Blog do Eliomar

Categorias para Internacional

Papa Francisco apela a Putin por decisão negociada para a Síria

papa francisco

“O Papa Francisco enviou uma carta ao presidente da Rússia, Vladimir Putin, atualmente no comando do G20 (que engloba as 20 maiores economias mundiais), cuja cúpula ocorre hoje (5) e amanhã (6) em São Petersburgo (Rússia). Na carta, Francisco apela para que Putin se esforce para evitar uma guerra na Síria e lembra que interesses têm se sobrepostos à paz. Segundo ele, é fundamental buscar uma solução negociada para o fim da crise na Síria.

“É preciso perseguir, com coragem e determinação, a busca por uma solução pacífica por meio do diálogo e da negociação entre as partes envolvidas, com o apoio unânime da comunidade internacional”, disse o papa, na carta. Francisco convocou, para sábado (7), um dia de orações pela paz na Síria.

Na próxima semana, o Senado dos Estados Unidos vota a resolução, apresentada pelo presidente norte-americano Barack Obama, de uma intervenção militar, por até 90 dias, na Síria. Os norte-americanos alegam que a ação é uma reação ao uso de armas químicas cuja responsabilidade é atribuída ao governo do presidente sírio, Bashar Al Assad.”

(Agência Brasil)

Terremoto de 6,9 graus atinge Costa Leste do Japão

“A Costa Leste do Japão foi atingida hoje (4) por um terremoto de magnitude 6,9 graus (ºC) na escala Richter, sem ameaças de tsunami. A principal área afetada foi a Ilha de Honshu, a 600 quilômetros de Tóquio, a capital do país. O terremoto foi sentido em Tóquio, provocando a suspensão de linhas do metrô e vários serviços, por precaução.

Em março de 2011, um terremoto de 9ºC na escala Richter, seguido por tsunami, deixou vítimas em todo o país, principalmente no Nordeste. Houve explosões e vazamentos na Usina de Fukushima Daiichi, no Nordeste.

A Companhia de Energia Elétrica de Tóquio (cujo nome em inglês é Tokyo Eletric Power Company, a Tepco), responsável por Fukushima, informou que não foram registrados problemas na infraestrutura em decorrência dos tremores de terra.”

(Agência Brsil com Agência Lusa)

Espionagem – Senado deve instalar CPI para investigar

“O Senado deve instalar hoje CPI (comissão parlamentar de inquérito) para investigar a espionagem realizada pela NSA (Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos) no Brasil. A comissão foi criada há mais de um mês, mas só deve ser efetivamente instalada depois das denúncias de que a presidente Dilma Rousseff foi alvo direto das investigações da agência americana. Os senadores marcaram para hoje a instalação da CPI, com a escolha do seu presidente e relator. A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) deve ser eleita para presidir os trabalhos da CPI – que terá que investigar se houve, de fato, ações de espionagem sobre o governo e cidadãos brasileiros.

Os senadores também articulam aprovar voto de censura contra o governo dos Estados Unidos pelas ações de espionagem da agência americana que teriam atingido a presidente. Líder do governo, o senador Eduardo Braga (PMDB-AM) apresentou o pedido de voto de censura. O plenário tem que aprová-lo para que seja formalmente encaminhado ao governo dos Estados Unidos, o que deve ocorrer amanhã. O voto de censura é o que o parlamento tem de mais forte na relação diplomática.”

(Com Agências)

Espionagem – Dilma pode adiar viagem aos EUA

“A presidente Dilma Rousseff examina a possibilidade de adiar ou até mesmo cancelar a visita como chefe de Estado aos Estados Unidos, em 23 de outubro. A visita será a primeira de Dilma com honras de chefe de Estado ao país. Antes da visita de Dilma aos Estados Unidos como chefe de Estado, ela deve participar, em Nova York, no próximo dia 24, da Assembleia Geral das Nações Unidos, que não tem caráter de visita de chefe de Estado.

O último brasileiro recebido com honras de chefe de Estado nos Estados Unidos foi o então presidente Fernando Henrique Cardoso, em 1995. A honraria é concedida pelos norte-americanos a raras autoridades, pois envolve uma série de situações relacionadas ao cerimonial. A previsão é que Dilma seja recebida na Casa Branca com um tapete vermelho e homenageada com um jantar de gala. Também terá momentos de retribuição às homenagens que receberá, como depositar flores no obelisco – monumento em memória aos heróis de guerra.

Os preparativos da visita estão sendo organizados nos mínimos detalhes, entre eles as preferências da presidente para o cardápio e o gosto musical. Em maio, quando o então ministro das Relações Exteriores Antonio Patriota foi a Washington (Estados Unidos) e esteve com o secretário de Estado, John Kerry, ficou definida a data da visita de Dilma.”

(Com Agências)

Indaiá estará no show de Beyoncé

beyonce_superbowl

A Indaiá vai ser a água mineral exclusiva do show da cantora americana Beyoncé. O espetáculo ocorrerá no próximo domingo, na Arena Castelão. A parceria foi fechada com os organizadores do evento e permitirá a comercialização da água mineral e também do energético Night Power durante o evento. Antes do show, serão feitas ações promocionais de reforço da marca Indaiá. Os promotores estarão a postos nas entradas da Pista Premium e da Arquibancada fazendo a entrega de brindes.

Durante a apresentação da cantora americana, será feita a abordagem dos fãs para fotos e postagens instantâneas no site da Indaiá (www.indaia.com.br) e na fanpage (facebook.com/IndaiaOficial). Haverá ainda uma ação nas vias de acesso aos camarotes junto a um totem da cantora Beyoncé, no camarote da Indaiá.

Cúpula do G20 deve apresentar medidas para incentivar a economia mundial

“Às vésperas da chegada dos chefes de Estado e de Governo para a Cúpula do G20 (as 20 maiores economias mundiais) em São Petersburgo (Rússia), os vice-ministros da Fazenda e representantes do grupo negociam os principais pontos abordados na declaração final. A reunião dos líderes está marcada para os dias 5 e 6, e a presidenta Dilma Rousseff participará. O objetivo é que no texto sejam incluídos incentivos à economia, como geração de emprego e renda, e medidas que possam ser executadas a curto prazo.

A Rússia está no comando do G20 até 2014, quando entregará a presidência para a Austrália. Integram o G20 os seguintes países: a Alemanha, Argentina, Arábia Saudita, Austrália, o Brasil, Canadá, a Coreia do Sul, os Estados Unidos,a China, França, Índia, Indonésia, Itália, o Japão, México, Reino Unido, a Rússia, Turquia, África do Sul e União Europeia. O Brics, bloco que engloba os países industrializados e as economias emergentes (o Brasil, a Rússia, Índia, China e África do Sul) reúne 90% do Produto Bruto Global, 80% do comércio mundial e dois terços da população do planeta.

A ideia é que o chamado Plano de São Petersburgo, a declaração final assinada pelos chefes de Estado e Governo, sirva como base para os acordos do G20, definindo regulações financeiras a curto prazo e medidas para dar mais fôlego à economia mundial. O texto deverá incluir compromissos firmados pelo G20, já consagrados em reuniões multilaterais, e estímulos para a geração de emprego, segundo autoridades russas. Para incluir os pontos na declaração, é preciso haver consenso.”

(Agência Brasil com Prensa Latina)

Dilma foi alvo de espionagem, diz Fantástico

44 1

dilmaband

“Reportagem do Fantástico, da TV Globo, exibida na noite deste domingo afirma que as comunicações da presidente Dilma Rousseff foram alvo de espionagem por parte da Agência de Segurança Nacional (NSA) dos Estados Unidos. A acusação foi baseada em um documento secreto obtido pelo jornalista americano Glenn Greenwald, do jornal inglês The Guardian. Greenwald foi um dos primeiros a revelar o sistemático esquema de espionagem eletrônica da agência americana e do governo Obama delatado pelo ex-analista da NSA Edward Snowden. O jornalista é namorado do brasileiro David Miranda, que foi detido no mês passado em Londres, quando transportava papéis entregues por Snowden. Greenwald disse que o material sobre a vigilância ao governo brasileiro também foi repassado a ele pelo ex-analista.

Segundo a reportagem exibida no programa, o nome de Dilma aparece em uma apresentação interna para funcionários da NSA chamada “Filtragem inteligente de dados: estudo de caso do México e do Brasil”. De acordo com o documento, o objetivo do monitoramento ao Brasil seria “melhorar a compreensão dos métodos de comunicação e dos interlocutores da presidente”. Também há menção ao presidente do México, Enrique Peña Nieto, como alvo de vigilância. Datada de 20 de junho de 2012, quando Peña Nieto ainda era candidato, a apresentação mostra mensagens de texto interceptadas do celular do futuro presidente. Nelas, ele aparece especulando quais seriam os seus ministros caso viesse a ser eleito.

No caso de Dilma, o documento não indica o conteúdo de qualquer conversa ou texto que eventualmente tenha sido alvo de bisbilhotagem. Os trechos que citam a presidente mostram apenas organogramas de sua rede de assessores – que aparecem com os nomes apagados. A apresentação detalha que a coleta de dados para espionar os governantes seria feita pelo monitoramento de números de telefone, e-mails e IP (a identificação do computador).”

(Veja)

Banco do Brics pode ser criado em Fortaleza

“Autoridades brasileiras cobram a aprovação final para novas instituições multilaterais dos Brics – formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. O objetivo é que um banco de desenvolvimento e um fundo de emergência sejam criados em 2014, segundo fontes ouvidas pela agência Dow Jones.

Uma reunião dos líderes dos Brics na próxima semana em São Petersburgo, na Rússia, pode mostrar se será possível uma aprovação para a criação desses órgãos em um outro encontro, marcado para o próximo ano em Fortaleza (Ceará).

De acordo com duas fontes brasileiras ouvidas pela Dow Jones, o fundo será formado utilizando as reservas dos bancos centrais dos países-membros. A China contribuiria com US$ 41 bilhões, Brasil, Rússia e Índia ajudariam com US$ 18 bilhões cada e a África do Sul participaria com US$ 5 bilhões. Os Brics também estão trabalhando na criação de um banco de desenvolvimento com capital de US$ 50 bilhões, que emprestaria recursos para projetos específicos.

(Agência Estado)

Observatório sírio diz que mais de 110 mil pessoas já morreram no conflito

39 1

Pelo menos 110 mil pessoas foram mortas na Síria desde o início da revolta contra o regime de Bashar Al Assad, em março de 2011, indicou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH). Um balanço anterior, feito pela mesma organização não governamental em 26 de junho, apontava 100.191 mortos. A Organização das Nações Unidas tem indicado que já morreram no conflito mais de 100 mil pessoas.

Esse novo balanço mostra que morreram 40.146 civis, 21.850 combatentes rebeldes e 45.478 membros das forças governamentais, incluindo as milícias que apoiam o regime. Entre os civis, estão 3.905 mulheres e 5.833 menores de 16 anos.

O número relativo aos rebeldes abrange 15.992 civis que pegaram em armas, 3.730 combatentes estrangeiros (a maioria jihadistas) e 2.128 desertores. Nas milícias que apoiam o regime houve 17.824 baixas e o movimento xiita libanês Hezbollah, que combate ao lado das tropas de Assad, sofreu 171 mortes no conflito.

Segundo o OSDH, há ainda 2.726 corpos que não foram identificados e não se sabe do paradeiro de 9 mil detidos e de 3.500 soldados capturados pelos rebeldes.

A organização, que se baseia em uma rede de ativistas e em fontes médicas por todo o país, registrou as mortes até esse sábado (31).

(Agência Brasil)

Síria: secretário de Estado norte-americano garante uso de gás sarin

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, disse neste domingo (1°) que os Estados Unidos têm provas de que foi usado gás sarin em um ataque em Damasco, a capital síria, e apelou ao Congresso para votar favoravelmente a uma intervenção militar. De acordo com Kerry, em declarações às televisões NBC e CNN, há amostras de cabelo e de sangue, entregues aos Estados Unidos por socorristas que estiveram na área do ataque, que mostram sinais de gás sarin, que afeta o sistema nervoso.

Para o secretário de Estado, trata-se de um importante fato ocorrido nas últimas 24 horas. “A cada dia que passa, esse caso torna-se mais forte. Nós sabemos que o regime ordenou esse ataque. Sabemos que eles se prepararam para isso. Sabemos de onde foram disparados os mísseis. Sabemos onde caíram”, disse.

“Conhecemos os danos causados depois. Vimos as cenas horríveis por todos os meios de comunicação, temos provas disso de outras formas e sabemos que o regime tentou ocultar isso depois”, acrescentou.

Kerry apelou aos colegas do Congresso, que só retoma os trabalhos no dia 9 de setembro, para que autorizem o presidente norte-americano, Barack Obama, a atacar o regime de Bashar Al Assad. O secretário disse à NBC que acredita que o Congresso vote favoravelmente à ação militar.

“Não acredito que os antigos colegas no Senado dos Estados Unidos e na Câmara dos Representantes virem as costas aos nossos interesses, à credibilidade do país, à norma que diz respeito à proibição do uso de armas químicas e que está em vigor desde 1925”, disse Kerry.

Ele lembrou que o Congresso adotou a Convenção sobre Armas Químicas e, no passado, já tomou posição sobre o regime sírio, tendo, por isso, responsabilidade de fazê-lo agora também.

(Agência Brasil)

Obama faz pedido formal ao congresso norte-americano para ataque à Síria

42 1

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, enviou nesse sábado (31) pedido oficial ao congresso norte-americano para intervenção militar na Síria. O pedido deverá ser debatido esta semana pelos congressistas, que deverão se posicionar sobre o ataque ao país árabe em até 10 dias. A oposição, no entanto, somente quer avaliar o pedido a partir da segunda-feira (9), após o retorno do recesso parlamentar. O pedido do presidente não estabelece prazo para o início da ação na Síria, nem para a permanência das tropas no sudoeste da Ásia.

De acordo com o documento enviado ao congresso, o presidente norte-americano, Nobel da Paz em 2009, o ataque seria uma prevenção para que a Síria não possa fabricar armas de destruição em massa.

(com agências)

Morales diz que Dilma desconhecia acusações contra senador boliviano

O presidente da Bolívia, Evo Morales, disse nesse sábado (31), em La Paz, que a presidenta Dilma Rousseff não tinha conhecimento dos processos judiciais a que o senador oposicionista Roger Pinto Molina responde no país. Morales anunciou que uma comissão, formada por vários ministros, virá ao Brasil com documentos sobre as ações que Pinto Molina enfrenta em sua terra natal.

A viagem já teria sido, inclusive, combinada com Dilma durante encontro no Suriname, por ocasião da cúpula da União de Nações Sul-Americanas (Unasul). Virão ao Brasil os ministros bolivianos do Governo, da Transparência, da Anticorrupção e da Justiça, além de um representante do Ministério Público.

Morales disse ainda que a presidenta brasileira não tinha informações sobre Pinto Molina, “não por culpa dela”, e ressaltou que “é uma obrigação, com base em acordos internacionais, com base na convenção das Nações Unidas, todos os governos contribuírem na luta contra a corrupção”.

Há uma semana, Pinto Molina deixou a embaixada brasileira em La Paz, onde ficou asilado por cerca de um ano e meio, e veio para o Brasil com a ajuda do diplomata Eduardo Saboia, que assumiu a responsabilidade pela operação de retirada do parlamentar da Bolívia. Mesmo com as autoridades bolivianas afirmando que as relações entre o Brasil e a Bolívia não foram afetadas, o caso provocou uma crise diplomática que resultou na demissão do então ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, substituído pelo embaixador Luiz Alberto Figueiredo Machado, que assumiu quarta-feira (28) o comando da pasta.

(Agência Brasil)

Putin pede a Obama que pense como Nobel da Paz sobre ataque à Síria

45 2

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, pediu neste sábado (31) ao presidente norte-americano, Barack Obama, que, como ganhador do Prêmio Nobel da Paz de 2009, pense nas vítimas de um eventual ataque à Síria.

“Dirijo-me a Obama como Prêmio Nobel da Paz: antes de usar a força na Síria, há que pensar nas futuras vítimas”, disse Putin, citado pelas agências russas de notícias.

Para ele, as acusações de Washington de que o governo de Bashar Al Assad usou armas químicas na Síria são “uma estupidez de metro e meio”. Aliado à Rússia, Putin disse que é necessário apresentar provas: “Se há provas sobre o uso de armas químicas, devem ser apresentadas. Se não se apresentam, é porque não existem.”

Barack Obama afirmou nessa sexta-feira (30) que ainda não tomou uma “decisão final” sobre um eventual ataque à Síria, mas admitiu uma ação “limitada” dos Estados Unidos contra o regime de Bashar Al Assad pelo uso de armas químicas.

(Agência Brasil)

Bolívia pede para Interpol emitir alerta de prisão de senador

O Ministério Público da Bolívia pediu para a Interpol emitir um alerta vermelho para a prisão do senador Roger Pinto Molina, que está no Brasil desde o final da semana passada. Segundo o procurador-geral interino da Bolívia, Roberto Ramirez, o código deverá ser enviado para que o senador seja apreendido para responder aos processos por corrupção que correm na Justiça boliviana.

Segundo Ramirez, a Justiça da Bolívia já emitiu três ordens de prisão de Pinto Molina por delitos contra a Constituição do país, descumprimento de deveres, contratos lesivos ao Estado e por conduta antieconômica.

Após 15 meses abrigado na embaixada brasileira em La Paz, o senador Pinto Molina deixou o país em carros diplomáticos brasileiros e chegou ao Brasil na última semana. Molina, que liderou a oposição ao governo de Evo Morales, pediu asilo político ao Brasil, alegando perseguição política. O salvo-conduto era negado pelas autoridades bolivianas, que alegavam que o parlamentar responde a processos judiciais no país.

A vinda dele ao Brasil foi organizada pelo encarregado de negócios do Brasil na Bolívia, Eduardo Saboia, sem o conhecimento do governo brasileiro.

(Agência Brasil)

Síria: quem está usando armas químicas contra a população?

A opinião pública internacional está horrorizada diante da possibilidade de terem sido utilizadas armas químicas na guerra civil da Síria. Imagens de vídeos chegadas ao Ocidente trazem cadáveres de pessoas civis, inclusive crianças, com sinais visíveis de terem sido vítimas de produtos tóxicos. Caso a denúncia seja comprovada, os organismos internacionais de direitos humanos estarão diante do desafio de exigir a cessação imediata desse tipo de crime e a punição rigorosa para os responsáveis.

Por enquanto, ainda se aguardam as comprovações das imagens e a identificação dos autores. As organizações oposicionistas ao governo de Bashar al-Assad acusam-no de ter liberado o uso das armas químicas (que ele já reconheceu possuir). No entanto, o governo retruca que foram os rebeldes, com o intuito de provocar uma intervenção armada estrangeira.

Por enquanto, não é fácil ter a resposta segura sobre quem está com a razão. É possível, no entanto, concordar com a argumentação de que o ato – se partido do governo – seria “suicídio político”, como alegou um porta-voz oficial. A suposição racional é que as autoridades só lançariam mão desse recurso numa situação de desespero, quando já se considerassem perdidas. O que parece não ser ainda o cenário presente. Contudo, depois de desencadeado um conflito armado é difícil ter controle total sobre seus desdobramentos.

Por outro lado, a outra opção também não é absurda: os insurgentes usarem gases tóxicos para provocar uma reação mundial contra o governo sírio e assim obterem a intervenção desejada. O fato é que tanto um lado como o outro se têm revelado sem escrúpulos na utilização de meios cruéis e genocidas, e ambos têm denúncias formais já formuladas perante o Tribunal Penal Internacional.

Seja quem for o responsável por este novo crime, é imperativo que seja contido e punido. Infelizmente, as intervenções estrangeiras no Oriente Médio ficaram desacreditadas pelo recurso à mentira, como foi a acusação contra Saddam Hussein de possuir, na época, arsenais de armas químicas – por suposta posse de armas químicas. E isso se revelou uma farsa montada pelos serviços secretos americanos. Por isso, a opinião pública mundial está mais cautelosa. Mas isso não deve significar uma senha para a omissão, o que seria imperdoável.

(O POVO / Editorial)