Blog do Eliomar

Categorias para Internacional

Parlamentar cearense está em missão nos EUA

odoricomoneiro

O deputado federal Odorico Monteiro (PT) está engajado numa missão parlamentar oficial, que visita Washington (EUA) até a próxima quinta-feira.

A visita foi organizada pela Câmara Americana de Comércio e tem o objetivo de promover o diálogo e a troca de experiências sobre inovação em saúde entre os Congressos brasileiro e norte-americano.

Odorico Monteiro atua na Frente Parlamentar em defesa da Saúde e na comissão técnica do gênero.

Ratings inflados e suspeitos

33 3

Em artigo enviado ao Blog, o economista José Nilton Mariano Saraiva avalia como suspeito o rebaixamento do Brasil pela agência americana Standard & Poor’s. Confira:

Sem que haja ainda um necessário e desejado modelo alternativo, que de forma honesta e imparcial privilegie o “contraditório” e faça uso de equações mais adequadas e consistentes (a China começa a esboçar um), o mundo hoje se fia cegamente, para o bem ou para o mal, no que é produzido e incessantemente divulgado pelos norte-americanos, mesmo que às vezes falte a devida comprovação (só para ilustrar, lembremo-nos da presumida “morte” do saudita Osama Bin Laden, sem que absolutamente ninguém haja visto o corpo?).

Por isso mesmo, o escarcéu provocado por pusilânimes e desonestos segmentos da mídia econômica brasileira, em razão do tal “rebaixamento” do rating do Brasil por parte da agência de classificação de risco americana Standard & Poor’s, é por demais questionável. E por uma razão simplória: comprovadamente, foi uma decisão de cunho “político”, porquanto levou em conta o momento difícil que atravessa a economia brasileira (perfeitamente suplantável), mas deixou de considerar, como deveria e honesto seria, as imensas potencialidades que temos a médio e longo prazo, bem como o robusto e confortável “colchão” de 400 bilhões de dólares das nossas reservas, além do “imedível” mar de petróleo que possuímos (um “ativo” acima de qualquer suspeita e que os próprios americanos estão de olho já há bastante tempo).

Há que se considerar, ainda, que não só a Standard & Poor’s, mas igualmente suas congêneres, as também americanas Moody’s e Fitch, faz tempo que “pisam na bola”, ou “escorregam na maionese”, ao produzirem relatórios inconsistentes e mesmo desonestos (como o atual sobre o Brasil), porquanto estruturados num modelo questionado por economistas do mundo todo, mas que têm o poder (dada a inexistência de uma outra versão), de momentaneamente espalhar o “terrorismo” e destruir reputações mundo afora.

Tanto é que, 10 anos atrás, quando as três agências encimadas avaliaram o “rating” ou nota de crédito dos títulos hipotecários norte-americanos como AAA (grau máximo de confiabilidade), investidores de todo o mundo “aceitaram o pepino” como crível e quebraram a cara ao adquirir tais papéis, porquanto baseados em empréstimos garantidos por propriedades sobrevalorizadas.

Naquela oportunidade, como a “avaliação” das tais agências mostrou-se sem a menor consistência, porquanto assentada em “títulos podres” emitidos irresponsavelmente, não demorou muito (2008) para que a tal bolha do mercado imobiliário americano “estourasse”, levando o mercado de capitais a uma crise financeira mundial sem precedentes, resultando na quebra do (teoricamente) inabalável e sólido banco de investimentos americano Lehman Brothers, possuidor de uma robusta e alentada carteira de títulos hipotecários (que viraram pó, de uma hora pra outra).

Assim, face a repercussão mundial da “quebra generalizada” das bolsas de valores mundo afora e do pandemônio causado internamente, o Governo americano literalmente se viu obrigado a injetar na economia astronômicos 850 BILHÕES DE DÓLARES para “amansar o mercado”, ao tempo em que oficialmente considerou a agência de classificação Standard & Poor’s como inidônea e responsável pela crise da economia mundial. Processou-a na Justiça americana, assim como impingiu-lhe pesada multa face o ocorrido. De sua parte, o austero diário Wall Street Journal acusou-a de má-fé e má conduta.

Como resultado, a Standard & Poor’s virou “RÉ” em um processo movido pelo Departamento de Justiça dos EUA, que acusou-a de ter “mascarado” o grau de risco de investimentos nos chamados papéis subprime (vilões da crise financeira desencadeada em 2008). Segundo a acusação, a empresa teria sido desonesta ao, propositadamente, ter ocultado chances reais de prejuízos a quem embarcasse naquela canoa furada (como de fato aconteceu).

Sem saída ou argumentos, a Standard Poor’s houve por bem reconhecer tal acusação (que errou, sim, e grosseiramente), ao firmar um compromisso extrajudicial concordando em pagar ao Tesouro americano uma multa equivalente a quase US$ 1,4 bilhão (R$ 5,4 bilhões na cotação atual). O episódio reacendeu o debate sobre a credibilidade das agências de classificação de risco e os possíveis conflitos de interesse envolvendo suas atividades (já que contratadas por “agentes do mercado”).

No mais, há que se atentar que o governo norte-americano não é o primeiro a processar a Standard & Poor’s pelas equivocadas e grosseiras avaliações; também um tribunal lá do outro lado do mundo (da Austrália) condenou a agência ao pagamento de uma indenização milionária por ter confundido e induzido os investidores locais com suas “falsas avaliações”. Em Nova York, outro tanto de enganados investidores moveram ação similar.

No momento, como economistas de escol (inclusive lá fora) já se manifestaram sobre o equívoco grotesco da avaliação da Standard & Poor’s sobre a nossa economia, não seria o caso do governo brasileiro partir para a ofensiva, contestando publicamente o método adotado e mostrando ao mundo as “mancadas-homéricas” por ela patrocinadas, via “ratings” inflados e sob suspeita, que objetivam prioritariamente elevar suas receitas e obter maior participação no mercado?

Rebaixamento é uma tentativa de intervenção descarada na política brasileira

26 7

Da Coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (13):

O assunto da semana foi a perda do grau de investimento do Brasil (que coloca o País na condição de mau pagador) a partir do rebaixamento da nota dada pela agência de classificação de risco Standard &Poor’s. O alarido dos que defendem a submissão da Nação à chantagem da agiotagem internacional não tem pudor. Quem conhece a história nacional está longe de se impressionar com a nova investida dos corsários da banca.

É preciso não esquecer a advertência do economista Paul Krugman, em 2011: “É notório o fato de a Standard & Poor’s ter dado ao Lehman Brothers, cujo colapso provocou um pânico global, uma classificação A, no mês em que aquele banco faliu”. A mesma agência foi ré em um processo movido em fevereiro pelo Departamento de Justiça dos EUA, acusada de ter mascarado o grau de risco de investimentos nos chamados papéis subprime, os vilões da crise financeira desencadeada em 2008.

O rebaixamento promovido pela S&P, na verdade, foi uma tentativa de intervenção descarada na política brasileira com o objetivo de ajudar os que querem depor Dilma e mudar o modelo econômico brasileiro, fazendo-o abandonar a prioridade do combate às desigualdades sociais e voltar-se inteiramente para o atendimento das exigências da banca. Lula denunciou a manobra.

Se o governo Dilma se recusar a cortar os programas sociais e seu governo for bloqueado pelas forças conservadoras do Congresso, especula-se que a presidente denunciaria à Nação a pressão insuportável dos interesses externos e seus aliados internos e renunciaria ao cargo, juntando-se a Lula na liderança da resistência política à imposição do modelo econômico concentrador de riqueza que será assumido pelos neoliberais em toda a sua crueza.

Com toda a esquerda na oposição e Lula e Dilma compondo a frente popular , o povo teria uma liderança visível para resistir a entrega do País aos agiotas internacionais e seus testas de ferro internos. E o PT se penitenciaria de seus erros e ilusões políticas e dos deslizes éticos, voltando ao projeto original. Aí a luta política daria um novo salto.

Cearense assumirá CUFA Global

73 14

pretopzeze

O presidente nacional da Central Única de Favelas (Cufa), Preto Zezé, tomará posse, dia 18 próximo, como presidente da CUFA Global. O ato ocorrerá no último dia de programação de evento internacional que mobiliza favelas e guetos de todo o mundo, em clima de conferencia em Nova York (EUA), na sede da ONU.

Em seu Facebook, Preto Zezé comentou assim essa indicação: “Para quem veio de onde eu vim, muitos não puderam continuar a caminhada. Cheguei muito longe. Sou filho das Quadras e lembro-me, como se fosse hoje, dos dias lavando carro na rua ainda adolescente. Isso sempre vai me guiar e não importa por onde eu vá. As QUADRAS sempre serão minha referência de vida e de luta.”

* Quadras é a comunidade na qual Preto Zezé mora e milita politicamente. Fica encravada no bairro Aldeota.

Senado americano derruba moção contra acordo nuclear com Irã

“Os senadores democratas conseguiram bloquear nesta quinta-feira (10) uma moção apresentada pelo Partido Republicano para derrubar o acordo sobre o programa nuclear iraniano, O resultado abre caminho para a ratificação do tratado e é considerado uma importante vitória do presidente Barack Obama. A moção precisava de pelo menos 60 votos para ser aprovada, mas recebeu 58 – 42 senadores posicionaram-se contra o texto.

“A comunidade internacional pode começar a implementar o acordo”, disse o  porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest.

“Vamos usar todas as ferramentas à nossa disposição para parar, retardar e impedir que o acordo entre em vigor completamente”, afirmou o republicano John Boehner.

Em sua edição de hoje, o jornal The Washington Post publicou um artigo da chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e dos primeiros-ministros da França, François Hollande, e do Reino Unido, David Cameron, pedindo para os norte-americanos aproveitarem uma “oportunidade crucial” e aceitarem o acordo.

Firmado em Viena, em 14 de julho pelos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas (China, Estados Unidos, França, Reino Unido e Rússia), pela Alemanha e pelo Irã, o pacto nuclear prevê a eliminação progressiva dos bloqueios impostos à economia iraniana nos últimos anos.

Em troca, o Irã limitará suas atividades atômicas e permitirá a realização de controles periódicos da Organização das Nações Unidas (ONU) em suas instalações.”

(Agência Lusa)

Nelson Barbosa: Rebaixamento de nota não muda trajetória de recuperação da economia

O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Nelson Barbosa, disse que a perda do grau de investimento do Brasil não muda a trajetória de recuperação da economia brasileira. Ele afirmou que o país está trabalhando em várias frentes para construir as condições do reequilíbrio fiscal.

De acordo com o ministro, o governo continua a honrar todos os compromissos e contratos e seguirá trabalhando para conter gastos e recuperar receitas. Na noite dessa quarta-feira (9), a agência de classificação de riscos Standard & Poor’s informou que reduziu a nota de crédito do Brasil de BB+ para BBB-.

“Tenho certeza de que a avaliação feita será revertida à medida que as condições melhorem. Estamos trabalhando intensamente para melhorar [essas] condições”, afirmou.

(Agência Brasil)

José Guimarães afirma que investidores externos continuarão no Brasil

foto guimarães pt-ce

Para o líder do Governo na Câmara Federal, deputado José Guimarães (PT-CE), o rebaixamento da nota de crédito do Brasil, de BB+ para BBB-, anunciado nessa quarta-feira (9), pela agência de classificação de riscos Standard & Poor’s, não provocará a saída de investidores externos do país.

“O Brasil é um país emergente, é uma economia global e vai continuar recebendo investimentos externos”, assegura o líder do Governo, que não encara a redução como responsabilidade da presidente Dilma Rousseff.

“Exatamente nesses anos do governo Dilma é que os investimentos externos tiveram um período promissor. Mesmo com o rebaixamento, ainda é maior que no inicio do governo Lula e muito maior que no período de FHC, quando o Brasil não tinha a menor credibilidade no exterior”, observou.

(Com Agências)

Bolsa de Tóquio fecha em alta

“A Bolsa de Tóquio encerrou a sessão de hoje (9) em alta, com o principal índice, o Nikkei, subindo 1.343,43 pontos ou 7,71%, alcançando os 18.770,51 pontos. Essa foi a maior subida num só dia desde o final de 2008, quando a crise financeira atingiu fortemente os mercados altamente voláteis. Também o segundo indicador, o Topix, avançou 90,66 pontos (6,40%) até os 1.507,37 pontos.

A recuperação desta quarta-feira ocorreu depois de o Nikkei ter caído 2,43% ontem (8), anulando todos os ganhos desde o início do ano e com a fragilidade do mercado chinês agravando as preocupações com a segunda economia mundial.

O índice Nikkei reflete a média não ponderada dos 225 valores vedeta da Bolsa de Tóquio, enquanto o indicador Topix agrupa os valores das 1,6 mil maiores empresas cotadas.”

(Agência Lusa)

 

Presidente da Argentina diz que Brics são vítimas da crise financeira

“A presidenta da Argentina, Cristina Kirchner, disse, nessa segunda-feira (7), que os países do Brics – bloco formado pelo Brasil, a Rússia, Índia, China e África do Sul – são vítimas da crise financeira. Ela respondeu assim às acusações de que esses países vão arrastar o mundo para uma nova recessão. “Como é que os [países] emergentes ameaçam arrastar o mundo para uma nova recessão se foram eles que sustentaram o crescimento da economia global muito antes da crise de 2008?”, perguntou a presidenta.

As declarações de Cristina Kirchner foram dadas em resposta a um artigo do jornal Financial Times, que afirma que os modelos econômicos desses cinco países emergentes “estão entrando em colapso”.

A presidente argentina criticou duramente o artigo e disse que alguns parágrafos merecem mesmo estar no “Guiness para a falta de vergonha”.

Segundo ela, dizer que agora os [países] emergentes ameaçam arrastar o mundo para uma nova recessão é simplesmente falso. “O mundo foi arrastado para a crise de 2008 pela especulação financeira e nunca se recuperou. O que é que isso tem a ver com o Brics? Com exceção do papel de vítima, não teve qualquer outra participação”, acrescentou a chefe de Estado.”

(Agência Lusa)

O Papa que pode ser diferente e fazer a diferença

Com o título “Poder, prestígio e humanidade”, eis artigo da jornalista Fátima Sudário, que pode ser conferido no O POVO desta segunda-feira. Ela aborda novas lições do Papa Francisco, que chegou para mexer no tradicionalismo e reavivar as mentes deste mundo de tantas contradições. Confira:

Não é de hoje. Herança da meninice, costumo, por vezes, pensar na complexidade de determinadas funções neste mundo. Pela grandiosidade do universo a dar conta. São tamanhos poder e prestígio que imagino tudo girando em torno do macro. Parece não haver espaço para as emoções triviais, nem por isso menos intensas, nem para os prazeres do cotidiano, como a escolha da roupa para vestir, do filme pra assistir, de gastar tempo com os amigos, esses hábitos que nem registramos de tão comuns que são, mas que pontuam as existências.

Uma dessas funções é a do papa. Tanto poder, tanto prestígio, tanto peso histórico e simbólico para conduzir um rebanho cada vez mais diverso e estranho nas suas vivências cristãs e ainda influenciar nos destinos do planeta. Não é fácil. Mas, quando olho o papa Francisco, creio que pode ser diferente. Ele tem cara de gente como a gente. Faz acreditar ser possível comungar a existência de pessoa comum com a de poderoso líder. Dá risadas, gosta de futebol, come de bandejão, toca as pessoas. Se ele padece, não tem receio em mexer na zona conforto da Cúria romana e do mundão católico.

Na semana passada, Francisco transitou lindamente entre a simplicidade e a grandeza. Mexeu num vespeiro caro à doutrina católica, consolou uma jovem angustiada e, amorosamente, fez alerta a pais e mães. No primeiro caso, orientou o perdão formal a mulheres que fizeram aborto e buscam alento. E imprimiu o toque pessoal ao dizer que “conheceu tantas mulheres que carregam em seus corações a cicatriz dessa decisão angustiante e dolorosa”. Para lembrar, o aborto é pecado gravíssimo para a Igreja, punido com a excomunhão.

No outro ato, o papa levou uma adolescente ao encontro de sua autoestima. Em videoconferência com jovens americanos, uma garota de 17 anos chorou ao contar que sofria bulliyng por conta de uma doença de pele e que tinha se refugiado na música. O papa pediu que ela cantasse pra ele. Diante da hesitação, disse pra ela ser corajosa. Francisco ouviu a versão em espanhol de Hugged By You (Abraçada por você). Ela ganhou um sorriso e um agradecimento. E assim, navegando nas sensibilidades, o pontífice elogiou os pais que têm tempo para tudo: trabalho, casa e, sobretudo, para os filhos. “Poderiam ganhar o Nobel”. E ainda recebeu críticas. Pra mim, além de poder e prestígio, tem humanidade, sobretudo.

Fátima Sudário

Jornalista do O POVO

Apesar da crise – Dilma diz que Brasil “está de braços abertos” para receber refugiados

A presidente Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira (7), em mensagem gravada para as redes sociais, que, mesmo vivendo momento de dificuldades, o Brasil está “de braços abertos” para receber refugiados. A presidente mencionou o garoto sírio Aylan Kurdi, 3 anos, que se afogou após tentar fazer a travessia por mar para a Turquia com a família. Segundo Dilma, a imagem do menino morto em uma praia “comoveu a todos e deixou um desafio para o mundo”.

“Mesmo em momentos de dificuldade, de crise como estamos passando, teremos nossos braços abertos para acolher os refugiados. Aproveito para reiterar a disposição do governo para receber os que, expulsos de suas pátrias, para aqui queiram vir viver, trabalhar e contribuir para a prosperidade e a paz do Brasil”, declarou a presidenta em mensagem liberada pelo Palácio do Planalto, logo após o desfile de 7 de Setembro. Dilma disse ainda que o Brasil foi formado por povos de diversas origens.

A presidente voltou a dizer que o país irá superar a crise interna que atravessa. “Sei que é minha responsabilidade apresentar caminhos e soluções para fazer a travessia que deve ser feita”, declarou.

(Agência Brasil)

Camilo só retorna da China na quarta-feira

34 2

camlosantana

O governador Camilo Santana (PT) só retorna da China  na próxima quarta-feira, segundo o Palácio da Abolição. Com ele, está o secretário de Assuntos Internacionais do Governo, Antonio Balhmann.

Ali, entre algumas missões, Camilo tenta atrair uma série de investidores com objetivo de reforçar o Complexo Industrial e Portuário do Pecém.

Também há um outro objetivo: Camilo busca um parceiro para apostar no sonho da refinaria de petróleo, que cancelada dos investimentos da Petrobras

Se conseguir, essa viagem terá valido a pena.

Papa Francisco apela a todas as paróquias para acolherem uma família

Papa-Francisco-3-692x360

O papa Francisco apelou a todas as comunidades católicas da Europa para acolherem uma família de refugiados. Ele informou que as primeiras a dar o exemplo serão as duas paróquias do Vaticano.

Ao pedir um “gesto concreto” de preparação para o Jubileu, que começa em dezembro, o papa apelou a todas as paróquias, comunidades religiosas, todos os mosteiros e santuários para que acolham uma família de migrantes.

“Perante a tragédia de dezenas de milhares de refugiados que fogem da morte, vítimas da guerra e da fome, o Evangelho chama-nos e pede para estarmos mais próximos dos mais fracos e abandonados, dando-lhes esperança”, disse o papa Francisco na oração Angelus, perante milhares de fiéis na Praça de São Pedro.

Dirigindo-se aos “irmãos bispos da Europa”, o líder da Igreja Católica apelou a que apoiem a causa nas suas dioceses, dizendo que as paróquias de Roma e do Vaticano acolherão “nos próximos dias” duas famílias de refugiados.

As 28 nações da União Europeia estão bastante divididas sobre o que fazer em relação aos fluxos de migrantes, a maior parte pessoas que abandonaram os seus países para fugir aos conflitos que grassam no Oriente Médio e norte da África.

A Alemanha liderou os esforços para a abertura das fronteiras, anunciando que poderia aceitar até 800.000 refugiados este ano, e apoiando planos para quotas obrigatórias nos países da UE.

A Hungria, juntamente com muitos países do leste que se tornaram novos membros do bloco europeu, opõe-se ao sistema de quotas e insistem que as regras atuais devem ser aplicadas, com os requerentes de asilo a terem de fazer o pedido no primeiro país onde chegam e não no país para onde querem ir.

(Agência Brasil)

G20 admite crescimento lento, mas espera aceleração da economia mundial

O G20 reconheceu nesse sábado (6), em Ancara, na Turquia, que o crescimento da economia mundial foi mais lento do que o esperado nos últimos tempos, mas anunciou que existe por parte de seus membros confiança em uma aceleração na recuperação econômica.

“O crescimento mundial está aquém das nossas expectativas. Comprometemo-nos a tomar medidas para intensificar o crescimento econômico e, por isso, estamos confiantes que a recuperação venha a acelerar”, declararam os ministros das finanças e os presidentes de bancos centrais. Pelo Brasil, participam o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, e o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini.

As discussões dos membros do G20 foram centradas na desaceleração da economia chinesa e a vulnerabilidade de muitas economias emergentes, além da possibilidade de elevação dos juros americanos. Caso isso aconteça, existe o risco de mais elevação no valor do dólar provocada pela migração dos investimentos em busca de melhores rendimentos nos Estados Unidos.

O G20 é formado pelos ministros das finanças e chefes dos bancos centrais das 19 maiores economias do mundo, mais a União Europeia.

(Agência Brasil)

Eita! França registrou 10% de desemprego no primeiro semestre

“A taxa de desemprego na França manteve-se estável no segundo trimestre em cerca de 10%, indicam dados estatísticos divulgados hoje, no momento em que o país continua a lidar com uma economia estagnada. Em relação a igual período do ano passado, a taxa de desemprego na segunda maior economia europeia, depois da economia alemã, aumentou três décimos, segundo a agência EFE.

De acordo com os critérios da Organização Internacional de Trabalho (OIT), no segundo semestre havia 2.852.000 desempregados na França.

Entre abril e junho, a taxa de desemprego diminuiu seis décimos entre os jovens de 15 a 24 anos, chegando a 23,4%. Na faixa etária de 25 a 49 anos, houve decréscimo de dois décimos na taxa de desemprego, que atingiu 9,3%. Houve porém aumento de seis décimos para a população com idade superior a 50 anos. Para essa faixa etária, o desemprego agora equivale a 7%.”

(Agência Brasil)

Camilo Santana acerta voo Fortaleza-Pequim

acal

O governador Camilo Santana (PT) esteve reunido, nesta quarta-feira em Pequim (China), com os presidentes das empresas Hainan Airlines e Azul Linhas Aéreas (também proprietária da TAP). No encontro, foi assinado um termo de cooperação entre as companhias aéreas para voos entre o Ceará – e outros estados – e Pequim via Lisboa, com o objetivo de encurtar o tempo de viagem entre os dois locais.

Atualmente, os voos partindo de Fortaleza fazem duas escalas para chegar a China. Com o acordo, a viagem será realizada com apenas uma escala, que será realizada na capital portuguesa.  “Tivemos um dia muito produtivo.

Nesta mesma reunião com a Hainan, que pertence a um dos maiores grupos de
investidores na área do turismo, a companhia reafirmou o interesse na concessão do aeroporto de Fortaleza”, afirmou Camilo. Ele também apresentou o projeto do Acquario do Ceará “e eles se mostraram impressionados”, disse Camilo Santana, ressaltando que a empresa também atua no ramo de hotelaria.

Encontros

Na primeira agenda do dia em Pequim, o governador e o ministro da Defesa, Jacques Wagner, visitaram a empresa Huawei, terceira maior companhia de smartphone do mundo e que já possui fábrica em São Paulo.

A intenção, segundo eles, é expandir os negócios para outros estados brasileiros. Além dela, a comitiva brasileira na China se reuniu com a CSIC (China Shipbuilding Industry Corporation), que fabrica navios civis e militares e tem interesse de ampliar suas bases industriais para outros países, e com representantes da Academia Chinesa de Tecnologia espacial da China Aerospace Science & Industry Corooration – CAST of CASIC.

Prefeito aproveita Encontro Global na Colômbia para tratar de novos financiamentos

rcccc

O prefeito Roberto Claudio terá encontro, nesta terça-feira, em Medellín (Colômbia), com a a Diretoria Internacional do Banco Latino-Americano de Desenvolvimento (CAF). Ele tratará, especificamente, sobre dois novos financiamentos para a cidade e que deverão ser iniciados em 2016: o Cidades com Futuro e o Provatur.

Roberto Cláudio faz contatos em clima de Encontro Global da CAF para Prefeitos. Ele ainda participará ali de um outro momento do encontro, quando vai falar das ações de cuidado com a primeira infância, trabalho que está sendo coordenado pelo gabinete da primeira-dama Carol Bezerra.

Esse projeto é financiado pelo BID e atende crianças de zero a cinco anos nas áreas mais vulneráveis de Fortaleza, principalmente em bairros das Regionais V e VI.

DETALHE – O Encontro Global 2015 – Cidades para Vida reúne especialistas, gestores e dirigentes de cidades do mundo inteiro e está debatendo, além de segurança, temas como planejamento urbano, meio ambiente, governo, desenvolvimento social, mobilidade, tecnologias e inovações.

(Foto – Divulgação)

Bolsas da China voltam a registrar queda

“As ações chinesas caíram hoje (31), depois de altas significativas na quinta (27) e sexta-feira da semana passa, no âmbito dos esforços governamentais para combater a manipulação dos mercados, segundo a agência de notícias Xinhua. O Índice Composite de Xangai caiu 0,82%, cotado em 3,205.99 pontos.

O principal índice da Bolsa de Shenzhen também fechou no vermelho, ao perder 2,32%, ficando nos 10,549.16 pontos.

Os mercados financeiros chineses voltaram a cair, depois de fortes subidas nos últimos dois dias da semana passada. Antes disso, foram registradas graves quedas, que abalaram os mercados internacionais.”

(Agência Lusa)

Bolsas das ásia operam em alta

“As bolsas da Ásia operam hoje (27) em alta, impulsionadas pelo mercado financeiro de Xangai. A Bolsa de Xangai abriu em alta, após consecutivas perdas ao longo dos últimos dias.

Em Hong Kong, o principal indicador, o Hang Seng, subiu 2,44%, depois de ter arrancado em alta de 3,22%. A Bolsa de Tóquio encerrou os negócios em alta: o principal índice, o Nikkei, atingiu 197,61 pontos, tendo subido 1,08%.

A praça financeira de Xangai manteve a tendência de alta registrada na abertura, negociando em alta de 1,55% no meio da sessão, depois de se valorizar quase 3%. Também abriram em alta os mercados de Jacarta (2,43%), Manila (2,23%), Cingapura (2,05%), Ho Chi Minh (1,59%), Bangcoc (1,56%), Seul (1,34%) e Kuala Lumpur.”

(Agência Lusa)