Blog do Eliomar

Categorias para Papa Francisco

Vaticano admite que homens casados possam se tornar padres na Amazônia

Papa Francisco.

Nesta segunda-feira, o Vaticano emitiu um documento que recomenda à Igreja Católica que considere ordenar homens mais velhos, casados e que tenham famílias constituídas, como padres em regiões remotas da Amazônia. A medida se aplicaria àqueles que tiverem, de preferência, ascendência indígena. A informação é do Portal G1.

O documento também pede que seja identificado algum tipo de ministério oficial que possa ser conferido às mulheres.

“Afirmando que o celibato é uma dádiva para a Igreja, pede-se que, para as áreas mais remotas da região, se estude a possibilidade da ordenação sacerdotal de pessoas idosas, de preferência indígenas, respeitadas e reconhecidas por sua comunidade, mesmo que já tenham uma família constituída e estável, com a finalidade de assegurar os Sacramentos que acompanhem e sustentem a vida cristã”, diz o documento.

Segundo agências internacionais, o documento é a menção mais direta em um documento do Vaticano à possibilidade de que homens casados possam ser padres. Hoje, eles podem exercer a função de diáconos — o diaconato é um dos ministérios da Igreja.

 

Papa Francisco manifesta desejo de visitar o Iraque

O papa Francisco manifestou, nesta segunda-feira (10), desejo de visitar o Iraque no ano que vem. Seria, no caso, a primeira visita papal da história ao País. A informação é do Portal G1, com Reuters.

Francisco fez o comentário de improviso, durante um discurso a membros de um grupo de instituições de caridades que ajudam cristãos no Oriente Médio e em outras áreas.

“Um pensamento constante me acompanha quando penso no Iraque”, disse ele durante comentários por escrito, acrescentando em seguida: “Para onde tenho vontade de ir no ano que vem”.

(Foto – Arquivo)

Carta do Papa a Lula ultrapassa 230 mil menções no Twitter

222 4

O Twitter registra no início da tarde desta quarta (29) 230 mil menções à carta enviada por Papa Francisco ao ex-presidente Lula. É, de longe, o assunto mais comentado do dia na plataforma. A informação é da Veja Online.

A mensagem do Pontífice foi divulgada hoje de manhã pelo perfil do Instituto Lula (veja o documento abaixo).

Francisco lamenta as perdas familiares do ex-presidente, e pede coragem para que ele “não desanime”.

O Papa Francisco enviou uma carta de solidariedade a Lula. Na mensagem, o pontífice pede que o ex-presidente não desanime e nem perca a fé em Deus. Francisco ainda lembra que, ao final, “o bem vencerá o mal, a verdade vencerá a mentira e a Salvação vencerá a condenação”. pic.twitter.com/sIDpeOc88R

— Instituto Lula (@inst_lula) May 29, 2019.

(Foto – Vaticano)

Papa Francisco recebe cacique Raoni em audiência privada

O papa Francisco recebe nesta segunda-feira (27), em reunião reservada, o líder indígena brasileiro Raoni Metukire, de origem kayapó. Na ocasião, o cacique deve apresentar demandas do movimento indígena, sobretudo aquelas que têm relação com as condições de vida de povos que vivem na região amazônica.

Em uma viagem feita ao Chile e ao Peru, em janeiro do ano passado, o pontífice afirmou que “provavelmente, nunca os povos originários amazônicos estiveram tão ameaçados nos seus territórios com o estão agora”. O líder religioso também disse, na oportunidade, que “a defesa da terra não tem outra finalidade senão a defesa da vida”.

De acordo com o Vaticano, o encontro desta segunda-feira quase foi cancelado, por pressão de representantes da indústria madeireira e do agronegócio, mas foi confirmado ontem (25). O compromisso se insere no contexto da Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para a região Pan-Amazônica, que tem como tema Amazônia: Novos Caminhos para a Igreja e por uma Ecologia Integral. O evento será realizado entre os dias 6 e 27 de outubro, em Roma.

Segundo a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), é de praxe que, para todo sínodo, haja um processo de escuta das reivindicações daqueles que são foco do evento. Este ano, portanto, o acolhimento de demandas abrange diálogos com os povos indígenas e todas as comunidades que vivem na Amazônia.

Esse processo é a etapa preparatória, a primeira das três que compõem o sínodo, instituído em 1965. As fases seguintes são a celebrativa, em que os bispos se reúnem em assembleia, e a de atuação, na qual as deliberações aprovadas pelo papa são acolhidas pelas igrejas.

(Agência Brasil)

Papa diz que liberdade de imprensa é vital

O papa Francisco fez homenagens, nesse sábado (18), a jornalistas assassinados no exercício da profissão, afirmando que liberdade de imprensa é um indicador-chave da saúde de um país.

Em discurso à Associação de Imprensa Estrangeira na Itália, ele pediu que jornalistas evitassem notícias falsas e continuassem a relatar a situação difícil de pessoas que não estavam mais aparecendo nas manchetes, mas continuavam sofrendo, mencionando especificamente as etnias Rohingya, minoria muçulmana apátrida de Mianmar, e Yazidi, iraquianos perseguidos pelo grupo extremista Estado Islâmico

“Ouvi sofrendo as estatísticas sobre seus colegas mortos enquanto faziam seus trabalhos com coragem e dedicação em tantos países, relatando o que estava acontecendo em guerras e outras situações dramáticas nas quais tantos irmãos e irmãs do mundo vivem”, disse.

Francisco havia acabado de ouvir a presidente da associação, Patricia Thomas, da televisão da Associated Press, falar sobre jornalistas assassinados, presos, feridos ou ameaçados pelo trabalho que fazem. Ela mencionou Lyra McKee, morta a tiros cobrindo uma manifestação na Irlanda do Norte, a jornalista maltesa Daphne Caruana Galizia, morta em um carro-bomba em 2017, além do colunista do Washington Post Jamal Khashoggi, assassinado no consulado saudita de Istambul no ano passado.

(Agência Brasil)

Papa Francisco torna obrigatório que religiosos denunciem abusos sexuais

O papa Francisco assinou norma, nessa quinta-feira (9), que torna obrigatório aos membros do clero denunciar suspeitas de abusos sexuais, de poder ou de acobertamento de casos ocorridos dentro da Igreja Católica. O documento estabelece, assim, um novo procedimento a ser seguido nas dioceses, além de exigir rapidez nas investigações preliminares.

O pontífice determinou que todas as dioceses do mundo devem criar, antes de junho de 2020, sistemas acessíveis a quem quiser fazer denúncias, além de garantir proteção e assistência aos denunciantes. As novas regras são ditadas no Motu Proprio (documento de iniciativa do próprio papa) Vos estis lux mundi (Vós sois a luz do mundo).

“Para que tais fenômenos, em todas as suas formas, não aconteçam mais, é necessária uma conversão contínua e profunda dos corações, atestada por ações concretas e eficazes que envolvam todos na Igreja, de modo que a santidade pessoal e o empenho moral possam concorrer para fomentar a plena credibilidade do anúncio evangélico e a eficácia da missão da Igreja”, afirmou o papa.

As novas regras fazem parte da promessa feita por ele de erradicar os abusos sexuais dentro da Igreja, após a inédita cúpula no Vaticano com representantes de todas as conferências episcopais para tratar da questão. As regras se aplicam a todos os casos em que “se obrigue alguém, com violência ou ameaça ou por meio do abuso de autoridade, a realizar ou sofrer atos sexuais; realizar atos sexuais com menor ou pessoa vulnerável; produzir, exibir, possuir ou distribuir material pornográfico infantil”, segundo o Artigo 1º do documento.

O texto inclui medidas voltadas aos casos de violência contra as mulheres do clero, assim como o assédio a seminaristas ou noviços e os crimes de acobertamento, além de “ações ou omissões voltadas para interferir ou evitar investigações civis ou canônicas, administrativas ou penais”.

A maior novidade apresentada no documento é que os religiosos têm a “obrigação de informar a um bispo ou superior religioso, o que não interfere nem modifica nenhuma outra obrigação de informar às autoridades civis competentes”.

No texto, o papa Francisco afirma que, embora muito já tenha sido feito, é preciso continuar “a aprender com as lições amargas do passado, a fim de olhar com esperança para o futuro”. Para ele, essa responsabilidade recai primeiramente sobre os que estão no governo pastoral.

“Por isso, é bom que se adotem, em nível universal, procedimentos que tendem a prevenir e contrastar esses crimes que traem a confiança dos fiéis”, alertou o pontífice na apresentação inicial das novas regras.

(Com Agência Brasil)

Papa pede respeito à diversidade

Em encontro com estudantes, neste fim de semana, o papa Francisco pediu respeito à diversidade. Francisco disse aos estudantes que não tenham medo “das diversidades” e lembrou que “o diálogo entre as diferentes culturas enriquece um país, enriquece a pátria, e nos faz olhar para uma terra de todos e não só para alguns”.

Outro dos conselhos do papa aos estudantes de Roma foi que “na vida afetiva são necessárias duas dimensões: o pudor e a fidelidade”. Francisco recomendou “amar com pudor e não descaradamente, e ser fiel”, e acrescentou que “o amor não é um jogo e é a coisa mais bela que Deus nos doou”.

Além disso, o papa aconselhou os estudantes a “nunca deixar de sonhar grande e
desejar um mundo melhor para todos”.

(Agência Brasil)

Droga – Papa Francisco pede a estudantes que deixem o vício do celular

Durante discurso para estudantes do instituto público Ennio Quirino Visconti, escola secundária clássica de Roma, o papa Francisco pediu aos jovens, nesse sábado (13), no Vaticano, que se “libertem da dependência” do telefone celular, que é “como uma droga.”
“Libertai-vos da dependência do celular! Por favor!”, clamou Francisco. Ele explicou “que os telefones celulares são um grande progresso de grande ajuda, e é preciso usá-los, mas quem se transforma em escravo do telefone perde a sua liberdade”.
O papa lembrou que “o telefone celular é uma droga” que “pode reduzir a comunicação a simples contatos”.
“A vida é comunicar e não somente simples contatos”, disse Francisco, que também pediu aos estudantes que lutem contra o assédio escolar, que é como “uma guerra”, e confessou que lhe dói saber que, em muitos colégios, existe este fenômeno.
Por ocasião da visita da escola ao Vaticano, o pontífice aludiu a um ensinamento de Santo Agostinho, doutor da Igreja Católica, em latim: “in interiore homine habitat veritas” – “A verdade vive no interior do homem”.
(Agência Brasil)

Papa se diz “profundamente entristecido” com ataques a mesquitas

O papa Francisco disse ter ficado “profundamente entristecido” com os ataques duplos às mesquitas na cidade de Christchurch, na Nova Zelândia, deixando 49 mortos e 48 feridos. Em um telegrama, assinado pelo secretário de Estado, cardeal Pietro Parolin, o pontífice afirmou estar “consciente dos esforços das forças de segurança e da emergência nesta situação difícil”.

Segundo Parolin, o papa reza pela cura dos feridos, pelo consolo daqueles que sofrem a perda de seus parentes e amigos e pede pede a Deus o conforto de todos.

Logo depois dos dois ataques, os bispos católicos da Nova Zelândia enviaram uma mensagem “aos queridos membros da comunidade muçulmana” neozelandesa de Christchurch, manifestando sua solidariedade diante dessa violência.

“Estamos conscientes das boas relações que temos com os muçulmanos nessa terra e estamos abalados pelo fato que tenha acontecido num lugar e num momento de oração. Estamos profundamente tristes pelas pessoas mortas e feridas, e os nossos corações se voltam para eles, suas famílias e a comunidade em geral. Paz, Salaam”, informa a mensagem.

(Agência Brasil)

Sucessão em Fortaleza – Carlos Matos, prefeiturável tucano, posa com o Papa

O ex-deputado estadual Carlos Matos está mesmo como um dos pré-candidatos do PSDB à Prefeitura de Fortaleza em 2020. Reafirmou, nesta quinta-feira, em entrevista ao O POVO, o deputado federal neotucano Roberto Pessoa.

Segundo Pessoa, o ex-parlamentar tem condições de disputar, porque, além de preparado tecnicamente, conta com bom trânsito na política, conhece os problemas não só de Fortaleza, mas do Estado como um todo, e detém a simpatia de movimentos da Igreja Catolíca.

Aliás, Carlos Matos foi o único político brasileiro escolhido para participar do encontro “Por uma nova geração de católicos latino-americanos na política”, promovido pela Academia de Líderes Católicos e pela Comissão Pontifícia para a América Latina, em Roma.

O curso teve início no dia 24 de fevereiro e foi concluído na ultima segunda-feira (4), com a palestra do Papa Francisco.

(Foto – Facebook)

Cardeal é condenado por não ter denunciado abusos sexuais

Papa Francisco está na luta contra pedófilos da Igreja.

O cardeal francês Philippe Barbarin foi condenado hoje (7) a um ano de prisão, sentença convertida em seis meses de pena, por não ter denunciado abusos sexuais praticados por um padre durante anos. O coletivo de juízes do Tribunal de Lyon leu esta manhã a sentença do cardeal Barbarin.

O arcebispo de Lyon e mais cinco funcionários, leigos e clérigos da diocese, são acusados de silêncio cúmplice por terem conhecimento, durante anos, dos abusos sexuais praticados pelo padre Preynat e de terem escondido esses crimes da Justiça.

Para as vítimas do padre Preynat, o sacerdote, que durante várias décadas teria abusado de 80 crianças, se o cardeal Barbarin e os funcionários do arcebispado tivessem denunciado os fatos muitos crimes não teriam prescrito.

O padre Preynat confessou, em cartas e às vítimas, durante a investigação, os crimes praticados. Das 80 vítimas, apenas sete não viram os crimes prescrever. Preynat deverá começar a ser julgado este ano.

(Agência Brasil com RTP, emissora pública de televisão de Portugal)

Papa Francisco anuncia abertura dos arquivos do Pontificado de Pio XII

O papa Francisco anunciou hoje (4) que vai abrir à consulta dos pesquisadores a documentação de arquivo do Pontificado de Pio XII, até sua morte, ocorrida em Castel Gandolfo em 9 de outubro de 1958. Ele definiu a data de 2 de março de 2020 para a abertura dos arquivos.

A decisão foi anunciada durante audiência, na Sala Clementina, com os responsáveis e os funcionários do arquivo secreto Vaticano, reunindo 75 pessoas.

“Decidi que a abertura dos arquivos Vaticanos referentes ao Pontificado de Pio XII se dará em 2 de março de 2020, exatamente à distância de um ano do 80º aniversário da eleição de Eugenio Pacelli à Cátedra de Pedro.”

O papa disse que, antes de anunciar a decisão, ouviu o parecer dos seus “mais estreitos colaboradores, com ânimo sereno e confiante”. Segundo ele, a Igreja Católica Apostólica Romana não teme sua história.

“A Igreja não tem medo da história, aliás, a ama e quer amá-la mais e melhor, como Deus a ama! Portanto, com a mesma confiança de meus Predecessores, abro e confio aos pesquisadores esse patrimônio documentário”, disse o pontífice.

Francisco ressaltou aos presentes, que por desejo do Papa Bento XVI, ambos trabalham em parceria desde 2006 no projeto de inventário e preparação da volumosa documentação produzida durante o Pontificado de Pio XII, a qual em parte seus veneráveis predecessores São Paulo VI e São João Paulo II já tornaram consultáveis.

Pio XII foi o único papa do século XX a exercer o chamado Magistério Extraordinário da Infalibilidade papal, um dos dogmas da Igreja Católica, envolvendo fé ou moral.

(Foto: Agência Brasil)

Papa anuncia medidas para combater abusos contra crianças

O papa Francisco classificou hoje (24) os abusos contra crianças e adolescentes como “crimes abomináveis”, nos quais, segundo ele, “esconde a mão do mal” sem poupar a “inocência das crianças”. O pontífice anunciou sete estratégias para “acabar com a violência contra as crianças” por parte da Igreja Católica Apostólica Romana.

“Gostaria de reiterar aqui que a Igreja não será poupada em fazer todo o necessário para levar à justiça quem cometeu tais crimes. A Igreja nunca tentará encobrir ou subestimar qualquer caso”, ressaltou o papa no encerramento do encontro promovido pelo Vaticano com representantes da Igreja Católica Apostólica de vários países.

O papa Francisco advertiu que abusos não devem ser encobertos e desvalorizados, pois tais atitudes favorecem a propagação do mal. Ele ressaltou que o mundo digital deve ser inserido no esforço coletivo.

“Devemos empenhar-nos para que os jovens e as jovens, especialmente os seminaristas e o clero, não se tornem escravos de dependências baseadas na exploração e abuso criminoso dos inocentes e de suas imagens e o desprezo pela dignidade da mulher e da pessoa humana”, destacou o papa.

Segundo o papa Francisco, é necessário superar “polêmicas ideológicas e políticas” para combater o problema. “Milhões de crianças, em todo o mundo, são vítimas de exploração e abuso sexual”, alertou.

“[O que ocorre] leva à amargura e até mesmo suicídio. Às vezes, vingar-se fazendo a mesma coisa.”

Desde o dia 21 até hoje, cardeais, arcebispos, bispos e líderes religiosos se reuniram para discutir medidas para combater os abusos e a exploração de menores. Após a missa de domingo, o papa Francisco conversou com os religiosos. Ele ressaltou que muitos abusos são cometidos dentro da família e entre pessoas conhecidas.

Nos últimos meses, várias denúncias contra padres e bispos dos mais distintos continentes, denunciados por abusos, vieram à tona. O papa avisou que não toleraria casos de violência sexual contra crianças e adolescentes.

O papa Francisco também condenou o “turismo sexual” chamado por ele de “flagelo”. Segundo ele, um fenômeno em crescimento contínuo. Ele lembrou que há ainda outras vítimas de abusos, como crianças-soldados, desnutridas, sequestradas e “muitas vezes vítimas do comércio monstruoso em órgãos humanos ou transformados em escravos”.

(Agência Brasil)

Papa Francisco pede medidas concretas para erradicar crimes sexuais no clero

O papa Francisco pediu hoje (21), na abertura de uma reunião histórica da igreja, para abordar os abusos sexuais cometidos por membros do clero e “medidas concretas e efetivas” de combate. Segundo o pontífice, não basta apenas condenar esses crimes.

“O povo de Deus está a ver-nos e espera que nós não só condenemos, mas que tomemos medidas concretas e efetivas”, afirmou o papa perante 190 representantes da hierarquia religiosa. “A concretização [dessas medidas] é necessária”, destacou.

“Confrontados com o flagelo do abuso sexual realizado por homens da Igreja contra as crianças, pensei em consultar-me convosco, patriarcas, cardeais, arcebispos, bispos, superiores religiosos e responsáveis, para que juntos possamos ouvir o grito dos pequenos que pedem justiça”, ressaltou Francisco.

O papa disse aos presentes que nessa reunião pesa a responsabilidade pastoral e eclesial que os obriga a discutir em conjunto, de maneira sinodal, de forma sincera e profunda “a forma de enfrentar esse mal que aflige a Igreja e a humanidade”.

Francisco disse que será entregue aos participantes “uma linha guia” para ajudar a refletir, sendo esta apenas um ponto de partida das discussões.

O papa pediu que o Espírito Santo ajudasse a Igreja nestes dias a “transformar este mal em uma oportunidade para se tomar consciência e para se purificar”.

O pontífice rogou à Virgem Maria que iluminasse a Igreja para “tentar curar ferimentos graves causados pelo escândalo da pedofilia tanto aos pequenos quantos aos crentes”.

A reunião começou com as palavras de uma vítima, lidas por um dos membros da comissão organizadora e especialista na luta contra os abusos, o padre Hans Zollner. “Nem os meus pais, nem os oficiais da igreja ouviram o meu clamor e pergunto-me: ‘Porque Deus também não o ouviu?'”, disse o padre, ao ler as palavras da vítima de abuso sexual.

O papa argentino vai tentar convencer, nos próximos dias, os presidentes das Conferências Episcopais da Igreja Católica no mundo da sua responsabilidade individual face às agressões sexuais a menores.

Ouvir as vítimas, aumentar a consciência, aumentar o conhecimento, desenvolver novos procedimentos, e partilhar boas práticas são alguns dos objetivos do encontro.

Cúpula

O encontro Proteção dos Menores na Igreja, que ocorrerá no Vaticano, focará três temas principais: responsabilidade, assunção de responsabilidades e transparência.

O papa anunciou a sua presença em todas as sessões e momentos de oração da cúpula que reunirá 114 conferências episcopais.

Segundo a comissão organizadora da cimeira, os participantes “trabalharão juntos para responder a este sério desafio”. Está prevista também a participação de algumas vítimas.

Na preparação do encontro, a comissão pediu aos presidentes das conferências episcopais para ouvirem as vítimas nos seus países.

(Agência Brasil e RTP, TV pública portuguesa/Foto – Reuters)

Papa Francisco expulsa cardeal norte-americano acusado de abusos sexuais

O Vaticano anunciou hoje (16) que a Congregação para a Doutrina da Fé expulsou do sacerdócio o ex-cardeal e arcebispo emérito de Washington (EUA), Theodore McCarrick, de 88 anos.

Ele foi acusado de abusos sexuais a menores e seminaristas, informou a assessoria de imprensa da Santa Sé, através de um comunicado.

theodore mccarrick, Papa, Expulsão REUTERS/Alessandro Bianchi/File Photo

Esta é a primeira vez na história da Igreja Católica que um cardeal perde seu título em razão de abusos sexuais.

A decisão acontece depois da investigação sobre o caso ordenada pelo papa Francisco e poucos dias antes de o Vaticano realizar – na próxima semana – uma reunião histórica contra os abusos a menores por parte de religiosos.

(Agência Brasil, com RTP, de Portugal/Foto Reuters)

A travessia de Francisco

209 1

Em artigo no O POVO deste sábado (9), a professora da UFC e Doutora em Direto Juliana Diniz avalia a visita do papa Francisco à península arábica. Confira:

Pela primeira vez na história um papa visitou a península arábica, berço da religião islâmica. O pontífice foi recebido pelos Emirados Árabes Unidos, que o convidaram como parte das celebrações do ano da tolerância. O papa Francisco encontrou-se com uma importante autoridade religiosa do islamismo sunita, o xeque Ahmed al-Tayeb, imã de al-Azhar, mesquita sediada no Cairo. O líder máximo do catolicismo e a autoridade do islamismo sunita firmaram um compromisso pelo diálogo entre cristãos e muçulmanos, declarando o repúdio à violência praticada com motivação religiosa.

Em 2019, a Igreja celebra o aniversário de 800 anos de um evento com simbolismo semelhante: o encontro entre Francisco de Assis e o sultão do Egito Malik al Kamil. Francisco conseguiu atravessar os campos em guerra entre cruzados e muçulmanos em 1219, chegando em segurança até Damietta, onde o sultão o recebeu com hospitalidade. O homem cujo nome inspirou o atual papa permaneceu algum tempo sob os cuidados do sultanato, onde aprendeu sobre a religião e a vida de seus irmãos de outra fé. As travessias dos dois Franciscos têm importância pela mensagem política que carregam em contextos de ressignificação do papel social da religião.

A politização das comunidades de fé e a emergência do fundamentalismo cristão e muçulmano têm exigido uma reflexão mais profunda sobre o princípio da laicidade do Estado. A separação entre Igreja e poder político foi necessária para que sociedades com grande diversidade cultural pudessem se desenvolver sem a eliminação violenta dos grupos minoritários: sob esse viés, o estado laico é conquista civilizatória fundamental à liberdade.

Uma leitura estreita do laicismo, contudo, condena as comunidades de fé ao exílio do espaço público, favorecendo um ressentimento coletivo que é explicação do fundamentalismo que hoje ameaça a paz. A democracia moderna se funda em um humanismo laico, mas herdeiro da tradição das religiões abraamicas. Cristianismo, judaísmo e islamismo guardam um patrimônio cultural indispensável para compreensão dos desafios de nossa vida comum. Esse saber é valioso porque proporciona luz para o diálogo entre visões de mundo muito diversas e aparentemente inconciliáveis. O papa e o imã ofereceram uma mensagem de esperança: é sempre tempo para sobreviver à guerra e construir soluções respeitosas e plurais.

Juliana Diniz

Doutora em Direito e professora da UFC

Papa Francisco se dispõe a mediar o impasse na Venezuela

O papa Francisco se colocou à disposição para mediar a crise política, econômica e humanitária na Venezuela. Ele disse que recebeu uma carta do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, mas ainda não leu.

O pontífice lembrou ainda que, no passado, o papa João Paulo II mediou um impasse envolvendo o Chile a Argentina.

“Para que a mediação ocorra, é necessária a vontade de ambas as partes, que ambas as partes pedem”, afirmou o papa Francisco durante a viagem entre os Emirados Árabes e a Itália. “Agora vou ver essa carta, vou ver o que pode ser feito. Mas com a condição de que ambas as partes peçam por isso. Eu estou sempre disposto.”

O pontífice citou como exemplo quando um casal briga. De acordo com ele, primeiro uma das partes procura o padre, depois a outra. Em seguida, é feita mediação pelo religioso. Ele deu a entender que as negociações de impasses políticos são semelhantes.

“Quando as pessoas vão ao padre porque há um problema entre marido e mulher, primeiro um vai. Mas ele pergunta: a outra parte quer ou não quer? Mesmo para países, essa é uma condição que deve fazê-los pensar antes de pedir facilitação ou mediação”, destacou.

Segundo o papa Francisco, a carta enviada por Maduro foi encaminhada via bolsa diplomática. “Eu não li ainda, vamos ver o que pode ser feito.”

Na segunda-feira (4), Maduro disse que ia pedir ao papa para contribuir para o processo de diálogo.

(Agência Brasil)

Papa Francisco visita os Emirados Árabes

O Papa Francisco está em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes. É a primeira visita de um pontífice à Península Árabe. Uma minoria de estrangeiros católicos vive no país. Segundo o Vaticano, o objetivo é que a viagem envolva encontros com autoridades de outras religiões.

No Twitter, o Papa escreveu: “Vou (aos Emirados Árabes Unidos) como um irmão para escrever em conjunto uma página de diálogo e percorrer juntos os caminhos da paz. Rezem por nós!”.

A cerimônia de boas-vindas ao Papa ocorreu nessa segunda-feira (4), ao meio-dia local (6h de Brasília), na entrada do Palácio presidencial. Francisco se encontrará com o príncipe herdeiro, o xeque Mohamed bin Zayed Al Nahyan.

(Com Agências)

Em oração do Angelus, Papa cita vítimas da tragédia de Brumadinho

Após a oração do Angelus de hoje (27), no Lar do Bom Samaritano Juaz Díaz, na Cidade do Panamá, o Papa Francisco lembrou as vítimas do rompimento da barragem Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), no início da tarde de sexta-feira (25). Pelo menos, 37 pessoas morreram.

O Pontífice citou também a tragédia ocorrida no estado mexicano de Hidalgo, onde a explosão de um oleoduto perfurado ilegalmente mantou até o momento 114 pessoas.

“Desejo expressar meus sentimentos de pesar pelas tragédias que atingiram os estados de Minas Gerais, no Brasil, e Hidalgo, no México. Confio à misericórdia de Deus todas as pessoas falecidas. Ao mesmo tempo, rezo pelos feridos e expresso meu afeto e proximidade espiritual a seus familiares e a toda a população”.

(Agência Brasil)

Papa faz apelo para que migrantes à deriva sejam acolhidos

O papa Francisco fez um apelo neste domingo (6) para que governos europeus acolham migrantes à deriva no mar do Mediterrâneo.

Ao falar para fiéis na Praça de São Pedro, no Vaticano, ele se referiu aos migrantes salvos por dois navios de organizações não-governamentais que aguardam autorização para desembarcar na Europa.

O papa foi aplaudido e o seu pronunciamento tem relação direta com 49 migrantes que ainda estão a bordo dois navios, o Sea Watch e o Sea Eye.

Eles não estão alojados em nenhum ponto do Mediterrâneo e permanecem estacionados nas águas de Malta.

(Agência Brasil)