Blog do Eliomar

Categorias para Internacional

Cearense Nonato Lima é atração de festival de Choro na França

1482 1

O premiado acordeonista brasileiro Nonato Lima vai se apresentar na primeira edição do Lille Choro Festival (1º Festival de Choro de Lille), um evento cultural, artístico e científico organizado na França, em homenagem ao Choro – o gênero musical que, ao lado do Samba, tornou-se símbolo do Brasil no mundo.

Nonato Lima viaja para a Europa, no início de março, para participar da programação em que vai ministrar master class (aulas especiais) de acordeon e apresentar-se como atração.

O festival de choro é organizado pela Associação Açaí, em parceria com a Embaixada do Brasil, o Instituto Jacob do Bandolim, a Pousada da Juventude Stéphane Hessel de Lille, a CMCAS du Nord – Pas-de-Calais e o Bistrô de St So-Gare Saint Sauveur.

(Foto – Divulgação)

 

Contas externas abrem 2017 com saldo negativo de US$ 4,31 bi

O Brasil registrou déficit em transações correntes, que são compras e vendas de mercadorias e serviços e transferências de renda do país com o mundo, em janeiro. O resultado negativo ficou em US$ 4,310 bilhões. No mesmo mês de 2016, houve déficit de US$ 5,085 bilhões. Os dados são do Banco Central.

A maior parte do resultado negativo veio da conta renda primária (lucros e dividendos, pagamentos de juros e salários), com déficit de US$ 4,119 bilhões. A conta de serviços (viagens, transporte, aluguel de investimentos, entre outros) ficou negativa em US$ 2,763 bilhões.

O balanço das transações é formado também pela conta de renda secundária (renda gerada em uma economia e distribuída para outra, como doações e remessas de dólares, sem contrapartida de serviços ou bens) que ficou positiva em US$ 174 milhões, no mês.

A balança comercial (exportações e importações de mercadorias) contribuiu para reduzir o défcit em transações correntes, ao registrar superávit de US$ 2,398 bilhões, no primeiro mês do ano.

Quando o país registra saldo negativo em transações correntes, precisa cobrir o déficit com investimentos ou empréstimos no exterior. A melhor forma de financiamento do saldo negativo é o investimento direto no país (IDP), porque recursos são aplicados no setor produtivo do país. Em janeiro, esses investimentos chegaram a US$ 6,466 bilhões.

(Agência Brasil)

Gastos de brasileiros no Exterior chegaram a US$ 2 bi em janeiro

Os gastos de brasileiros em viagens ao exterior chegaram a US$ 2,002 bilhões em janeiro deste ano. Esse foi o maior resultado desde janeiro de 2015, quando ficou em US$ 2,239 bilhões. Os dados foram divulgados hoje (26) pelo Banco Central.

Em janeiro de 2016, esses gastos ficaram em US$ 1,579 bilhão. Em todo o ano passado, os brasileiros gastaram US$ 19,002 bilhões, no exterior.

As receitas de estrangeiros no Brasil ficaram em US$ 779 milhões no mês passado. Com esses resultados, houve déficit na conta de viagens, de US$ 1,223 bilhão, em janeiro.

(Agência Brasil)

Príncipe herdeiro do Japão anuncia vinda ao Brasil

O príncipe herdeiro do Japão, Naruhito, fará visita de três dias ao Brasil, no próximo mês, para participar do Fórum Mundial da Água, anunciou nesta sexta-feira (23) a Agência da Casa Imperial, coincidindo com o 58º aniversário do sucessor ao trono japonês.

Naruhito deixará Tóquio no dia 16 de março e chegará a Brasília dois dias depois. Ele vai participar das atividades programadas para o dia 19, na oitava edição do fórum, principal evento mundial de água e saneamento, onde serão abordados temas relacionados ao uso racional e sustentável desse recurso.

Um dia depois da participação no evento, o primogênito do imperador Akihito do Japão retornará para Tóquio, no dia 22, acrescentou a Casa Imperial.

O Fórum Mundial da Água começará no dia 18 de março e seguirá até o dia 23, com o tema “Compartilhando água”.

O anúncio da visita de Naruhito ao Brasil coincide com a celebração hoje do 58º aniversário do príncipe japonês, que sucederá seu pai, quando o imperador abdicar em abril de 2019.

Em entrevista coletiva divulgada pela Agência imperial, Naruhito propôs “buscar o auto-aperfeiçoamento” nos meses que antecederem a sua ascensão ao trono, previsto para 1º de maio do próximo ano, e expressou o desejo de desempenhar seus deveres de acordo com as mudanças sociais e as demandas do povo japonês.

O herdeiro japonês disse que considera essencial “apoiar as pessoas, escutar suas vozes e estar perto delas em seus pensamentos”, as mesmas palavras que seu pai usou em mensagem transmitida pela televisão, quando, em agosto de 2016, anunciou o desejo de abdicar do trono devido à idade avançada e à saúde frágil.

A abdicação do imperador Akihito, de 84 anos, será a primeira a ocorrer no Japão em mais de 200 anos, desde a do imperador Kokaku em 1817.

(Agência Brasil)

Suicida lança granada contra embaixada dos EUA em Montenegro

255 1

Uma pessoa não identificada se suicidou hoje (22), em frente à embaixada dos Estados Unidos em Montenegro, depois de lançar uma granada de mão no interior da sede diplomática. As informações são da agência de notícias EFE. Montenegro é uma pequena e montanhosa república situada nos Balcãs, no sudeste da Europa.

A legação diplomática americana foi a primeira a se referir ao incidente, emitindo um alerta de segurança onde pediu aos seus cidadãos para “evitar a embaixada até novo aviso” além de “multidões ou manifestações”.

Embora, no início, os Estados Unidos não deram mais detalhes sobre os motivos do alerta, mais tarde a porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert, confirmou uma “pequena explosão perto do recinto” diplomático. Heather não informou sobre danos pessoais ou materiais no ataque.

Por sua vez, o Governo de Montenegro confirmou que uma pessoa não identificada atacou a embaixada americana com um bomba, “provavelmente” uma granada de mão.

De acordo com esta versão, o atacante jogou a granada para dentro da embaixada e depois “se suicidou com um dispositivo explosivo”. Veículos de imprensa locais já tinham informado que as duas explosões ocorreram em uma diferença de poucos segundos.

Os promotores montenegrinos, em parceria com os funcionários americanos, estão trabalhando para identificar o autor do ataque e descobrir suas causas. A embaixada americana informou que hoje permanecerá fechada para os procedimentos de vistos e que só atenderá cidadãos americanos em casos de emergência.

(Agência Brasil)

Governo do Peru impugna decisão que mandava julgar Fujimori por massacre

O advogado do Estado peruano, César Romero, impugnou nessa terça-feira (20) a decisão judicial que manda julgar o ex-presidente Alberto Fujimori pelo massacre de seis camponeses, descartando o direito de indulto que lhe foi concedido pelo atual governante, Pedro Pablo Kuczynski.

O Ministério de Justiça informou em comunicado que Romero, advogado do Estado para o caso Pativilca, apresentou recurso de nulidade contra a decisão do Colegiado B, da Sala Penal Nacional, sob o argumento de que o direito de perdão e indulto outorgado a Fujimori em dezembro do ano passado também contempla esse caso.

Romero, nomeado recentemente pelo Executivo no lugar de Amado Enco, que era contrário ao benefício concedido a Fujimori, sustentou no recurso que existem vias internas no sistema judicial do Peru “suficientemente efetivas para discutir o direito de perdão presidencial por razões humanitárias”. A Constituição peruana estabelece que o direito de perdão outorgado pelo presidente se aplica desde que a etapa de instrução tenha excedido o dobro do prazo mais a sua ampliação.

Embora no caso Pativilca, cuja instrução começou em 2012, o prazo máximo seja de 24 meses, Fujimori só foi incluído como acusado em junho de 2017, quando a Corte Suprema de Justiça do Chile decidiu adicionar esse massacre à extradição que concedeu à Justiça peruana dez anos antes.

O ex-presidente é acusado de autor mediato (com domínio do fato) do sequestro, tortura e assassinato de seis homens, com idade entre 38 e 17 anos, no município de Pativilca, a 183 quilômetros ao norte de Lima, onde os corpos foram achados com sinais de violência e disparos na cabeça.

Crimes

Os crimes foram cometidos pelo grupo militar encoberto Colina, o mesmo que cometeu os massacres de Barrios Altos (1991) e La Cantuta (1992).Nesses massacres morreram 25 pessoas e por eles Fujimori foi condenado em 2009 a 25 anos de prisão, pena da qual foi exonerado com o indulto concedido por Kuczynski no fim do ano passado.

Fujimori, de 79 anos, reside atualmente em uma luxuosa casa de 1.900 metros quadrados, no distrito de Molina, na capital Lima, cujo aluguel é aproximadamente US$ 5.000 mensais. Ele foi libertado com o indulto concedido, na véspera do último Natal, por Kuczynski, que também lhe eximia de qualquer outro processo judicial.

Kuczynski baseou sua medida em razões humanitárias, uma vez que supostamente o ex-presidente sofre uma doença grave não terminal e degenerativa, que se agravava dentro da prisão, embora a resolução só citasse algumas doenças crônicas, como fibrilação auricular paroxística.

O indulto, no entanto, teve grande repercussão política por ter sido concedido três dias depois de Kuczynski se salvar de ser destituído pelo Congresso, graças à abstenção de dez congressistas fujimoristas liderados por Kenji Fujimori, filho mais novo do ex-presidente, que tinha lhe pedido para libertar o pai.

(Agência Brasil)

Maduro desafia Trump para um debate em Caracas ou Washington

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, desafiou, nessa segunda-feira (19), o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a estabelecer um diálogo em Caracas ou Washington e pediu que ele mude “sua agenda de pressão” contra a chamada revolução bolivariana. A informação é da Agência EFE.

“(Trump) fez campanha promovendo a não intromissão nos assuntos internos de outros países. Chegou o momento de cumprir isso e mudar a agenda de agressão por uma de diálogo. Diálogo em Caracas ou Washington? Diga hora e lugar e aí estarei”, escreveu o presidente venezuelano no Twitter, onde marcou o perfil de Trump.

Os Estados Unidos, que qualificam Maduro como “ditador”, aprovaram nos últimos meses sanções econômicas contra altos funcionários do chavismo e contra a companhia petrolífera estatal PDVSA.

A União Europeia aprovou, no último mês de janeiro, sanções contra sete funcionários do governo de Maduro, além do embargo de armas e veto a material que possa ser utilizado para a “repressão interna” na Venezuela.

O governo venezuelano denunciou que todas essas ações obedecem a um plano de pressão de Washington para remover Maduro do poder.

O presidente venezuelano planeja viajar em abril à Cúpula das Américas, onde se veria pela primeira vez frente a frente com Trump, mas o governo do Peru, anfitrião da reunião, disse que não permitirá a entrada de Maduro no país, por considerar que menosprezou a democracia em seu país.

(Agência Brasil/Foto – Marco Bello-Reuters)

Peru retira convite, mas Maduro diz que vai à Cúpula das Américas

O governo do Peru retirou o convite enviado ao presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, para que compareça à 8ª Cúpula das Américas, que será realizada em Lima, nos dias 13 e 14 de abril, segundo a carta que formalizou essa decisão, divulgada na quinta-feira pela imprensa local.

A carta foi assinada pela ministra das Relações Exteriores peruana, Cayetana Aljovín, e enviada na última terça-feira ao ministro do Poder Popular para Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, segundo a cópia do documento.

Cayetana informou a Arreaza que por ordem do presidente peruano Pedro Pablo Kuczynski, foi decidida a retirada do convite ao governo de Maduro “de acordo com as disposições da Declaração de Quebec adotada na III Cúpula das Américas em 2001”.

“Que a letra diz: qualquer alteração ou ruptura inconstitucional de ordem democrática em um Estado do Hemisfério constitui um obstáculo insuperável para a participação do Governo do dito Estado no processo da Cúpula das Américas”, argumenta a carta.

A ministra anunciou na última terça, durante uma reunião do Grupo de Lima, que a presença de Maduro na Cúpula “não será bem-vinda” pelo Peru, uma declaração que foi apoiada pelos países presentes na reunião.

O Grupo de Lima foi criado com a Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Honduras, México, Panamá, Paraguai e Peru, diante da impossibilidade de aprovar resoluções sobre a Venezuela na Organização dos Estados Americanos (OEA) pelo bloqueio dos países caribenhos.

Após essa decisão, Maduro disse que chegará a Lima mesmo que “chova, troveje ou relampeie”, motivando a resposta da primeira-ministra peruana, Mercedes Aráoz, onde ela afirmou que o presidente venezuelano “Não pode entrar nem no território nem no céu peruano. Ele não pode entrar (no Peru) porque não está sendo bem-vindo”.

Mercedes Aráoz afirmou que o governo peruano retirou em novembro o convite feito ao governante venezuelano para comparecer à reunião, por ter rompido o diálogo com a oposição e ter convocado de maneira antecipada eleições presidenciais no seu país, marcadas para o dia 22 de abril.

(Agência Brasil/Foto – Marco Bello, da Reuters)

Tiroteio na Flórida tem 17 mortes confirmadas

O governo da Flórida confirmou 17 mortes devido a um tiroteio em Stoneman Douglas High School, em Parkland – uma escola de ensino médio na Florida. A polícia divulgou a identidade do suspeito, o ex-aluno da escola Nikolaus Cruz, de 19 anos, que está sob custódia policial. Ele havia sido expulso da escola por razões não reveladas até o momento.

Além das vítimas confirmadas, as autoridades afirmaram que há outros jovens feridos em hospitais, alguns em estado grave. O FBI e a polícia estão investigando quais foram as motivações para o ataque.

Em uma entrevista coletiva transmitida pelas redes de TV americanas, a polícia da Flórida disse que o jovem tinha um rifle R-15.

No Twitter, o presidente Donald Trump enviou condolências às famílias que perderam entes queridos. “Minhas orações e condolências aos familiares das vítimas do terrível tiroteio na Flórida. Nenhuma criança e professor nunca deveriam se se sentir inseguros em escolas americanas”, escreveu em sua conta.

O tiroteio foi informado à polícia por volta de 15h no horário local (18h no horário brasileiro de verão).

A escola tem cerca de 3 mil alunos de várias nacionalidades. O consulado brasileiro em Miami informou que há alunos brasileiros na escola, mas nenhum entre os feridos e vítimas.

(Agência Brasil)

Banco Mundial libera US$ 510 milhões para o Kuwait

O Banco Mundial (BM) anunciou nesta quarta-feira (14) um acordo com o governo do Iraque para financiar dois projetos que somam US$ 510 milhões, no contexto da conferência de doadores realizada no Kuwait. O acordo foi assinado pelo presidente do BM, Jim Yong Kim, e o primeiro-ministro iraquiano, Haider al Abadi, e servirá para financiar projetos de melhoria das condições de vida, do fornecimento de água e de criação de empregos, segundo um comunicado do organismo multilateral.

O financiamento do Banco Mundial ao Iraque aumenta para US$ 4,7 bilhões, incluindo os novos projetos, um orçamento que supera amplamente os US$ 600 milhões que o organismo fornecia ao país há quatro anos, antes do início da guerra contra o grupo terrorista Estado Islâmico (EI).

O novo orçamento será usado para ajudar a apoiar a imediata recuperação dos serviços sanitários, para a reconstrução de estradas e pontes e a reabilitação de sistemas de fornecimento de água e eletricidade, entre outros projetos.

Na conferência de doadores, que termina hoje no Kuwait, por enquanto foram realizados poucos anúncios de contribuições para atender ao plano de investimentos anunciado pelo Iraque para os próximos cinco anos, que chega ao valor de US$ 88,2 bilhões.

O Kuwait, país anfitrião da conferência, ofereceu US$ 1 bilhão em investimentos e outro US$ 1 bilhão em financiamento.

A União Europeia se comprometeu a fornecer outros 400 milhões de euros (US$ 495 milhões) para ajudar o Iraque depois dos três anos de guerra contra o EI, segundo anunciou no Kuwait a alta representante para a Política Externa do bloco europeu, Federica Mogherini.

As Organizações não governamentais (ONGs) que participaram nestes dias em uma conferência paralela anunciaram compromissos totais de US$ 310 milhões em projetos humanitários no Iraque.

(Agência Brasil)

Maduro não será bem-vindo à Cúpula das Américas, avisa governo peruano

O governo peruano anunciou na noite dessa terça-feira (13) que o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, não será bem-vindo à próxima Cúpula das Américas, evento que acontecerá em Lima em 13 e 14 de abril.

O rechaço oficial foi primeiramente anunciado pela ministra peruana de Relações Exteriores, Cayetana Aljovín, logo após uma reunião em que os representantes dos países-membros do chamado Grupo de Lima discutiram a situação política na Venezuela e a decisão do Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela de antecipar as próximas eleições presidenciais para 22 de abril.

Na sequência, o presidente Pedro Pablo Kuczynski usou sua conta pessoal para reforçar a posição. “Considerando a atual situação na Venezuela, meu governo decidiu que a presença do presidente Maduro na 8ª Cúpula das Américas já não é bem-vinda”, escreveu Kuczynski, acrescentando contar com o respaldo do Grupo de Lima. A Declaração de Quebec, assinada em 2001 na Cúpula da Organização dos Estados Americanos (OEA), reafirma os esforços pela integração regional, também respalda a decisão, segundo o líder peruano.

“Este documento assinala que qualquer alteração ou ruptura inconstitucional da ordem democrática em um Estado [membro] é um obstáculo insuperável para que este participe de qualquer [fase] da Cúpula das Américas”, acrescentou Kuczynski.

(Agência Brasil)

Senado dos EUA aprova orçamento da Era Trump

O Senado dos Estados Unidos (EUA) aprovou, na madrugada desta sexta-feira (9), um projeto de orçamento para os próximos dois anos, faltando agora o sinal verde da Câmara Baixa, que permitiria a reabertura do governo, em fechamento parcial administrativo. O projeto recebeu o apoio de grande parte dos democratas e foi aprovado com 71 votos a favor e 28 contra, informou a agência EFE.

A paralisação do governo, chamada em inglês de shutdown, é a segunda este ano e provoca o fechamento de agências, parques nacionais e de programas mantidos com verbas federais. Tecnicamente, o governo fica sem dinheiro para cumprir seus compromissos. A administração de Donald Trump avisou, por volta de 23h dessa quinta-feira (8), que os órgãos federais deveriam se preparar para a paralisação.

Em janeiro, o governo federal ficou paralisado três dias. Dessa vez, a expectativa, no início da madrugada, era de que a paralisação pudesse ser encerrada no decorrer do dia, mas depois do término da votação no Senado, o projeto ainda precisa ir ao plenário da Casa de Representantes (a Câmara dos Deputados).

A última paralisação começou no dia 20 de janeiro, quando o Congresso não conseguiu aprovar – por falta de acordo – uma lei de gastos de curto prazo. A paralisação terminou três dias depois, com a aprovação de uma lei para o governo voltar às atividades na quinta-feira.

O projeto orçamentário teve aumento de gastos federais de mais de US$ 300 bilhões e isso se soma ao impasse sobre o futuro dos jovens beneficiários do Daca – o programa de ação deferida para imigrantes chegados na Infância. O programa perderá a validade no dia 23 de março se a Lei de Imigração, em análise no Congresso, não incluir uma proteção aos jovens beneficiários, cerca de 800 mil em todo o país.

Na manhã dessa quinta-feira, os líderes estavam otimistas e afirmaram ter chegado a um acordo para votar, mas ao longo da tarde e à noite, críticas ao aumento de gastos, até mesmo de dentro da base republicana, e a Lei da Imigração, mais o controvertido projeto de construção do muro na fronteira com o México e o destino dos jovens imigrantes arrastou a votação e adiou um acordo. O presidente Donald Trump é favorável à manutenção do Daca, mas quer garantidos os recursos para a construção do muro fronteiriço.

(Agência Brasil)

Presidente da França visitará os EUA em abril

O presidente da França, Emmanuel Macron, fará uma viagem oficial aos Estados Unidos no final de abril, em resposta ao convite do seu homólogo americano, Donald Trump, o que lhe transformará no primeiro dirigente europeu a fazer uma visita de Estado ao atual morador da Casa Branca. A informação é da Agência EFE.

A informação foi confirmada à emissora de televisão BFMTV pelo ministro de Relações Exteriores francês, Jean-Yves Le Drian, que não deu uma data exata para a viagem.

Trump convidou Macron a Washington no último mês de janeiro, após ter sido recebido pelo presidente francês em Paris em 14 de julho, Dia da Bastilha.

Após ter assistido ao tradicional desfile militar na Avenida Champs-Élysées, o presidente dos Estados Unidos expressou sua intenção de fazer algo similar em seu país, segundo confirmou na terça-feira passada a Casa Branca.

Macron e Trump mantêm desacordos sobre diversos temas, como a mudança climática, o acordo sobre armas nucleares com o Irã e a decisão de Washington de transferir sua embaixada em Israel para Jerusalém.

(Agência Brasil)

Comunidade Shalom abre quatro novas casas em continentes diferentes

Moisés Azevedo, um dos fundadores do Shalom.

A Comunidade Católica Shalom, uma associação internacional de fiéis de direito pontifício, vai contar com quatro novas missões em continentes diferentes no período de 2018/2019. A informação é da assessoria de imprensa do Shalom, que completou 35 anos de atividades religiosas.

A novidade é a chegada da primeira missão do Shalom na Oceania, mais precisamente na Austrália, junto à Diocese de Broken Bay, ao Norte da Grande Sidney. Também haverá casa na África, mais precisamente na Diocese de Lubango, ao Sul da Angola, continente que já conta com missões em Madagascar, Moçambique e Cabo Verde.

A Diocese do BrooKlyn, em Nova York, nos EUA, também terá presença missionária, bem como o extremo norte da Europa, na Escandinávia, em Estocolmo, capital da Suécia.

No Brasil – Em território brasileiro, as novas comunidades estarão atuando em Imperatriz (MA) e em Juiz de Fora (MG).

Filho mais velho de Fidel Castro se suicida em Cuba

O filho mais velho do ex-presidente de Cuba, Fidel Castro, Fidel Castro Diaz-Balart, de 68 anos, morreu nesta quinta-feira, em Havana, aparentemente por suicídio, segundo meios de comunicação locais e agências internacionais. Conhecido popularmente como “Fidelito”, o único filho nascido do casamento de Fidel Castro com Mirta Diaz-Balart estava em “depressão profunda” há vários meses. A informação é da agência EFE*.

Físico nuclear, o filho do ex-líder cubano, falecido em novembro de 2016, era assessor científico do Conselho de Estado de Cuba, órgão máximo de governo da ilha, e vice-presidente da Academia de Ciências do país. A informação oficial sobre a sua morte foi divulgada através de uma nota informativa no programa Mesa Redonda, da televisão estatal cubana, e posteriormente reproduzida por outros meios estatais como o site “Cubadebate”.

O primogênito do líder da revolução cubana “atentou contra sua vida na manhã deste dia 1º de fevereiro”, diz a nota oficial, acrescentando que Castro Díaz-Balart era “atendido por um grupo de médicos há vários meses por causa de um estado depressivo profundo”.

“Como parte de seu tratamento, ele inicialmente exigiu um regime de hospitalização e depois continuou com o acompanhamento ambulatório durante sua reincorporação social”, prossegue o comunicado, lembrando que “durante sua atividade profissional, inteiramente dedicada à ciência, obteve relevantes reconhecimentos nacionais e internacionais”.

Os funerais serão organizados “por decisão familiar”, diz a nota. As últimas vezes em que Fidelito foi visto em público foram no funeral de seu pai e na posse americano Peter Agre, prêmio Nobel de Química, como membro da Academia de Ciências de Cuba, em agosto do ano passado, em Havana.

Perfil

Nascido em 1949, em Havana, o primogênito de Fidel Castro foi, entre 1980 e 1992, encarregado da política nuclear de Cuba, além de ser o responsável pela construção inacabada da usina nuclear de Jaragua, em Cienfuegos, que seria a primeira instalação do tipo na ilha.

Após o divórcio dos seus pais em 1954, “Fidelito” viveu até os 10 anos com a sua mãe. Ele começou seus primeiros estudos em Cuba e depois se mudou para a extinta União Soviética, onde fez doutorado em Ciências Físicas Matemáticas pelo Instituto de Energia Atômica I.V. Kurchatov, em Moscou, e em 1974 se graduou com méritos em Física Nuclear pela Universidade Estatal Lomonosov de Moscou

(Agência Brasil)

Unicef alerta: Mais de 378 mil crianças correm risco de morte na Líbia

Mais de 378 mil crianças correm risco de morte e necessitam de ajuda humanitária urgente na Líbia, país afundado no caos e na guerra civil desde que em 2011 a comunidade internacional contribuíu para a queda de Muamar Al Khadafi, advertiu nesta terça-feira (30) o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). A informação é da Agência EFE.

Em um comunicado enviado à imprensa, o Unicef lembrou que são necessários mais de US$ 20 milhões em ajuda de emergência para que essas crianças não morram ao longo deste ano. “2018 é um ano crucial para a Líbia e especialmente para as crianças líbias”, advertiu a nota, assinada pelo representante especial do Unicef nesta nação norte-africana, Abdel Rahman al Ghandur.

“É por essa razão que o Unicef demanda US$ 20 milhões que servirão para melhorar a nossa resposta e oferecer ajuda de emergência que salve vidas, bem como para empreender projetos a mais longo prazo para as crianças líbias”, acrescentou.

Al Ghandur lembrou que “todas as crianças da Líbia merecem um futuro melhor, independentemente das circunstâncias, nacionalidade, sexo e raça”.

Além dos efeitos devastadores da guerra, o vazio estatal e a briga pelo poder entre o governo sustentado pela Organização das Naçoes Unidas  (ONU) em Trípoli e o dirigido pelo marechal Khalifa Hafter em Tobruk transformaram a Líbia em um paraíso para as máfias que traficam armas, combustível e pessoas.

Segundo dados da própria ONU, 54% das mais de 170 mil pessoas que foram forçadas a se deslocar de forma interna por causa da guerra na Líbia são crianças. Além disso, e como local de passagem final para os imigrantes que se aventuram no mar para chegar à Europa, crianças de outras nacionalidades sofrem abusos, violência e violações dos direitos humanos por parte dos grupos armados.

(Agência Brasil)

Facebook divulga princípios sobre privacidade

O Facebook divulgou, nessa noite de segunda-feira, pela primeira vez, seus princípios sobre a privacidade de dados dos usuários e anunciou uma campanha de esclarecimento sobre a política de privacidade da empresa. A iniciativa propõe explicar como a empresa utiliza os dados coletados de seus usuários e como estes internautas podem controlar as informações disponibilizadas em seus perfis.

O anúncio ocorre logo após o Dia Internacional da Privacidade de Dados, celebrado ontem (28) justamente para aumentar a consciência das pessoas sobre a importância da privacidade e proteção de dados pessoais em ambientes digitais. Instituída em 2006, a data é um chamado para pesquisadores, ativistas, empresas, autoridades e usuários refletirem sobre o tema.

Princípios

Entre os princípios de privacidade do Facebook estão o controle da divulgação de informações pelos usuários; medidas de explicação sobre o uso de dados por meio da Política de Dados e de mensagens informativas; e a preocupação com a proteção de dados no desenvolvimento de soluções tecnológicas.

A empresa também incluiu nas orientações ações de segurança da informação para evitar vazamentos e outros acessos indevidos aos dados mantidos pela plataforma; a escolha pelo usuário do público de suas mensagens, bem como a chance de exclusão dos conteúdos publicados; e a busca pela melhoria constante nos controles de privacidade.

“Reconhecemos que as pessoas usam o Facebook para se conectar, mas nem todos querem compartilhar tudo com todos – incluindo conosco. É importante que você tenha escolhas quando se trata de como seus dados são usados”, disse a diretora de privacidade da companhia, Erin Egan, em nota divulgada hoje.

Informações

Uma das ações anunciadas pela campanha é a simplificação do acesso às informações sobre privacidade dentro da plataforma. Atualmente, ela disponibiliza uma página denominada Noções Básicas de Privacidade e outra chamada Políticas de Dados. A primeira inclui informações sobre a privacidade nos diversos serviços e funcionalidades da rede social, incluindo a ferramenta de controle das configurações. Já a segunda traz explicações acerca de como os dados são coletados, tratados e usados pela empresa.

No comunicado divulgado hoje, Erin Egan informou que a companhia pretende centralizar e simplificar as informações e os sistemas de controle das configurações de privacidade. Mas não deu mais detalhes de quando nem como isso será feito.

Gerenciamento de privacidade

O Facebook apontou como um dos focos da campanha divulgar melhor as ferramentas de controle de privacidade. Elas permitem, por exemplo, definir o público destinatário de uma publicação, se amigos, amigos de amigos ou listas de contatos.

Na administração do perfil, há a funcionalidade de escolher quem pode acessar quais informações. O nome e a foto são sempre públicos. Mas informações como local de trabalho e idade podem ser expostas para determinadas pessoas e não para outras. O mesmo é válido para listas de amigos, comentários, marcações e mensagens na linha do tempo.

Avanço parcial

Na avaliação de Maria Cecília Oliveira Gomes, especialista em regulação de novas tecnologias e monitora do curso de proteção de dados da Universidade Mackenzie, de São Paulo, a divulgação dos princípios de privacidade é um movimento positivo do Facebook de ampliação da transparência sobre suas atividades. Para ela, parte da motivação da empresa está relacionada à adaptação aos princípios da nova legislação europeia, que entrará em vigor neste ano.

“A plataforma está tentando se tornar mais transparente e fazendo ações de educação, mas não acho que são ações suficientes. Não há transparência absoluta em relação ao que é feito com os dados dos usuários. O Facebook inclusive já enfrentou questionamentos sobre a falta de transparência em relação a isso e aos algoritmos que usa”, disse.

Um exemplo de medida de transparência, sugere a especialista, seria deixar mais claras as informações coletadas para a publicidade direcionada. “A própria pessoa que faz anúncio direcionado não tem conhecimento geral de quais dados são coletados. Isso seria algo interessante, até porque neste ano teremos eleições e este recurso será adotado”, complementa Maria Cecília.

Poder excessivo

Para Amanda Yumi Ambriola, especialista em tecnologia e integrante da associação Garoa Hacker Clube, a despeito dos princípios ainda há sérios riscos à privacidade dos usuários do Facebook.

A rede social concentra informações de mais de dois bilhões de usuários, segundo site oficial da empresa, e pode mudar sua política de privacidade. “As regras do jogo podem mudar com frequência e não são válidas para apenas publicações e contatos novos, mas sim, para todo seu histórico lá salvo”, alerta Amanda.

A pesquisadora acrescenta que, mesmo afirmando estar preocupado com a privacidade dos usuários, o Facebook ainda coleta uma grande quantidade de dados e os fornece para anunciantes sem que o usuário saiba como suas informações estão sendo geridas.

(Agência Brasil)

Imprensa mundial destaca chacina em Fortaleza

Massacre, fuzilamentos ou ainda tiroteio ressaltaram na imprensa mundial a chacina ocorrida nesse sábado (27), no bairro Cajazeiras, em Fortaleza, quando 14 pessoas morreram.

o site canadense Latest Ly classificou a chacina como um “horrível incidente” e disse que a maioria das vítimas nada teria a ver com o confronto de duas gangues. O site também ressaltou que o local da chacina fica próximo à Arena Castelão, usada “na Copa do Mundo FIFA 2014”.

O site libanês English Almanar usou matéria da agência AFP e destacou que o número de vítimas poderá aumentar, diante das “condições sérias” dos feridos.

O jornal norte-americano Washington Post traz neste domingo que “Homens armados no Brasil matam muitos na festa”. O jornal também reclamou da falta de informações à imprensa, por parte da Polícia.

O site francês Sputnik News colocou a chacina como um “tiroteio” “em um bairro pobre da cidade brasileira de Fortaleza”. Disse, ainda, que um policial contou 18 mortos, enquanto testemunhas apontaram 14.

O jornal argentino Clarín colocou que as autoridades informaram se tratar de um confronto, mas que “um grupo de homens armados entrou no local esta manhã e abriu fogo indiscriminadamente”.

Brasileiros gastaram US$ 19 bilhões em viagens ao Exterior; é o maior valor desde 2014

Os gastos de brasileiros no exterior em viagens chegaram a US$ 19 bilhões em 2017, informou hoje (26) o Banco Central (BC). A despesa é a maior desde 2014, quando foram gastos em viagens ao exterior US$ 25,6 bilhões.

As receitas, ou seja, gastos de estrangeiros em viagens ao Brasil foram US$ 5,8 bilhões, menor que os gastos dos brasileiros. Com isso, o saldo em viagens ficou negativo no ano passado, chegando a um déficit US$ 13,2 bilhões. Trata-se também do maior saldo negativo desde 2014, quando essa conta fechou com um déficit de US$ 18,7 bilhões.

Os dados das viagens internacionais fazem parte da conta de serviços (viagens internacionais, transportes, aluguel de equipamentos, seguros, entre outros) das transações correntes.

No ano passado, os serviços fecharam com um déficit de US$ 33,8 bilhões, o maior desde 2015, quando chegou a US$ 36,9 bilhões negativos.

(Agência Brasil)