Blog do Eliomar

Categorias para Política

Nos discursos, Lupi lembra Ciro 2018, Ciro destaca RC e Moroni apregoa mais segujrança

morr

Nos discursos, em clima de convenção do PDT, nesta noite de quinta-feira, no ginásio da Faculdade Ari de Sá, o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, conclamou: “Temos que eleger Roberto Cláudio, porque é daqui do Ceará que sairá o nosso candidato a presidente da República em 2018; Ciro Gomes!” Arrancou aplausos.

Já Ciro Gomes, discursando, defendeu a reeleição do prefeito: “O Roberto Cláudio, para além do que fez para melhorar a vida dos fortalezenses, tem um conjunto de novas ideias para implantar na nossa Capital!”

Moroni Torgan também falou: “Por amor a esse povo, principalmente da periferia, é que estamos na luta. Nós temos um plano para a segurança e nós vamos implantar. Violência não se combate apenas com prisão. É preciso investir em escolas, em geração de emprego… e isso nós vamos fazer!”

Prefeito agradece apoio de Camilo, que não vai à convenção, mas mandará a primeira-dama

morrcc

Na foto, o governador Camilo Santana (PT), que não estará na convenção.

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) posou ao lado de seus apoiadores e do seu vice, Moroni Torgan (DEM), antes de seguir para o ginásio da Faculdade Ari de Sá. Ali, acontece a convenção que homologará seu nome como candidato à reeleição.

Camilo, bom destacar, recebeu esse grupo todo na Residência Oficial.Ele não vai, mas sua mulher, Onélia Leite, estará presente.

NA FOTO – Ferruccio Feitosa (Adece), Zezinho Albuquerque (presidente da AL/CE), Ciro, Moroni, Camilo, RC, Izolda Cela (vice-governadora), Carlos Lupi (presidente nacional do PDT), André Figueiredo (presidente estadual do PDT), Robinson de Castro (presidente do DEM Fortaleza), Padre Zé (presidente estadual do PP) e Salmito Filho (presidente da Câmara Municipal).

(Foto – Leitor do Blog)

Convenção pró-Roberto Cláudio lota o ginásio da Faculdade Ari de Sá

ginasio

O ginásio da Faculdade Arfi de Sá já está praticamente tomado pelos militantes pró-Roberto Cláudio (PDT). São caravanas de vários bairros mobilizadas por vereadores e candidatos a vereador que prometem fazer festa durante convenção onde o prefeito de Fortaleza será homologado como postulante à reeleição.

Os ex-governadores Ciro Gomes e Cid Gomes, o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, o presidente estadual pedetista André Figueiredo e a vice-governadora Izolda Cela  são aguardados juntamente com Roberto Cláudio.

(Foto – Paulo MOska)

Prefeito fecha nome do vice, mas precisa conversar com PSD

mortit

Veja quem está com o prefeito nos cartazes já distribuídos no ginásio Ari de Sá.

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT),fechou o nome do deputado federal Moroni Torgan (DEM) como candidato a vice, mas não foi fácil administrar interesse de partidos coligados como o PSD. A sigla queria indicar o nome, justificando que havia interesse da direção nacional.

Foi esse fator que protelou o anúncio praticamente definido há dias. O prefeito, o governador Camilo Santana (PT) e os irmãos Ciro e Cid Gomes queriam apaziguar os ânimos da direção do PSD, oferecendo espaços na gestão futura e até estadual.

O PSD, no entanto, ainda conversa com o prefeito, com Camilo e com os Gomes. Até esta sexta-feira, a legenda discutirá sua situação na coligação. O partido tem peso no horário eleitoral.

DETALHE – O prefeito será homologado candidato à reeleição nesta noite de quinta-feira, durante convenção no Ginásio da Faculdade Ari de Sá.

Presidente da CDL será cidadão fortalezense

375 2

Severino Ramalho Neto

Na próxima segunda-feira, às 19 horas, o presidente da CDL Fortaleza, Severino Ramalho Neto, receberá título de cidadão fortalezense. Severino é carioca, mas suas raízes são cearenses.

Na mesma solenidade, o presidente da Câmara Municipal, Salmito Filho (PDT), promulgará decreto considerando a Faculdade CDL como instituição de utilidade pública.

(Foto – Divulgação)

Professor aponta contradições tassistas

188 3

Com o título “Tasso Jereissati, a sua aliança política e a perplexidade dos seus eleitores”, eis artigo do sociólogo e professor da UFC, João Arruda – também assessor municipal. Ele avalia a união Tasso-Eunício-Capitão Wagner em Fortaleza. Confira:

Está repercutido nas redes sociais, com muita insistência, a estranheza
dos fortalezenses com a exótica e extemporânea aliança do senador Tasso
Jereissati com o PR do Capitão Wagner e com o PMDB do senador Eunício
Oliveira.

Essa reação, por sinal, já era esperada. Desde o momento em que a mídia
começou a sinalizar que o PSDB poderia se unir ao PR do Capitão Wagner, os
simpatizantes do senador começaram a questionar a veracidade dessa
informação. Afinal de contas, a imagem negativa do Capitão Wagner, cuja
trajetória política se estruturou explorando diferentes dimensões da
violência e da criminalidade em nossa cidade, e as seguidas denúncias de
corrupção levantadas pela Operação Lava-Jato contra o senador Eunício
Oliveira, eram incompatíveis com a história e o discurso ético do senador
Tasso Jereissati, se chocando com o imaginário político construído pelo
fortalezense em relação a retidão e a coerência política de Tasso.

De fato, a confirmação dessa inusitada aliança contradiz a história
política do senador. A sua enigmática declaração de que a chapa Capitão
Wagner-Gaudêncio Lucena “é uma nova maneira de se fazer política (…) e
que vai começar uma nova trajetória em Fortaleza, Ceará, Brasil” deixou os
seus potenciais aliados atônitos, sem entender as reais motivações ou a
lógica dessa opção política.

Ora, o senador Tasso Jereissati foi a primeira grande vítima desse
projeto. Ele deve lembrar que, em 1997, no seu segundo governo, o nosso
estado foi palco de um motim de policiais militares extremamente
truculentos, espalhando pânico e insegurança em todo o Ceará.

Como tem boa memória, o ilustre senador deve lembrar dos aplausos que
recebeu da quase unanimidade dos cearenses quando, com muita determinação e fazendo valer a sua autoridade, sufocou os amotinados, tendo antes afirmado que: “Não negociamos com facções armadas, policiais bêbados que estão se transformando em verdadeiros marginais”.

O que causa espécie aos potenciais eleitores do senador Tasso Jereissati é
o fato dele se unir exatamente com aqueles que, no passado, ele
classificou de “corja de criminosos desqualificados”. Será que o senador
não percebe que está ali, naquela sublevação militar, que teve o seu ápice
em julho de 1997, a gênese desse projeto corporativista que hoje ele apoia
e que é capitaneado pelo Capitão Wagner?

Esse projeto é irresponsável e um desserviço para Fortaleza,
principalmente para os segmentos sociais que necessitam dos serviços
ofertados pela Prefeitura. É público e notório que o Capitão candidato não
tem um projeto para Fortaleza. Quem vem acompanhando a trajetória política dele sabe que ela foi construída e alimentada por motivações
corporativista. Ele, por sinal, não esconde de ninguém esses objetivos.

Como já deixou claro, a prefeitura é o grande meio para fortalecer o
Seu movimento. O jornalista Fábio Campos, em sua coluna no O Povo do dia
28/02, diz que o Capitão, ao ser cobrado por um grupo de policiais que
reclamava da agenda de candidato a prefeito em detrimento da categoria,
teria afirmado: “Com a prefeitura a gente elege quatro ou cinco deputados
estaduais brincando. A gente elege um da PM, um dos Bombeiros, um da
Polícia Civil… A gente vai ter profissionais da segurança lá suficientes
para nos representar. A gente precisa ter consciência da importância que é
a Prefeitura”.

É inadmissível que o senador Tasso Jereissati, detentor de uma apreciada
história política, possa ser conivente com esse projeto corporativo. É
lamentável que seja cúmplice de um projeto de poder sem nenhum compromisso com o bem estar dos Fortalezenses.

Os seus eleitores continuam confusos, sem entender a real motivação que o
levou a romper com a sua conhecida coerência política e ter optado por
alianças que contradizem a sua biografia como político e cidadão.
Infelizmente, parece que a sua razão foi ofuscada pelo ressentimento da
quebras de expectativas políticas ocorridas no passado.

Encerro fazendo referência a uma expressão que ouvi de um dos vereadores
que hoje compõem a nossa Câmara Municipal: “Nossa cidade nasceu de um
Forte, daí o nome Fortaleza, mas não tem nenhuma vocação para quartel”.

*João Arruda,
Sociólogo e Professor da UFC.

Fachin manda de volta para a cadeia prefeito solto por Lewandowski

foto stf Fachin

“No recesso parlamentar, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, decidiu soltar o prefeito de José Vieira da Silva, de Marizópolis (PB). Na ocasião, ele contrariou entendimento do plenário da corte, que desde o início do ano passou a determinar que condenações em segunda instância sejam executadas. Fora do recesso, o caso retornou a seu relator natural, o ministro Edson Fachin.

Como Lewandowski havia apreciado o mérito do pedido de habeas corpus do prefeito, Fachin adentrou o mérito. Indeferiu o pedido e mandou que o prefeito seja novamente recolhido à cadeia.

Para Fachin, a jusrisprudência do Supremo deve ser respeitada.
Seu voto, inclusive, joga um balde de água fria na tentativa de alguns ministros da corte que queriam a volta do sistema antigo. Na prática, aquele que permite infinitos recursos e décadas de processo antes de que alguém possa ser preso.”

(Veja Online)

Carlos Lupi chega para prestigiar convenção pró-RC

 

lupi rio

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, já está em Fortaleza. Veio participar da convenção que homologará, nesta noite de quinta-feira, no ginásio da Faculdade Ari de Sá, o prefeito Roberto Cláudio (PDT) como postulante à reeleição.

Lupi foi recebido pelo presidente regional pedetista, o deputado federal André Figueiredo. Os dois almoçam em local não divulgado e tentam reverter decisão do governador Camilo Santana (PT) e do ex-governador Cid Gomes (PDT) que indicaram o deputado federal José Arnon como candidato a prefeito de Juazeiro do Norte (Região do Cariri), tendo Geovani Sampaio na vice.

“Estamos discutindo isso. Nosso candidato em Juazeiro é o Gilmar Bender. Vamos lutar por isso”, disse Figueiredo para o Blog.

 

DEM transfere sua convenção para mesmo local da convenção de RC

130 1

zuMoroni

“Me aguarde, RC!”

O DEM decidiu transferir sua convenção, que deveria ter ocorrido na manhã desta quinta-feira, em sua sede, para mesmo local da convenção que homologará o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT) como candidato à reeleição.

O deputado federal Moroni Torgan participará, inclusive, da convenção pró-RC e pode acabar sendo indicado vice, segundo admitem lideranças do seu partido.

Um outro nome que aparece como “Plano B” é o de Alexandre Pereira, que preside o PPS estadual.

Governador divulgará nesta sexta-feira dados sobre homicídios de julho

foto camilo com PMs

Nesta sexta-feira, os dados consolidados referentes aos Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLIs) do mês de julho último no Ceará, vão ser divulgados durante coletiva, no prédio da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). O governador Camilo Santana (PT) fará a divulgação.

Na mesma ocasião, serão apresentadas as 10 viaturas que o Governo do Ceará recebeu da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) como contrapartida pelo apoio do Governo à segurança nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro e pela cessão de policiais e bombeiros para a composição da Força Nacional de Segurança.

(Foto – Governo do Estado)

Jean Wyllys X Bolsonaro – Representações terão andamento no Conselho de Ética

jenn

Jean Wyllys X Jair Bolsonaro

Sem ter um Eduardo Cunha para se ocupar, o Conselho de Ética da Câmara deve dar prosseguimento, na semana que vem, aos casos contra Jair Bolsonaro e Jean Wyllys.

O primeiro é acusado de apologia à tortura por ter exaltado um dos generais da ditadura militar.

O segundo responderá por ter dado uma cusparada que deveria acertar Bolsonaro mas acabou atingindo os deputados Luiz Carlos Heinze e Sóstenes Cavalcante.

A expectativa é que o Conselho não puna Bolsonaro e dê uma advertência a Wyllys.”

(Veja Online)

Reviravolta jurídica – PP volta ao comando do Padre Zé

305 2

rccc

Reviravolta no caso de quem fica no comando do Partido Progressista no Ceará.

A Justiça estadual , por meio do desembargador Francisco Gladyson Pontes, tomou nova decisão, nesta quinta-feira, em favor do ex-deputado federal Padre Zé Linhares, que volta a comandar a legenda.

Nesta semana, a desembargadora Vera Lúcia Correia havia derrubado liminar que dava ao Padre Zé o comando, no que a sigla passou para o deputado federal Adail Carneiro.

Agora, sai essa nova decisão no dia em que o prefeito Roberto Cláudio (PDT) fará a convenção que o homologará como candidato à reeleição.

DECISÃO INTERLOCUTÓRIA

Trata-se de Mandado de Segurança, com pedido de medida

liminar, impetrado pelo PARTIDO PROGRESSISTA – DIRETÓRIO ESTADUAL

DO CEARÁ e OUTROS, impugnando ato em tese ilegal perpetrado pela

DESEMBARGADORA RELATORA DA TUTELA CAUTELAR ANTECEDENTE

No 0625524-49.2016.8.06.0000, consistente em “suspender a eficácia da

sentença proferida pelo douto Juízo da 11a Vara Cível da Comarca de

Fortaleza, nos autos do Processo no 0131560-64.8.06.0001”, que, a um só

tempo, concedeu a tutela de urgência e julgou procedente o pedido inicial,

para “DECLARAR NULA A RESOLUÇÃO no 11/2016 – CEN,

DETERMINANDO QUE SE RESTAURE INTEGRALMENTE O DIRETÓRIO

ESTADUAL DO PARTIDO PROGRESSISTA (PP) DO CEARÁ por aquele

malsinado ato, COM O IMEDIATO RETORNO DOS SEUS ANTERIORES

INTEGRANTES EM SUAS FUNÇÕES”.

Comissão Especial aprova por 14 a 5 parecer do impeachment

Por 14 votos a 5, a Comissão do Especial do Impeachment do Senado aprovou o relatório do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), favorável ao prosseguimento do processo e ao julgamento da presidenta afastada Dilma Rousseff por crime de responsabilidade. Com isso, a comissão encerra os trabalhos. Como já havia antecipado que faria desde que assumiu o colegiado, o senador Raimundo Lira (PMDB-PB) foi único que não votou.

Brasília - O relator Antonio Anastasia e o presidente da Comissão do Impeachment, Raimundo Lira, durante sessão para discutir relatório de impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff (Antonio Cruz/Agência Brasil)

Na próxima terça-feira (9), o mesmo relatório será votado pelos 81 senadores no plenário da Casa. A sessão será presidida pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski. Para o relatório ser aprovado em plenário, são necessários votos da maioria simples dos parlamentares, ou seja, metade mais um dos presentes à sessão. Caso os senadores decidam pela continuidade do processo, Dilma será julgada no fim do mês, em data ainda a ser definida.

No julgamento final, os senadores terão de decidir se Dilma será afastada definitivamente do cargo e ficará inelegível por oito anos. Para aprovação, são necessários, no mínimo, 54 votos, em votação no plenário do Senado.

(Agência Brasil)

Escola Sem Partido – Que diabo é isso?

225 2

Com o título “Sem partido, sem ideologia e sem noção”, eis artigo do jornalista Plínio Bortolotti, que pode ser conferido no O POVO desta quinta-feira. Ele repudia projeto de lei que quer criar a tal “Escola Sem Partido”. Confira: 

Vem crescendo a polêmica sobre o projeto de lei que tramita no Congresso Nacional – e que se reproduz como os Gremlins Brasil afora – visando proibir o que seus defensores chamam de “doutrinação ideológica” nas escolas. Para eles, o professor aparece como um sujeito assustador, pronto a levar os estudantes para as sendas escuras do “esquerdismo”.

O interessante é que o Escola sem Partido, que pretende salas de aula “sem ideologia” é defendido, por exemplo, por um movimento chamado Endireita Brasil, por pastores evangélicos e políticos conservadores. Para eles, “ideologia” é uma espécie de vírus, do qual estão livres da contaminação.

Mas a proposta é tão canhestra que até o ministro da Educação de Temer, Mendonça Filho – cuja primeira medida ao assumir a pasta foi receber o especialista em educação Alexandre Frota – está contra a sua implementação.

Para o ministro, os professores devem ter compromisso “com a amplitude do conhecimento” oferecido aos estudantes, mas entende que não será uma lei a resolver o problema. Ele disse ainda não conhecer nenhum país do mundo com legislação para “controlar posicionamento dentro da sala de aula”, vendo a “quase impossibilidade” em aplicar uma medida desse tipo.

No entanto, ao ser perguntado se, caso a lei seja aprovada, recomendaria o veto ao presidente em exercício Michel Temer, evitou responder diretamente.

O ministro disse que não iria “antecipar um posicionamento de um projeto” que ainda não foi votado, acrescentando que o presidente saberá como se comportar “tendo em vista o interesse geral de uma boa educação e de conceitos como pluralidade, liberdade e preservação do direito do estudante de conhecer todos pontos de vista históricos e ideológicos”.

Oremos.

PS. 1) As informações do artigo estão em entrevista do ministro ao G1 (http://goo.gl/1S67b3); 2) No programa “Debates do Povo” de ontem, rádio O POVO/CBN o tema foi debatido (https://goo.gl/Cviokf); 3) na coluna “Menu Político”, próximo domingo, voltarei ao tema.

*Plínio Bortolotti

plinio@opovo.com.br
Jornalista do O POVO.

Eleições em Reriutaba – Prefeito desiste da disputa

Osvaldo Neto

Reviravolta no processo eleitoral em Reriutaba (Zona Norte) no que diz respeito aos aliados do Palácio da Abolição.

O prefeito Galeno Taumaturgo (Pros), que havia anunciado neste Blog que disputaria a reeleição, acaba de desistir. No lugar dele, disputará Osvaldo Neto (PDT), filho do ex-prefeito Osvaldo Lemos.

Operou nessa articulação o ex-governador Cid Gomes, pois não havia consenso entre aliados pró-Galeno que, em razão de fatores administrativos e de saúde, havia se afastado da base. O problema: Galeno estaria isolado politicamente.

(Atualização às 11h13min para correção)