Blog do Eliomar

Categorias para Jornalismo

Ex-cinegrafista da TV O POVO morre em acidente com equipe de produtora de vídeo

Carro da produtora de vídeo Baião de Dois, que presta serviços terceirizados ao Governo do Estado, envolveu-se em acidente que matou o cinegrafista Agostinho Santos, nessa terça-feira (20), à altura do km 10 da CE-138, no município de Solonópole. A equipe voltava de um trabalho a serviço do Governo em Juazeiro do Norte.

Em contato com O POVO Online, o Relações Públicas da Polícia Militar, tenente-coronel Andrade Mendonça, revelou que o veículo do modelo L200, que transportava três pessoas da equipe da produtora, capotou e saiu da estrada.

Equipe do Corpo de Bombeiros Militar (CBM) esteve no local para retirada dos passageiros do veículo.

O condutor do carro, identificado como Valdean de Almeida Menezes, foi resgatado com traumatismo craniano. O cinegrafista Raimundo Nonato teve escoriações no corpo. O cinegrafista Agostinho Santos morreu no local.

Em socorro das vítimas, foi enviada uma aeronave da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer), para que fossem transferidas para hospitais em Fortaleza.

Agostinho Santos trabalhou na TV O POVO. A notícia de sua morte foi recebida com consternação por colegas, como a jornalista Germana Pinheiro, repórter da Rádio O POVO/CBN. “Trabalhei com Agostinho durante cinco anos. Para mim, ele era bem mais que um cinegrafista, dividiamos o dia a dia, os problemas”, conta.

Agostinho se destacou durante o período em que trabalhou no Grupo de Comunicação O POVO. Em 2015 foi o vencedor do Prêmio Sebrae de Jornalismo na categoria “Repórter Cinamatográfico”. O cinegrafista trabalhou, além da TV O POVO, na TV Jangadeiro e TV União.

O trabalho do cinegrafista era notado entre seus colegas. “Trabalhei com Agostinho na TV O POVO. Sempre alegre e cuidadoso com seus companheiros, sempre conversando sobre como melhorar o nosso trabalho. Era um grande profissional”, revela Ana Flávia Gomes, editora do O POVO.

Ana Flávia também diz do quão alegre era Agostinho. “Vai fazer muita falta. Era uma presença de vida, de astral”.

O velório do cinegrafista será realizado na igreja Assembleia de Deus, Rua Primeiro de Maio, 641 – Bairro Bonsucesso. O horário ainda é incerto, pois o corpo ainda vai chegar a Fortaleza.

(O POVO Online)

Novos Talentos O POVO – Inscrições vão até 22 de fevereiro

Estão abertas as inscrições para a 21ª turma do Curso Novos Talentos para Estudantes de Jornalismo, promovido pela Fundação Demócrito Rocha (FDR) em parceria com o Grupo de Comunicação O POVO. O curso oferece aulas de Redação e Método Jornalístico; Português Instrumental para Jornalistas; Introdução à Produção Audiovisual e Introdução à Fotografia. Além disso, os estudantes terão aulas práticas nas editorias do jornal, da rádio e do portal. Nessa etapa, os alunos vão acompanhar o trabalho dos repórteres, participar de reuniões de pauta, cobrir acontecimentos e escrever textos, tarefas que serão orientadas diretamente pelos editores de cada núcleo.

Podem se inscrever para a seleção estudantes de Jornalismo que estiverem cursando do quarto ao oitavo semestre na data do início do curso. Para se inscrever, os interessados devem preencher a ficha de inscrição na página da internet do curso. As inscrições seguem até o dia 22/2/2018.

Por meio das fichas de inscrição serão selecionados candidatos que farão a prova escrita de Português, Conhecimentos Gerais e Redação, no dia 28/2/2018. A prova de Conhecimentos Gerais avaliará a familiaridade do candidato com assuntos políticos, econômicos e sociais da atualidade; o conteúdo da prova Português incluirá, gramática e interpretação de texto e a de Redação avaliará a capacidade do estudante escrever um texto jornalístico com coerência e coesão. Na página do curso é possível consultar provas anteriores.

O programa Novos Talentos para Estudantes de Jornalismo iniciou-se no ano de 2007 e tem como objetivo oferecer treinamento sobre aspectos práticos e teóricos da profissão, de modo a preparar novos profissionais para atuarem nos meios impresso e eletrônico. Desde o início, o curso tornou-se a principal porta de entrada para novos jornalistas no Grupo de Comunicação O POVO.

Abaixo o calendário, detalhando as etapas do curso

· – Período de inscrição: até 22/2/2018

· – Divulgação dos selecionados para a prova escrita: 26/2/2018

· – Aplicação da prova escrita: 28/2/201. (Local e horário a definir)

· – Divulgação dos 20 selecionados para a entrevista com a área de Recursos Humanos: 6/3/2018

· – Entrevista com os 20 candidatos selecionados com a área de Recursos Humanos: 7/3 e 13/3/2018

· – Divulgação dos 12 selecionados para o Ciclo de Palestras: 14/3/2018

· – Ciclo de palestras: 15/3/2018 a 23/3/2018

· – Entrevista com o coordenador (define os oitos estudantes que participarão do curso): 26/3/2018

· – Início do curso: 27/3/2018

· – Conclusão do curso: 24/6/2018

SERVIÇO

*Para se inscrever: https://www20.opovo.com.br/novostalentos.

TV Ceará abre seleção para estágio em Jornalismo

A TV Ceará inscreve, até 19 de fevereiro, para seu programa de estágio em Jornalismo. As vagas são destinadas a alunos a partir do quarto semestre. A seleção será feita em três etapas, passando pela análise do histórico acadêmico, curriculum vitae e entrevista a ser realizada pela Comissão Examinadora e por representantes da área a que se destina o estágio. Após a realização, quatro alunos serão selecionados para o estágio supervisionado no projeto que tem duração de quatro meses.

Durante o estágio, o estudante passará pelas redes sociais da emissora, produção, reportagem, edição de texto e de imagens. O processo será todo acompanhado de perto por jornalistas da TVC, com bate-papos periódicos com esses profissionais. Além disso, os estudantes participarão de palestras com instrutores da TV Ceará ou convidados, sobre Redes Sociais, Produção para TV, Reportagem para TV, Edição, Chefia de Redação, Gestão em TV e que darão dicas sobre o mercado de trabalho.

Ao final do programa, o estudante que cumprir frequência mínima de 75% receberá o certificado de conclusão do curso, aproveitando como atividade curricular de Estágio Supervisionado, a critério da instituição na qual faz o curso de graduação.

SERVIÇO

*Inscrições pelo site do programa (http://talentostvc.redelivre.org.br).

Morre o jornalista José Mário Pinto

FORTALEZA, CE, BRASIL, 14-04-2014: José Maria Pinto, repórter do O POVO. José Maria Pinto comemora 58 anos de jornalismo. (Foto: Calima de Almeida/O POVO)

Morreu, nessa noite de domingo, em Fortaleza, o jornalista José Mário Pinto (83). Ele estava internado desde a última quinta-feira, 25, por conta de uma pneumonia. José Mário tinha 61 anos de profissão, e faria 54 anos no O POVO em abril deste ano. O velório acontece no Cemitério Parque da Paz. Às 10 horas desta segunda-feira, no mesmo local, haverá celebração de missa e, em seguida, o sepultameto.

Até outubro de 2016, ele assinava a coluna Turismo S/A no O POVO Online e também atuava como repórter do núcleo de Conjuntura. Ele também assinou a coluna Três Armas.

Morre a jornalista Elvira Sena

Morreu neste domingo (28) a jornalista cearense Elvira Sena, que trabalhou no Diário do Nordeste e na TV Verdes Mares. O corpo está sendo velado na casa onde a jornalista morou, na rua Epifânio Leite, 87, no bairro Jacarecanga.

Elvira trabalhou por muito tempo na Editoria de Polícia do Diário do Nordeste, indo depois para a Editoria de Cidades e depois para a produção da TV Verdes Mares.

(Foto: Arquivo)

Aviso aos leitores do Blog

38 2

Amigos leitores deste Blog:

 Informamos que, até a próxima quarta-feira, estaremos fora do ar.

O objetivo é a necessidade de promovermos migração para uma nova plataforma, com garantias de melhor segurança de procedimentos e manutenção.

Brincadeira de Tiago Leifert irrita cúpula da Globo

159 1

Uma brincadeira do apresentador Tiago Leifert em suas redes sociais desagradou a cúpula da TV Globo. A informação é Coluna Radar, da Veja Online desta sexta-feira.

Nas redes sociais, Leifert criticou a campanha “Que Brasil você quer para o futuro?”, em que a emissora pede aos espectadores que enviem vídeos gravados por celular na posição horizontal.

As imagens serão parte da programação eleitoral da Globo.

(Foto – Divulgação)

O POVO estreará novo projeto gráfico e jornalístico nesta quinta-feira

Da Coluna Vertical desta quarta-feira, do O POVO:

Amanhã, o leitor do O POVO recebe um novo jornal. Redesenhado, com novas seções e formatos, dará mais ênfase na reportagem e investigação, na síntese e nas análises. Para isso, o jornal ampliou a equipe de reportagem investigativa e reorganizou sua Redação.

Este blogueiro, também colunista do O POVO, aliás, ganhará destaque logo na abertura da edição.

O POVO também ganha reforço na área da cultura e entretenimento, com um Vida & Arte maior e mais vibrante. Outro destaque são as edições de domingo. Nesse dia, O POVO.dom passa a ter formato berliner – um tamanho intermediário entre o atual e o tabloide, permitindo uma experiência totalmente nova aos leitores.

A edição também conta com o Caderno Pause, com conteúdos de moda, gastronomia, beleza, sociedade e estilo de vida. Todas as novidades começam amanhã, junto com um guia que explica o conceito por trás da mudança e reafirma nosso compromisso com o jornalismo de qualidade, de olho nos próximos 90 anos.

90 anos – Homenagem ao jornal O POVO

Em artigo no O POVO desta sexta-feira (12), o advogado Irapuan Diniz de Aguiar destaca os 90 anos do O POVO no “papel da comunicação na orientação e esclarecimento da sociedade e o faz como forma de melhor servir”. Confira:

O jornal O POVO escreve sua história com as marcas da verdade em cada matéria que edita. Nunca foi sua preocupação ver desfilarem em suas páginas o elogio gratuito ao Poder. A posição editorial tem como marca o alimento da fonte popular, sua preocupação maior. A informação de qualidade há que ser premissa para o estabelecimento da justiça social, garantindo o acesso a todos de forma igualitária e instantânea. Conhece o papel da comunicação na orientação e esclarecimento da sociedade e o faz como forma de melhor servir.

Em meio a tantos momentos tempestuosos tem se mostrado um combatente das boas causas, com a bandeira da liberdade de pensar e divulgar, alicerçando e consolidando os princípios que a Constituição consagra das garantias individuais e coletivas. Seu corpo de repórteres segue a linha da organização, a de expor com responsabilidade e dentro de princípios éticos.

Na sua trajetória histórica, “O POVO” tem sido, ao longo de 90 anos, um símbolo de independência. Ele cresceu na defesa do direito das minorias e da justiça social consciente da significação da liberdade da imprensa na consolidação do processo democrático brasileiro. A obstinação e a crença inabalável são as bases que sustentam o desenvolvimento do jornal. O comprometimento e a comunhão de ideais dos seus profissionais se expressam por uma atuação digna e pautada nos mais elevados princípios da liberdade e da verdade.

É indispensável enaltecer a figura de Demócrito Rocha, seu fundador, que, munido apenas de seus ideais, construiu um jornal que se credenciou ao respeito e a admiração de toda a comunidade.

“Nordestino” – Jornalista cearense é alvo da ignorância preconceituosa nas redes sociais

O jornalista cearense Bruno Formiga foi vítima de preconceito nas redes sociais por ser nordestino. Ao comentar sobre as polêmicas que envolvem o ex-presidente do Vasco da Gama, Eurico Miranda, Bruno foi atacado por um perfil identificado como Juli Neiva no Facebook: “Um nordestino com sotaque autista de merd* falando de futebol”.

O perfil foi além com o ataque ao jornalista, e continuou: “É foda. Aí só sabe comer rapadura (…) na terra deles nem tem um time do Nordeste em destaque em nada (..) você não sabe de nada. Deixa isso para um paulista ou um carioca, seu comedor de buchada e sarapatel (…)”.

No Instagram, Bruno Formiga falou sobre o ataque e classificou como “comum”. “E por mais que se tente relevar, embrulha por dentro. Incomoda. Mas também me dá pena. Da ignorância, do ódio, do preconceito, do vazio”, escreveu o jornalista.

Ao O POVO Online, Bruno reforça que não foi a primeira fez que sofreu este tipo de ataque. “Comentários daquele tipo têm aos montes. Às vezes, não tão agressivos, não tão explícitos, relativamente comuns. No início era até pior, quando as pessoas conheciam pouco. O canal também estava crescendo, então o impacto era menor, mas era mais constante o estranhamento”, conta o jornalista.

O comentarista do Esporte Interativo afirma, ainda, que, após cinco anos, as pessoas já se acostumaram com o seu rosto, voz e suas análises. “Deu uma diminuída, mas ainda existe, porque hoje temos uma proporção maior”, afirma ele.

De acordo com Bruno Formiga, que já trabalhou na editoria de Esportes do
O POVO, o perfil que o atacou é fake.”Se eu quisesse levar isso para frente até daria. Só que assim, eu não tenho paciência e tem custo. O perfil é fake, daria um trabalho. Eu acho que expor assim dessa maneira já está bom”, responde ele, ao ser questionado se iria levar o caso à Justiça.

(O POVO Online / Repórter Walber Freitas)

J. Lindemberg retratava assuntos regionais do Cariri, diz Audic Mota em homenagem a jornalista

163 1

Para o deputado estadual Audic Mota (PMDB), o jornalista e escritor João Lindemberg de Aquino retratava assuntos regionais do Cariri, preservando assim a memória e cultura do local. A observação do parlamentar é uma homenagem ao falecimento do jornalista, aos 84 anos, esta semana, que sofria princípio de Alzheimer.

“De luto está a imprensa do Cariri e do Ceará. Renomado intelectual, J. Lindemberg nos deixa expressivo legado como homem de comunicação e pesquisador da memória e dos assuntos regionais”, afirmou Audic Mota, em nota de pesar.

O livro “Roteiro Biográfico das Ruas do Crato”, de autoria do jornalista, se tornou importante fonte de pesquisas e estudos da região.

Uma prega no tempo de 25 anos

Em artigo no O POVO desta segunda-feira (8), a assessora institucional da Rede Cuca, professora e jornalista Ana Márcia Diógenes ressalta a postura do ex-presidente do O POVO, Demócrito Dummar, quando o jornal teve a coragem de “dar sua linha editorial à tapa” e criou a função de ombudsman. Confira:

Em sala de aula de graduação dos cursos de Jornalismo, nas disciplinas iniciais, quando o assunto é ética e análise crítica dos meios de comunicação, um nome ainda estranho para a maioria dos estudantes vem à tona: ombudsman. Infelizmente, esse mesmo desconhecimento vai para além de estudantes e alcança diferentes camadas da sociedade.

Para clarear: ombudsman é uma palavra de origem sueca, que significa a função de escutar, a exemplo dos ouvidores das repartições e empresas. Em jornais, o ombudsman ouve as críticas dos leitores, interage com a redação em busca de respostas, analisa a cobertura diária e tem uma coluna semanal com críticas e elogios. Um profissional com experiência de mercado, pago para “pisar no pé” da própria empresa, como um “advogado do diabo”.

Para os alunos, explico a falta que faz que todos os meios de comunicação tivessem o seu ombudsman. E assumo a vergonha, como jornalista e professora, de que só dois jornais do Brasil, ao que me consta, tenham ombudsman: Folha de S. Paulo (1989) e O POVO (1994). Se outro periódico nacional criou a função de ombudsman, não durou o suficiente para entrar na história.

Os mais curiosos aspirantes a jornalistas perguntam por que outros jornais não instituíram o “ombudsnato”. A explicação é sempre uma viagem de volta ao passado. Um retorno a 25 anos de história, quando o jornal O POVO teve a coragem de “dar sua linha editorial à tapa” e criou a função de ombudsman.

Tive a grata oportunidade de estar na redação à época. Era editora de Política em ano de supereleições: presidente, governos, 2/3 do Senado, deputados federais e estaduais. Ano seguinte, como diretora de redação, passei a interagir direto com a primeira ombudsman do jornal, a ex-professora Adísia Sá, que trazia junto a história do jornalismo no Brasil.

Todos tiveram que se reinventar: redação, ombudsman e diretoria. Não é fácil ser criticado. É preciso ter coragem para manter um funcionário cuja função é a crítica, mesmo construtiva. Demócrito Dummar, um homem à frente de sua geração, dizia uma frase que espelha essa decisão: para avançar, a gente tem que dar uma prega no tempo.

Há 25 anos, O POVO, leia-se Demócrito Dummar, deu essa prega no tempo. Vários ombudsman passaram, e a função continua firme. Como lamento que outros meios de comunicação não consigam tirar o véu que cobre o receio da crítica. Em tempos de redes sociais e convergência, mais do que nunca os leitores precisam de transparência.

O POVO: 25 anos de ombudsman

31 1

Editorial do O POVO desta segunda-feira (8) ressalta que o leitor passou a exigir participação no processo decisório público. Confira:

No bojo das comemorações dos 90 anos do O POVO, insere-se outra data do maior significado: os 25 anos da instituição do cargo de ombudsman (palavra sueca que designa ouvidor(a), em bom português). Ele (a) é encarregado (a) de ouvir as críticas, reclamações e sugestões dos leitores em relação ao jornal e outras plataformas que trazem a marca O POVO (portal, TV, rádios, revistas e eventos), através de uma coluna publicada semanalmente, e de uma crítica interna diária ao desempenho dessas plataformas e fazendo intermediações junto a qualquer instância do Grupo de Comunicação O POVO.

É um motivo de orgulho que O POVO seja um dos únicos grupos de comunicação social brasileiros que mantenha ininterruptamente esse tipo de prestação de serviço ao leitor (o outro é a “Folha de S. Paulo”), desde que decidiu instituí-la. Na ocasião, o Brasil vivia um momento de grandes expectativas em relação ao seu futuro próximo, depois de 20 anos de regime fechado e há apenas cinco anos da promulgação de sua nova Constituição democrática (de 1988).

Com o seu olhar prospectivo, O POVO já intuíra os “sinais dos tempos” e também auscultara os movimentos tectônicos de uma revolução tecnológica que daria lugar à sociedade da informação, cujo trabalho de parto, iniciado no final da década de 80, tomaria toda a década seguinte e iniciaria o século XXI num patamar inédito de comunicação, cuja instantaneidade e transespacialidade mudariam por completo sua feição, transfigurando-a em várias plataformas complementares que se auto-alimentam, incessantemente.

Em tais condições, o leitor não era mais um receptor passivo da comunicação, mas passou a interagir cada vez mais com ela, exigindo qualidade e sintonia com suas demandas. Um processo correlato ao vivido pela própria cidadania que, também, ao acessar os novos instrumentos de comunicação, passou a exigir participação no processo decisório público.

Sintonizado com esse espírito O POVO ecoou-o na defesa da instituição pioneira da democracia participativa no município de Fortaleza, em campanha memorável. E para que não ficasse na teoria, criou internamente o Conselho de Leitores e o ombudsmato – este que completa agora um quarto de século de experiência bem-sucedida, e que terá continuidade sob o novo mandato da jornalista Daniela Nogueira.

“Responsabilidade, ética e inovação”, destaca o presidente do Congresso Nacional, nos 90 anos do O POVO

Em nota pelos 90 anos do O POVO, neste domingo (7), o presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira, ressalta o legado do mais antigo jornal do Ceará. Confira:

O POVO, mais antigo jornal em circulação do Ceará, completa hoje 90 anos de vida. Desde 1928 olhando para o futuro e falando sempre ao cearense com responsabilidade, ética e inovação.

Parabenizo a todos que fazem este importante veículo de comunicação de nosso Estado, com especial atenção a Luciana Dummar, Presidenta que conduz o Grupo de Comunicação O POVO com maestria e honra o legado de seu pai, jornalista Demócrito Dummar.

Parabéns e vida longa ao jornal O POVO.

Senador Eunício Oliveira
Presidente do Congresso Nacional

Temer lamenta morte de Carlos Heitor Cony

O presidente Michel Temer manifestou hoje (6) pesar pela morte do jornalista e escritor Carlos Heitor Cony. “É com tristeza que recebo a notícia da perda de Carlos Heitor Cony, um dos mais cultos e preparados pensadores nacionais”, disse Temer, em seu Twitter.

“O jornalista, membro da @abletras, atuou nos principais jornais e revistas do País. Meus sentimentos à família e aos amigos”, completou o presidente.

Cony era o quinto ocupante da cadeira nº 3 da Academia Brasileira de Letras (ABL) e, atualmente, era colunista do jornal Folha de São Paulo.

O jornalista morreu na noite de ontem (5) aos 91 anos. Ele estava internado no Hospital Samaritano, em Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro, desde o dia 26 de dezembro por problemas gástricos e morreu por falência múltipla dos órgãos devido a complicações decorrentes de uma cirurgia.

(Agência Brasil)

Morre o jornalista e escritor Carlos Heitor Cony

Morreu na noite dessa sexta-feira (5) o jornalista e escritor Carlos Heitor Cony, aos 91 anos. Ele estava internado no Hospital Samaritano, em Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro.

Quinto ocupante da Cadeira nº 3 da Academia Brasileira de Letras (ABL), foi eleito em 23 de março de 2000 e tomou posse em 31 de maio do mesmo ano.

Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926. Começou a carreira em 1952 como redator da Rádio Jornal do Brasil. Também passou pelas redações do Correio da Manhã, da Folha de S. Paulo e da rádio CBN.

Como escritor, ganhou três prêmios Jabuti pelos romances Quase Memória, A Casa do Poeta Trágico e Romance sem Palavras.

Segundo a ABL, com o golpe militar de 1964, foi preso várias vezes e passou um período na Europa e em Cuba. Cony deixou esposa e três filhos.

(Agência Brasil)