é uma substância tóxica que se usa para combater piolhos, ácaros e carrapatos, entre outros parasitas, em cães e outros animais. O consumo excessivo do inseticida pode causar danos ao fígado, às glândulas tireoides e aos rins.

Segundo o Ministério de Agricultura da França, os baixos níveis de fipronil nos ovos contaminados, tendo em conta os hábitos alimentícios franceses, fazem com que o risco para a saúde humana seja muito baixo.

A agência de segurança alimentícia francesa, Anses, disse que um adulto de 70 quilos teria que consumir pelo menos dez ovos para resultar gravemente intoxicado e que mesmo nesse caso os efeitos seriam “geralmente benignos”.

Atualmente se dá como certo que foi um fabricante belga que adicionou fipronil a um produto de limpeza comum e mais tarde o vendeu a empresas holandesas e alemãs, de onde passou aos outros países.

Na semana passada, dois diretores da companhia ChickFriend foram presos preventivamente na Holanda. A polícia recolheu computadores e registros bancários de suas casas e escritórios. Os dois são acusados de posse de substâncias proibidas e de pôr em risco a saúde pública. A empresa está sob suspeita de haver tratado as aves de granja com um produto que continha fipronil. Cerca de 180 produtores de ovos são clientes da ChickFriend.

(Agência Brasil)

Bolsonaro já posa de pré-candidato a presidente durante entrevista à AFP

86 2

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC/RJ), que é identificado por muitos como um justiceiro que pretende acabar com a violência, a corrupção e a homossexualidade, definiu-se como o “patriota” de que o Brasil precisa, ao declarar à AFP que é pré-candidato à Presidência em 2018. “O Brasil poderia ter um código penal que protegesse o cidadão de bem, fizesse valer (…) a legítima defesa e desse uma retaguarda jurídica para o policial poder desempenhar bem seu trabalho”, disse em coletiva de imprensa dada na quinta-feira no Rio de Janeiro.

Este ex-capitão do Exército de 62 anos aparece em segundo lugar em várias pesquisas de intenção de voto para as eleições de outubro de 2018, cujas candidaturas só poderão ser definidas entre julho e agosto do ano que vem.

Com um leque de propostas que inclui o direito ao porte de armas, ele abre caminho em meio a um eleitorado cansado de escândalos envolvendo políticos e da violência. Nas pesquisas, ele só é superado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010) e está praticamente empatado com a líder ambientalista Marina Silva (Rede).

“Vivemos no país da corrupção (…) Está em jogo o futuro do Brasil”, enfatizou.

Ao se projetar na Presidência, Bolsonaro se imagina “um presidente honesto, patriota, que pensa em verde e amarelo e que tem Jesus no coração”.

Embora na coletiva tenha evitado declarar oficialmente a intenção de lançar sua candidatura, à espera de um acordo com o Partido Patriotras, antes conhecido como Partido Ecológico Nacional (PEN), não deixou dúvidas em declarações posteriores à AFPTV.

“Sou pré-candidato às eleições presidenciais do ano que vem e estamos costurando aí a melhor maneira para enfrentar esse pleito”, afirmou.

Adepto de declarações provocadoras e grosseiras, costuma ser tachado de racista, homofóbico e misógino. Em 2016, votou pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff, dedicando seu voto ao coronel Brilhante Ulstra, que a torturou durante a ditadura militar (1964-1985).

Em uma escandalosa aparição pública, chegou a dizer, em 2014, à deputada Maria do Rosário (PT/RS) que “nunca a estupraria porque ela não merece” e a afirmar que preferiria que um filho seu morresse a ser gay.

“[Bolsonaro] está fora da elite política tradicional, (mas) domina a arte de fazer sua mensagem chegar às pessoas”, afirmou o cientista político David

Fleischer, da Universidade de Brasília. Seus comentários ofensivos alternam com o tom ameno e relaxado que demonstra no contato com seus eleitores.Sua popularidade se reflete nos 4,5 milhões de “likes” que seu perfil tem no Facebook, contra 2,3 milhões na conta de Lula.

Apesar da incredulidade que sua ascensão causa no próprio Congresso, Bolsonaro foi o legislador mais votado em seu estado em 2014. E, desde então, sua imagem só cresceu, a galope de uma sociedade exausta da corrupção e de crises econômicas.

Uma de suas principais armas de marketing político é se apresentar como uma das poucas figuras nacionais que não foi enlameada pela gigantesca trama de corrupção na Petrobras, revelada pela Operação Lava Jato. Uma lista que inclui o próprio Lula, o presidente Michel Temer e dezenas de legisladores com mandato vigente.

Até outubro de 2018, muita água vai correr debaixo da ponte de um Brasil atormentado, que sai a duras penas da pior recessão de sua história.Lula e Bolsonaro podem liderar as intenções de voto atualmente, mas também têm altos índices de rejeição, o que demonstra que há um espaço importante a ser conquistado por um candidato de centro.

(Com AFP)

Marrocos quer ser sede da Copa 2026

O Marrocos apresentou oficialmente nesta sexta-feira (11) sua candidatura para sediar a Copa do Mundo de 2026, anunciou a Federação Real Marroquina de Futebol (FRMF) em comunicado. A informação é da Agência EFE.

“A Federação apresentou sua candidatura às comissões competentes da Federação Internacional de Futebol [Fifa]”, explicou a Federação marroquina no texto.

Hoje é o último dia para que as federações de Futebol apresentem suas candidaturas para organizar a Copa do Mundo de 2026. Até agora, os únicos que se candidataram foram as federações dos Estados Unidos, do México e Canadá, que oficializaram uma candidatura conjunta.

O Marrocos já tinha apresentado anteriormente quatro tentativas fracassadas (1994, 1998, 2006, 2010). A sede da Copa do Mundo de 2026 será decidida durante o 68° Congresso da Fifa, que será realizado na Rússia em 13 de junho de 2018.

Se até lá não houver uma candidatura que cumpra os requisitos, o processo será aberto também à Ásia e à Europa e a decisão final sobre a sede será tomada no Congresso de 2020.

(Agência Brasil/Foto – Divugação)

Fabrício Werdum anuncia em Fortaleza volta ao octógono ainda neste ano

O lutador gaúcho Fabrício Werdum, ex-campeão peso-pesado do UFC, está em Fortaleza. Veio para um encontro com fãs, a partir das 20 horas desta sexta-feira, na Barbearia Salvatori, mas aproveitou para anunciar que, dia 12 próximo, retorna à Capital cearense para ministrar um seminário no Shopping RioMar Papicu.

Werdum, em rápida entrevista ainda no Aeroporto Internacional Pinto Martins, avisou estar voltando das férias e já começando a treinar, pois deve voltar ao octógono no fim deste ano.  Não informou sobre adversário, mas disse estar feliz e disposto a encararr qualquer desafiante.

Lutador de artes marciais mistas (MMA), Werdum também já foi duas vezes campeão mundial de jiu-jitsu, duas vezes campeão do campeonato Abu Dhabi Combat Club World Peso Pesado e campeão europeu de jiu-jitsu.

 

Imigrantes são obrigados a pular no mar do litoral do Iêmen. Cinco morrem

Em barcaças inseguras, eles lutam para sobrevier em outros países.

Pelo menos cinco pessoas morreram e 50 seguem desaparecidas depois que aproximadamente 180 imigrantes foram obrigados a se jogar no mar nesta quinta-feira (10) diante do litoral do Iêmen, no segundo fato deste tipo que ocorre no país em 24 horas, informou a Organização Internacional para as Migrações (OIM) em um Twitter. A informação é da Agência EFE.

Os sobreviventes são cerca de 100 pessoas, entre eles 25 que recebem tratamento médico, segundo disse à Agência EFE a diretora do escritório da IOM na cidade de Áden, Lina Koussa.

O incidente aconteceu na província de Shabwa, situada no golfo de Áden, uma zona próxima ao local onde ontem foram jogados ao mar outros 120 imigrantes somalís e etíopes.

Na quarta-feira, pelo menos 29 dos imigrantes se afogaram, outros 22 seguem desaparecidos e, segundo cálculos da OIM, 69 chegaram ao país árabe, que está em guerra desde o final de 2014.

Confirmada apresentação do Ballet Kiev em Sobral

A Secretaria da Cultura, Juventude, Esporte e Lazer de Sobral e o Instituto Escola de Cultura, Comunicação, Ofícios e Artes (Ecoa) confirmam a apresentação do Ballet Kiev – que comemora seus 150 anos de fundação numa turnê brasileira, com o espetáculo, nesse município da Zona Norte, “Tributo a Tchaikovsky”.

Duas obras mais populares e emblemáticas poderão ser conferidas: “O Lago dos Cisnes” e “A Bela Adormecida”. O Ballet Kiev estará em Sobral, em única apresentação, no dia 27 de agosto, às 18 horas, no Arco de Nossa Senhora de Fátima.

SERVIÇO

*Para ter acesso gratuito a uma das cadeiras que estarão disponíveis, basta preencher sua ficha de inscrição no site da Prefeitura de Sobral: www.sobral.ce.gov.br. As inscrições se iniciam à zero desta terça-feira e vão até o encerramento das vagas.

FBI já está sob nova direção

Após aprovação hoje (3) pelo Senado, Christopher Wray tomou posse como novo diretor do FBI (Bureau Federal de Investigação – a polícia federal norte-americana). Ele teve 92 votos favoráveis e cinco contrários e foi indicado pelo presidente Donald Trump, depois da demissão do ex-diretor James Comey, em maio.

Wray tem 50 anos de idade e já foi o responsável pela divisão criminal do Departamento de Justiça entre 2003 e 2005,  na administração de George W. Bush.

Em julho, Wray passou pela sabatina no Senado e prometeu defender a independência do FBI. Além disso, disse que irá denunciar qualquer tentativa de ingerência em futuras investigações. Ele afirmou que liderar o FBI é “uma honra única na vida”.

Wray terá como desafio continuar as investigações sobre a suposta interferência da Rússia nas eleições presidenciais do ano passado, que, segundo dados do FBI, teriam prejudicado a ex-candidata Hillary Clinton e favorecido Trump.

Hillary Clinton

A demissão de James Comey, um capítulo polêmico do governo Trump, teria sido motivada, segundo o ex-diretor, pela tentativa de Trump de obstruir as investigações. Ao demitir Comey, Trump afirmou que a demissão foi motivada porque o ex-diretor não teria investigado de forma correta e imparcial o uso de e-mails da ex-secretária de Estado Hillary Clinton.

Mas, no dia seguinte à demissão, Comey divulgou gravações e disse que Trump havia mentido sobre o motivo de seu afastamento. Ele disse que o presidente havia pedido que ele interrompesse as investigações sobre a interferência russa nas eleições presidenciais de 2016.

Trump negou, mas a imprensa americana continua divulgando informações vazadas sobre a suposta interferência. O novo diretor foi empossado pelo procurador-geral, Jeff Sessions.
Ele afirmou que Wray tem experiência e o  caráter que o cargo exige. “Tenho certeza que o FBI, a primeira agência de investigação do mundo, está em boas mãos com o diretor Chris Way no comando”, afirmou Sessions.

(Agência Brasil)

Papa pede aos jovens brasileiros para que combatam a corrupção

O Papa Francisco pediu para os jovens do Brasil combaterem a corrupção e não terem “medo” de lutar. O líder católico fez o apelo em uma mensagem divulgada ontem, 31, e enviada aos participantes de um evento organizado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil para celebrar os 300 anos da aparição da Virgem Maria no rio Paraíba do Sul, em São Paulo. “Vocês são a esperança do Brasil e do mundo, não tenham medo de combater a corrupção”, disse Jorge Mario Bergoglio.

O Papa também agradeceu os jovens pelo seus testemunhos de fé e pelo zelo com que enfrentam as dificuldades diárias. “Caros amigos, em meio às incertezas e inseguranças de cada dia, em meio à precariedade que as situações de injustiça criam ao redor de vocês, tenham uma certeza: Maria é um sinal de esperança que lhes animará com um grande impulso missionário”, afirmou Bergoglio.

“Ela conhece os desafios em que vocês vivem. Com sua atenção e acompanhamento maternos, lhes fará perceber que não estão sozinhos”, ressaltou. Na carta, o Papa também citou o tema da 32ª Jornada Mundial da Juventude, que ocorrerá em janeiro de 2019, no Panamá, e recordou os apelos que fez na Assembleia do Conselho Episcopal Latinoamericano (Celam) em 2017.

“Não tenham medo de se arriscar e de trabalhar para construir uma nova sociedade, permeando com a força do Evangelho os ambientes sociais, políticos, econômicos e universitários. Não tenham medo de combater a corrupção e não se deixem seduzir por ela!”, pediu Francisco. “Sob o manto de Maria, vocês poderão redescobrir a criatividade e a força para serem protagonistas de uma cultura de aliança e, consequentemente, criar novos paradigmas que guiarão a vida do Brasil”, destacou o Papa. A mensagem foi entregue aos jovens brasileiros que participam do prorgama “Rota 300”, encerrado em 29 de julho com uma festa no Santuário Nacional de Aparecida.

(ANSA)

Morre a atriz francesa Jeanne Moreau, a grande dama do cinema francês

A atriz e diretora Jeanne Moreau, considerada a grande dama do cinema francês, morreu nesta segunda-feira (31) aos 89 anos de idade, informou a imprensa francesa. A intérprete, que trabalhou com os maiores diretores da cinematografia francesa, como François Truffaut, Louis Malle e André Téchiné, foi encontrada morta em sua casa em Paris por sua empregada doméstica, segundo a revista Closer.

Moreau, “a melhor atriz do mundo”, segundo Orson Welles, é a primeira mulher acadêmica de Belas Artes na história da França, fez parte da “Nouvelle Vage” e foi musa de diretores como Luis Buñuel, com quem trabalhou em Diário de uma Criada de Quarto.

“Essa tristeza não acabará nunca, mas a alegria de lembrá-la sempre estará conosco”, escreveu no Twitter o Unifrance, organismo encarregado da promoção do cinema francês no exterior.

A protagonista de Uma Mulher para Dois (1962) e de A Noiva Estava de Preto (1967), de Truffaut, teve ampla trajetória. Entre os filmes que fez, destacam-se também A Noite (1962), de Michelangelo Antonioni, e Duas Almas em Suplício (1960), de Peter Brook, que lhe valeu o prêmio de melhor interpretação feminina em Cannes.

Nascida em 23 de janeiro de 1928, de pai francês e mãe britânica, estreou no teatro em 1947 com La terrasse de midi, apresentada no Festival de Avignon.

Atriz poliglota e internacional, que se destacou também como cantora, foi prêmio César de melhor atriz em 1992 por La vieille qui marchait dans a mer, de Laurent Heynemann, e presidente do júri de Cannes em 1975 e 1995.

Moreau presidiu também o júri da Seção Oficial do 54º Festival Internacional de Cinema de San Sebastián, em 2006, e deixa uma trajetória cinematográfica composta por mais de uma centena de filmes.

“Com ela desaparece uma artista que encarnou o cinema na sua complexidade, na sua memória, na sua defesa”, afirmou hoje a presidência francesa, que a lembrou como uma mulher rebelde contra “a ordem estabelecida e a rotina”.

A também cenógrafa, diretora de filmes como No Coração, a Chama (1976), foi casada com Jean-Louis Richard, pai do seu filho Jérôme, e posteriormente com William Friedkin.

Venezuelanos votam em clima de tensão para a Assembleia Constituinte

Num clima de crescente tensão, os 19,5 milhões de eleitores venezuelanos foram convocados às urnas, neste domingo (30), para votar em uma polêmica Assembleia Nacional Constituinte, que tem sido motivo de violentos confrontos, entre as forças de segurança e a oposição, e tem atraído a atenção do mundo.

A votação começa às 6 horas (7 horas no horário de Brasília) e terminará às 18 horas (19 horas no horario de Brasília), mas, se houver fila de eleitores, os centros de votação vão esperar que todos terminem de votar antes de encerrar o processo. Foram habilitados 14,5 mil centros em todo o país, com mais de 24 mil mesas de votação.

A comunidade internacional tem manifestado a sua preocupação com o risco de uma guerra civil, em uma nação que é dona de uma das maiores reservas de petróleo do planeta. Países vizinhos, como Brasil e Colômbia, têm acolhido milhares de refugiados da crise econômica, social e política que assola a Venezuela. Os três Poderes venezuelanos estão em conflito, o que dificulta a adoção de medidas para combater a inflação anual de mais de 700%, a recessão, o desabastecimento e a violência.

A Assembleia Nacional Constituinte foi a resposta do presidente Nicolas Maduro à recente onda de protestos que começou em abril. Em quatro meses, 109 pessoas morreram – em média, uma por dia. Muito mais do que os 43 mortos das violentas manifestações de 2014.

(Agência Brasil)

Camilo vai conferir em Angola o lançamento de cabo submarino de telecomunicações

Dentro de 10 dias o governador Camilo Santana (PT) tomará o rumo de Angola (África) para conferir o lançamento do cabo do sistema South Atlantic Cable Sistem. O projeto da multinacional de telecomunicações Angola Cables deve conectar o Brasil à Europa, África e América do Norte através de Fortaleza.

A expectativa é que a capital cearense se torne um dos principais polos tecnológicos e de telecomunicações da América Latina.

Recentemente, Camilo participou do lançamento da pedra fundamental do Datacenter de Fortaleza, que deve operar a partir do primeiro trimestre de 2018. O investimento total da empresa nesse projeto é de cerca de R$ 1 bilhão.

A cerimônia de lançamento será em Luanda, capital de Angola, no próximo dia 9.

 

Henry Campos: “Internacionalização da UFC é imperativo institucional”

“A internacionalização da Universidade Federal do Ceará é um imperativo institucional e não apenas uma possibilidade desejável”, afirmou o reitor Henry Campos em sua palestra na abertura do Seminário Internacionalização Acadêmica da Faculdade de Medicina, realizado, nessa terça-feira (25) no auditório Paulo Marcelo Marcelo, na Famed. A informação é da assessoria de imprensa da UFC.

Admitiu Henry Campos que até pouco tempo a universidade não tinha uma política definida de internacionalização, o que se fazia necessário para dar feição de contemporaneidade à Instituição, ao lado de políticas de inovação e governança. Disse que foi criada então a Pró-Reitoria de Relações Internacionais (Prointer), com a missão de levar adiante o projeto de internacionalização no mundo acadêmico, na pesquisa, no ensino e institucional.

O professor Armênio Santos Aguiar, do Departamento de Farmacologia da Famed e organizador do seminário, abriu os trabalhos lembrando os primeiros passos dados em direção à internacionalização das atividades de pesquisa, que hoje já integram redes internacionais em sua área de estudo. Em seguida, anunciou a palestra de Henry, que disse de sua satisfação ao encontrar um auditório cheio de pesquisadores e estudantes.

Prointer

Apresentando a Prointer, o reitor observou que a unidade tem estrutura simples formada pelo pró-reitor, José Soares Andrade Jr., e pelas Coordenadorias de Mobilidade Acadêmica, de Intercâmbio e Convênios e de Internacionalização Linguística cujos titulares são, respectivamente, os professores Konrad Christoph Utz, Cláudio Lucas Nunes de Oliveira e Massilia Maria Lira Dias.

Estimular o aprendizado de línguas estrangeiras, criar cursos ministrados em inglês, facilitar a aprendizagem sobre outros países e culturas, bem como olhar para nosso próprio País e própria cultura estão entre as propostas da Prointer, que incluem ainda a ampliação do quadro de visitantes estrangeiros. Atualmente a UFC tem 529 convênios assinados com 37 países.

Após a exposição de Henry Campos, seguiram-se comentários dos moderadores, professores Daniel Sifrim, pesquisador visitante na Faculdade de Medicina da UFC e docente na Queen Mary University of London; Ricardo Brant, da Universidade Federal de Ribeirão Preto; Tarcísio Pequeno, presidente da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap); e Antonio Gomes Filho, Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da UFC.

Dizendo ser ele mesmo um exemplo de internacionalização, uma vez que é argentino e trabalha em Londres e no Ceará, o professor Daniel Sifrim falou das pesquisas que realiza no Departamento de Farmacologia da UFC, destacando a importância da experiência de colaboração. Ele foi pesquisador do Centro de Pesquisa Gastroenterológica da Universidade de Leuven (Bélgica), onde desenvolveu pesquisa clínica e carreira acadêmica de 1994 a 2008. Também foi nomeado primeiro professor associado e depois professor titular de Medicina na Universidade de Leuven. Sua pesquisa centra-se na fisiologia e fisiopatologia da motilidade esofágica e da doença do refluxo gastroesofágico. Dedicou-se ao desenvolvimento de novas técnicas para medir a motilidade esofágica e o refluxo gastroesofágico.

“O pronunciamento do reitor Henry Campos é uma demonstração de vigor no quesito da internacionalização”, afirmou o professor Ricardo Brant de Oliveira, ressaltando alguns pontos que considerou importantes, como a necessidade de flexibilidade na compatibilização do currículo e o acolhimento que a Instituição dá a estudantes africanos.

O comentário do professor Antonio Gomes apontou para a produção da UFC, que tem o maior percentual de citações de artigos em publicações internacionais – o percentual da UFC é de 19% e o do Brasil é de 18% –, para mostrar que não é sempre o recurso financeiro que faz valer mais. Ressaltou que é preciso colaborar mais e competir por convênios diretos e não apenas os convênios chamados guarda-chuva e reconheceu que “temos uma barreira a vencer que é o conservadorismo acadêmico”.

Diversidade

Quando aberta a palavra para o público, as intervenções ganharam temas diversificados, como a dificuldade de médicos brasileiros de participar de atividades de intercâmbio em hospitais estrangeiros, como exemplificou o professor Glauco Lobo, referindo-se a problemas pelos quais estão passando, atualmente, para fazer estágio na Califórnia. Os obstáculos para o intercâmbio de insumos e materiais para pesquisa; a deficiência de animais para pesquisa; o engessamento de currículos, que criam obstáculos à participação de professores visitantes que poderiam contribuir com suas experiências dando aulas na graduação, foram outras questões abordados pelos participantes.

Chamou a atenção o depoimento do professor Fábio Miyjima, da Universidade de Liverpool (Inglaterra), hoje professor visitante na Faculdade de Medicina, afirmando que escolheu a UFC para trabalhar, depois de avaliar o desempenho de oito universidades, por considerar a que estava mais avançada na área em que atua (Farmacologia).

Agradecendo a participação de todos, a professora Valéria Goes, diretora da Faculdade de Medicina, encerrou o seminário ressaltando a importância do que foi discutido durante toda a tarde por acreditar que os temas servirão de motivo de reflexões.

(Foto – UFC)

Donald Trump proíbe transexuais nas Forças Armadas

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta quarta-feira (26) sua decisão de proibir que os transexuais sirvam nas forças armadas do país, após ter consultado “generais e especialistas militares.” A informação é da Agência EFE.

Trump fez o anúncio por meio de sua conta pessoal no Twitter e detalhou que seu governo “não aceitará nem permitirá” que pessoas transgênero “sirvam em nenhuma capacidade” nas forças armadas americanas.

“As nossas forças armadas devem se concentrar em vitórias decisivas e extraordinárias, e não podem se preocupar com os tremendos custos e interrupções médicas que seriam causadas por transgêneros entre os militares”, argumentou Trump em outro tweet.

Em junho de 2016, o então secretário de Defesa dos EUA, Ashton Carter, anunciou em uma coletiva de imprensa no Pentágono que, “com efeito imediato”, as forças armadas estavam abertas aos transsexuais.

Depois o governo de Barack Obama, cujo mandato terminou no último mês de janeiro, fixou o dia 1º de julho de 2017 como data para começar a recrutar transsexuais para as tropas.

No entanto, o Pentágono anunciou apenas algumas horas antes desse prazo, em 30 de junho, um adiamento de seis meses, até 1º janeiro de 2018, do recrutamento de transsexuais para ajudar nas forças armadas.

Durante este período seriam revisados os planos de adesão dos transsexuais e o possível “impacto” na preparação “e poder letal” das forças armadas, detalhou então o Pentágono.

Esse adiamento não afetava os transsexuais que já se encontram servindo as forças armadas e cujo futuro é incerto com a decisão anunciada hoje por Trump, que não detalhou em seus tweets quando e como se aplicará essa proibição.

Durante a campanha eleitoral de 2016, Trump se orgulhava de dizer ser um “amigo” da comunidade LGBT (lésbicas, gay, bissexuais e transgênero).

Além disso, em janeiro, apenas alguns dias após chegar à Casa Branca, Trump prometeu a continuidade de uma ordem executiva de Obama que proíbe as empresas que tenham contratos com o governo federal de discriminar seus funcionários LGBT.

(Agência Brasil)

FMI rebaixa crescimento econômico da América Latina e Caribe

O Fundo Monetário Internacional (FMI) rebaixou levemente o crescimento econômico da América Latina e Caribe para 2017 e 2018 e vinculou a recuperação da atividade econômica à saída de Brasil e Argentina da recessão. É o que indica a atualização que o FMI apresentou hoje (24), em Kuala Lumpur, do relatório Perspectivas da Economia Mundial, publicado em abril passado.

“A América Latina continua lutando contra um crescimento menor comparado com o resto e rebaixamos as perspectivas para a região durante os dois próximos anos”, disse o diretor de Pesquisa do FMI, Maurice Obstfeld, durante a apresentação na Malásia transmitida ao vivo pela internet.

O FMI calcula que América Latina e Caribe crescerão em conjunto 1% em 2017 e 1,9% em 2018, cálculo que é 0,1% inferior, em ambos os casos, ao previsto há três meses.

O FMI eleva para 0,3% o crescimento econômico do Brasil este ano e rebaixa para 1,3% em 2018, em ambos os casos em comparação com as previsões de abril.

(Agência Brasil)

Dois jordanianos são mortos a tiros na embaixada de Israel em Amã

Dois jordanianos foram mortos e um israelense foi ferido por tiros neste domingo (23) em um prédio residencial no complexo da embaixada de Israel em Amã, capital da Jordânia, de acordo com informações atualizadas do Diretório de Segurança Pública do país. Em comunicado, a agência de segurança disse que jordanianos tinham entrado no prédio para fazer serviços de carpintaria. O comunicado não explicou o que motivou os tiros.

Os dois jordanianos morreram mais tarde em decorrência dos ferimentos, de acordo com a agência de segurança e um site de notícias ligado aos militares da Jordânia. Um dos jordanianos era um médico que estava no local. O site disse ainda que o homem israelense estava em condição “instável”.

O Ministério de Relações Exteriores de Israel não comentou o incidente.

As tensões vêm aumentando entre Israel e o mundo muçulmano desde que Israel instalou detectores de metal em um santuário reverenciado por muçulmanos e judeus localizado na Cidade Velha de Jerusalém. O rei da Jordânia é considerado o guardião muçulmano do local. Na sexta-feira, milhares de jordanianos realizaram um protesto contra Israel em Amã.

(Associated Press)

UFC ocupa o 39º lugar no ranking das melhores universidades da América Latina

A Universidade Federal do Ceará está ocupando o 39º lugar no ranking das melhores universidades da América Latina, na edição 2017 de um dos mais importantes e prestigiados rankings internacionais de universidades, o britânico Times Higher Education (THE). Acesse: https://goo.gl/4SPvYq. O reitor da UFC, Henry Campos, é só comemoração.

Ao lado da UFC, a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), que aparece na 26ª posição, e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), na 55ª, são as únicas federais do Nordeste a figurar na relação, que menciona, no total, 81 instituições de ensino superior, consideradas as melhores dessa parte do continente.

Divulgadas na última quinta-feira (20), as informações da publicação britânica revelam que o Brasil, no topo da lista com a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), aparece com 18 universidades no ranking, maior número entre os países analisados. Essa é a segunda vez que o THE faz o levantamento apenas com instituições de ensino e pesquisa da região.

Critérios

O ranking considera os seguintes itens: ensino (ambiente de aprendizagem), pesquisa (volume de publicações, reputação dos periódicos nos quais a instituição publica etc.), citações, internacionalização e transferência de conhecimento. O resultado da UFC foi puxado, principalmente, pelos itens ensino, cuja nota foi 53,5, e citações, com pontuação 53,9.

SERVIÇO

*Todos os detalhes do desempenho da UFC podem ser vistos no site do THE (https://goo.gl/t8C6Hx).

Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social e Marketing Institucional da UFC – fone: 85 3366 7331

===