Blog do Eliomar

Categorias para Internacional

Brasil, Bolívia e as gambiarras do poder

65 3

Com o título “O golpe”, eis artigo do jornalista Plínio Bortolotti, que pode ser conferido em seu Blog nesta quinta-feira. Ele comenta os casos do Brasil em que a oposição por aqui tenta arranjar um jeito de derrubar Dilma, enquanto na Bolívia a ação é para tentar perpetuar o presidente Evo Morales. Confira:

Enquanto no Brasil a direita busca uma brecha para dar um “golpe paraguaio” – pois os opositores não se conformam em esperar as próximas eleições presidenciais -, na Bolívia a esquerda está arranjando um jeito de perpetuar o presidente Evo Morales no poder. O Congresso boliviano, de maioria governista, aprovou emenda à Constituição (que será submetida a referendo em 2016), permitindo a Morales concorrer a mais uma reeleição.

Tanto no Brasil como na Bolívia, pode-se usar o argumento de que a lei está sendo observada. Formalmente sim, mas apelar para gambiarras com o intuito de permanecer por 20 anos no poder, alegando ser a “vontade do povo”, é um pouco demais. (Não foram poucos os ditadores, à esquerda e à direita, que obtiveram apoio popular, pelo menos durante certo lapso de tempo.) Por outra vista, invocar a Carta Magna para sustentar um impeachment, que no fundo mira apenas a cadeira presidencial, é uma tremenda forçação de barra, que deveria enrubescer quem o faz.

Pergunte a qualquer defensor do impeachment e ele vai papagaiar as palavras do novo “muso” do impedimento, o jurista Hélio Bicudo. “Não existe esse negócio de golpe. O impeachment é um processo democrático em curso”.

Agora, questione algum defensor de mais um mandato para Morales, e ele dirá que a Constituição do país está sendo respeitada, pois existe previsão para mudá-la quando uma lei aprovada pelo Congresso é submetida a plebiscito.

Porém, ambos concordarão em uma coisa: cada um acusará o outro de golpista. Impressionante como uma certa esquerda e uma certa direita se igualam, quando se trata de se manter no poder ou tomá-lo na marra.

PS. Marta Suplicy disse que deixava o PT, ingressando no PMDB, para defender “um Brasil livre de corrupção”. Mesmo considerando-se inteligente (ou esperta), a senadora não tem o direito de julgar que os outros são imbecis.

* Plinio Bortolotti,

Jornalista.

Papa Francisco cobra normas claras para acolhimento de migrantes e refugiados

“O Papa Francisco lamentou hoje (1º) que os migrantes e refugiados não encontrem normas claras de acolhimento e integração nos países de chegada, que permitam respeitar os direitos e deveres de todos. Em mensagem, o papa disse que essas pessoas se deparam com “falta de normas claras, de aplicação prática, que regulem o acolhimento e prevejam modos de integração a curto e longo prazo, com atenção aos direitos e deveres de todos”.

Francisco lembrou o aumento, em todas as áreas do planeta, do número de pessoas que deixam os seus países por serem “vítimas da violência e da pobreza e que sofrem o ultraje dos traficantes de seres humanos na viagem pelo sonho de um futuro melhor”, disse ele. “Se sobrevivem aos abusos e adversidades, encaram depois realidades de suspeitas e receios”, acrescentou a mensagem, publicada pelo Vaticano.

Nesta análise sobre o atual momento do drama migratório, o papa indicou que a principal questão a responder, depois de “superada a fase da emergência”, é a do espaço necessário para “programas que considerem as causas das migrações”.

“As histórias dramáticas de milhões de homens e mulheres interpelam a comunidade internacional, perante o surgimento de inaceitáveis crises humanas em muitas regiões do mundo”, sublinhou. Na mensagem, o papa apelou para a necessidade de “atuar em profundidade e de maneira incisiva” nos países de origem de migrantes e refugiados. “É necessário evitar, possivelmente já na origem, a fuga dos refugiados e os êxodos provocados pela pobreza, violência e perseguição”, disse.

A mensagem de Francisco denunciou “a indiferença e o silêncio” que “abrem caminho à cumplicidade quando se assiste à morte por asfixia, penúria, violência e naufrágio”, mas é também uma chamada de atenção às consciências dos habitantes dos países de chegada dos refugiados.

O papa convidou a uma reflexão quando pergunta: “Não desejará talvez, cada um deles, melhorar as próprias condições de vida e obter um honesto e legítimo bem-estar para partilhar com as pessoas que amam?” Ele considerou ainda “importante e indispensável” que a opinião pública seja informada de forma correta, até para prevenir medos injustificados e especulações à custa dos migrantes.

Outro aspeto destacado por Francisco é o de como preparar as mudanças que estes fluxos migratórios vão inevitavelmente provocar e sobretudo como defender “a identidade” de todos. “Como fazer para que a integração seja uma experiência enriquecedora para todos, que abra caminhos positivos às comunidades e previna o risco da discriminação, do racismo, do nacionalismo extremo ou da xenofobia?”, questionou.”

(Agência Lusa)

Sobe para 464 número de mortos no tumulto em peregrinação a Meca

“O número de iranianos mortos no tumulto em Mina, perto de Meca, aumentou para 464, segundo um balanço publicado hoje (1º) pela comissão organizadora iraniana do Hajj, uma semana após a tragédia. “Sete dias depois do trágico acidente [o tumulto em Mina] e de investigações incansáveis, o número de peregrinos iranianos que foram para o céu, enquanto estavam a realizar os rituais do Hajj em Mina, é de 464″, divulgou a comissão organizadora, em comunicado.

Um balanço anterior contabilizava 239 peregrinos iranianos mortos e outros 241 desaparecidos durante a peregrinação em Mina, perto de Meca. Os ministros saudita e iraniano concordaram nesta quinta-feira, em Jedá, com o repatriamento dos corpos dos peregrinos iranianos mortos na correria desordenada perto de Meca na semana passada, informou a agência oficial saudita.

O Irã é o país com maior número de vítimas do incidente, que, segundo Riade, causou um total de 769 mortos e 934 feridos, de várias nacionalidades, durante um dos rituais da peregrinação anual dos muçulmanos, na quinta-feira passada.

O tumulto é o segundo trágico incidente que atinge os fiéis muçulmanos este ano na Arábia Saudita, após a queda, dez dias antes, de uma grua no interior da grande mesquita de Meca, que causou a morte de 109 pessoas e feriu mais de 400.”

(Agência Brasil)

Bandeira da Palestina é hasteada pela primeira vez na sede da ONU

Os palestinos hastearam sua bandeira nas Nações Unidas nesta quarta-feira pela primeira vez, um gesto simbólico aprovado por uma votação da Assembleia Geral da organização no início deste mês. A bandeira palestina, vermelha, preta, branca e verde, foi hasteada por volta das 13h15 locais (14h15 de Brasília) na sede da ONU.

“Neste momento histórico, digo ao meu povo em todo lugar: hasteie a bandeira dos palestinos muito alto porque ela é o símbolo da nossa identidade”, declarou o presidente palestino, Mahmud Abbas, à multidão presente. “É um dia de orgulho”, acrescentou.

Nuvens negras tomavam o céu, ameaçando estragar com chuva uma ocasião condenada por Israel e pelos Estados Unidos como um gesto que não servirá para a causa da paz.

A Assembleia Geral votou no dia 10 de setembro para permitir que as bandeiras da Palestina e do Vaticano – ambos têm status de Estados observadores – fossem hasteadas junto às bandeiras dos demais Estados membros. A resolução foi apoiada por 119 países, com 45 abstenções e oito votos contra, incluindo Austrália, Israel e Estados Unidos.”

bandeira-da-palestina-onu

(Com Agências)

Obama terá reunião com presidente de Cuba

“O presidente norte-americano, Barack Obama, reúne-se hoje (29) com o presidente cubano, Raúl Castro, em Nova York, onde os dois participarão dos debates da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, anunciou a Casa Branca.

Tanto o Governo dos Estados Unidos quanto o de Cuba já tinham adiantado a hipótese de um encontro entre Obama e Castro, que tiveram uma reunião histórica no Panamá em abril passado, depois de ter sido anunciada, em dezembro, a normalização das relações diplomáticas entre os dois países.

Um funcionário da Casa Branca anunciou à imprensa o encontro entre os dois presidentes, durante a viagem de Obama para Nova York nessa segunda-feira (28).

Obama e Castro conversaram por telefone na semana passada, na véspera da visita do papa Francisco aos dois países. Eles analisaram o processo de normalização bilateral e as medidas possíveis para aumentar a cooperação.”

(Agência Lusa)

Dilma diz na ONU que Brasil não tem problemas estruturais na economia

76 1

“A presidenta Dilma Rousseff disse hoje (28) que o Brasil não tem problemas estruturais na economia e está em um momento de transição para um novo ciclo de expansão mais sólido e profundo. Ao discursar na Assembleia Geral das Nações Unidas, Dilma disse que o país passa por dificuldades conjunturais na economia, que estão sendo enfrentadas com ações de reequilíbrio fiscal e financeiro.

A presidenta destacou que o governo propôs “cortes drásticos de despesas” e redefiniu receitas para garantir a retomada do crescimento com distribuição de renda.

Segundo ela, nos últimos anos o governo brasileiro evitou que a crise mundial, iniciada em 2008, atingisse a economia local com a adoção de medidas de redução de imposto, ampliação de crédito e reforço de investimento.

“Nesse período, aumentamos emprego e renda. Esse esforço chegou agora no limite, tanto por razões fiscais internas como por aquelas relacionadas ao quadro externo. A lenta recuperação da economia mundial e o fim do superciclo de commodities incidiram negativamente sobre nosso crescimento”, disse a presidenta.

Dima citou ainda a desvalorização cambial e as pressões recessivas, que produziram inflação e forte queda da arrecadação, levando a recessões nas contas públicas. “O Brasil, no entanto, não tem problemas estruturais graves. Nossos problemas são conjunturais e diante dessa situação estamos reequilibrando nosso orçamento e assumindo uma forte redução das nossas despesas, do gasto de custeio e até de parte do investimento”, disse.

A presidenta disse que as medidas de ajuste fiscal do governo visam reduzir a inflação, consolidar a estabilidade macroeconômcia, aumentar a confiança e garantir a retomada do crescimento com distribuição de renda.

Segundo ela, a economia brasileira está hoje mais forte e sólida do que há alguns anos. “Estamos num momento de transição para um novo ciclo de expansão mais profundo, mais sólido e mais duradouro”.

(Agência Brasil)

FMI vai rever previsões de crescimento da economia global

“O Fundo Monetário Internacional (FMI) vai rever em baixa as previsões de crescimento da economia global para este ano e o próximo, diante dos sinais de queda na recuperação dos países emergentes, informou a diretora-gerente, Christine Lagarde.

Em entrevista publicada hoje (28) pelo jornal econômico francês Les Echos, Lagarde disse que a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) mundial, de 3,3% para este ano, “já não é realista”, assim como também não é a perspetiva de aumento de 3,8% para 2016. De qualquer forma, as novas estimativas vão continuar “acima do limiar de 3%”.

A diretora do FMI explicou que está sendo observada uma oscilação entre os países emergentes e os desenvolvidos, porque enquanto os primeiros, que puxavam o crescimento, estão agora caindo, os outros aceleram o ritmo. Sobre a China, Christine Lagarde afirmou que a desaceleração “bem gerida é uma boa notícia, desde que se consiga antecipar e integrar”.

Ela acredita que o Sistema de Reserva Federal dos Estados Unidos (FED, a sigla em inglês) ouviu o FMI ao manter as taxas de juros e ao aguardar a consolidação da recuperação dos Estados Unidos, antes de iniciar a inversão de sua política monetária. “Não há razão para ter pressa”, especialmente porque se o FED tivesse de voltar atrás, “isso seria mais destrutivo do que um movimento retardado”, disse.

A diretora do FMI considera necessário impulsionar a atividade global e manter a atual política monetária, mas acrescenta que isso não é suficiente. Para ela, alguns países do euro, como a Alemanha e a Holanda, deveriam utilizar essa política para estimular o consumo.”

(Agência Brasil)

Dilma volta a dizer que Brasil está aberto para refugiados

A presidente Dilma Rousseff reafirmou neste sábado (26), em Nova York, a disposição do Brasil de receber refugiados. “O Brasil é um país de refugiados, meu pai foi refugiado. Estamos abertos para todos que queiram trabalhar e viver com dignidade. Sem políticas xenófobas, restritivas”, disse ela a jornalistas, após participar de reunião do G4, grupo de países que apoiam mutuamente as respectivas propostas para um assento permanente no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU).

Em mensagem divulgada nas redes sociais e sites oficiais da Presidência da República no dia 7 de setembro, da Independência do Brasil, Dilma já havia dito que o país está “de braços abertos” para receber refugiados. Em Nova Iorque, Dilma afirmou também que um Conselho de Segurança mais eficaz e mais efetivo é necessário para evitar as guerras.

O Ministério das Relações Exteriores divulgou nota com a posição oficial do G4, após o encontro da presidente com os chefes de Estado dos outros três países que integram o grupo. Segundo o comunicado, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel e os primeiros-ministros da Índia e Japão, Narendra Modi e Shinzo Abe, acreditam que um Conselho de Segurança mais representativo, legítimo e eficaz “é mais necessário do que nunca” para lidar com conflitos e crises. Para os quatro chefes de Estado, o Conselho de Segurança da ONU precisa refletir “a realidade da comunidade internacional do século XXI”.

(Agência Brasil)

Fiec firma parceria com universidade americana

O superintendente do Instituto Euvaldo Lodi, Ricardo Sabadia, representando o presidente da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), Beto Studart, embarcará nesta sexta-feira para Miami (EUA). Ali, ele vai firmar parceria entre a Florida International University (FIU) e o Instituto Euvaldo Lodi do Ceará.

Sabadia terá encontro com o reitor Jose M. Aldrich para tratar sobre programas da FIU que serão construídos nesse primeiro momento (no Ceará ou na Flórida). Na lista, programas de imersão weekend-long para ​altos ​executivos, com workshops direcionados para práticas de gerenciamento exemplarmente aplicadas, incluindo desenvolvimento de visões de liderança.

Também entram nessa parceria programas de certificação híbridos short-term, visando habilidades específicas para executivos e gerentes em geral.

Passa de 300 número de mortos pisoteados durante a peregrinação a Meca

“Pelo menos 310 pessoas morreram e 450 ficaram feridas hoje (24) num tumulto de peregrinos em Mina, perto de Meca, segundo um novo balanço dos serviços de Defesa Civil da Arábia Saudita. “A contagem [das vítimas] continua, e o número de mortos atingiu os 310, de diferentes nacionalidades”, escreveu no Twitter a Defesa Civil. O balanço anterior dava conta de 220 mortos e 450 feridos. A primeira contagem de 100 mortos e 390 feridos já foi atualizada diversas vezes.

De acordo com a Defesa Civil, operações de socorro estão sendo feitas no local e seis equipes prestam os primeiros cuidados aos feridos e direcionam o fluxo de peregrinos para rotas alternativas. Até ao momento, não foram identificadas razões para a correria desordenada em Mina, onde foram realizadas obras nos últimos anos para facilitar o movimento dos peregrinos. Em janeiro de 2006, 364 peregrinos morreram num tumulto na mesma região.

No primeiro dia da festa de Adha, perto de 2 milhões de peregrinos começaram hoje o ritual de apedrejamento de Santanás, no Vale de Mina, no Oeste da Arábia Saudita.

O ritual consiste em atirar sete pedras no primeiro dia do Eid Al Adha contra uma grande coluna que representa o diabo e outras 21 no dia seguinte ou nos dois dias seguintes contra as três colunas (grande, média e pequena).”

(Agência Lusa)

Tumulto em peregrinação a Meca deixa pelo menos 150 pessoas mortas e 400 feridas

98 2

Pelo menos 150 pessoas morreram e 400 ficaram feridas num tumulto durante peregrinação nesta quinta-feira (24) a Meca, no Vale de Mina, na Arábia Saudita, anunciaram os serviços sauditas da defesa civil.

As operações de socorro estão em curso. As autoridades informam que “até o momento há 150 mortos e mais de 400 feridos”. O número pode subir, e ainda não se sabe o que causou a correria desordenada dos peregrinos.

Nessa terça-feira (22), milhares de muçulmanos iniciaram a caminhada para o Vale de Mina, em Meca, para a peregrinação que dura seis dias, no maior encontro anual muçulmano do mundo.

Este ano, a peregrinação para a cidade santa de Meca é marcada pela tragédia que ocorreu há 10 dias. Um acidente com uma grua que caiu no interior da grande mesquita de Meca provocou a morte a 107 pessoas e ferimentos a 238.

Quase 2 milhões de pessoas são esperadas na peregrinação deste ano, enquanto ainda decorre a guerra da Arábia Saudita, no Iêmen, e a violência jihadista aumenta em alguns países muçulmanos.

A peregrinação está entre os cinco pilares do islamismo e todos os muçulmanos deverão ser capazes de realizá-la pelo menos uma vez na vida.

(Agência Brasil)

Papa Francisco terá encontro com Obama

“Durante os cinco dias de visita aos Estados Unidos, o papa Francisco terá uma agenda política e religiosa diversificada. Ele deve tentar avançar no tema das relações com Cuba, intercedendo pelo fim do embargo imposto pelos Estados Unidos ao país, e endossar a luta pelo combate à pobreza e redução de efeitos das mudanças climáticas como diretrizes globais.

No campo religioso, papa Francisco tem como desafio fortalecer a Igreja – que apresentou redução no número de fiéis – e tratar questões polêmicas como o casamento entre pessoas do mesmo sexo, a imigração e o aborto.

No encontro com o presidente norte-americano, Barack Obama, previsto para as 9h15 (10h15 no horário de Brasília), a expectativa é que Cuba seja um dos primeiros pontos da conversa. Depois de quatro dias no país caribenho, de se encontrar com Fidel Castro e com o presidente da ilha, Raúl Castro, Francisco disse durante a viagem para os Estados Unidos, que quer o fim do embargo econômico.

O tema do embargo é um dos mais sensíveis da agenda, mas em entrevista dentro do avião durante o deslocamento, papa Francisco afirmou que deseja o fim do embargo e que a situação se resolva em um acordo.

Apesar da declaração incisiva, o papa disse que não pretende tratar do assunto no discurso que fará no Congresso norte-americano hoje à tarde. A visita dele ao plenário é histórica. Nunca antes um pontífice havia ido ao plenário das Casa Legislativas dos Estados Unidos.

Mas a visita causa polêmicas internas. A imprensa norte-americana divulgou comentários de alguns senadores conservadores que já avisaram que podem boicotar o discurso por entender que o papa “se envolve em temas políticos” e tem que um viés “esquerdista”, por fazer críticas ao capitalismo e defender uma política social de combate às desigualdades.

Cúpula da ONU

Na Organização das Nações Unidas (ONU) o papa vai ver pela primeira vez a bandeira do Vaticano ser hasteada e participará da Cúpula das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável 2015, na sexta-feira (25). A presença dele na abertura do evento, que vai apresentar oficialmente a Agenda para o Desenvolvimento Sustentável para 2030, é significativa porque o discurso do papa – de redução das desigualdades e combate à pobreza – vem ao encontro dos temas propostos e diretrizes que deverão ser adotadas globalmente pelos países membros da ONU.”

(Agência Brasil)

Corte italiana autoriza extradição de Henrique Pizzolato

“O Conselho de Estado da Itália autorizou hoje (22) a extradição de Henrique Pizzolato, ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil e condenado a 12 anos e 7 meses de prisão no processo do mensalão.

Os juízes rejeitaram o recurso apresentado pela defesa de Pizzolato e afirmaram que foram apresentadas garantias suficientes sobre as condições das prisões brasileiras em preservarem os direitos humanos. Segundo a Corte, as garantias foram apresentadas “tanto pelo governo quanto pelas máximas autoridades judiciárias brasileiras”.

Em junho, o conselho, que é a segunda instância da Justiça administrativa italiana, resolveu adiar para setembro a decisão sobre a extradição, pedindo novos documentos e esclarecimentos ao governo brasileiro sobre a situação das penitenciárias do país. A defesa de Pizzolato insistia que os centros detenção no Brasil violavam os direitos humanos.

A audiência desta manhã começou por volta das 9h (horário local, 4h em Brasília) e ocorreu a portas fechadas. Um grupo de cinco magistrados ouviu por meia hora os argumentos apresentados pelo advogado Alessandro Sivelli, da defesa de Pizzolato; Michele Gentiloni, representante da União; e Giuseppe Alvenzio, do Ministério da Justiça da Itália.

No fim do mês passado, o Brasil entregou uma série de documentos que dava garantias de que o ex-diretor de Marketing pudesse cumprir pena no país. Pizzolato foi condenado a 12 anos e sete meses de prisão por peculato, lavagem de dinheiro e corrupção passiva no processo de mensalão em novembro de 2013. Com um passaporte falso de seu irmão Celso, morto há 30 anos, o ex-diretor fugiu para a Itália e foi preso em fevereiro do ano passado em Maranello por falsidade ideológica.

O brasileiro ficou até outubro na penitenciária de Modena, quando o Tribunal de Bolonha negou sua extradição ao Brasil. Pizzolato esteve livre até fevereiro deste ano, quando a Corte de Cassação da Itália concedeu sua extradição. A decisão foi ratificada pelo Ministério da Justiça e pelo Tribunal de Lazio, primeira instância da Justiça administrativa.”

(Agência Brasil)

Sobral recebe comissão de docentes do Mercosul

download (39)

Sobral (Zona Norte) recebe, até o dia 30 próximo, a visita de uma comissão de professores e pesquisadores do Brasil, Uruguai, Argentina e Paraguai em clima de intercâmbio internacional na área de educação do Mercosul. No total, são 12 membros da comitiva: dois argentinos, dois uruguaios, dois paraguaios e seis brasileiros, todos professores e pesquisadores das áreas de educação, formação de professores e tecnologia para a educação.

Durante o intercâmbio, haverá nesta terça-fira, das 14 às 18 horas, um seminário internacional de educação. O evento é gratuito e promovido pelo CED/SEDUC. O prefeito Clodoveu Arruda (PT) apoia a caravana.

Essa comitiva do Mercosul ainda visitará a experiência educacional de outros municípios cearenses. O intercâmbio internacional tem na coordenação o professor Herbert Lima (UFC), atualmente diretor do CED/SEDUC em Sobral.

(Blog Sobral de Prima)

A hora da Cufa global

Com o título “Cufa – da favela para o mundo”, eis artigo do presidente da Central Única de Favelas, Preto Zezé. Neste texto, ele diz que “surgiu uma estrutura capaz de trazer à luz um Brasil invisível contrapondo ao Brasil do asfalto”. Confira:

Há 20 anos, Celso Athayde iniciava, no Rio de Janeiro, a trajetória da Central Única das Favelas (Cufa). Na época, eu ainda lavava carros nas ruas de Fortaleza – meu primeiro passo no ativismo social -, quando deparei com ele. Naquele momento, a minha prioridade era levantar uns trocados que ajudassem na renda familiar.

Numa retrospectiva, vejo que a minha mudança de perspectiva cotidiana teve eco semelhante na realidade do Pequeno do Barroso, Davi do Pantanal, Del do Lagamar, Ernando do Conjunto Ceará, Juliana do Bom Jardim e Liduína dos Trilhos, em Fortaleza; Nega Gizza e MV Bill, no Rio de Janeiro; Marcelinho, no Espírito Santo e Francislei, em Minas Gerais, além de outros representantes anônimos das demais favelas do País.

Me orgulho em afirmar que a Cufa nos abriu um leque de opções para a compreensão gradativa do ambiente que nos envolve, a ponto de distinguir um lúcido guia para a nossa revolta e indignação contra a discriminação e o preconceito. Introduzimos uma diversidade de ações desde cultura, tecnologia, literatura e negócios sociais, por meio da Favela Holding.

A partir de um novo viés de mundo, conseguimos transformar uma realidade, outrora negativa, em uma agenda favorável – tendo como pano de fundo os territórios de nossa origem. Aliado a isso, surgiu uma estrutura capaz de trazer à luz um Brasil invisível contrapondo ao Brasil do asfalto.

Passamos a utilizar uma tecnologia social flutuante sobre as fronteiras globais, que nos habilita a vislumbrar um passo importante para a expansão integral das ações a serem tomadas. Com isso, temos uma favela melhorada, informada, incluída, exigente, tecnológica, mais jovem, mais mulher e, principalmente, mais empreendedora. Atuamos nacionalmente nas 26 capitais e Distrito Federal, e em mais de 300 municípios em 17 países.

Cientes de que os problemas globais podem ter soluções comuns, na sexta-feira passada, 18, durante a Semana Global Cufa, iniciamos na sede das Nações Unidas, em Nova York, um processo de construção de uma plataforma de indicadores e objetivos, chancelada na casa pelos 192 chefes de estado do mundo.

Desta forma, uma nova governança global surgirá, concedendo poder às favelas do mundo, trazendo desde o seu embrião soluções para as suas demandas políticas, com empresas e governos.

* PretoZezé

pretozezefortaleza@gmail.com
Presidente da Central Única das Favelas (Cufa).

Syriza vai repetir coligação e governar com maioria absoluta na Grécia

O líder do partido de esquerda Syriza, Alexis Tsipras, vai repetir a coligação com os nacionalistas Gregos Independentes, caso se confirmem os resultados eleitorais, informou nesse domingo (20) a televisão pública grega ERT.

Com 40% dos votos contados, o Syriza obteve 35,5% e 145 lugares no parlamento. Os Gregos Independentes, do ex-ministro da Defesa Panos Kamenos, conseguiram 3,72% e dez assentos. Juntos, os dois partidos terão 155 dos 300 lugares do parlamento grego, quatro mais do que a maioria absoluta.

De acordo com fontes dos nacionalistas, citadas pelo diário To Vima, os dois líderes partidários deverão fazer ainda esta noite uma declaração conjunta. Kamenos, que todas as sondagens excluíam do parlamento, chegou sorridente à sede partidária, mas até agora não prestou declarações aos jornalistas.

As eleições antecipadas foram convocadas logo após a renúncia de Alexis Tsipras do cargo de primeiro-ministro, em 20 de agosto. Ele pediu demissão depois que 25 deputados da ala mais à esquerda do Syriza contestaram o novo pacote de austeridade acertado entre a Grécia e a União Europeia, recuando nas promessas de que Tsipras acabaria com a política de austeridade no país.

(Agência Brasil)

Frei Beto diz que viagem do papa a Cuba une dois povos

111 3

O teólogo brasileiro frei Beto disse nesse domingo (20) que a viagem que o papa Francisco faz a Cuba, seguindo depois para os Estados Unidos, é uma oportunidade para abraçar os dois povos que tem se esforçado pela aproximação.

Ele destacou a “participação discreta” do papa e da diplomacia do Vaticano no reatamento – em julho último – das relações entre Cuba e Estados Unidos, após meio século de afastamento, mas observou que “ainda há muito a ser feito”.

“A visita de Francisco é um presente para todo o povo cubano e norte-americano, embora vá ser muito mais complicada nos Estados Unidos do que em Cuba”, disse.

Frei Beto, autor do livro “Fidel e a Religião” e amigo pessoal do ex-presidente cubano Fidel Castro, assegurou que a “fé é algo que está plenamente enraizado” na vida de Cuba.

(Agência Brasil)

Papa é saudado por mais de 100 mil pessoas em Cuba

foto papa francisco cuba 150919

Milhares de cubanos saudaram nesse sábado (19) a chegada do papa Francisco a Havana. Elas agradeceram os esforços para o restabelecimento das relações diplomáticas entre Cuba e os Estados Unidos. Francisco chegou a Cuba na primeira etapa de uma viagem que o levará também aos Estados Unidos.

Segundo o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, o papa foi saudado nas ruas da capital cubana por mais de 100 mil pessoas. O papa conclamou Cuba e os Estados Unidos “a avançar” na normalização das relações bilaterais.

Francisco permanecerá em Cuba até a terça-feira (22).

(Agência Brasil)

Alemanha e Áustria pedem ajuda de 5 bilhões de euros para atender refugiados

A Alemanha e a Áustria pediram neste sábado (19) um pacote imediato de ajuda humanitária, no valor de 5 bilhões de euros, para melhorar a situação nos campos de refugiados no Oriente Médio.

O chanceler austríaco, Werner Faymann, e o vice-chanceler alemão, Sigmar Gabriel, disseram, depois de uma reunião em Viena, que esse dinheiro deveria vir da União Europeia, dos Estados Unidos e dos países ricos do Golfo Pérsico.

“Devemos ajudar os países onde a miséria é tão grande que as pessoas decidem sair. Se as pessoas não têm o que comer e beber, que mais podem fazer que não seja fugir?”, disse Sigmar Gabriel, em entrevista.

Os países vizinhos da Síria, sobretudo a Turquia, o Líbano e a Jordânia, onde a guerra civil se prolonga há cinco anos, acolheram milhões de sírios.

O vice-chanceler alemão afirmou que a União Europeia, os Estados Unidos e os países árabes deveriam dar mais ajuda e lembrou que o programa de alimentação da Organização das Nações Unidas teve de reduzir a ajuda mensal aos refugiados de US$ 27 para US$ 13 por falta de fundos.

Werner Faymann, por sua vez, criticou os muros que a Hungria está construindo nas fronteiras com a Sérvia, Croácia e Romênia.

(Agência Brasil)

Papa Francisco começa neste sábado visita de quatro dias a Cuba

O papa Francisco desembarca em Cuba neste sábado (19) para uma viagem de quatro dias ao país. É a primeira visita do pontífice à ilha, após a retomada das relações diplomáticas de Cuba com os Estados Unidos, que ele ajudou pessoalmente a negociar.

Em Havana, a Praça da Revolução recebeu um altar e fileiras de cadeiras para o papa celebrar uma missa a céu aberto. Nas ruas da capital cubana, mensagens dão boas-vindas ao líder da Igreja Católica.

Francisco é o terceiro papa a visitar Cuba desde a Revolução de 1959. Quando assumiu o poder, Fidel Castro, batizado e educado por jesuítas, declarou a ilha um Estado ateu, expulsou padres e fechou escolas religiosas. Uma histórica visita do papa João Paulo II, em 1998, marcou o início da recuperação dos laços com a igreja.

Em 2012, o papa Bento XVI foi recebido pelo sucessor de Fidel, o irmão mais novo do comandante, Raúl Castro.

(Agência Brasil)