Blog do Eliomar

Categorias para Internacional

Obama: oferta russa para que Síria entregue arsenal químico é avanço para evitar ataques

“O presidente norte-americano Barack Obama disse nessa segunda-feira (9) que a proposta russa para que o governo sírio entregue seu arsenal de armas químicas para o controle internacional é um “resultado potencialmente positivo” e um avanço para se evitar um ataque militar à Síria. Obama declarou que seu governo levará a sério a iniciativa da Rússia, porém se mostrou cético quanto aos resultados de um acordo, pois os Estados Unidos pedem que a Síria entregue suas armas químicas há anos, o que até agora não ocorreu.

“Certamente é um resultado positivo quando os russos e os sírios dão gestos sobre entregar armas químicas. É o que estamos pedindo nos últimos anos, porque as armas químicas implicam uma ameaça significativa”, disse Obama. Sobre o tema, Obama disse que poderia se evitar uma intervenção militar na Síria, embora tenha advertido que não quer que este seja um plano para “uma manobra para ganhar tempo e baixar a pressão que temos mantido até agora”.

O presidente norte-americano dirigiu-se ao presidente sírio Bashar Al Assad dizendo para que ele não use armas químicas e que controle seu arsenal e que será necessário ir além do que tem feito para dar à comunidade internacional garantias de que essas armas não serão utilizadas no futuro.”

(Agência Brasil com Telam)

Espionagem – Chanceler brasileiro vai a Nova York

“Nos próximos dias, o governo dos Estados Unidos deverá prestar esclarecimentos ao Brasil sobre as denúncias de espionagem à presidenta Dilma Rousseff, a assessores e cidadãos brasileiros. A previsão, segundo Dilma, é que o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo Machado, converse até o dia 12 com a conselheira de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Susan Rice. A conversa entre os dois pode ocorrer pessoalmente, Figueiredo estará em Nova York a partir de amanhã (10) e deverá ficar até sexta-feita (13).

Na semana passada, em São Petersburgo (Rússia), durante a cúpula do G20, Dilma e o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, conversaram sobre o mal-estar causado pelas denúncias de espionagem. Segundo ela, Obama prometeu responder às perguntas encaminhadas pelo governo do Brasil. De acordo com a presidenta, se for necessário, voltará a conversar com Obama.

“O presidente Obama declarou para mim que assumia a responsabilidade direta e pessoal pelo integral esclarecimento dos fatos e que proporia, para exame do Brasil, medidas para sanar o problema”, disse a presidenta, em entrevista coletiva.”

(Agência Brasil)

Senador boliviano prestará depoimento à Justiça do Brasil

“Pela primeira vez, o senador boliviano de oposição Roger Pinto Molina, de 53 anos, prestará depoimento à Justiça do Brasil desde que chegou ao país há duas semanas. O parlamentar será ouvido no próximo dia 12, às 14h30, na 4ª Vara da Justiça, em Brasília. O testemunho de Molina faz parte do processo de retirada da Bolívia, no último dia 22, coordenado pelo encarregado de Negócios do Brasil em La Paz, Eduardo Saboia.

“O senador será ouvido em juízo com vistas a preservar provas que podem ser importantes. A expectativa é que ele [Pinto Molina] ateste a verdade e relate todo o processo vivido”, ressaltou à Agência Brasil o advogado Ophir Cavalcante Junior, que defende o diplomata Eduardo Saboia.

Pinto Molina ficou 455 dias abrigado na Embaixada do Brasil na Bolívia. Ele foi retirado da Bolívia rumo ao Brasil em uma operação, organizada por Saboia, desencadeando uma crise diplomática. O então chanceler Antonio Patriota foi substituído por Luiz Alberto Figueiredo Machado. Em junho de 2012, o Brasil concedeu asilo diplomático ao senador, mas o governo boliviano não deu o salvo-conduto para ele deixar o país.”

(Agência Brasil)

Beyoncé dá show de sensualidade na Arena Castelão

“Ela prometeu o maior show de efeitos visuais entre todas as suas turnês. Mas quem foi à Arena Castelão na noite de ontem, para ver Beyoncé na sua primeira apresentação no Brasil, não ficou impressionado apenas com o investimento tecnológico que a cantora fez em The Mrs. Carter Show. A sensualidade da norte-americana, que cantava e dançava ao vivo, envolveu os fãs.

Ao som de “Run the World”, ela surgiu no palco às 20h55min, quase meia hora depois do previsto. “Fortaleza, Brasil, não acredito que tanta gente veio aqui hoje. Muito obrigada”, disse em inglês. Acompanhada de oito bailarinas e dois dançarinos que se revezavam no palco, dançando até balé clássico, Beyoncé foi num crescente. O auge veio com a famosa “Single Ladies”.

Em “Crazy in Love” a artista fez questão de agradecer aos fãs que passaram o dia todo na fila, à sua espera. “Halo” e “1+1”, cantada sobre um piano, foram outros grandes momentos. A estudante Juliana Castelo Branco, 19 anos, ficou emocionada. “Ela cantou todas as músicas que a gente ensaiou e conseguiu preencher o Castelão inteiro com suas canções”, derreteu-se a fã, após o show . Sempre carinhosa com os fãs, por vezes se aproximou do público na ponta do palco, deixando que a tocassem.

Sem bis

Apesar da expectativa do público, Beyoncé não cantou todas as músicas do setlist. Entre as quatro faixas dispensadas, “Survivor” foi a mais sentida pelos fãs. A diva também não fez bis ao fim da apresentação, que terminou às 22h47min. Num show que não foi capaz de lotar a Arena Castelão, se comparado à passagem de Paul McCartney em maio deste ano, Beyoncé apresentou uma performance aquém do esperado. Para alguns fãs, a constante troca de figurinos (oito vezes) quebrou o ritmo do show e pareceu cansar a artista. ”

(O POVO)

Síria: John Kerry diz que não atuar é risco maior que a intervenção militar

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, disse nesse sábado (7) que não intervir na Síria em resposta ao ataque com armas químicas, atribuído ao regime de Bashar Al Assad, seria “um risco maior” do que a própria ação militar.

Kerry, que se reuniu com o secretário francês, Laurent Fabius, insistiu que a crise afeta a segurança dos norte-americanos, em particular pelo risco de disseminação de armas químicas entre grupos terroristas e que o ataque que os Estados Unidos pretendem será curto, seletivo, sem tropas no terreno, mas com “mensagem clara”.

O chefe da diplomacia norte-americana lembrou que o presidente Barack Obama ainda não decidiu se vai esperar pela apresentação do relatório dos peritos das Nações Unidas. Eles estiveram no país para recolher provas do ataque com armas químicas, de 21 de agosto, que provocou centenas de mortes.

O presidente francês, François Hollande, já manifestou apoio aos Estados Unidos, mas observou que vai esperar pelo relatório dos peritos.

“A ausência de ação supõe um risco mais grave que a própria ação”, disse Kerry, reafirmando que o que pretende não é uma guerra e que “a única forma de acabar com o conflito sírio passa por solução política e não militar”.

Trata-se de “reduzir a capacidade de Bashar Al Assad de utilizar armas químicas” e garantir que não volte a usá-las. “Não podemos deixar que um ditador use as armas mais horríveis. É preciso dar uma resposta seletiva e limitada, embora clara”, acrescentou.

Kerry disse ainda que certo número de países – um número de dois dígitos – está preparado para integrar a ação militar. “Temos mais países preparados para uma ação militar do que aqueles a que é preciso recorrer numa intervenção desse tipo.

Laurent Fabius congratulou-se pelo “largo e crescente apoio” a uma “resposta forte” ao uso de armas químicas na Síria, destacando a União Europeia e o Conselho de Cooperação do Golfo.

O conflito na Síria já provocou mais de 110 mil mortos desde março de 2011, de acordo com as Nações Unidas.

(Agência Brasil com informações da Agência Lusa)

Ministros bolivianos apresentam ao governo brasileiro documentos sobre Roger Molina

Autoridades bolivianas se reuniram nessa sexta-feira (6) com os ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, e da Advocacia-Geral da União, Luís Inácio Adams, para entregar documentos relativos aos processos contra o senador boliviano Roger Pinto Molina. Segundo as autoridades bolivianas, o senador responde a cinco processos por desvio de recursos públicos e crime ambiental. Segundo as autoridades bolivianas, os crimes resultaram em um prejuízo de 18 milhões de bolivianos (equivalente a R$ 6 milhões) aos cofres públicos da Bolívia.

Os documentos serão encaminhados ao Comitê Nacional para Refugiados (Conare), que dirá se o senador vai receber status de refugiado ou asilado político. “Pela legislação brasileira, quando uma pessoa ingressa no Brasil e pede refúgio, essa condição, por lei, é imediatamente aprovada, mas de maneira provisória. O caso é enviado ao Conare, que dará a resposta sobre o pedido. Caso o pedido seja negado, o senador ficará na condição de estrangeiro ilegal no país”, disse o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que esclareceu ainda que não há um prazo para a resposta. “É o prazo necessário para a instrução do processo”.

Integraram a missão boliviana os ministros Carlos Romero (Casa Civil), Nardi Suxo (Transparência e Luta contra a Corrupção) e Cecilia Ayllón (Justiça). Também estavam presentes no encontro o presidente da Comissão de Constituição da Câmara dos Deputados da Bolívia, Héctor Arce, o procurador-geral interino da Bolívia, Roberto Ramirez, e o embaixador boliviano no Brasil, Jerjes Talavera.

O advogado de Roger Molina, Fernando Tibúrcio Peña, disse à Agência Brasil que o envio de uma missão de alto nível, com autoridades da Bolívia, a Brasília demonstra que o tema é tratado de forma política.

Os representantes do governo boliviano disseram que não se trata de perseguição política, mas de Justiça comum. Segundo as autoridades bolivianas, o senador responde a cinco processos. Em um dos processos, julgado em junho deste ano, Molina foi condenado a um ano de prisão por desvio de recursos públicos. Pinto Molina se diz perseguido político pelo governo de Evo Morales. “Não se trata de uma pessoa perseguida por suas ideias políticas, por seus pensamentos ideológicos, mas um fugitivo comum da Justiça boliviana”, disse o ministro do governo da Bolívia, Carlos Romero.

(Agência Brasil)

Dilma afirma que Obama assumiu responsabilidade de apurar a espionagem

“A presidenta Dilma Rousseff disse hoje (6), em São Petersburgo, na Rússia, que o presidente dos Estados Unidos, Barak Obama, se comprometeu a assumir a responsabilidade direta pela investigação das denúncias de espionagem a dados pessoais dela, de assessores e de cidadãos do Brasil. Os dois presidentes tiveram um encontro bilateral ontem (5), paralelo às atividades da 8ª Cúpula do G20, países que englobam as maiores economias mundiais.

“Obama assumiu responsabilidade direta e pessoal pela investigação das denúncias de espionagem”, disse Dilma antes de embarcar de volta para o Brasil. “O presidente Obama se comprometeu a responder ao governo brasileiro até quarta-feira (11) o que ocorreu”.

Dilma disse informou ainda que vai propor, na ONU, durante a Assembleia Geral das Nações Unidas, no dia 24 de setembro, em Nova Iorque, “uma nova governança contra invasão de privacidade”. Durante coletiva à imprensa antes de embarcar, Dilma também informou que “o Brasil não reconhece uma ação militar na Síria sem a aprovação da ONU”.”

(Agência Brasil)

Papa usa twitter e volta a pedir paz na Síria

“O Papa Francisco voltou a usar hoje (6) a rede social Twitter para pedir aos jovens que rezem pela paz no mundo. Segundo ele, apenas a paz é capaz de transpor barreiras. O apelo de Francisco ocorre na véspera da jornada de orações, convocada por ele para amanhã (7), no esforço de evitar a ação militar, liderada pelos Estados Unidos, na Síria. O papa enviou uma carta ao G20 (grupo das maiores economias do mundo) apelando pela paz.

“Queridos jovens, rezai comigo pela paz no mundo”, diz o papa no Twitter. “A paz é um bem que supera qualquer barreira, porque é um bem de toda a humanidade”, acrescenta. Ontem (5), Francisco também usou a rede social para enviar sua mensagem: “Com todas as minhas forças, peço às partes envolvidas no conflito que não se fechem nos próprios interesses”.

(Rádio Vaticano)

Papa Francisco apela a Putin por decisão negociada para a Síria

papa francisco

“O Papa Francisco enviou uma carta ao presidente da Rússia, Vladimir Putin, atualmente no comando do G20 (que engloba as 20 maiores economias mundiais), cuja cúpula ocorre hoje (5) e amanhã (6) em São Petersburgo (Rússia). Na carta, Francisco apela para que Putin se esforce para evitar uma guerra na Síria e lembra que interesses têm se sobrepostos à paz. Segundo ele, é fundamental buscar uma solução negociada para o fim da crise na Síria.

“É preciso perseguir, com coragem e determinação, a busca por uma solução pacífica por meio do diálogo e da negociação entre as partes envolvidas, com o apoio unânime da comunidade internacional”, disse o papa, na carta. Francisco convocou, para sábado (7), um dia de orações pela paz na Síria.

Na próxima semana, o Senado dos Estados Unidos vota a resolução, apresentada pelo presidente norte-americano Barack Obama, de uma intervenção militar, por até 90 dias, na Síria. Os norte-americanos alegam que a ação é uma reação ao uso de armas químicas cuja responsabilidade é atribuída ao governo do presidente sírio, Bashar Al Assad.”

(Agência Brasil)

Terremoto de 6,9 graus atinge Costa Leste do Japão

“A Costa Leste do Japão foi atingida hoje (4) por um terremoto de magnitude 6,9 graus (ºC) na escala Richter, sem ameaças de tsunami. A principal área afetada foi a Ilha de Honshu, a 600 quilômetros de Tóquio, a capital do país. O terremoto foi sentido em Tóquio, provocando a suspensão de linhas do metrô e vários serviços, por precaução.

Em março de 2011, um terremoto de 9ºC na escala Richter, seguido por tsunami, deixou vítimas em todo o país, principalmente no Nordeste. Houve explosões e vazamentos na Usina de Fukushima Daiichi, no Nordeste.

A Companhia de Energia Elétrica de Tóquio (cujo nome em inglês é Tokyo Eletric Power Company, a Tepco), responsável por Fukushima, informou que não foram registrados problemas na infraestrutura em decorrência dos tremores de terra.”

(Agência Brsil com Agência Lusa)

Espionagem – Senado deve instalar CPI para investigar

“O Senado deve instalar hoje CPI (comissão parlamentar de inquérito) para investigar a espionagem realizada pela NSA (Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos) no Brasil. A comissão foi criada há mais de um mês, mas só deve ser efetivamente instalada depois das denúncias de que a presidente Dilma Rousseff foi alvo direto das investigações da agência americana. Os senadores marcaram para hoje a instalação da CPI, com a escolha do seu presidente e relator. A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) deve ser eleita para presidir os trabalhos da CPI – que terá que investigar se houve, de fato, ações de espionagem sobre o governo e cidadãos brasileiros.

Os senadores também articulam aprovar voto de censura contra o governo dos Estados Unidos pelas ações de espionagem da agência americana que teriam atingido a presidente. Líder do governo, o senador Eduardo Braga (PMDB-AM) apresentou o pedido de voto de censura. O plenário tem que aprová-lo para que seja formalmente encaminhado ao governo dos Estados Unidos, o que deve ocorrer amanhã. O voto de censura é o que o parlamento tem de mais forte na relação diplomática.”

(Com Agências)

Espionagem – Dilma pode adiar viagem aos EUA

“A presidente Dilma Rousseff examina a possibilidade de adiar ou até mesmo cancelar a visita como chefe de Estado aos Estados Unidos, em 23 de outubro. A visita será a primeira de Dilma com honras de chefe de Estado ao país. Antes da visita de Dilma aos Estados Unidos como chefe de Estado, ela deve participar, em Nova York, no próximo dia 24, da Assembleia Geral das Nações Unidos, que não tem caráter de visita de chefe de Estado.

O último brasileiro recebido com honras de chefe de Estado nos Estados Unidos foi o então presidente Fernando Henrique Cardoso, em 1995. A honraria é concedida pelos norte-americanos a raras autoridades, pois envolve uma série de situações relacionadas ao cerimonial. A previsão é que Dilma seja recebida na Casa Branca com um tapete vermelho e homenageada com um jantar de gala. Também terá momentos de retribuição às homenagens que receberá, como depositar flores no obelisco – monumento em memória aos heróis de guerra.

Os preparativos da visita estão sendo organizados nos mínimos detalhes, entre eles as preferências da presidente para o cardápio e o gosto musical. Em maio, quando o então ministro das Relações Exteriores Antonio Patriota foi a Washington (Estados Unidos) e esteve com o secretário de Estado, John Kerry, ficou definida a data da visita de Dilma.”

(Com Agências)

Indaiá estará no show de Beyoncé

beyonce_superbowl

A Indaiá vai ser a água mineral exclusiva do show da cantora americana Beyoncé. O espetáculo ocorrerá no próximo domingo, na Arena Castelão. A parceria foi fechada com os organizadores do evento e permitirá a comercialização da água mineral e também do energético Night Power durante o evento. Antes do show, serão feitas ações promocionais de reforço da marca Indaiá. Os promotores estarão a postos nas entradas da Pista Premium e da Arquibancada fazendo a entrega de brindes.

Durante a apresentação da cantora americana, será feita a abordagem dos fãs para fotos e postagens instantâneas no site da Indaiá (www.indaia.com.br) e na fanpage (facebook.com/IndaiaOficial). Haverá ainda uma ação nas vias de acesso aos camarotes junto a um totem da cantora Beyoncé, no camarote da Indaiá.

Cúpula do G20 deve apresentar medidas para incentivar a economia mundial

“Às vésperas da chegada dos chefes de Estado e de Governo para a Cúpula do G20 (as 20 maiores economias mundiais) em São Petersburgo (Rússia), os vice-ministros da Fazenda e representantes do grupo negociam os principais pontos abordados na declaração final. A reunião dos líderes está marcada para os dias 5 e 6, e a presidenta Dilma Rousseff participará. O objetivo é que no texto sejam incluídos incentivos à economia, como geração de emprego e renda, e medidas que possam ser executadas a curto prazo.

A Rússia está no comando do G20 até 2014, quando entregará a presidência para a Austrália. Integram o G20 os seguintes países: a Alemanha, Argentina, Arábia Saudita, Austrália, o Brasil, Canadá, a Coreia do Sul, os Estados Unidos,a China, França, Índia, Indonésia, Itália, o Japão, México, Reino Unido, a Rússia, Turquia, África do Sul e União Europeia. O Brics, bloco que engloba os países industrializados e as economias emergentes (o Brasil, a Rússia, Índia, China e África do Sul) reúne 90% do Produto Bruto Global, 80% do comércio mundial e dois terços da população do planeta.

A ideia é que o chamado Plano de São Petersburgo, a declaração final assinada pelos chefes de Estado e Governo, sirva como base para os acordos do G20, definindo regulações financeiras a curto prazo e medidas para dar mais fôlego à economia mundial. O texto deverá incluir compromissos firmados pelo G20, já consagrados em reuniões multilaterais, e estímulos para a geração de emprego, segundo autoridades russas. Para incluir os pontos na declaração, é preciso haver consenso.”

(Agência Brasil com Prensa Latina)

Dilma foi alvo de espionagem, diz Fantástico

61 1

dilmaband

“Reportagem do Fantástico, da TV Globo, exibida na noite deste domingo afirma que as comunicações da presidente Dilma Rousseff foram alvo de espionagem por parte da Agência de Segurança Nacional (NSA) dos Estados Unidos. A acusação foi baseada em um documento secreto obtido pelo jornalista americano Glenn Greenwald, do jornal inglês The Guardian. Greenwald foi um dos primeiros a revelar o sistemático esquema de espionagem eletrônica da agência americana e do governo Obama delatado pelo ex-analista da NSA Edward Snowden. O jornalista é namorado do brasileiro David Miranda, que foi detido no mês passado em Londres, quando transportava papéis entregues por Snowden. Greenwald disse que o material sobre a vigilância ao governo brasileiro também foi repassado a ele pelo ex-analista.

Segundo a reportagem exibida no programa, o nome de Dilma aparece em uma apresentação interna para funcionários da NSA chamada “Filtragem inteligente de dados: estudo de caso do México e do Brasil”. De acordo com o documento, o objetivo do monitoramento ao Brasil seria “melhorar a compreensão dos métodos de comunicação e dos interlocutores da presidente”. Também há menção ao presidente do México, Enrique Peña Nieto, como alvo de vigilância. Datada de 20 de junho de 2012, quando Peña Nieto ainda era candidato, a apresentação mostra mensagens de texto interceptadas do celular do futuro presidente. Nelas, ele aparece especulando quais seriam os seus ministros caso viesse a ser eleito.

No caso de Dilma, o documento não indica o conteúdo de qualquer conversa ou texto que eventualmente tenha sido alvo de bisbilhotagem. Os trechos que citam a presidente mostram apenas organogramas de sua rede de assessores – que aparecem com os nomes apagados. A apresentação detalha que a coleta de dados para espionar os governantes seria feita pelo monitoramento de números de telefone, e-mails e IP (a identificação do computador).”

(Veja)

Banco do Brics pode ser criado em Fortaleza

“Autoridades brasileiras cobram a aprovação final para novas instituições multilaterais dos Brics – formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. O objetivo é que um banco de desenvolvimento e um fundo de emergência sejam criados em 2014, segundo fontes ouvidas pela agência Dow Jones.

Uma reunião dos líderes dos Brics na próxima semana em São Petersburgo, na Rússia, pode mostrar se será possível uma aprovação para a criação desses órgãos em um outro encontro, marcado para o próximo ano em Fortaleza (Ceará).

De acordo com duas fontes brasileiras ouvidas pela Dow Jones, o fundo será formado utilizando as reservas dos bancos centrais dos países-membros. A China contribuiria com US$ 41 bilhões, Brasil, Rússia e Índia ajudariam com US$ 18 bilhões cada e a África do Sul participaria com US$ 5 bilhões. Os Brics também estão trabalhando na criação de um banco de desenvolvimento com capital de US$ 50 bilhões, que emprestaria recursos para projetos específicos.

(Agência Estado)

Observatório sírio diz que mais de 110 mil pessoas já morreram no conflito

58 1

Pelo menos 110 mil pessoas foram mortas na Síria desde o início da revolta contra o regime de Bashar Al Assad, em março de 2011, indicou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH). Um balanço anterior, feito pela mesma organização não governamental em 26 de junho, apontava 100.191 mortos. A Organização das Nações Unidas tem indicado que já morreram no conflito mais de 100 mil pessoas.

Esse novo balanço mostra que morreram 40.146 civis, 21.850 combatentes rebeldes e 45.478 membros das forças governamentais, incluindo as milícias que apoiam o regime. Entre os civis, estão 3.905 mulheres e 5.833 menores de 16 anos.

O número relativo aos rebeldes abrange 15.992 civis que pegaram em armas, 3.730 combatentes estrangeiros (a maioria jihadistas) e 2.128 desertores. Nas milícias que apoiam o regime houve 17.824 baixas e o movimento xiita libanês Hezbollah, que combate ao lado das tropas de Assad, sofreu 171 mortes no conflito.

Segundo o OSDH, há ainda 2.726 corpos que não foram identificados e não se sabe do paradeiro de 9 mil detidos e de 3.500 soldados capturados pelos rebeldes.

A organização, que se baseia em uma rede de ativistas e em fontes médicas por todo o país, registrou as mortes até esse sábado (31).

(Agência Brasil)