Blog do Eliomar

Categorias para Papa Francisco

Papa faz apelo para que migrantes à deriva sejam acolhidos

O papa Francisco fez um apelo neste domingo (6) para que governos europeus acolham migrantes à deriva no mar do Mediterrâneo.

Ao falar para fiéis na Praça de São Pedro, no Vaticano, ele se referiu aos migrantes salvos por dois navios de organizações não-governamentais que aguardam autorização para desembarcar na Europa.

O papa foi aplaudido e o seu pronunciamento tem relação direta com 49 migrantes que ainda estão a bordo dois navios, o Sea Watch e o Sea Eye.

Eles não estão alojados em nenhum ponto do Mediterrâneo e permanecem estacionados nas águas de Malta.

(Agência Brasil)

Após renúncia de diretores de Imprensa, papa Francisco nomeia interino

O papa Francisco aceitou hoje (31) a renúncia do diretor do Gabinete de Imprensa da Santa Sé, Greg Burke, e de sua adjunta, Paloma García Ovejero. Foi nomeado interinamente Alessandro Gisotti, de 44 anos, que ocupava a Coordenação Social do Departamento de Mídia e Comunicação.

Gisotti é jornalista, graduado em Ciências Políticas na Universidade La Sapienza, em Roma. Ele acompanhou as atividades dos últimos três papas João Paulo II, Bento XVI e agora Francisco. Desde 2017 é coordenador de Mídias Sociais do Departamento de Comunicação da Santa Sé.

Em declaração, Gisotti agradeceu a confiança do papa Francisco ao nomeá-lo. “Vou tentar cumprir a missão confiada ao melhor da minha capacidade, com aquele espírito de serviço à Igreja e ao papa que tive o privilégio de aprender ao lado de padre Federico Lombardi por quase 20 anos.”

O prefeito da Congregação para a Comunicação, Paolo Ruffini, elogiou a atuação de Burke e Paloma García, agradeceu o trabalho desempenhado por ambos com profissionalismo. Segundo Ruffini, o novo diretor desempenhará também com profissionalismo a nova função.

Em sua conta do Tweeter, Burke disse que a renúncia refere-se ao momento que o Vaticano enfrenta. “Neste momento de transição nas comunicações do Vaticano, pensamos que é melhor que o Santo Padre esteja completamente livre para reunir uma nova equipe.”

Paloma García também tuitou: “Termina um período. Obrigada, Santo Padre, por estes dois anos e meio.”

(Agência Brasil)

Na Missa do Galo, papa Francisco condena ganância e acúmulo de bens

Ao rezar a Missa do Galo, na Basílica de São Pedro, no Vaticano, o papa Francisco condenou a ganância e o acúmulo de bens. Ele ressaltou que o nascimento de Jesus Cristo leva à reflexão sobre um novo modelo de vida baseado no compartilhamento, na doação e, sobretudo, no fim da ganância.

Segundo o pontífice, o homem “se tornou ganancioso e voraz”. De acordo com ele, muitos acreditam que o sentido da vida se sustenta em acumular bens. “É o momento decisivo para mudar o curso da história”, advertiu o papa.

O papa Francisco fez um chamamento para cada um mude a história por meio de si mesmo. “Mude a história a partir de cada um de nós”, disse. “O centro da vida não é mais o meu eu faminto e egoísta, mas aquele que nasce e vive por amor.”

De acordo com o pontífice, todos devem se perguntar sobre seu modo de vida e o que transformar para melhor. “[Será que] eu realmente preciso de muitas coisas, receitas complicadas para viver? “Posso fazer sem muitos contornos supérfluos, para escolher uma vida mais simples?”, sugeriu.

O papa Francisco ressaltou ainda que Cristo “não gosta” de preguiçosos nem sedentários. “O Senhor ama ser esperado e não pode ser esperado no sofá, dormindo. De fato, os pastores se movem: eles foram sem demora.”

(Agência Brasil)

Papa Francisco pede que direitos humanos sejam o eixo das ações

O papa Francisco fez nesta segunda-feira (10), data em que se recorda os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, um “apelo sincero” para que todos os que tenham responsabilidades institucionais façam dos direitos humanos o centro das ações políticas, em um momento em que o tema é, segundo ele, continuamente ignorado.

“Desejo, nesta ocasião, dirigir um forte apelo a todos os que têm responsabilidades institucionais, para que coloquem os direitos humanos no centro de todas as políticas, incluindo as de cooperação para o desenvolvimento, mesmo quando isso signifique ir contracorrente”, afirmou o pontífice na mensagem que escreveu para abrir a conferência internacional sobre o tema organizada pela Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma, e que foi lida pelo cardeal Peter Appiah Turkson, presidente do Pontifício Conselho Justiça e Paz do Vaticano.

No texto, Francisco armou que “várias contradições” são vistas diariamente e que isso gera a pergunta de que se de fato “a igual dignidade de todos os seres humanos, solenemente proclamada há 70 anos, é reconhecida, respeitada, protegida e promovida em todas as circunstâncias”.

Conforme ressaltou, existem atualmente muitas formas de injustiça, “alimentadas por visões antropológicas redutivas e por um modelo econômico baseado no lucro, que não hesita em explorar, descartar e até matar o homem”. E defendeu: “enquanto uma parte da humanidade vive em opulência, outra parte vê sua própria dignidade renegada, desprezada ou pisoteada e seus direitos fundamentais ignorados ou violados”.

O papa lembrou ainda todos os que vivem “em um clima dominado pela desconfiança e pelo desprezo, que são submetidos a atos de intolerância, discriminação e violência por causa de sua raça, etnia, nacionalidade ou religião”, enquanto alguns “enriquecem com o preço do sangue” desses indivíduos.

“Por isso somos todos chamados a contribuir para o respeito aos direitos fundamentais de cada pessoa, especialmente das invisíveis: que têm fome e sede, que estão nuas ou doentes, estrangeiras ou prisioneiras, que vivem à margem da sociedade ou são descartadas”, aconselhou.

(Agência Brasil com EFE)

Papa Francisco agenda visita a Abu Dhabi para fevereiro

O papa Francisco viajará para Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, de 3 a 5 de fevereiro, para participar de um encontro inter-religioso internacional sobre a Irmandade Humana. A informação é do escritório de imprensa do Vaticano.

A visita atende ao convite do príncipe herdeiro de Abu Dhabi, Mohammed bin Zayed al Nahyan, e também da Igreja Católica dos Emirados Árabes Unidos. Trata-se da terceira viagem internacional confirmada para 2019.

Em janeiro, o papa irá ao Panamá para a Jornada Mundial da Juventude e, no mês de março, ao Marrocos.

(Agência Brasil com EFE)

Papa Francisco: a paz no mundo começa com ações individuais

O papa Francisco destacou, na missa de hoje, na Casa Santa Marta, no Vaticano, a importância da colaboração de cada indivíduo para a paz no mundo, começando por atitudes em casa, no trabalho e na escola, no caso das crianças.

“O que você faz para ajudar a paz no mundo? ‘Mas o mundo é muito distante, padre’. Mas o que faz para ajudar na paz do bairro, da escola, no local de trabalho?”, questionou o pontífice.

De acordo com o papa, se alguém sempre tem uma “desculpa para entrar em guerra” ou para “falar mal dos outros” essa pessoa está fazendo guerra. Diante disso, ele sugeriu que os pais perguntem aos filhos sobre o convívio na escola.

“Vamos perguntar para as crianças: ‘O que você faz na escola? Quando tem um colega que você não gosta, que é um pouco odioso ou que é mais fraco, você faz bullying ou faz as pazes?”, disse ele, destacando a importância de o
ser humano ser o “artesão da paz”, principalmente durante o Advento.

Na missa, o papa também mencionou a construção da paz no núcleo familiar. “Existem muitas tristezas nas famílias, muitas lutas, tantas pequenas guerras, desunião”, disse o papa Francisco, lembrando que entre os familiares é preciso existir pontes e não muros que separam.

(Agência Brasil com EFE)

Papa Francisco diz que padres gays devem largar o sacerdócio

130 1

O papa Francisco afirmou, em entrevista para livro que será lançado nesta semana, que homens gays não devem ser admitidos pela Igreja Católica. Segundo ele, seria mais saudável para os padres que se declaram gays largar o sacerdócio em vez de levar uma vida dupla.

O pontífice já havia declarado antes que o clero católico deveria melhorar a triagem dos candidatos para a vida religiosa. Francisco fez essa afirmação durante uma entrevista ao padre espanhol Prado, que irá abordar em sua obra os desafios enfrentados por padres e freiras nos dias atuais.

O livro tem como título “O poder da vocação”.

(Com Agências)

Papa pede mais mulheres em postos de responsabilidade na Igreja

O papa Francisco pediu hoje (17) uma maior presença de mulheres “nos diferentes campos de responsabilidade da vida da Igreja em particular, e não só no campo cultural”. O pedido foi feito durante a cerimônia de entrega dos prêmios Joseph Ratzinger.

Ao entregar o prêmio dado pela Fundação do Vaticano, que leva o nome do papa Emérito Bento XVI, à teóloga Anne-Marie Pelletier, Francisco ressaltou a importância “do reconhecimento cada vez maior da contribuição das mulheres no campo da pesquisa teológica científica e do ensino da teologia, considerados durante muito tempo territórios quase exclusivos do clero”.

Francisco acrescentou que é necessário que “esta contribuição seja estimulada e que encontre um espaço mais amplo, coerente com o crescimento da presença feminina nos diferentes campos de responsabilidade da vida da Igreja em particular, e não só no campo cultural”.

“Desde que Paulo VI proclamou Teresa de Ávila e Catarina de Siena doutoras da Igreja, não resta dúvidas de que as mulheres podem alcançar os lugares mais altos na inteligência da fé”, disse o papa

Ele lembrou que também “João Paulo II e Bento XVI incluíram na série de doutores os nomes de outras mulheres, como Santa Teresa de Lisieux e Hildegarda de Bingen”.

O prêmio Ratzinger também foi entregue neste sábado ao arquiteto Mario Botta.

O papa explicou que o compromisso do arquiteto é “de altíssimo valor e deve ser reconhecido e encorajado pela Igreja” sobretudo quando “se arrisca ao esquecimento da dimensão espiritual e à desumanização dos espaços urbanos”.

(Agência Brasil)

Papa Francisco visitará o Marrocos em 2019

O papa Francisco fará uma visita ao Marrocos nos dias 30 e 31 de março de 2019. A informação foi divulgada nesta terça-feira pelo escritório de imprensa do Vaticano. A viagem acontecerá após o convite do rei do Marrocos, Mohammed VI, e dos bispos do país, e o pontífice visitará as cidades de Casablanca e Rabat.

A viagem do papa ao país norte-africano vinha sendo especulada há muito tempo, primeiro para lembrar a visita que o papa João Paulo II fez em 1985, a primeira a um país islâmico e na qual fez um forte pedido para o diálogo entre as religiões.

Depois, pensou-se que Francisco poderia participar da conferência intergovernamental para a adoção do Pacto Mundial pelas Migrações Seguras, Ordenadas e Regulares, que será realizada em dezembro.

Por enquanto, o papa só tem confirmada para o ano que vem a viagem ao Panamá, entre 23 e 27 de janeiro, para participar da próxima Jornada Mundial da Juventude (JMJ).

O Vaticano adiantou que o programa da visita ao Marrocos, na qual terá seguramente um encontro com a família real marroquina, será informado posteriormente.

(Com Portal Uol)

Papa lembra fim da Primeira Guerra Mundial e pede que mundo invista em paz

O papa Francisco afirmou hoje (11) que a lembrança da Primeira Guerra Mundial deve ser “para sempre” uma “severa chamada” para “investir na paz”, enquanto em Paris é lembrado o centenário do armistício que colocou fim ao conflito.

“A página histórica do primeiro conflito mundial é para sempre uma severa chamada a rejeitar a cultura da guerra e a buscar todos os meios legítimos para pôr fim a todos os conflitos que ainda atingem muitas regiões do mundo”, disse após o Ângelus. “Parece que não aprendemos.”

O pontífice pronunciou estas palavras enquanto em Paris aproximadamente 70 chefes de Estado e de Governo lembram sob o Arco do Triunfo o centenário do armistício entre as potências aliadas e a Alemanha que pôs fim à Primeira Guerra Mundial em 1918.

O papa lembrou essa guerra e a qualificou como “um massacre inútil”, parafraseando seu predecessor Bento XV, cujo pontificado coincidiu com tal conflito.

“Digamos com força: Invistam na paz, não na guerra!”, exclamou Francisco desde a janela do Palácio Apostólico diante dos fiéis que escutavam na Praça de São Pedro, depois de realizar orações pelas vítimas “daquela enorme tragédia”.

(Agência Brasil com Agência EFE)

Papa Francisco está disposto a visitar a Coréia do Norte se for convidado

O papa Francisco está disposto a visitar a Coreia do Norte se receber um convite formal por parte de Pyongyang, disseram nesta quinta-feira (18) fontes oficiais sul-coreanas.

O tema foi abordado hoje em reunião no Vaticano entre Francisco e o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, que já tinha dito previamente que haveria um convite nesse sentido por parte do líder norte-coreano, Kim Jongun.

O porta-voz da Presidência sul-coreana, Yoon Young-chan, afirmou que, nessa reunião, o papa disse que poderia viajar para esse país depois de receber um convite oficial, segundo a agência sul-coreana Yonhap.

(Agência Brasil com EFE)

Papa proclama Paulo VI novo santo da Igreja Católica

O papa Francisco proclamou santo neste domingo (14) o papa Paulo VI, cujo pontificado foi de 1963 a 1978, em uma grande cerimônia na Praça de São Pedro, na qual também será canonizado o arcebispo de San Salvador, Oscar Romero.

Francisco utilizou como é habitual a frase em latim para proclamar a santidade do papa e pedir que fosse inscrito nos livros dos santos da Igreja.

Durante a cerimônia de hoje também vão ocorrer as canonizações da considerada a primeira santa boliviana, embora nascida em Madri, Nazaria Ignacia March; dos sacerdotes italianos Francesco Spinelli, Vincenzo Romano e do laico Nunzio Sulprizio, além da religiosa alemã Maria Katharina Kasper.

(Agência Brasil com Agência EFE)

Papa Francisco condena ações de intolerância contra imigrantes

O papa Francisco apelou hoje (20) para que as pessoas evitem sentimentos negativos, como desconfiança, medo e desprezo em relação aos imigrantes. O pedido foi feito durante audiência com integrantes da Conferência Mundial sobre Xenofobia, Racismo e Nacionalismo Populista no Contexto da Migração Global. Segundo ele, os que exploram os estrangeiros “devem fazer um profundo exame de consciência” porque terão de prestar contas a Deus.

Na audiência, o papa mencionou os ensinamentos do Novo Testamento, que destaca que todos os homens são iguais independentemente de sua etnia e credo religioso. “[Aquele que mantém] sentimentos de desconfiança, medo, desprezo e até ódio contra indivíduos ou grupos considerados diferentes por causa de sua etnia, origem e religião, como tal, não é digno o suficiente para participar plenamente na sociedade.”

O papa ressaltou que esses sentimentos são inspirados pela intolerância, afetando a dignidade das pessoas envolvidas e seus direitos fundamentais. “Infelizmente acontece também na política quando cede à tentação de explorar os medos e as dificuldades de alguns grupos e usar as promessas ilusórias a interesses eleitorais míopes.”

Francisco lembrou que todos estão vinculados ao Criador e que Deus criou o homem à “imagem e semelhança” Dele. Citando as Cartas de São Paulo, o papa defendeu o respeito à dignidade como “unidade fundamental” entre os seres humanos.

“Não há judeu ou grego; não há escravo ou livre; não há homem nem mulher, porque todos [somos] um em Cristo Jesus”, disse o pontífice, citando o Novo Testamento.

(Agência Brasil)

Papa Francisco manda investigar o Coral da Capela Sistina

O papa Francisco autorizou a abertura de uma investigação sobre possíveis irregularidades financeiras no famoso Coral da Capela Sistina. Em um comunicado, o Vaticano confirmou a apuração das suspeitas de fraudes e lavagem de dinheiro envolvendo os responsáveis pelo coral.

O comunicado informa que, em relação às informações publicadas em alguns veículos de imprensa, “confirmamos que o papa Francisco, há alguns meses, autorizou uma investigação sobre aspectos econômico-administrativos no referido coral, uma investigação que está em andamento”.

Apesar da nota não fornecer detalhes, vários veículos de imprensa italianos publicaram recentemente sobre alguns rumores de supostas irregularidades.

De acordo com o jornal La Stampa, o diretor do coral, Massimo Palombella, e seu diretor administrativo, Michelangelo Nardella, seriam as pessoas investigadas por desvio, fraude e lavagem de dinheiro.

O Coral da Capela Sistina é considerado um dos mais antigos do mundo e foi criado em 1471.

É composto por crianças e adolescentes entre 10 e 14 anos, embora também tenha alguns cantores adultos.

(Agência Brasil com EFE)

Papa Francisco e os novos fariseus

264 1

Com o título “Os novos fariseus”, eis artigo de Antonio Mourão Cavalcante, médico, antropólogo e professor universitário. Ele aborda o Papa Francisco, que virou um perigo para os interesses dos poderosos do momento. Confira:

A relação do homem público com a imprensa, nem sempre é cordial. Agora mesmo estamos presenciando uma série de questionamentos agressivos encima dos candidatos. Os jornalistas se sentem autorizados a abordar não importa que assunto, de preferência os pessoais. Algumas vezes, nem mesmo demonstração de cordialidade que a circunstância exige.

Entretanto, não quero mencionar as querelas locais porque dessas somos diariamente testemunhas e podemos tirar diretamente – ao vivo – nossas conclusões. Curiosamente, com outros candidatos, os entrevistadores são extremamente cordiais. Não molestam jamais.

Isso nos leva a supor que não se trata de um humor momentâneo daquela bancada. É algo mais profundo e mais rebuscado. Encomendado?

Quero mencionar o que aconteceu com o Papa Francisco. Quando de sua escolha, foi um verdadeiro estado de graça. Qualquer atitude, gesto, palavra do Pontífice eram logo espalhados pelo mundo inteiro. Ele conseguiu construir uma imagem extremamente simpática e calorosa. Quem não gostava do Papa Francisco?

Porém, gradativamente, Francisco, o Papa vindo da periferia, foi caindo em desgraça na mídia mundial. Primeiro, diminuiu a cobertura. Ficou um líder isolado. Pouca ressonância dos seus atos e mensagens. E, é ingênuo quem pensa que isso foi apenas fruto das circunstâncias.

Em verdade, o Papa Francisco tornou-se perigoso. Seu catecismo, seu apostolado adquiriu um contorno de questionamento e impertinência. Com Francisco não há mais lugar apenas para louvações e mãos levantadas aos céus. Ele pede e prega engajamento. Uma fé em ação.

Conto só um fato: enquanto toda Europa se fechava aos refugiados, vindos da periferia e do mundo da fome, Francisco manda abrir o Vaticano. Promove o acolhimento. Visita acampamentos. E, na solenidade do Lava-Pés, em plena Semana Santa, ele escolhe refugiados e lava os pés dessas pessoas e beija-os…

Explodem agora as denúncias de pedofilia no clero. Jogam tudo nas costas de Francisco, alardeiam. Escândalo! Escândalo!.. Além da força das denúncias, embutido, o nítido interesse em incluir o Papa nessas manobras… Ele tem que ser quebrado.

É fácil perceber que os fariseus continuam ativos. E iguais…

*Antonio Mourão Cavalcante

Médico, antropólogo e professor universitário.

Papa Francisco afirma que países devem pensar bem antes de devolver imigrantes

A bordo d avião do Vaticano, o papa Francisco afirmou que se “deve pensar muito bem” antes devolver a outros países os imigrantes que chegam à Europa, ao assegurar que conhece as torturas que sofrem muitos deles.

Ele usou a expressão durante entrevista a bordo do avião de volta de sua viagem à Irlanda, quando foi perguntando sobre a responsabilidade da Europa no tema de imigração e o recente caso do navio militar italiano Diciotti.

O pontífice respondeu aos jornalistas que viajam com ele, entre eles a enviada da Agência EFE, que o primeiro a tramitar na imigração é “a abertura do coração”, depois, “a condição da integração” e, finalmente, “a prudência de quem governa”.

Traficantes

Francisco revelou, além disso, que viu um vídeo sobre o que ocorre aos homens devolvidos e voltam a cair nas mãos de traficantes. “É horroroso. As mulheres e as crianças são vendidas e os homens sofrem as torturas mais sofisticadas”, lamentou. “Para mandar-lhes outra vez tem que se pensar bem, muito bem”, acrescentou.

O papa destacou também o valor da integração no momento da amparada, e lembrou que os terroristas do atentado no aeroporto de Bruxelas tinham nascido no país de pais imigrantes, mas nunca tinham se integrado.

(Agencia Brasil com EFE)

Papa se reúne com oito vítimas de abusos do clero na Irlanda

O papa Francisco se reuniu nesse sábado (25), durante uma hora e meia, com oito vítimas de abusos por parte do clero irlandês, em seu primeiro dia de viagem a Dublin. O pontífice participa do Encontro Mundial das Famílias.

O encontro, que já tinha sido anunciado pelo Vaticano às vésperas da viagem, ocorreu na nunciatura da capital irlandesa durante um momento de pausa na agenda do pontífice.

A reunião foi “com oito vítimas de abusos por parte do clero, de religiosos e institucionais”, informou o porta-voz do Vaticano, Greg Burke.

Em comunicado da Coalizão das Famílias, Mães e Filhos da Irlanda, duas pessoas deste grupo que participaram do encontro explicaram que Francisco condenou a corrupção e os acobertamentos e os qualificou de “caca”, e que o intérprete traduziu como “aquilo que se faz no banheiro” para usar um eufemismo.

Entre eles estiveram Marie Collins, que fez parte da Pontifícia Comissão para a Proteção de Menores criada pelo papa e que a deixou em protesto, por considerar que suas atividades estavam sendo obstaculizadas.

Outras vítimas presentes foram os reverendos Patrick McCafferty e Joe McDonald, Damian O’Farrel, Paul Jude Redmond, Clodagh Malone e Bernadette Fathy, enquanto outra vítima, abusada pelo sacerdote Tony Walsh, preferiu ficar no anonimato.

Clodagh Malone, que nasceu na Casa das Mães e Filhos de São Patrício em Dublin e foi adotada com dez semanas, “solicitou ao papa que declarasse clara e publicamente que as mães naturais que perderam seus bebês por adoção não tinham feito nada errado e pediu reconciliação e reunião para estas famílias que foram destroçadas pela Igreja Católica tanto na Irlanda como no resto do mundo”.

“O papa concordou em incluir a mensagem na sua missa amanhã”, garantiu na nota.

Redmond, nascido no Lar de Castlepollard e adotado aos 17 dias, pediu ao papa que diga às freiras que dirigiam estes lugares “que aceitem suas responsabilidades pelo horror que ocorreu durante gerações” e que paguem os custos das investigações. “O papa se desculpou com todos nós pelo que aconteceu nos lares”, afirmou Redmond na nota.

O papa também recebeu uma cópia do livro de Redmond, The Adoption Machine, que contém detalhes das milhares de mortes e horrores dos lares.

“O papa ficou realmente comovido ao informar-se dos 6 mil bebês que morreram e dos 3 mil bebês desaparecidos e dos testes com vacinas. Levou as mãos à cabeça em estado de choque”, asseguraram as vítimas.

(Agência Brasil com a EFE)

Papa Francisco admite fracasso da Igreja sobre abusos cometidos pelo clero

O papa Francisco reconheceu neste sábado (25), em Dublin, na Irlanda, o fracasso da Igreja Católica irlandesa para enfrentar adequadamente o que denominou de “crimes repugnantes de abusos” a menores e pediu um esforço para a adoção de normas severas para que os abusos não voltem a se repetir.

Francisco fez a afirmação no discurso às autoridades no início de sua visita de dois dias à Irlanda, aonde chegou hoje para participar do Encontro Mundial das Famílias. “Não posso deixar de reconhecer o grave escândalo causado na Irlanda pelos abusos a menores por parte de membros da Igreja encarregados de protegê-los e educá-los”, assinalou o pontífice.

O papa Francisco iniciou neste sábado uma viagem de dois dias à Irlanda, onde participará do 9º Encontro Mundial das Famílias na capital Dublin, além de também se reunir com o primeiro-ministro, o democrata-cristão Leo Varadkar, para abordar os abusos cometidos pelo clero no país, entre outros assuntos.

(Agência Brasil com EFE)

Papa vai se reunir na Irlanda com vítimas de abusos por parte do clero

O papa Francisco se reunirá em Dublin, na Irlanda, com um grupo de vítimas de abusos por parte do clero. A reunião acontecerá durante sua viagem ao país, no próximo fim de semana, para participar do Encontro Mundial da Família, informou o porta-voz do Vaticano, Greg Burke. Francisco também rezará pelas vítimas durante sua visita à catedral de Dublin diante da vela que foi colocada no templo em homenagem as pessoas que sofreram abusos.

O papa Francisco, recentemente, teve encontros privados com vítimas em todos os países onde membros da Igreja cometeram esses crimes e fará o mesmo em Dublin.

A viagem do papa para o Encontro Mundial da Família acontece depois de um novo escândalo que atingiu a Igreja Católica com a publicação pela Suprema Corte da Pensilvânia, nos Estados Unidos, de um relatório que documenta 300 supostos casos de “sacerdotes predadores” sexuais nesse estado e identifica cerca de mil menores de idade como vítimas desde os anos 1940.

A ferida dos abusos ainda está aberta na Irlanda, onde dezenas de padres molestaram menores e a hierarquia católica encobriu sistematicamente as denúncias para evitar o escândalo em um período compreendido entre 1975 e 2004. É provável que Francisco também se refira a esse escândalo em algum dos discursos públicos que pronunciará nos atos de sua visita a Dublin nos dias 25
e 26 de agosto.

O papa publicou, esta semana, uma carta a todos os católicos, em um gesto sem precedentes, para expressar “vergonha” e “arrependimento” pelos casos de abusos e admitir que a Igreja não soube agir, nem reconhecer, a gravidade do prejuízo que estava sendo causado.

(Agência Brasil com EFE)