Blog do Eliomar

Categorias para Internacional

Prêmio Nobel de Física sai para inventores da tecnologia LED

“O Prêmio Nobel de Física foi concedido hoje (7) aos pesquisadores Isamu Akasaki e Hiroshi Amano (Japão) e Shuji Nakamura (Estados Unidos), pela invenção do díodo eletroluminescente (LED), anunciou o júri em comunicado.

Os consagrados foram reconhecidos pela descoberta dessa tecnologia, que permite uma economia significativa de energia.”

(Agência Lusa)

Prêmio Nobel de Medicina sai para pesquisador norte-americano e casal norueguês

“O norte-americano John O’Keefe e um casal de noruegueses, May-Britt e Edvard Mosel, vão receber o Prêmio Nobel de Medicina 2014, informou hoje (6) o Comitê Nobel. O prêmio foi concedido pelas descobertas sobre as “células que constituem um sistema no cérebro de determinação da posição”, uma espécie de GPS interno, segundo o júri.

Esse GPS (sistema de posicionamento global) no cérebro permite que nos orientemos em determinado espaço, mostrando a base celular de uma função cognitiva superior, explica o júri do Nobel em comunicado. O sistema permite responder a questões simples, entre elas “como sabemos onde estamos? Como conseguimos encontrar o caminho entre um local e outro? Como guardamos essa informação de modo a poder encontrar rapidamente o caminho outra vez?”.

O norte-americano-britânico John O’Keefe descobriu em 1971 o primeiro componente desse “GPS”. Foi preciso esperar até 2005 para que May-Britt e Edvard Mosen identificassem outro componente-chave do sistema, células nervosas que criam coordenadas para determinar as posições. O prêmio, de 8 milhões de coroas suecas (cerca de 881 mil euros) será dividido em duas partes, metade para O’Keefe e metade para o casal Moser.”

(Agência Lusa)

Eleição já começou na Nova Zelândia

Sete horas antes da abertura das sessões eleitorais no Brasil, a votação brasileira na Nova Zelândia já terá sido encerrada para os 883 eleitores – número de brasileiros aptos a votar votar na embaixada. A votação na embaixada começou às 8 horas deste domingo, horário local (17h de sábado, horário de Brasília).

Os brasileiros residentes no exterior só podem votar para presidente, mas, de resto, a eleição é igual – com urnas eletrônicas, mesários e lista de eleitores.

No dia 5 de outubro, 354.184 eleitores brasileiros que vivem fora do país em 168 cidades de 92 países poderão votar para eleger os novos presidente e vice-presidente da República, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

(Com Agências)

Terremoto de magnitude de 5,5 atinge o Japão

“Um terremoto de magnitude 5,5 na escala Richter foi sentido hoje (3) em Iwate, no Nordeste do Japão. Até o momento, não há registro de vítimas ou de danos materiais.

A Agência Meteorológica do Japão não emitiu alerta de tsunami.

O epicentro do abalo, registrado por volta das 10 horas (horário local), foi localizado a uma profundidade de 30 quilômetros.”

(Agência Brasil)

Obama admite que EUA subestimaram surgimento do Estado Islâmico

Em entrevista nesse domingo (28), o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, reconheceu que as agências de inteligência do país subestimaram a possibilidade de o caos na Síria se constituir em um terreno fértil para o surgimento de uma organização como o Estado Islâmico (EI).

Obama disse que a Síria se tornou o “marco zero para jihadistas de todo o mundo”. O presidente afirmou que o chefe dos serviços secretos norte-americanos, Jum Clapper, reconheceu que subestimou o que estava acontecendo na Síria. Além disso, Obama também declarou que seu governo superestimou a capacidade do Exército iraquiano em combater os extremistas do EI.

(Agência Brasil com a Agência Lusa)

Pesquisa mostra que mulheres são sub-representadas e estigmatizadas no cinema

Mulheres em postos de comando, ocupando cargos como a Presidência da República ou ganhando prêmios pelo desempenho acadêmico podem até ser mais comuns nos dias atuais. No entanto, ainda não é essa a representação feita sobre as mulheres no cinema, segundo a publicação Preconceito de Gênero sem Fronteiras: Uma Pesquisa sobre Personagens Femininos em Filmes Populares em 11 Países, feita pelo Geena Davis Institute on Gender in Media, a Organização das Nações Unidas (ONU) Mulheres e a Fundação Rockefeller.

A pesquisa destaca que, embora as mulheres sejam metade da população do mundo, dos 5.799 personagens falantes ou nomeados na tela, 30,9% são do sexo feminino. No caso dos filmes de ação ou aventura, essa participação é ainda menor: elas são 23% dos personagens com falas. Já em relação aos protagonistas, apenas 23,3% das tramas tinham uma menina ou uma mulher no papel principal.

O estudo, que analisou produções exibidas entre janeiro de 2010 e maio de 2013 na Austrália, China, França, Alemanha, Índia, Rússia, Coreia do Sul, no Reino Unido, Japão e Brasil – considerados os territórios mais rentáveis para a indústria cinematográfica – constatou ainda que a sexualização “é o padrão para personagens femininos em todo o mundo”. O estudo mostra que a chance de uma pessoa do sexo feminino aparecer com roupas sensuais ou nua é duas vezes maior que a do sexo masculino.

Além disso, adolescentes estão propensas a serem apresentadas como jovens adultas e é comum que as mulheres sejam representadas como magras e atraentes. Enquanto os homens magros são 15,7% do total analisado, a participação de mulheres magras chega a 38,5%.

No caso do Brasil, a pesquisa destaca que a participação das mulheres nos filmes fica em 37,1% – percentual maior que a média mundial. No entanto, o país ganha quando o assunto é a sexualização das mulheres e também na caracterização delas como magras.

Dilma faz discurso de enfrentamento da crise econômica mundial

26 2

Da Coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (28):

A presidente Dilma Rousseff, na abertura da 69ª Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), fez um balanço das realizações de seu governo. Houve quem não entendesse a razão, classificando a apresentação de “eleitoreira”.

Ora, ali era uma plateia internacional, uma arena onde se digladiam duas visões de mundo. Era a oportunidade de o Brasil, diante de um auditório planetário, demonstrar que há outras vias possíveis de enfrentamento da crise econômica mundial, que não a do desemprego, da recessão e do arrocho de salários e direitos trabalhistas, como fizeram a Europa e EUA.

Se o Brasil conseguiu, durante a fase mais aguda da crise, erradicar a fome, retirar 36 milhões de pessoas da miséria e criar mais 21 milhões de empregos, outros países podem fazer o mesmo, não precisando se submeter à receita neoliberal que atirou milhões de pais de família no olho da rua, em todo o mundo, para não sacrificar os ganhos dos bancos.

Dilma diz que Brasil não foi consultado sobre compromisso de desmatamento

A presidente Dilma Rousseff manifestou-se sobre o fato de o Brasil não ter assinado a Declaração de Nova York, em que 150 países comprometem-se a zerar totalmente o desmatamento até 2030. Ela confirmou a posição declarada nessa terça-feira (23) pelo Itamaraty de que o governo brasileiro não foi convidado a participar da elaboração do documento e disse que a carta fere a legislação brasileira.

Segundo Dilma, “além de não terem nos consultado”, a não assinatura se deu “também pelo fato de que se contrapõe à nossa legislação”, disse. “A lei brasileira permite que façamos manejo florestal, muitas pessoas vivem do manejo florestal, que é o desmatamento legal sem danos ao meio ambiente. Nas beiras, principalmente pelas populações tradicionais, você pode ter o manejo florestal”, justificou a presidenta, em entrevista a jornalistas em Nova York, depois de discursar na 69ª Assembleia Geral das Nações Unidas.

Dilma voltou a se manifestar contrario às ações militares dos Estados Unidos na Síria e a qualquer solução que não seja diplomática para a resolução de conflitos. Ela também considerou “fundamental” a reforma do Conselho de Segurança do órgão.

(Agência Brasil)

Papa Francisco quer comunidade internacional na luta contra o ebola

apapa

“Durante discurso após celebração na Praça de São Pedro, o papa Francisco pediu hoje (24) “que não falte ajuda necessária da comunidade internacional” no combate à epidemia de ebola nos países africanos. Francisco lembrou todos os que estão sofrendo devido à epidemia e manifestou sua proximidade “a todas as pessoas afetadas por essa terrível doença”. O papa pediu aos fiéis que rezassem por todos os que perderam a vida por causa do ebola, apelando ainda para que “não falte a ajuda da comunidade internacional para aliviar o sofrimento desses irmãos e irmãs”.

O ebola já matou mais de 2,8 mil pessoas na África Ocidental. Ontem (22), a Organização Mundial da Saúde alertou que as infecções pelo vírus podem triplicar para 20 mil casos até novembro, aumentando em milhares todas as semanas, caso os esforços para conter o surto não sejam reforçados.

Na celebração litúrgica, o papa recordou a viagem que fez à Albânia no domingo.“[Vi] um povo [que esteve] tanto tempo oprimido por um regime desumano, mas hoje se pode constatar um renascimento da Igreja e também a possibilidade concreta de uma convivência pacífica e frutífera entre as pessoas e as comunidades de diferentes religiões”, disse Francisco.”

(Agência Brasil)

Dilma abrirá a 69ª Sessão da Assembleia Geral da ONU

33 1

“Seguindo a tradição iniciada em 1947 por Oswaldo Aranha, de o primeiro orador na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) ser um brasileiro, a presidenta Dilma Rousseff fará hoje (24) o discurso de abertura da 69ª Sessão da Assembleia Geral da ONU, em Nova York. Ontem, ao comentar os ataques aéreos dos Estados Unidos na Síria, para combater o grupo extremista Estado Islâmico, que deve ser o principal assunto nos discursos dos líderes de grandes potências, Dilma disse que lamenta “enormemente” o conflito, e deixará “muito clara” em seu discurso a posição brasileira sobre o assunto, relacionado também à “paralisia” do Conselho de Segurança da ONU.

A expectativa é que Dilma aborde alguns temas surgidos nos últimos 12 meses, desde seu discurso anterior na 68ª sessão, quando propôs o estabelecimento de marco civil multilateral para a governança e o uso da internet na proteção de dados, como consequência da espionagem do governo dos Estados Unidos a cidadãos, governos e empresas. De lá para cá, explodiu a crise na Ucrânia e a ascensão do grupo extremista Estado Islâmico na Síria e no Iraque. Nesse período, o conflito Israel-Palestina também teve um de seus períodos mais fortes, o único dos três em que a diplomacia brasileira se posicionou de forma clara e firme.

A presidenta deve reforçar em seu discurso a posição histórica brasileira de oposição a sanções de qualquer natureza, diferentemente da de alguns países, principalmente após o ataque de 11 de setembro de 2001, que consideram que contra o terrorismo vale qualquer ação, ainda que o termo possa ser tratado de forma subjetiva. O caso em evidência atualmente é o do Estado Islâmico, grupo contra o qual os Estados Unidos e a França estão fazendo ataques aéreos.”

(Agência Brasil)

 

EUA lançam ataque contra Estado Islâmico na Síria

Os Estados Unidos e países aliados lançaram na noite dessa segunda-feira (22) ataques aéreos contra os extremistas do Estado Islâmico na Síria, informou o Pentágono. “Posso confirmar que o Exército norte-americano e as forças das nações aliadas estão fazendo as ações militares contra os terroristas do Estado Islâmico, usando caças, bombardeiros e mísseis Tomahawk”, disse o porta-voz contra-almirante John Kirby em comunicado.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou, no dia 10 de setembro, estar pronto para lançar ataques aéreos contra o Estado Islâmico na Síria, ampliando a campanha militar que está ocorrendo contra os jihadistas no Iraque.

Barack Obama afirmou que os Estados Unidos iriam liderar uma “ampla coligação” para eliminar a ameaça que o Estado Islâmico representa, mas insistiu que não serão enviadas tropas norte-americanas para combater em território estrangeiro como parte da operação.

(Agência Brasil)

Brasil cumpre meta de erradicação da fome, diz FAO

Da Coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (21):

O Brasil saiu do Mapa da Fome. O anúncio foi feito esta semana pela FAO (organismo da ONU), ao destacar que o País conseguir realizar brilhantemente a meta de erradicação da fome estipulada na Cúpula Mundial sobre Alimentação, em 1996, através dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio de 2000 (ODM). Só restariam pequenos bolsões a ser identificados.

Trata-se de uma vitória do modelo de desenvolvimento inclusivo aplicado desde o governo Lula e seguido por Dilma. É certo que ainda restam 1,7% de subnutridos que ainda não foram alcançados pelos programas de segurança alimentar, no Brasil, por dificuldade de localização.

Contudo, para a ONU, quando a fome atinge apenas 5% da população de um país, ele sai do Mapa da Fome. A FAO reconhece que a saída do País do Mapa da Fome decorreria de “dezenas de políticas articuladas” na última década, citando como exemplo o programa Bolsa Família, a construção de cisternas no Nordeste e o programa nacional de merenda escolar. Só este alimentaria gratuitamente 43 milhões de crianças e adolescentes (um número equivalente a uma Argentina inteira).

Líderes britânicos assinam resolução para mais poderes à Escócia

O ex-primeiro-ministro britânico Gordon Brownn disse neste sábado (20) ter assinado com os líderes dos principais partidos uma resolução comprometendo-se a cumprir o calendário para dar mais poderes à Escócia.

Depois da vitória do não no referendo sobre a independência do país, na quinta-feira (18), Brown assegurou, em discurso em Fife, no Leste escocês, que as promessas de mais autonomia à Escócia “serão cumpridas” e pediu que haja trabalho pela unidade da região.

De acordo com o político trabalhista, considerado o pilar da vitória do não, o documento que os líderes assinaram inclui a promessa de elaboração de uma lei sobre a autonomia da Escócia, que deverá estar pronta no fim de janeiro.

Além de Gordon Brown, o documento, que será apresentado segunda-feira (22) na Câmara dos Comuns, foi assinado pelo primeiro-ministro britânico, o conservador David Cameron, o líder da oposição trabalhista, Ed Miliband, e o vice-primeiro-ministro, o liberal-democrata Nick Clegg.

(Agência Brasil)

Escócia diz ‘não’ à independência

A Escócia rejeitou a independência do Reino Unido no referendo realizado nessa quinta-feira (18), com a vitória do “não” por mais de 55% dos votos, informou na madrugada desta sexta-feira (19) a rede BBC, baseada na apuração de 31 das 32 seções eleitorais.

O “não” obteve 1.914.187 votos, ultrapassando os 1.852.828 votos necessários para se vencer o referendo, com a proposta de independência sendo rejeitada por 55,42% dos eleitores.

O líder separatista, Alex Salmond, reconheceu a derrota: “a Escócia decidiu que este não é o momento de ser um país independente”.

(O POVO Online com AFP)

EUA fazem primeiro ataque ao Estado Islâmico

“Os Estados Unidos atacaram pela primeira vez posições do Estado Islâmico (EI) perto de Bagdá, desde que lançaram, há um mês, campanha aérea contra os militantes islamitas. A informação foi inicialmente divulgada por uma fonte anônima e, mais tarde, confirmada pelo Exército norte-americano.

“O ataque aéreo a sudoeste de Bagdá foi o primeiro a fazer parte dos nossos esforços adicionais, que vão além da proteção do nosso pessoal e das missões humanitárias. O objetivo é atingir alvos do Estado Islâmico, no momento em que as forças iraquianas estão atacando, como foi definido pelo presidente em discurso”, informou o Exército em comunicado.

Os ataques destruíram seis veículos do EI perto de Sinjar e uma posição estratégica a sudoeste de Bagdá, que abria fogo sobre as forças iraquianas. Essas investidas elevam o número de ataques aéreos no Iraque para 162.

Os Estados Unidos começaram, no mês passado, a lançar ataques aéreos contra as posições do Estado Islâmico no Norte do Iraque, mas o anúncio dessa segunda-feira (15), de que a campanha tinha atingido os jihadistas perto da capital, marca uma escalada no âmbito da missão.”

(Agência Brasil)

Barco com cerca de 200 imigrantes vira na Europa

“Imigrantes africanos desapareceram no mar nesse domingo (14), na costa da Líbia, quando o barco em que viajavam afundou, informou hoje (15) a Marinha líbia, acrescentando que já foram resgatadas 36 pessoas. Eles estavam a caminho da Europa.

“Havia um monte de corpos flutuando, mas a falta de recursos não nos permite recuperar os cadáveres, principalmente desde que foi ficando escuro ontem (14). A nossa prioridade é resgatar os sobreviventes”, acrescentou a Marinha, ressaltando que pelo menos 200 pessoas estariam a bordo.

A Líbia é um país de trânsito rumo à costa europeia para centenas de milhares de imigrantes, a maioria africanos, que tentam chegar à Europa por meio de uma perigosa viagem pelo Mar Mediterrâneo para Malta ou para a Ilha de Lampedusa, no Sul da Sicília. Com a situação turbulenta por que passa a Líbia, o número de viagens de imigrantes líbios também tem aumentado nos últimos tempos.”

(Agência Brasil com Agência Lusa)

Conselho de Segurança da ONU condena decapitação de refém britânico

“O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) condenou, nesse domingo (14), a decapitação do britânico David Haines, pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI), classificando-a como um assassinato covarde e odioso. “Esse crime é um chamado de atenção, trágico, para os perigos crescentes que os trabalhadores humanitários enfrentam a cada dia na Síria”, diz comunicado do conselho, assinado por seus 15 membros.

A nota, que pede respeito aos trabalhadores humanitários como David Haines, “destaca, uma vez mais, que o Estado Islâmico deve ser vencido e que a intolerância, a violência e o ódio que professa devem ser erradicados”.

Os 15 países-membros do Conselho de Segurança da ONU consideram que “esses atos bárbaros não farão mais do que reforçar a determinação” de mobilizar os seus governos para lutar contra o Estado Islâmico, o Front Al Nosra e outros grupos extremistas jihadistas. O conselho exige “a libertação imediata, sem a exigência de condições, de todos os que continuam reféns” do Estado Islâmico, do Front Al Nosra e de todos os grupos ligados à organização terrorista Al Qaeda.

O comunicado pede a todos os países a cooperação ativa com o Reino Unido para levar à Justiça os responsáveis pela morte de David Haines, cujo vídeo da decapitação foi divulgado no sábado (13). O britânico, de 44 anos, foi raptado em março do ano passado, na Síria, onde trabalhava em um campo de refugiados.”

(Agência Brasil)

EUA começam a enviar conselheiros militares para o Iraque

“O Pentágono informou nessa quinta-feira (11) que vai enviar 475 assessores (conselheiros) militares para o Iraque a partir deste fim de semana. O objetivo é assessorar o Exército iraquiano e coordenar operações com drones (aviões não tripulados), na missão de destruir a milícia extremista mulçumana, autodenominada Estado Islâmico (EI). A informação foi divulgada pelo porta-voz do Departamento de Defesa, John Kirby.

Segundo ele, os militares designados para a função começarão a chegar ao Iraque nos próximos dias e estarão concentrados principalmente na cidade de Erbil, no Curdistão iraquiano, e na capital, Bagdá. Os assessores vão se juntar a 289 militares americanos que já estão no Iraque, trabalhando com o Exército local.

A estratégia anunciada por Obama na última quarta-feira (10) para combater a milícia que atua na Síria e no Norte do Iraque não inclui o envio de tropas americanas para combates terrestres nos territórios sírio e iraquiano.

Parte do plano anunciado por Obama estabelece, no entanto, o envio dos chamados conselheiros militares para assessoramento do Exército iraquiano e para comandar os bombardeios aéreos. Outra iniciativa seria o treinamento e financiamento dos rebeldes na Síria, que atuariam como contraponto ao EI. Essa proposta ainda está sob análise do Congresso americano.”

(Agência Brasil)

Câmara pede tempo para avaliar proposta de Obama contra Estado Islâmico

A Câmara dos Deputados norte-americana pediu nessa quinta-feira (11) tempo para avaliar a proposta apresentada pelo presidente Barack Obama para treinar os rebeldes moderados sírios para combater a milícia extremista mulçumana autodenominada Estado Islâmico. A medida faz parte do plano apresentado por Obama para destruir a milícia.

Em conversas com jornalistas na Câmara, alguns deputados disseram que não há um consenso sobre a importância de que a proposta seja analisada em caráter de urgência, como Obama havia solicitado. A Câmara deverá analisar o tema durante uma semana.

O governo dos Estados Unidos anunciou que não enviará tropas militares para combater em território estrangeiro, limitando-se à ação aérea na região. Entretanto, a parte “terrestre” deverá ser executada pelo exército iraquiano, no Norte do Iraque, e poderia ser executada, conforme a estratégia anunciada por Obama – pelos moderados na Síria, caso o Congresso americano aprove a ideia.

(Agência Brasil)