Blog do Eliomar

Categorias para Literatura/Filmes

Escritor Jeovah Mendes comemora nova publicação: “Onde estava Jesus dos 13 aos 30 anos?”

O escritor e historiador Jeovah Mendes foi um dos mais vendidos na 13ª Bienal Internacional do Livro do Ceará, que ocorreu neste mês, no Centro de Eventos.

O título “Onde estava Jesus dos 13 aos 30 anos?” foi o preferido de quem circulou pelo estande da Casa da Bíblia.

Jeovah não fez lançamento ou festa em torno da obra que, em breve, estará à disposição no site Amazon.

Aliás, ele já esta pesquisando e escrevendo o livro “História das sociedades secretas: dos primórdios aos nossos dias”.

 

(Foto – Paulo MOska)

Antonio Mourão Cavalcante lança terceiro livro de poesias

O professor universitário, antropólogo e médico Antonio Mourão Cavalcante, também articulista deste Blog, lançará seu terceiro livro de poesias intitulado “Mosaico do Tempo”.

O lançamento ocorrerá às 18h30min desta quarta-feira, na Universidade Sem Fronteiras.

SERVIÇO

*Universidade Sem Fronteiras – Rua Nunes Valente, 919 – Bairro Aldeota.

(Foto – Facebook)

Toffoli suspende decisão que permitia apreensão de livro na Bienal

Neste domingo(8), o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, suspendeu a decisão judicial proferida pelo presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, o desembargador Cláudio Mello Tavares, expedida no sábado (7), que autorizava o recolhimento de obra literária na Bienal do Livro no Rio.

“Pelo exposto, defiro a liminar, para conceder a suspensão da decisão da Presidência do TJRJ, nos autos da Suspensão de Segurança no 0056881-31.2019.8.19.0000, a qual havia suspendido a decisão do Desembargador Heleno Ribeiro Pereira Nunes, nos autos do mandado de segurança de mesmo número”, diz Toffoli.

O presidente do STF atendeu a pedido feito pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, encaminhado esta manhã. Na manifestação ao Supremo, ela afirma que a medida “visa a impedir a censura ao livre trânsito de ideias, à livre manifestação artística e à liberdade de expressão no país”.

Entenda o Caso

Na quinta-feira (5), a prefeitura do Rio de Janeiro determinou que os organizadores da Bienal do Livro recolhessem a obra Os Vingadores – a caçada das crianças.

Na sexta-feira (6), os organizadores do evento entraram com mandado de segurança para impedir a apreensão dos livros. O desembargador da 5a. Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio, Heleno Pereira Nunes, concedeu liminar impedindo que a prefeitura do Rio realizasse o recolhimento de livros de qualquer conteúdo em exposição e venda na feira literária.

No sábado (7), o presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, Claudio de Mello Tavares, aceitou o pedido da prefeitura carioca para recolher, na Bienal do Livro, obras que tratem de temas LGTB – Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais ou Transgêneros “de maneira desavisada” para crianças e jovens. Com a decisão, os expositores só poderiam comercializar essas obras em embalagens lacradas e que contenham “advertência de seu conteúdo”.

No domingo (8), a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a suspensão da decisão judicial do Tribunal de Justiça do Rio de apreensão de livros e revistas com temática LGBT. “A decisão ora impugnada fere frontalmente a igualdade, a liberdade de expressão artística e o direito à informação, que são valorizados intensamente pela Constituição de 1988, pelos tratados internacionais de direitos humanos ratificados pelo Brasil e, inclusive, por diversos precedentes do egrégio Supremo Tribunal Federal”, escreveu Dodge.

(Agência Brasil)

Dodge pede STF que suspenda apreensão de livros LGBT na Bienal do Rio

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a suspensão da decisão judicial do Tribunal de Justiça (TJ) do Rio de apreensão de livros e revistas com temática LGBT. O requerimento foi publicado neste domingo (8), contrário à medida de ontem (7), assinada pelo presidente do TJ, desembargador Claudio Mello Tavares, que cassou liminar expedida no sábado (6), pelo juiz Heleno Ribeiro Pereira Nunese, que proibia o recolhimento de obras com esta temática, conforme defendido pelo prefeito do Rio, Marcelo Crivella.

A petição da procuradora-geral foi endereçada ao presidente do STF, ministro Dias Tóffoli, contra a decisão do presidente do TJ que suspendeu a liminar concedida em mandado de segurança apresentado pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros e a empresa GL Events Exhibitions, que promove a Bienal do Livro, no Riocentro, em Jacarepaguá. A obra que motivou a polêmica foi uma revista em quadrinhos dos Vingadores – A cruzada das crianças, da Marvel, que ilustra um beijo entre dois heróis homens.

“A decisão ora impugnada fere frontalmente a igualdade, a liberdade de expressão artística e o direito à informação, que são valorizados intensamente pela Constituição de 1988, pelos tratados internacionais de direitos humanos ratificados pelo Brasil e, inclusive, por diversos precedentes do egrégio Supremo Tribunal Federal”, escreveu Dodge.

A PGR reiterou ainda, em nota divulgada na página da instituição na internet, que a prefeitura do Rio discrimina frontalmente pessoas por sua orientação sexual e identidade de gênero e fere o princípio da igualdade que deve pautar a convivência humana, ao determinar o uso de embalagem lacrada somente para obras que tratem do tema do homotransexualismo. Além disso, “também ofende a liberdade de expressão e o correlato direito à informação que, conforme detalha na peça, abrange a produção intelectual, artística, científica e de comunicação de quaisquer ideias ou valores”.

Além de requerer a imediata suspensão da eficácia da decisão do presidente do TJ, com a consequente restauração do que fora estabelecido no mandado de segurança, Dodge pediu efeito suspensivo de caráter liminar, “em virtude do risco evidente de prejuízo aos direitos fundamentais das pessoas que organizaram e comparecem à Bienal do Livro”.

Nesse sábado (7), uma equipe da prefeitura foi ao local para cumprir a ordem. Mas, depois de uma reunião com os organizadores do evento, a equipe ingressou no pavilhão da bienal sem coletes de identificação para evitar tumulto. A decisão de apreender as obras motivou um protesto dentro do Riocentro, contra a censura aos livros.

(Agência Brasil)

Justiça do Rio autoriza recolhimento de livros na Bienal

O presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, Claudio de Mello Tavares, aceitou hoje (7) pedido da prefeitura carioca para recolher, na Bienal do Livro, obras que tratem de temas LGTB – Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais ou Transgêneros “de maneira desavisada” para crianças e jovens. Com a decisão, os expositores só podem comercializar essas obras em embalagens lacradas e que contenham “advertência de seu conteúdo”.

Na última quinta-feira (5), depois de tomar conhecimento de uma história em quadrinho (Vingadores: A Cruzada das Crianças, da Marvel), que continha uma cena de beijo entre dois personagens homens, o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, decidiu notificar os expositores da Bienal para que lacrassem esses livros.

Na notificação, a prefeitura afirmou que apreenderia livros que não estivessem lacrados e que poderia até cassar a licença para a feira.

Mas ontem (6) o desembargador Heleno Ribeiro Nunes, da 5ª Câmara Cível do Rio de Janeiro, concedeu um mandado de segurança para os organizadores da Bienal, para suspender os efeitos da notificação da prefeitura.

A decisão de hoje do presidente do TJ suspende o mandado de segurança da 5ª Câmara Cível.

(Agência Brasil)

Justiça concede liminar que impede apreensão de livro na Bienal do Rio

O desembargador da 5a. Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio, Heleno Pereira Nunes, concedeu liminar na noite dessa sexta-feira (6) à Bienal do Livro, impedindo que a Prefeitura do Rio realize o recolhimento de livros de qualquer conteúdo em exposição e venda na feira literária.

Na decisão, o magistrado escreveu: “Desta forma, concede-se a medida liminar para compelir as autoridades impetradas [prefeitura do Rio] a se absterem de buscar e apreender obras em função do seu conteúdo, notadamente aquelas que tratam do homotransexualismo”.

O desembargador escreveu na decisão que a medida se estende também ao funcionamento pleno da Bienal do Livro. “Concede-se a liminar, igualmente, para compelir as autoridades impetradas a se absterem de cassar a licença para a Bienal, em decorrência dos fatos veiculados nesta decisão”.

Entenda o caso

O mandado de segurança impetrado pela Bienal na Justiça é contra decisão anunciada na quinta-feira (5) pelo prefeito Marcelo Crivella, que determinou que os organizadores do evento recolhessem o livro Os Vingadores, a Cruzada das Crianças. Segundo Crivella, a publicação traz conteúdo imprório para menores. “Livros assim precisam estar embalados em plástico preto e lacrado, informando o conteúdo. Desta forma, a prefeitura do Rio está protegendo os menores de nossa cidade”, diz a nota do prefeito.

Escrito há dois anos por Allan Heinberg e Jim Chang, o livro traz uma ilustração de dois homens se beijando.

Em nota, a Prefeitura do Rio informou que a notificação visa a adequar obras expostas na feira aos artigos 74 a 80 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). O Artigo 78 do ECA diz que “as revistas e publicações contendo material impróprio ou inadequado a crianças e adolescentes deverão ser comercializadas em embalagem lacrada, com a advertência de seu conteúdo”.

“No caso em questão, a Prefeitura entendeu inadequado, de acordo com o ECA, que uma obra de super-heróis apresente e ilustre o tema do homossexualismo [homossexualidade] a adolescentes e crianças, inclusive menores de dez anos, sem que se avise antes qual seja o seu conteúdo”, diz a nota.

A prefeitura alega também que houve reclamação de frequentadores da feira: “A obra estava lacrada. Não havia, porém, uma advertência neste sentido, para que as pessoas fizessem sua livre opção de consumir obra artística de super-heróis retratados de forma diversa da esperada. Houve reclamação de frequentadores da feira, que têm direito à livre opinião e opção quanto ao conteúdo de leitura de filhos e adolescentes, pessoas em formação”.

(Agência Brasil)

Autora cearense de 16 anos lança romance na Bienal Internacional do Rio

Nascida e criada em Fortaleza, a escritora Belle Leal, de 16 anos, vai lançar seu segundo livro na XIX Bienal Internacional do Livro do Rio. Trata-se do romance “Quando a Gente Acontece”, que surpreende pela narrativa madura sobre os conflitos reais de um relacionamento a dois. A noite de autógrafos acontecerá nesta sexta-feira, às 19 horas, no estande da Editora Coerência (Pavilhão Verde).

 

Na trama, Sophie, uma mulher de 26 anos, se sente (quase) satisfeita com tudo que já conquistou. É uma cirurgiã de sucesso e trabalha no melhor hospital de São Paulo. Após a perda do seu padrinho, a jovem se vê presa a uma grande decisão que não cabe somente a ela.

Mesmo após tantas conquistas, o coração da protagonista continua inquieto e ela não entende o porquê. A jovem tem um relacionamento com o homem perfeito. Roberto é forte, alto, bonitão e a trata como uma princesa, mas será isso o que Sophie busca? É nesse ponto que leitores são convidadas a debater sobre o que realmente traz felicidade.

(Foto – Divulgação)

Cantor e compositor Evaldo Gouveia ganha livro biográfico

O empresário e produtor cultural Ulysses Gaspar vai lançar o livro “O Que Me Contou Evaldo Gouveia”.

A publicação, que conta um pouco da trajetória de vida do cantor e compositor cearense Evaldo Gouveia, será lançada nesta quarta-feira, às 19h30min, na Livraria Leitura, no Shopping RioMar Papicu.

Segundo Ulysses Gaspar, não se trata de uma biografia, mas de um relato autobiográfico colhidos em 200 horas de gravação durante encontros com Evaldo Gouveia em Fortaleza e no Rio de Janeiro.

Na publicação, as origens de Evaldo Gouveia no interior do Ceará, sua vinda para Fortaleza ainda criança, a atuação no rádio, o Trio Nagô, dentre tantos outros momentos históricos da vida do compositor até sua consagração no mundo da música.

DETALHE – O lanamento do livro contará ainda com um pocket show do cantor Marcos Lessa, interpretando sucessos de Evaldo Gouveia, que também estará presente.

XIII Bienal do Livro – Escritor Raymundo Netto lança novo livro de crônicas

“Quando o Amor é de Graça!” é o mais novo livro de crônicas do escritor Raymundo Netto.

Será lançado neste sábado, a partir das 16 horas, no Espaço Natércia Campos da XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará, no Centro de Eventos.

Pela Editora Demócrito Dummar.

“Para mim, no momento desse “parto” tão esperado, é muito importante a presença de meus amigos e de minhas amigas”, diz o autor, um dos talentos da literatura cearense.