Blog do Eliomar

Categorias para Internacional

Malta torna crime terapia que promete a cura gay

O pequeno país de Malta, no mar Mediterrâneo, acaba de dar um passo importante para proteger o direito dos homossexuais. O Parlamento maltês aprovou, por unanimidade, uma lei que torna crime oferecer terapia para deixar de ser gay.

Segundo o jornal britânico The Guardian, Malta é o primeiro Estado europeu a criminalizar as tentativas de mudar a orientação sexual de uma pessoa. Pela nova lei, profissionais da área médica que oferecerem qualquer espécie de tratamento nesse sentido poderão ser punidos com um ano de prisão e multa de até 10 mil euros (R$ 37 mil). A pena deve ser mais branda para quem não for da área médica.

(Site do Consultor Jurídico)

Angela Merkel é reeleita líder do partido e pede veto à burca

A chanceler alemã, Angela Merkel, foi reeleita pela nona vez a líder do Partido Cristão-Democrático (CDU) nesta terça-feira (6), com 89,5% dos votos. As informações são da agência de notícias Ansa. Apesar do alto consenso em torno do nome de Merkel, esse foi o segundo pior resultado obtido por ela dentro de sua própria sigla. Em 2012, ela obteve a mais alta aprovação, com 97,9%, e em 2004 teve a pior, com 88,4% dos votos.

Durante seu discurso antes da votação, a chanceler mostrou que está na disputa pelo quarto mandato seguido como premier e falou muito sobre a questão da imigração ao país.

Base da campanha dos seus adversários, a líder alemã aumentou o tom e disse que “nem todos” os deslocados que chegaram à Alemanha poderão morar no país e que jamais aceitará que a sharia, a chamada “lei islâmica”, seja implantada em seu território.

Sob muitos aplausos, Merkel destacou que o uso da burca – o traje islâmico que deixa apenas os olhos à mostra – “deve ser proibido” pelo governo e que não vai admitir a criação de “sociedades paralelas”.

“Valores como a dignidade humana, igualdade de direitos para homens e mulheres, liberdade religiosa e liberdade de opinião não estão apenas à disposição, mas são direitos constitucionais, e são a base da nossa convivência da Alemanha”, disse em discurso.

(Agência ANSA)

Reino Unido propõe prisão perpétua para motorista que mata no trânsito

Quem dirige propositalmente de maneira perigosa e mata alguém no trânsito poderá passar o resto da vida atrás das grades. É o que está propondo o governo do Reino Unido, que abriu consulta pública sobre o assunto antes de mandar um projeto de lei para o Parlamento. Motoristas bêbados e drogados que provocarem acidentes fatais também poderão ter o mesmo destino.

A justificativa do governo para a proposta é que a Justiça tem sido leniente com motoristas irresponsáveis. Atualmente, a pena máxima é de 14 anos. Subir para um máximo de prisão perpétua daria liberdade para os juízes dosarem o tempo de cadeia conforme as circunstâncias do crime.

A dúvida levantada pelo Ministério da Justiça é se a pena deve ser mais leve para quem dirige bêbado ou drogado do que para o motorista que, mesmo sóbrio, opta por dirigir de maneira arriscada. Nesses casos, a bebida ou a droga poderiam ser consideradas atenuantes. A consulta pública vai até fevereiro. Só depois um projeto de lei deve ser redigido e levado aos parlamentares.

(Consultor Jurídico)

Governador Camilo Santana agenda viagem ao Irã

camilororov

Em janeiro próximo, o governador Camilo Santana (PT) e o secretário de Assuntos Internacionais do Estado, Antonio Balhmann, tomarão a rota do Irã.

Segundo Balhmann, em busca de grupos interessados em investir em gás e petróleo no Complexo industrial e Portuário do Pecém, em São Gonçalo do Amarante (Região Metropolitana de Fortaleza).

A viagem faz parte da estratégia do Palácio da Abolição de buscar parceiros no Exterior, dentro de um cenário onde no Brasil ficou difícil a conquista de novos investidores em razão da crise.

Mês passado, o governador e os secretários Antonio Balhmann e André Facó, este último titular da pasta da Infraestrutura, giraram a Ásia em busca de investidores. Estiveram na China e Coreia do Sul.

Experiência chinesa de prevenção à Aids é bem-sucedida, segundo especialistas

O método da China para combater a Aids foi considerado bem-sucedido, informaram funcionários e especialistas do setor de saúde na semana passada. Segundo os dados oficiais, a China possuía cerca de 850 mil pessoas com Aids, aproximadamente 0,06% da população, até o final de 2015.

O trabalho de prevenção da doença na China tem alcançado resultados significativos. O país impediu basicamente os casos de transmissão pelo sangue por injeções, por meio de uso de drogas, e de mãe para filho, disse Wang Guoqiang, vice-diretor da Comissão Nacional da Saúde e do Planejamento Familiar da China.

Entre 2010 e 2015, o número de pessoas testadas pelo HIV na China aumentou de 60 milhões para 140 milhões. Wu Zunyou, chefe do Centro de prevenção e controle da Aids e HIV do Centro de Controle e Prevenção de Doenças da China (CCPD), disse que a expansão do número de testes havia descoberto mais pessoas infectadas.

Comparando com 2010, a taxa de mortalidade em 2015 caiu 57% e a taxa de detecção aumentou mais de 68%. “Os dados e êxitos da China provaram que suas ações são bem-sucedidas, se tornam uma referência para o Programa das Nações Unidas sobre HIV/Aids”, disse Wu.

Além disso, afirmou Wu, a China já tomou as medidas efetivas para controlar a transmissão do HIV entre usuários de drogas, e o programa da Organização das Nações Unidas sobre HIV e Aids tem popularizado a experiência da China em outras áreas do mundo.

“A China pode continuar a expandir sua experiência nos esforços de combate ao HIV e à AIDS para o resto do mundo, especialmente para os países africanos”, disse Lyu Fan, funcionário do CCPD.

(Agência ANSA)

Primeiro-ministro da Itália vai renunciar

O primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi, deve apresentar sua renúncia nesta segunda-feira (5), depois da derrota no referendo de ontem. O efeito do referendo constitucional na Itália, no qual os eleitores foram convocados para se pronunciar sobre mudanças no sistema político do país, também causou danos às bolsas de valores. A de Milão, na Itáilia, abriu em queda de 1,8% hoje.

Com a derrota do “sim” no referendo constitucional deste domingo (4), o primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi anunciou, em um pronunciamento do Palácio Chigi, sede do governo, que renunciará ao cargo.

Segundo o premier, ele irá já nesta segunda-feira (5) ao presidente da República, Sergio Mattarella, para entregar sua carta de demissão. Com isso, caberá ao chefe de Estado definir se convoca ou não novas eleições.

“Essa experiência de governo acaba aqui. Reunirei o Conselho dos Ministros e irei ao Quirinale para entregar ao presidente da República minha renúncia. Não fomos convincentes, me desculpem, mas vamos embora sem remorso”, disse.

(Agência ANSA)

Venezuela é suspensa do Mercosul

Os quatro países fundadores do Mercosul – Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai – enviaram uma “comunicação” à Venezuela nesta quinta-feira (1º), indicando que os direitos do país no bloco “estão suspensos”. A decisão do bloco ainda não foi oficialmente anunciada porque Caracas ainda não recebeu a notificação.

A decisão está relacionada ao vencimento do último prazo acordado em setembro para que Caracas cumprisse suas obrigações de adesão ao Mercosul. Os chanceleres do bloco elaboraram um comunicado no qual explicam que a Venezuela não cumpriu seus acordos.

A marginalização da Venezuela se desenhava desde que os demais sócios bloquearam, em julho passado, o acesso do país à presidência semestral do bloco. Em setembro, os quatro países fundadores decidiram ocupar o posto de forma colegiada e intimaram o governo do presidente Nicolás Maduro a adotar até 1º de dezembro todos os compromissos de adesão. Entre eles, a livre-circulação de mercadorias entre os países do Mercosul e a cláusula democrática.

Caracas quer permanecer

Na última terça-feira (29), a Venezuela se declarou disposta a aderir a um dos acordos comerciais pendentes – aquele relacionado às tarifas comuns e à livre-circulação de bens. “Finalizadas as revisões técnicas, a Venezuela se encontra em condições de aderir ao Acordo de Complementação Econômica”, afirmou a ministra das Relações Exteriores, Delcy Rodríguez, em uma carta dirigida aos governos da Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai.

Rodríguez ressaltou que, atendendo aos “princípios de gradualidade, flexibilidade e equilíbrio que regem seu processo de adequação ao Mercosul, [a Venezuela] está preparada para iniciar imediatamente o processo de adesão”. “Nem saímos, nem vão nos tirar do Mercosul. (…) Fazemos um apelo aos povos das capitais do Mercosul para defenderem a Venezuela, porque isso é defender os maiores ideais de integração, união e cooperação”, declarou na segunda-feira (28), dia em que insistiu na determinação de Caracas de permanecer no bloco.

(Agência Brasil)

Donald Trump reafirma: vai construir muro na fronteira com o México

foto-trump-eua

Em seu primeiro comício após ser eleito presidente dos Estados Unidos, o magnata Donald Trump voltou a afirmar que construirá um muro na fronteira com o México.

“Teremos um grande muro na fronteira”, disse em evento na noite desta quinta-feira (1º), em Ohio (Cincinatti). Ainda na questão dos imigrantes, o magnata voltou a dizer que irá impedir que pessoas de países com problemas com o terrorismo entrem nos Estados Unidos.

“Não sabemos quem são, de onde eles vêm, o que pensam. Nós os deixaremos fora do nosso país. A violenta atrocidade em Ohio demonstra a ameaça à segurança que foi criada por nossos muitos estúpidos programas sobre refugiados políticos”, disse Trump sobre o ataque provocado por um somali em uma universidade da cidade que deixou 11 feridos.

O presidente eleito, no entanto, voltou a pedir a união dos norte-americanos, lembrando que o período eleitoral já passou. “Somos um país dividido, mas não permaneceremos divididos por um longo tempo. Reunificarei o país porque, para vencer, precisamos de todos os norte-americanos, sem distinção de raça, idade, renda, geografia. Agora é tempo de unir-se”, afirmou ao discursar.

Trump ainda se defendeu das críticas de que está formando um governo de bilionários, nomeando apenas pessoas que possuem um alto poder aquisitivo. “Eles são ricos porque sabem fazer dinheiro”, disse.

(Agência Brasil)

Acordo de paz entre governo colombiano e as Farc entra em vigor

O acordo de paz, que acaba com meio século de enfrentamentos entre o governo colombiano e a maior guerrilha do país, começa a ser implementado nessa quinta-feira (1º).  Os rebeldes das Forças Armadas Revolucionarias da Colômbia (Farc) têm 150 dias para entregar todas as suas armas às Nações Unidas.

O presidente colombiano, Juan Manuel Santos, comemorou a ratificação do pacto, na quarta-feira (30) à noite, depois de dois dias de intensos debates. Segundo ele, 1º de dezembro é o Dia D – o início do fim de 52 anos de violência, que resultaram na morte de mais de 200 mil colombianos e no deslocamento de mais 6 milhões.

Santos ganhou o Prêmio Nobel da Paz por seus esforços para negociar o desarmamento do grupo guerrilheiro mais antigo da América Latina. Foi um processo que durou quatro anos e quase termina em fracasso.  O primeiro pacto, assinado por Santos e pelo líder das Farc, Rodrigo Londono (conhecido como Timochenko), foi rejeitado em um plebiscito em outubro. Novas negociações resultaram numa segunda versão, menos tolerante com os rebeldes – como pediam os que votaram contra na consulta popular.

O segundo acordo manteve a promessa feita aos guerrilheiros, de que poderiam formar um partido político, disputar eleições e ocupar cargos públicos. A oposição, liderada pelo ex-presidente e atual senador Álvaro Uribe, queria que o documento fosse submetido a um novo plebiscito. Mas Santos decidiu submetê-lo à aprovação do Congresso, onde o governo tem maioria.

Tanto Santos quanto Londono argumentaram que o acordo de paz foi o resultado de amplo debate e que era mais importante implementar a paz o quanto antes do que colocar em risco a trégua entre o governo e a guerrilha e recomeçar de zero.  A discussão mobilizou também os colombianos no exterior – como o barítono Alfredo Martinez, 30 anos, que canta em óperas em Buenos Aires.

Além do desarmamento das Farc, o acordo prevê a erradicação dos cultivos de drogas ilegais (que financiavam as atividades guerrilheiras, depois da queda do comunismo no Leste Europeu) e programas sociais para integrar mais de 6 mil mil rebeldes à sociedade civil. Opositores ao acordo argumentavam que a Colômbia iria gastar uma fortuna em um momento de desaquecimento da economia. O tema fará parte dos debates nas eleições do próximo ano.

(Agência Brasil)

PF faz operação nos bancos Itaú Unibanco e BankBoston

A Polícia Federal realiza, na manhã desta quinta-feira (1º), a oitava fase da operação Zelotes. Segundo fonte citada pela agência de notícias Reuters, os bancos Itaú Unibanco e BankBoston estão entre os alvos. Procurado pela Reuters e pelo UOL, o Itaú não respondeu até o momento.

De acordo com a PF, a nova etapa da operação aponta a existência, entre os anos de 2006 e 2015, de conluio entre um conselheiro do Carf e uma instituição financeira. O esquema criminoso envolvia escritórios de advocacia e empresas de consultoria. Processos administrativos fiscais teriam sido manipulados em ao menos três ocasiões.

Cerca de 100 policiais federais cumprem 34 mandados judiciais, sendo 21 de busca e apreensão e 13 de condução coercitiva (quando a pessoa é levada para depor) nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Pernambuco.
Os alvos são investigados por corrupção ativa, corrupção passiva, advocacia administrativa tributária e lavagem de dinheiro.

A Zelotes começou em março de 2015 com o objetivo de desarticular organizações criminosas que atuavam junto ao Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais), causando prejuízo aos cofres públicos com a manipulação de julgamentos no órgão que é responsável por julgar recursos contra decisões da Receita Federal.

Posteriormente, a operação também passou a investigar suposto pagamento de propina para a edição de medidas provisórias. A operação já levou o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, a virar réu em uma ação que tramita na Justiça Federal do Distrito Federal.

(Portal Uol e Reuters)

Cuba de pesar e serenidade

50 5

Com o título “Com Havana ao telefone”, eis artigo do escritor e publicitário Ricardo Alcântara. Ele aborda a morte de Fidel Castro , a partir de um telefonema travado com amigo cubano. Confira:

Diante dos acontecimentos, telefonei para um amigo cubano que vive em Havana. Como a maioria de seu povo, deseja reformas que ampliem maior acesso ao consumo, mas não confia na índole dos norte-americanos – os ‘imperialistas”, como lhes ensinaram desde cedo nos bancos escolares. Ele, um poeta, me disse que “há muita tristeza espalhada pelo ar de Havana”, apesar da morte de Fidel ter sido aguardada por toda uma década.

Sempre muito brilhante, observou com ironia que “morrer devagar foi a última grande contribuição do Comandante aos cubanos”: os preparou, fê-los crer que a revolução é maior que seu mentor. De modo que o dia seguinte foi, na sua própria definição, “de pesar, mas também de serenidade”

Não há, contudo, muito otimismo na ilha: o bolivarianismo venezuelano, maior aliado do país no momento, naufraga a olhos vistos no exato instante em que, ao Norte, a ascensão do conservador Trump deita sombra espessa sobre a proveitosa distensão iniciada com Obama. “Además”, alertava-me, as reformas iniciais, conduzidas “com excessiva prudência” por Raúl Castro, não se mostram suficientes para dinamizar a economia, nem sequer inspirar o ânimo popular, o que já seria valioso num ambiente acometido de estagnação e, em alguns aspectos, franca decadência. Na sua confiável percepção, “o regime ganha tempo, apenas. Não parece, ele mesmo, convencido do rumo que toma”.
“Nós sabemos”, disse mais, “que precisamos ligar as máquinas” – uma metáfora para o ambiente de riscos em uma sociedade de mercado – “mas fomos doutrinados por 50 anos a não confiar nos bons sentimentos de quem tem muito dinheiro”. Comentei que convinha mesmo não abrir muito a guarda. Disse a ele que, no Brasil, a burguesia não é uma casta reconhecida por tradições muito generosas. “Você sabe”, eu disse, “a colonização foi um estupro. E eles continuam apreciando muito essa modalidade”.

Meu amigo sabe que não há saída, senão deixar que os norte-americanos retornem à ilha para fazer fortuna porque teriam as melhores vantagens competitivas, financeiras e geopolíticas, diante do resto do mundo quando “o prato vier à mesa”. Ele concordou, não sem ressalvas: “Mas, desta vez, isto não pode mais se dar à custa da nossa saúde e ao preço da ignorância dos nossos netos”. Sim, é este mesmo o desafio, mas quais são as garantias? – perguntei. Meu camarada ‘habanero’ emudeceu.

Ao fim da ligação, mostrou-se surpreso que um profissional liberal brasileiro como eu possa pagar confortavelmente uma ligação internacional de quinze minutos: “Eu teria que trabalhar todas as noites do próximo ano para honrar esta dívida”, disse. E não exagerou. Ainda deu tempo de me convidar para escrevermos a quatro mãos um livro em forma de diálogos como aquele, comentando tudo isso – ele sob codinome, ‘por supuesto’, pois vive, sim, numa ditadura. Gostar da ideia, até gostei, mas lhe fiz uma ponderação: “Seria uma farsa. Iríamos tentar a todo tempo ficar escondendo um do outro a angústia que tudo isso nos provoca”.

Melhor não. “Somos poetas, esse sadismo sociológico só nos maltrata”. Conversemos, apenas. Ele concordou e agradeceu o carinho do meu telefonema que muito houvera lhe surpreendido, já que não nos falávamos desde aquela noite quente de Abril em que varamos a madrugada no Malecón trocando confidências e jurando o imperialismo de muerte. Eu já quase desligava o telefone, quando meu amigo cubano cedeu à infeliz pergunta: “Y Lula, como está?”. Que mais poderia eu dizer: “La mierda de siempre!”, e desliguei.

*Ricardo Alcântara.

Escritor e publicitário.

Fidel Castro – Deus livrará o ditador das penas infernais?

37 1

Com o título “A morte do grande ditador”, eis artigo do escritor e jornalista Barros Alves, que pode ser conferido no O POVO desta terça-feira. No texto, ele diz que “Fidel soube usar seu carisma pessoal para conquistar um séquito de ingênuos e mal informados, por um lado; de militantes de mau caráter, por outro. Intelectuais, inclusive.” Confira:

A morte não santifica os maus nem concede virtuosidade aos cafajestes. Por isso, em face do passamento do mais cruel ditador latino-americano do século XX, Fidel Castro, esqueço o axioma latino que ensina não se falar dos mortos a não ser de bem (De mortuis nil nisi bonum). Prometendo o paraíso, o revolucionário de Sierra Maestra chega ao poder em 1959. Desde então, Cuba vive sob um governo comunista que castrou as liberdades e ainda usa o terror como política de Estado. Fidel soube usar seu carisma pessoal para conquistar um séquito de ingênuos e mal informados, por um lado; de militantes de mau caráter, por outro. Intelectuais, inclusive. Teceu uma rede internacional de defesa da ditadura nepótica, violenta e corrupta que implantou na ilha.

Paradoxalmente, ao longo da segunda metade do século XX, gradas organizações que pregam a liberdade, como a Igreja e a universidade, quedaram encantadas diante do discurso vitimista do ditador cubano em face da democracia norte-americana, que reagiu ante os desatinos do ditador. A universidade deixou-se contaminar pelo canto de sereia de figuras paradigmáticas como “Che” Guevara, respeitável guerrilheiro, de quem Fidel ardilosamente se livrou para que não lhe fizesse sombra na disputa interna de poder. Che não era menos assassino do que Fidel. O comandante, porém, ladinamente, o transformou em ícone.

A Igreja, por sua vez, embarcou na heresia da Teologia da Libertação, pregando uma analogia barata entre o Reino de Deus e o governo da Revolução marxista-leninista. Essa “teologia” surgiu do pensamento vesgo de religiosos militantes da América Latina, sendo pioneiros na década de 1960, os pastores Richard Shaul e Rubem Alves, o frade Gustavo Gutierrez e, posteriormente, os irmãos franciscanos Clodovis e Leonardo Boff. Sem esquecer o irmão leigo e ardoroso defensor da ditadura cubana, dito equivocadamente “frei” Betto, porque até nisto ele constitui uma fraude, uma vez que não é frade dominicano como pensam os incautos.

Fidel morreu aos 90 anos sem cumprir o prometido aos cubanos. Seis décadas de tirania deixaram a ilha mais pobre em economia e liberdade, sufocada pela indignidade imposta e pela propaganda unilateral do Estado comunista. Os césares comunistas da ilha, porém, vivem burguesmente. Por mais que rezem os teólogos da Libertação, só a misericórdia de Deus livrará o ditador das penas infernais.

*Barros Alves

barrosalvespoeta@gmail.com

Jornalista e escritor.

Acidente com avião da Chapecoense – 76 mortos

87 1

A polícia de Medellín confirmou a morte de 76 pessoas no acidente aéreo com a delegação da Chapecoense na madrugada desta terça-feira, na cidade de La Unión, próximo a Medellín, na Colômbia. A informação é do General José Acevedo Ossa, da polícia local, responsável pelo resgate. Não há confirmação sobre quem são as vítimas. Posteriormente, o prefeito de Medellín, Federico Guitiérrez Zuluaga, confirmou que as buscas foram suspensas porque “não há mais sobreviventes”.

Segundo Ossa, inicialmente somente seis pessoas tinham sobrevivido à tragédia – o número oficial caiu a cinco, pois um deles morreu a caminho do hospital. Três deles são jogadores da Chapecoense: o lateral esquerdo Alan Ruschel, além dos goleiros Danilo e Follmann. As informações são de hospitais da região e de familiares dos jogadores. “Estamos trabalhando também para resgatar os corpos dos mortos e entregar às suas famílias. Conseguimos resgatar cinco pessoas com vida. Quando amanhecer, vamos retirar os corpos e iniciar o processo para enviar ao país de origem das pessoas. O procedimento do resgate de corpos estará a cargo da polícia”, disse Ossa.

“Não há mais sobreviventes. 76 pessoas falecidas. Estamos falando de cinco sobreviventes. Socorristas trazem a informação deste lugar de muito difícil acesso. Estou fazendo a coordenação dos transladados dos corpos e chamando a polícia legal. São quase cinco da manhã. Vamos trabalhar toda a noite. Cinco pessoas que sobreviveram. Todo esse translado, como já disse, as famílias vamos expressar a solidariedade. Estamos de luto. Algumas vítimas têm diferentes nacionalidades. Prestamos solidariedade total. Lamento muito. Estamos muito solidários. É muito duro. Temos que seguir. Não cabe tanta gente que está querendo trabalhar nos resgastes. Não cabe mais ambulância, na cabe mais carros. Temos que valorizar o trabalho de toda essa gente”, disse Federico Guitiérrez Zuluaga.

No voo estavam 81 pessoas, incluindo 72 passageiros e nove tripulantes. No total, eram 48 membros da Chapecoense, incluindo 22 jogadores, 21 jornalistas e três convidados, além da tripulação.

(Portal Uol)

Jair Bolsonaro: Fidel Castro já está “ardendo nas profundezas do inferno”

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=p71hy5Dc558[/embedyt]

Enquanto outros políticos brasileiros divulgaram mensagens de pesar pela morte de Fidel Castro, que morreu aos 90 anos na madrugada de hoje, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC), publicou um vídeo para comemorar a morte do líder cubano.

Nas imagens, Bolsonaro aproveitou ainda para comparar sua atuação a de políticos brasileiros “do PT, PCdoB e PSOL”, desejando a todos “uma estadia eterna nas profundezas do inferno”.

Pesquisador da Funceme expõe trabalho em evento internacional na França

enzoo

O cientista ambiental Enzo Pinheiro, da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), embarcou, nas últimas horas, na rota de Paris (França).

Ali, ele participará do Congresso do Atlântico Tropical. Enzo deverá apresentar, dia 29 próximo, o trabalho “Variabilidade do Atlântico Tropical em Relação ao El Niño”.

Cada vez mais a Funceme vem fechando intercâmbio e participando de eventos internacionais na área do clima. Ou seja, ganhando credibilidade nas suas pesquisas e estudos.

(Foto – Paulo MOska)

Aquarius é indicado para Melhor Filme Estrangeiro no Spirit Wards

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=VB-5rodvHUc[/embedyt]

O filme brasileiro Aquarius, do diretor pernambucano Kleber Mendonça Filho, foi um dos nomeados para concorrer na categoria de Melhor Filme Internacional, dos Independent Spirit Awards, o “Oscar” para o cinema independente nos Estados Unidos. O anúncio foi feito na terça-feira (22)  pela organização, informou Agência Lusa.

Aquarius conta a história de uma jornalista aposentada que se nega a abandonar seu apartamento em frente a uma praia no Recife, apesar das pressões de uma construtora que quer ali construir um complexo imobiliário de luxo.

O filme brasileiro concorre com o grego Chevalier, o francês My Golden Days e as coproduções Toni Erdmann, da Alemanha e Roménia, e Under the Shadow, do Iraque e do Reino Unido.

O brasileiro Mauricio Zacharias disputa, ao lado de Ira Sachs, o prêmio de Melhor Roteiro pelo seu trabalho no filme norte-americano Little Men, que contra a amizade de dois meninos cujas famílias brigam devido a dinheiro.

O filme de terror The Witch, que tem produção do brasileiro Rodrigo Teixeira e de outros quatro produtores, concorre para Melhor Filme Estreante.

Os filmes American Honey, sobre uma adolescente que viaja pelos Estados Unidos vendendo assinaturas de revistas, e Moonlight, que retrata a vida de um jovem negro em Miami, lideram nas nomeações, com seis cada.

A cerimônia dos Independent Spirit Awards acontecerá em 25 de fevereiro em Santa Monica, Califórnia, nos Estados Unidos.

(Agência Brasil)

Nada de ter medo de Donald Trump

Com o título “O Brasil em um mundo complexo”, eis artigo do ex-presidente da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), Roberto Macêdo, que pode ser conferido no O POVO desta quarta-feira. Ele analisa a vitória de Donald Trump e afirma: “Afinal, nos EUA, como no Brasil, o discurso dos palanques não significa necessariamente a mesma coisa da prática futura de quem se elege.” Confira:

A surpreendente eleição de Donald Trump, para a presidência dos Estados Unidos, tem motivado as mais diferentes análises sobre suas causas e consequências. Independentemente de pontos de vista, o que parece consensual é que foi uma expressão de forças de difícil identificação, gestadas em campos normalmente não captados pelos instrumentos de pesquisas convencionais.

Apesar de vir gerando preocupações as mais diversas quanto aos rumos do mundo globalizado, os efeitos da gestão Trump só poderão ser devidamente avaliados quando se tiver uma noção do percentual de conversão em ações de suas promessas e provocações eleitorais. Afinal, nos EUA, como no Brasil, o discurso dos palanques não significa necessariamente a mesma coisa da prática futura de quem se elege.

De todo modo, olhando para o nosso País, não parece que venhamos a ter tantos problemas adicionais por conta de possíveis mudanças na administração norte-americana. Evidentemente, o Brasil não deixará de ser atingido de maneira indireta, por medidas protecionistas que venham a afetar a dinâmica da economia mundial, mas, devido ao pouco interesse demonstrado pelo candidato Trump em relação à América do Sul, dificilmente seremos alvos de medidas hostis.

Diante disso, sem deixarmos de estar atentos aos movimentos geopolíticos mundiais, o foco dos brasileiros precisa estar direcionado para a solução dos problemas daqui. E uma das nossas principais dificuldades é a dispersão das forças que são responsáveis pelo desenvolvimento do País, nas áreas econômica, política e social.

O Brasil, que vive ainda sob os efeitos da ressaca causada por orientações ideológicas errôneas e pela incompetência nas últimas gestões do governo federal, precisa mudar o perfil de suas lideranças. Mais do que isso, precisa que haja articulação entre iniciativas de diversos setores, focadas nos interesses do País e nas verdadeiras necessidades de mudanças.

É certo que, diante da complexidade da conjuntura, este não é um caminho fácil, sobretudo se pretendermos uma unidade completa de pensamento. O grau de fragmentação a que chegou a situação política brasileira, principalmente pela corrupção, somente será superado com a identificação de pontos que possam fazer convergir aquilo que há de interesse comum entre os vários atores que têm poder transformador.

O desafio que temos pela frente é muito grande e torna-se ainda mais preocupante quando olhamos o cenário e temos dificuldade de identificar posicionamentos de lideranças com esta visão agregadora. O momento não comporta desperdício de energia com o que não diz respeito a equilibrar o Brasil em um mundo onde o equilíbrio se torna cada vez mais crítico.

Como cidadão e empresário, acredito no Brasil e na nossa capacidade de superarmos os obstáculos com os quais nos defrontamos, criando as condições para retomarmos o nosso desenvolvimento e buscarmos uma inserção política e econômica mundial com a liberdade de transitar em todos os continentes e com respeito às diversidades e aos direitos de todos os países.

*Roberto Macêdo

roberto@pmacedo.com.br

Empresário

Japão se prepara para tsunami gigante das próximas décadas

Um grande tsunami de mais de 30 metros de altura deve atingir o sul do Japão nas próximas décadas. Agora, com a memória ainda muito recente do desastre de Fukushima, o país corre contra o tempo para erguer torres e rotas de evacuação, muros de contenção e abrigos. A menos de um quilômetro do litoral de Nankoku, na Prefeitura de Kochi (sudeste), está uma das 90 torres de evacuação já concluídas na região.

Cercada por uma cápsula flutuante para resistir a tsunamis, a construção de aproximadamente 20 metros está projetada para abrigar 362 pessoas em seus dois andares, número que inclui os moradores e as crianças que frequentam as escolas da área.

“Um local de evacuação é muito necessário nesta área, porque não há montanhas, lugares elevados ou edifícios nos quais os moradores possam se proteger”, explicou Manabu Nomura, responsável pela Defesa Civil da província de Nankoku.

“Não olhe para trás, apenas adiante!”, diz um dos cartazes desenhados pelas crianças de Nankoku, que enfeitam as paredes cinzas de concreto da estrutura que custou mais de meio milhão de euros.

Um sino, para alertar a população sobre o risco que se aproxima, fica no topo da edificação. Ao lado, um armazém com cobertores, fraldas, leite em pó para bebês, água e comida. Debaixo da torre, há alicerces de 14,5 metros -o equivalente a um edifício de 5 andares – para suportar a estrutura. No entanto, em algumas delas, estes chegam a alcançar 39 metros de profundidade, já que o objetivo é manter a estrutura estável frente ao poder destrutivo da ondulação gigantesca.

Após o terremoto de magnitude 9 que sacudiu a costa nordeste do Japão em 2011 e que gerou um tsunami com ondas de mais de 15 metros, o governo japonês revisou suas estimativas e anunciou os danos previstos que geraria um terremoto na fossa de Nankai, no leste, um dos pontos com maior atividade sísmica no mundo. Segundo este estudo, há 70% de possibilidades de um terremoto de magnitudes entre 8 e 9 na escala Richter se originar na fossa de Nankai nos próximos 30 anos.

O número de mortos chegaria a 323 mil, mais de 2 milhões de imóveis ficariam completamente destruídos e as perdas econômicas representariam mais do que o dobro do orçamento nacional anual. A província de Kochi (720 mil habitantes), uma das áreas que seriam as mais afetadas segundo as previsões, se transformou em uma referência nesta luta contra a natureza, e iniciou medidas para as quais destina atualmente 10% de seu orçamento anual. “O que faz a diferença é se você está ou não preparado para o desastre”, afirmou Masanao Ozaki, governador de Kochi.

O governo regional investe anualmente mais de 44 trilhões de ienes (377 milhões de euros) em medidas de preparação e conscientização de terremotos e tsunamis, o dobro do que gastava antes do grande terremoto de 2011. Mais de 30 municípios da província trabalham na construção de torres de evacuação, para as áreas mais expostas do litoral, e rotas de evacuação, nas áreas mais próximas das montanhas, à espera de ondas que poderiam chegar a 34 metros. Uma das maiores preocupações das autoridades é a falta de conscientização dos moradores diante do perigo que representa um desastre dessas características.

No caso do terremoto e tsunami de 2011, que causaram cerca de 20 mil mortes e deixaram 470 mil pessoas deslocadas no nordeste do Japão, muitas das vítimas não abandonaram seu lugares porque não acreditavam que estavam em perigo, explicou Nomura. Já que a conscientização é fundamental, o município de Kuroshio acolherá no final deste mês um encontro com mais de 350 estudantes de 30 países, para informar às futuras gerações sobre como minimizar o impacto dos danos causados por tsunamis.

O arquipélago do Japão fica sobre o chamado Círculo de Fogo do Pacífico, uma das regiões sísmicas mais ativas do mundo, e sofre terremotos com relativa frequência.

(Revista Exame)

Atentado terrorista mata pelo menos 28 pessoas em Cabul

Pelo menos 28 pessoas morreram e 45 ficaram feridas em um atentado suicida contra uma mesquita xiita de Cabul, capital do Afeganistão.

O ataque foi reivindicado pelo grupo Estado Islâmico (EI), que é de orientação sunita, segundo o TerrorMonitor, grupo que monitora atividades terroristas na internet. Entre as vítimas estão mulheres e crianças.

Essa é a terceira vez em poucos meses que xiitas são atingidos por atentados no Afeganistão, sempre reivindicados pelo Estado Islâmico.

(Agência ANSA)

Modelo argentina tem silicone no bumbum apodrecendo

155 1

naom_5833264eec9a7

Os dramas envolvendo modelos e próteses de silicone ganhou mais um capítulo. A modelo argentina Lorena Fabiana Colotta, mais conhecida como Sabrina Sabrock, está vivendo um pesadelo desde que soube que a prótese de silicone que tem no bumbum apodreceu em seu corpo e coloca sua vida em risco. A informação é do IG.

Celebridade no México e famosa por ter posado na revista masculina Playboy, a modelo desabafou recentemente sobre o caso em uma televisão mexicana. “O líquido da prótese do meu bumbum vazou e posso ser gravemente infectada. Eles me deixaram apodrecendo”, acusou a modelo. “O cirurgião me disse que eles eram de boa qualidade, mas de acordo com uma ressonância magnética, eles são péssimos. Estou preocupada com a minha saúde e quero meu dinheiro de volta”, declarou.

Sabrina relatou que percebeu algo errado quando as dores começaram a ficar insuportáveis. “Então retornei ao cirurgião que me operou. Mas uma semana depois, eu comecei a passar mal novamente. Tive que tomar analgésicos”, relata a modelo. “Tenho compromisso de trabalho. Vou processá-lo se ele não reparar meu bumbum”, ameaça.

Os médicos que acompanham o caso avaliaram que os implantes em decomposição (que supostamente deveriam durar 20 anos), podem necrosar a região afetada. Sabrina já passou por cerca de 60 procedimentos estéticos, que lhe custaram aproximadamente R$ 3 milhões.