Blog do Eliomar

Categorias para Internacional

Praia do Preá recebe etapa do mundial de kite surf

A Praia do Preá, em Cruz (Litoral Oeste), vai ser sede de etapa do Circuito Mundial GKA Kite-Surf Tour 2018. O certame ocorrerá, como etapa brasileira na categoria Strapless, nos dias 20 e 24 deste mês de novembro. Por aqui, o certame ganha nome de Ceará Kite Pro, numa realização da Associação Brasileira de Kitesurg (ABK).

Os três atletas do ranking masculino brasileiro – Marcos Antônio, Rafael Costa e Matheus Silva e a atleta do ranking feminino Marcela Witt, receberam o wildcard (vaga para aqueles que não participam de todo o circuito mundial) para competir.

Marcos Antônio tem apenas 19 anos de idade, é pernambucano, pratica Kitesurf profissional e trabalha como instrutor do esporte. Rafael Costa é atleta profissional da Eleveigh Kites e também compete profissionalmente. Matheus Silva está no Top 3 do Ranking Brasileiro Strapless – Wave, foi Campeão Piauiense de Kite Wave Pro e também venceu o Campeonato Cearense Pro.

Em busca de prêmios que totalizam o valor de 25 mil euros e do título de campeão mundial, Marcos, Rafael, Matheus e Marcela se juntam a nomes reconhecidos como os melhores riders do mundo como Airton Cozzolino, Matchu Lopes, Mitu Monteiro, Camille Dellannoy, Sebastian Ribeiro e Pedro Matos.

O desempenho será acompanhado e avaliado pelos juízes da GKA. Tudeo com chancela e o reconhecimento da Federação Internacional de Vela (World Sailing) e da CBVela (Confederação Brasileira de Vela).

(Foto – Ilustrativa)

Salmito Filho participa de conferência em Bogotá

O presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito Filho (PDT), agora deputado estadual eleito, encontra-se em Bogotá, capital da Colômbia, a convite do Banco Latino-Americano de Desenvolvimento (CAF).

Ele participa de conferência internacional que trata sobre projetos inovadores nas gestões públicas das cidades da América Latina. Salmito gravou, inclusive, vídeo para suas redes sociais.

Bill Gates apresenta em Pequim vaso sanitário que funciona sem água

O fundador da Microsoft, Bill Gates, apresentou hoje (7), em Pequim (China), s a aposta para fazer frente à crise mundial de saneamento: um vaso sanitário que não necessita de água nem de ser conectado a nenhum sistema de depuração para funcionar e que transforma os resíduos humanos em adubos.

O multimilionário mostrou esse inovador modelo ao público em uma exposição realizada em Pequim. A mostra é para apresentar os últimos avanços tecnológicos de saneamento, para “reinventar os vasos sanitários” e acelerar sua adoção e comercialização. “Esta exposição apresenta, pela primeira vez, tecnologias e produtos de saneamento descentralizado radicalmente novos e prontos para serem comercializados”, destacou Gates em comunicado divulgado pela Fundação Bill e Melinda Gates.

Neste contexto, o fundador da Microsoft apresentou a proposta de vaso sanitário, cujo uso pode ser universalizado graças ao fato de que não precisa ser conectado a nenhum sistema de saneamento, não requer água e transforma os dejetos humanos em adubos.

Alguns destes vasos sanitários já estão sendo testados na cidade sul-africana de Durban, onde também estão sendo iniciados outros modelos alimentados por energia solar, explicou Gates em um vídeo na sua conta oficial no Twitter. A rápida expansão destes novos produtos e sistemas de saneamento que não necessitam se conectar a nenhuma rede poderiam reduzir drasticamente o número de mortes e o impacto da falta de higiene na saúde da população nos países mais pobres, acrescentou.

Gates também mostrou, durante a apresentação, um recipiente cheio de sedimentos para explicar que os resíduos humanos podem provocar doenças como diarreia e cólera, que já causam cerca de 500 mil mortes de crianças menores de cinco anos a cada ano no mundo todo. Além disso, lembrou que mais de US$ 200 bilhões são perdidos anualmente devido aos custos sanitários e à baixa produtividade provocada pela falta saneamento adequado

(Agência Brasil com EFE/Foto – Thomas Peter, da Reuters)

Estudo sobre homicídios na adolescência ganha prêmio internacional

1587 12

Renato Roseno (PSOL) foi relator do estudo.

“Trajetórias Interrompidas”, estudo elaborado pelo Comitê Cearense pela Prevenção de Homicídios na Adolescência (CCPHA), com apoio do Instituto OCA, foi considerado uma das três melhores pesquisas inscritas no concurso “Best of UNICEF Research 2018”. A publicação concorreu com outras 108 pesquisas internacionais e foi considerada pelo UNICEF como “altamente criativo e original”.
O resultado do concurso foi comunicado na última tarde (6) ao presidente da Assembléia Legislativa, Zezinho Albuquerque, que deve destacar a premiação logo na abertura da sessão desta quarta-feira.

Segundo o documento enviado à presidência da Assembleia, “os avaliadores ficaram particularmente impressionados com o potencial de impacto sócio-econômico e político e da força do relatório como ferramenta de defesa de direitos humanos”.

“Trajetórias interrompidas” analisa os homicídios na adolescência em Fortaleza e em seis municípios do Ceará (Caucaia, Eusébio, Horizonte, Maracanaú, Sobral e Juazeiro do Norte). Por meio de grupos focais e de entrevistas com os familiares dos adolescentes assassinados em 2015, o estudo reconstrói sua trajetória de vida, tirando-os da invisibilidade
dos números e siglas que os cercam.

Para o deputado estadual Renato Roseno, relator do CCPH, a premiação “reconhece a relevância do trabalho do Comitê e o acerto de dar prioridade ao paradigma da Prevenção da violência. Dividimos esse reconhecimento com a equipe técnica, ativistas, profissionais, coletivos, organizações e familiares dos jovens que contribuem diariamente para a promoção da vida. O desafio continua sendo a implementação das 12 recomendações indicadas pelo Comitê desde 2016. Reafirmo a urgência da execução dessas medidas num cenário cada vez mais grave”.

SERVIÇO

*Para conferir a publicação – www.cadavidaimporta.com.br

(Foto – (ALCE)

Nos EUA, Democratas conquistam a Câmara e Republicanos ampliam maioria no Senado

A maioria da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos foi conquistada pelo Partido Democrata. Isso, pela primeira vez em oito anos, de acordo com resultado das eleições legislativas. Na prática, uma derrota parcial para o presidente Donald Trump já que o seu partido, o Republicano, ampliou sua vantagem no Senado., informa o Portal G1

As “midterms” (eleições de meio de mandato) desta terça (6) definiram uma nova Câmara e renovaram um terço do Senado, além de mais de 75% dos governos estaduais. Até agora, os republicanos mantinham maioria nas duas casas, o que facilitava a aprovação da agenda presidencial.

Todas as 435 cadeiras da Câmara estavam em disputa, e um partido precisava de 218 eleitos para garantir a maioria. Para os democratas, isso significava ter que “roubar” 24 postos de seus adversários, o que eles conseguiram. No momento em que os democratas conseguiram 219, o Partido Republicano somava 193 deputados eleitos.

Com o domínio democrata na Câmara, os opositores de Trump também passarão a ocupar mais cargos nas comissões internas e prometem ampliar as investigações sobre seu governo.

Trump minimizou o revés. “Foi um tremendo sucesso esta noite. Obrigado a todos!”, avaliou no Twitter, antes mesmo da apuração oficial indicar que os Democratas comandariam a Câmara dos Representantes.

Senado

Das 33 cadeiras disputadas no Senado (outras duas eram alvo de uma eleição especial), os democratas precisavam manter as 22 que já mantinham, além das duas dos independentes que os acompanham nas votações, e ainda somar mais duas. Mas, pelo contrário, acabaram perdendo três, nos estados de Indiana, Dakota do Norte e Missouri.

Com isso, a maioria republicana, antes de 50 a 49, se tornou mais folgada, com pelo menos 51 a 45, ainda faltando cinco estados concluírem sua apuração.

Médico cearense integra a Sociedade Francesa de Nanomedicina

Fernando Guanabara, médico cearense apontado como referência em medicina preventiva, agora é membro da Sociedade Francesa de Nanomedicina. Ele tomou posse durante o último feriadão.

Além da posse, que se registrou em clima de EuroScience, evento realizado na Universidade Sorbonne, em Paris, Guanabara deu palestra nesse encontro sobre o tema “Jejum intermitente como moderador da epidemia global da obesidade e suas comorbidades”.

O evento foi ocasião para imersão e troca de conhecimento e contou também com a presença de palestrantes internacionais e referências brasileiras como os médicos Victor Sorrentino e Paulo Muzy.

(Foto – Divulgação)

Embaixador reitera a Jair Bolsonaro que quer extradição de Cesare Battisti

O presidente eleito Jair Bolsonaro conversou hoje (6), pela manhã, com o embaixador da Itália, Antonio Bernardini, sobre a situação do italiano Cesare Battisti, 63 anos. Condenado na Itália por terrorismo e quatro assassinatos, Battisti vive em São Paulo. Em dezembro de 2010, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou a extradição de Battisti, em decisão no último dia do mandato do petista.

Na campanha, Bolsonaro disse que pretendia extraditá-lo, como deseja o governo da Itália.

“O caso Batistti é muito claro. A Itália está pedindo a extradição. O caso está sendo discutido agora no Supremo Tribunal Federal. Esperamos que o Supremo tome uma decisão no tempo mais curto possível”, disse o embaixador.

Após a vitória de Bolsonaro, o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS) disse que o presidente eleito mantém a determinação em favor da extradição de Battisti. No fim de semana, o italiano disse que confia nas instituições brasileiras.

Conversa

No encontro com Bolsonarom, o embaixador entregou uma carta enviada pelo presidente da Itália, Sergio Mattarella. O diplomata lembrou que Bolsonaro é de origem italiana e que ambos tiveram uma conversa “muito simpática”.

“Nós temos uma presença no Brasil que é histórica. Claro que a perspectiva para o futuro é aumentar essa presença italiana no Brasil”, disse o embaixador.

(Agência Brasil)

UFC aparece com o número 814 no ranking das melhores universidades do mundo

894 14

 

Na mais recente lista divulgada pelo Center for World University Rankings (CWUR) com as mil melhores instituições de ensino superior do mundo, aparecem 20 universidades brasileira, todas elas públicas. Das 20, 19 melhoraram seus resultados, na comparação com a última edição.

Nesse ranking, a única universidade cearense que aparece é a UFC, ocupando a posição de número 814. O pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Antonio Gomes, e demais membros da Instituição comemoram o resultado. O fator qualidade de ensino e pesquisa têm grande peso para definição desse ranking.

Pesam ainda o número de publicações, corpo docente e empregabilidade de ex-alunos.

Para ranquear as universidades, confira os sete critérios:

1. qualidade de ensino (15% da nota): medida pelo número de ex-alunos que que ganharam prêmios internacionais, medalhas, proporcionalmente ao tamanho do corpo discente.
2. Empregabilidade dos ex-alunos (15%) medida pelo número de ex-alunos que chegaram ao posto de CEOs das maiores empresas do mundo, proporcionalmente ao tamanho do corpo discente.
3. Qualidade do corpo discente (15%): medida pela quantidade de professor que ganharam prêmios internacionais, medalhas, proporcionalmente ao tamanho do corpo docente.
4. Número de pesquisas divulgadas (15% da nota): relativo ao total de pesquisas divulgadas pela universidade.
5. Qualidade das publicações (15% da nota): medida em número de pesquisas publicadas na mídia especializada.
6. Influência (15% da nota): medida pelo número de pesquisas que aparecem em veículos de grande influência
7.Citações (10% da nota): medida pelo número de vezes que as pesquisas da universidade são citadas como embasamento de artigos e trabalhos.

A melhor pontuação entre as brasileiras é da USP, que é a 77ª melhor universidade do mundo, segundo CWUR. Na lista global, Harvard ficou em primeiro lugar, Stanford em segundo e o Massachusetts Institute of Technology (MIT) em terceiro, exatamente as mesmas posições do ano passado.

*Confira o ranking das universidades aqui.

(Foto – Evilázio Bezerra)

Prefeito Roberto Cláudio visitará a Tailândia para dar palestra e fechar convênio em evento da OMS

169 1

O prefeito de Fortaleza, Roberto Claudio (PDT), é um dos convidados da Conferência Mundial Sobre Prevenção e Segurança de 2018, que acontecerá de 5 a 7 de novembro, em Bangkok (Tailândia). Ele é convidado da Organização Mundial da Saúde (OMS) para ser palestrante na conferência denominada de “Segurança 2018”, organizada pelo Ministério de Saúde Pública da Tailândia e co-patrocinada pela OMS, Instituto Nacional de Medicina de Emergência (NIEM) e a Fundação de Promoção de Saúde da Tailândia.

Roberto Cláudio, nos três dias de visita, vai se reunir com mais de 1000 dos principais pesquisadores, profissionais, formuladores de políticas e ativistas do mundo para compartilhar informações e experiências e discutir soluções, informa a assessoria de imprensa do Paço Municipal.

Agenda

Em Bagkom, o prefeito Roberto Cláudio vai assinar termos de cooperação técnica com a própria OMS e outros organismos internacionais na área das políticas de saúde pública e prevenção à violência no trânsito, além de ações de captação de recursos para área da saúde pública.

Fortaleza é, hoje, uma referência na questão da segurança viária, sendo umas das dez cidades do mundo que têm parceria com a Fundação Bloomberg, destaca a Organização Mundial da Saúde.

(Foto – Divulgação)

Putin e porta-voz chinês parabenizam Bolsonaro

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Lu Kang, parabenizaram hoje (29) o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) por sua vitória. O russo enviou telegrama para Bolsonaro, enquanto o governo chinês se pronunciou por meio do representante da área internacional.

Em telegrama enviado a Bolsonaro, Putin diz que seu desejo é desenvolver ainda mais as relações russo-brasileiras, classificadas por ele como “construtivas”.

O presidente russo expressou “sua confiança no desenvolvimento de toda a gama de relações” entre os dois países, assim como na cooperação construtiva, no âmbito das Nações Unidas, do G20 [grupo das economias mais desenvolvidas], dos Brics [ Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul] de outras estruturas multilaterais em interesse dos povos da Rússia e do Brasil”.

Laços

O governo da China também se manifestou sobre a confiança em aprofundar suas relações bilaterais e multilaterais, especialmente no que se refere ao Brics.

“Esperamos que os dois países [China e Brasil] fortaleçam a cooperação dentro dos Brics e a cooperação multilateral, servindo ao interesse comum dos países em desenvolvimento e aos mercados emergentes”, ressaltou o porta-voz chinês.

Lu Kang lembrou a importante relação bilateral que une Brasil e China, já que o gigante asiático é o maior parceiro estratégico para o Brasil e sua maior fonte de investimento.

Ao ser perguntado pelos jornalistas sobre a aproximação em relação a Taiwan, mostrada por Bolsonaro durante a campanha, o porta-voz disse que as relações da China com qualquer país do mundo se baseiam no princípio de “uma única China”, que considera Taiwan como parte de seu território.

“A China está disposta a seguir o princípio do respeito mútuo e trabalhar com o Brasil para avançar em nossa associação estratégica”, acrescentou o porta-voz.

(Agência Brasil com EFE)

O POVO é finalista em prêmio internacional que reconhece o melhor design para jornal

90 1

O POVO está entre os cinco finalistas do Prêmio ÑH, que elege anualmente o melhor design para jornais na Espanha, Portugal e América Latina. O anúncio do vencedor deve ocorrer durante festa nesta quinta-feira em Buenos Aires, na Argentina.

O projeto do jornal cearense tem a responsabilidade do editor-executivo do Núcleo de Design do O POVO, Gil Dicelli.

Concorrem com O POVO os seguintes periódicos: Colombiano, da Colômbia; El Correo, Hiruka e Las Províncias, estes da Espanha; Jornal de Notícias, Jornal de Leiria y Região de Leiria, estes de Portugal; e La Voz del Interior (Argentina)

Etiópia terá uma mulher na presidência pela primeira vez

A diplomata de carreira Sahle-Work Zewde, 68 anos, será a primeira mulher presidente na história da Etiópia. Ela foi eleita em uma sessão conjunta das duas câmaras do Parlamento, após a renúncia de seu antecessor, Mulatu Teshome, no poder desde 2013.

A nomeação de Zewde ocorre no momento em que o primeiro-ministro etíope, Abiy Ahmed, aprovou uma histórica reforma em seu gabinete, estabelecendo que metade dos seus membros é formada por mulheres.

Na Etiópia, o presidente da República tem valor representativo, mas não poderes executivos, como no Brasil.

Sahle-Work Zewde ocupou até recentemente a função de representante especial na União Africana do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres.

O País

Até a década de 1980, a Etiópia era um dos países mais pobres do mundo, sofrendo com a fome e o intenso fluxo migratório. Lentamente, a economia etíope se recupera. A região é o berço histórico das civilizações, pois em pesquisas há referências bíblicas e do período pré-histórico no local.

Também foi a Etiópia um dos primeiros países que adotaram o cristianismo como religião, mas um terço da população é formada por muçulmanos.

(Agência Brasil com Agência EFE)

Senador chileno propõe “Lei Bolsonaro” para cassar político que divulga fake news

151 1

O senador chileno Alejandro Navarro, da região de BioBío, quer implementar a “Lei Bolsonaro” para combater as fake news em seu País. Segundo o parlamentar, a medida poderia até mesmo destituir os políticos e candidatos que propagarem notícias falsas em discursos ou redes sociais. A informação é da IstoÉ.

De acordo com a nota emitida por Navarro em seu site oficial, “a reforma é necessária para proteger a democracia”. Ele pretende propor a medida em breve ao congresso chileno e espera punições duras, como “a cassação do cardo ou da candidatura política quando for o responsável pela difusão de notícias falsas contendo algum adversário político durante a campanha”.

“A proposta acabará com a nova maneira de fazer polícia que a extrema-direita latino-americana adotou, usando Big Data”, diz Navarro em seu texto.

Ao ser questionado sobre o nome da lei, o senador chileno explicou e criticou Bolsonaro, inclusive citando polêmicas envolvendo o candidato do PSL.

“[O nome] é devido a questionável forma de fazer política que o candidato presidenciável do Brasil Jair Bolsonaro, que foi surpreendido por empresários amigos pagando a difusão de notícias falsas sobre seus adversários, como a distribuição do ‘kit gay’ para crianças nas escolas; a utilização de uma atriz [Beatriz Segall] morta para dizer que uma apoiadora de Bolsonaro foi agredida; que Haddad defendeu o incesto em um de seus livros e que apresentaria uma lei para legalizar a pedofilia”, disse Navarro.

Donald Trump, atual presidente dos Estados Unidos, também é citado na nota emitida pelo senador chileno.

Rumo aos EUA – A Marcha dos Excluídos

Com o título “Rumo aos EUA: Macha dos Excluídos”, eis o Editorial do O POVO desta quarta-feira:

O mundo acompanha, entre indiferente e compassivo – com uma inclinação cada vez maior à compaixão – a marcha de mais de 7 mil migrantes da América Central (a maior parte hondurenhos) em direção aos Estados Unidos, em busca de trabalho e sobrevivência. Os caminhantes já andaram cerca de 700 km desde que deixaram San Pedro Sula, em Honduras, no último dia 13.

Famintos e sedentos – homens, mulheres, crianças e até bebês – dependem da caridade das populações por onde passam para matar a sede e a fome. São famílias e indivíduos que fogem da desestruturação social, do desemprego, da fome e da violência física. Esta última provocada por facções criminosas que atuam no tráfico de drogas e são extremamente violentas e impiedosas. Na verdade, atuam como verdadeiro estado paralelo, ao lado das instituições oficiais, em vários países centro-americanos e também no México, onde se constituem um verdadeiro flagelo.

Essa região também é muita afetada por uma estrutura fundiária muito concentrada nas mãos de poucos – geralmente voltada para monoculturas e com grande presença do capital americano. Sem terras para cultivar e sem emprego por causa das limitações na absorção da mão de obra desse tipo de empreendimento exportador, os excluídos só têm uma perspectiva de escapar de seu beco sem saída: migrar para o “paraíso” americano, no entanto fechado às suas pretensões. Ainda mais na era Trump, que pretende mantê-lo inacessível por trás de muros e cercas vigiadas por um verdadeiro exército de fronteira.

Os americanos, na verdade, têm muita responsabilidade pela situação aflitiva em que se encontram essas populações, pois historicamente, têm sustentado a inamovibilidade das estruturas geradoras de desigualdades sociais, a partir de alianças com as classes tradicionais “terratenientes”. Nunca deixaram de se imiscuir na política interna, patrocinando ou fechando os olhos a golpes de estado, regimes de exceção e repressão aos movimentos de expressão nativa. O último desses episódios foi o golpe que depôs o presidente Manuel Zelaya, em Honduras, retomando uma prática que já estava ficando esquecida, depois da queda das ditaduras no Continente, nos anos 80 e 90.

O presidente Donald Trump tem reagido com irritação e ameaças ao avanço da coluna de migrantes. Promete retaliações tantos aos governos – acusados de inertes – como diretamente aos migrantes que faltam percorrer 1.800 Km para chegar ao muro que separa o México do El Dorado americano.

(Editorial do O POVO)

Partes do corpo de jornalista são encontradas, diz emissora britânica

Partes do corpo “esquartejado” do jornalista saudita Jamal Khashoggi, que foi assassinado no Consulado da Arábia Saudita em Istambul, no dia 2 deste mês, foram encontradas, informou nesta terça-feira (23) a emissora britânica de TV Sky News. O canal, que não revelou suas fontes, acrescentou que o rosto de Khashoggi foi “desfigurado” por seus executores.

Os restos mortais, segundo a Sky News, foram achados no jardim da residência do cônsul saudita, Mohammed al Otaibi, que retornou a Riad em 16 de outubro, um dia antes que os peritos turcos fizessem buscas e inspeções no recinto.

A notícia da suposta descoberta de partes do corpo de Khashoggi vem à tona pouco de o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, ter afirmado hoje que a morte do jornalista foi um “assassinato selvagem e planejado” e prometido que o caso será investigado a fundo. “O assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi foi premeditado”, declarou Erdogan em discurso no Parlamento em Ancara.

“Está claro que a operação não ocorreu por acaso, mas foi fruto de um planejamento. Temos fortes indícios neste sentido”, ressaltou o chefe de Estado.

Erdogan afirmou que a investigação das autoridades turcas continua e pediu que os 18 cidadãos detidos na Arábia Saudita por suspeita de envolvimento no assassinato sejam julgados na Turquia.

O presidente também descreveu detalhes das investigações turcas que, até agora, tinham sido revelados na imprensa como vazamentos anônimos, enfatizando que o crime foi uma ação premeditada.

Erdogan confirmou que Khashoggi não deixou o consulado e que as investigações da polícia se estendem a uma floresta no noroeste de Istambul e ao município de Yalova, em uma província vizinha.

(Agência Brasil)

Eleições do Brasil – Imprensa internacional observa com críticas o pleito

Candidatos à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).

A seis dias do segundo turno das eleições presidenciais no Brasil, a imprensa internacional analisa o cenário político nacional a partir de uma possível vitória do candidato Jair Bolsonaro (PSL) sobre Fernando Haddad (PT). Os principais jornais dos Estados Unidos, do Reino Unido, da Itália e da Argentina destacam de forma crítica a vitória de Bolsonaro.

Sob o título Triste escolha do Brasil, o The New York Times publicou editorial em que informa que Bolsonaro tem grandes chances de ser eleito no próximo domingo (28) e classificando o cenário como “uma perspectiva assustadora”.

O jornal norte-americano se refere ao candidato como alguém com “visões repulsivas” e cita episódios polêmicos, como a discussão com a deputado Maria do Rosário (PT-RS). Em 2003, os dois trocaram acusações no Salão Verde da Câmara dos Deputados quando a deputada chamou Bolsonaro de “estuprador” e ele respondeu dizendo que “ela não merecia ser estuprada.

Seguindo a mesma linha, o italiano Corriere della Sera cita Bolsonaro como “líder de extrema-direita” e “anti-ambientalista”, ao fazer referência a declarações do candidato envolvendo acordos internacionais sobre o clima e exploração da Amazônia. Com Bolsonaro eleito, o jornal é categórico sobre o futuro do Brasil. “O Brasil recuaria meio século, retornando aos anos ‘dourados’ da ditadura militar”.

O britânico Financial Times destaca a necessidade de mudanças políticas e econômicas no cenário brasileiro e traz Bolsonaro com grandes chances de ser eleito presidente “da oitava maior economia do mundo” no próximo domingo (28). O jornal se refere ao candidato do PSL como “Trump dos trópicos”, numa alusão ao presidente norte-americano Donald Trump, e cita Bolsonaro como “abertamente misógino, racista e autoritário”.

Em tom mais ameno, a edição de ontem (21) do jornal argentino Clarín estampa manifestações pró-Bolsonaro no Rio de Janeiro e destaca o candidato como favorito no segundo turno das eleições presidenciais brasileiras. O periódico traça uma rápida biografia de Bolsonaro, se referindo ao capitão da reserva como “nostálgico da ditadura militar que governou o Brasil entre 1964 e 1985” e congressista de carreira.

(Agência Brasil)

Jornal The New York Times faz editorial com críticas a Bolsonaro

236 3

O The New York Times, jornal americano e entre os principais veículos de comunicação do mundo, publicou editorial nesse
domingo (21) em que considera a possível eleição de Jair Bolsonaro (PSL) para presidente como uma “escolha triste do Brasil”. No texto, escrito pelo conselho editorial da publicação, o NYT afirma que “é um dia triste para a democracia quando a desordem e a decepção levam eleitores à distração e abrem a porta para populistas ofensivos, rudes e agressivos”. A informação é do Portal Uol.

Para o jornal, Bolsonaro é um político de direita que tem “pontos de vista repulsivos”. O NYT lista declarações do candidato dizendo que preferia que seu filho morresse a ser homossexual; que a deputada Maria do Rosário, sua colega na Câmara, não merecia ser
estuprada porque seria “muito feia”; que quilombolas pesavam “sete arrobas” e não faziam nada; e seus questionamentos sobre o aquecimento global. A publicação diz ainda que Bolsonaro tem nostalgia pelos “generais e torturadores” da ditadura militar brasileira (1964-1985), abertamente defendida pelo candidato.

O editorial também traça um panorama do atual momento político e social do Brasil, citando a recessão econômica, a Operação Lava Jato, a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o impeachment de Dilma Rousseff (PT), as denúncias contra o presidente Michel Temer (MDB) e os altos índices de crimes violentos. “Os brasileiros estão desesperados por mudança”, diz o texto.

“Com este pano de fundo, os pontos de vista nojentos de Bolsonaro são interpretados como sinceridade, sua obscura carreira como parlamentar como a promessa de um forasteiro” que vai limpar a corrupção e “sua promessa de um punho de ferro como a esperança de um alívio” dos altos índices de homicídios, afirma o NYT.

O jornal menciona que Bolsonaro já foi chamado de “Donald Trump brasileiro” por surfar uma “onda de descontentamento, frustração e desespero” rumo ao cargo mais alto do país.

Para o NYT, se Bolsonaro for eleito, o meio ambiente sairá perdendo, pois o candidato já propôs flexibilizar regras para o desmatamento da Amazônia, sugeriu tirar o Brasil do Acordo de Paris, acabar com o Ministério do Meio Ambiente e interromper a criação de terras indígenas. O editorial também aborda o julgamento do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) que tornou Lula inelegível e sua substituição por Fernando Haddad (PT).

Segundo o jornal, Haddad “falhou em superar a associação de seu partido com corrupção e má administração”, o que teria alimentado o antipetismo. Segundo o Datafolha da última quinta-feira (18), Bolsonaro teve 59% das intenções
de votos válidos, contra 41% para Haddad.