Blog do Eliomar

Categorias para Internacional

Resultado de referendo na Grécia é primeiro passo para saída da zona do euro

Após votar majoritariamente contra as propostas dos credores internacionais no referendo deste domingo (5), a Grécia deu o primeiro para a sua saída da zona do euro, avaliou o vice-ministro da Economia russo, Alexei Likhachev. Ele considerou, no entanto, prematuro afirmar que a Grécia “irá até o fim do caminho”.

Os eleitores gregos rejeitaram, em referendo realizado neste domingo, as propostas dos credores internacionais – Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional. Com mais da metade dos votos contados, o “não” lidera com folga.

(Agência Brasil)

Acordo será melhor se vitória do ‘não’ for confirmada, diz ministro grego

O ministro de Estado grego, Nikos Pappas, afirmou que o acordo com os credores será melhor em caso de vitória do “não” no referendo e assegurou que os bancos vão ter liquidez.

“O acordo será melhor se ganhar o não, será uma mensagem mundial”, disse Pappas à televisão privada Alpha. Ele garantiu, por outro lado, que “não há razões para que os bancos não tenham liquidez”.

O porta-voz do Syriza, Nikos Filis, afirmou que os resultados das primeiras sondagens, que indicam vitória do “não”, dão “força ao governo para se mover com rapidez e poder chegar a um acordo que normalize a situação do sistema bancário” da Grécia.

Após o fechamento das urnas, às 19h (horário local), o primeiro-ministro Alexis Tsipras foi para a residência oficial, onde acompanha os resultados.

(Agência Brasil)

Grécia: primeiras projeções apontam para vitória do ‘não’

As primeiras projeções divulgadas pelas televisões gregas após o fechamento das urnas para o referendo deste domingo (5) indicam vitória do “não” por margem reduzida.

Segundo o jornal britânico The Guardian, uma primeira projeção, do instituto Metron, atribui 49% dos votos ao “não” e 46% ao “sim”.

Outra, do instituto GPO, dá de 46% a 51% ao “não” e de 46,5% a 50,5% ao “sim”. Uma terceira, da Mark, atribui de 49% a 54% ao “não” e de 45% a 50,5% ao “sim”. A quarta, do instituto MRB, dá 49% a 54% ao “não” e 46% a 51% ao “sim.

As projeções foram feitas durante entrevistas telefônicas ao longo do dia. Segundo a agência de notícias grega Amna, a participação eleitoral foi cerca de 65%, a mesma registrada nas eleições legislativas de janeiro.

Cerca de 10 milhões de eleitores foram chamados a votar no referendo sobre se aceitam ou não as medidas de austeridade propostas pelos credores internacionais em troca de ajuda financeira ao país.

(Agência Brasil)

Presidente grego apela à união “no difícil caminho do dia seguinte” ao referendo

O presidente da Grécia, Prokopis Pavlópulos, pediu neste domingo (5) aos cidadãos para permanecerem unidos no difícil caminho que se aproxima, independentemente da opção que for feita no referendo sobre a proposta dos credores internacionais em troca do resgate.

“Hoje é o dia em que as pessoas são chamadas a pronunciar-se, colocando o seu poder no interesse público e no interesse nacional. Repito o que disse várias vezes. O caminho difícil no dia seguinte devemos fazê-lo juntos”, afirmou Pavlópulos depois de votar em um subúrbio do norte de Atenas.

O conservador Prokopis Pavlópulos, que como chefe de Estado não falou publicamente sobre o sim ou o não ao acordo, defendeu, contudo, a participação no referendo.

Antes do presidente, votaram vários ex-primeiros-ministros, todos a favor do sim, incluindo o último primeiro-ministro, o conservador Andonis Samaras.

As mais de 19 mil assembleias de voto abriram às 7h e fecham às 19h.

O referendo, o primeiro desde 1974, serve para os gregos decidirem se aceitam o programa apresentado pelos credores internacionais (a Comissão Europeia, o Fundo Monetário Internacional e o Banco Central Europeu) há mais de uma semana.

É exigida uma participação de pelo menos 40% do eleitorado para que o resultado do referendo seja considerado válido.

(Agência Brasil)

Dilma diz que confia em Obama e no compromisso de que espionagem acabou

A Secretaria de Comunicação Social (Secom) da Presidência da República divulgou nota afirmando que a presidenta Dilma Rousseff confia no presidente americano, Barack Obama, e em seu compromisso de que não haverá mais espionagem contra o Brasil e empresas brasileiras.

Segundo informações do site WikiLeaks, divulgadas nesse sábado (4), teriam sido interceptadas ligações de 29 números de telefone do governo brasileiro, incluindo a Presidência da República, o Ministério da Fazenda, o Banco Central e o Ministério das Relações Exteriores.

Segundo a nota, a presidenta Dilma considera o assunto superado. “Em várias circunstâncias, a presidenta Dilma Rousseff ouviu do presidente Barack Obama o compromisso de que não haveria mais escutas sobre o governo e empresas brasileiras, uma vez que os EUA respeitam os ‘países amigos'”.

Na nota divulgada pela secretaria, a Presidência da República afirma ainda que a parceria estratégica entre o Brasil e os Estados Unidos se tornará cada vez mais forte e que a relação é baseada em respeito mútuo e no desenvolvimento de ambos os povos.

(Agência Brasil)

Bancos gregos poderão reabrir na terça-feira

92 1

O Conselho de Governadores do Banco Central (BCE) grego reúne-se nesta segunda-feira (6) para decidir se oferecerá liquidez aos bancos gregos por meio do mecanismo de empréstimos de emergência, congelados na semana passada. A presidente da União Grega de Bancos, Luka Katseli, disse nesse sábado (4) que há uma “alta probabilidade” de os bancos reabrirem na terça-feira (7) ou o mais tardar na quarta-feira (8), ainda que seja sob controle de capitais.

A vigência do decreto-lei que, entre outras restrições, prevê saques máximos de 60 euros nos caixas eletrônicos termina na noite desta segunda-feira. Em declarações ao canal de TV Mega, Luka Katseli acrescentou que o nível de restrição dependerá da liquidez existente na terça-feira.

“A solvência dos bancos gregos está sendo controlada pelo BCE. Quanto mais cedo voltamos ao normal, mais depressa evitaremos situações desagradáveis no futuro”, disse.

(Agência Brasil)

Ministro das Finanças diz que Grécia é vítima de terrorismo

O ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis, disse neste sábado (4) que “o que fazem com a Grécia tem um nome: terrorismo”. Para Varufakis, se o sim vencer no referendo deste domingo (5), os credores internacionais terão um acordo “absolutamente nefasto”. Se o não sair vitorioso, “não será fantástico, mas não será tão ruim”, segundo o ministro.

Neste domingo, os eleitores gregos vão decidir, em referendo, se aceitam as novas medidas de austeridade propostas pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), pela Comissão Europeia e pelo Banco Central Europeu.

Em entrevista ao jornal espanhol El Mundo, Varoufakis insistiu que, se vencer o não, o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, viaja na segunda-feira (6) a Bruxelas e poderá conseguir um acordo melhor.

Independentemente do resultado do referendo, o ministro acredita que no dia seguinte haverá um acordo. Segundo ele, haverá perda de 1 bilhão de euros se a Grécia sucumbir, algo que a Europa não pode permitir porque “é muito dinheiro”. O ministro também garantiu que, na terça-feira (7), os bancos do país reabrirão.

(Agência Brasil)

Grécia – Especialista diz que vitória do ‘não’ é possibilidade ‘assustadora’

Na véspera do referendo na Grécia, em que a população do país vai decidir se aceita medidas de austeridade sugeridas pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), pela Comissão Europeia e pelo Banco Central Europeu, o professor da Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da Fundação Getúlio Vargas (FGV/EBAPE), Istvan Kasznar, disse que a condução das autoridades gregas em favor da rejeição da proposta – por meio da escolha do “não” no referendo – “é assustadora”.

Segundo ele, a possibilidade da rejeição das medidas “pode significar o isolamento muito radical do país”, em relação não só à Europa, mas a toda a comunidade internacional.

“A população grega tem excelente cultura e altíssimo nível de alfabetização”, lembrou o professor, ao observar que uma rejeição significaria uma mudança radical do perfil da tradição grega.

De acordo com Kasznar, as decisões do governo grego na busca de soluções têm de ser firmes. “O Banco Central Europeu tem os seus limites e vai estabelecer uma política mais disciplinada porque tem que servir de exemplo para o G-27”, disse.

O professor esteve em junho na Grécia. Ele disse que passou uma semana analisando as condições do país. Ele concluiu que um dos grandes problemas na área econômica é que o sistema bancário funciona com a influência de instituições situadas fora do país. Essa situação, segundo ele, não dá segurança à população sobre o lastro que os bancos gregos têm para garantir o pagamento de retiradas solicitadas pelos correntistas.

(Agência Brasil)

Dilma, Palocci e ministros tiveram telefones grampeados pelos EUA, denuncia WikiLeaks

Os telefones da sala da Presidência da República e até o número telefônico do avião presidencial foram grampeados pela Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos, segundo denúncia neste sábado (4) do site WikiLeaks. Além dos telefones da presidente Dilma Rousseff, secretários e assessores mais próximos da presidente também teriam sido espionados.

De acordo ainda com o site, o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, teve ligações interceptadas, quando na função de secretário executivo do Ministério da Fazenda. Os ex-ministros Antonio Palocci (Casa Civil) e Luiz Alberto Figueiredo (Relações Exteriores) passaram pelo mesmo processo de espionagem, segundo ainda o WikiLeaks.

O Palácio do Planalto ainda não se pronunciou oficialmente.

(com agências)

Eleitores da Grécia decidem amanhã se aceitam medidas propostas por credores

Os eleitores gregos vão decidir, neste domingo (5), em referendo, se aceitam as novas medidas de austeridade propostas pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), pela Comissão Europeia e pelo Banco Central Europeu.

As sondagens sobre o voto dos gregos dão uma pequena vantagem ao sim, 44,8%, contra o percentual de 43,3% que devem optar pelo não. Mas a porcentagem de indecisos, 11,3%, pode desequilibrar a balança em qualquer sentido.

Se os cidadãos da Grécia votarem contra o acordo que estava em negociação no último sábado (27), as perspectivas apontam uma saída do país da zona euro. Segundo analistas, a vitória do sim pode reduzir as hipóteses de a Grécia sair do bloco, porque mostraria que a população está disposta a mais sacrifícios, mas isso poderá levar à demissão do governo grego.

A situação se agrava com o não pagamento de cerca de 1,6 bilhão de euros ao FMI, cujo prazo terminou no dia 30. Sem ter quitado a parcela do resgate financeiro, o país entrou oficialmente em calote com os credores internacionais e, com isso, deixará de ter acesso aos empréstimos do FMI e perde o direito de voto no fundo.

(Agência Brasil)

Em tempos de ajuste fiscal, Dilma se hospeda em hotel de R$ 11 mil por noite em Nova York

92 4

“Custou R$ 11 000 por noite a suíte que Dilma ficou em Nova York, no Hotel St Regis, na esquina da Quinta Avenida com a Rua 55.

Dilma ocupou por duas noites a suíte Tiffany, decorada pelo diretor de design da grife cobiçada por Audrey Hepburn em Bonequinha de Luxo. Com 158 metros quadradros, tem uma sala de jantar para dez pessoas e uma sala de estar.

Incluindo a noite anterior à chegada de Dilma, quando tradicionalmente o quarto é vistoriado pela segurança da Presidência, o total da conta não ficou abaixo de 102 000 reais, na cotação do dólar de 3,10 reais de ontem.

Mas certamente, em tempos de ajuste fiscal, a presidente deve ter pedido um desconto para dar o bom exemplo.”

(Veja Online)

Grécia é o primeiro país do 1º mundo a dar calote no FMI

grécia crise

“Terminou às 19 horas desta terça-feira (meia-noite em Bruxelas, na Bélgica) o prazo para a Grécia pagar a parcela de 1,6 bilhão de euros que devia para o Fundo Monetário Internacional (FMI). Com isso, o país se torna a primeira nação desenvolvida a dar um calote no fundo. Em termos técnicos, o FMI só considera calote o atraso de mais de seis meses do pagamento da dívida a partir do dia do vencimento.

O atraso no pagamento já era esperado, uma vez que o Eurogrupo havia rejeitado um pedido de última hora feito pela Grécia para liberar um pacote de socorro. Com isso, a crise na Grécia, que já era profunda, acentua-se ainda mais. Isso porque, no mesmo horário, expirou o pacote de auxílio financeiro do FMI e do Banco Central Europeu.Ao longo da última semana, reuniões foram feitas entre o Eurogrupo e o governo grego para solucionar o impasse sobre a dívida do país, mas todas as tratativas fracassaram.

Sem chegar a um acordo, o governo comandado pelo partido de esquerda Syriza convocou um prebliscito para o próximo domingo. Nele, a população deve opinar se aceita ou não as propostas feitas pelos credores para liberarem o pacote de socorro. Entre as medidas, está o corte de salários e de benefícios sociais.

Desde segunda-feira, os bancos estão fechados e transações de cartões de crédito e débito para contas fora da Grécia estão proibidas. As imposições anunciadas no último domingo visam impedir uma corrida da população aos bancos para sacar dinheiro. Sem recursos disponíveis, o sistema financeiro do país entra em colapso.

Na segunda-feira, milhares de gregos saíram às ruas para declarar apoio ao “não” no referendo. Nesta terça, outros milhares de cidadãos se manifestaram a favor do “sim” às propostas dos credores internacionais.

Os líderes europeus já deixaram claro que o que está em jogo não é apenas o calote, mas a permanência do país na Zona do Euro. O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, afirmou que se sentiu “traído” por Tsipras e quem disser “não” na consulta popular estará votando contra a Europa.

(Veja Online)

Dilma anuncia facilitação da entrada de brasileiros nos EUA

“A presidenta Dilma Rouseff, anunciou hoje (30), ao lado do presidente norte-americano Barack Obama, a inclusão de cidadãos brasileiros no programa Global Entry, que facilita a entrada de quem viaja com frequência aos Estados Unidos. O anúncio foi feito durante declaração conjunta à imprensa, após reunião de trabalho entre os dois presidentes.

No Global Entry, o viajante não precisa passar pelas filas de imigração, apenas passa o passaporte em leitor eletrônico ao desembarcar nos EUA. A medida deverá beneficiar viajantes frequentes, sem validade para turistas eventuais. Dilma também destacou a assinatura de um acordo previdenciário que vai beneficiar a comunidade brasileira que vive nos Estados Unidos.

Durante a declaração, Dilma e Obama destacaram a cooperação bilateral em áreas como comércio, investimentos, educação, defesa, energia e ciência e tecnologia e mudanças climáticas. A presidenta brasileira disse que a recuperação da economia dos Estados Unidos é importante para as economias do Brasil e do mundo e quer aproveitar o cenário para ampliar o fluxo de comércio e investimentos entre os dois países.

“Queremos ampliar e diversificar nossas trocas, nosso desafio é dobrar a corrente de comércio em uma década. O objetivo é construir condições para um relacionamento comercial ambicioso entre o Brasil e os Estados Unidos. Para isso, no curto prazo, devemos remover os obstáculos não-tarifários existentes para bens industriais e agrícolas, devemos reduzir a burocracia, as complicadas autorizações e outras restrições, ao mesmo tempo em que gostaríamos que fosse reconhecida a qualidade dos processos produtivos do Brasil”, listou.

Dilma destacou a nova etapa do programa de concessões e disse que espera participação de investidores norte-americanos nas licitações de obras de infraestrutura do Brasil incluídas no pacote.”

(Agência Brasil)

Dilma encerrará nesta segunda-feira em Nova York encontro sobre investimentos no Brasil

68 1

dilmeneu

“A presidenta Dilma Rousseff faz hoje (29), em Nova York, o discurso de encerramento do Encontro Empresarial sobre Oportunidades de Investimento em Infraestrutura no Brasil. Dilma está na cidade desde sábado (27) para se reunir com empresários dos setores financeiro e produtivo. Nesse domingo, ela conversou com brasileiros que têm negócios no país.

Ainda hoje, a presidenta embarca para Washington. À noite, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, oferece um jantar em sua homenagem, na Casa Branca. A convite de Obama, Dilma vai dormir na casa oficial do governo dos Estados Unidos para hóspedes, a Blair House. Amanhã (30), Dilma e Obama terão reunião de trabalho.

A viagem da presidenta aos Estados Unidos representa a retomada do diálogo político bilateral, segundo o subsecretário-geral Político I do Ministério das Relações Exteriores, Carlos Antonio da Rocha Paranhos. Em 2013, Dilma Rousseff cancelou visita que faria ao país depois das denúncias de que o governo norte-americano espionou a presidenta e empresas estatais brasileiras.

Vários assuntos estarão em discussão no encontro dos presidentes. Eles vão tratar da questão da mudança climática e da preparação dos dois países para a Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP21), em Paris, no fim do ano. Dilma e Obama vão debater também a liberação do comércio de carne entre os dois países e o ingresso do Brasil em um programa chamado de Global Entry.

O sistema cria um processo rápido para a entrada de estrangeiros em território norte-americano e é destinado a viajantes frequentes, como empresários em reuniões de negócios.”

(Agência Brasil)

O Papa Francisco é pop

Com o título “Na contramão do papa Francisco”, eis artigo do diretor-executivo da Escola Superior da Asdvocacia (ESA), Vanilo Carvalho. Ele aborda um religioso sem preconceitos e uma sociedade insistindo no conservadorismo de muitas práticas. Confira:

“Não existem mães solteiras. Existem mães. Ser mãe não é um estado civil”. Esta frase, atribuída ao papa Francisco, revela a sua postura, o seu comportamento e o seu discurso, que entende cada ser humano igual em dignidade. Mais ainda: convida insistentemente ao acolhimento, principalmente em relação aos mais sofridos, vulneráveis e aos que constantemente são vítimas de preconceitos.

Na mesma linha, afirmou que “os gays não devem ser marginalizados, mas integrados à sociedade”, e que ele, o próprio papa, o chefe da Igreja Católica, não se sente em condição de julgá-los. E vai além, quando o tema é o preconceito racial: “é preciso superar o individualismo, o egoísmo, todas as formas de racismo, de intolerância e de instrumentalização da pessoa humana”.

Na contramão, observamos atônitos grupos que incitam ao ódio na sociedade na lógica de um neoconservadorismo que camufla o real interesse de seus atos, que é somente o proveito próprio e a usurpação de poder. A hipocrisia religiosa tomou-se ordem do dia. A ausência de escrúpulos nos discursos recheados de aberrações contra os direitos humanos e os princípios constitucionais de um Estado Democrático de Direito, na utilização das carências emocionais, principalmente dos mais pobres e menos letrados, choca os lúcidos.

Uma criança de 11 anos foi apedrejada na cabeça, no dia 14 de junho último, por discriminação religiosa. A revista Exame diz que o número de assassinatos de homossexuais no Brasil triplicou em cinco anos.

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, tem sua base política fortalecida por líderes que exploram fiéis, numa relação onde o dinheiro transferido para seitas significa promessa de prosperidade pequeno-burguesa de curta duração. 

Tristes tempos.

Fisiologismo de facção religiosa na estrutura estatal? Não se pode aceitar. Manipulação politiqueira no processo legislativo contra direitos fundamentais merece reação. Tais práticas, que atentam contra princípios universais, tão fortemente clamados pelo papa Francisco, com as quais muitas vezes nos deparamos, causam espécie.

* Vanilo Carvalho

opiniao@opovo.com.br 

Diretor executivo da Escola Superior de Advocacia (ESA).

Primeiro-ministro grego confirma fechamento temporário dos bancos

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, anunciou que os bancos gregos estarão fechados nesta segunda-feira (29). Ele assegurou que estão garantidas as poupanças, salários e pensões dos cidadãos. A medida foi tomada após uma corrida dos gregos aos bancos para retirar dinheiro diante da incerteza da situação financeira da Grécia.

Na maioria das caixas multibanco do centro de Atenas, nesse domingo (28), não havia mais dinheiro disponível, enquanto as filas cresciam.

A Grécia termina nesta terça-feira (30) o seu programa de resgate e o Eurogrupo recusou alargar o prazo até ser conhecido o resultado do referendo aprovado pelos gregos e agendado para o dia 5 de julho. No referendo, o povo grego vai dizer se aceita ou não as condições dos credores internacionais para um acordo com Atenas.

O Banco Central Europeu anunciou nesse domingo ter decidido manter os empréstimos de emergência aos bancos gregos nos atuais níveis, enquanto o banco nacional grego se comprometeu a adotar todas as medidas necessárias para garantir a segurança financeira.

(Agência Brasil)

Referendo na Grécia perde o sentido com fim do resgate na terça-feira, diz FMI

A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, informou neste domingo (28) que o referendo na Grécia deixa de fazer sentido com o fim do programa de resgate, na terça-feira (30).

“Não posso falar pelo programa do FMI, porque ele continua válido, mas o resgate financeiro europeu expira em 30 de junho. Portanto, pelo menos do ponto de vista legal, o referendo terá a ver com propostas e acordos que já não são válidos. É uma questão legal”, afirmou Lagarde.

O primeiro-ministro Alexis Tsipras anunciou na sexta-feira (26) a intenção de convocar um referendo para 5 de julho. Nesse sábado (27), o Eurogrupo recusou a concessão de novo prazo para a Grécia realizar a consulta ao povo. Tsipras quer saber se o povo grego se aceita ou não as condições dos credores internacionais para um acordo com Atenas.

(Agência Brasil)

Banco Central Europeu se reúne neste domingo para debater situação da Grécia

O Banco Central Europeu (BCE) anunciou uma reunião do seu Conselho de Governadores, no momento em que a Grécia se encaminha para uma situação de não cumprimento da dívida. Segundo fontes do setor bancário, ela deve ocorrer neste domingo (28).

O Conselho de Governadores, que reúne os seis membros da diretoria da instituição e os 19 governadores dos bancos centrais dos países da zona euro, toma decisões, entre outras, sobre a manutenção dos bancos gregos com empréstimos de emergência. Mas a concessão desses empréstimos pode estar em xeque, já que depende da existência de um programa de ajuda ao país e da solvência dos bancos.

Nem uma nem outra das condições parecem existir hoje, depois de a zona euro ter indicado não estar pronta a estender o programa de ajuda à Grécia além do dia 30 de junho e de Atenas não ter aceitado as condições colocadas na sexta-feira (26) para que houvesse esse prolongamento.

Dia 30 de junho é o prazo para a Grécia pagar 1,6 bilhão de euros que deve ao Fundo Monetário Internacional (FMI).

Na noite da sexta-feira, o governo grego anunciou a chamada de um referendo, no dia 5 de julho, para que o povo grego decida se aceita o acordo proposto pelos credores – Comissão Europeia, Fundo Monetário Internacional e BCE.

((Agência Brasil)

Zico mantém candidatura à Fifa e critica corrupção na entidade

O ex-jogador de futebol Artur Antunes Coimbra, conhecido como Zico, reafirmou neste sábado (27) que é candidato à presidência da Federação Internacional de Futebol (Fifa) e comentou a atitude do atual presidente da entidade, Joseph Blatter, que declarou em entrevista a um jornal suíço, na quinta-feira (25), que não teria renunciado, deixando em aberto uma possível volta ao cargo. Zico participou no Rio de Janeiro, ao lado do ministro do Esporte, George Hilton, da cerimônia de despedida da delegação brasileira que participará do Special Olympics, nos Estados Unidos – competição para jovens com deficiências intelectuais.

“Estamos na fase de aguardar o desenrolar dos fatos. A gente já vê o presidente [Blatter] dizer que não falou – o que muita gente colocou – e que não era bem aquilo que ele tinha dito. Acho que todos esses fatos denegriram muito o futebol mundial, e a gente espera que haja uma solução definitiva, para o bem do futebol. Não podemos ter dirigentes importantes presos e denunciados, indiciados. Isso contamina. A gente vê uma oportunidade ímpar para uma entidade importante passar a ser democrática, passar a ter decisões que beneficiem o futebol, e não pessoas”, comentou.

(Agência Brasil)

Domingos Neto destaca redução de idade para candidaturas

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=pVrRwLfNwXg[/youtube]

Duas semanas após a Câmara dos Deputados ter reduzido a idade para candidaturas a deputado, senador e governador, o deputado federal Domingos Neto (PROS-CE) destacou nessa sexta-feira (26), em Lima, no Peru, a iniciativa dos parlamentares brasileiros, durante o I Encontro dos Jovens Parlamentares da América.